Quarta-feira, 22 de Julho de 2009
O KWANZA E OS MAFULOS

FÁBRICA DE LETRAS DO KIMBO

MEMÓRIAS PETREFICADAS . 1ª PARTE

 JABLINES - PARIS
 

Januário Pieter, de corpo frágil, carregado de maleitas e reumático, justificava a existência alongando-se mais para além do previsível; solitário, a única coisa que lhe sobra avondo é a memória, uma porta aberta aonde o passado entra sem uma ordem cronológica como sonhos que se baralham e desfazem entre nuvens cirrosas.

Com devaneios de velho perene, diz que em tudo pode pensar e, de tudo pode falar sem os caprichos de legitimidade na sua vida, agora que está no momento mais próximo de a deixar. Um agora suprimindo o tempo e, sem retorno.

Jablines-Annet, Ile de France em Seine e Marne, a trinta e cinco quilómetros de Paris. Ali estava este velho senhor, sentado, embevecido entre cânticos de pássaros e gemidos de rolas na clareira dum bosque de frondosos e altos choupos e plátanos. Olhava o ar riscado por aviões saindo de Orly a Sul e, que em fila, cortavam as nuvens num céu baço em mês de Julho.

Num pandemónio de interjeições apercebi-me que aquele velho mulato, gargarejava um português arcaico, do tempo dos arcabuzes entremeado com dialeto Kimbundo. Apurei melhor o ouvido e pude perceber que falava dum lugar por demais longínquo, do mesmo lado de onde vinham os aviões. Puxei conversa e, ao perguntar-lhe a idade fiquei confuso, tinha trezentos e oitenta e quatro anos, acrescentando ter nascido num lugar agora conhecido por Cabo Ledo mas que nesse então se chamava de Kissama.

Encantado e estupefeito, simultâneamente, ouvi a crioulagem do velho senhor; aquele linguajar tinha algo a ver comigo. O kota Pieter veio até aqui na peugada da sua própria estória, descobrir a origem de seu pai francês, olho azul que daqui saiu como mercenário aventureiro juntando-se aos flamengos que o levaram primeiro para o Brasil e, depois para as terras de N´gola aonde conheceu minha mãe N´ga Káfutila. Tinha saído à aventura do seu torrão natal “Pays des Landes” e, sempre com o sentido de fazer riqueza fosse aonde fosse, fugiu da alçada de seu pai com a idade de “quinze annés” até á costa do Atlântico e, no porto de La Rochelle embarcou como aprendiz de marujo acontecendo que no porto de Amsterdam foi aliciado a cruzar os mares pago pela Companhia das Índias: Este empório tinha a finalidade de fazer riqueza aonde quer que fosse nesses novos mundos, tão vastos, que seus descobridores Tugas e Espanhois, não tinham como os controlar. Espanha e Portugal tinham agora um potencial concorrente na disputa de um tratado feito em Tordesilhas; o explendor da Ibéria com a conivência do Papa estava condenado ao desrespeito por novas potências emergentes por novas fusões de reinos e ambições dos novos senhores do conhecimento.

Era o máximo de um sonho,... uma kianda.

Belisquei-me para ter noção de estar vivo e, doeu-me, logo, estava vivinho da costa e,... falando com alguém do tempo dos n´zimbos, libongos, das guerras de kwata-kwata e dos jagas guerreiros.

Penso,... este kota é uma kianda antiga, só pode ser!... e, deixo-o falar narrando coisas do antigamente, da sua vida, mambos longínquos com soldados Mafulos, ondas revoltas da embocadura do rio Kwanza, a praia distante, guerras confusas com Tugas n´gwetas e gente da rainha N´Zinga, com baços personagens secundários do distante Kongo do Zombo, de terras de Kassange e da Matamba.

Pieter, o velho axiluanda, vai falando:

- Um dia, eu, com catorze anos, marisquei mabanga na Samba e, por ali passei uns dias por ordem de meu pai Lestienne Pieter, Francês do Pays des Landes. Juntamos muitas cascas e lenha fazendo um grande monte, queimamos a lenha e cobrimos com areia molhada. O monte, três dias depois, ficou num pó branco.

- Na sanzala houve festa; kimbandas e t´chinganges pintaram-se com aquele pó. Pisotearam em dança a terra e, levantando poeira encorajavam kotas, jagas, sobas e m´fumos que iam chegando em alvoroço dos Dembos e um mais além do Kassange. De mão em mão iam passando cabaças com malavo de cassoneira e a cada grito dado pelos dançarinos guerreiros o povo gritava kwata mwana-pwó, kwata mwana-pwó. Era a preparação duma guerra contra os Tugas n´gwetas refugiados em Massangano.

Pieter explica:

- Meu pai era um soldado às ordens dos Mafulos que estavam na posse de Luanda; Tomava conta da manutenção, apetrechamento de viveres e materiais de construção como aquele pó branco que não só pintava caras de guerra como cubatas de brancos. Nestas casas cobertas a capim, as paredes eram feitas em barro afagado com uma mistura de argila, capim e aquele pó a que os n´gwetas chamavam de cal.

- Em verdade, o meu pai que já era tenente, mandava os escravos m´bikas do kimbo fazer estas tarefas de queimar cascas de mabanga para fazer cal e eu, candengue, por ali andava entretido t´chimbicando em n´dongos entre os mares parados da Corimba e o Morro dos Imbondeiros. Hoge têm nomes de Fotungo, Belas, Barra da Lua e Veados.

    ......Continua.....

    O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 16:16
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

RELOGIO
TEMPO
Weather Forecast | Weather Maps
Julho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9


24
25
26

27
28
29
30
31


MAIS SOBRE NÓS
QUEM SOMOS
Temos um Hino, uma Bandeira, uma moeda, temos constituição, temos nobres e plebeus, um soba, um cipaio-mor, um kimbanda e um comendador. Somos uma Instituição independente. As nossas fronteiras são a Globália. Procuramos alcançar as terras do nunca um conjunto de pessoas pertencentes a um reino de fantasia procurando corrrigir realidades do mundo que os rodeia. Neste reino de Manikongo há uma torre. È nesta torre do Zombo que arquivamos os sonhos e aspirações. Neste reino todos são distintos e distinguidos. Todos dão vivas á vida como verdadeiros escuteiros pois, todos se escutam. Se N´Zambi quiser vamos viver 333 anos. O Soba T'chingange
AS NOSSAS FOTOS
Facebook
Kimbolagoa Lagoa

Criar seu atalho
ARQUIVOS

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

TAGS

todas as tags

LINKS
PESQUISE NESTE BLOG
 
CAIXA MUSICAL
CONTADOR
ONDE ESTÁS

Sign by Danasoft - Myspace Layouts and Signs

blogs SAPO
subscrever feeds