Quarta-feira, 11 de Julho de 2012
CAZUMBI . X

{#emotions_dlg.meeting}AS ESCOLHAS DO KIMBO

“Mukanda doTempo” – Retornados . 1
Por

 Sócratas Dáskalos - Militante do MPLA - Faleceu no Lobito – Angola, com a idade de 81 anos a 10/10/2002
Podia já ter esquecido todo este assunto, um tema deprimente para muita gente e descendentes mas, prometi a mim mesmo não esquecer este lado negro em terra que por via da descolonização moveu interesses obscuros, traições e trouxe até nós um conjunto de gente falsa que se dizia de insuspeita ética. O tempo clareou obscuridades trazendo o lixo na corrente da História que fez de nós involuntárias marionetes. Só não esquece esses contratempos quem não sofreu na pele o estigma de explorador. O túnel do tempo lubrificou as estrias da arma. Já lá vão 37 anos! O tiro estilhaçou a vida de muitos, de dentro e de fora, mas a história rectificará as lacunas, queiram ou não. O Soba T´Chingange

 A GRANDE DEBANDADA: RETORNADOS E ADIDOS

Logo após a tomada de posse do Governo de Transição, a 31 de Janeiro de 1975, as coisas começaram a complicar-se para os funcionários do Quadro Administrativo. Os administradores da Ganda, Cubal, Balombo, Chongoroi, Bocoio e Baía Farta, quase todos com uma boa aceitação por parte das populações negras dos seus territórios, quando começaram a aparecer osministros”, comissários e delegações dos movimentos emancipalistas fazendo exigências despropositadas e ameaças veladas de prisão e despedimento, começaram a vacilar nas suas intenções de ficar depois da independência. E quando o Governo Português inventou o Quadro Geral de Adidos para nele integrar os funcionários do Q. Administrativo das colónias, garantindo-lhes em Portugal emprego e reforma, aumentaram as hesitações. Entretanto o “MPLA propalava que iria julgar todos os funcionários do Q. Administrativo depois da independência” transformando a dúvida, em desejo ansioso de partir o mais depressa possível para o Puto.

 Além do Q. Adidos o governo português também criou o Instituto de Auxílio aos Retornados Nacionais (IARN) e, como na altura os naturais de Angola brancos, mestiços e assimilados eram considerados portugueses, este Instituto alargou ou restringiu a sua acção como muito bem entendeu, dando ou negando auxílio de acordo com os interesses dos dirigentes. Em consequência criou-se em Angola um ambiente de tal ordem que até o branco mais pobre que no interior do país ou na periferia das cidades tinha sempre vivido e convivido com a comunidade negra, se deixou contaminar pela histeria do medo sem razões válidas que o justificassem, excepto em Luanda, Malange e Huambo aonde as refregas armadas entre movimentos eram aproveitadas para molestar e até, às vezes, fazer vítimas, perante a passividade das forças armadas portuguesas que, se diziam neutras. No seio da comunidade branca gerou-se uma histeria de fuga por se verem sem segurança que o estabelecimento de pontes aéreas e de carreiras marítimas levou ao paroxismo.

 Esta histeria deu origem a uma “música” jamais ouvida em Angola: a “música” das marteladas nos caixotes
ouvia-se noite e dia, monótona e enervante. Nos caixotes metia-se
tudo o que era possível! No porto do Lobito, extensas bichas de viaturas esperavam longas horas aguardando embarque. Esta ânsia de partir, em Benguela, contrastava com a atitude de alguns portugueses e angolanos que se preocupavam mais em resolver os problemas do quotidiano do que pensar nos problemas de fundo. À medida que se aproximava a data da independência crescia a azáfama dos caixotes e o número dos transportes, aviões e barcos, para a debandada que tomava cada vez mais o aspecto de uma fuga desenfreada. Em Julho e Agosto, aviões da TAP e da Suisse Air, transportavam diariamente cerca de mil passageiros para Lisboa. Mas o afluxo a Luanda de refugiados vindos das terras do interior em aviões da Força Aérea e de outros vindos via marítima das províncias do litoral era de tal ordem que tiveram que ser utilizados transportes cedidos pelos Estados Unidos da América e pela União Soviética. As autoridades Lusas nada faziam para alterar este curso dos acontecimentos facilitando as manobras do MPLA, partido no qual eu militava desde a criação da Casa dos Estudantes de Angola em Portugal.

Foram omitidas algumas, muitas excrescências por grosseira e tendenciosa visão.   

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 02:44
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

RELOGIO
TEMPO
Weather Forecast | Weather Maps
Maio 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15

18
19
22
23

24
25
26
27
28
29
30



MAIS SOBRE NÓS
QUEM SOMOS
Temos um Hino, uma Bandeira, uma moeda, temos constituição, temos nobres e plebeus, um soba, um cipaio-mor, um kimbanda e um comendador. Somos uma Instituição independente. As nossas fronteiras são a Globália. Procuramos alcançar as terras do nunca um conjunto de pessoas pertencentes a um reino de fantasia procurando corrrigir realidades do mundo que os rodeia. Neste reino de Manikongo há uma torre. È nesta torre do Zombo que arquivamos os sonhos e aspirações. Neste reino todos são distintos e distinguidos. Todos dão vivas á vida como verdadeiros escuteiros pois, todos se escutam. Se N´Zambi quiser vamos viver 333 anos. O Soba T'chingange
Facebook
Kimbolagoa Lagoa

Criar seu atalho
ARQUIVOS

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

TAGS

todas as tags

LINKS
PESQUISE NESTE BLOG
 
CAIXA MUSICAL
ONDE ESTÁS

Sign by Danasoft - Myspace Layouts and Signs

blogs SAPO
subscrever feeds