Segunda-feira, 23 de Janeiro de 2017
MISSOSSO . XXVIII

NAMIBE - Um texto de Setembro - O Etelvino ainda tinha aquela cor de frango depenado a quente - arrastava-se penosamente pela praia, como tartaruga pronta a desovar...

soba k.jpgAs Opções de T´Chingange

Por

DY00.jpg Dionísio Dias de Sousa - Dy

O Etelvino ainda tinha aquela cor de frango depenado a quente. Arrastou-se penosamente pela praia, como tartaruga pronta a desovar. O sol escaldante torrou-lhe a epiderme, e fez com saltassem escamas do peito dos pés. Tinha desabelhado de lugares frios, onde ganhara vida. Marinhou as escarpas da cordilheira da Chela, deixando para trás as areias brancas que enfeitiçavam o Atlântico e deslumbrou-se com as árvores gigantescas que se agarravam aos granitos e aos basaltos, como bruxas desgrenhadas caídas do céu.

mucu1.jpgAdmirou-lhes as formas e os frutos de sabor intenso. Dessedentou-se nas cascatas que despencavam como ninfas pelas encostas, borrifando-lhe o rosto e refrescando-lhe a pele. No ponto mais íngreme, circundou a vista pelo planalto ajoelhado aos seus pés. Sentiu-se como o patriarca Moisés divulgando a palavra de Deus.

:::::

Deliciou-se com os riachos rasgando os prados com águas cristalinas, saltitando aqui e ali sobre rochas que gemiam música à sua passagem e manchas de arvoredo prestando-lhes homenagens, abanando as copas ao ritmo da brisa fresca, como cristãos adorando santos de procissão. Reparou nas criaturas de Deus que caminhavam as encostas com pezinhos de rola, e alegria de estrelas.

maian5.jpg Os seios desnudos abanando ao ritmo dos seus risinhos discretos, com as argolas de latão reluzindo e chocalhando ao sol nos braços e nas pernas. Murmúrios das suas bocas graciosas chegavam-lhe aos ouvidos numa linguagem ininteligível. Inspirou forte os odores selvagens e almiscarados que lhe invadiram as narinas. Abriu as asas como um condor e lançou-se ao espaço num suicídio premeditado, planando o céu em desenhos circulares, abrindo caminhos entre os flocos de algodão que caminhavam lentos em direcção ao sol.

:::::

Mergulhou a pique em direcção ao solo e aterrou com ternura num prado de flores silvestres, onde pássaros coloridos levantavam em bandos recortando figuras no firmamento. Escolheu criteriosamente o espaço para construir o ninho. Desventrou a terra e regou-a com o seu suor. Engravidou-a com sementes de esperança e assistiu pasmado ao rápido desabrochar do pão. 

monteiro1.jpg Descansando os seus cansaços ao entardecer ao som do mungir do gado gentio de cornos enormes, onde pousavam pássaros de bico vermelho, que faziam a limpeza das suas peles de cores diversas, parecendo borrões de tinta ressaltando de uma parede. E a serenata dolente que escutava, desfazia-se em magia no poente incandescente, escondendo-se ao longe no negrume da cordilheira que o rodeava, aconchegando-lhe o corpo e a alma. E o crepúsculo envolveu-o com um lençol gigante vindo dos céus, confeccionado por anjos com linhas de tons violeta e laranja.

:::::

Miríades de estrelas acenderam a noite e iluminaram-lhe o rosto numa magia estranha que o fez pequenino, mostrando-lhe a dimensão grandiosa da terra, que rezava na escuridão em cânticos de mil criaturas Uma conspiração conjunta contra a paz e o silêncio, numa sinfonia que começou a decifrar. Uma enorme sensação de gratidão foi envolvendo o seu dormir, e os sonhos desenrolavam-se ao sabor dos dias. A sua pele foi adquirindo a tonalidade morena das areias do deserto que palmilhara antes de subir ao planalto.

ÁFRICA8.jpg Roubando-lhe a tonalidade branca e pálida que navegara com ele do outro lado mundo. África moldava-o como o cinzel de um escultor, enrijecendo-lhe os músculos, e pintando-o com as cores do princípio da criação. Mudou-lhe a pele e o sangue e moldou-lhe um espírito novo, sem limitações de espaço ou tempo.

:::::

E as memórias antigas esfumaram-se como o fumo das fogueiras, que ardiam ao som de histórias novas, tão antigas como o mundo. E no crepitar da lenha que vomitava chamas ao céu, deixou-se imolar em sacrifício, ao sabor das rezas das fadas e duendes de pele escura que lhe saravam a solidão.

missosso1.jpeg E é neste deslumbramento universal que se deita na esteira de caniço, e se deleita com a magia melancólica da íris que o contempla, como se fosse o único. Neste esplendor concebe uma mulher nova, moldada com o ardor de África, o fulgor das estrelas, a ternura das planícies, o mistério dos bosques, os odores das flores selvagens e a sensualidade das cascatas despencando-se fogosas num ramalhete de flores de pétalas de espuma branca: A mulata.

Reis Vissapa



PUBLICADO POR kimbolagoa às 11:29
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

RELOGIO
TEMPO
Weather Forecast | Weather Maps
Dezembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


MAIS SOBRE NÓS
QUEM SOMOS
Temos um Hino, uma Bandeira, uma moeda, temos constituição, temos nobres e plebeus, um soba, um cipaio-mor, um kimbanda e um comendador. Somos uma Instituição independente. As nossas fronteiras são a Globália. Procuramos alcançar as terras do nunca um conjunto de pessoas pertencentes a um reino de fantasia procurando corrrigir realidades do mundo que os rodeia. Neste reino de Manikongo há uma torre. È nesta torre do Zombo que arquivamos os sonhos e aspirações. Neste reino todos são distintos e distinguidos. Todos dão vivas á vida como verdadeiros escuteiros pois, todos se escutam. Se N´Zambi quiser vamos viver 333 anos. O Soba T'chingange
Facebook
Kimbolagoa Lagoa

Criar seu atalho
ARQUIVOS

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

TAGS

todas as tags

LINKS
PESQUISE NESTE BLOG
 
CAIXA MUSICAL
CONTADOR
contador free
ONDE ESTÁS

Sign by Danasoft - Myspace Layouts and Signs

blogs SAPO
subscrever feeds