Quarta-feira, 6 de Junho de 2012
BRASIL EM 3 PENADAS . XXVIII

{#emotions_dlg.xa}FÁBRICA DE LETRAS DO KIMBO
        “MADEIRA – BRASIL”
Matias de Albuquerque
O Conde Maurício de Nassau regressou à Holanda em Maio de 1644 e, com ele foi grande número de soldados licenciados em consequência da redução de efectivos. Ao partir Nassau, os Mafulos “Olandes” perderam o sossego de que desfrutavam graças ao prestígio e à vigilância do Conde. Embora a agitação de que viria a resultar a insurreição de 1645 já se tivesse iniciado há algum tempo, foi com a saída do Conde que esta se tornou mais perceptível. No comando das tropas flamengas e por escolha de Nassau ficou o Tenente-coronel Hendrik Van Haus que em um relatório ao Conselho dos XIX (Assembleia Legislativa) descrevia estarem as guarnições muito diminuídas por via das medidas economicistas estando os fortes e fortins muito arruinados. O Tenente de Mestre de Campo General André Vidal de Negreiros, um distinto militar Paraibano por ordens do Rei D. João IV dissimulava em “banho-maria” o planeamento do movimento restaurador; o tratado de concórdia entre Holanda e Portugal, não permitia interferências directas no processo estratégico.
 Índio Antônio Filipe Camarão da tribo potiguar, nascido no início do século XVII na Capitania de Pernambuco no contexto das invasões holandesas do Brasil, auxiliou a resistência organizada por Matias de Albuquerque desde 1630, como voluntário para a reconquista de Olinda e do Recife. À frente dos guerreiros de sua tribo organizou acções de guerrilha que se revelaram essenciais para conter o avanço dos invasores
Por mais estimulante que fosse para os Luso-brasileiros de Pernambuco a restauração da monarquia portuguesa, por mais forte que fosse a indignação aos flamengos em Angola, São Tomé, ou Maranhão, e por mais convincentes que fossem as razões de André Vidal de Negreiros, certamente, não teriam os moradores decidido enfrentar o maior poder militar de então, se os motivos que lhes diziam directamente respeito, não os tivessem instigado a isso. Movia-os sobremaneira o interesse mercantil; a atracão dos grandes lucros extraídos pela Companhia das Índias Ocidentais e as dívidas medonhas que estes tinham com os Olandes. Os Mafulos, encontraram uma sociedade e economia organizada tendo por base uma cultura cristã que não se deixou subjugar. Factores culturais, motivos económicos, abusos e violência de uma luta ininterrupta, foram as causas das quais originou o movimento de insurreição de 1645.
André Vidal de Negreiros: Lutou contra os holandeses quando da invasão de Salvador na Bahia (1624), participando de todas as fases da Insurreição Pernambucana (1645-1654), tendo mobilizado tropas e meios nos sertões nordestinos. Tomou parte com grande bravura em quase todos os combates contra os holandeses. Foi nomeado Mestre-de-Campo, notabilizando-se no comando de um dos Terços do Exército Patriota, nas duas batalhas dos Guararapes, em 1648 e 1649. Comandou o sítio de Recife que resultou na capitulação holandesa no ano de 1654. Encarregado de levar ao rei D. João IV a notícia da expulsão dos holandeses, foi condecorado pelo soberano. Por seus feitos foi sucessivamente nomeado Governador e Capitão-Geral da Capitania do Maranhão, da Capitania de Pernambuco por dois períodos e de Angola  entre 1661e 1666.
 Litografia em rótulo de cigarro com os quatro heróis: Vidal de Negreiros, Fernandes Vieira, Henrique Dias e Felipe Camarão.
Foi a tirania dos “Olandeses” que levou o povo com seu Mestre de campo João Fernandes Vieira a virar a página; Os Mafulos nunca guardaram sua palavra com os portugueses no tocante à liberdade católica, tornando-os seus criados com insolências e ignominias que seus soldados e oficiais, faziam com mulheres e donzelas portuguesas. Os católicos portugueses e os intransigentes calvinistas fizeram inconciliáveis suas relações. Junte-se a tudo isto os furtos e ataques praticados pelos negros, mulatos e mazombos transformados em verdadeiros bandidos; pelos escravos aquilombados e, sobretudo pelos indígenas tapuias seguros de sua impunidade pelo apoio dos invasores Mafulos. Era uma insegurança completa, à mercê não só de assassinos e ladrões, como das próprias autoridades incumbidas em reprimi-los. Com a redução do número de padres e frades, uns fugidos, outros deportados, o ensino dos filhos dos moradores tornou-se difícil. O ensino era feito pelos capelães dos engenhos, pelos mestres de gramática, por jesuítas e franciscanos entre outros mas, pela falta daqueles, morriam muitos homens por todas as capitanias sem confissão.

Mafulos: Nome porque eram conhecidos os Holandeses em Angola nessa época.

Referência Bibliográfica: RESTAURADORES DE PERNAMBUCO de José António Gonçalves de Mello (1967).
(Continua…)
O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:30
LINK DO POST | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




RELOGIO
TEMPO
Weather Forecast | Weather Maps
Maio 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15

18
19
22
23

24
25
26
27
28
29
30



MAIS SOBRE NÓS
QUEM SOMOS
Temos um Hino, uma Bandeira, uma moeda, temos constituição, temos nobres e plebeus, um soba, um cipaio-mor, um kimbanda e um comendador. Somos uma Instituição independente. As nossas fronteiras são a Globália. Procuramos alcançar as terras do nunca um conjunto de pessoas pertencentes a um reino de fantasia procurando corrrigir realidades do mundo que os rodeia. Neste reino de Manikongo há uma torre. È nesta torre do Zombo que arquivamos os sonhos e aspirações. Neste reino todos são distintos e distinguidos. Todos dão vivas á vida como verdadeiros escuteiros pois, todos se escutam. Se N´Zambi quiser vamos viver 333 anos. O Soba T'chingange
Facebook
Kimbolagoa Lagoa

Criar seu atalho
ARQUIVOS

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

TAGS

todas as tags

LINKS
PESQUISE NESTE BLOG
 
CAIXA MUSICAL
ONDE ESTÁS

Sign by Danasoft - Myspace Layouts and Signs

blogs SAPO
subscrever feeds