Sábado, 2 de Outubro de 2010
O BRASIL TEM UMA MÃO QUE DÁ E OUTRA QUE TIRA...

"Me ajuda, Messias." Báu chama o colega para puxar as redes do Rainha das Águas, uma balsa de quatro metros com motor a gasóleo. Há três ou quatro dias que o mar não dá nada, nem para o consumo de casa os homens pescam. Báu, nome de baptismo António Jorge de Sousa, avisa logo: "Vem leve." E quando içam a rede confirma-se o pior: uma cavala e dois badejos pequenos, prontamente devolvidos ao Atlântico. Os homens abanam a cabeça e permanecem calados, olhos postos no monstro. O monstro está ali, do outro lado do canal. São duas chaminés encostadas ao mar do Nordeste, mesmo em frente à Ilha de Maré, uma reserva marinha a Norte de Salvador, na Baía. Desde que a refinaria do Acarajú começou a operar em plena força, há meia dúzia de anos, nove mil ilhéus passaram a afogar-se todos os dias em terra. A poluição e o tráfego marítimo assustaram os peixes, um derrame de petróleo em Abril do ano passado fê-los fugir para outras águas. "A vida aqui já não era fácil. Agora piorou", atesta Messias do Nascimento. A ilusão A Maré é uma das comunidades mais pobres do Nordeste, que por sua vez é a região mais pobre do Brasil. No entanto, quando se larga de barco de São Tomé de Paripe, no continente, e se ensaia a aproximação à ilha, não se adivinha nada menos que o paraíso. Palmeiras por toda a parte, um areal cândido, a água transparente. A ilusão quebra-se pouco depois: aqui também há um inferno. Saneamento não tem, polícia não há e médico só vem às quartas-feiras. Quando vem. O isolamento da Maré é tremendo, pela geografia e pela falta de infra-estruturas. Para pescadores como Báu, que nasceram e cresceram aqui, a questão não precisava de ser um drama, desde que o mar fosse dando qualquer coisa. " Emprego na ilha não há? "Nada." Messias, então, está farto. Passou quatro anos a trabalhar nas obras em Salvador para investir num barco. "Eu não bebia, não procurava mulher, comia barato e só saía no Carnaval. Juntei tudinho o que eu pude porque queria viver na minha ilha, viver do mar." As dívidas acumularam-se, não tarda nada vai ter de vender a Rainha das Águas. "O meu sonho virou desgraça. Antes eu era pobre, agora sou miserável." O que diz Joana Lima, que é assistente social e se instalou há seis meses na ilha? "Olha, me mandaram trabalhar com as famílias que estão em situação de vulnerabilidade. O problema é que todo mundo na Ilha de Maré está em situação de vulnerabilidade. Há oito mil habitantes auferindo do programa, numa população de nove mil. Como é que a gente faz?" O suspiro de José Esteves é profundo, preocupado. Pescador decano, não se conforma com um mar seco. "Quase a totalidade da população da Ilha vivia do peixe e do marisco. Depois veio o desenvolvimento industrial. Agora vive tudo da Bolsa Família. Isso é que é progresso? O Brasil tem uma mão que dá e outra que tira." Nem todos concordam com ele. Para muita gente, o rendimento mínimo criado nos governos Lula é a única tábua de salvação contra o desespero. Olha a Ieda Rufino, que tem um marido sem trabalho e dois filhos para criar. "Deram 90 reais por mês para a gente, aí eu pude botar os meus filhos na banca. É isso mesmo, estou apostando: eles agora podem ir na escola e um dia vão salvar a gente. Antes não podiam, não tinha jeito de eu pagar a merenda deles todo o santo dia." Maré sem água A embarcação que liga a ilha ao mundo circula três vezes ao dia, sem horário estabelecido. Sai do porto quando enche e vem sempre carregada de produtos frescos. Os vizinhos organizam-se, fazem as encomendas entre si, depois vai alguém a terra e traz mercadoria para todos. De pobreza também fala o papel que Rita Guimarães traz na mão. É uma fanzine escrita à mão pelos populares da ilha, o Maré Paraíso. Tem cinco artigos e três falam da falta de água. O trabalho dela é ensinar as pessoas a racionar, porque a Maré não tem que chegue para todos. "A meio do dia acaba a água e não volta. Além disso, as fossas vão directas para o mar e os esgotos correm a céu aberto para a praia. É uma fonte de doenças. Quem trata as doenças?" O médico, que vem uma vez por semana. "Pelo menos um décimo das crianças da ilha nasceram em barcas, a caminho do hospital." Ao meio-dia está marcado um plenário na sede da Comunidade de Pescadores de Ilha de Maré. A reunião devia ter começado há mais de meia hora, a sala está à pinha e faz um calor de derreter os ossos. Ainda assim o povo espera, sem queixume. Há homens que não podem estar presentes, andam ao mar mas não na pesca. Desde o derrame, os pescadores revezam-se a fazer vigílias. Saem duas barcas da Maré e estacionam em frente à refinaria do Aracajú. "Camaradas, a luta continua." Marizélia Lopes, presidente da comunidade, abre a sessão. Arranca um aplauso no momento em que fala do último protesto dos pescadores contra a refinaria. Saíram mais de 500 pessoas, estacionaram as barcas e deixaram-se ficar. As autoridades marítimas ordenaram retorno à ilha, eles não quebraram. A vitória chegou pouco depois: um cargueiro fartou-se da espera e teve mesmo de voltar atrás. Foram 150 mil reais de prejuízo para a petrolífera. "Essa gente só entende a linguagem do dinheiro", e Marizélia levanta-se outra vez da cadeira, empolgada. "Nós podemos até ser pobres, mas estamos vivos. Não vamos afundar sem dar luta." Minutos mais tarde, rouca de tanto gritar, vira-se para este jornalista e diz-lhe baixinho: "A gente não tem escapatória, não sabe mais o que fazer. Vai lá e fala de nós, porque ninguém fala nunca. Conta para o mundo como o Brasil esqueceu a gente".

 

ESTA É A REALIDADE DE PELO MENOS 70% DA POPULAÇÃO BRASILEIRA, E, NÃO SÓ DA ILHA DA MARÉ.

OS RICOS ESTÃO CADA VEZ MAIS RICOS E OS POBRES CADA VEZ AUMENTAM MAIS, MAS TUDO CAMUFLADO COM O FALSO CRESCIMENTO ECONÓMICO DESTE PAÍS. CRESCE À CUSTA DA DESGRAÇA DOS POBRES.... DO PRÉ-SAL... DAS RIQUEZAS NATURAIS SE SOBRAM APENAS PARA NÃO MAIS QUE 1% DA POPULAÇÃO. É TRISTE VER TANTA MISÉRIA NUM POVO TÃO ABNEGADO.... MAS TÃO INCULTO QUE NÃO ENTENDE A REALIDADE À FRENTE DOS OLHOS.

 

JAMBA



PUBLICADO POR kimbolagoa às 19:44
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

RELOGIO
TEMPO
Weather Forecast | Weather Maps
Maio 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15

18
19
22
23

24
25
26
27
28
29
30



MAIS SOBRE NÓS
QUEM SOMOS
Temos um Hino, uma Bandeira, uma moeda, temos constituição, temos nobres e plebeus, um soba, um cipaio-mor, um kimbanda e um comendador. Somos uma Instituição independente. As nossas fronteiras são a Globália. Procuramos alcançar as terras do nunca um conjunto de pessoas pertencentes a um reino de fantasia procurando corrrigir realidades do mundo que os rodeia. Neste reino de Manikongo há uma torre. È nesta torre do Zombo que arquivamos os sonhos e aspirações. Neste reino todos são distintos e distinguidos. Todos dão vivas á vida como verdadeiros escuteiros pois, todos se escutam. Se N´Zambi quiser vamos viver 333 anos. O Soba T'chingange
Facebook
Kimbolagoa Lagoa

Criar seu atalho
ARQUIVOS

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

TAGS

todas as tags

LINKS
PESQUISE NESTE BLOG
 
CAIXA MUSICAL
ONDE ESTÁS

Sign by Danasoft - Myspace Layouts and Signs

blogs SAPO
subscrever feeds