Sexta-feira, 13 de Julho de 2012
KIANDA . XXXI

{#emotions_dlg.xa}FÁBRICA DE LETRAS DO KIMBO

       “O elefante de Maximiliano“

 D. João III ofereceu ao arquiduque da Áustria, seu primo Maximiliano II, um elefante asiático oriundo da Índia. Estava-se em pleno século XVI e o paquiderme empreendeu uma viagem que do Oriente o trouxe a Lisboa e de Lisboa o levou a Salsburg. Empreendeu um percurso que “é uma metáfora da vida humana” descrita por José Saramago em seu livro “ Viagem do Elefante”. Trata-se de um conto vulgar com uma notória lacuna: O amor! A O paquiderme nesse percurso longo, não teve o ensejo de topar com uma elefanta, que a acontecer originaria uma invulgar estória de amor e quanta ternura não seria bom observar ver as trombas de ambos carinhosamente enroladas em um laço fraternal. Tentei averiguar junto do meu grande amigo Januário Pieter, estacionado algures em incerta parte, privilégio de uma kalunga e, lá pela nonagésima vez o tele-móvel deu resposta do outro lado. Admirou-se desta minha chamada, não escondendo o desagrado com a minha pessoa tão desavinda em suas obediências.

 Maximiliano II

Por ser um assunto tão antigo, “os dados históricos eram escassos “ mas Januário foi peremptório de que o dito monstro de bicho passou por Valladolid onde o arquiduque Maximiliano era desde algum tempo regente. O elefante teria embarcado num porto da Catalunha, mais propriamente em Tarragona seguindo por mar até Génova; dali seguiu à pata até Salsburg passando por Verona, Trento e Insbruk; antes de chegar a Salsburg teve de passar por terras da Germânia aonde se deu um incidente diplomático na fronteira num sítio chamado de kiefersfelden. A razão de ter sido aqui, foi porque era mais apropriado levar o bicho por terras planas e à guarda de rebeldes descendentes da ordem dos templários; Não obstante a ordem destes frades, cavaleiros guerreiros ter sido extinta em 1312 pelo papa Clemente, seus descendentes relegados pela sociedade fizeram modo de vida acompanhar os cristãos que peregrinavam para Jerusalém e Santiago de Compostela. Este caminho que era vigiado por forças regulares à ordem do próprio papa viu-se com o dilema de autorizar a passar por aquelas terras tão desconhecido animal; isto requereria autorização do Papa Paolo III que entretanto pela Bula "Regimini Militantis Ecclesiae", tinha criado a Companhia de Jesus. Esta nova Ordem não tinha instruções explícitas para o trânsito de mercadorias ou bichezas tão estranhas como esta.

 Absorvido por estes conhecimentos de Januário Pieter, estupefeito com tamanha base de dados, pedi à kalunga que abreviasse. Olha, disse ele retomando a palavra: para que possas entender tudo o que se passou torna-se necessário dizer-te que parte dos militares, besteiros, arcabuzeiros e lanceiros que levavam o animal eram judeus voluntários que aproveitaram tal tarefa para fugir à perseguição que se fazia sentir em terras da Lusa ibéria. D.João III tinha introduzido ainquisição em Portugal em 1536, obrigando à fuga muitos mercadores judeus e cristãos-novos. Após dias de acantonados num arraial de fronteira com averiguações inconclusivas acerca dos inquiridos e após o pronunciamento de um kimbanda médico especialista em animais feras e afins, lá chegou a ordem de Paolo III. Já em Salsburg, o pobre do animal talvez por nostálgico frio, acabou por defuntar-se passado um ano. Seu cipaio tratador, um malaio de olhar vesgo e andar chambeta regressou ao reino seguindo em uma chalupa a partir de Veneza e já em Lisbona seguiu em uma nau a caminho da sua Índia, os demais tropas de milícia sendo judeus de raça e casta ficaram por lá naquela fria e austera Austria com excepção do mestre de Besteiros que regressando a Belmonte da Serra da Estrela, fez o relato da aventura e, o almoxarife das serventias que acabou por se tornar um rico comerciante de pimenta e demais especiarias na cidade de Diu, lá na índia aonde se tornou grande amigo de João de Meneses, Alcaide-mor de Albufeira, capitão de Tânger e 14º Vice-rei da Índia. Ao elefante, esfolaram-no, tendo feito das patas recipientes para pôr guarda-chuvas ou bengalas, ficando duas delas nos aposentos do representante cardinalício como cuspideiras. Triste destino! Aquelas patas que o sustentaram durante milhares de quilómetros são transformadas em objectos, ainda por cima de mau gosto - no fundo, é a vida de todos nós. Desejando boas luzernas ao meu prócere kianda, despedi-me meio macambúzio, pensativo.

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 02:47
LINK DO POST | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




RELOGIO
TEMPO
Weather Forecast | Weather Maps
Maio 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15

18
19
22
23

24
25
26
27
28
29
30



MAIS SOBRE NÓS
QUEM SOMOS
Temos um Hino, uma Bandeira, uma moeda, temos constituição, temos nobres e plebeus, um soba, um cipaio-mor, um kimbanda e um comendador. Somos uma Instituição independente. As nossas fronteiras são a Globália. Procuramos alcançar as terras do nunca um conjunto de pessoas pertencentes a um reino de fantasia procurando corrrigir realidades do mundo que os rodeia. Neste reino de Manikongo há uma torre. È nesta torre do Zombo que arquivamos os sonhos e aspirações. Neste reino todos são distintos e distinguidos. Todos dão vivas á vida como verdadeiros escuteiros pois, todos se escutam. Se N´Zambi quiser vamos viver 333 anos. O Soba T'chingange
Facebook
Kimbolagoa Lagoa

Criar seu atalho
ARQUIVOS

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

TAGS

todas as tags

LINKS
PESQUISE NESTE BLOG
 
CAIXA MUSICAL
ONDE ESTÁS

Sign by Danasoft - Myspace Layouts and Signs

blogs SAPO
subscrever feeds