Sexta-feira, 31 de Maio de 2013
KAPIKUA . XXV

“RETÓRICA DA FÉ” mistérios e profecias

Por

 

T´CHINGANGE

Na odisseia de exploração das histórias, mistérios e profecias messiânicas deparo com uma certa linha de pesquisa académica que submetem Jesus à plástica cultural ideologicamente comprometida com o feminismo; os estudiosos sabem há muito tempo que Maria Madalena não era prostituta e que equivocadamente foi igualada pela tradição cristã à mulher penitente, que Lucas refere; que pouco antes da crucificação unge os pés de Cristo e os enxuga com o próprio cabelo. Maria chamada de Madalena por Lucas, (8:2-3) foi a seguidora de quem Jesus expulsou sete demónios; ela se tornou a partir daí uma de suas fiéis discípulas, servindo-O com seus próprios recursos (Lucas 8:3). Com base nesta evidência textual, parece claro que Maria Madalena era uma mulher financeiramente independente, usando seus recursos para apoiar Jesus e seu grupo de seguidores.

 A  análise retórica dos textos bíblicos ao preencher ditas lacunas de identificação, criou raízes em uma necessidade profunda em termos teológicos levando-nos a perguntar: porquê a igreja retratou Maria Madalena como prostituta durante tantos anos? Seu nome indica o lugar chamado de Magdala, um povoado da costa do lago Galileia conhecido no tempo dos romanos como salga de pescado situada a norte de Tiberiades. Foi este o lugar que Marcos (8:12) e Mateus (15:39), referiram como ao qual Jesus e seus discípulos alimentaram quatro mil pessoas com sete pães e alguns peixes.

De acordo com ao evangelho de João, ela teve a visão de Jesus ressuscitado, tornando-se por isso, profeta e apostola. Será uma fantasia a afirmação concebida de que Jesus e Maria Madalena eram casados, para expressar o carácter especial de seu relacionamento. No Evangelho de Filipe (63:34-35) é dito que o Salvador (Jesus), amava Maria Madalena mais do que a todos os outros discípulos, e a beijava (na boca) com frequência. De lembrar que tanto a tradição judaica quanto a legislação romana propagavam a maternidade como o único mérito da vida da mulher; Maria Madalena pertencia ao pequeno círculo de discípulos que seguiam Jesus em carácter permanente e, ela foi a principal testemunha de sua morte, do sepultamento do seu corpo, do túmulo vazio e da revelação.  Ao contrário dos onze discípulos, que temeram por suas vidas, as mulheres O seguiram, presenciaram a crucificação, testemunharam o sepultamento, descobriram o túmulo vazio e, como verdadeiras discípulas tiveram a primazia na notícia da ressurreição e, no caso de Maria Madalena, com o primeiro encontro com Jesus ressuscitado.

KAPIKUA (capicua): O que se lê igualmente da direita para a esquerda ou vice-versa e ao qual se atribui boa sorte.

Ilustrações de Miró

(Continua…)

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:12
LINK DO POST | COMENTAR | VER COMENTÁRIOS (1) | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 30 de Maio de 2013
PARACUCA . IX

KIANDA COM ONGWEVA - V . Visão do Xiritung

Por

: SOBA T´CHINGANGE

Tentando entender os porquês de coisas transcendentes e mal entendidas dei um estalo de dedos e numa curta meditação de aprendiz de kianda, surge-me o Januário Pieter meu consultor de volátil itinerância; desta vez surge-me um tanto diferente, mais jovem e vestindo uma túnica branca com uns bordados dourados em redor do pescoço e três estrelas no peito do lado do coração. Fantasmado de perispírito foi-se transformando lentamente na forma física de gente e, sustentado com o carinho dos meus melhores fluidos foi ficando um envoltório terreno. Com um sorriso largo, saudou-me com ternura, convidando-me a ficar ali sentado a seu lado; sabendo de antemão as perguntas ainda por fazer, foi-me explicando: - As deformidades físicas não deveriam assustar ninguém e ainda bem que foste complacente com a visão do ganso Xiritung.

 Mas, estando eu aqui como teu principal espírito e conselheiro quero dizer-te que estarei contigo assim que em mim penses, pois estás numa fase que necessitas do meu acompanhamento para que possas drenar tua desarmonia. As deformidades quase sempre são adquiridas pelo remorso destrutivo dos erros praticados e às vezes é tão forte que leva à vontade de auto punição surgindo deformações em seu perispírito; o aspecto externo, demonstra quase sempre o que se é interiormente. Tu, dizia referindo-se a mim, que te tens procurado em refazer a tua mente, sentes já sensibilidade em reorganizar no plano espiritual as formas primitivamente perturbadas. Isto estava a ser para mim um curso rápido para compreender a misericordiosa, a injustiça que nos rege. A isto Pieter afirmou peremptório: - O sofrimento ensina!

 Tenho aceitado a vontade de Deus, não me revoltando, somente padecendo disse em tom medroso ao meu assessor Pieter. Ele, fez-se desentendido como se nada tivesse ouvido e com um sinal levou-me não sei como a uma fazenda de escravos algures em um lugar quente e húmido e, por ali circulamos despercebidos entre cacaueiros, no meio de gente marcada no rosto e nos troncos desnudos como gado. Muitas destas vítimas irão tornar-se algozes, irão vingar-se após passarem esse umbral da vida; tens de te tranquilizar para assim não procederes. Seria muito bom que recordasses o passado olvidando acções indevidas; fica com elas, recordações como lições e força-te a não as recordar ou melhor, em as não repetires: - Que esta lição seja um incentivo para fazer cada vez mais e melhores acertos, o bem disse ele. De facto só podemos fazer comparações quando conhecemos outros lugares e outras situações. Desta lição de Januário ficou-me o conceito de que existem em realidade locais excelentes para morar, quando, no plano espiritual estamos com Ele, Deus.      

GLOSSÁRIO: Kianda: - Espírito das águas na forma de sereia, ritos de Angola, fantasma, holograma; Ongweva: saudade em português (Umbundo); Kalunga: - divindade abstracta podendo ter a forma humana que preside ao reino dos mortos, em Umbundo é um Deus, em Kimbundo é o mar, sereia na forma de homem musculoso tipo o Adamastor dos Lusíadas.

Januário Pieter:- Um personagem amigo, um sábio que me assiste e complementa conhecimentos...Um fantasma feito guia Kalunga; o homem que nasce da morte metaforizada com mais de 300 anos.

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:30
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quarta-feira, 29 de Maio de 2013
MUSSENDO DO PUTO . XXIX

As escolhas de

 KIMBO LAGOA                       

ANGOLA - UM HOTEL DE MIL ESTRELAS – 3º de 3 Partes

Por

 Dy – Dionísio de Sousa  (Reis Vissapa)

O Andorinha percorrendo quilómetros sem fim no seu jeep Willys pelo Cuamato em busca de brilhantes que nunca apareceram. A Rosinha e a irmã que apareceu há dias aqui na sanzala, procurando amigos de outras épocas e de outros tempos Aos Sábados dançávamos baião no salão da pensão ao som de uma grafonola qualquer, que havia atravessado a fronteira na Ondjiva no quadro de uma bicicleta de um mineiro regressado do sudoeste africano. O Cunene serpenteando para Namaculungo onde o Caculvar vindo do planalto despejava as suas águas e onde eu apanhava mexilhão e amêijoa do rio que comíamos de tomatada à beira do mesmo, ou no hotel do Ferreira.

::::::::::::::
 A pensão da Maria Ferreira em Quipungo, pintada de verde Sporting quando perde, ali na esquina, com o mesmo pátio, com o mesmo salão e onde ela pela manhã me perguntava solicita se eu não queria um bifinho de Palanca com ovo a cavalo. – O Sebastião tem umas pernas para si. - Dizia a Tia Alice. Tinha regressado do Bicuar o caçador solitário. O cozinheiro da Maria aguardando o meu pedido junto a uma janelinha tipo copa, como se eu fosse o Onássis – Mal passado ou bem passado. – Farto ele de saber que era mal passado.

oi Depois, correr à janela a mando da Maria para ver o saudoso velhote Cardeiras, regressado da padaria do Traguedo com saco de pão quente acabadinho de sair dos fornos de lenha, caminhando pesado pela idade, o velho senhor, amigo do meu avô materno, e meu amigo também. Não estou a escrever isto para denegrir seja que hotel for, mas hotéis de mil estrelas só mesmo aqueles do meu país, da minha terra da minha gente maior.. Os outros são só de cinco, de quatro, vulgares.... sem conteúdo.

Opção do

Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:17
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Terça-feira, 28 de Maio de 2013
A CHUVA E O BOM TEMPO . XXIX

BRASIL CARINHOSO Carta a Dilma, a presidentA . 3ª de 6 Partes

As escolhas de

KIMBO LAGOA

A professora Martha de Freitas Azevedo Pannunzio, de 74 anos, é de Uberlância. Ela escreveu uma carta para a presidente Dilma que foi entregue em mãos. Vale a pena ler. É a voz de quem não se cala e não consente - Fazenda Água Limpa, Uberlândia, em 16-05-2012


 Nossos meninos e jovens lêem (quando lêem), mas não compreendem o que leram. Estamos na cauda do mundo, dona Dilma. Acorde! Digo isto com conhecimento de causa porque domino o assunto. Fui a vida toda professora regente da escola pública mineira, por opção política e ideológica, apesar da humilhação a que Minas submete seus professores. A educação de Minas é uma vergonha, a senhora é mineira (é?), sabe disto tanto quanto eu. Meu contra-cheque confirma o que estou informando. Seu presente para as mães miseráveis seria muito mais aplaudido se anunciasse apenas duas decisões: um programa nacional de planeamento familiar a partir do seu exemplo, como mãe de uma única filha, e uma escola de um turno só, de doze horas. Não sabe como fazer isto? Eu ajudo. Releia Josué de Castro, A GEOGRAFIA DA FOME. Releia Anísio Teixeira. Releia tudo de Darcy Ribeiro. Revisite os governos gaúcho e fluminense de seu meio-conterrâneo e companheiro de PDT, Leonel Brizola. Convide o senador Cristovam Buarque para um café-amigo, mesmo que a Casa Civil torça o nariz. Ele tem o mapa da mina.

::::::::::::

 A senhora se lembra dos CIEPs? É disto que o Brasil precisa. De escola em tempo integral, igual para as crianças e adolescentes de todas as camadas, miseráveis ou milionárias. Escola com quatro refeições diárias, escova de dente e banho. E aulas objectivas, evidentemente. Com biblioteca, auditório e natação. Com um jardim bem cuidado, sombreado, prazeroso. Com uma “baita” horta, para aprendizado dos alunos e abastecimento da cantina. Escola adequada para os de zero a seis, para estudantes de ensino fundamental e para os de ensino médio, em instalações individuais para um máximo de quinhentos alunos por prédio. Escola no bairro, virando a esquina de casa. De zero a dezassete anos. Dê um pulinho na Finlândia, dona Dilma. No aerolula dá p´ra chegar num piscar de olhos. Vá até lá ver como se gerência a educação pública com responsabilidade e resultado. Enquanto os finlandeses amam a escola, os brasileiros a depredam. Lá eles permanecem. Aqui a evasão é exorbitante.
 Educação custa caro? Depende do ponto de vista de quem analisa. Só que educação não é despesa. É investimento. E tem que ser feita por qualquer gestor minimamente sério e minimamente inteligente. Povo educado ganha mais, consome mais, come mais correctamente, adoece menos e recolhe mais imposto para as burras dos governos. Vale à pena investir mais em educação do que em caridade, pelo menos assim penso eu, materialista convicta. Antes que eu me esqueça e para ser bem clara: planeamento familiar não tem nada a ver com controle de natalidade. Aliás, é a única medida capaz de evitar a legalização do controle de natalidade, que é uma medida indesejável, apesar de alguns países precisarem recorrer a ela. Uberlândia, inspirada na lei de Cascavel, Paraná, aprovou, em Novembro de 1992, a lei do planeamento familiar. Nossa cidade foi a segunda do Brasil a tomar esta iniciativa, antecipando-se ao SUS. Eu, vereadora à época, fui a autora da mesma e declaro isto sem nenhuma vaidade, apenas para a senhora saber quem é a sua interlocutora.

Opção de

Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:26
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 27 de Maio de 2013
KAPIKUA . XXIV

“RETÓRICA DA FÉ” Inventações e mitos do Big-bang

 Por

 

 T´CHINGANGE

Na corrida para desvendar os segredos do genoma humano, cada vez mais se comprime em bits digitais nossas comunicações, explodindo violência em extremismos religiosos e uso da retórica da velha fé versus infiéis, como no tempo antigo das cruzadas. Nossa cultura, busca continuamente a oportunidades de satisfazer a imaginação vulgarizando a mentira ou dando informações de duvidosa categoria, fugindo em regra aos conceitos puros da verdadeira historia. O que nos é dado ler, são intrincadas filosofias de incerta cosmologia. No fascinante mundo das ideias nem sempre queremos seguir o caminho da instrução porque nem sempre estamos no nível de literacia compatível e, sua sofisticação. Estamos tão acostumados a sermos enganados que isso se torna no dia a dia uma analogia da nossa própria jornada.

:::::::::::::

 Numa variedade de conspirações e mundos ocultos, fazem-se criticas e intolerâncias loucas feitas em nome de Deus, da crença de que só existe um, o da fé mais verdadeira e, no modo também mais verdadeiro na prática de sua devoção religiosa. Em certo sentido, estamos regredindo o tempo a uma época em que os signos e os símbolos se visualizam em nossas telas de computador reencarnando os ícones medievais. Mergulhando fundo nesses mitos antigos baralha-se a natureza espiritual do sexo desvirtuando-o da função de procriação, fertilidade e, brada aos céus, também da natividade. A reciclagem de lendas e tradições engravidadas de ficção, geram discussões fascinantes sobre mitos, a metáfora e o nosso ADN cultural.

 Na permissividade da escrita entre factos e ficção nem sempre distinguimos o alcance da especulação de entre a verdade e a pura fantasia literária, a codificação da Bíblia e os evangelhos gnósticos, alterar relacionamentos, dissolver os feitos dos homens, mudar as descrições originais a fim de ajustá-las às necessidades políticas do momento. A tese mais audaciosa refere os pergaminhos do mar morto dizendo que Jesus planeou a sua própria detenção, crucificação e ressurreição e, que preparou tudo para ser drogado na cruz a fim de ser retirado mis tarde em segurança, simulando assim a própria morte para confirmar as profecias messiânicas.  

KAPIKUA (capicua): O que se lê igualmente da direita para a esquerda ou vice-versa e ao qual se atribui boa sorte.

Ilustrações de Miró

(Continua…)

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:04
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 26 de Maio de 2013
N´NHAKA . IX

ANGOLA - Riqueza de recursos e bem-estar social . II

As escolhas de

 KIMBOLAGOA        

Relatórios do Banco Mundial . Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD)

 Kofi Annan

Angola é um país de duas ou múltiplas realidades. O Africa Progress Panel (APC), presidido por Kofi Annan, centra-se nas duas que contribuem para aquilo que diz ser um gritante paradoxo – por ser o país que ilustra "de forma mais poderosa a divergência entre ", conclui o Africa Progress Report 2013, um estudo publicado em Maio, desde 2008.

::::::::::::::

 Luanda dispõe de reservas de petróleo suficientes para manter nos próximos 21 anos os actuais níveis de produção, que rendem anualmente entre 60 e 70 mil milhões em receitas de exportações. Mas cerca de metade dos seus dez milhões de habitantes continua a viver com menos de 1,25 dólares por dia (um pouco menos de um euro). “A elite de Angola não beneficiou apenas da oportunidade de enriquecer. Também se empenhou assiduamente em garantir que os rendimentos do petróleo pudessem servir os seus interesses”, lê-se no capítulo A grande divergência. E dá exemplos: “Enquanto as casas da elite frente ao mar dispõem de electricidade e água altamente subsidiadas pelos rendimentos do petróleo, os bairros para lá da [Avenida] Marginal não têm luz. E algumas das pessoas mais pobres de Angola são obrigadas a comprar água, a preços elevados, a comerciantes privados.”
 A riqueza extrema que financiou uma guerra civil de 27 anos está agora a financiar um boom de construção em Luanda e outros centros urbanos, por um lado, e o investimento no estrangeiro, por outro. Portugal é o destino citado. Empresas estatais angolanas ou elementos da elite estão a comprar empresas (ou participações) em Portugal “o antigo colonizador fortemente endividado”.  Exemplos disso são as participações no Millennium BCP ou na Galp, não citadas directamente mas referidas ao PÚBLICO pelo gabinete de imprensa do APC que explicou que a referência feita no relatório de que Angola detém agora dívida pública portuguesa, é através do Millennium BCP.

N´nhaka: - Do Umbundo, lameiro, plantação junto aos rios e em zona plana e húmida, horta.

As opções de

Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:12
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 25 de Maio de 2013
LIMITAÇÕES DA VIDA . XIII

COISAS DA VIDA . E-MAIL DE MARIDO ZELOSO!

As preferências de

 SOBA T´CHINGANGE

 Querida, está tudo em ordem durante sua ausência. Aquela senhora que você contratou para cuidar da casa durante a sua viagem ficou doente e não pode vir, mas estou virando-me. Estou preparando meu próprio jantar. Só não estou limpando a casa nem lavando a roupa suja. Está dando tudo certo. Ontem fiz batata frita. Ficou bom. Era preciso descascar a batata? A panela de pressão ficou bem suja, aí, deixei-a de molho no sabão em pó com um pouco de WD. Quanto tempo precisa p´ra cozinhar ovos? Já os deixei fervendo por duas horas, mas ficaram duros que nem pedra. Da próxima vez, vou deixar mais tempo! Ontem tive um contratempo cozinhando as ervilhas. Coloquei a lata no microondas e ela explodiu. Acho que tinha que abrir a lata, né? Mas hoje vou fazer um macarrão, que é bem mais fácil. Até já o deixei de molho na água fria, p´ra cozinhar mais rápido, já que o micro-ondas quebrou.

 Já aconteceu contigo de a louça suja criar mofo? Como é possível isso acontecer em tão pouco tempo? Aliás, atrás da pia tem de tudo que é bicho, daqui a pouco vai dar p´ra fazer um documentário e vender p´ro Nacional Geografic; hehehehe, brincadeirinha!!! No domingo eu emporcalhei o tapete persa com molho de tomate e mostarda do cachorro quente. Você sempre me dizia que mancha de molho de tomate não sai. Passei um pouco de gasolina que tirei do carro, e a mancha saiu. Ficou meio branco no lugar, mas arrastei o sofá em cima da mancha e nem dá p´ra perceber. Até você voltar, o cheiro deverá desaparecer! O frigorífico estava criando muito gelo, então tive que fazer um defrost nela. O gelo, sai fácil se você raspar ele com uma espátula de pedreiro! Ficou óptimo, foi fácil e rápido, agora a geleira está gelando bem pouco, acho que vai demorar bastante p´ra juntar gelo de novo.
Quanto ao resto, na última quinta-feira quando sai para o trabalho acho que me esqueci de trancar a porta. Alguém deve ter entrado no nosso apartamento porque estão faltando alguns objectos, inclusive aquele vaso de marfim que seu bisavô trouxe de África. Mas como você sempre diz que o dinheiro não traz felicidade, e tudo que é material é efémero está tudo certo. O seu guarda-roupa também está meio vazio, mas acho que não devem ter levado muita coisa, afinal você sempre diz que nunca tem nada p´ra vestir. Ah, … também não achei seus sapatos. Sei que está pensando nas suas plantas, mas eu estou molhando elas direitinho. Até fervi a água ontem, pois estava muito frio e achei que não ia fazer bem molhá-las com água fria. Mil beijos, com muito carinho, do seu querido Afonso.

PS: Sua mãe deu uma passada aqui p´ra ver como estavam as coisas. Ela entrou e começou a gritar, e daí sofreu um enfarto. O velório foi ontem à tarde, mas preferi não te contar p´ra não te aborrecer à toa. Volte logo, estou com saudades....

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:02
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sexta-feira, 24 de Maio de 2013
MUXIMA . XXX

ANGOLA . NITO ALVES HISTORIA DA GUERRA CIVIL . 2ª de 2 partes

As escolhas de

 KIMBOLAGOA                         

Por

 Nell Teixeira Nell Teixeira

Tempo que foge27 de Maio de 1987

 Sofremos sevícias sobre um crime que nos foi imputado e que não chegou a ser provado”, continuou. William Tonet lembrou ainda as palavras do primeiro presidente angolano naquela altura: “E nunca, inclusive, se deu a oportunidade às pessoas que eram apontadas como querendo dar um golpe de Estado a Agostinho Neto, de serem ouvidas. Porque ele disse que ‘não haveria julgamento’ e que ‘nem perderiam tempo com julgamento’. Portanto, foi uma autêntica barbárie”, afirmou. Decapitados sem razão conhecida. Há relatos de famílias chacinadas, presos enterrados vivos, corpos lançados de aviões ou ravinas, fuzilamentos arbitrários, tortura aplicada com uma crueldade indescritível. As cadeias eram sucessivamente cheias e esvaziadas.

 Estudantes que estavam na União Soviética, na Bulgária, na Checoslováquia e noutros países de leste foram mandados regressar e muitos foram decapitados sem se conhecer a razão. Nas faculdades, desapareceram cursos inteiros. Desapareceram também novos e velhos militantes do MPLA, ministros e chefes militares. “O 27 de Maio foi uma ‘inventona’ [revolução imaginária] criada por parte de Agostinho Neto e pela então parte da direcção do MPLA, que aproveitou a manifestação do Nito Alves – que não tinha por objectivo a tomada do poder nem a realização de um golpe de Estado – para neutralizar facções muito importantes dentro do movimento [MPLA] que tinham divergências para com ele”, avalia.

:::::::

 Em causa estavam no fundo divergências ideológicas entre Agostinho Neto, adepto de uma via “terceiro mundista” para Angola, com características semelhantes à argelina, e Nito Alves, advogado da ortodoxia soviética. Em Angola não podia haver contra revolução popular e, por isso, Neto, o presidente poeta, foi irredutível: ‘não haverá perdão para quem pense de forma diferente da linha oficial do MPLA’. Apesar da dimensão do massacre, o tema é tabu, explica José Milhazes: “É que alguns dos intervenientes ainda estão no poder. Quero recordar que o presidente José Eduardo dos Santos, naquela altura, era já um membro da direcção do MPLA e que participou directamente no conflito”, lembra o historiador.

Muxima: saudade; que vem do coração; ongweva; lugar nobre; Nossa Sra das margens do Kwanza.

Nota: Nesta revolta, meu pai que era um simples segurança do Banco de Angola, foi raptado algures junto aos Correios da Maianga, foi levado para o fundo do aeroporto de Luanda e, tendo sido espancado, deixaram-no como morto e com um tiro que felizmente se alvejou na rótula da perna; a cápsula dessa bala só veio a ser retirada em Portugal pois que o Hospital Maria Pia de Luanda não teve hipótese de a retirar; o Doutor Boavida do Banco de Angola tratou de seu envio para o Puto por medo que perdesse a vida tal como tantos milhares que ele testemunhou, estarem por tudo quanto era canto, corredor ou lado naquele hospital; ele, Doutor Boavida, não tinha confiança na capacidade dos enfermeiros pseudo-doutores Cubanos que ali prestavam serviço. Quando recebi meu pai Manuel Monteiro no Aeroporto de Lisboa, era uma massa de carne rocha com sangue amassado por todo o corpo; de cara inchada arrastava-se com as muletas como se fosse um regressado de batalha como se vê habitualmente naqueles filmes da 2ª guerra mundial. Não mais foi o mesmo homem desde então; Só não regressou a Angola de novo porque, nós filhos, nos opusemos a tal. Foi um período duro, de um e outro lado do conflito que perdurou. De um e outro lado do Atlântico. E, tudo isto por irresponsabilidade dos políticos portugueses com a anuência da esmagadora maioria dos portugueses que fizeram de seus patrícios cobaias, entregando-os ao acaso e, nas mãos de gente imberbe e impreparada que seguiu a pior das opções: uma guerra fraticida. Esta gente toda e de ambos os lados, nunca será ressarcida de suas agruras. Por gostarmos de Angola, ficamos com o pior quinhão; um estúpido repudia e a estigma de “colonos exploradores”. Um dia, dir-se-há a verdade.

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 01:25
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 23 de Maio de 2013
BRASIL EM 3 PENADAS . XLIII

As escolhas de

 KIMBOLAGOA                         

BRASIL . A falta de transparência no processo judicial . II

Por 

 Jorge Serrãoserrao@alertatotal.net

O Super Barbosa do STF volta a provocar faniquitos na petralhada. O medinho dos petralhas é que a versa pós-moderna e mais light do “Homem da Capa Preta”, sem a metralhadora Lurdinha a tiracolo, acabe saindo candidato a Presidente da República contra Dilma Rousseff.(…)

Um dos principais problemas que vejo no Brasil é a falta de transparência no processo judicial, algo anti ético e forte que existe em todo o sistema. Uma pessoa poderosa pode contratar um advogado poderoso, com conexões no Judiciário. Ele pode ter contatos com juízes sem nenhum controle do Ministério Público ou da sociedade. Depois vêm as decisões surpreendentes: uma pessoa acusada de cometer um crime é deixada em liberdade. E não é deixada em liberdade por argumentos legais, mais por essa falta de transparência das comunicações”.

 J. Barbosa

Há uma razão para explicar a impunidade no nosso país. No Brasil, tem algo chamado foro privilegiado. Se um prefeito é acusado de um crime, ele não terá o caso dele julgado por um juiz comum. O caso dele será decidido por um tribunal de apelação. Se o acusado é um membro do Congresso, o caso será decidido pela Suprema Corte, que tem 60 mil casos aguardando julgamento, casos que afetam a sociedade, e não tem tempo algum para decidir processos criminais. Um caso envolvendo duas ou três pessoas não é concluído no Brasil em menos de cinco, sete, às vezes dez anos, dependendo do status social da pessoa”, Disse J. Barbosa

 

 Barbosa apenas disse o que a maioria anti-petralha deseja ouvir. Daí cabe a pergunta de sempre: Barbosa faz tal discurso sem nenhuma segunda intenção política? Claro que não! Sua mensagem tem endereço certo: a petralha e seus comparsas no Governo do Crime Organizado. Eles já estão condenados à substituição pelo Poder Real Mundial que manda no Brasil. Já foram descartados e fingem não saber que, em breve, farão parte do lixo da história. Logicamente, no actual sistema, a lógica é que os petralhas sejam substituídos por marionetes mais lights – que pareçam ser menos incompetentes e menos corruptos.

(Continua…)

Visto sem prego nem estopa por

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:17
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quarta-feira, 22 de Maio de 2013
PARACUCA . VIII

KIANDA COM ONGWEVA - IV . Visão do Xiritung

Por

         SOBA T´CHINGANGE 

Será que um morto dorme? De tempos a tempos surgem bandos de urubus a bicar os sacos de lixo com restos de carniça ou espinhas de peixe; os cães uivam de forma inusitada e os gansos grasnam como se alguém invisível os quisesse apanhar pelo pescoço. Um destes dias fiquei surpreso: O ganso Xiritungue 1 aproveitando a minha presença na limpeza do seu mukifo, vulgo galinheiro, confidenciou-me que um ser robusto, de pele branca amarelada, feito mancha escura, saltou a cerca usando suas mãos desproporcionadamente grandes, tal como os pés. Seus ralos cabelos brancos engancharam nos picos ferrugentos enquanto sua barba se derramava feita gelatina pelo peito repleto de caroços; do olho direito só tinha um sinal escuro, seu nariz era achatado e as verrugas da testa enraizavam dando volta ao pescoço até à corcunda das costas; de boca grande e sem dentes soprava para mim dum modo assustador, estava totalmente desnudo.

  Akasha é o princípio original, espaço cósmico, o éter dos antigos, o quinto elemento cósmico (quintessência), a quinta ponta do pentagrama. É o substrato espiritual primordial, aquele que pode se diferenciar. Segundo a teosofia relaciona-se com uma força chamada. Eliphas Levi o chamou de luz astral. No paganismo, o Akasha, também chamado de Princípio Etérico, corresponde ao espírito, à força dos Deuses. É representado no Hermetismo, segundo Franz Bardon, pelo Ovo negro, sendo um dos cinco Tattwas constituintes do Universo. É um lugar, o elemento éter. Também significa energia universal.

 Até o menino Jesus iria ter medo desta assombração concluiu o Xiritung 1, já arrependido face à minha compreensível estupefacção. De tão estranha visão dum ganso, sobrou a dúvida de se aquilo descrito era um diabo ou simplesmente um sonho maquiavélico. Tive de fazer um apelo ao meu anjo Akasha para soprar para bem longe tal figura de medo, muito para além do éter teosófico de escuras catacumbas dum suposto purgatório. Ainda agora, um dia de sol deslumbrante, tal figura, me dá arrepios de frio! Consultando o meu velho amigo Januário Pieter, este esboçou um sorriso e disse: – esse espírito corresponde a um corpo com deficiências, falta de amor e num total abandono por seus mais próximos; está preso a esse corpo por indignação com seus malfeitores; Seu perispírito recebe os reflexos do físico, disse ele. Só tens que ter compaixão sem demonstrares medo, pena ou choro e não te deves emocionar por tal visão. Sê optimista e se porventura te aparecer, diz-lhe de verdade que o amas, mantendo o teu optimismo. Dando por finda tal explicação, da qual só entendi “nadica de nada” Pieter evaporou-se nos ares. E, por aqui fiquei com os meus melhores fluidos, meu carinho e, o que melhor tinha dentro de mim na visão de kalunga.   

  

GLOSSÁRIO: Kianda: - Espírito das águas na forma de sereia, ritos de Angola, fantasma, holograma; Ongweva: saudade em português (Umbundo); Kalunga: - divindade abstracta podendo ter a forma humana que preside ao reino dos mortos, em Umbundo é um Deus, em Kimbundo é o mar, sereia na forma de homem musculoso tipo o Adamastor dos Lusíadas.

Januário Pieter:- Um personagem amigo, um sábio que me assiste e complementa conhecimentos...Um fantasma feito guia Kalunga; o homem que nasce da morte metaforizada com mais de 300 anos.

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:27
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Terça-feira, 21 de Maio de 2013
MUXIMA . XXIX

ANGOLA . NITO ALVES HISTORIA DA GUERRA CIVIL . 1ª de 2 partes

As escolhas de

 KIMBOLAGOA

Por

Nell Teixeira Nell Teixeira                   

Tempo que foge 27 de Maio de 1987

Nito Alves  foi ministro do Interior de Angola desde a independência em 11 de Novembro de 1975, até à data em que o presidente Agostinho Neto aboliu o cargo em Outubro de 1976. Fazia parte da linha dura do Movimento Popular de Libertação de Angola e tornou-se conhecido internacionalmente devido ao golpe de estado falhado, conhecido por Fraccionismo, de que foi mentor em 1977 . Nito Alves opunha-se a Agostinho Neto nos temas da política externa de não-alinhamento, socialismo evolutivo e multiracialismo.

 O dia 27 de Maio de 1977 ainda é tema tabu em Angola. O que mais parece chocar na repressão que se seguiu à alegada tentativa de golpe de Estado contra o primeiro presidente angolano após a independência, Agostinho Neto, é que as vítimas não foram inimigos do governo – mas sim membros do MPLA, partido no poder e, assim, da própria família política da direcção do país. O desconhecimento sobre o que aconteceu às vítimas da repressão do regime do Presidente Agostinho Neto, nos dias que se seguiram ao que terá sido uma tentativa de golpe, corrói. O cálculo dos mortos varia. A Amnistia Internacional fala em 40 mil, o jornal angolano Folha 8, em 60 mil e a chamada Fundação 27 de Maio em 80 mil. Fontes da DISA (Direcção de Informação e Segurança de Angola) referem-se a 15 mil mortos. Se nos ficarmos pela média, pelos 30 mil, são dez vezes o número de mortos do Chile dos anos 1970 de Augusto Pinochet, na própria família política o MPLA. Sem julgamento.

Ela deu ao horror um rosto. Sitta Vales foi fuzilada às 5 da manhã de 1 de Agosto de 1977. Um tiro em cada perna, um tiro em cada braço, o corpo caiu na vala previamente aberta antes de ser dado o tiro de misericórdia. O corpo, ou o que dele restava: Sita Valles havia sido torturada e violada múltiplas vezes pelos homens da DISA. Rebelde até ao último minuto, recusou a venda e obrigou os homens do pelotão de fuzilamento a enfrentarem o seu olhar. A portuguesa, nascida em Cabinda, tinha então 26 anos e trocara uma vida confortável em Portugal e um curso de medicina para regressar a Angola, país que considerava ser o seu e para defender a ortodoxia soviética em supostos tempos de democracia.

 Sita Valles é talvez a mais conhecida das vítimas da purga do MPLA – ela, o marido José Van Dunem, comissário político do Estado-maior e Nito Alves, ex-ministro do Interior. Mas, de uma forma ou de outra, a repressão que se seguiu ao 27 de Maio de 1977 deixou marcas na vida de grande parte dos angolanos, relata o jornalista independente William Tonet. “Directa ou indirectamente, a maior parte dos angolanos daquele tempo está envolvida no 27 de Maio. Eu estive envolvido no 27 de Maio, a minha família esteve envolvida, a partir do meu pai, que foi preso. Dois tios meus estiveram presos e foram enterrados vivos, sem qualquer tipo de julgamento”, disse Tonet, em entrevista à Deutsche Welle. “Matemática e juridicamente falando, eu ainda estou preso”, denunciou o angolano. “Porque a gente não tem formalizado, sequer, nenhum mandado de soltura, como não tem nenhuma acusação.

Muxima: saudade; que vem do coração; ongweva; lugar nobre; Nossa Sra das margens do Kwanza.  

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 01:07
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 20 de Maio de 2013
MOKANDA DA LUUA . XIV

ANGOLA EM MUDANÇA - " Ontem já era tarde! "

As escolhas de

 KIMBOLAGOA

Fonte: Jornal de Noticias 

   O líder da UNITA, principal partido da oposição em Angola, Isaías Samakuva, alertou, esta sexta-feira, em Madrid, para o risco de um novo conflito sangrento caso não haja democracia no país. Samakuva está em Madrid no âmbito de uma viagem a vários países para pedir à comunidade internacional pressão sobre o Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, no sentido de se cumprir os acordos de paz que puseram fim à guerra civil e continuar a aprofundar o processo democrático, o que, de acordo com o líder partidário, está a sofrer uma reviravolta.
 O presidente da UNITA, citado pela agência EFE, denunciou a falta de liberdade e corrupção no país, e acrescentou que os recursos nacionais, especialmente da indústria de diamantes e petróleo, só beneficiam "um pequeno grupo de dirigentes". Para Samakuva, a UNITA tem servido de "contenção" e considerou que uma revolta em Angola "faria correr muito sangue" e "desencadearia um conflito de dimensões imprevisíveis". "É melhor superarmos isto com o diálogo do que entrar novamente em conflito, o que destruiria o progresso que temos alcançado", disse.
Opinião: Sabe-se que Angola é um país rico em recursos naturais; desde o fim da guerra civil em 2002, que apresenta um forte crescimento económico mas, a distribuição de riqueza, em nada beneficia o povo; passados quase 40 anos e, tendo um património com infra-estruturas cedidas a troco de nada, o actual presidente J. E. Santos remete culpas à administração colonial; uma afirmação inaudita de monstruosa. É tempo de o mundo chamar os bois por seus nomes e retirá-los da manada. O governo do M, "não beneficia as pessoas, não garante ao cidadão água na cidade de Luanda tão cheia de aberrantes mordomias, nem um sistema de saúde que funcione no mínimo de perfeição". Ontem já era tarde! O Eduardo dos Santos deve ser corrido e os bens dele e da filha devem ser confiscados! Se, assim não for, em Angola, mais tarde ou mais cedo, irão andar a matar-se uns aos outros na ânsia do poder. O enclave de Cabinda tornar-se-há por direito, independente. Força Unita, Flec ou qualquer outro movimento: - É forçoso acabar com esses corruptos. Por detrás daquela marginal adulterada de Luanda, só para inglês ver, é a miséria que prolifera.
Soba T´Chingange


PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:05
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 19 de Maio de 2013
A CHUVA E O BOM TEMPO . XXVIII

BRASIL CARINHOSOCarta a Dilma, a presidentA . 2ª de 6 Partes

As escolhas de

 KIMBO LAGOA    

      A professora Martha de Freitas Azevedo Pannunzio, de 74 anos, é de Uberlância. Ela escreveu uma carta para a presidente Dilma que foi entregue em mãos. Vale a pena ler. É a voz de quem não se cala e não consente - Fazenda Água Limpa, Uberlândia, em 16-05-2012 

Em 1988 a Assembleia Nacional Constituinte, numa queda-de-braço espectacular, legou ao Brasil uma Carta Magna bastante democrática e moderna. No seu art. 5º está escrito que todos são iguais perante a lei. Aí, quando o PT foi ao paraíso, ele completou esta disposição, enfiando goela abaixo das camadas sociais pagadoras de imposto seu modus governandi a partir do qual todos são iguais perante a lei, menos os que são diferentes: os beneficiários das cotas e das bolsas-esmola. A partir de vocês. Sr. Luís Inácio e dona Dilma, negro é negro, pobre é pobre e miserável é miserável. E a Constituição que vá para a pqp. Vocês seleccionaram estes brasileiros e brasileiras, colocaram-nos no tronco, como eu faço com o meu gado, e os marcaram com ferro quente, para não deixar dúvida de que são mal-nascidos. Não fizeram propriamente uma exclusão, mas fizeram, com certeza, publicamente, uma apartação étnica e social.

 E o PROUNI se transformou num balcão de empréstimo pró escolas superiores particulares de qualidade bem duvidosa, convalidadas pelo Ministério de Educação. Faculdades capengas, que estavam na UTI financeira e deveriam ter sido fechadas a bem da moralidade, da ética e da saúde intelectual, empresarial, cultural e política do País. A Câmara Federal endoidou? O Senado endoidou? O STJ endoidou? O ex-presidente e a actual presidentA endoidaram? Na década de 60 e 70 a gente lutou por uma escola de qualidade, laica, gratuita e democrática. A senhora disse que estava lá, nesta trincheira, se esqueceu disto, dona Dilma? Oi, por favor, alguém pare o trem que eu quero descer!

 Uma escola pública decente, realista, sintonizada com um País empreendedor, com uma grade curricular objectiva, com professores bem remunerados, bem preparados, orgulhosos da carreira, felizes, é disto que o Brasil precisa. Para ontem. De ensino técnico, profissionalizante. Para ontem. Nossa grade curricular é tão superficial e supérflua, que o aluno chega ao final do ensino médio incapaz de conjugar um verbo, incapaz de localizar a oração principal de um período composto por coordenação. Não sabe tabuada. Não sabe regra de três. Não sabe calcular juros. Não sabe o nome dos Estados nem de suas capitais. Em casa não sabe consertar o ferro de passar roupa. Não é capaz de fritar um ovo. O estudante e a estudantA brasileiros só servem para prestar vestibular, para mais nada. E tomar bomba, o que é mais triste.

Opção de

Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:28
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 18 de Maio de 2013
MUJIMBO . XLII

As escolhas de

 KIMBO LAGOA                       

ANGOLA EM FOCO - Aos Bwé Lixados Cá & Lá! . XII

Opção de

 ISOMAR PEDRO GOMES

A política é a arte de fazer curvas ou descrever linhas quebradas mantendo a rectilidade, recuar e avançar (ganhar e perder/dar e receber), a arte de equilíbrio, negociação ininterrupta, adaptação constante, prestidigitador, pintar bravamente no horizonte e com imaginação a proximidade da aurora mesmo quando esta, ainda se encontra distante. Proclamar ainda hoje que a chamada ajuda Cubana (civil e militar) a Angola, nos difíceis tempos do ‘mono’ foi desinteressada e que foi a magnânima materialização do célebre Internacionalismo do Proletariado, ou ainda chamar os EUA inimigo dos povos oprimidos, e a Rússia (herdeira da extinta URSS) em parceria com a China amigos dos povos oprimidos; (Proclamações ratificadas no século passado), é no mínimo lembrar o comediante Calado Show!

 Lição a reter; tudo é mutável nada é estático. Bwé Lixado Porque Zeca? Tenho acompanhado com preocupação, os comentários de certos indivíduos nas redes sociais, a mencionarem artigos de opinião principalmente de um certo “Zeca Bwé Lixado de Lisboa”, que se aproveita de ‘qualquer coisa’ para chamar “assassinos” ao partido UNITA e individualmente chamar de “Kwacha de merda!” algum outro comentarista que emite opinião contraria a sua e outros epítetos obscenos, que bravura! Comodamente acoitado em Lisboa, de outro modo não podia ser! Sob a cobertura de “um heróico” pseudónimo, se é que assim se pode chamar ao seu anacrónico apodo; “Zeca bwé lixado”.
 Pelos vistos deve estar a ranger de dentes, bwé lixado com a paz “que estamos com ela” (por isso em Lisboa), está bwé lixado pelo calar das armas, por isso a ansiedade doentia de semear a discórdia e instilar o ódio e tendo como alvo preferencial um dos partidos angolano legalmente implantado no panorama político nacional, que por sinal foi um dos actores da guerra “que estivemos com ela” de triste memória (a-propósito; com que oculta e malvada intenção o tal de ‘bwé lixado’ assim procede?), certamente vai dar uma de vitima e citar que perdeu familiares durante o longo conflito armado que caracterizou o passado recente de Angola. Quem não perdeu familiares? Conheço uma mãe no Huambo, que perdeu 9 filhos e o marido, hoje vive irremediavelmente só, mas a Heróica senhora, não nutre nem destila ódio de qualquer espécie.

(continua...)

Subscreve:

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:57
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sexta-feira, 17 de Maio de 2013
N´NHAKA . VIII

ANGOLA - Riqueza de recursos e bem-estar social . I

 

As escolhas de

 KIMBO LAGOA                                   

Relatórios do Banco Mundial. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD)

Angola é um país de duas ou múltiplas realidades. O Africa Progress Panel (APC), presidido por Kofi Annan, centra-se nas duas que contribuem para aquilo que diz ser um gritante paradoxo – por ser o país que ilustra "de forma mais poderosa a divergência entre ", conclui o Africa Progress Report 2013, um estudo publicado em Maio, desde 2008.

 Kofi Annan

O relatório, intitulado Equidade nos recursos – Em prol das riquezas naturais de África para todos, é obra dum painel de dez influentes personalidades liderado pelo ex-secretário-geral da ONU e Nobel da Paz Kofi Annan. Estão lá, entre outros, Michel Camdessus, ex-director-geral do FMI; Olusegun Obasanjo, antigo Presidente da Nigéria; Graça Machel, ex-primeira dama de Moçambique e mulher de Nelson Mandela, fundadora do grupo Whatana Investments ou da Fundação para o Desenvolvimento da Comunidade em Moçambique; o músico irlandês Bob Geldof ou o fundador da Transparency International Peter Eigen.
 O documento de 120 páginas conclui que a desigualdade se mantém, por ausência de políticas que a combatam, e impede que o crescimento em países ricos em recursos reduza a pobreza, Angola tem um dos padrões mais desiguais de distribuição do rendimento e é citado como “um dos exemplos mais acabados” de um cenário em que a actividade das empresas do Estado se esconde por trás de um sistema financeiro opaco, não cumpre regras mínimas de transparência e beneficia figuras públicas ou políticas. Angola, sobressai igualmente pelos fracos índices de desenvolvimento. A taxa de mortalidade infantil, até aos cinco anos, está no topo da lista: é a oitava maior do mundo, com 161 mortes em 1000 crianças por ano, o que representa 116 mil mortes todos os anos.

 E isto, lembra o documento, quando Angola é o segundo país exportador de petróleo da África subsariana e o quinto produtor mundial de diamantes e está entre o terço (de países) que mais cresceram entre 2000 e 2011 no mundo. Em 2012, ultrapassou a taxa de crescimento da China. Na última década, cresceu a uma taxa média de 7% e o rendimento médio mais do que duplicou.  O efeito foi praticamente nulo na forma como a maioria da população continua a viver. “Enquanto a elite angolana usa o rendimento do petróleo para comprar activos no estrangeiro, em Angola as crianças passam fome”, nota o relatório. A subnutrição explica um terço das mortes de crianças, esclarece.

N´nhaka: - Do Umbundo, lameiro, plantação junto aos rios e em zona plana e húmida, horta.

Selecção de: Isomar Pedro Gomes

As opções de

Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:08
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 16 de Maio de 2013
PUTO . XXXII

PONTO DE VISTANa “quentura do círculo"

MUITO SÉRIO E GRAVE

António Marinho e Pinto, Bastonário da Ordem dos Advogados: Austeridade e privilégios, no Jornal de Notícias. Excertos: É preciso que a mensagem passe, contra os privilégios absurdos de alguns, que se estão nas tintas para a Crise (dos outros)...

 António Marinho Pinto

«[...] O primeiro-ministro, se ainda possui alguma réstia de dignidade e de moralidade, tem de explicar por que é que os magistrados continuam a não pagar impostos sobre uma parte significativa das suas retribuições; tem de explicar por que é que recebem mais de sete mil euros por ano como subsídio de habitação; tem de explicar por que é que essa remuneração está isenta de tributação, sobretudo quando o Governo aumenta asfixiantemente os impostos sobre o trabalho e se propõe cortar mais de mil milhões de euros nos apoios sociais, nomeadamente no subsídio de desemprego, no rendimento social de inserção, nos cheques-dentista para crianças e - pasme-se - no complemento solidário para idosos, ou seja, para aquelas pessoas que já não podem deslocar-se, alimentar-se nem fazer a sua higiene pessoal. O primeiro-ministro terá também de explicar ao país por que é que os juízes e os procuradores do STJ, do STA, do Tribunal Constitucional e do Tribunal de Contas, além de todas aquelas regalias, ainda têm o privilégio de receber ajudas de custas (de montante igual ao recebido pelos membros do Governo) por cada dia em que vão aos respectivos tribunais, ou seja, aos seus locais de trabalho.

 Zé Povinho

Se o não fizer, ficaremos todos, legitimamente, a suspeitar que o primeiro-ministro só mantém esses privilégios com o fito de, com eles, tentar comprar indulgências judiciais.» "A vida corre atrás de nós para nos roubar aquilo que em cada dia temos menos."

As escolhas de

 T´chingange

 



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:24
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quarta-feira, 15 de Maio de 2013
MUSSENDO DO PUTO . XXVIII

As escolhas de

 KIMBO LAGOA                       

ANGOLA - UM HOTEL DE MIL ESTRELAS – 2º de 3 Partes

Por
 Dy – Dionísio de Sousa  (Reis Vissapa)

No hotel do Teixeira no Menongue, antiga Serpa Pinto, no Chungoroi, no Coporolo, mais tarde no Setenta e Cinco antes do Uche, terra da Elvira que candongava peixe seco e quando foi engaiolada foi levada para Benguela mas pelo caminho libertou-se de todas as malas, desfazendo-se assim do móbil do crime, não podendo ser acusada. Histórias de encanto que eram desfiadas como missangas coloridas e que no tempo se tornavam lendas, que hoje contamos aos nossos filhos e netos. O franguinho era depenado sem reservas independentemente da hora e aterrava nas mesas de madeira maciça de mucibe, em forma de churrasco.

 Depois o café de saco, o nosso hospedeiro escutando pacientemente uma peripécia qualquer da nossa viagem, as pálpebras teimosamente descaindo, sem reclamações sem acréscimos de preço ou má disposição, aguardando a hora de nos indicar o quarto para a pernoita. Eram lindos esses hotéis de pátio interior onde os mamoeiros projectavam sombras esguias pelo chão, rebordados com alpendres estupidamente denominados de coloniais, como se um alpendre pudesse ser estigmatizado dessa forma.

 Chaves desnecessárias abrindo portas simbólicas para quartos simples. Um lavatório esmaltado repousando numa armação de ferro, garantia juntamente com um jarro do mesmo material as abluções matutinas e sempre a postos a um canto, aparentando um pinguim imperador sem cabeça, um leão da Rodésia para qualquer eventualidade intestinal, tudo isto tão simples como o naco de sabão macaco que acompanhava as chaves do aposento. Pela manhã acordar com a chinfrineira que os bicos de lacre faziam nas gaiolas do Pinheiro o furriel que se apaixonou simultaneamente pela Tina e pelo Roçadas e com quem partilhei as avezinhas fritas em tardes de copos e alegria no hotel do Ferreira, Ah pois porra, porra, porra, o pai da Lela e de outros tantos meninos que edificaram no exílio um Xangongo novo ali na Ribeira ao pé de São Brás.

Opção do

Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:09
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Terça-feira, 14 de Maio de 2013
A CHUVA E O BOM TEMPO . XXVII

BRASIL CARINHOSOCarta a Dilma, a presidentA . 1ª de 6 Partes

As escolhas de

 KIMBO LAGOA

      A professora Martha de Freitas Azevedo Pannunzio, de 74 anos, é de Uberlância. Ela escreveu uma carta para a presidente Dilma que foi entregue em mãos. Vale a pena ler. É a voz de quem não se cala e não consente.

Martha Pannunzio, é formada em letras neolatinas pela Universidade Mackenzie, em São Paulo, e em comunicação visual e artes pela Universidade Federal de Uberlândia. Foi durante 31 anos professora de latim, francês e português, e se especializou em técnicas de redação e literatura infanto-juvenil. É produtora rural, socialista e agnóstica. É contadora de histórias e desenvolve em sua fazenda, onde reside, os Programas CERRADO E LETRAS e Projeto BICHO DO MATO.

Bom dia, dona Dilma! Eu também assisti ao seu pronunciamento risonho e maternal na véspera do Dia das Mães. Como cidadã da classe média, mãe, avó e bisavó, pagadora de impostos escorchantes descontados na fonte no meu contra-cheque de professora aposentada da rede pública mineira e em cada Nota Fiscal Avulsa de Produtora Rural, fiquei preocupada com o anúncio do BRASIL CARINHOSO. Brincando de mamãe Noel, dona Dilma? Em ano de eleição municipalista? Faça-me o favor, senhora presidentA! É preciso que o Brasil crie um mecanismo bastante severo de controlo dos impulsos eleitoreiros dos seus executivos (presidente da república, governador e prefeito) para que as matracas de fazer voto sejam banidas da História do Brasil.
 Setenta reais per capita para as famílias miseráveis que têm filhos entre 0 a 06 anos foi um gesto bastante generoso que vai estimular o convívio familiar destas pessoas, porque elas irão, com certeza, reunir sob o mesmo tecto o maior número de dependentes para engordar sua renda. Por outro lado mulheres e homens miseráveis irão correndo para a cama produzir filhos de cinco em cinco anos. Este é, sem dúvida, um plano quinquenal engenhoso de estímulo à vagabundagem, claramente expresso nas diversas bolsas-esmola do governo do PT.

 É muito fácil dar bom dia com chapéu alheio. É muito fácil fazer gracinha, jogar para a plateia. É fácil e é um sintoma evidente de que se trabalha (que se governa, no seu caso) irresponsavelmente. Não falo pelos outros, dona Dilma. Falo por mim. Não votei na senhora. Sou bastante madura, bastante politizada, sobrevivente da ditadura militar e radicalmente nacionalista. Eu jamais votei nem votarei num petista, simplesmente porque a cartilha doutrinária do PT é raivosa e burra. E o governo é paternalista, provedor, pragmático no mau sentido, e delirante. Vocês são adeptos do quanto pior, melhor. São discricionários, praticantes do bullying mais indecente da História do Brasil.

Opção do

Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:49
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 13 de Maio de 2013
PARACUCA . VII

KIANDA COM ONGWEVA - III . Espírito com saudade

Por

       SOBA T´CHINGANGE 

Aqui no sítio, há de momento, 2 cães, Raíy e Rex, um casal de gansos, xiritungue 1 e xiritungue 2, o galo granizé pavaroti, a galinha pequena e branca, branquinha, e a galinha pedrês Leandra que de dois em dois dias me dá um ovo de casca cor de terra avisando-me com um cacarejar característico. Pela manhã o cheiro do café santa clara inunda a cozinha, aposentos da casa grande, varanda do pambu N´jila, quintal, o bananal e coqueiral, dando uma especial combinação com as flores de jasmim que circundam a área de janelas e a maresia soprada pelo vento bolina da kalunga do Francês. As pererecas, ao cair da noite fazem sinfonia com os ralos e grilos que com agudos silvos intercalam o latido dos cães sedentos de liberdade que ladram ao cio fora de muros e portas. Em qualquer recanto do sítio N´jila há uma lagartixa a vigiar nossa azáfama, de cor escura e tamanhos variados limpam o espaço de pequenos e indesejáveis insectos, formigas e detritos caídos por descuido.

 E, pelo espaço da pequena chácara há também duas mangueiras, uma fruta de conde, uma graviola, uma acerola, uma goiabeira, várias pitangueiras e uns quantos mamoeiros de variadas espécies. Uns pés de mandioca rematam o canto junto ao canil e bomba do poço que retira água de entre quatro a oito metros de profundidade. No canto da casa do caseiro existe um alto pé de abacate sombreando o pátio de entre casa grande e casa do caseiro.

 Logo ao levantar, fazendo o café, sorvia a fumaça bem por cima do bule já amachucado e surrado em castanho pelo muito uso; nos meus afazeres assobio o fado “as pedras da calçada” e, sempre que o faço, os gansos xiritungue respondem com grasnados em mi maior com sustenidos de guinchos estridentes sonorizando ecos que crescem pela estreita passagem do anexo do caseiro e os altos muros enfeitados de picos ferrugentos e gangrenosos. Por tudo isto, o sítio foi baptizado por Januário Pieter de Pambu N´jila, após se ter deleitado com o saltitar do beija-flor, o cantar do bem-te-vi, o planear dum gavião primo do carcará e o saltitar pelos muros dum preto pássaro a que chamamos de viuvinha por seu comprido rabo parecer uma cauda de noiva; aos bandos ondulando o voo gratificavam-nos em bem-estar. De tempos a tempos surgem bandos de urubus a bicar os sacos de lixo com restos de carniça ou espinhas de peixe; São em verdade os verdadeiros catadores de coisas putrefactas.   

 

GLOSSÁRIO: KIANDA: - Espírito das águas na forma de sereia, ritos de Angola, fantasma, holograma; ONGWEVA: saudade em português; Pambu N´jila: - Espaço místico, agente de ligação entre o espaço físico e místico, encruzilhada elo que liga os seres aos Minkisi, os elementos fogo, água, ar e terra; Kalunga: - divindade abstracta podendo ter a forma humana que preside ao reino dos mortos, em Umbundo é um Deus, em Kimbundo é o mar, sereia na forma de homem musculoso tipo o Adamastor dos Lusíadas.

Januário Pieter:- Um personagem amigo, um sábio que me assiste e complementa conhecimentos...Um fantasma feito guia Kalunga; o homem que nasce da morte metaforizada com mais de 300 anos.

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:20
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 12 de Maio de 2013
BRASIL EM 3 PENADAS . XLII

AS ESCOLHAS DO KIMBO 

BRASILA falta de transparência no processo judicial . I

Por 

 Jorge Serrãoserrao@alertatotal.net

O Super Barbosa do STF volta a provocar faniquitos na petralhada. O medinho dos petralhas é que a versão pós-moderna e mais light do “Homem da Capa Preta”, sem a metralhadora Lurdinha a tiracolo, acabe saindo candidato a Presidente da República contra Dilma Rousseff.

 J. Barbosa

J. Barbosa já cansou de avisar que não tem pretensões políticas mas, o pavor petralha aumentou ainda mais, depois do discurso anti-político e anti-corrupção do Super Barbosa, em um congresso da Unesco sobre liberdade de imprensa, em São José, na Costa Rica. Inegavelmente, mesmo que não tenha tal intenção, o discurso de Joaquim Barbosa é o de um super-candidato a Presidente. Só um outro herói em nosso imaginário popular, o Coronel Nascimento (em Tropa de Elite II), conseguiria tocar em assuntos que a maioria da opinião pública deseja escutar e aplaudir.

O Super J. Barbosa, criticou o tratamento privilegiado que a Justiça dá aos políticos corruptos. Também reclamou do excesso de recursos judiciais para quem desrespeita a lei. Condenou a falta de transparência no processo judicial brasileiro. E constatou que o Brasil é um País que pune muito os pobres, os negros e pessoas sem conexões. Foi uma retórica justa e perfeita para um candidato a lutar contra a petralha na eleição de 2014.

 

 

 O jornal O Globo pinchou algumas das contundentes pregações do Super Barbosa. A maioria delas faz parte do senso comum daquilo que o cidadão-eleitor-contribuinte deseja ouvir. Vale repeti-las aqui para uma análise posterior: Abramos aspas para o Super Barbosa: O Brasil, como a maior parte da América Latina, tem problemas culturais para resolver que impactam no Judiciário. Por exemplo, a concepção equivocada de igualdade. As pessoas são tratadas de forma diferente de acordo com seu status, sua cor de pele e o dinheiro que têm. Tudo isso tem um papel enorme no sistema judicial e, especialmente, na impunidade”.

(Continua…)

Visto sem prego nem estopa por

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 01:11
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 11 de Maio de 2013
MUJIMBO . XLI

Escolhas de

Kimbo Lagoa 

ANGOLA EM FOCO –  O DIÀLOGO! .  XI

Opção de

 ISOMAR PEDRO GOMES

A digressão ao exterior (diplomacia de contenção), empreendida pelos líderes das duas maiores formações politicas da oposição, impunha-se… faz tempo!

 O MPLA e o seu "Zécutivo" recusa-se despatrióticamente a buscar consensos com as outras formações politicas. Eles é que mandam, sabem tudo, determinam e podem! O resto apenas têm que cumprir... É isto Governar?! Eles (M e o Zécutivo) alardeiam nos "principais auditórios internacionais" que o que decorre em Angola, é Democracia. Assim impunha-se informar com verdade a triste realidade que "se está a viver". E, não obstante todo este panorama, ainda há gente a bajular ou omitir via FB a ruindade destes Metralhas, censurando ou eliminando artigos de opinião da verdade.

 A Luanda esquecida

 - Corrupção como marca governativa. - Parlamento manietado, ARROGÂNCIA politica, Tribunais politizados. - Falta de liberdade de expressão. - Imprensa impiedosamente amordaçada. - Prisões ilegais. - Perseguição politica. - Aparelho administrativa do Estado exageradamente partidarizado. - Sindicatos débeis. -etc. etc... O mais recente acto de JES em nomear a comissão para a história do País, indivíduos apenas de uma cor partidária, põe a nu a irracionalidade dos dirigentes deste País. É notório que não têm a mínima vontade de empreender um convívio político salutar, para o bem da nação. Um ditado popular na língua Kimbundo, diz o seguinte; "Quando não se consegue falar com o 'cabeça' da família, conversa-se com os vizinhos com quem ele convive".

(continua...)

Nota: O sublinhado é da autoria e responsabilidade do Soba

Subscreve:

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 02:02
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sexta-feira, 10 de Maio de 2013
MOKANDA DA LUUA . XIII

AS ESCOLHAS KIMBO

ANGOLA - Bloqueados 100 milhões de US dólares ao Presidente Angolano  - I

"Suíça ameaça cleptocracia mundial" - A bomba esta aí. O que fazer? O poder do dinheiro também cai... 
"Há dez anos que os tribunais suíços iniciaram um longo processo para bloquear os fundos depositados nos seus bancos por ditadores e políticos corruptos de todo o mundo, cujas fortunas, por vezes colossais, foram obtidas através da espoliação de bens públicos pertencentes aos povos que governam, usando para tal os mais diversos expedientes de branqueamento de capitais. O processo começou em 1986 com a devolução às Filipinas de 683 milhões de dólares roubados por Ferdinando Marcos, bem como a retenção dos restantes 356 milhões que constavam das suas contas bancárias naquele país. Prosseguiu depois com o bloqueamento das contas de Mobutu e Benazir Bhutto. Mais tarde, em 1995, viria a devolução de 1236 milhões de euros aos herdeiros das vítimas judias do nazismo.


Com a melhoria dos instrumentos legais de luta contra o branqueamento de capitais, conseguida em 2003 (também em nome da luta contra o terrorismo), os processos têm vindo a acelerar-se, com resultados evidentes: 700 milhões de dólares roubados pelo ex-ditador Sani Abacha são entregues à Nigéria em 2005; dos 107 milhões de dólares depositados em contas suíças pelo chefe da polícia secreta de Fujimori, Vladimiro Montesinos, 77 milhões já regressaram ao Peru e 30 milhões estão bloqueados; os 7,7 milhões de dólares que Mobutu depositara em bancos suíços estão a caminho do Zaire; mais recentemente, foram bloqueadas as contas do presidente angolano José Eduardo dos Santos, no montante de 100 milhões de dólares.


 É caso para dizer que os cleptocratas deste mundo vão começar a ter que pensar duas vezes antes de espoliarem os respectivos povos. É certo que há mais paraísos fiscais no planeta, mas também é provável que o exemplo suíço contagie pelo menos a totalidade dos off-shores sediados em território da União Europeia, diminuindo assim drasticamente o espaço de manobra destas pandilhas de malfeitores governamentais. No caso que suscitou este texto, o bloqueamento de 100 milhões de dólares depositados em contas de José Eduardo dos Santos, presidente de Angola há 27 anos, pergunta-se: que fez ele para se tornar o 10º homem mais rico do planeta (segundo a revista Forbes).

Fonte: MOVIMENTO PARA A PAZ E A DEMOCRACIA EM ANGOLA

(Continua…)

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:26
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 9 de Maio de 2013
MUSSENDO DO PUTO . XXVIII

 AS ESCOLHAS KIMBO               

ANGOLA . CAPELONGO - UM HOTEL DE MIL ESTRELAS – 2º de 3 Partes

Por

 Dy – Dionísio de Sousa(Reis Vissapa)        

No hotel do Teixeira no Menongue, antiga Serpa Pinto, no Chungoroi, no Coporolo, mais tarde no Setenta e Cinco antes do Uche, terra da Elvira que candongava peixe seco e quando foi engaiolada foi levada para Benguela mas pelo caminho libertou-se de todas as malas, desfazendo-se assim do móbil do crime, não podendo ser acusada. Histórias de encanto que eram desfiadas como missangas coloridas e que no tempo se tornavam lendas, que hoje contamos aos nossos filhos e netos. O franguinho era depenado sem reservas independentemente da hora e aterrava nas mesas de madeira maciça de mucibe, em forma de churrasco.

 Depois o café de saco, o nosso hospedeiro escutando pacientemente uma peripécia qualquer da nossa viagem, as pálpebras teimosamente descaindo, sem reclamações sem acréscimos de preço ou má disposição, aguardando a hora de nos indicar o quarto para a pernoita. Eram lindos esses hotéis de pátio interior onde os mamoeiros projectavam sombras esguias pelo chão, rebordados com alpendres estupidamente denominados de coloniais, como se um alpendre pudesse ser estigmatizado dessa forma.

 Chaves desnecessárias abrindo portas simbólicas para quartos simples. Um lavatório esmaltado repousando numa armação de ferro, garantia juntamente com um jarro do mesmo material as abluções matutinas e sempre a postos a um canto, aparentando um pinguim imperador sem cabeça, um leão da Rodésia para qualquer eventualidade intestinal, tudo isto tão simples como o naco de sabão macaco que acompanhava as chaves do aposento. Pela manhã acordar com a chinfrineira que os bicos de lacre faziam nas gaiolas do Pinheiro o furriel que se apaixonou simultaneamente pela Tina e pelo Roçadas e com quem partilhei as avezinhas fritas em tardes de copos e alegria no hotel do Ferreira, Ah pois porra, porra, porra, o pai da Lela e de outros tantos meninos que edificaram no exílio um Xangongo novo ali na Ribeira ao pé de São Brás.

Opção do

Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 01:39
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quarta-feira, 8 de Maio de 2013
N´NHAKA . VII

PORTUGAL  EM MORTE LENTA - Pode um homem sozinho dar cabo de um país?

   AS ESCOLHAS DO KIMBO                         

Por

 Miguel Sousa Tavares in Expresso

  «Pode, se o deixarem à solta: é o que Vítor Gaspar está há quase dois anos a tentar fazer a Portugal. Ele dará cabo...do país e não deixará pedra sobre pedra se não for urgentemente dispensado e mandado regressar à nave dos loucos de onde se evadiu. (...) Gaspar não sabe sair do desastre em que nos meteu e, como um timoneiro de uma nave em rota de perdição, ele já não vê nem passageiros nem carga, ou empregos e vidas a salvar: prefere que o navio se afunde com todos e ele ao leme. Sem sobreviventes nem testemunhas. (...) Sim, incompetência: porque o mais extraordinário de tudo é pensar que Vítor Gaspar impôs ao país uma política de austeridade suicida que o conduziu a uma das maiores recessões da sua história e sem fim à vista e, em troca, não conseguiu as duas [coisas] que ele e os demais profetas da sua laia de fanáticos juravam ir alcançar sobre as ruínas do país: nem fez a reforma do estado nem controlou o crescimento da dívida pública – pelo contrário, perdeu-lhe o controlo. (...)


É assim que Vítor Gaspar governa o país, perante a aquiescência do primeiro-ministro e a cumplicidade do Presidente da república. Eles sustentam que tudo fará sentido e valerá a pena no dia em que Portugal regressar aos mercados. Não é um sonho, é um delírio: quanto mais o PIB cai mais sobe a dívida pública, calculada em percentagem do PIB. (...) Mesmo com um Governo italiano arrastando ainda e uma vez mais o fantoche de Berlusconi, mesmo com uma França chefiada pelo triste Hollande ou uma Espanha chefiada pelo incapaz Rajoy, mesmo com a Grécia de Samaras, a Europa do sul está finalmente a mover-se, por instinto de sobrevivência. Sem perder tempo, Lette foi direito à origem do mal: a Berlim e a Bruxelas.

 Ele não fará abalar Ângela Merkel nas suas convicções e interesses próprios e não conseguirá também fazer com que Durão Barroso deixe de oscilar conforme o vento, até ficar tonto. Mas, se conseguir unir o sul e juntar-lhe outros povos acorrentados pelos credores e condenados à miséria, enquanto o norte próspera sobre a ruína alheia, de duas, uma: ou a Europa se reconstrói como uma livre associação de Estados livres ou implode às mãos da Alemanha. Qualquer das soluções é melhor do que esta morte lenta a que nos condenaram. (...) É claro que nada disto dá que pensar a Vítor Gaspar, que vem de outro planeta e para lá caminha, nem a Passos Coelho, que estremece de horror só de pensar que alguém possa desafiar a autoridade da sua padroeira alemã. Nisso também tivemos azar: calhou-nos o pior país para viver esta crise. Mas este Governo vai rebentar, tem de rebentar. Porque a resposta à pergunta feita acima é não. Não, um homem sozinho não pode dar cabo de um país com quase nove séculos de história.»

As opções de

Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:12
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Terça-feira, 7 de Maio de 2013
T´XIPALA . XIII

ANGOLA - PARA PENSAR... 2ª de 2 Partes

Fonte: Club-k.net

Opções de

  Kimbo Lagoa 
T´XIPALA: - Fotografia, cara, rosto, personalidade, carácter

Lisboa – A conduta de censura que o Presidente da Assembleia Nacional Angolana, está a gerar interrogações. Foi o que revelou Fernando da Piedade Dias dos Santos, na VI reunião plenária realizada  quinta-feira, 25 de Maio, em Luanda.

 “Desde há muito que são solicitadas interpelações ao Executivo, nomeadamente aos pelouros da energia e águas e ao Ministério do Interior. Do lado da Assembleia Nacional Angolana nada ocorre, enquanto que do lado do Executivo se sorri convencidos da subalternidade a que esta casa esta a ser vetada, deliberadamente.” Denunciou Costa Júnior. Contou ainda que “À cerca de dois meses que o Grupo Parlamentar da UNITA requereu a realização de uma Comissão Parlamentar de Inquérito, perfeitamente fundamentada, para que todos conheçam os meandros das demolições que vitimam os angolanos – sendo o Kacuaco o mais recente dos casos – mas ninguém pestaneja! Não se permite inquirir o governo. E porque? Assim se anula a missão e as funções que a própria Constituição atribui a esta Assembleia.”

 REAÇÕES:

Tadeu Vunge : A oposição, deve saber que Nandó é um dos piores entre os criminosos e ladrões que o regime já teve; nunca ocupou nenhum cargo por se lhe rever qualidades mas sim, para impor regras a gosto do JES e o seu regime de que Nandó é mentor… Da DISA ao ministério do interior, Nandó, mesmo com grau de instrução inferior à 4ª Classe do tempo colonial, ocupou cargos que só um engenheiro ou doutorado, especialistas com cursos superior poderiam ocupar. Pela musculada astúcia e, por ser um potencial malandro, perito em artimanhas, chegou mesmo ao ponto de criar dificuldades a JES. Porque todos têm telhados de vidro, este, recebeu o posto de presidente daquele órgão como oferta de última instância. Num país de verdade onde vivem pessoas de bem, um criminoso não poderia assumir aquele posto ou mesmo ser chefe de uma cadeia, por isso, senhores chefes das bancadas da oposição, vocês só tem uma saída: - abandonarem em bloco aquela casa de ladrões.

Fernando Silva Graça : - Com tantos problemas internos (falta de água, luz e emprego por exemplo) o Parlamento (M) só quer falar dos habitats dos gorilas. Isto tem lógica? Estão a esconder e a fugir a quê? Que estranha forma de tapar o sol com essa antidemocrática peneira!  

Subscreve

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:33
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 6 de Maio de 2013
N´NHAKA . VI

Maravilha - A morte da executiva

   AS ESCOLHAS DO KIMBO     

SÓ PODE SER VERDADE 

  Max Gehringer - (Revista Exame):

Foi tudo muito rápido. A executiva bem-sucedida sentiu uma pontada no peito, vacilou, cambaleou. Deu um gemido e apagou-se. Quando voltou a abrir os olhos, viu-se diante de um imenso Portal. Ainda meio tonta, atravessou-o e viu uma miríade de pessoas. Todas vestindo cândidos camisolões e caminhando despreocupadas. Sem entender bem o que estava a acontecer, a executiva bem-sucedida abordou um dos passantes:

- Enfermeiro, eu preciso voltar com urgência para o meu escritório, porque tenho um meeting importantíssimo. Aliás, acho que fui trazida para cá por engano, porque o meu seguro de saúde é Platina, e isto aqui está a parecer-me mais a urgência dum Hospital público. Onde é que nós estamos?

- No céu.

- No céu?...

- É.

- O céu, CÉU...?! Aquele com querubins, anjinhos e coisas assim?

- Exacto! Aqui vivemos todos em estado de graça permanente.

Apesar das óbvias evidências, ausência de poluição, toda a gente a sorrir, ninguém a usar telemóvel,  a executiva bem-sucedida levou tempo a admitir que havia mesmo batido a bota. Tentou então o plano B: convencer o interlocutor, por meio das infalíveis técnicas avançadas de negociação, de que aquela situação era inaceitável. Porque, ponderou, dali a uma semana iria receber o bónus anual, além de estar fortemente cotada para assumir a posição de presidente do conselho de administração da empresa.

E foi aí que o interlocutor sugeriu: - Talvez seja melhor a senhora conversar com Pedro, o coordenador.

- É?! E como é que eu marco uma audiência? Ele tem secretária?

- Não, não. Basta estalar os dedos e ele aparece.

- Assim?  (...)

- Quem me chama?

A executiva bem-sucedida quase desabava da nuvem. À sua frente, imponente, segurando uma chave que mais parecia um martelo, estava o próprio Pedro.

Mas, a executiva tinha feito um curso intensivo de approach para situações inesperadas e reagiu logo:

- Bom dia. Muito prazer. Belas sandálias. Eu sou uma executiva bem-sucedida e...

- Executiva... Que palavra estranha. De que século veio?

- Do XXI. O distinto vai dizer-me que não conhece o termo 'executiva'?

- Já ouvi falar. Mas não é do meu tempo.

Foi então que a executiva bem-sucedida teve um insight. A máxima autoridade ali no paraíso aparentava ser um zero à esquerda em modernas técnicas de gestão empresarial. Logo, com seu brilhante currículo tecnocrático, a executiva poderia rapidamente assumir uma posição hierárquica, por assim dizer, celestial ali na organização.
- Sabe, meu caro Pedro. Se me permite, gostaria de lhe fazer uma proposta. Basta olhar para essa gente toda aí, só na palheta e andando a toa, para perceber que aqui no Paraíso há enormes oportunidades para dar um upgrade na produtividade sistémica.

- É mesmo?

- Pode acreditar, porque tenho PHD em reorganização. Por exemplo, não vejo ninguém usando identificação. Como é que a gente sabe quem é quem aqui, e quem faz o quê?

- Ah, não sabemos.

- Percebeu? Sem controlo, há dispersão. E dispersão gera desmotivação. Com o tempo isto aqui vai acabar em anarquia. Mas podemos resolver isso num instante implementando um simples programa de targets individuais e avaliação de performance.

- Que interessante...

- É claro que, antes de tudo, precisaríamos de uma hierarquização e um organograma funcional, nada que dinâmicas de grupo e avaliações de perfis psicológicos não consigam resolver.

- !!!...???...!!!...???...!!!

- Aí, contrataríamos uma consultoria especializada para nos ajudar a definir as estratégias operacionais e estabeleceríamos algumas metas factíveis de leverage, maximizando, dessa forma, o retorno do investimento do Grande Accionista... Ele existe, certo?

- Sobre todas as coisas.

Óptimo. O passo seguinte seria partir para um downsizing progressivo, encontrar sinergias high-tech, redigir manuais de procedimento, definir o marketing mix e investir no desenvolvimento de produtos alternativos de alto valor agregado. O mercado telestérico, por exemplo, parece-me extremamente atractivo.

- Incrível!

- É óbvio que, para conseguir tudo isso, teremos de nomear um board de altíssimo nível. Com um pacote de remuneração atraente, é claro. Coisa assim de salário de seis dígitos e todos os fringe benefits e mordomias da praxe. Porque, agora falando de colega para colega, tenho a certeza de que vai concordar comigo, Pedro. O desafio que temos pela frente vai resultar num Turnaround radical. 

- Impressionante!

- Isso significa que podemos partir para a implementação?

- Não. Significa que a senhora terá um futuro brilhante... se for trabalhar com o nosso concorrente. Porque acaba de descrever, exactamente, como funciona o Inferno...

N´nhaka: - Do Umbundo, lameiro, plantação junto aos rios e em zona plana e húmida, horta.

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:31
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 5 de Maio de 2013
PARACUCA . VI

KIANDA COM ONGWEVA - II . Espírito com saudade

Por

 E       SOBA T´CHINGANGE 

Andei uns dias a matutar no porquê da visita de Januário Pieter ao meu lugar de Pambu N´jila da Kalunga do Francês, da razão de me expor transcendências periclitantes do além, do sobre-mundo misterioso das kiandas. Não tenho vocação para viver entre pessoas de mal mas, obrigado a coabitar com eles, seguramente modifico-me com o aprendizado. Tento achar sempre uma maneira para falar com as pessoas; cada um é um ser especial, cada qual tem a sua própria estória de vida: quase todos querendo melhorarem, terem paz e serem felizes harmonizando o dia-a-dia de suas vidas com suas cruzes.

 Foi nesta reflexão que me soprou um vento cálido a lamber a orelha; pelo cheiro forte de jasmim, só podia ser a kianda Pieter feito um vento sussurroso: - Nós que vivemos no mundo espiritual, estamos aptos a fazer tarefas junto aos que estão no plano físico e de socorro; temos a nosso favor o facto de não precisarmos de nos alimentar, dormir e num ai, locomovermo-nos ao outro lado do mundo. E, embora o nosso dia tenha as mesmas 24 horas, só podemos fazer uma coisa de cada vez. Podemos trocar favores e até dar aulas aos defuntados que encontramos vagando. Muitas vezes não temos para dar o que a maioria dos que vagueiam almejam.

::::::::::::

 Pambu Njila é um Nkisi, nome pelo qual é conhecido,em candomblés de Nação Angola. Intermediário entre os seres humanos e o outros Nkisis. É o Senhor dos caminhos e dos começos. Guardião das aldeias e que tinha seu culto geralmente nas suas entradas. Na Mitologia Bantu - Mpambu em kikongo significa (Encruzilhadas) e N´jila (Caminho).

 Há defuntados que chegam aos meus abrigos querendo mordomias, desejando ser servidos, sem querer seguir regras ou normas, barafustando com ataques de nervos quando contrariados e, até há aqueles que querem partir tudo contrariados nos seus ataques de nervos; nem como massa inerte, num vácuo de nada, sem coeficiente de peso nem densidade: Januário Pieter, repentinamente e assim como veio, foi-se no exacto momento em que a galinha pedrês leandra de nome, fazia co-co-ro-có pela postura do seu décimo quinto ovo. Neste dia de muita chuva, o vento só agitou o espanta espíritos quando a kianda se foi embora.

GLOSSÁRIO: KIANDA: - Espírito das águas na forma de sereia, ritos de Angola, fantasma, holograma; ONGWEVA: saudade em português; Pambu N´jila: - Espaço místico, agente de ligação entre o espaço físico e místico, encruzilhada elo que liga os seres aos Minkisi, os elementos fogo, água, ar e terra; Kalunga: - divindade abstracta podendo ter a forma humana que preside ao reino dos mortos, em Umbundo é um Deus, em Kimbundo é o mar, sereia na forma de homem musculoso tipo o Adamastor dos Lusíadas.

Januário Pieter:- Um personagem amigo, um sábio que me assiste e complementa conhecimentos...Um fantasma feito guia Kalunga; o homem que nasce da morte metaforizada com mais de 300 anos. Criação do Soba

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:54
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 4 de Maio de 2013
MUSSENDO DO PUTO . XXVII

 AS ESCOLHAS KIMBO               

ANGOLA . CAPELONGO - UM HOTEL DE MIL ESTRELAS – 1º de 3 Partes

Por
 Dy – Dionísio de Sousa(Reis Vissapa)

Quando chegavam até nós os westerns americanos era raro aquele que não mostrava um “Saloon” ou um “Hotel” construído com a madeira retirada às grandes florestas da América do Norte, ostentando em letras garrafais essas designações em placas que abanavam com o vento ou no pórtico desses edifícios. Aguardávamos com ansiedade a cena de pancadaria entre os bons e os maus no interior do Saloon ou o beijo romântico do Kirk Douglas à sua amante num quarto de hotel. Esse néon importado dos States toldou-me e muito a visão que eu deveria ter do meu rincão, das gentes, dos lugares, das singelas pensões, dos hotéis de mil estrelas.

 Só a saudade e o tempo clarificam as ideias e estabelecem sem reservas aquilo que nos marcou no passado. Revelam-nos a verdadeira dimensão da perda e como borbulhas em taças de champanhe espevitam as nossas memórias e os nossos segredos. Posso afirmar que já cruzei centenas de camas em hospedarias de tudo quanto é lugar, das mais humildes, das mais rascas, das luxuosas e algumas até sumptuosas, mas nunca estive num hotel de mil estrelas como aqueles tão singelos e acolhedores do meu país da minha terra da minha gente maior.

 Era o coração que nos recebia quando alagados em poeira ou barro chegávamos a esses lugares de eleição despidos de preconceito ou vaidade, perdidos no mundo, em busca de cama e refeição. Não importava a hora nem a aparência, alguém abandonava o conforto dos colchões de palha de maçaroca para passar um café e bater um papo acolhedor com os viajantes tardios. Passei por isso na Pensão do Ganhão em Capelongo, no Xangongo no Hotel do Ferreira – Ah pois porra, porra, porra. - Na Pensão do velho Ferreira pai da minha querida amiga Maria Ferreira e do Sebastião, acho mesmo que os Ferreiras tinham tendência para este tipo de actividade.

Opção do

Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:23
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sexta-feira, 3 de Maio de 2013
T´XIPALA . XII

ANGOLA - PARA PENSAR... 1ª de 2 Partes

Fonte: Club-k.net

Opções de

  Kimbo Lagoa 
T´XIPALA: - Fotografia, cara, rosto, personalidade, carácter

Lisboa – A conduta de censura que o Presidente da Assembleia Nacional Angolana, está a gerar interrogações. Foi o que revelou Fernando da Piedade Dias dos Santos, na VI reunião plenária realizada  quinta-feira, 25 de Maio, em Luanda.

Nandó O consulado de Nandó como vice-presidente da República terminará na primeira quinzena de Setembro, altura em que  deverão ser empossados os membros do governo que emergirá das eleições de 31 de Agosto próximo. Nessa altura, Nandó passará o testemunho a Manuel Vicente, uma aposta pessoal de José Eduardo dos Santos não apenas como seu coadjutor mas provavelmente como seu sucessor na presidência da República. 

 “Nandó” que tem a reputação de ser um dos mais moderados Presidentes do parlamento que o pais já teve, tentou impor aos chefes das bancadas parlamentares o conteúdo das declarações políticas que são efectuados todos os três meses nos plenários. No entender de Fernando da Piedade “Nandó”, os discursos dos presidentes das bancadas parlamentares deveriam estar centrados na agenda da Assembleia que seria a abordagem da adesão de Angola nos acordos internacionais (Acordo para a Conservação dos Gorilas e seu habita).  Os partidos da oposição no parlamento rejeitaram a imposição e em reacção o mesmo aplicou censura, limitando o tempo e retirando/ desligando o som no momento em que os responsáveis das bancadas contrarias ao regime apresentaram os seus discursos.

 Adalberto da Costa Júnior, Vice- Presidente da bancada da UNITA, por exemplo, abandonou a sala quando lhe foi impedido de fazer a leitura da sua declaração política tendo feito numa conferência de imprensa à comunicação social. Aos jornalistas, o deputado revelou que “A Nossa Assembleia Nacional continua a ter apenas um plenário por mês, denotando alguma falta de produtividade, estando 7 meses depois, ainda a engatinhar com quase os mesmos assuntos que, sendo importantes, não serão os únicos com prioridade, quando poderíamos agendar assuntos de interesse nacional candente e que requereriam, certamente, a realização de mais de um plenário neste ou naquele mês. Mas isso não acontece porque parece-nos continuar aqui uma vontade férrea de travar a função fiscalizadora desta Assembleia. E isso é notório e caricato quando se continua a citar um certo despacho inconstitucional do anterior Presidente da Assembleia a proibir que a fiscalização se faça.”

Subscreve

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 01:31
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 2 de Maio de 2013
MUJIMBO . XL

Escolhas de

  Kimbo Lagoa 

ANGOLA EM FOCO  DISTRIBUIR MELHOR! . X

Opção de

 ISOMAR PEDRO GOMES . (22 de Abril 2013)

Como José Pedro de Morais chantageou Dos Santos .  Fonte: Club-k.net

Lisboa - Os relatos, em círculos de inteligência, segundo os quais o poder de imposição do Presidente José Eduardo dos Santos (JES) estaria, nos últimos anos, a repelir-se ao ponto de começar a ser chantageado por membros do seu regime. O exemplo mais emblemático é o caso do antigo ministro das finanças, José Pedro de Morais Júnior que em 2008 deixou o governo por divergências com o chefe do executivo.

Ex- Ministro alegou ter provas que embaraçam o PR

Na sequência de vários desfalques de centenas de milhões de dólares das contas públicas, o Presidente José Eduardo dos Santos chegou a ordenar um inquérito ao então ministro, José Pedro de Morais, e a sua prisão, a posteriori. Durante o interrogatório a que foi sujeito por oficiais dos Serviços de Inteligência e Segurança de Estado (SINSE), José Pedro de Morais apresentou fotocópias de documentos e ordens assinadas por José Eduardo dos Santos para que se efectuassem transferências ilícitas de fundos para familiares seus.

 José Pedro de Morais garantiu que tinha os originais em segurança nos Estados Unidos da América e, se algo lhe acontecesse, os documentos seriam publicamente revelados, o que provaria o envolvimento directo do Presidente em actos de suborno e alta corrupção. Dos vários documentos partilhados por José Pedro de Morais com o SINSE ressaltou o pagamento de US $40 milhões de dólares de uma suposta dívida pública do governo provincial do Huambo à sua irmã Marta dos Santos – a “Mana” Marta. O então ministro das Finanças explicou como se utilizava a dívida pública para desviar fundos de estado para familiares escolhidos pelo presidente, e como outros governantes, incluindo ele próprio, apanhavam a boleia para também saquearem a sua parte. José Pedro de Morais contou que não só a Mana Marta não prestou serviços ao governo do Huambo, para reclamar a dívida, como cobrou duas vezes, sempre com ordens escritas do presidente. Ganhou assim US $80 milhões.

 Mana Marta tem estado a construir vários empreendimentos imobiliários em várias zonas da cidade em Luanda, incluindo duas torres junto ao Cine Tropical, no Maculusso. Após se ter dedicado ao álcool, durante anos, com receio de ser morto, Pedro de Morais tem sido reabilitado aos poucos, por intervenção directa do general Higino Carneiro. Enquanto ministro das Obras Públicas, o general Higino Carneiro teve a vida facilitada no aboletamento dos fundos da linha de crédito do Brasil, em parceria com a Odebrecht, pela cumplicidade de Pedro de Morais. Como retribuição da lealdade, Higino Carneiro recuperou o antigo ministro e colocou-o como seu assessor no Kuando-Kubango, província que actualmente governa. Para o efeito, José Pedro de Morais apenas realiza as suas viagens de Luanda a Menongue no seu jacto privado, que permanentemente fica à sua disposição na pista do Menongue.

http://www.facebook.com/photo.php?fbid=239300992878846&set=a.115515445257402.19730.100003968413995&type=1&ref=nf

(continua...)

Subscreve:

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:14
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quarta-feira, 1 de Maio de 2013
PARACUCA . V

KIANDA COM ONGWEVA -  Espírito com saudade

Por

o ::: SOBA T´CHINGANGE

Januário Pieter surgiu-me num entretanto, pedaço de nada, acabado de cuchilar na minha rede de Pambu N´jila a escassos metros da Kalunga, lugar de desova de tartarugas e alguns urubus catando vida. Giboiando no sopro do vento da lagoa Manguaba, com ele, veio até mim a kianda-mor. Surpreso com sua aparição, no cumprimento do sonho, dei-lhe um abraço de completo vácuo; era Januário Pieter, meu guia-surpresista. Nós que vivemos no além (referindo-se a ele), podemos fazer diversas coisas, mesmo sem entender como as realizamos tais como locomovermo-nos e plasmarmo-nos, disse Januário em jeito de rouca explicação. Neste meio tempo e depois de ter estado contigo em Zanzibar, formei-me “engenheiro espiritual” em Toledo; e, dizendo isto como se tudo tivesse acontecido escassos dias antes, disse que por via dessa formação e, através dos fluidos da natureza, conseguia pelo pensamento, criar no espaço, paisagens de multicolores holografias.

 Desde que sou “engenheiro espírita” explico o que custa a apreender às gentes desavindas mas, boas como tu (referia-se a mim) que nutres de paixões, orações e bons pensamentos. Neste meu estado, luto contra atitudes de espíritos que não são evoluídos, que não possuem compreensão e que ainda estão arreigados em paixões inferiores. Apontando para os caniços do jardim, foi falando, estás a ver este beija-flor que sem medo sugam as flores do teu jardim, coisa que tu tanto aprecias, e também aquele bem-te-vi pousado ali perto de seu ninho naquela mangueira; são condicionantes a que eu recorri para teu exclusivo agrado e, porque aprecias, decidi contemplar-te. Nunca antes, Januário Pieter, figura recriada por mim, se referiu assim tão directamente como um especial meu protector. Enquanto isto, as notas de Dó a Si do espanta espíritos da varanda N´jila, saudavam a mim mas, mais propriamente à kianda ilustre vinda do alem com o vento de bolina.  

 Sorrindo, indiquei o lugar da rede a meu lado dizendo-lhe entretanto que neste agora estava de bem comigo, contente com sua inesperada visita, acrescentando que a minha principal procuração, era viver com dignidade, tentando ser útil, sentir a gratidão vendo sorrisos em olhares tranquilos, saber contribuir para alguém ficar bem; tentar deixr de ser infeliz, fabricando a felicidade com pouco mais que nada, sem menosprezar a vontade de fazer e querer fazer, sem sugar energias alheias.  Foi bom visitar-te, disse Januário Pieter, sentir que das migalhas que te dei, me orgulhas te com uma bomba de vontade. Antes de se deixar soprar pela bolina sem destino nem roteiro no seu destino, deixou em directo discurso, um resquício de sua sabedoria: “- Não podemos fintar as lei que nos regem e, uma delas é: fazermos a nós o que fazemos aos outros”. Irónico, talvez, Pieter fintador, assim como veio, foi-se!

 

GLOSSÁRIO:

KIANDA: - Espírito das águas na forma de sereia, ritos de Angola, fantasma, holograma; ONGWEVA: saudade em português; Pambu N´jila: - Espaço místico, agente de ligação entre o espaço físico e místico, encruzilhada elo que liga os seres aos Minkisi, os elementos fogo, água, ar e terra; Kalunga: - divindade abstracta podendo ter a forma humana que preside ao reino dos mortos, em Umbundo é um Deus, em Kimbundo é o mar, sereia na forma de homem musculoso tipo o Adamastor dos Lusiadas, quando alguém é levado pelo mar ou pela Kalunga faz Uafu (morreu nas águas), é uma jura de última instância apelando a kalunga

Januário Pieter:- Um personagem amigo, um sábio que me assiste e complementa conhecimentos...Um fantasma feito guia Kalunga; o homem que nasce da morte metaforizada com mais de 300 anos. Tem no seu ADN a picardia cutucada até a exaustão, Cruz credo!

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 16:15
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

RELOGIO
TEMPO
Weather Forecast | Weather Maps
Julho 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

16
18
19
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


MAIS SOBRE NÓS
QUEM SOMOS
Temos um Hino, uma Bandeira, uma moeda, temos constituição, temos nobres e plebeus, um soba, um cipaio-mor, um kimbanda e um comendador. Somos uma Instituição independente. As nossas fronteiras são a Globália. Procuramos alcançar as terras do nunca um conjunto de pessoas pertencentes a um reino de fantasia procurando corrrigir realidades do mundo que os rodeia. Neste reino de Manikongo há uma torre. È nesta torre do Zombo que arquivamos os sonhos e aspirações. Neste reino todos são distintos e distinguidos. Todos dão vivas á vida como verdadeiros escuteiros pois, todos se escutam. Se N´Zambi quiser vamos viver 333 anos. O Soba T'chingange
Facebook
Kimbolagoa Lagoa

Criar seu atalho
ARQUIVOS

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

TAGS

todas as tags

LINKS
PESQUISE NESTE BLOG
 
CAIXA MUSICAL
CONTADOR
contador free
ONDE ESTÁS

Sign by Danasoft - Myspace Layouts and Signs

blogs SAPO
subscrever feeds