Segunda-feira, 17 de Julho de 2017
MALAMBAS CLXXVII

NAS FRINCHAS DO TEMPO - 17.07.2017 - (Parte 1 de 2) - Aqui no Limpopo de África, apaziguando rijezas adversas, relembro a singularidade do mundo …

Por

soba10.jpgT´Chingange

Nos vínculos efectivos do antes, agora, depois e, enquanto gente, vamos rever humanidades antigas de quando passamos de animais quadrupedes a pessoas com mais de 600 centímetros cúbicos de capacidade craniana. Se agora temos 1.500 centímetros cúbicos de capacidade, tudo leva em crer que no futuro, nossas cabeças serão tão grandes que só se nascera de operação cesária.  

007.png Em meus sonhos, por vezes sou um soldado romano com aquelas vestimentas cheias de couros e latas para fazer couraça nas guerras mas, e num repentemente o sonho cavalga milhares de anos situando-me num ermo, lugar de olhar o desespero de crateras tendo um amigo cabeçudo ali ao lado, um ser vindo do futuro, falando-me coisas por pensamento; assim imagine-se como um espírito feito ser espacial, um ET de código EC 325 da galáxia dos manitus cabeçudos, digo eu.

:::::

Naquele enquanto de um momento, chegada a hora de comer, sorvemos uma coisa languinhenta, gelatinosa dum verde acinzentado, sabendo a nada com algas. Interrogo-me nesse então do porquê aquilo saber a algas sem ali haver mar e de também se chamar àquele sítio o mar da tranquilidade.  É difícil entender estes sonhos que combinam o passado, o presente e o futuro sem passar pelo particípio, assim num ápice.

mandrak5.jpg Curioso é de que neles, os sonhos, não se expressam nos vínculos sentimentais ao jeito de gente, de como se é na terra, com enganos, traições, mentiras e roubos de biliões.  Pois então, estes sonhos têm mudado em muito a minha maneira de ser à luz de critérios vulgares entre nós. Esses de se banalizar o mal de proveitos diversificados a outros; técnicas de vaporizar o sarro usurpando-nos de tudo com inveja e desamor, suspeitas num diz-que-sim e diz-que-não retiradas dum baú com amáveis suavidades de usucapianço.

:::::

Nossos vestígios antropológicos estão a definhar-se retirando ao assombro o orgulho, assim como se fora uma nova epopeia e, aonde demónios e deuses se entendem às mil-maravilhas, aonde tudo parece normal. Nesta tolerância de quimeras genéticas, todos nos tornamos por fruto do tempo em mentirosos, assim uma geringonça de santos com pecadores substituindo no plural a independência de pensamento e até, cruz-credo, eliminando-nos o instinto.

ET3.jpg Instinto que nos foi legado mas que só raras vezes surge e porque cadavez mais nos tornam no tempo autómatos confinados a um tablet cheio de pensamentos encafifados num ecrã. Andamos conscientemente a ser modulados para ficar confinados a uma pequena caixa que nos mostra tudo no paralém por paralaxe. O cientistas, justificam nova teorias encavalitando-nos numa evolução derrubando o que era num que não-era. Andamos a ser encaixotados!

:::::

Somo um produto de nós mesmos, solidários ou frágeis, por vezes independentes só no suficiente para nos adaptarmos à vida nova, copiando-nos na autocompreensão, das coisas incompreendidas, uma coisa estupida de dizer, lá terá de ser! Estou mesmo lixado! Não sonho planos credíveis nos moldes hodiernos. Já quase cibernético, fico-me a lembrar quanto transtorno causa uma simples fagulha que ateia leis, despachos, adendas pirateadas em  posturas…

(Continua…)

O Soba T´Chingange     



PUBLICADO POR kimbolagoa às 07:28
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS
|

RELOGIO
TEMPO
Weather Forecast | Weather Maps
Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


MAIS SOBRE NÓS
QUEM SOMOS
Temos um Hino, uma Bandeira, uma moeda, temos constituição, temos nobres e plebeus, um soba, um cipaio-mor, um kimbanda e um comendador. Somos uma Instituição independente. As nossas fronteiras são a Globália. Procuramos alcançar as terras do nunca um conjunto de pessoas pertencentes a um reino de fantasia procurando corrrigir realidades do mundo que os rodeia. Neste reino de Manikongo há uma torre. È nesta torre do Zombo que arquivamos os sonhos e aspirações. Neste reino todos são distintos e distinguidos. Todos dão vivas á vida como verdadeiros escuteiros pois, todos se escutam. Se N´Zambi quiser vamos viver 333 anos. O Soba T'chingange
AS NOSSAS FOTOS
Facebook
Kimbolagoa Lagoa

Criar seu atalho
ARQUIVOS

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

TAGS

todas as tags

LINKS
PESQUISE NESTE BLOG
 
CAIXA MUSICAL
CONTADOR
ONDE ESTÁS

Sign by Danasoft - Myspace Layouts and Signs

blogs SAPO
subscrever feeds