Quarta-feira, 2 de Março de 2011
XIPALA . II

FÁBRICA DE LETRAS DO KIMBO

        “PAJUÇARA  COM EMPATIA” . o xicululu do soba


JANGADAS NA PAJUÇARA 

“XIPALA: - Fotografia, cara, rosto”

“XICULULU: - Olhar de esguelha, olho gordo, mau olhado”

O dia estava límpido neste vinte e oito de Fevereiro na orla majestosa da Pajuçara. A brisa bulia levemente as folhas da amendoeira com a sua sempre cobiçada sombra dum sol impiedoso que, já pelas nove horas da manhã esquentava esbeltos corpos. E, já o vento agitava vida no areal dourado com as muitas velas das jangadas esperando gente desejosa de saborear lá nas piscinas naturais os frutos do mar de Maceió. O café do botequim coco frio estava um pouco forte exigindo mais açúcar e, enquanto mexia tão saboroso líquido, trincava o pastel ainda quente derramando queijo de coalha nas minhas papilas gustativas. Embebido em pensamento, recordava de fresca incidência as pupilas, as meninas dos olhos que tudo apreciam mas que por razões agora identificadas, foram objecto de observação no hospital da visão Santa Luzia. A vermelhidão do meu globo ocular normalmente alvo de cor, preocupou a Dona Rosa, amiga atenta ao mais leve descuido da visão dos outros e, era eu que estava em causa; seu sogro tinha ficado cego e, em seu início apresentava esses mesmos sintomas de derrame indiciando cataratas. Dona Rosa, peremptória, lá pelas vinte horas do dia anterior, deu-me a conhecer que tinha marcado uma consulta com um seu amigo oftalmólogo no hospital do Farol em Maceió. Sem relutar tal decisão fui dizendo da desnecessidade de ser observado, porque esta anormalidade já se tornava em mim, uma normal incidência sexagenária; ” qual quê, vamos, e está feito, passo por aí, no encontro do mar pelas oito horas”. Até já tinha itinerários definidos para este dia vinte oito de Fevereiro, um roteiro empático a mostrar os aromas da orla em seu tom de esmeralda. As estravagâncias artesanais rendadas a preceito de pescador, pequenos regalos de pudicos quereres à mistura com macias apetências e, para todas as idades.

 PAJUÇARA . MACEIÓ

No bem apetrechado hospital, rapidamente fui atendido pelo doutor na sala seis que repetiu o que já outros oftalmólogos tinham dito: um coágulo de sangue rebentou numa dessas muitas veias aonde o vermelho agressivo só se torna visível por ser ali, no olho, que com o tempo se vai dissipando voltando ao aspecto de branco normal. Foi-me recomendado ir a um hematologista. A razão de documentar este sucedido está mais no facto de definir o que é isso do porquê de nos tornarmos amigos de alguém que há bem pouco tempo atrás era totalmente desconhecida. A amizade pura, sincera, desinteressada, nascia assim numa convivência que distingue o ser humano, fruto dum improviso, detalhe do cérebro a que se chama de “ocitocina”, curioso analisar-se o partilhar de macacos que, numa evolução, chegou até aos sapiens como uma troca de favores fruto de um hormónio pouco falado mas que entre o ser humano tem a maior importância; a amizade, porque surge e porque se mantem um instinto tão primordial no homem que origina a empatia, vulgo amizade. A ocitocina é a responsável pelo afecto que um conjunto de pessoas preserva de forma incondicional com outras gentes. Em algum momento da pré-história a relação de amizade com outros estranhos passou a ser necessária. A ocitocina faz com que tratemos estranhos como se fosse a nossa própria família. Isto é definido simplesmente com a palavra amizade. Esta forma de amizade já curiosamente tinha sido abordada pelos filósofos Aristóteles, Confúcio e Platão e só agora que o mundo está na viragem de valores e novas formas de estar se dá conta da importância que tem ter-se amigos. A manhã estava acolhedora como nunca e, eis que do nada e de forma quase mágica um senhor tisnado do sol, pescador, abriu uma bolsa a mostrar umas quantas lagostas transpirando frescura: O senhor quer? E eu quis; naquele preciso momento pensei em partilhar a amizade com a Dona Rosa regalando-lhe algo que a minha ocitocina dizia ser neste então a retribuição num pequeno hífen da vida. De compras feitas, início da tarde, eu António Português genérico 3, retemperei vontades num cochilo vespertino pensando em como é bom ter amigos e adormeci com um Bem-haja no canto do olho.

O Soba T´Chingange

 



PUBLICADO POR kimbolagoa às 15:10
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

RELOGIO
TEMPO
Weather Forecast | Weather Maps
Maio 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15

18
19
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


MAIS SOBRE NÓS
QUEM SOMOS
Temos um Hino, uma Bandeira, uma moeda, temos constituição, temos nobres e plebeus, um soba, um cipaio-mor, um kimbanda e um comendador. Somos uma Instituição independente. As nossas fronteiras são a Globália. Procuramos alcançar as terras do nunca um conjunto de pessoas pertencentes a um reino de fantasia procurando corrrigir realidades do mundo que os rodeia. Neste reino de Manikongo há uma torre. È nesta torre do Zombo que arquivamos os sonhos e aspirações. Neste reino todos são distintos e distinguidos. Todos dão vivas á vida como verdadeiros escuteiros pois, todos se escutam. Se N´Zambi quiser vamos viver 333 anos. O Soba T'chingange
Facebook
Kimbolagoa Lagoa

Criar seu atalho
ARQUIVOS

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

TAGS

todas as tags

LINKS
PESQUISE NESTE BLOG
 
CAIXA MUSICAL
ONDE ESTÁS

Sign by Danasoft - Myspace Layouts and Signs

blogs SAPO
subscrever feeds