Sábado, 30 de Abril de 2011
CAZUMBI . XXI

{#emotions_dlg.xa}FÁBRICA DE LETRAS DO KIMBO
        “AS INTERMITÊNCIAS AMARGAS”

  T´Chingange

“CAZUMBI: - Feitiço; coisas azaradas; má sorte; milongo envenenado; azar".

 

Desfolhando aleatóriamente o álbum de família e amigos, torna-se evidente que a morte não arredou pé do seu compromisso com a humanidade e, eis que exactamente num domingo e, de Páscoa, dão-me a notícia de que algures numa rua de Johannesburg um amigo próximo vitimou-se de morte em acidente, provávelmente de carro; não sei mais pormenores porque não é nesta periclitante situação de infortúnio que se perguntam detalhes "de como foi"; não foi noticiado nos meios de comunicação mas, nem toda a gente do mundo pode abanar a tranquilidade dum país decretando dois dias de luto nacional. As obras de Deus sempre são assinadas com o cunho da adversidade. Lembrar agora que no portugal pró-fundo que se pensava ter dado morte ao carrasco primeiro ministro, o povo maior, vacinado e emancipado após ter vilipendiado o "ingenheiro Sócratas" um lider tão contestado, ao invés do veto sagrado dão-lhe o voto sondado.

 Adversidade

Aquele amigo defuntado na África do Sul, originário da Madeira, decerto não tinha pensado estacionar ali seus ossos. Ele que pelo seguro era um tri-cidadão, resguardado na vida com três passaportes  não previu a morte. Português da Madeira por nascimento, brasileiro por crescimento, veio a usar seu fim de vida com o terceiro passapote. Meu amigo de nome Moreira não se precaveu com um quarto passaporte para o paraíso e irei sempre recordá-lo por uma frase dirigida a mim, e que ao longo de muitos anos me martelou negativamente. Dizia ele com experiência que "amigo, é aquele que me mete dinheiro ao bolso"; não contestei em sua vida essa afirmação mas, decerto, do muito que arrecadou, nada, agora levou.
 Espada de Dâmocles

A espada de Dâmocles (o que foi rei por um dia) no dizer de Saramargo, suspensa por um fio cairá um dia nas nossas cabeças. Só peço que não me surpreenda ela, a espada, como um velho mísero, nem tão pouco me apanhe num qualquer asilo como indigente. Quantas pessoas, estóicas, dignas, corajosas, optam pelo suicídio estando assim a dar uma lição de civilidade. Porque é que os políticos (alguns de topo) não seguem esse estoicismo dando-nos uma bofetada sem mãos, morrendo politicamente, entenda-se! Porque não o fazem, se são tão honestos nas convicções. Já sei! Iriam ser afectados no seu foro ético e moral! O povo Tuga, afortunado por seus ancestrais, encerram-se agora numa malcheirosa penumbra de confessionário optando em sondagem na escolha do seu carrasco. É demais, e do  mesmo. Vá-se lá entender tal estirpe !
O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 11:51
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Sexta-feira, 29 de Abril de 2011
CATÁSTROFES . XV

{#emotions_dlg.meeting}AS ESCOLHAS DO KIMBO
A fraude do sistema bancário analisado á lupa
 HENRY FORD

"Ainda bem que as pessoas do país não entendem nosso sistema bancário e monetário, pois se o entendessem creio que haveria uma revolução na manhã seguinte" (Henry Ford).
O segredo do dinheiro

Hoje, menos de 5% de todo o dinheiro sob forma de bilhetes e moedas é verdadeiro dinheiro. O resto foi criado artificialmente pelos bancos e não existe senão sob forma de números em contas bancárias. Quando você toma dinheiro emprestado ao banco, o banco não vos empresta do dinheiro existente. Ao invés disso ele cria um novo montante, simplesmente teclando números na vossa conta. Em seguida você paga juros sobre este dinheiro novo. Muitas vezes trata-se de montantes importantes. Habitualmente, alguém que paga a sua casa em 20 ou 30 anos paga quase tanto de juros como de reembolsos. De facto ele paga duas casas. Uma para si mesmo e uma para o seu banqueiro! No momento em que alguém compra uma casa, o dinheiro do seu empréstimo é lançado na conta do vendedor. Este gastará este dinheiro em outras coisas. Assim o dinheiro do empréstimo começa a circular na sociedade. Todo o dinheiro na sociedade começou como um empréstimo. Cada banqueiro colecta juros sobre o dinheiro que criou e todos os bancos reunidos colectam juros sobre todo o dinheiro que existe. Se tiver dinheiro no bolso ou na vossa conta, há alguém em algum lado que paga juros sobre este dinheiro a um banqueiro. Quando alguém reembolsa o seu empréstimo, o dinheiro, que foi criado a teclar na conta, é destruído deduzindo-o desta conta. Neste momento, este dinheiro já não existe. Portanto, todo o dinheiro é temporário. O montante total existente representa a parte dos empréstimos emitido ainda por reembolsar. Isso quer dizer que o montante do dinheiro total na sociedade é um montante arriscado. Ele nada tem a ver com as necessidades da sociedade para o intercâmbio normal de bens e serviços.
 Créditos
Inflação eterna
Pior ainda: os banqueiros concedem cada vez mais empréstimos e assim criam cada vez mais dinheiro. Quando se utiliza mais dinheiro para comprar um mesmo número de bens e serviços, o valor de cada unidade de dinheiro diminui e os preços aumentam. É a bem conhecida inflação.  O chefe de orquesta desta inflação é o banqueiro central. Quando ele baixa a sua taxa de juro, indica aos bancos que devem acelerar a distribuição de créditos (a taxas mais baixas, as pessoas tomarão mais emprestado e mais fácilmente) e, inversamente, quando aumenta a sua taxa o crescimento da massa de dinheiro enfraquecerá.
Inflação
Os banqueiros têm necessidade de inflação
Quando a criação de dinheiro é acelerada, torna-se mais fácil para o tomador do empréstimo ganhar as somas de que tem necessidade para pagar a sua dívida. Isto é uma vantagem para o tomador, mas igualmente para os banqueiros. Isso garante menos incumprimentos de pagamento. O facto de que o principal de um empréstimo terá diminuído de valor no momento em que é reembolsado não preocupa o banqueiro. Com efeito, os montantes reembolsados pelo principal não continuam a existir. Lembrem que o banqueiro criou este montante ao teclar numa conta e destruiu-o no momento do reembolso deduzindo-o desta conta. Quanto aos juros, é uma outra história. Estes juros não fazem parte do dinheiro que o banqueiro criou para o empréstimo e estes montantes não desaparecerão no momento em que são pagos. Eles são os lucros do banqueiro! É verdade que o seu valor terá diminuído por causa da inflação. Mas não tenha pena do banqueiro. Vocês podem estar certos de que ele viu este problema antecipadamente e que elevou a sua taxa desde o início para compensar esta desvalorização.
O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:32
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Quinta-feira, 28 de Abril de 2011
KIANDA . III

{#emotions_dlg.xa}FÁBRICA DE LETRAS DO KIMBO
“DE CARIRI A JUAZEIRO” - Falar de Padre Cícero*

  SERTÃO NORDESTINO
Verso.7 : Nasci por amor, para que jamais duvides que te amo. (Lambert Nolen)
Kianda (Quimbundo de N´gola): Espírito, sereia, kalunga de contos africanos, miragem das águas, visão das lagoas

 "Paínho Ciço"
Antes de entrar nos detalhes da vida tormentosa do Padre Cícero, dos milagres das hóstias com sangue nas comunhões da beata Maria de Araújo, não reconhecidos pela Igreja, porque é do maior interesse saber do como era o Cariri. Vai-se desvendar suscintamente o que era aquela vasta área do sertão e montanhas de Araripe. Foi a tribo de índios selvagens Carirí, que vivia na base da cadeia de montanhas Araripe que deu o nome a esta região. Os Índios Carirís, extremamente belicosos agrupavam-se junto às margens dos muitos regatos do Vale do Carirí, alimentando-se de frutos selvagens e alguma caça. A norte da Serra de Araripe habitavam os Índios Cariús, nas margens do rio Salgado viviam os Calabaças e, no sertão viviam os Inhamuns. Todas estas tribos se degladiavam entre si não sendo descabido nesse então fazer-se grandes festanças canibalescas. Os primeiros povoadores civilizados foram bandeirantes aventureiros da bahia que chegaram ali na mira de cativar índios, buscar ouro e pedras preciosas internando-se a partir do rio São Francisco pelas terras do sesmeiro Paulo Afonso e Cabrobó.
 Índios Cariris
Narra a história que lá pelos anos de 1660 a 1662, invasores descendentes de Diogo Álvares Correia, o Caramuru para ali foram por solicitação de um escravo negro.  Este, tendo sido aprisionado pelos Cariris anos antes,  manteve  com estes um bom relacionamento. Num aperto de guerra com os inimigos Cariús, voluntarizou-se para pedir ajuda a seus amigos da Bahia o que veio a verificar-se por força das  descrições ótimistas feitas no intuito de receber um sinal positivo. Assim, os descendentes aventureiros de Caramuru, levados pelo negro amigo dos Cariris, conhecedor dos caminhos e potêncialidades, vieram a ser os primeiros povoadores do lugar do Juazeiro: o brigdeiro Bezerra Monteiro e seus descendentes.Os ancestrais do brigadeiro Bezerra eram em linha directa a décima descendência do casal Caramuru e Paraguaçu. A fundação de Juazeiro inicia-se com o casamento de Joana Bezerra de Menezes e o Capitão António Pinheiro Lôbo pais do brigadeiro Leandro Bezerra Monteiro, proprietários da fazenda " Taboleiro Grande" e, que deu origem à actual cidade de Juazeiro. Por ter a sua origem uma conotação com os próceres da história da América, do Brasil e Carirí do Ceará em particular, será importante rever a geneologia até à décima geração a partir daqueles. Tudo isto tem início com Diogo Álvares Correia, o Caramuru, e João Vaz da Costa Côrte Real, o percurssor de Colombo na descoberta da América.
 Caramuru
Ascendentes do Brigadeiro Leandro Bezerra Monteiro:
01 - Diogo Álvares Correia - Caramuru, casado com Catarina Álvares - Paraguaçu, pais de
02 - Apolonia Álvares - casada com João de Figueiredo Mascaranhas, pais de
03 - Gracia de Figueiredo - casada com Francisca de Barros, pais de
04 - Luiza de Barros - casada com Manoel Lôbo, pais de
05 - Francisco de Barros Lôbo - casado com Ana de Menezes, pais de
06 - Eusébia Teles de Menezes - casada com Miguel Álvares Campos, pais de
07 - Luiza Teles - casada com o Sargento-Mór António Pinheiro de Carvalho, pais de
08 - Sargento-Mór José Pinheiro Lôbo - casado com Perpétua mendonça, pais de
09 - Capitão António Pinheiro Lôbo - casado com Joana Bezerra de Menezes, pais de
10 - Brigadeiro Leandro Bezerra Monteiro - casada com Rosa Josefa do Sacramento.
 João Vaz da Côrte Real
Ascendentes de Rosa Josefa do Sacramento, esposa do Brigadeiro Leandro Bezerra Monteiro:
01 - João Vaz da Côrte Real - casado com Maria da Abarca, pais de
02 - Joana Côrte Real - casada com Guilherme Luiz Barrêto, pais de
03 - Egaz Moniz Barrêto - casada com Ana Soares, pais de
04 - Inês Barrêto - casada com Diogo da Rocha, pais de
05 - Mem de Sá - casado com Maria Barbosa, pais de
06 - Francisco da Rocha Sá - casado com Antónia Teles de Menezes, pais de
07 - Capitão-Mór Pedro Mariz Teles - casado com Joana de Menezes, pais de
08 - Capitão-Mór Gonçalo Tavares Menezes - casado c./ Josefa F. Andrade Mesquita, pais de
09 - Capitão-Mór Semeão Tels de Menezes - casado com Luiza Maria da Conceição, pais de
10 - Rosa Josefa do sacramento - casada com o Brigadeiro Leandro Bezerra Monteiro.

BIBLIOGRAFIA: Verdadeira históri de Juazeiro do Norte de Amália Xavier de Oliveira
Padre Cícero Romão Batista*: Ou Padim Ciço na versão popular, foi um sacerdote católico brasileiro, nascido no Crato de Cariri a 24 de Março de 1844, tendo falecido no Juazeiro do Norte a 20 de Junho de 1934.
(Continua...)
O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 02:01
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Quarta-feira, 27 de Abril de 2011
BRASIL EM 3 PENADAS . XI

"Das Capitanias aos Quilombos"
Tomé de Sousa
A esperiência das Capitânias no Brasil resultou em fracasso com excepção de duas,: a de São Vicente e a de Pernambuco. A estratégia desta divisão territorial foi alterada em 1549 com a nomeação de Tomé de Sousa como Governador Geral do Brasil. Este desembarcou em Salvador com uma comitiva de 1000 pessoas entre as quais os padres Manuel da Nóbrega e José Anchieta enviados pela Companhia de Jesus para "colonizar almas". A imigração de colonizadores portuguêses nesse então composta maioritariamente por rúfias condenados e deserdados ocupando-se da agricultura extensiva e, fundalmentalmente da cana de açucar com a construção de engenhos geridos por gente oriunda da ilha da madeira conhecedora dessa arte. Usando os escravos índios sem restrições no amanho das terras, viram-se na contingência de importar gente menos indulente pelo que começaram a traficar negros da Costa da Guiné, Congo e Angola; estes eram mais robustos e mais produtivos.

:

Manuel da Nóbrega e José Anchieta
Em 1580, sendo portugal integrado a Espanha, o que durou sessenta anos, levou a que os Holandeses assumissem o lugar dos portugueses chegando a controlar o que hoje é o Estado do Maranhão no Nordeste Brasileiro. Estes, tinham forte implantação no negócio do açucar controlando nessa altura 60% do comércio maritimo entre Portugal e sua colónia, tendo já 25 refinarias em Amesterdâo. Porque andavam em guerra com Espanha, os Holandeses não perderam tempo em tomar de assalto os interpostos comerciais e cidades não só na América mas também na costa africana com o feito maior de tomarem a cidade de São Paulo de assunção de Loanda em Angola 

 Mauricio de Nassau
Assim, em 1624, atacaram Salvador, sede do governo central, mas capitulando no ano seguinte. Mantiveram-se no entanto numa faixa de terra na costa nordestina estabelecendo-se em Olinda tornando-a a capital e principal base das suas actividades na esploração de madeiras, pirataria, negócio do fumo (tabaco) e principalmente agricultando o açucar. Mauricio de Nassau, príncipe de Orange, foi o escolhidoo pela Companhia Holandesa das Índias Ocidentais para gerir seus nigócios nos domínios por ela conquistados. Nassau com uma armada composta por doze navios e dois mil e setecentos homens chegou ao Recife de Olinda a 23 de Janeiro de 1637. Foi nesta fase da história que se começaram a formar em terras do interior os quilombos (kilombos) compostos maioritáriamente por negos "fujões", (kilombolas) escravos africanos, mestiços matutos foragidos, e alguns mazombos das populações e engenhos.
(Continua...)
O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 01:39
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Terça-feira, 26 de Abril de 2011
MUJIMBO . XV

{#emotions_dlg.meeting} AS ESCOLHAS DO EMBAIXADOR DO KAKUAKU – “Boni”
         El Confidencial. Espanha

 Bloco de Esquerda

El eurodiputado que desencadenó la cruzada contra los viajes en clase business de los políticos comunitarios ha caído bajo su propia munición. El portugués Miguel Portas, del Bloque de Izquierda, ha sido cazado volando plácidamente en primera tras haber exigido a sus colegas que renunciaran a este privilegio. La fotografía a la que ha tenido acceso este diario fue en un vuelo de la compañía TAP por otro eurodiputado luso, víctima de la campaña desatada por Portas. Una venganza política de manual.
Portas defendió el pasado 6 de abril en el Parlamento Europeo diversas medidas de austeridad, como acabar con los viajes en primera clase, pero la mayoría de grupos votaron en contra, alegando que esta institución mantiene acuerdos con agencias de viajes para obtener descuentos en la compra de billetes de clase business. No obstante, esta decisión provocó un auténtico incendio entre los usuarios españoles de Twitter, que no tardó en saltar a los medios de comunicación.
La controversia se extendió también a los diputados nacionales, poniéndose de manifiesto el convenio del Congreso con Iberia para que sus señorías vuelen en business más barato que en turista, o su afición a viajar en preferente en AVE a cargo de la Cámara. Pero la polémica que ha irrumpido en la agenda política española poco tenía que ver con los verdaderos intereses de Portas. El izquierdista portugués pretendía golpear a sus adversarios conservadores lusos, dada la proximidad de las elecciones generales en ese país, que tendrán lugar el 5 de junio. De hecho, este eurodiputado llegó a confeccionar un video sarcástico en el que ponía cara, nombre y apellido a sus colegas portugueses que se habían opuesto a su iniciativa de austeridad.
Efecto bumerán. Sin embargo, la indignación ciudadana no prendió en Portugal, sino en España, siendo prácticamente el único país de la Unión Europea donde se ha abierto el debate sobre los privilegios de los eurodiputados a raíz de esta votación. Por si fuera poco, Portas ha sido cazado por uno de sus rivales políticos cuando dormía placenteramente en un asiento de primera de regreso a su país.

 A soneca do Eurodeputado
Portas se ha puesto en contacto con este diario para asegurar que la fotografía podría corresponder en realidad a un viaje oficial que realizó en octubre de 2009 a Mozambique como observador electoral de la Eurocámara. “Las delegaciones oficiales fuera de Europa viajan en clase ejecutiva. Es una regla que no discuto”, señaló a través de correo electrónico. Además, quiso matizar su posición contraria a los vuelos en primera indicando que utiliza esta clase cuando compra el billete con bastante antelación, y cuando no encuentra sitio en turista. “Yo no critico a quien utiliza actualmente la clase ejecutiva. No me considero diferente ni mejor”, expresó. Asimismo, tachó de “basura” y “calumnia” la fotografía.
Su maniobra ha tenido un inesperado efecto búmeran que puede acabar con su credibilidad política. Aunque, de paso, puede llevarse por delante parte del crédito que le resta a los parlamentarios europeos, a ojos de los ciudadanos españoles. Y es que, habrá quién se sienta decepcionado por que el azote de los gastos de los eurodiputados practique justamente aquello contra lo que presume de combatir. Mientras, los representantes españoles en Bruselas se han pasado a la clase turista, aunque sea a costa de billetes más caros, para escapar de las críticas. Al menos, hasta que pase la campaña electoral o se desvanezca el clima creado por eurodiputadoscaraduras

Que coisa! isto é politica!?

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 01:38
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Segunda-feira, 25 de Abril de 2011
PUTO . XII

{#emotions_dlg.meeting}AS ESCOLHAS DO EMBAIXADOR DO KAKUAKU – “Boni”
         "PATRIMÓNIO DE PORTUGAL 2011"
 PORTUGAL
. Pobres em Portugal: 2,1 milhões de pessoas.
. Desempregados: 800.000.
. População Prisional: 11 535, dos quais 10 923 são homens e 612 são mulheres.
. Emigrantes Portugueses: 2,5 milhões pelo mundo fora.
. Crianças portuguesas com fome: 300 mil.

 

. Idosos na solidão: 12 mil idosos a viverem sozinhos ou na solidão (Censo da GNR).
. Portugueses sem Médico de família: 1,5 milhões segundo o Tribunal de Contas.
. Pessoas sem abrigo: 2.200.
. Número de Abortos em 2010: 19 436 em 2010, 2 284 abortos em menores de 18 anos, e 101 por raparigas com menos de 15 anos, 53

  abortos por dia.
. 100 milhões de euros gastos com os cuidados médicos com os abortos e os subsídios pós-aborto.

 

. Preços Combustíveis: dos mais altos da Europa e do mundo, Gasolina € 1,60, Gasóleo € 1,43.
. Desigualdades Sociais: 20% de portugueses mais ricos apresentavam rendimentos oito vezes superiores aos 20% mais pobres.
. Remunerações dos conselhos de administração das 20 empresas portuguesas cotadas na Bolsa quintuplicaram entre 2000 e 2009.

  Paralelamente, os gestores das empresas portuguesas ganham,  em média, cerca de 30 vezes mais do que os trabalhadores das

  empresas que administram.
. 100 maiores fortunas de Portugal valem 32 mil milhões de euros que corresponde a 20% da riqueza total nacional.
. PIB Portugal: 166 mil milhões de euros.

 IMPOSTOS
. 19,8% dos habitantes em Portugal vivem com menos de 414 euros por mês.
. 21,4% dos portugueses vivem em privação material, (dificuldade, por exemplo, em pagar as rendas sem atraso, manter a casa

  aquecida ou fazer uma refeição de carne ou de peixe pelo menos de dois em dois dias).
. 14,1% por cento dos indivíduos vivem em casas sobrelotadas.
. População portuguesa abaixo do índice de pobreza: 20% - 2 milhões de pobres, sendo que 1/3 reformados, 22% são trabalhadores

  remunerados, 21,2% são trabalhadores por conta própria.
. 4,4% da população portuguesa (460 mil) sofre sérias perturbações no acesso a alimentos.

 

. Défice do Estado Português em 2010: 14,3 mil milhões de euros, o que corresponde a 8,6% da produção final do país em bens e

  serviços (PIB).
. 25% das crianças portuguesas que entram na escola (375mil) vem de famílias onde a pobreza é extrema.
. Orçamento da Assembleia da República: € 195.284.452,91.
. Subsídios aos Partidos Políticos: € 22.007.051,01
. Orçamento da Presidência da República Portuguesa: 20,7 milhões de Euros (a Casa Real  Espanhola tem um orçamento de 8,9 milhões

  de Euros).

 

. Dívida Pública Portuguesa: € 153.862.000,47 (87% do PIB).
. Juros anuais da dívida pública portuguesa: Segundo o INE, em 2010, os juros da Divida Pública atingiram 5.195 milhões em 2010.
. Dívida externa Portuguesa: € 415,5 mil milhões de Euros (cada Português deve € 41.500,00).
. Défice da balança comercial portuguesa de transacções em 2010: € 4,7 mil milhões de Euros;
. Funcionários Públicos: 737,7 mil.


. Beneficiários do Rendimento Social de Inserção: 379.849
. Salários dos principais gestores públicos em 2010: Presidente da TAP (Fernando Pinto) € 624.422,21 (igual a 55,7 anos de salário

  médio anual de cada português), o Presidente da CGD  (Faria de Oliveira) recebeu em 2010 € 560.012,80 (igual a 50 anos de salário  

  médio anual de cada português) e o seu Vice-Presidente (Francisco Bandeira) recebeu € 558.891,00, Salário anual do  Governador do

  Banco de Portugal 243 mil Euros, Salário anual do presidente da Anacom: 234 mil Euros.
. Despesa total do Estado com reformas de ex-políticos e ex-governantes em 2010: 280 milhões de
  euros.
.Toxicodependentes: 35 mil toxicodependentes em tratamento.
.Criminalidade em 2010: 413 mil crimes, 24 mil crimes graves, como homicídios, raptos e roubos.

 

. Portadores de HIV: 27.000
. Agora que está próxima a data, será caso para dizer ”25 DE ABRIL, SEMPRE”? Ou isto afinal é que é o fascismo?

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 01:31
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Domingo, 24 de Abril de 2011
KIANDA . II

{#emotions_dlg.xa}FÁBRICA DE LETRAS DO KIMBO
       “PARA QUE NASCI” - Falar de Padre Cícero*
 Memorial ao Padre Cícero

Verso.7 : Nasci na simplicidade, para que deixes de ser complicado. (Lambert Nolen)
Kianda: Espírito, sereia, kalunga de contos africanos, miragem das águas, visão das lagoas
Após documentar-me em livros, Net, Web e gente simples da figura do Padre Cícero, destacarei os detalhes que me merecem menção de referir destituido de qualquer apego religioso que não vá álem  do deslindar a curiosidade. Dos nove versos ofertados pelo doutor Presbitero da Putolândia salientarei o mais ajustado ao tema do "Painho Ciço" de Juazeiro do Norte, Cariri do Ceará que nasceu a 24 de Março de 1844 na cidade do Crato com o nome de Cícero Romão Batista, ordenado sacerdote na Igreja da Praínha de Fortaleza a 30 de Setembro de 1870 por Dom Luís António dos Santos, primeiro Bispo do Ceará. Este pároco do sertão do século XIX, transformou-se por circunstâncias adversas numa das figuras mais controversas da história do Nordeste Brasileiro.

Perseguido pela Igreja e pelo Crato entrou na política por amor a Juazeiro zelando pela sua independência, seu crescimento e sua prosperidade. A dedicação a Juazeiro nasceu de um sonho, de um místico compromisso contra ventos e marés  sendo o seu maior carrasco, salvo as devidas proporções que a moral recomenda em súbtil doçura eclesiástica o Bispo Dom Joaquim José Vieira que prodigalizando sua bondade e as maiores considerações se referiu àquele como "O Padre da Roça".

Joazeiro do Norte . Ceará

Defensor voluntário de um milagre, foi denunciado pela sua Igreja como sendo um impostor, por temerosos coroneis do mato, chefes políticos e seus superiores do Clero como perigoso agitador e doente paranóico de fundo místico. Não obstante ser o "Padre da Roça" substimado por alguns, seus próximos, curiosamente era este aclamado pelos milhões de romeiros sertanejos, gente simples considerando-o um santo injustiçado capaz de livrar os pobres, esfomeados e enfermos de suas aflições. Tantas opiniões contraditórias sobre uma mesma pessoa levam um curioso como eu, a se interrogar: Padre Cícero foi um louco, um embusteiro, um mártir ou um santo? Nascido na simplicidade, amparando os húmildes, socorrendo os miseráveis, corrigindo o orgulho, punindo a vileza com mansidade, ensinando a prática da virtude com humildade, não vislumbro qualquer apodo contrário se não o de ser um homem bom. O segredo da sua grandeza interior é proferida por Dom José de Medeiros Delgado que enquanto arcebispo de Fortaleza se referiu ao Padre Cícero como sendo um mártir digno de exaltação, destinado por Deus a ser um envangelizador dos pobres sertanejos nordestinos, sem perder a sua personalidade nem se desajustar na quebra de sua fibra de apóstolo sertanejo. Ele é a fé, fonte aonde teremos de beber a esperança.
Padre Cícero Romão Batista*: Ou Padim Ciço na versão popular, foi um sacerdote católico brasileiro, nascido no Crato de Cariri a 24 de Março de 1844, tendo falecido no Juazeiro do Norte a 20 de Junho de 1934.
(Continua...)
O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 01:26
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Sábado, 23 de Abril de 2011
DESERTO . XV

{#emotions_dlg.xa}FÁBRICA DE LETRAS DO KIMBO
       “MAUN  DO DELTA – Botswana ”
 Tendas . Maun Rest Camp 

No Delta do Okavango, cidade de Maun instalámo-nos em duas tendas do tipo campanha militar no Maun Rest Camp. O Motsentsela Tree Lodge tinha melhores acomodações mas nós preferimos sentir a natureza mais próxima através duma lona esverdeada; os banheiros eram uns caniços esparsos instalados a meio do Rest Camp que inibia o seu uso durante o dia. Maun é uma das cidades mais caracteristicas de África mantendo a tradição de construção redonda feitas em taipa de barro e paus cruzados sendo cobertas a capim de canudo grosso caracterisico das margens do rio Okavango. No dia seguinte alugamos uma avionete e sobrevoamos o Delta a duzentos metros de altura vendo do ar todo o tipo de animais desde o hipopótamo ao elefante distribuidos em grupos naquela enorme extenção de charcos serpenteados por verdura, ora rasteira, ora de árvores de grande porte.
: Kimbo . Botswana
O explendor da biodiversidade estava ali espalmado ao redor fazendo-nos imenssamente pequenos num pantanal maravilhoso. Vivendo os dias no limite, queriamos que as coisas perdurassem assim seduzidas. Já distantes do Sul de Angola, linha de Calai, Dirico ao Mucusso, extravasando a face oculta do meu personagem "espia", mantinha-me fiel aos princípios éticos recolhendo vivências dos povos circundantes a Angola, seu sistema frágil de candonga e suas malhas de influência entre comerciantes. Continuando a manter o segredo feito pacto entre mim e José Cachiungo, mantinha-me fiel à figura de Alcides Sakala, guerrilheiro impar e diplomata de fina estirpe que anos mais tarde para não sucumbir de fome teve de sobreviver durante longos meses comendo mel e casca de mandioca cozida.
Delta . Vista de avião
Esta viagem de peregrinação às fronteiras da Unita Sul de entre o Okavango e o Cubango  e os acampamentos abandonados Alfa e Omega e rotas de abastecimento, foram a forma de dar um sentido épico à nossa viagem. Tudo ficou por ali, esparço entre brumas, tarefa desconhecida no tempo e destapada aos poucos retirando a pressão duma tarefa acantonada nos desertos percorridos; chinguiços atafulhados em lugares dispersos que só a memória faz retroceder. Eu, um acantonado em terras da Globália e Alcides Sakala, fomos companheiros ocasionais sem previsão de validade nem prazo determinados. Dos tempos de espião feito turista, nada mais ficou para trás;  Só um deserto de recordações que ora  se escondem na capa do Soba T´Chingange. Das noites que passam, das estrelas que voam nos desertos quietos, controlo angustias rolando nas dunas. Defenindo coisas justas, ficam restos de murmurios falsos.
(Continua…)
O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:30
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Sexta-feira, 22 de Abril de 2011
ANGOLA – O PAÍS DA BANGA . V

{#emotions_dlg.xa}FÁBRICA DE LETRAS DO KIMBO
        “POLITICA ”

 Banga com Kizomba

BANGA.8
Gostava que os politicos Angolanos lessem estas palavras e tivessem a coragem de dizer aos Angolanos negros que os brancos fazem falta para acelarar o desenvolvimento de Angola . Proporcionar à  população mais desfavorecida a começar a ter outras perspectivas de vida. Os brancos que eu defendo que deveriam ser incentivados a integrar a sociedade produtiva de Angola não seriam aqueles que se movimentam bem ao nível do presidente por bajulação mas aqueles que estão dispostos a criar pequenas e médias empresas, agrícolas e industriais. Os políticos não deviam impor aos pequenos e médios empresários, as parcerias que estão a impor. Quem sofre com isto, somos nós porque não havendo empresas, não há trabalho e nós queremos é trabalhar. Liberalizem e facilitem a criação de empresas para bem de todos os Angolanos.

Corrupção

BANGA.9
Acreditem, não há mal que perdure; custará mas vai acontecer, água mole em pedra dura tanto bate até que fura. Nós podemos viver sim, sem o MPLA, aqueles que recebem casas, empréstimos e carros a custo zero, são os que defendem o MPLA no poder perpétuo. P´ra mim o grande problema social actual parte do  MPLA, porque este, semeou a corrupção entre os  chefes militares e a policia como prémio o saque ao património. São sempre os mesmos. Deus vai destrui-los, porque mesmo com tanta ganância, nada levarão para a tumba quando morrerem. Se pensam que aquela população que apareceu na marcha da paz é a maioria, estão enganados. A maioria ficou em casa a rirem do vosso teatro de diversão por força de perder o poder.

Países da SADC

BANGA.10
Um pouco por toda a África os países vão-se democratizando... ou pelo menos fingindo que o fazem, uma máscara que nada esconde, um jogo de faz-de-conta a que o Ocidente e o mundo dito desenvolvido fecham os olhos, num interesse pestilento pelos recursos minerais, num desinteresse maléfico que já nem as imagens de crianças famintas demovem. As frágeis independências de África Austral depositam as maiores esperanças no chamado SADC (Comunidade para o desenvolvimento da África Austral - 14 membros). Entre os países da SADC está o mais desenvolvido país do continente negro, a África do Sul; um país dominado economicamente por uma minoria branca mas governado pela sua maioria negra.  Alguns dos países da SADC, tranformaram-se numa caricatura da democracia, com governantes corruptos, elites enriquecidas á custa dos roubos sistemáticos dos bens publicos e privados, enquanto a maioria das populações se arrastam numa miséria cada vez maior, no limiar da sobrevivência. As recentes eleições no Zimbabwe colocaram o SADC perante a sua maior prova sob o olhar atento do mundo. Robert Mugabe perdeu. E agora ? Que vai fazer a SADC ? Calar-se, aceitar os desmandos e as loucuras de um velho meio senil que oprime e impôe uma vida degradante ao seu Povo?  Se a SADC não passar nesta prova, a Àfrica não terá uma segunda chance. E bem poderão os africanos insistir na UA, na NEPAD e em todas as palavras bonitas. O seu crédito terá acabado, ninguém mais acreditará neles. Esta é a prova dos nove de uma África que procura a verdadeira democracia, desenvolvimento e o reconhecimento internacional. Gentileza de UAMBULUCA
(Continua…)
O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 01:18
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Quinta-feira, 21 de Abril de 2011
KIANDA . I

{#emotions_dlg.xa}FÁBRICA DE LETRAS DO KIMBO
“PARA QUE NASCI” - Falar de Padre Cícero*
 Padre Cícero
Verso.8 : Nasci perseguido, para que saibas aceitar as dificuldades (Lambert Nolen)

Kianda: Espírito, sereia, kalunga de contos africanos, miragem das águas, visão das lagoas

Algures no Sul da Putolândia, doutor Presbitero, muito crente, muito púdico, muito recalcado em agruras de vida, deu-me um papel quadrado com nove versos, recomendando-me que o guardasse e, de quando em vez o fosse reler, meditar, interiorizar o recordo  à razão e do porquê do "Para que nasci". Em verdade não dei importância àquele pedaço de papel quadrado já gasto, mas, e por respeito às desavindas veleides que tocam o palato místico, na sequência da recomendação arrepiada dum respeito medroso, agrafei-o ao meu caderno depositário dos meus mujimbos (boatos) para ser apreciado, lido e decifrado em momento oportuno; aqueles momentos em que o antes e depois se misturam fantasiados dum agora tem de ser. Quase um ano depois, sabe-se lá porque mistérios e em tempo de Páscoa, releio-o. Isto coincidiu com o início da escrita sobre uma figura carismática que intriga os curiosos da sabedoria quando de visita ao sertão brasileiro tão cheio de fenómenos sociais de desavindos kilombolas e reis da treta duma qualquer seráfia com reis do cangaço que sangram purificação: Trata-se do Padre Cícero.
 Superstições de Cariri

Em todas as cidades, vilas e sítios em  seus largos, praças ou avenidas uma redoma com quatro faces envidraçadas encima uma peanha de secção quadrada, tendo no seu interior a figura escultural dum velho pároco de batina preta e chapéu de aba larga preta em cabeça pendente para o lado direito. A mão ao peito prende uma bengala fincada ao solo. O povo chama a este caixão vidrado de oratória e não raras vezes se verifica uma velha senhora ou homem, olhar com respeito a sua figura que muitas das vezes fica rodeada de arranjos florais. É notório o desvelo, limpeza e arranjo esmerado dos parâmentos circundantes ao caixão de vidro virado ao espaço, como nave espacial pronta a decolar ao espaço sideral desse misterioso mundo de crença que move mistérios não explicáveis dum etéreo querer desobrigado.  Isto intrigou-me na forma de febre miúda e, perguntando às pessoas referiam-se-lhe com muita devoção e respeito com "O meu padrinho padre Cícero" tecendo-le a maior dedicação na forma de homem santo. Ao abrir este meu caderno e ao deparar com  o papel amachucado, de "Para que nasci" logo me veio o propósito em falar do "Painho Ciço" na versão mais popular e sertaneja dum lugar agreste chamado de Cariri.

Padre Cícero Romão Batista*: Ou Padim Ciço na versão popular, foi um sacerdote católico brasileiro, nascido no Crato de Cariri a 24 de Março de 1844 tendo falecido no Juazeiro do Norte a 20 de Junho de 1934.
(Continua...)
O Soba T´Chingange

 



PUBLICADO POR kimbolagoa às 01:32
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Quarta-feira, 20 de Abril de 2011
PAPALAGUI . XII

{#emotions_dlg.meeting}AS ESCOLHAS DO KIMBO

As máquinas do Papalagui” - Visão de Tuiavvi *

: Máquinas voadoras

O Papalagui tem o dom de faze rde tudo uma lança e uma moca. Agarra no raio fulminante, no fogo escaldante e na água veloz domando-os à sua vontade. Aprisiona-os, dá-lhes ordens; e eles obedecem, passando a ser os seus guerreiros mais valorosos. Sabedor de todos os seus segredos, consegue tornar o raio fulminante ainda mais pronto e certeiro, o fogo escaldante ainda mais escaldante e a água veloz ainda mais veloz. É, a um tempo, peixe, pássaro, verme e cavalo. Faz buracos na terra, através da terra e por baixo dos mais largos rios. Insinua-se por entre rochas e montanhas. Amarra rodas de ferro aos pés e caminha mais depressa do que o mais veloz cavalo. Eleva-se nos ares. Sabe voar. Vi-o planar no céu como um alcatraz. Tem uma enorme canoa para andar sobre a água e outra para andar debaixo de água. Voa, com a ajuda de outra canoa, de nuvem em nuvem. Não sou suficiente forte para poder explicar-vos o que é uma máquina. Uma coisa é certa: come pedras negras e, em contrapartida dá força. Nunca um ser humano será capaz de ter tanta força como essa máquina. A máquina do Papalagui é a maior das suas mocas.

 Raios

Se a gente der ao Papalagui o tronco da mais rija árvore da floresta virgem, da mais rija que houver, a mão da máquina quebrá-lo-á tão fácilmente como uma mâe parte uma maça para dar aos filhos. O Papalagui é um mago. Quando a gente canta uma canção, ele consegue apanhá-la e reproduzi-la em qualquer altura que se queira ouvir de novo. Mas ainda vi maiores milagres. Já vos disse que o Papalagui apanhava os raios do céu. É exactamente assim que as coisas se passam. Apanha-os e dá-os depois a uma máquina que os mastiga, os engole e os torna a cuspir, à noite, sob a forma de mil estrelinhas pirilampos e luas anãs. Seria fácil para o Papalagui inundar, durante a noite, as nossas ilhas de uma luz tão clara e brilhante que a gente se julgaria em pleno dia. O seu ouvido é capaz de se aperceber de um sussurro em Savaii e a sua voz possui asas de pássaros. Os olhos dele até vêem de noite. Vê através do homem como se a carne deste fosse água límpida, e distingue as imundícies que há no fundo da água.

 

* PAPALAGUI: - Homem branco; visão de um chefe de tribo das Ilhas Samôa que visitou a Europa no primeiro quarto do século XX e descreveu o que viu desta forma.

(Continua...)

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 01:08
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Terça-feira, 19 de Abril de 2011
DESERTO . XIV

{#emotions_dlg.xa}FÁBRICA DE LETRAS DO KIMBO

      “ÉPUPA FALLS – Botswana

 Naukluft

 Maun . Delta do Okavango

As grandes dunas do Naukluft côr de saibro movendo-se todos os dias, ondunando-se em sombras pretas, eram recordadas amiude quando as estrelas ficavam próximas nas noites sem nuvens desafiando a lei da gravidade. Ao fazer do brai só o lume e as estrelas lá longe crepitavam, mas havia sempre a zuada de fundo das quedas do Epupa mais os muitos piares e guinchos de desconhecidos bichos despertando corujas noitibós. E, sentiam-se cheiros acres e doces com lama e bosta e feromonas de misteriosas plantas do tipo jasmim e citronela ou capim do Okavango.

 Morro de Salalé

De repente, e ao redor da fogueira ou na tenda, todos se calavam, não porque nada ouvesse para dizer mas, porque queriamos gozar daquele silêncio com vida de mato; em verdade parecia não haver mais nade de importante para dizer; ali, era o lugar aonde tudo parecia estar dito. Tudo tinha o seu lugar natural e, como tal conformavamo-nos com a vida a correr por correr; nada dura para sempre e, nós não tinhamos pressa.

 Botswana

Não se deve abandonar o nada de que se goste, e por amor amarrámo-nos às coisas da natureza como se ama alguém que nos é querido. Naquela universidade ou diversidade, aprendemos que as plantas comunicam entre si, por isso o elefante tem de andar muito, e contra o vento para que a coisa apetitosa, deixe de o ser. Eu explico: - As plantas saborosas ao elefante são devastadas até ao extermínio e estas por feromonas lançadas ao vento, avisam as demais da mesma espécie que rápidamente passam a ter um sabor desagradável, expelindo ou misturando na sua seiva fluidos repugnantes ao sabor; o paquiderme predador tem assim de contornar a selva ocupando um grande espaço da mata. Fiquei a saber da importância que tem o salalé na limpeza da floresta eliminando troncos e folhas em decomposição e criando nutrientes para outras espécies se desenvolverem com mais punjança. Depois de Maun, a caminho de Francistown deparamos com vários burros mortos por acidente na estrada deserta e, lá estavam varias espécies de urubus limpando a carcaça na companhia noturna de hienas.

 Delta do Okavango

A biodiversidade num ciclo natural de vida dava sequência à cadeia alimentar recriando com naturalidade as graças com as desgraças. Vivendo os dias no limite queriamos que as coisas perdurassem assim seduzidas. As bolachas compradas no Divundo na casa comercial do Miranda gerida por sua filha Ana Maria, mesmo compradas já vencidas no tempo, This is áfrica, diziamos todos, iam sendo comidas a gosto com o café tomado debaixo da acácia espinheira. Nas terras do fim-do-mundo não se olham os prazos; é só deichar correr o tempo, tomar uns quantos cafés, à tardinha gim com rum ou cachaça e antes do deitar p´ra retemperar um chá rooibós. Estivessemos nós no Atlas de Marrocos e tomariamos chá de menta. Cada terra tem seu uso, cada gente tem seu fuso. Em Maun, na paz de espírito desta áfrica profunda disse para mim mesmo: - Vou ter que me gramar desta forma, para o resto da minha vida.

(Continua…)

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 01:10
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Segunda-feira, 18 de Abril de 2011
BRASIL EM 3 PENADAS . X

{#emotions_dlg.xa} FÁBRICA DE LETRAS DO KIMBO

             "São Vicente - 1ª cidade"

 SÃO VICENTE . BRASIL

Durante três anos o Brasil foi arrendado a um consórcio de comerciantes de Lisboa, liderados pelo Cristão Novo (Judeu cristianizado) Fernando de Noronha. Estes, tinham o monopólio do comércio em troca de seis navios equipados para exploração de 300 léguas de costa (cerca de 2.000 km) do Novo Mundo. O consórcio não deu os frutos esperados e, quando finalizou o prazo de arrendamento, a coroa começou a explorar por conta própria. O Brasil de hoje não é só samba, carnaval, futebol e os seus mais de 8.000 quilómetros de praias apraziveis com os seus 8.511.965 quilómetros quadrados, tal como é apresentado ao Mundo: mulheres bonitas, mulatas feiticeiras, matutas ciosas e mamelucas amorosas, música a granel com o forró, o chote e o samba com a sua grande e bonita cidade de Rio de Janeiro protegida por um monolito na forma de Cristo de mãos abertas abençoando a vida duma alta montanha de pedra.

Sofrendo ainda desigualdades sociais, tenta levantar-se, parecendo já um bom gigante eliminando preguiçosamente o desiquilíbrio e movendo artistas, intelectuais, alguns bons e honestos políticos recompondo a economia desde a equipa de Henrique Cardoso.

Martim Afonso de Sousa

O coronelismo com laivos de cangaceirismo e alguns jagunços ainda são visiveis na imensidão rural com muito analfabetismo e gente sem os primários cuidados duma sociedade moderna, bastantes amigos do alheio capitaneados por gente de topo em poleiros de mando mas, que só fazem desmandos em proveito próprio. Dos índios da floresta às várias etnias que se definem como "raça humana" multicolor, vai uma longa viágem que teve início, diz-se numa mannhã clara de Abril do ano da Graça de 1500, com os barcos de Cabral.

A Coroa Lusitana iniciou uma verdadeira política de colonização porque outros países europeus praticavam pirataria na costa do Novo Mundo e, principalmente os francêses que não reconheciam o tratado de tordesilhas. Martim Afonso de Sousa é considerado o primeiro "colono" que chegou em 1530 com instruções precisas de repelir os francêses e estender os domínios nda coroa; fundou São Vicente onde pela primeira vez plantou cana-de-açucar e iniciou a criação de gado. D. João III dividiu o Brasil de então em 15 partes traçando linhs partalelas ao equador que se estendiam da costa aé ao meridiano de Tordesilhas atribuindo os seus governos a 12 donatários nomeados entre 1534 e 1536.

(Continua...)

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 01:19
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Domingo, 17 de Abril de 2011
CAFUFUTILA . V

FÁBRICA DE LETRAS DO KIMBO

ANGOLA . O DESPERTAR DE CONSCIÊNCIAS”

 Os filhos mazombos. geração do Puto

- Geração à rasca foi a minha. Foi uma geração que viveu numa terra que teve de abandonar porque afinal já tinha dono. Uns eram turras e outros filhos do Puto, besugos. Também era proibido ser diferente ou pensar que todos eram iguais com acesso à saúde, ao ensino e à segurança social.

- Uma Geração de opiniões censuradas a lápis vermelho. Que viveu numa terra em que o casamento era para toda a vida, o divórcio proibido, as uniões de facto eram pecado e filhos sem casar uma desonra. Hoje, o conceito de família mudou. Há casados, recasados, em união de facto, casais homossexuais, monoparentais, sem filhos por opção, mães solteiras, mães de gazosa, abarrigados, amantizados, da boleia, pais biológicos, etc.

- Os televisores. Não havia. Eram tempos de cultura de cinema Miramar, Kipaca, Império, Nacional, tropical, Colonial, Avis, Tivoli, Restauração e tantos outros. Em Angola, não havia televisão. No Puto a TV era a preto e branco, uns autênticos caixotes, em que se colocava um filtro colorido, no sentido de obter melhores imagens, fazendo dos locutores "Zombies" desfocados. Hoje, existem plasmas, LCD ou Tv com LEDs, que custam uma pipa de kwanzas.

Galinhas de Angola 

- Na rádio ouviam-se apenas 3 estações, a Emissora Oficial que cantava " Angola,... É nossa" ao abrir e encerrar, a católica Rádio Renascença e o Rádio Clube. Não tínhamos os Gato Fedorento, só ouvíamos Os Parodiantes de Lisboa, os humoristas da época, Chá-das-Seis no cine Restauração e as marchas de Luanda com a Sara Chaves. Não existia o Dog Murras e o Mingas cantava só nos fundos do quintal do Maculusso e Ingombotas.

- O Bairro Operário, era para a malta ir às meninas, e para os boémios. Éramos a geração das farras, da Cuca, da Nocal e do Sbel, das boites improvisadas do Kazenga, catambor, de Viana e da Maianga. Discotecas eram lojas que vendiam discos, como a Valentim de Carvalho e outras nos arredores da Mutamba.

- As Redes Sociais chamavam-se Aerogramas, cartas que na nossa juventude enviávamos da guerra no Luso ou Mayombe aos pais, noivas, namoradas, madrinhas de guerra, ou amigos que estavam na Luua. Agora vivem na Internet, da socialização do Facebook, do SMS e E-Mails cheios de "k" e vazios de conteúdo.



- As viagens Low-Cost na nossa Geração eram feitas em Fiat 600, até a Porto Quipíri, Kifangondo, Morro da Lua ou Mabubas ou então nas viagens para combater o chamado "inimigo" na Mata Verde para lá de Catete, Calomboloca, Zenza. kassoneca e do outro lado da Muxima.

- Ginásios? Só nas coletividades de bairros ou nos baloiços do Parque Herois de Chaves. Os SPAS chamavam-se Morro da Lua, Morro dos Veado, ,Ponta da Ilha, e só eram visitados no fim de semana. Levávamos umas Cucas, laranjadas, gasosas e faziamos uma farra na areia com as garinas da Vila Alice e Bairro do Café. Tiravamos muitas fotos a preto e branco para recordar.

- Na escola Industrial ou Liceu, quando terminavamos o curso ou o 7º do liceu, recebiamos um beijo dos pais, o que nos agradava, e iamos em grupo para a Corimba, Kambambe ou Mussulo, no Kitoco ou Kapossoca. Hoje vão comemorar os fins dos cursos, com banga para fora do país em grupos organizados, para comemorar, tudo pago pelos paizinhos...Têm brutos carros, Ipad’s, Iphones, PC’s, …. E tudo em quantidade. Pago pela geração kazucuteira que hoje tem a culpa de tudo!!!

-Tiram cursos só para ter diploma. Só querem trabalhar começando por cima. Afinal qual foi a geração à rasca?

O Soba T´Chinghange

 



PUBLICADO POR kimbolagoa às 03:34
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Sábado, 16 de Abril de 2011
PUTO . XI

FÁBRICA DE LETRAS DO KIMBO

            "Dia D - Opiniões a vulso"

 Poul Thomsen

Opinião . 1

A nossa divida é COLOSSAL. Nos últimos anos aumentou para o dobro. Até um merceeiro de lápis atrás da orelha conseguiria prever que chegaríamos inevitavelmente a esta situação. Que o Sócrates seja incompetente, toda a gente pode compreender, afinal é um politico fala barato, engenheiro rasca licenciado ao fim de semana. Mas, como é que se pode compreender que o ministro das finanças, que técnicamente deveria de ser um economista de referência, foi capaz de conduzir o país a este estado?

Opinião . 2

Portugal não é nenhuma associação académica...Os seus actuais lideres mais parecem alunos de escola do que governantes com maturidade!

Opinião . 3

Sócrates foi levado ao colo pelo aparelho do partido, onde Jorge Sampaio deu o maior contributo. Não deixa de ser estranho que agora pedissem ao actual PR para não convocar eleições. Jorge Sampaio não convocou logo eleições, porque o Secretário Geral do PS, Ferro Rodrigues estava prenunciado no processo "Casa Pia" e isso seria arriscar em demasia, pois corria o risco de contribuir para uma derrota do PS.

Pedro Coelho

Opinião . 4

Poul Thomsen nunca foi eleito, mas é ele quem vai governar os que nos vão governar. Devíamos estar assustados. A comitiva que à dias aterrou em Lisboa, membros do FMIBCE e Comissão Europeia, vem consumar o nosso fracasso. José Sócrates conseguiu, dois dias depois de o País se ajoelhar, produzir o seu mais irreal discurso de sempre. O Congresso do PS encenou um triunfalismo que é ofensivo para um País intervencionado. Um comício com o fanatismo de Vasco Gonçalves, uma propaganda alucinógena. O Presidente da República faz de conta que não é nada com ele. José Sócrates fala de Passos Coelho como se tivesse acabado de lhe dar uma tareia em bilhar de mesa. Passos Coelho "contrata" Nobre para presidente da Assembleia da República,  lugar que nem está sugeito ao voto popular. Os 80 ou 90 mil milhões de euros que vamos pedir ainda não estão garantidos. Há muitos países que estão enfurecidos e que falam de nós como de leprosos.Comentários de PEDRO SANTOS GUERREIRO

 A república

Opinião . 5

Como é que o país pode funcionar? Muito melhor que SUDOKU, temos este passatempo publicado em D.R. com força de Lei.

O art. 1º do Dec.-Lei 35/2010 de 15 de Abril começa da seguinte forma:

Os artigos 143.º e 144.º do Código do Processo Civil aprovado pelo Decreto -Lei n.º 44 129, de 28 de Dezembro de 1961, alterado pelo Decreto -Lei n.º 47 690, de 11 de Maio de 1967, pela Lei n.º 2140, de 14 de Março de 1969, pelo Decreto -Lei n.º 323/70, de 11 de Julho, pela Portaria n.º 439/74, de 10 de Julho, pelos Decretos -Leis n.os 261/75, de 27 de Maio, 165/76, de 1 de Março, 201/76, de 19 de Março, 366/76, de 15 de Maio, 605/76, de 24 de Julho, 738/76, de 16 de Outubro, 368/77, de 3 de Setembro, e 533/77, de 30 de Dezembro, pela Lei n.º 21/78, de 3 de Maio, pelos Decretos -Leis n.os 513 -X/79, de 27 de Dezembro, 207/80, de 1 de Julho, 457/80, de 10 de Outubro, 224/82, de 8 de Junho, e 400/82, de 23 de Setembro, pela Lei n.º 3/83, de 26 de Fevereiro, pelos Decretos -Leis n.os 128/83, de 12 de Março, 242/85, de 9 de Julho, 381 -A/85, de 28 de Setembro e 177/86, de 2 de Julho, pela Lei n..º 31/86, de 29 de Agosto, pelos Decretos -Leis n.os 92/88, de 17 de Março, 321 -B/90, de 15 de Outubro, 211/91, de 14 de Junho, 132/93, de 23 de Abril, 227/94, de 8 de Setembro, 39/95, de 15 de Fevereiro, 329 -A/95, de 12 de Dezembro, pela Lei n.º 6/96, de 29 de Fevereiro, pelos Decretos -Leis n.os 180/96, de 25 de Setembro, 125/98, de 12 de Maio, 269/98, de 1 de Setembro, e 315/98, de 20 de Outubro, pela Lei n.º 3/99, de 13 de Janeiro, pelos Decretos -Leis n.os 375 -A/99, de 20 de Setembro, e 183/2000, de 10 de Agosto, pela Lei n.º 30 -D/2000, de 20 de Dezembro, pelos Decretos -Leis n.os 272/2001, de 13 de Outubro, e 323/2001, de 17 de Dezembro, pela Lei n.º 13/2002, de 19 de Fevereiro, e pelos Decretos--Leis n.os 38/2003, de 8 de Março, 199/2003, de 10 de Setembro, 324/2003, de 27 de Dezembro, e 53/2004, de 18 de Março, pela Leis n.º 6/2006, de 27 de Fevereiro, pelo Decreto -Lei n.º 76 -A/2006, de 29 de Março, pelas Leis n.º 14/2006, de 26 de Abril e 53 -A/2006, de 29 de Dezembro, pelos Decretos -Leis n.os 8/2007, de 17 de Janeiro, 303/2007, de 24 de Agosto, 34/2008, de 26 de Fevereiro, 116/2008, de 4 de Julho, pelas Leis n.os 52/2008, de 28 de Agosto, e 61/2008, de 31 de Outubro, pelo Decreto -Lei n.º 226/2008, de 20 de Novembro, e pela Lei n.º 29/2009, de 29 de Junho, passam a ter a seguinte redacção:-----------------------------------------------

Pode ser confirmado no site Diário da República.

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:57
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Sexta-feira, 15 de Abril de 2011
CATASTROFES . XIV

{#emotions_dlg.meeting} AS ESCOLHAS DO KIMBO

"O MUNDO EM CRISE" - 5ª Parte . Alex Jones*

Colapso económico - Fome e miséria - Arquitectura financeira Mundial

Alex Jones

Aí estão as notícias da BBC: - Bancos da República Irlandesa estão à venda e o Presidente do Banco Central Privado está dirigindo o país que é a quarta ala do governo, Patrick Honohan, declarando abertamente que o FMI salvou a Irlanda. Como é que eles fazem isso? Cortando pensões, polícia e enganando os Veteranos de Guerra na sua assistência médica. É a mesma lista de lavandaria, sempre os mesmos, (...) e continua dizendo: - Fui defensor por muitos anos do valor de pequenos países em terem proprietários estrangeiros para os seus bancos. Você ouviu-me?! Isso é traição; e a mesma coisa acontece aqui (USA). Isto é um governo global e corporativo, tomando controle de toda a grande sociedade usando a mesma fórmula. Ele é fraudulento; deve haver resistência ou entâo, não teremos futuro. Nós não podemos permitir que essa nova era das trevas, tenha princípio. Estes Bancos Centrais, abertamente, declaram guerra contrado a verdadeira economia. Abertamente, eles são os patrocinadores principais - Goldman Sachs e outros (Robert Rubin, Henry Paulson, Mark Karney) do falso movimento ambientalista para fazer cessar essa energia.

 Patrick Honohan

Eles estão fazendo uma guerra aberta contra a verdadeira economia. Eles querem a austeridade : uma nova servidão feudal para controlar você e sua família (Nota do relactor:-Em Portugal isto já acontece! ) para que ficando bem pobre, não possa resistir. É essa a sua resposta ao renascimento. É essa a sua resposta para uma humanidade livre. Uma nova fórmula de mercantilismo para a consolidação do poder. E, a austeridade está aí! E, vai ficar pior em cada dia que passa. Não haverá saida se não identificarmos essas pessoas, tomar nosso país de volta e levá-los à justiça! Brasil e alguns outros países, estão tendo sucesso (Nota do relactor: - cuidem da Amazónia). Nós podemos fazer isso aqui (USA). EUA, pode tornar-se novamente a luz da liberdade em todo o mundo, (???) ou como eu já disse, estamos ferrados. Todos vocês estão sendo avisados. Agora é a você que decide agir! A bola está convosco. Esta é a mensagem em video, mais importante que já produzi. Para bem do Globo, espalhem-na.

(Final)

*Alex Jones: - Jornalista de investigação de craveira internacional com uma vasta audiência no campo de engenharia financeira mundial.

O Soba T´Chingange

 



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:31
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Quinta-feira, 14 de Abril de 2011
PAPALAGUI . XI

{#emotions_dlg.meeting}AS ESCOLHAS DO KIMBO

O FMI do Papalagui” - Visão de Tuiavvi *

Sol sem dono

O Papalagui tem respeito pelo grande número de esteiras e de porcos que o seu irmão possui, e não pelo seu valor ou inteligência, que não lhe interesam para nada. Não tem por assim dizer, nenhum respeito por um irmão que não possua esteiras nem porcos. O Papalagui ignora que Deus nos deu as palmeiras, as bananas, e o delicioso taro (vinho de palmeira, marufo), as aves da floresta e os peixes do mar para todos nós gozarmos deles e sermos felizes; todos, e não apenas alguns, enquanto os demais se vêem forçados a viver na indigência e na miséria. Se Deus põe assim tantos bens nas mãos dos homens, é para que este partilhe com o seu irmão, quando não, o fruto apodrece-lhe nas mãos. Porque Deus estende as suas inúmeras mãos a todos os homens! não é desejo seu que um tenha muito mais do que o outro, ou que alguém possa dizer: «Eu tenho um lugar ao sol, mas o teu lugar, esse é à sombra!» Todos temos um lugar ao sol, assim se seja pobre, branco, preto ou pardo. O Papalagui manhoso quer fazer-nos crer o seguinte: «Nada pertence a Deu! É a ti que tudo pertence, assim consigas abarcar tudo isso com tuas mãos!»

* PAPALAGUI: - Homem branco; visão de um chefe de tribo das Ilhas Samôa que visitou a Europa no primeiro quarto do século XX e descreveu o que viu desta forma.

 Roubo moderno

Os conceitos de propriedade dos antigos indígenas das Ilhas Samoa, nada tinham a ver com os actuais critérios de posse do Ocidente. um pouco à semelhança dos nativos de África como os Kwanhamas ou os actuais Bosquimanos ou ainda os Índios que Álvares Cabral ou Caramuru encontraram no Brasil. O «teu» e o «meu» não vigoravam nas suas concepções, na acepção que nós lhe damos. Aqueles, naturalmente partilhavam o seu tecto, a sua esteira, sua comida e até nalgumas tribos suas  donzelas. «O que a mim me pertence, pertence-te a ti também!» Ao longo do tempo esses procedimentos, hábitos ou usos, têem sido imcompreendidos pelos muitos exploradores atribuindo-lhes o nome de «ladões». Eles não tinham a noção de «roubo». Tudo pertence a todos. Tudo pertence a Deus. O certo, é que quando se morre, nada se leva para a tumba. Como está mudado, o mundo!

(Continua...)

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:41
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Quarta-feira, 13 de Abril de 2011
CATASTROFES . XIII

{#emotions_dlg.meeting}AS ESCOLHAS DO KIMBO

"O MUNDO EM CRISE" - 4ª Parte . Alex Jones*

Colapso económico.Fome e miséria.Arquitectura financeira Mundial

Não há nenhuma lei, mas os legisladores federais fazem como na máfia e dizem: é melhor você fazer isso. Veio à tona nos últimos meses na AP (Associated Press) e Bloomberg que onze anos atrás foi assinado um acordo secreto entre a Prodencial e outras correctoras de seguros com a Associação de Veteranos de guerra para permitir roubar todos os benefícios de morte que as tropas pagaram por fora, caso morram em combate ou depois de eles morrerem. Esta é a maior e mais descarada fraude que eu já vi na recente história dos EUA. Tudo isto, fora de condenação. E porque a maioria dos Americanos só se preocupa com os desportos ou os tumúltos e saques durante a 6ª feira negra, depois do dia de acção de graças para conseguir seus bens de escravo. O governo quer acabar completamente com os planos de saúde aos Veteranos de guerra. Notícias do Wall Street Journal dizem que a União vai retirar a assistência médica aos trabalhadores. É o sindicato em New York ... retirando a cobertura dos planos de saúde para os filhos dos trabalhadores. Isto é austeridade!

 Fraudes

Se sacrificam os Veteranos de guerra fazendo cortes, irão atrás de qualquer um cidadão prtegidos na mentira da austeridade. Nos últimos vinte anos, isto tem sido feito em muitos países, mais e, mais vezes; nós sabemos o que é que os bancos centrais privados irão fazer. Uma vez que esses países estejam na bancarrota total, seja Irlanda, Portugal ou Estados Unidos da América, não importa, (...) A fórmula será a mesma!. Eles irão derrubar tudo e, uma vez que a economia esteja totalmente desintegrada, eles triplicarão o preço da água, e da energia. Pressionarão os governos a entregar todas as infra-estruturas para eles. Mais adiante, irão vender completamente a nação. Vocês ainda não viram nada; austeridade é a total escravidão para sí e sua família numa base de fraude arquitectada pelos mega-bancos. Conseguem dezenas de trilhões de dólartes do imposto ao contribuintre e implodem a economia e, ainda pedem mais porque estaremos todos refens deles. Devemos acabar com esse sistema e, levar esses mesmos banqueiros à justiça jogando fora essa dívida fraudulenta. Os bancos dos últimos cem anos no Ocidente têm alimentado abertamente esse sistema de endividamento podendo assim lucrar com os empréstimos feitos a partir do nada. Agora é tempo! São os banqueiros ou nós! Não temos escolha! Todos têm o dever de falar sobre o que sabem sobre isto, porque já é tarde.

 

*Alex Jones: - Jornalista de investigação de craveira internacional com uma vasta audiência no campo de engenharia financeiramundial.

(continua...)

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 01:21
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Terça-feira, 12 de Abril de 2011
BRASIL EM 3 PENADAS . IX

{#emotions_dlg.xa}FÁBRICA DE LETRAS DO KIMBO

          "Terra de papagaios - Vera Cruz"

  Indios Tupi

Os portugueses pensaram por muito tempo que o Brasil fosse uma grande ilha; indios adornados com penas e estranhos pássaros como araras e grandes coloridos papagaios tendo por algum tempo descrito-a como a "Terra dos papagaios". O Rei D. Manuel I chamou-a de Vera Cruz e mais tarde de Santa Cruz, não tendo gerado o mesmo entusiasmo provocado pelas Índias das especiarias do outo lado do Mundo. O nome "Brasil" começou a afirmar-se por volta de 1503 quando se aperceberam que o Novo Mundo era rico em madeiras nobres como a àrvore do pau-brasil que produz uma resina vermelha, que era vendida para tingir tecidos e, muitas outras rijas propícias para usar na construção de caravelas, navios e também para mobiliário e construção de casas; havia água potável por todo o lado o que era importante para a fixação de interpostos comerciais e assentamentos de colonias. Nos primeiros trinta anos, limitaram-se a explorar a costa brasileira nos limites contemplados pelo Tratado de Tordecilhas assinado a 7 de Junho de 1494 entre os reino de Portugal e o recém formado Reino de Espanha para dividir as terras descobertas e por descobrir.

 

Caramuru e os ìndios Tupinambás

Os portugueses aventuravam-se para além desses limites mas mantinham segredo para não ferir animosidades entre aquelas duas potências europeias; eram tempos de barcos lentos sugeitos a ventos sazonais e intempéries imprevistas que provocavam muitos naufrágios; num destes naufrágios Diogo Álvares Correia, deu à costa num lugar da Bahia tendo sido acolhido pelos índios da tribo Tupinambás a quem deram o nome de Caramuru que veio a casar com a filha do cacique Paraguaçu; a partir daí consolidaram-se novas relações com barcos que iam chegando com missionário, artifeces, desterrados e rufias não desejados no pequeno Portugal. Uma prole de filhos de Caramuru, mamelucos mulatos no correr dos anos estenderam a sua acção de novos liders espalhando-se por esse mato através de rios e tomando terras aos índios aqui e mais além nessa terra sem fim. A exploração do litoral efectivava-se num sistema de feitorias, armazens fortificados usados tanto para se defenderem como para depósito de mercadorias transacionadas com o gentío, tudo isto feito à semelhança do que já vinha sendo feito na costa Ocidental e Oriental de África.

 

(Continua...)

O Soba T´Chingange

 



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:26
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Segunda-feira, 11 de Abril de 2011
CATASTROFES . XII

 {#emotions_dlg.meeting}AS ESCOLHAS DO KIMBO

"O MUNDO EM CRISE" - 3ª Parte . Alex Jones*

Colapso económico - Fome e miséria - Arquitectura financeira Mundial

 Dívidas

A Europa, em média está um ano à frente dos EUA em termos de dificuldade económica. Vão começar pela Grécia, depois Irlanda, Portugal, Espanha... Foi isso que os economistas com quem falei, disseram. Depois acontecerá na Inglaterra, Alemãnha, França; agora está aí, mas depois se transferirá para USA. Isto é tudo arquitectado. Eu não tenho como explicar isto de forma mais clara. Cortarão benefícios aos aposentados que um dia assinaram como garantia para sua assistência médica básica e, cobrarão impostos sobre eles reduzindo as pensões em nome de "salvá-las" por que elas, serão investidas em derivados fraudulentos. Essa é a armadilha. Eles mantêm o cidadão refêm e conseguem que invista em derivados fraudulentos no seu distrito, na sua cidade com a sua pensão e, de repente seu dinheiro não está lá. Se você quizer recuperar sua pensão de volta primeiro necessita salvar os bancos; porém, não é uma operação de resgate. É tudo tramado! "Esta semana" na Casa branca, Obama congelará os salários do funcionalismo público federal. Veja-se a notícia da semana passada em que Obama dobrou o número de funcionários federais encaixando na administração uns 150 mil. Oh!? ... Que maravilha!

  Mealheiro falido

Isso não é mais do que vender o governo, tornando-o o grande bode espiatório. Eu não estou contra os cortes salariais, nem contra o seu congelamento, mas para se fazer isso, tem que se prender os principais directores dos bancos centrais após ter eliminado os 1,5 quadrilhões de dólares que é impossivel de pagar. Deve-se fazer isso, depois de pôr em prática um verdadeiro sistema monetário. Não precisaria de se fazer isso com tantos cortes se fosse eliminado este corrupto sistema de reserva fraccionária. Sim, eu quero cortes no governo (USA) porque é uma agência de tirania que foi colocada em crescimento para nos reprimir durante esta fase de implosão, o actual tosquiar de ovelhas. Agora eles (USA) anunciam que congelarão os salários dos funcionários federais por dois anos e, provávelmente também vai haver cortes. Bloomberg relatou à um ano atrás, que os fundos de pensões privadas, estão destinados ao "investimento de mega-bancos falidos".


Alex Jones: - Jornalista de investigação de craveira internacional com uma vasta audiência no campo de engenharia financeira mundial.

Nota do Soba: Embora alguns casos referidos sejam relactivos aos EUA, adaptam-se como uma luva à Europa, mais própriamente a Portugal, que se apresenta como uma cópia fiel, salvo as devidas proporções e designações das instituições.

(continua...)

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 12:37
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Domingo, 10 de Abril de 2011
MOKANDA DE DOMINGO . IV

{#emotions_dlg.xa}CRÓNICA DO SOBA T´CHINGANGE

        “O PUTO”

    O Soba

Crónica dedicada a mim, famíliares, à Kizomba e, amigos em apuros

 Jardim espacial

Estando eu a treze mil milhões de anos luz de distância da terra rogava ao senhor Deus que providenciasse paz e tranquilidade à terra que me viu nascer, O PUTO, por ali, chegavam-me notícias por inter-espaço que havia pessoas honradas e, que sempre foram trabalhadoras, solicitando ajuda de mão estendida à porta dos hiper-mercados Modelo, Lidl, Leclerc, Plus, Jumbo, Intermarché e outras mais, que só merecem aqui detalhe porque patenteiam as novas catedrais da humanidade. Ao que tudo indica retrocede-se aos idos tempos da mediaval depedência na forma de escravidão e aparente suave bondade, não raras vezes apregoada. Sem chicotes nem cadeias de ferro ou canga visível, uns senhores fazedores de gráficos de muitos cifrões planeiam açambarcar o dinheiro todo só para si, fazendo uma guerra surda nunca vista de créditos mal parados, juros despropositados, saldos encolhidos numa desgraça que nem as preces lhe dão fim. Eu, que estou para cá do céu, peneirei minha carcaça de velhos ossos até chegar a Marte; levei seis anos para aí chegar.

 Deserto espacial

E, foi aí, que virei a página da minha estória após torturar-me tentando compreender as mentes e corações das muitas gentes, governadores, directores, comendadores e tantos outros portadores dum símbolo, um santo Instituto no peito ou na lapela. Almas amplamente democratas, politizadas e de esmerada educação, coisa arredia no correr do tempo e, sabe-se lá porquê. Gente de manifesta incontida impaciência fazendo o povo leigo e lacaio que como chefes, em um dia sem penho e empenho, comunicam sem prazo revogável ou improrogável de uns quinze dias para abandonar sua casa hipotecada ao banco ou seu carro penhorado. Terá de embrulhar a honra num lençol como de um conjunto de ossos velhos se tratasse e, enterrá-los num lugar a seu contento. A taxa de desemprego em Portugal afecta mais de meio milhão de cidadãos. Homens e mulheres, humilhados pela falta de trabalho, sentem-se rendidos e impotentes perante a maldição da pobreza.

 As minhas Lagoas

Enquanto uns sobrevivem dignamente com pouco mais de 600 euros por mês, outros, sem mérito de trabalho, dedicam-se impunemente à actividade da pilhagem do erário público. Com assombro e complacência vemos os olhos de revolta daqueles que estão cansados de escutar repetidamente que é necessário fazer mais sacrifícios quando, já há muito, foram abandonados à miséria. Este é o modelo esquelético mais verdadeiro da morte real dum cidadão que sempre labutou no bem comum; que, até tinha um clube aonde ia jogar as cartas com os amigos e, dava uns passeios com a família aos fins de semana para espairecer; junto ao farol de promessas espantava gaivotas atirando conchas à água com seu filho, competindo o saltitar. O maldito aviso de despedimento chegou como um tiro na escuridão; não teve como afastar seu alvo da trajectória da bala. Estado deplorável!

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 01:43
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Sábado, 9 de Abril de 2011
MUGIMBO XIV

AS ESCOLHAS DA CONDESSA DO KIPEIO T.R.

Mia Couto - Geração à Rasca - A Nossa Culpa - 3ª parte

 Mia Couto

Chego a ter a impressão de que, se alguns jovens mais inflamados pudessem, atirariam ao tapete os seus contemporâneos que trabalham bem, os que são empreendedores, os que conseguem bons resultados académicos, porque, que inveja!, que chatice!, são betinhos, cromos que só estorvam os outros (como se viu no último Prós e Contras) e, oh, injustiça!, já estão a ser capazes de abarbatar bons ordenados e subir na vida. E nós, os mais velhos, estaremos em vias de ser caçados à entrada dos nossos locais de trabalho, para deixarmos livres os invejados lugares a que alguns acham ter direito e que pelos vistos - e a acreditar no que ultimamente ouvimos de algumas almas - ocupamos injusta, imerecida e indevidamente?!!! 

  As dunas do Soba

Novos e velhos, todos estamos à rasca. Apesar do tom desta minha prosa, o que eu tenho mesmo é pena destes jovens. Tudo o que atrás escrevi serve apenas para demonstrar a minha firme convicção de que a culpa não é deles. A culpa de tudo isto é nossa, que não soubemos formar nem educar, nem fazer melhor, mas é uma culpa que morre solteira, porque é de todos, e a sociedade não consegue, não quer, não pode assumi-la. Curiosamente, não é desta culpa maior que os jovens agora nos acusam. Haverá mais triste prova do nosso falhanço? Pode ser que tudo isto não passe de alarmismo, de um exagero meu, de uma generalização injusta. Pode ser que nada/ninguém seja assim.

MIA COUTO

 

NOTA À MARGEM : - Esta é a verdade mais verdadeira que tenho lido. Estou também nessa geração de velhos à rasca mesmo sem nunca ter dado largas as divagações da vida. A utopia venceu-nos, mesmo sem o querermos. Um bem haja a Mia Couto por esta crónica.

 

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 14:09
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Sexta-feira, 8 de Abril de 2011
CATASTROFES . XI

{#emotions_dlg.meeting}AS ESCOLHAS DO KIMBO

"O MUNDO EM CRISE" - 2ª Parte . Alex Jones*

Colapso económico - Fome e miséria - Arquitectura financeira Mundial

 Alex Jones  

Eles cortam o orçamentop que financia a população. Note-se que primeiro eles provocam a dependência do governo. Esse é o sistema; crescem o governo. Isto acontece por todo o mundo sempre e cada vez mais. Oa globalistas engoliram os países ditos do terceiro mundo e, agora viram-se para a Europa e Estados Unidos da América. Ninguém está a salvo. Austrália, Canadá etc, Você pode escolher, que acerta. O mesmo sistema que aconteceu no 3º mundo, finca posições no Ocidente dito da linha da frente. Nós vemos estes assassinos de economias estabelecerem-se entre nós. Esta é uma informação a que eu peço: - dêem-me ouvidos porque não haverá luz no fundo do tunel, a menos que não paguemos a estes fabricantes banqueiros da fraude. Se não tirarmos esses bancos centrais privados de nossos países, se não voltarmos a uma boa política monetária controlada por nosso Congresso, nossa Assembleia ou Parlamento, o desastre, vai acontecer! Esta manobra de arquitectura financeira é um projecto para impludir toda a economia mundial, transferindo toda a riqueza para eles. Quer seja na Europa ou nos USA ou em qualquer outro país ou região controlada por eles, os bancos centrais e bancos privados, baterão recordes nos lucros; na casa dos trilhões. Bilhões em bónus individuais em muitos casos. Eles sabem bem o que estão a fazer! Isto é uma consolidação de poder e controle. Cortam gastos com a segurança, cortam gastos com os serviços básicos e, os impostos sempre subindo, tudo para eles.

 Aflições

Recordem que os Estados Unidos da América, estão um ano atrás da Europa. Aqui, no ano passado, eles cortaram gastos com a polícia e rodovias. Aumentaram literalmente, em alguns países centenas de novos impostos. Têm espremido a população e espalhado as colectas de impostos para militares aos montes, eliminando todas as isenções fiscais. Estão apertando, espremendo e fechando o cerco como o xerife de Nottingham das fábulas inglêsas, de centenas de anos atrás ... Com Robin Wood e sua turma de quizombeiros farristas. Isto está realmente a acontecer conosco. E, os meios de comunicação dão um geito de distorcer as coisas na Europa e nos USA dizendo: "Vejam os políticos conservadores - eles estão cortando os gastos em infra-estruturas e beneficios de pensões e aposentadorias. Como são maravilhosos! eles vão tirarnos desses problemas". Essa é só uma pequena parte. Todo o débito dos EUA é de 14 trilhões. Há 1,5 quadrilhões de dólares de dívidas em todo o mundo e, até mesmo o Washington Post estima que os USA compartilha essa dívida em 600 trilhões. É impossivel! Eles podem desvalorizar a moeda como fizeram em Zimbabwé ou na República de Weimar (Alemãnha) nos anos vinte e trinta. É impossivel! Você entende? Todas as soluções que eles apresentam são para se consolidar. É uma guerra económica.

*Alex Jones: - Jornalista de investigação de craveira internacional com uma vasta audiência no campo de engenharia financeira

(continua...)

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 01:07
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Quinta-feira, 7 de Abril de 2011
DESERTO . XIII

{#emotions_dlg.xa}FÁBRICA DE LETRAS DO KIMBO

          "ÉPUPA FALLS – Namíbia "

 Falls do Epupa . Namíbia

 Mapa do sítio

De volta a Mukwe no Divundo com o senhor Miranda, dona Elisabete e Ana Maria por ali ficamos uns dois dias na beira rio Okavango tomando bem cedo o café cheiroso e saboroso no espaço aberto a mirar Angola, e à tarde um churrasco acompanhado de cerveja e jim tónico para espantar mosquitos. No segundo dia pela manhã vi Ricar e Tilinha a meio do rio e, nem mesmo eu gritando-lhes desassossegado evitou que fossem até à outra margem. Fiquei em cuidados pois que ali há jacarés e tanto quanto sei esses bichos rasteiros gostam de brancos. Ambos, voltaram empolgados com o feito; Tilinha porque entrou em Angola mesmo sem o visto e Ricar para justificar o visto tirado na Embaixada de Angola a troco duns treze contos, uma carta de chamada à boa maneira colonial e as vacinas em dia contra a febre amarela, cólera e variola.

Na Reserva Khaudom Game Park

Estava assim vingado o desproposito sem o controlo alfandegário, uma barreira inventada pelos homens e desrespeitada pela natureza e os muitos animais. Foi uma das várias excrecências comportamentais. Uma outra destemperada atitude foi quando Ricar, Marco e Tilinha quando da visita à Reserva Khaudom Game Park em Mahango, ao parar junto a um imbondeiro, sairam para atrás de uns muxitos e cassoneiras, verem melhor a manada de elefantes que se espanejavam junto a um lago coberto de capins verdes e muitas outras variedades de plantas aquáticas.

Suricatas no Delta do Okavango . Botswana

 Condomínio de pássaros . Botswana

Os filhos da peste, contra todas as regras e concelhos antecipados furaram a barreira da lógica arriscando-se a serem irterpelados por um predador como o leão, búfalo, hipopótamo e até mesmo um jacaré mas, felizmente nada sucedeu para perturbar a tranquilidade e a adrenalina que subia sempre que se deparava com uma nova situação; De ter em conta que não levavamos conosco nenhum tipo de arma para nos defendermos. Isto era áfrica: - This is áfrica, diziam os três, empolgados vangloriando-se dos feitos como se estivessem numa qualquer expedição nos confins dum inóspito e gigantesco morro de salalé. naqueles matos sem escolhas possiveis tornamo-nos íntimos, cúmplices de pequenas coisas aonde o deserto vira o inferno e, todos os dias apaziguamos instantes truculentos.

(Continua…)

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:49
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Quarta-feira, 6 de Abril de 2011
CATASTROFES . X

 AS ESCOLHAS DO KIMBO

"O MUNDO EM CRISE" . Alex Jones* - 1ª Parte

Colapso económico - Fome e miséria - Arquitectura financeira Mundial

 Alex Jones

Meus amigos, não importa de onde você seja, Estados Unidos, Inglaterra, Alemãnha, Japão, África ou América... Não importa. Agora estamos juntos no mesmo barco. O cartel de bancos privados - os seis maiores bancos do mundo, têm criado esquemas fraudulentos; eles têm vendido mais de 1,5 quadrilhões que são 1500 trilhões de dólares de derivados fraudulentos, instrumentos de falsificação financeira. O Banco Mundial, o FMI e suas sociedades internacionais de holding; aqui nós (USA), temos o banco privado que é o Banco Central Americano (FED), o Banco de Inglatera na Inglaterra, o Banco Central Privado na Irlanda. Acontece o mesmo em todo o lugar com excepção de algumas "nações rebeldes"que não são controladas por este cartel mas que vivem sob ameaça dos exércitos globalistas! Os bancos do cartel, estão arquitectando o colapso total da sociedade Mundial. Tenho falado sobre isto nos últimos onze anos desde que esles conseguiram a lei GLASS STEAGLE na USA. Simultâneamente em outras nações eles fizeram aprovar leis para fazer o mesmo, depois deram o fora. No caminho crescente com os milhares de trilhões que eles fabricaram do nada, eles compraram todas as infra-estruturas aliando os meios de comunicação e, ou os contractos de defesa... Tudo! No caminho de descida, com toda a população refèm, eles dizem: Dêem-nos mais trilhões ou nós empludiremos a vossa economia. Isto aconteceu em Outubro de 2008, quando Henry Paulson, Secretário do Tesouro, disse ao senado Americano: - Haverá lei marcial, sangue nas ruas, colapso total, se vocês não fizerem o que queremos! Aqui estamos, decorridos dois anos (2010). Europa cedeu, Japão cedeu, Os USA cederam, e agora?! Você vê a Irlanda, Grécia, Portugal, Espanha... a Alemãnha à beira do colapso.

  Colapso

E, o que dizem os bancos centrais: Dêem-nos mais trilhões, aumentem os impostos dos vossos países, cortem nos gastos públicos, saúde, educação, etc. E, repasse quase toda a arrecadação para nós. Mas isso, é matemáticamente impossivel! Escutem-me: - Entrevistei muitos dos melhores economistas entendidos nos assunto e, honestamente... É um facto! É matemáticamente impossivel os países pagarem 1,5 quadrilhões de dívidas. Esse é um número abismal. Eles sabem disso! Então...olhe para a Irlanda; entraram apenas alguns meses atrás na Comunidade Europeia e disseram então: Oh! Vocês têm uma grande economia. Por detrás do veu da cortina e do acordo com a União Europeia algo sucedia, submetendo-os ao control daqueles banco privados e, de repente dizem: Oh meu Deus, a economia de vocês está em ruinas; vocês devem pagar 20 % do PIB, mais o que vocês já pagam para bancos estrangeiros. O presidente do Banco Central da Irlanda disse à BBC: Queremos que os bancos estrangeiros se apropriem da Irlanda. Será uma boa coisa! Os bancos da Irlanda estão à venda. Nós vamos cortar mais fundos de pensões, mais do que o governo os obrigou a pagar durante anos. Vamos cortar as aposentadorias. Cortaremos... Cortaremos de novo os gastos com a conservação de estradas. E, tudo irá para os bancos privados. É essa, a austeridade!

Alex Jones*: Jornalista de investigação de craveira internacional com uma vasta audiência no campo de engenharia financeira

(continua...)

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 01:08
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Terça-feira, 5 de Abril de 2011
MUGIMBO XIII

AS ESCOLHAS DA CONDESSA DO KIPEIO T.R.

Mia Couto - Geração à Rasca . A Nossa Culpa . 2ª parte

  PAÍS À RASCA

A sociedade colhe assim hoje os frutos do que semeou durante pelo menos duas décadas. Eis agora uma geração de pais impotentes e frustrados. Eis agora uma geração jovem altamente qualificada, que andou muito por escolas e universidades mas que estudou pouco e que aprendeu e sabe na proporção do que estudou. Uma geração que colecciona diplomas com que o país lhes alimenta o ego insuflado, mas que são uma ilusão, pois correspondem a pouco conhecimento teórico e a duvidosa capacidade operacional. Eis uma geração que vai a toda a parte, mas que não sabe estar em sítio nenhum. Uma geração que tem acesso a informação sem que isso signifique que é informada; uma geração dotada de trôpegas competências de leitura e interpretação da realidade em que se insere.

EUROPA À RASCA

Eis uma geração habituada a comunicar por abreviaturas e frustrada por não poder abreviar do mesmo modo o caminho para o sucesso. Uma geração que deseja saltar as etapas da ascensão social à mesma velocidade que queimou etapas de crescimento.Uma geração que distingue mal a diferença entre emprego e trabalho, ambicionando mais aquele do que este, num tempo em que nem um nem outro abundam. Eis uma geração que, de repente, se apercebeu que não manda no mundo como mandou nos pais e que agora quer ditar regras à sociedade como as foi ditando à escola, alarvemente e sem maneiras.

   GLOBÁLIA RATADA

Eis uma geração tão habituada ao muito e ao supérfluo que o pouco não lhe chega e o acessório se lhe tornou indispensável. Eis uma geração consumista, insaciável e completamente desorientada. Eis uma geração preparadinha para ser arrastada, para servir de montada a quem é exímio na arte de cavalgar demagogicamente sobre o desespero alheio. Há talento e cultura e capacidade e competência e solidariedade e inteligência nesta geração? Claro que há. Conheço uns bons e valentes punhados de exemplos! Os jovens que detêm estas capacidades-características não encaixam no retrato colectivo, pouco se identificam com os seus contemporâneos, e nem são esses que se queixam assim (embora estejam à rasca, como todos nós).

(Continua...)

 

NOTA À MARGEM : - Esta é a verdade mais verdadeira que tenho lido. Estou também nessa geração de velhos à rasca mesmo sem nunca ter dado largas as divagações da vida. A utopia venceu-nos, mesmo sem o querermos. Um bem haja a Mia Couto por esta crónica.

 

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 01:37
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Segunda-feira, 4 de Abril de 2011
BRASIL EM 3 PENADAS . VIII

 FÁBRICA DE LETRAS DO KIMBO 

            EMBAÚBA - ÁRVORE BRASIL - 2ª parte

 EMBAUBA

Para as aves, a embaúba é o restaurante da mata; esta, produz grande quantidade de frutos alongados que possuem uma grande quantidade de sementes. Em um quilo de grão contam-se milhares de sementes que são disseminadas pela floresta por pássaros e inúmeros vertebrados. No Brasil, aonde existem 40 espécies de embaúbas, o amanhecer na Mata Atlântica com o surgimento do Sol seus galhos transformam-se em restaurantes para as aves aonde e também, com as várias espécies, representam um palco de rituais de reprodução. Os tangarás-dançarinos exibem-se em grupos seduzindo fêmeas. A embaúba é o centro da Mata pois, nela aloja a preguiça, o macaco, a formiga e diversas aves como a cabeça vermelha, o japu ou o saripoca-de-gond, parente do tucano. o que para a grande maioria é uma árvore de pouca importância, para os bichos e o ecossistema da Mata Atlântica, é um santo remédio.

:

CLIENTES DA EMBAUBA

O seu fruto alongado dá uma grande quantidade de grãos, encontrando-se em um quilo destes, talvez um milhão de sementes, que serão as dispensas para uma infinidade de animais do qual se alimentam e, por sua vez, as dispersam na floresta; cada visitante, ao matar a fome, leva a vida para mais longe disseminando-a nos mais recônditos lugares. Dos mamiferos, são a preguiça e o macaco de pequeno porte que mais frequentam este restaurante chamado de embaúba. Nos fundos do meu quintal dispus uma pequena árvore para assim disfrutar de perto o símbolo de uma vida melhor, ordeiro e justo mas, o homem põe e Deus dispõe, a pequena árvore definhou logo ao segundo dia; o seu lugar é na liberdade natural da mata e não trancafiada num qualquer quintal só para ornamentar vaidades.

(Continua...)

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:54
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Domingo, 3 de Abril de 2011
PAPALAGUI . XI

AS ESCOLHAS DO KIMBO

A usura do Papalagui” - Visão de Tuiavvi *

 Palmeira do Papalagui

O Papalagui tem uma maneira de pensar particularmente confusa. Está sempre a ver como é que isto ou aquilo lhe poderá ser útil ou dar-lhes certos direitos. Não se preocupa em pensar nos homens em geral, mas apenas num, o qual acaba sempre por ser ele próprio. "A palmeira é minha", só porque ela cresce , por acaso, diante ou no pátio da sua cabana. Como se tivesse sido ele a fazê-la crescer! Nunca a palmeira poderá pertencer-lhe, nunca! A palmeira é a mão que Deus nos estende, através da terra; Deus tem muitas mãos. Cada árvore, cada erva, o mar, o céu e as nuvens são outras tantas mãos de Deus. Por toda a parte aonde vás, e tudo quanto vejas junto do Papalagui, seja fruto, árvore, ribeiro, floresta ou um monte de terra, sempre ele dirà: - «Isto é meu». De facto quando uns se apropriam de muitos, os outros ficam sem nenhuns. Porque nem toda a gente conhece as manhas e os sinais secretos precisos para se apropriar de muitos «meus». Para o fazer, há que ser dotado de um certo carácter, o qual nem sempre corresponde à ideia de honra que nós temos.

 O Papalagui

Como o Papalagui não respeita os mandamentos de Deus e se arroga o direito de criar as suas próprias leis, Deus envia-lhe muitos inimigos da sua propriedade. Envia-lhe a velhice, a degradação, a podridão, envia-lhe a humidade e o calor que destroem os «meus». Entrega os seus tesouros à senha do fogo e da tempestade. Mas, sobretudo instila o medo na alma do Papalagu, a ansiedade quanto àquilo tudo de que se apropriou. Para que não lhe levem de noite o que de dia juntou, vê-se o Papalagui forçado a permanecer acordado; o seu sono nunca é, por isso, verdadeiramente tranquilizante e profundo. Vê-se forçado a ter as mãos e o espírito constantemente presos à ponta dos seus «meus». Que pensaríeis de um homem que, tendo na mão um cacho de bananas, nem uma só oferece ao esfomeado que lha pede? Leio no vosso olhar a indignação e vejo nos vossos lábios um grande desespero. Pois é assim que o Papalagui se comporta em todas as circunstâncias da vida. Ainda que tenha cem esteiras, nem uma só dará a quem nenhuma tem. Pode ter uma cabana cheia, de alto a baixo, de provisões mais que suficientes para ele e para toda a aiga (família) que nunca lhe passará pela cabeça ir à procura dos que nada têm que comer, dos pálidos e esfomeados.

* PAPALAGUI: - Homem branco; visão de um chefe de tribo das Ilhas Samôa que visitou a Europa no primeiro quarto do século XX e descreveu o que viu desta forma.

(Continua…)

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 01:05
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Sábado, 2 de Abril de 2011
MUGIMBO XII

 AS ESCOLHAS DA CONDESSA DO KIPEIO T.R.

        Mia Couto - Geração à Rasca - A Nossa Culpa - 1ª parte

  

Um dia, isto tinha de acontecer. Existe uma geração à rasca? Existe mais do que uma! Certamente! Está à rasca a geração dos pais que educaram os seus meninos numa abastança caprichosa, protegendo-os de dificuldades e escondendo-lhes as agruras da vida. Está à rasca a geração dos filhos que nunca foram ensinados a lidar com frustrações. A ironia de tudo isto é que os jovens que agora se dizem (e também estão) à rasca são os que mais tiveram tudo. Nunca nenhuma geração foi, como esta, tão privilegiada na sua infância e na sua adolescência. E nunca a sociedade exigiu tão pouco aos seus jovens como lhes tem sido exigido nos últimos anos. Deslumbradas com a melhoria significativa das condições de vida, a minha geração e as seguintes (actualmente entre os 30 e os 50 anos) vingaram-se das dificuldades em que foram criadas, no antes ou no pós 1974, e quiseram dar aos seus filhos o melhor.

  GERAÇÃO RASCA

Ansiosos por sublimar as suas próprias frustrações, os pais investiram nos seus descendentes: proporcionaram-lhes os estudos que fazem deles a geração mais qualificada de sempre (já lá vamos...), mas também lhes deram uma vida desafogada, mimos e mordomias, entradas nos locais de diversão, cartas de condução e 1º automóvel, depósitos de combustível cheios, dinheiro no bolso para que nada lhes faltasse. Mesmo quando as expectativas de primeiro emprego saíram goradas, a família continuou presente, a garantir aos filhos cama, mesa e roupa lavada. Durante anos, acreditaram estes pais e estas mães estar a fazer o melhor; o dinheiro ia chegando para comprar (quase) tudo, quantas vezes em substituição de princípios e de uma educação para a qual não havia tempo, já que ele era todo para o trabalho, garante do ordenado com que se compra (quase) tudo. E éramos (quase) todos felizes. Depois, veio a crise, o aumento do custo de vida, o desemprego, ... A vaquinha emagreceu, feneceu, secou. Foi então que os pais ficaram à rasca. Os pais à rasca não vão a um concerto, mas os seus rebentos enchem.

 VELHOS À RASCA

Pavilhões Atlânticos e festivais de música e bares e discotecas onde não se entra à borla nem se consome fiado. Os pais à rasca deixaram de ir ao restaurante, para poderem continuar a pagar restaurante aos filhos, num país onde uma festa de aniversário de adolescente que se preza é no restaurante e vedada a pais. São pais que contam os cêntimos para pagar à rasca as contas da água e da luz e do resto, e que abdicam dos seus pequenos prazeres para que os filhos não prescindam da internet de banda larga a alta velocidade, nem dos qualquercoisaphones ou pads, sempre de última geração. São estes pais mesmo à rasca, que já não aguentam, que começam a ter de dizer "não". É um "não" que nunca ensinaram os filhos a ouvir, e que por isso eles não suportam, nem compreendem, porque eles têm direitos, porque eles têm necessidades, porque eles têm expectativas, porque lhes disseram que eles são muito bons e eles querem, e querem, querem o que já ninguém lhes pode dar!

(Continua...)

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:29
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

Sexta-feira, 1 de Abril de 2011
DESERTO . XII

 FÁBRICA DE LETRAS DO KIMBO

         “VICTÓRIA FALLS – Zimbabwé

 ESTÁTUA de LIVINGSTONE

Chegamos a Victória Falls a meio da tarde e, porque não levavamos nada agendado de aonde ficar, dirigimo-nos aos chalés do governo destinados a alojar turístas; tivemos sorte, uma família ia sair ao fim do dia e entretanto aproveitamos para ir até à ponte do rio Zambeze aonde de uma impressionante altura gente amante da adrenalina se atira no espaço depois de amarrados a uma corda de borracha a que chamam de tandem-bungee-jump(jamping). Enfim, uns malucos beliscando a morte lá embaixo, de queda estancada no penúltimo minuto, a uns ecassos metros acima da água turbulenta, a 108 metros de altura; na espuma branca feita barba do diabo de corredoiras pedregosas. Das encostas rochosas escorrem cortinas de água que em lufadas de frescura banham nossos rostos; esta maravilha da natureza é tão deslumbrante que recorda-nos o quanto somos pequenos e em verdade apetece atirarmo-nos no espaço feito passaro e voar, voar, voar... A sensação de agradecimento surge-nos; graças a Deus que ví mais esta maravilha.

 Jumping 

Tiramos umas fotos junto à estátua de Livingstone e regressamos ao acampamento hotel Camp. Estes ditos chalés foram ligeiramente remodelados pois que fizeram inicialmente parte do acampamento de trabalhadores da construção da ponte férrea sobre o Zambeze, casas com largos alpendres coloniais e abastecidos de água quente saída de grandes caldeiras aquecidas a lenha, tudo como quando da construção da ponte férrea em 1905. Esta ponte faz parte da visão de Cecil Rhodes com a construção da ferrovia ligando a Cidade do Cabo ao Cairo. Rhodes insistiu na construção daquela ponte no "spay" das quedas de água; e, assim foi pois que, os trens são banhados por esse permanente vapor no preciso lugar do deslumbrante desfiladeiro e, eu estava a uns escassos metros desse "reil transâfricano".


Cecil Rhodes e seu sonho

As nuvens de particulas de água que se levantavam do abismo da queda Victória, logo em frente do alpendre, vinham até nós descortinando-se entre essa "fumaça que troveja" no geito de spay de Rhodes, o topo da queda já do lado da Zâmbia. Silva Porto que tudo indica ter estado aqui antes de Livingstone admirou algures esta mesma pisagem, que veio a descrever àquele outro explorador britânico que ficou na história como sendo o descobridor. Essa muito esfarrapada mentira feita verdade, foi para nos tirarem o direito de posse na Conferência de Berlim, as ditas terras de Bazarote. O velho sertanejo Siva Porto foi aqui recordado por mim depondo aos pés de Livingstone uma flor de acácia rubra. O gesto de ser aqui era mesmo só "para Inglês vêr". Esta magnifica vista, mesmo sendo bem descrita, não substitui o prazer único daquela maravilha da Globália.

(Continua…)

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 02:44
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

RELOGIO
TEMPO
Weather Forecast | Weather Maps
Novembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
15

19
20
22
23
24
25

26
27
28
29
30


MAIS SOBRE NÓS
QUEM SOMOS
Temos um Hino, uma Bandeira, uma moeda, temos constituição, temos nobres e plebeus, um soba, um cipaio-mor, um kimbanda e um comendador. Somos uma Instituição independente. As nossas fronteiras são a Globália. Procuramos alcançar as terras do nunca um conjunto de pessoas pertencentes a um reino de fantasia procurando corrrigir realidades do mundo que os rodeia. Neste reino de Manikongo há uma torre. È nesta torre do Zombo que arquivamos os sonhos e aspirações. Neste reino todos são distintos e distinguidos. Todos dão vivas á vida como verdadeiros escuteiros pois, todos se escutam. Se N´Zambi quiser vamos viver 333 anos. O Soba T'chingange
Facebook
Kimbolagoa Lagoa

Criar seu atalho
ARQUIVOS

Novembro 2017

Outubro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

TAGS

todas as tags

LINKS
PESQUISE NESTE BLOG
 
CAIXA MUSICAL
CONTADOR
contador free
ONDE ESTÁS

Sign by Danasoft - Myspace Layouts and Signs

blogs SAPO
subscrever feeds