Domingo, 10 de Junho de 2018
MOKANDA DO SOBA . CXLIII

ANGOLA DA LUUA XLIII - TEMPOS PARA ESQUECER - 10.06.2018

“A guerra, que matou e estropiou tantos, alimentou um punhado de pessoas, que se tornaram insultuosamente ricas e prepotentes” – Nós e os mwangolés…

Por

soba0.jpeg T´Chingange - No M´Puto

fuga1.jpg «Muitos dos “libertadores” sonhavam com a casa, o carro, os privilégios e as posições dos colonos. Conquistaram-nas e tornaram-se piores do que estes. Desculpar-se-ão com a guerra do TUNDAMUNJILA formando esquemas para transgredir os limites da legalidade. Uns quantos, continuam a roubar o país quarenta e três anos depois, enquanto o povo olhando as velhas fotos amarelecidas, passam-nas em sua máquina de pensar. Já desbotadas, tombam com elas, a vontade de querer, definhando-se desmilinguidos em camadas de pó de sonho.

:::::

Na Luua, de Kalash na mão, a lei e a ordem, a justiça eram coisas transgredidas, inexistentes ou mesmo anedóticas pela pior das negativas…Estávamos na segunda metade do ano da desgraça de 1975 - Vai haver maka, porrada mesmo! E era virar a arma para o ar e despejar cunhetes átoa; balas oferecidas pelas nossas gloriosas forças - NT do M´Puto. O medo controlava a população desorientada, assustada como um kissonde pisoteado com o apoio e fervor revolucionariamente denso do MFA - O povo unido jamais será vencido!

fuga3.jpg Generais de aviário do MFA, alinhando em esquemas maquiavélicos proporcionavam os meios, geriam as tácticas e logística e, até contratando gente da informação, mercenários da comunicação social para fazer entrega de tudo e de todos ao MPLA… As feras eram largadas das jaulas com a lei 7 barra 74 para nos massacrar, roer até o tutano! Esses cabrões dos colonos vão ver como elas cantam; eram as falas dos guedelhudos magalas besugos chegados à Luua. Dos episódios esquecidos ainda recordamos dizermos uns aos outros: -E, vamos fazer o quê para o M´Puto?

:::::

Haveria que juntar pecúlios num caixote para levar a um qualquer sítio longe dali; não se sabia bem ao certo para onde e como mas, durante dias e durante noites só se ouvia o barulho do martelo furando taipais do baú-caixão para guardar a saudade, a foto do cachorro, do louro, da vizinha quando da pesca lá na barra do Kwanza, no Lifune ou Panguila. Foram tempos de se fazer caixotes, uma empreitada, percurso da tumba via kalunga ou pelos ares, peidando ou bufando desesperos na ponte LuuaLix que ninguém queria ouvir.

fuga6.jpg Num tempo em que ninguém media consequências, a moralidade em Angola e na Cidade de Luanda-Luua, era uma batata apodrecida. O ambiente era de se cortar à faca-catana escaldante na insegurança generalizada no presente do indicativo, tornando o gerúndio numa incerta loucura de futuro. O amanhã transtornava a sociedade numa ginasticada ideia de sem se saber como iria ser a fuga. Os locais mais concorridos eram o Aeroporto de Belas e o Porto de Luanda. Destino: Um qualquer seja aonde for!

:::::

Naquele tempo surgiram do nada, muitos rambos com fitas de cunhetes a tiracolo passeando desaforo e medo na companhia daqueles magalas, oficiais alferes, praças e salvo-seja nossos irmãos que diziam com frequência: Vocês colonos, vão-se foder! E, foi… Aconteceu! A cidade suja, pegajosa e desnorteada, cheirava a cansaço, a suor, a medo e coisas mortas esfrangalhadas pelos cães vadios. Naqueles dias de catinga ouvia-se noite note fora os martelos encerrando vidas, encafifando pertences e recordações. Também se ouviam rajadas lá para cima, mais ao lado e na outra banda das barrocas, no Caputo e Sambizanga.

fuga9.jpg Não! Não havia naquela terra de N´Gola, mais lugar para os Tugas e assimilados a estes! Não venham agora com tretas e esquecimentos! Se antes era perigoso ser preto, agora era muito perigoso ser-se branco. Dia para dia, viam-se menos caras conhecidas; médicos, engenheiros, padeiros, contínuos, bancários davam o fora de um momento para o outro – não queriam ficar para assistir aos dez e onze de Novembro. Para trás iam ficando cidades fantasmas aonde só o vento uivava com alguns cães deixados ao abandono.

fuga4.jpg A poeira fétida esvoaçava nos bairros. Por lá ficavam casas habitáveis e com recheio, carros, camiões entre a tralha dos jardins, cinemas, lojas, armazéns, restaurantes; edifícios intactos como se uma epidemia tivesse ceifado a vida. Viaturas prontas a andar deixadas ali ao acaso, famílias inteiras aventurando-se em uma odisseia de centenas ou milhares de quilómetros, correndo iscos, andando à sorte fintando cadáveres amontoados nas bermas das estradas, das picadas. Com cheiro de virar tripas afastavam-se vendo fazendas abandonadas, gado perdido e gente andando para sul, para leste, rumo desconhecido

(Continua…)

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 07:28
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

RELOGIO
TEMPO
Weather Forecast | Weather Maps
Outubro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

14
15
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


MAIS SOBRE NÓS
QUEM SOMOS
Temos um Hino, uma Bandeira, uma moeda, temos constituição, temos nobres e plebeus, um soba, um cipaio-mor, um kimbanda e um comendador. Somos uma Instituição independente. As nossas fronteiras são a Globália. Procuramos alcançar as terras do nunca um conjunto de pessoas pertencentes a um reino de fantasia procurando corrrigir realidades do mundo que os rodeia. Neste reino de Manikongo há uma torre. È nesta torre do Zombo que arquivamos os sonhos e aspirações. Neste reino todos são distintos e distinguidos. Todos dão vivas á vida como verdadeiros escuteiros pois, todos se escutam. Se N´Zambi quiser vamos viver 333 anos. O Soba T'chingange
Facebook
Kimbolagoa Lagoa

Criar seu atalho
ARQUIVOS

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

TAGS

todas as tags

LINKS
PESQUISE NESTE BLOG
 
CAIXA MUSICAL
CONTADOR
contador free
ONDE ESTÁS

Sign by Danasoft - Myspace Layouts and Signs

blogs SAPO
subscrever feeds