Terça-feira, 14 de Agosto de 2012
QUILOMBO . I

{#emotions_dlg.xa}FÁBRICA DE LETRAS DO KIMBO

       " CONTRIBUTO PARA A HISTÓRIA"

Por

 O Soba T´Chingange

A palavra "Quilombo" tem origem nos termos "kilombo" (Quimbundo) ou "ochilombo" (Umbundo), presente também em outras línguas faladas ainda hoje por diversos povos Bantus que habitam a região da Guine, Congo, Zaire, Angola e quase toda a África Austral. Eram conjuntos de libatas, cubatas ou embalas de pouso utilizadas por exploradores ou nômades em seu deslocamento. Era um lugar aonde os funantes, descansavam após andarem dias pelo mato recolhendo mel, cera, marfim e outros produtos adquiridos no interior de África. Os negociantes portuguêses que, abandonando a costa maritima, iam comercializar mato afora, ajudados por seus auxiliares pombeiros ou moçambazes que falavam a língua dos índigenas, utilizavam os kilombos para descansarem. No Brasil o quilombo era um local de refúgio dos escravos, africanos e afros descendentes (negrose mestiços), havendo entre eles minorias indígenas e marginais brancos a “contas com a justiça” e um ou outro indigente matuto ali acolhido; o mais famoso na História do Brasil foi o de Zumbi dos Palmares. Aqui, genericamente, o termo "quilombo" ganhou o sentido de comunidades autónomas de escravos fugitivos.

 Kilombo

No Brasil, mais propriamente no estado nordestino de Alagoas, no correr do tempo qualquer representação teatral de índole popular entre afro descendentes, maioritariamente negros, suas danças dramáticas, arraiais ou folguedos com autos de representação carnavalesca, chaganças, reisadas ou umbigadas, em tempos de festa ou natal, atribuíram o nome de dança dos quilombos ou simplesmente quilombos. Foram estes folguedos ao ritmo de dança de semba com sua coreografia tribal, da primitiva massemba que originou o samba actual com derivações no chanxado e mais modernamente o chamado kuduro. Os muitos redutos de negros fugidos dos engenhos de açúcar e fazendas de cacau aonde se encontravam em cativeiro, disseminaram-se por todo o Brasil como na Paraiba, Maranhão, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo ou Mato Grosso mas, foi em Alagoas na Serra da Barriga que se congregaram em sociedade e governo que de certo modo, guardavam os antigos sistemas organizativos africanos que foi o Quilombo dos Palmares. Embora a escravidão no Brasil tenha sido oficialmente abolida em 13 de maio de 1888, alguns desses agrupamentos chegaram aos nossos dias, por via do seu isolamento. Outros transformaram-se em localidades, como por exemplo Ivaporunduva, próximo ao rio Ribeira de Iguape, no estado de São Paulo.

 Sanzala

Na realidade actual, um kilombo, é um conjunto de casas dispersas aleatoriamente, em um aglomerado próximo de casas feitas em taipa e cobertas a capim rodeadas de currais e galinheiros ou mesmo paliça para rebanhos de ovelhas ou cabras e também currais para alojar muares ou outro gado; animais que dão o sustento a cada casa, a conjugar com os produtos da lavra ou n´haka em terras mais húmidas junto a alguma nascente ou borda de rio. Aqui, a vivência, seja em Angola ou Brasil não difere muito daquilo que hoje se chama de zanzala ou kimbo que, quando situadas na periferia de uma cidade tomam o nome de musseque ou favela; no fundo, são efectivamente os escravos modernos, fornecendo mão-de-obra barata aos senhores da selva em cimento; é tão-somente uma outra forma de escravatura, mais livre, mas sendo os verdadeiros serviçais ou a “arraia-miúda”da urbe que reaproveitando desperdício dos ricos constroem seus bairros de lata ou “bidonville”.

 Musseque

Quando a caravela de Martim Afonso de Sousa aportou à agora cidade de S. Vicente, no Brasil, lá por volta de 1531, contam as crónicas desses primórdios que já encontrou chalupas de negros cativos a serem comercializados mas, esta prática nesse então era tão vulgar, não dando azo a se fazer reparo como hoje. Sabe-se, isso sim, porque constam dos escritos, que um tal de Jorge Bixorda lá pelos anos de 1531, iniciou o carregamento regular de negros para o Brasil, a partir de África; deduz-se que tenham saído da bacia do Congo ou Zaire pois os portugueses já aí tinham entrepostos comerciais e uma boa relação com nobres locais. Talvez tenha sido o primeiro empresário negreiro a levar mão-de-obra para os engenhos de cana-de-açúcar.

(Continua...)

Da lavra ou n´haka de

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:27
LINK DO POST | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




RELOGIO
TEMPO
Weather Forecast | Weather Maps
Setembro 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

14
15
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


MAIS SOBRE NÓS
QUEM SOMOS
Temos um Hino, uma Bandeira, uma moeda, temos constituição, temos nobres e plebeus, um soba, um cipaio-mor, um kimbanda e um comendador. Somos uma Instituição independente. As nossas fronteiras são a Globália. Procuramos alcançar as terras do nunca um conjunto de pessoas pertencentes a um reino de fantasia procurando corrrigir realidades do mundo que os rodeia. Neste reino de Manikongo há uma torre. È nesta torre do Zombo que arquivamos os sonhos e aspirações. Neste reino todos são distintos e distinguidos. Todos dão vivas á vida como verdadeiros escuteiros pois, todos se escutam. Se N´Zambi quiser vamos viver 333 anos. O Soba T'chingange
Facebook
Kimbolagoa Lagoa

Criar seu atalho
ARQUIVOS

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

TAGS

todas as tags

LINKS
PESQUISE NESTE BLOG
 
CAIXA MUSICAL
ONDE ESTÁS

Sign by Danasoft - Myspace Layouts and Signs

blogs SAPO
subscrever feeds