Quinta-feira, 10 de Outubro de 2019
MALAMBAS . CCXXXVIII

UM CACTO CHAMADO XHOBA . XVIII – 26.09.2019

TEMPOS DE DIPANDA NO OKAVANGO - Boligrafando estórias e missossos - Na Dipanda*, nossas vidas têm muitos kitukus

Por

soba15.jpg T´Chingange - No Algarve do M´Puto

serpa pinto1.jpg ::::: 158

Falando dos Khoisans neste ano de 2019, não sei se os exploradores Tugas de outros tempos davam importância a alguns factos mas, se o fizeram ficaram relegados para segundas núpcias de estudo nos cadernos africanos do tempo da tzé-tzé. Serpa Pinto recebeu a missão de estudar no Alto Zambeze a construção de uma linha de caminho-de-ferro que assegurasse a ligação do lago Niassa com o mar; apoiado com uma forte coluna militar, junta-se mais tarde no baixo Catanga a outra coluna portuguesa vinda do Bié, sob o comando de Paiva Couceiro.

:::::159

Portugal deu assim início a várias acções de ocupação naquela área de África entre 1887 e 1890; Artur de Paiva ocupou o Bié e Paiva Couceiro foi enviado para o Barotze aonde numerosos sobas prestaram vassalagem a Portugal, procedimentos daquele tempo. Tendo isto em vista, os ingleses começaram a aliciar os chefes indígenas das regiões visadas, incluindo aqueles que já tinham prestado vassalagem a Portugal como os Macololos e os Machonas e até o célebre régulo de Gaza, Gungunhana. Os resultados da Conferência de Berlim, acordaram Portugal para a realidade – Sua força estava depauperada…

silva p3.jpg :::::160

Se bem que o esforço estratégico tivesse sido orientado para África após a perda do Brasil, pouco se tinha feito por via da instabilidade da vida político-social da Metrópole, o M´Puto e das extensas vulnerabilidades existentes. Tendo eu atravessado o Botswana em inícios do século XXI retive da estória que este país começou a ser desvendado por exploradores a partir do século XVIII, dando-lhe o nome de Bechuanaland mas, após a sua independência a 30 de Setembro de 1966, toma o nome de Botswana com junção do prefixo "bo" que quer dizer homem em língua Bantu a de "Tswana", nome da tribo mais numerosa daquelas paragens.

:::::161

Antes dos pormenores descritivos da viagem em terras do fim do mundo saindo e chegando ao Divundo de Caprivi, lugar dos Miranda do Mukwé e, um entroncamento de vivência de diferentes países, convêm relembrar que os aborígenes habitantes ancestrais do Botswana foram os bosquímanos (bushmen), khoisans, caçadores-recolectores que se espalharam pelo grande Kalahári e deserto do karoo. Em uma outra viagem anterior tive oportunidade de observar estes indígenas errantes no seu meio natural; foi no Kalahári Gemsbok National Park entre Twee Rivieren e Bokspits, um lugar ermo, divisão de fronteira que os vi pela primeira vez e, em uma situação não previsível..

koisan8.jpg :::::162

Ali estava um grupo entre a picada usada na mulola de um rio seco e, que paramos para fornecer água a esses pequenos seres de tês parda, secos de carnes, vestindo pequena tanga taparabos; deslocavam-se em pequeno grupo com algumas lanças e flechas mais apetrechos simples. As mulheres distinguiam-se por levarem ornamentos na forma de pulseiras nos tornozelos. Enchemos suas cabaças ouvindo um linguajar de estalidos do jeito de macancala que creio ter sido de agradecimento, misturados com sopros de suspiros e aspirações guturais do qual nada se entendeu. As mulheres levavam imbambas de cozinha, enxadas de ferro afiado e enfiado no nó de um tronco robusto a fazer de cabo e trastes envoltos num saco em cabedal. Tudo estava suportado nas costas por uma tira ornamental e larga com bonitos desenhos que se ajustava à testa.

:::::163

Realizando regulares eleições o Botswana, ao invés de outros povos de África, é considerado um exemplo de estabilidade política. É um grande planalto árido situado bem no interior de África meridional. É daqui que saem para o resto do mundo os mais puros diamantes dando ao povo um modo de vida melhor equilibrada do que a grande maioria dos países do continente negro. Os principais grupos étnicos são os Tswanas, Kalangas, Khoisan entre outros dos quais os brancos nativos dali e indianos que para ali foram saídos do Quénia, Zâmbia, Tanzânia, Ilhas Maurícias, África do Sul e principalmente do Zimbabwé aonde a instabilidade ditada por Robert Mugabe a isso os obrigava.

koisan11.jpg :::::164

Lendo descrições antigas dos khoisans revejo-me como se fosse Silva Porto a descrevê-los. Magros, ossudos, envoltos em peles de panteras ou chitas e com os cabelos penteados em tranças longas. São estes os grandes caçadores desta parte de África; dóceis e selvagens no aspecto como sempre os referem, descendo e sobindo ao longo das linhas de água, rios que os mata a sede com seus charcos; T´chimpacas naturais com nomes de t´chicapa e, em terra de mwene- mãe nos sertões com nomes de Lubuco ou Lubo, distantes do principal rio, o Cassai, aonde as manadas de elefantes são às centenas.

:::::165

Os cadernos coloniais referem que nestas suas correrias e naquele tempo de descobertas, estes, vendiam ao desbarato dentes de elefantes, borracha e mel. O major de infantaria, Alexandre de Serpa Pinto, realizou a viagem de Luanda ao Natal, em 1879; e os oficiais de marinha Hermenegildo Capelo e Roberto Ivens, em 1885 exploraram todo o sertão de Moçâmedes a Quelimane, num percurso de 4.500 milhas no intuito de ligar Benguela de Angola à Beira passando por Tete e, terminando na Beira Moçambique no Oceano Indico. Estas viagens causaram a admiração na Europa e glorificaram o nome de Portugal mas…Mas, tem sempre um mas! Naquele tempo havia um Inglês que dizia que aquilo era tudo dele; chamava-se Cecil Rodes e, este pretendia fazer uma linha de caminho-de-ferro desde a Cidade do Cabo nas terras descritas pelos portugueses como do Adamastor ou das Tormenta até ao cairo no Egipto.

koisan12.jpg :::::166

Pois este, não fez, nem deixou fazer. Um imbróglio que mete o tal mapa Côr-de-Rosa que nunca desabrochou como Flôr. E, tudo apenas para numa farsa diplomática cortar o mapa Tuga a meio... Sabemos agora que este rail chega à Tanzânia mas, diga-se que mais depressa chegaram os portugueses com o CFB à fronteira do Zaire no rio Luau... Com destino à cidade de Fracistown, lá prosseguimos viagem a partir de Maun por estrada pavimentada rolando quilómetros na savana, vendo de quando em vez, aglomerados de kimbos. Com os restos de murmúrios falsos, tinhamos a ideia formada de que o Botswana era um país esquecido com muitos burros mortos na estrada e desordenadas lixeiras, a comparar com outros países aonde impreparados chefes exibem arrogância impregnada de devaneios mal curtidos mas, foi um total engano.

:::::167

Logo à entrada em Popavalle ou Popa Falls, um posto fronteiriço, deparamos com o aprumo de agentes aduaneiros que nos atenderam duma forma surpreendentemente civilizada ao invés de outras anárquicas fronteiras aonde tudo se resolve com uns quantos dólares de gasosa. Estes, na forma de quilombos com palhiça em circulo e, a contornar palhotas redondas, rondáveis feitas a barro, bosta de boi e chinguiços, formavam conjuntos harmoniosos numa vastidão de capim ralo. Conhecer a terra é em verdade um laboratório de vida constante porque nos purifica e regenera. O corpo é em verdade o pára-choques das emoções recolhidas na terra…

lifune0.jpg Nota: *Dipanda é o somatório das coisas positivas e negativas que ocorreram antes, durante os longos anos da crise Angolana, e após o Acordo de Paz e Reconciliação Nacional. Corresponde à diáspora de angolanos e afins espalhados por esse mundo.

:::::

GLOSSÁRIO: Mwangolés – os donos de angola, os generais que se apossaram da Nação Angola por via de seu poder libertário; Khoisan - bosquímano, homem do mato; Missosso – Conto breve de cariz popular em Angola; Kituku - mistério; Rundu, – Cidade do Norte da Namíbia, fronteira com Angola no rio Okavango; Potcheftsroom – Cidade sul africana; D´jango – Casa de reunião, lugar de assembleias do povo; Kuito: - Cidade de Angola, epicentro da guerra civil angolana… Taparabo -Tanga pequena; N´gana N´Zambi - Senhor, Deus; Undenge ami mu muamba - minha infância de muamba; mulola – Linha de água que só leva água quando chove; muxito – concentração de árvores ou zona verde no meio de secura generalizada...

(Continua...)

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 14:12
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

RELOGIO
TEMPO
Weather Forecast | Weather Maps
Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
14
15
16

17
19
20
21
23

24
25
26
27
28
29
30


MAIS SOBRE NÓS
QUEM SOMOS
Temos um Hino, uma Bandeira, uma moeda, temos constituição, temos nobres e plebeus, um soba, um cipaio-mor, um kimbanda e um comendador. Somos uma Instituição independente. As nossas fronteiras são a Globália. Procuramos alcançar as terras do nunca um conjunto de pessoas pertencentes a um reino de fantasia procurando corrrigir realidades do mundo que os rodeia. Neste reino de Manikongo há uma torre. È nesta torre do Zombo que arquivamos os sonhos e aspirações. Neste reino todos são distintos e distinguidos. Todos dão vivas á vida como verdadeiros escuteiros pois, todos se escutam. Se N´Zambi quiser vamos viver 333 anos. O Soba T'chingange
Facebook
Kimbolagoa Lagoa

Criar seu atalho
ARQUIVOS

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

TAGS

todas as tags

LINKS
PESQUISE NESTE BLOG
 
CAIXA MUSICAL
CONTADOR
contador free
ONDE ESTÁS

Sign by Danasoft - Myspace Layouts and Signs

blogs SAPO
subscrever feeds