Segunda-feira, 24 de Maio de 2021
XICULULU. CXXXVII

Eu creio, tu crês, ele crê... Você crê realmente?

Crónica 3152 - O quê!? ... Atravessar as cataratas do Niágara nas costas do S. Cristóvão. Nem morto! - (02.05.2021 em Kizomba) - 24.05.2021 no KIMBO 

araujo160.jpg

Por   soba24.jpgT'Chingange no AlGharb do M'Puto

Acho que não sou o suficiente cristão para ter fé só átoa, pular no cangote dum qualquer santo para não o desmentir e entrar no vazio da crença atravessando num fio suspenso as cataratas do Niágara! Quem tem cu, tem medo! A provar isso, escrevo esta falsa parábola com gelo no meu mataco; posso explicar:

- Numa destas saídas matinais para espairecer a vida atrofiada do mukifo, depois da falésia da praia do mato, o meu subconsciente advertiu-me de uma cobra camuflada entre chinguiços e pedras e, vai daí, num aí de susto vim de retro e, despenquei nos paus ressequidos e pedras soltas da picada - cagaço puro!

niagara1.jpg Fiquei todo esfolado, sangrando nos braços e, com meus mais de cem quilogramas, despenquei-me feio; para meu espanto a cobra continuou lá. Porque fiquei na dúvida, no dia seguinte vou a propósito conferir se era mesmo cobra!

E, era sim senhor! Só que desta feita estava esticada com mais de metro e junto à estrada térrea bem junto ao largo aonde é permitido estacionar os carros. Alguém a matou, noé!? Bem! Como moro relativamente perto, faço o percurso a pé e, num total de 6 km para manter o esqueleto firme. Pois! Quanto ao mataco, permaneceu uma dor suave mas persistente.

Daí, estar agora a escrever esta, deitado e de lado, na cama e. com um saco de gel feito gelo num vira prá esquerda, ora prá direita. Vai daí, melhor daqui, vou recordar a estória dum tal Jean-Francois, um acrobata: - Em 1859, Jean-François Gravelet, famoso acrobata francês da corda bamba, mais conhecido como “Blondin”, atravessou as cataratas do Niágara sobre uma corda de 330 metros de extensão, suspensa a 48 metros de altura sobre as enormes e perigosas cachoeiras.

dia213.jpg Ele fez a travessia sobre a corda de várias maneiras: carregando um carrinho de mão; sentando-se no meio do caminho para fritar e comer uma omelete; dentro de um saco; de olhos vendados e com pernas de pau! Aos milhares, o público saía de toda parte para assistir àquelas proezas de tirar o folego.

Depois dessas apresentações, a multidão aplaudia e gritava: “Blondin! Blondin! Blondin!” Certa ocasião, depois de terminar uma de suas famosas travessias, ele perguntou:

– Vocês acreditam que eu consigo carregar alguém sobre meus ombros?

– Sim! Sim! Sim! – Trovejou a multidão.

– Tudo bem – disse Blondin. – Se vocês acreditam, que se apresente alguém então para ser carregado.

niagara2.jpg A aclamação parou. Ninguém se mexia. Uma coisa era crer que Blondin pudesse carregar alguém na travessia; outra coisa era crer que “eu” pudesse ser carregado. Finalmente, um homem se apresentou – obviamente alguém sustentado pela coragem de suas convicções. Enquanto a multidão observava, Blondin carregou aquele homem para o outro lado, em segurança.

Há muitos hoje, que como aquela multidão que aclamava Blondin professam crer que meu tio Nosso Senhor, pode salvar – salvar os outros, mas não a “mim”! Uma fé como essa não tem valor! Já chega, tantos de nós andarmos tontos com as habilidades de Marcelo, o Presidente do M'Puto, de Costa, nosso primeiro, e até o Governador Centeno e seu 40 ladrões.

quem01.jpgBom dia. Afinal, Ele, Nosso Senhor, salvou o ladrão penitente em sua hora extrema, não foi? Noé!? Salvação significa dar o passo inicial de crer, mas inclui também confiar Nele a cada passo do caminho... Meus irmãos, qual é o proveito, se alguém disser que tem fé, mas não fizer obras? Pode por acaso, semelhante fé salvá-lo? Não creio que Marcelo possa atravessar todo o tempo mantendo às costas esta malta rufia... Juro mesmo - Ando descrente...

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 20:11
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 16 de Maio de 2021
PARACUCA . XXXVIII

MULOLAS* DE TEMPOS DORMIDOSA LINGUAGEM DAS LÁGRIMAS COM FALAS INVIESADAS. (14.05.2021 em Kizomba) – 16.05.2021 em KIMBO

Crónica 3150 – Em um tempo de cinzas, tendo em vista a tristeza...  Paracuca é jinguba com açúcar torrado…

roxo116.jpgAR

Por soba24.jpg T´Chingange – No AlGharb do M´Puto

Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados. Tudo o que fazemos na vida tem como objectivo a felicidade. Podemos até chorar de alegria, mas o choro costuma expressar tristeza. Porque se diz então “Bem-aventurados os que choram?”

Pesquisadores de muitos lugares deste Mundo, têm estudado os efeitos do choro e descoberto que ele faz bem. O bioquímico William Frey, da Universidade de Minnesota, por exemplo, estudou com sua equipe o sistema imunológico de muitas pessoas, o grau de stresse e raiva, e o humor daqueles que choram muito.

roxo135.jpgAR - Eles, os pesquisadores, descobriram que o humor dessas pessoas melhorou em quase 90% após um período de pranto. As lágrimas derramadas por elas fortaleceram o organismo e reduziram o stresse. O sentimento de culpa causa dor e abatimento mas, haverá aquele momento de viragem em que a paz e a alegria são restauradas - o consolo é experimentado e, desse modo, a vida passa da tristeza ao prazer, do pesar à felicidade... O que tiver de ser, irá acontecer.

araujo118.jpg CA - Num qualquer momento ao se olhar para dentro de si mesmo, se deparará com um quadro que não é o ideal. Talvez se sinta o coração quebrantar-se pela consciência da própria fraqueza e se entristeça profundamente apesar de se saber que a alegria é um componente do fruto espiritual. Um dia virá em que na presença de um ser superior, a “plenitude de alegria surgirá, tirando até águas das mulolas* com um cesto de vime, assim se acredite nos milagres da vida. Entretanto, não é esse tipo de alívio que caracteriza a felicidade mencionada para que se possa consolar todo o tipo de pranto; efectivamente, o choro aqui referido não é causado pela dor física, perda humana ou material, despedidas ou outras situações comuns. Será sim, um pranto que abre um novo caminho, da escravidão para a plena liberdade espiritual…

pombinho15.jpg P - Algo superior nos fará expressar sentimentos e emoções por meio da linguagem das lágrimas: por separação, luto, arrependimento, compaixão ou das lágrimas por insegurança, opressão política, solidão ou a aflição. Pensando nas condições prevalecentes no mundo, o teólogo e escritor alemão Heinz Zahrnt, falecido em 2003, expôs o paradoxo de se falar sobre mansidão na seguinte frase: “Ai dos mansos, porque eles serão colocados contra a parede!” E, de facto, estando o mundo tão engravidado de pessoas que tudo medem em termos de força, poderio e agressividade como meio de conquista, estaremos sim, encostados à parede… E, como diz a sombra esquerda do escritor Saramago, o tempo não é uma corda que se possa medir nó a nó; é uma superfície oblíqua e ondulante, dependente da memória.

Tonito04.jpeg  AM - Na procura de um porquê, uma vida cheia de mulolas*, só posso dizer que tudo será fruto do acaso como um milagre que sobe a rampa dum misterioso milagre. Sempre seremos manobrados e levados a pagar pelos erros alheios… Este, é um mundo no qual a competitividade é desejada, incentivada e buscada a qualquer preço. Um mundo em que as coisas parecem funcionar segundo a lei do mais forte, do mais rico, do mais descarado e mentiroso. E, chamam a isto de diplomacia e, ou “Paraíso Fiscal” – mas, não foi sempre assim! De acordo com essa mentalidade, quanto mais alguém se defende e luta por fazer valer seus direitos, tanto mais possibilidade terá para se frustrar. Por isso, a afirmação soa, no mínimo, singular. Serão os mansos que conquistarão o mundo tomando posse do Universo?

Nota*: Mulola só é um rio, quando chove.

Ilustrações de Assunção Roxo, Costa Araújo , A. Monteiro e Pombinho

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 17:22
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quarta-feira, 12 de Maio de 2021
MUJIMBO CXXIII

DE KIGALI A IGUAÇU

Crónica 3149DO BAÚ DE MEMORIAS RETIREI FALAS RESSEQUIDAS NO TEMPO COM CREDÊNCIAIS DE CONTADOR DE ESTORIAS AVULSO - 12.05.2021

quetzal1.jpg

Por soba15.jpgT'Chingange no AlGharb do M'Puto

Fui ao meu baú das memórias retirar coisas idas em minhas andanças pelo Brasil e, porque perdi o comboio fumaça das cinco, releio de novo e passo a limpo a já desbotada crónica escrita no ano de 2007 em vésperas de Páscoa. No hotel “Rafain Palace” de Iguaçu, pude ler nesse então na Gazeta do Paraná, o meu horóscopo; talvez pela primeira vez pude sentir algo que condizia com a minha pessoa: gémeos - simbolizam a mente jovial que busca a variedade do conhecimento; os gémeos, dão-se conta que não estão sós no mundo e que as trocas de conhecimento podem ser partilhadas.

143.jpg Milhões de pessoas por este mundo, todos os dias se levantam atormentadas com problemas. Atónitas com a vida, entorpecem suas capacidades consumindo a rotina ou a seca de permanecer semanas trancafiado em seu mukifo T-um sem nunca, nunca golpearem a sua inteligência fazendo perguntas a si mesmas – nunca se chegam a descobrir envoltos em irrelevantes questões do quotidiano de arranhar os netos dos neurónios chamuscados nas periclitantes adversidades. Tinha visto no dia anterior um filme sobre a mortandade do “Rwanda” em que um gerente de hotel salva das mãos terroristas da tribo “Hutu”, a família de ascendência “Tutsi” e, um elevado número de cidadãos que tiveram o azar de nascer negros, da etnia tutsi e, num pais com o nome de Rwanda, uma antiga colónia belga.

iguaçu1.jpg Desde a independência de Burundi em 1962, houve dois eventos denominados genocídios no país. Os assassinatos em massa de hutus em 1972 pelo exército dominado pelos tutsis e os assassinatos em massa de tutsis em 1993 pela população de maioria hutu e, que são descritos como genocídio no relatório final da Comissão Internacional de Inquérito ao Burundi apresentado ao Conselho de Segurança das Nações Unidas em 2002.

iguaçu4.jpg Aquele administrador de hotel em Kigali foi, salvo as devidas proporções e por comparação, o Aristides de Sousa Mendes, um diplomata português que salvou milhares de famílias judias dos campos de concentração para a morte efectuada pelos nazis e, tendo como veiculador da horrenda guerra o paranóico Adolf Hitler. Aquela figura tão conhecida e pelas piores razões que levou a eugenia ao último grau de aniquilamento em seus laboratórios de morte, seguindo as ideias do pastor Thomas Malthus, um pastor anglicano de ideias patafúrdias…

iguaçu3.jpg O tratamento na higienização do povo levou o alemão Hitler que nasceu na Áustria, então parte do Império Austro-Húngaro e seus maníacos seguidores e assessores a eliminar gente que não tivesse o padrão “ariano”, gente com um qualquer defeito físico, ou com uma anatomia ou procedência não condizente com seus entendimentos, seguindo convicções secretas de indefinidos mistérios e seguindo uma trilha deplorável.

O rumor das quedas de Iguaçu logo numa primeira aparição, seguindo o trilho da mata confundia-se com uma pequena cachoeira correndo entre rochas da qual se desprendiam exuberantes ramadas de verde. Primeiro pude observar uma pequena cachoeira de nome Macuco, um fio de água soltando um pequeno choro feito murmúrio a comparar com a queda grande que pouco a pouco fui vendo nos passos do trilho sinuoso. Aos poucos, a grande queda, vai surgindo num espectáculo de dança cada vez mais deslumbrante de espuma branca, ora um véu de noiva ora espirrando roncos entre fragas medonhas...

iguaçu2.jpg As borboletas, umas mais bonitas que outras, vêm às centenas formar uma cortina multicolor entre a visão tumultuosa das águas, os arrifes, dos escapelados saltos de água no leito do rio e um nevoeiro de cacimbo permanente saindo da boca do diabo; da garganta “d´el diablo” saem golfadas de quilolitros de brancura engasgando-se em um desfiladeiro assombroso; Assim cuspindo espuma, a correnteza revela-nos com gritos, mistérios da natureza. Nada acontece por acaso! Assim penso empanzinado de agradecimento sentado naquela saliência de pedra musgosa, realizando um grande objectivo de imprimir em memória os sentidos externos. Gravar vida no espírito ideias trazidas ao cérebro por um brotar duma energia imensurável…

Aquele arco-íris, contornava com suas sete cores a minha existência esmagando-me em êxtase de crenças engalanadas e encavalgando-me em sonhos e fascínio de felicidade ou êxito estarrecido; fazendo esquecer todas aquelas agruras terrenas do seio daquela civilização supostamente mais avançada chamada de Alemanha ou lá do terceiro mundo em um longínquo país chamado de Rwanda e Burundi amolecendo nosso orgulho humano e engravidando-nos de vícios, ódios e muitas e variadas intrigas.

lucala3.jpgNesta contemplação de espectáculo da vida e sensação, sente-se nossa pequenez como se o fôramos um minúsculo empréstimo da natureza. Ali, a gente entrega-se sem mendigar ao amor ou à dor das esperanças frustradas e até perdidas sem aquele aperto de mão, suspenso entre a consciência do conhecimento em espargir o bem ou o mal, tudo envolto em egoísmo ou até paixão de prazeres. Também aqui os índios “Caigangues”, sem conhecimento do resto do mundo, morrem de velhos na verdadeira liberdade como o pássaro quetzal, sem definirem com exactidão o temor indigno, num perfeito domínio de si mesmos entre sua paz suprema de viver num dia de cada vez  e, no meio das maiores hodiernas privações…

capulana1.jpg Desconhecendo estes conceitos num paraíso tal como a borboleta com o número 88 que foi minha guia inseparável, esta visita foi talvez a maior lição de vida que recolhi e, sentir sim, esse amor pela natureza… Hoje, em companhia duma xícara de café fumegante, tento a maneira de enganar o tempo a fim de não sucumbir à solidão ao invés de passar o tempo em um passe-vite esgotando os nanosegundos dos meus obstinados e silenciosos abismos. Roçar assim as perspectivas ortorrômbicas para e, daí extrair ausentes sentimentos no intuito de mostrar o que ninguém viu antes, num secalhar e, porque  quase sempre “só vemos o que queremos ver”.

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 13:10
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 9 de Maio de 2021
MALAMBAS . CCLIX

NÃO É FÁCIL VIVER-SE EM TEMPOS FALACIOSOS

Crónica 3147 – (07.05.2021 em KIZOMBA DO FB) – 09.05.2021 no KIMBO

O CONHECIMENTO DA VERDADE... Malamba é a palavra no boligrafar de nossas vidas

roxo170.jpg

Porsoba0.jpeg  T'Chingange no M'Puto

Para se ser sábio, é necessário antes de mais ser-se humilde na justa medida. Alguns se embasam em tradições culturais, no senso comum ou em sua intuição. A existência de conhecimento por meio de dados sensoriais não pode ser negada, contudo, o perigo de abraçar estas abordagens é que os dados obtidos a partir dos sentidos humanos não são completos e incontestáveis. Há milhares de maus exemplos entre nós... Óh, se há...

Há quem afirme que o verdadeiro conhecimento deriva daquilo que pode ser comprovado por meio da observação. Sim! Mas, como é que as pessoas reconhecem algo verdadeiro? Todos reconhecemos que existem várias fontes de conhecimento disponíveis. Uma delas é o mundo ao redor, que revela as digitais do Universo, ainda que estejamos em uma realidade de pecado pela já vulgar mentira. Outra razão, nos convida  a sermos racionais e mantermo-nos dentro da lógica da experiência. As fontes, porém, devem ser analisadas sob as lentes do bom senso,  um bem escasso no Mundo actual...

roxo91.jpg Os cristãos procuram seguir os ensinamentos das Sagradas Escrituras, seu centro de busca pelo conhecimento do verdadeiro. Isso! Pois compreender a realidade sempre será uma premissa básica considerando a existência do mal; coisa comum no nosso meio originando um constante conflito narrado entre Cristo e Satanás!

Pois é! Talqualmente como aquela cowboiada "o mau, o bom, e o vilão" que atinge odiernamente a todas as pessoas deste mundo periclitante, noé!? Esta controvérsia é apresentada na Gênesis e Apocalipse  do qual depende nossa salvação, segundo Paulo. Esse tal de apóstolo...

roxo135.jpg Ele, Paulo, escreveu assim: “Toda a Escritura é inspirada por Ele e útil para, nosso ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem seja apto no suficiente e plenamente preparado para toda a boa obra” - Mas, poucos são os que traçam rumo por esta via. Muito menos os políticos militantes do M'Puto e dos ditos PALOPS.

Se você tem dificuldade em compreender o que lê, siga o conselho inspirado: “Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a, que a todos será dada livremente, de boa vontade e com fé; e lhe será concedida” - Quando se quer  ser sábio, noé!?  Você gostaria de crescer no conhecimento que conduz à vida eterna; então porque não acreditar? Abra o coração à sensatez usando-o um dia de cada vez, para não saturar...

roxo161.jpg Claro! O amor ao dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviam da fé e a si mesmos se atormentam com muitas dores. Pois ouçam: - Um banqueiro riquíssimo disse a Alexandre Dumas:

– Todos os escritores deviam viver na miséria, pois a pobreza aguça a inteligência.

– Bem se vê que o senhor tem muito dinheiro – respondeu Dumas, tranquilamente...

roxo157.jpg Não podemos condenar o dinheiro, mas adverte-se sobre o apego aos bens materiais, tão em moda. Um trato tão vulgar entre nossos políticos, nossos banqueiros, nossos gestores. Sobre isto, Ame Gorborg escreveu: - “O dinheiro por si só não tem o valor absoluto que lhe atribuem, mas é coisa boa para quem o usa bem"!  Com dinheiro pode-se conseguir tudo, assim se diz.

Isso, porém, não o é totalmente verdade. Com dinheiro pode-se comprar comida, mas não o apetite; medicamentos, mas não a saúde; almofadas fofas, mas não um sono reparador; paz com a sociedade, mas não a paz da consciência; distrações, mas não a alegria; ostentação e luxo, mas não a felicidade... Resumindo: Dinheiro e sapiência convém serem condimentadas com a suficiente honestidade....

sacag9.jpg Há mais: - Podes ter conhecidos interesseiros, mas não amigos desinteressados; empregados, mas não fidelidade; alegria, mas não tranquilidade de espírito. A casca de todas as coisas pode ser comprada com dinheiro, mas não a medula, a ALMA.

Hoje deu-me para aqui...

Ilustrações de Assunção Roxo

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 12:39
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 1 de Maio de 2021
MISSOSSO . XLII

ESTÓRIAS EQUECIDAS – 01.05.2021

Crónica 3144 - CHE GUEVARA NO CONGO BRAZZA - "A estória de um fracasso". Eu Furriel MIKE, estava ali tão perto de Dolisie, no lugar de Miconge  Velho a comer javali com os TE´s a comer macaco… Dolisie, também conhecida como Loubomo, é uma cidade da República do Congo, capital da região de Niari QUE FICA PERTO DA FRONTEIRA Norte de Cabinda…

guevara0.jpg

Por soba15.jpg T´Chingange no AlGharb do M´Puto

O General cubano Victor Dreke que acabou parceiro de Che Guevara na frustrada guerrilha do Congo, ainda em vida recordou: O guerrilheiro Ché, continuou a ter fãs na agora República Democrática do Congo Brazzaville. Dreke passou pelos quartéis da região; no mesmo dia da chegada, foi levado a uma casa onde estavam José María Tamayo, o "Papi", e o novo chefe da missão “Ramón” que era Che Guevara. Dreke, até ali, servia no Exército Central, na cidade de Santa Clara.

guevara5.jpg E, foi em Santa Clara de Cuba que recebeu uma proposta que o levaria a África. Aceitou participar sem saber do que se tratava. O pedido veio directamente de Fidel Castro: comandar uma missão especial recrutando 100 jovens soldados que seguiriam para um destino ainda desconhecido. O veterano Greke frisa que a adesão à guerrilha era voluntária. Quem aceitava deveria dizer à família que iria para um treino na União Soviética. Durante algumas semanas, os cem homens prepararam-se numa zona de mata sem acesso a energia eléctrica recebendo visitas frequentes de Fidel.

guevara1.jpg Naquele primeiro encontro, ele, o Ché "usava um corte de cabelo muito conservador, um grande bigode negro e um fato de tecido escuro, com uma gola dura de banqueiro e uma gravata de cores fortes", assim descreveu o escritor colombiano Gabriel García Márquez na revista Algarabía, num raro relato sobre o disfarce de Ché na ocasião”.

Sentado em um tronco feito banco, Dreke tentava entender o que se passava, enquanto "Ramón" remexia papéis na companhia de Osmany Cienfuegos, irmão de Camilo – terceiro maior nome da Revolução Cubana. O irmão de Camilo insistiu que o novo comandante não era um estranho. "Você conhece-o, “coño", exclamou! - "Companheiro, eu nunca o vi", respondeu Dreke. Foi então que Guevara se apresentou e chamou o subordinado pelo sobrenome…

guevara2.jpg Sem perceber, o futuro General passara por um teste imposto por Fidel aos homens que melhor conheciam Guevara. Era importante que nem eles conseguissem reconhecê-lo no disfarce. Com o ex-ministro prestes a entrar na clandestinidade, o regime temia que ele fosse capturado, executado e a sua morte atribuída ao Governo.

guevara3.jpg A 1 de abril de 1965, o trio formado por Ramón, Dreke e Tamayo iniciou o périplo rumo ao Congo em voos comerciais. Com passaportes falsos, passaram por Moscovo, capitais da Europa Oriental, Argel, Cairo e Nairóbi, até chegar a Dar-es-Salam, então capital da Tanzânia. De lá, seguiram para o Lago Tanganica, rota de travessia para o Congo. Com onze combatentes que se juntaram ao grupo ainda na Tanzânia, desembarcando no sudeste do Congo, a 24 de abril de 1965. O chefe, Guevara seria o "Doutor TATU", médico e tradutor.

Não foi uma escolha gratuita. Era ao contrário, confortável para Che. "Ele não ficou famoso ali como guerrilheiro, mas como médico. Como fazem os nossos na ilha e outros países, saía pela manhã visitando os lugares e distribuía os poucos medicamentos que tínhamos", relata Dreke. Nas primeiras reuniões, ele traduzia o que eu dizia. Sem entender o idioma, eu pensava: não falei tudo isso", conta Dreke, aos risos - "Ché falava francês e um pouco de outros dialectos.

guevara4.jpg Depois de sete meses, após constatar a pouca unidade dos soldados africanos e a perda de apoio internacional, Ché decidiu, contrariado, encerrar a primeira missão internacional do regime cubano. Mandou uma carta a Fidel Castro dizendo que Victor Dreke "era um dos pilares em que confiava". É assim que Che Guevara, inicia o seu relato sobre o movimento guerrilheiro que ajudou a organizar na República Democrática do Congo, em 1965, dois anos antes de ser morto na selva boliviana.

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 19:12
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

MUXOXO . XLIV

MONAMGAMBA - TEMPO CREPUSCULAR COM FRINCHAS

Nós, também produzimos fruto na estação apropriada, pois afinal, para isso fomos plantados...

Crónica 3145 – (30.04.2021 em Kizomba) – 01.05.2021 no KIMBO

– Hoje, ninguém parece ter consciência de nada; por usucapião, estamos feitos ao bife 

Roxo183.jpg

Por soba24.jpg T'Chingange no AlGharb do M'Puto

As árvores que conheço desde sempre, são variadas pois que, aqueci nos trópicos como as acácias do Calahári e por vezes tentei até abraçar o imbondeiro mas, desconsegui fazê-lo sozinho. Também consegui aqui no M'Puto  ter um imbondeiro que subiu protegido mas, por descuido meu, veio o frio de Nosso Senhor dando-lhe fim.

Meu vizinho alemão da Alemanha tem uma nespereira que este ano carregou de frutas. Já saltei o muro para lhe roubar uns quantos balaios como indemnização pela sugeira que seu choupo do Canadá faz no meu quintal virado a Sul. Costumo conversar com o loureiro mas, para além de dois rebentos nascidos do meu lado, assim sobranceiro, nada me diz nem contesta.

muxoxo1.jpgCada espécie, daqui ou oriundas de outros lados, são distintas e admiráveis à sua própria maneira. Os luendros que fazem fronteira entre mim e o carcamano, têm várias cores mas o vermelho é o de que mais gosto. Na minha concepção o altaneiro choupo tem uma linhagem nobre, mas excede a todos em altura  retirando-me o sol de inverno por ter crescido de forma desmedida.  Se a expressão “crescer em graça” se aplicasse a árvores, este choupo o exemplificaria melhor, só que não é árvore para um quintal citadino. Como pode alguém, nem mesmo sendo um especial amante da natureza, olhar firme e refletidamente a uma árvore assim e, deixar de apreciar a mesma por não estar no sitio apropriado...

piram3.jpg As sequoias da Califórnia são também um espetáculo inspirador mas só são sustentáveis numa floresta. E, se o choupo do carcamano já me causa transtorno pelo avanço das raízes no largar de folhas e sementes pelo meu património, posso imaginar como seria se o fosse, uma Sequoia.

Bom! Algumas oliveiras já existiam havia muito tempo quando Davi escreveu seu texto bíblico; eram mais antigas ainda quando Jesus andou pela Galileia. Nem se fala de outras espécimes quando Colombo descobriu o Novo Mundo! Nações e impérios vão e vêm; contudo, muitas destas arrojadas árvores ainda vivem e crescem, sequoias, oliveiras e, o imbondeiro com mais algumas variantes de acácias.

Bem! Diz-se que um cristão deve ser como uma árvore plantada junto a correntes de águas ou mulola, sempre a crescer. Pois então, esta figurada linguagem representará de certa forma aquela sequoia ou imbondeiro, que indiferente ao tempo marcado no relógio, continua crescendo...

muxoxo3.jpg Apesar de muita gente afirmar que os imbondeiros podem viver milhares de anos, tal não pode ser comprovado, pois que o seu crescimento não leva à formação de anéis anuais. Suas flores são de cor brancas, muito grandes e pesadas. São vistosos pedúnculos com um grande número de estames com um cheiro peculiar a carniça...

Há quem diga que a flor de imbondeiro (baobá) surge a cada 40 anos, mas das controvérsias ficam-nos as lendas bordadas a múcua, seu fruto. Sua flor dura pouco; murcha e cai em um ou dois dias depois de desabrochar. O crescimento de uma árvore e sua estabilidade simbolizam a vida dum cristão submisso; podemos comparar assim noé!? Desde a minúscula plantinha até uma árvore espantosamente gigantesca, que quase toca o céu, seu crescimento sempre o é, um contínuo processo de receber e crescer.

muxoxo4.jpgEm resumo, nós todos so mos recipientes de nutrientes temporários e espirituais não obtidos por nossos esforços. Sem a fonte de força e poder rapidamente murcharíamos e morreríamos. Contudo, com o auxílio da Natureza, nossa alma pode ser semelhante à força duradoura de uma árvore.  Podemos produzir fruto na estação apropriada, pois, afinal, para isso fomos plantados mas, os homens andam a querer tudo mudar e, nisto, as regras não podem ser alteradas...

Muxoxo é uma espécie de estalo que se dá com a língua aplicada ao palato, em sinal de desdém ou contrariedade. No M´puto costumam chamar de "xoxo", com o sentido de beijo; Monamgamba é trabalhador desclassificado (perjurativo) - por vezes traduz-se em asneira ofensiva

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 18:05
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 11 de Abril de 2021
MUJIMBO . CXX

TRAJE DE GALA - FACTO E FATO ... 

Na dúvida, ando de pijama listrado quase à um ano sem ter feito mal a alguém. Pópilas! Meu escapulário é quase um pano às riscas...

Crónica 3137 (08.04.2021*)11.04.2021

sorte2.jpg

Por   soba k.jpg T'Chingange - no M'Puto

Ninguém discute o facto de que a utilização de roupas é parte do bom senso, da ética humana e dos valores sociais, sendo indispensável a todas as pessoas. Algumas se esmeram no factor atractividade, outras se limitam ao aspecto protector ou à simplicidade. Essa diferença tem suscitado, às vezes, tratamento discriminador entre dois grupos, ao ser atribuída condição superior de importância às pessoas que se vestem sofisticadamente em detrimento das outras.

sorte1.jpg Embora devamos condenar essa excepção, é verdade que ocasião, tempo, lugar, aspectos culturais, simbolismos religiosos, equilíbrio, bom gosto e recato, são alguns factores que definem a pertinência ou não de uma vestimenta. Neste processo de desmudar os costumes, uns ficarão vestidos mais iguais e outros, logicamente, mais desiguais a indicar a todos que afinal ainda não fomos terminados, andamos em execução; a ser costurados…

pfizer1.jpg É aquela velha estória que de novo aqui explicito: Era uma era e, não era; andava lavrando com dois carrapatos! Veio-lhe a notícia que o pai era morto e a mãe por nascer. Pôs o burro às cotas e o arado a comer… Hem! Hem! Hem!…O que mais penso e tento em explicar: Todo o Mundo, é louco - o quanto baste…Pegando na Bíblia pude ler em Tiago 2:2-4: -  Suponham que, na reunião de vocês, entre um homem (ou mulher) com anel de ouro e roupas finas e também entre um pobre com roupas velhas e sujas. Se vocês derem atenção especial ao homem (ou mulher) que está vestido com roupas finas e disserem: "Aqui está um lugar apropriado para o senhor/a", mas disserem ao pobre: "Você, fique em pé ali", ou: "Sente-se no chão, junto ao estrado onde ponho os meus pés", não estarão fazendo discriminação, fazendo julgamentos com critérios errados? Ando confuso, noé!?

sorte5.jpg Fala-se que entrando, o rei para ver os que estavam à mesa, recordo: notou ali um homem que não trazia veste nupcial e perguntou-lhe: Amigo, como entraste aqui sem veste nupcial? Ele emudeceu... Tal como eu que ando bem desmilinguido, falando com o gato tobias... Há sempre uma razão de ser no uso de vestes. Elas podem servir como cartão de apresentação de uma empresa, quando uniformemente usadas por servidores, ou como factor de igualdade social nas escolas.

pfizer2.jpg Profissionais de saúde usam vestes brancas. No Antigo Testamento, as vestes sacerdotais eram carregadas de significado. Em nossos dias, clérigos costumam vestir paramentos solenes e cores sóbrias. Cobrir-se alguém com pano de saco era nos idosos tempos expressão de grande humilhação. Não é para menos, seja homem ou mulher! Despojado de Suas vestes, Cristo recebeu um “manto vermelho” por zombaria. O filho pródigo, ao voltar para casa, foi agraciado com roupas de justiça e perdão. No clímax da história da redenção, os remidos estarão enfileirados, usando vestes brancas de pureza e santidade...

sorte6.jpg Andamos assim a viver parte de parábolas antigas sem bodas nem convites para vestirmos a gravata na falta de outros paramentos. A vida humana é frágil como uma flor; hoje é, amanhã não o será mais - como um capim murcha como qualquer erva do campo; E, na dúvida da resiliência com ou sem investigação descobriu-se que alguém, não estava devidamente vestido para a ocasião e, morreu sem até, ter comido tabaibos com picos e tudo. Nesta via-sacra de espera pela vacina conta a malazenga COVID, vivemos num período como se o rei nos fizesse revista, assim como convidados encontrados ou escolhidos no livro da vida singelamente chamado de lita telefónica... Pelo sim pelo não, ando permanentemente em pijama esperando um SMS dum bata branca: -Venha tomar a pfizer…

Nota* - Publicado em Kizomba do FB

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 15:04
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Terça-feira, 9 de Março de 2021
LAGOA DO PUTO . VII

Fábrica de letras da kizomba (Kimbo - M´Puto) - 07.03.2021

Crónica 3125 . “ A presa da Moura e seus cazumbis do GARUM” Em tempo de pandemia. Meu passeio de hoje, para espairecer…

LAPA2.jpeg

Por soba24.jpg T´Chingange – No Al Gharb do M´Puto

Este passeio pela orla algarvia do M´Puto, já é uma rotina de longos anos e, é sempre muito agradável vivificar a natureza acompanhando o rendilhado de falésias definindo a fronteira sul com o oceano. Subindo e descendo por entre fragas e milhares de flores de variadas plantas, carrego as energias tão desmilinguidas por via dum vírus COVARDE XIX que nos tolhe ao confinamento de nossa kubata, nosso mukifo.

Desta feita e no correr do sotavento pude rever sítios já conhecidos mas que, sempre renovam nossa vontade de observar e cheirar dando felicidade à vida… Em tempos, já vi por aqui raposas mas com o alastramento da urbanidade, foram desaparecendo; vê-se sim caganitas em restolhos de coelhos. Desta feita vou repor aqui o já descrito em parte e, em tempos com outras novas falas de minha lavra, para ginasticar a mente a modos de não criar mofo nela, em demasia ou avondo como se diz por aqui entre linguajares marafados.

LAPA02.jpeg Nesta pequena bacia dos barrancos de Vale da Lapa, há no “reino da aroeira”, a palmeira anã, a erva rasca, trevisco, arruda, zimbro, os gladíolos e tantas outras a que chamamos no seu todo de carrascos, resistindo ao calor tórrido de verão pela brisa húmida do mar que entra no lugar da presa, junto à praia. Se houver consciência na preservação dos coutos, reservas naturais e legados históricos, poderemos ainda passear por este património ecológico pertença dos mourinhos, gralhas, melros pegas e cucos. Até há bem pouco tempo havia zorras (raposas) mas, nos últimos sete anos, deixei de as avistar

Foi a partir do século VIII que as lendas das mouras encantadas que guardavam tesouros, se associaram florestas, rochedos, serras e fontes, numa tradição oral. Cultura que prevalece nos cultos pré-cristãos, chegando até os nossos dias. Podemos assim encontrar lendas de mouras em toda a costa Sul da Ibéria como a lenda da Moura Salúquia por exemplo e, que em 1554 deu origem à actual cidade de Moura. Depois da invasão árabe, entre a lenda e a história, constatou-se em vários lugares a importância duma Moura.

LAPA1.jpeg Desta feita irei descrever esta “Presa da Moura” no lugar de Vale da Lapa que advém de umas quantas levadas nas encostas pedregosas, construídas desde então, que serviam para irrigar pequenas hortas dos socalcos separados por muros de suporte, em pedra solta. Estas levadas terminavam nos barrancos existentes, agora uma densa mata de mato de aroeiras, tomilho e arranha-cão. Creio que a água armazenada nesta represa daria para gerir durante todo o ano as irrigações dos produtos hortícolas numa fase recente e, lá longe em tempo de Romanos, lugar de tratamento de conservas.

Dos vestígios da ocupação romana, neste litoral algarvio, talvez as mais emblemáticas sejam estes tanques em forma de represa para lhes garantir a salga e conservação de peixe associados à produção do tão apreciado GARUM, um condimento confeccionado a partir da salmoura de sangue e vísceras de atum ou cavala, triturado com crustáceos e moluscos. A represa da Presa de Moura (salmoura), teria sido o apoio ao complexo industrial de salga e conservação de peixe, com estruturas de apoio hoje desaparecidas em consequência do recuo da linha da costa.

LAPA01.jpeg Anda se podem ver nos topos das falésias lajedos formando poças de água e, aonde se desenvolvem plantas como a beldroega e poejo; lugar de bebedouro de coelhos e outros pequenos rastejantes. Aqui teria sido construído um paredão com uns 3 metros de largura na base tendo blocos irregulares de calcário do tempo miocénico marinho e cimentados com uma argamassa muito dura de cal e ouros aditivos. Pelas argamassas usadas juntando as pedras, ainda visível no pequeno troço existente, tudo leva a crer remontarem a esse período de dominação romana. As técnicas usadas em construção nos séculos I a III antes de Cristo e o coliseu de Roma que se manteve em funções até à queda do Império no ano de 476, são em tudo semelhantes a esta argamassa.

Esta, tinha em sua composição uma percentagem de gesso e cal aérea ao que se juntava aditivos de gordura animal, ceras e resinas do látex da figueira que aqui havia em abundância. Pode perfeitamente ter sido construída quando das reconquistas de localidades importantes tais como Évora, Beja, Badajoz e Sevilha. Originalmente deveria ter uns seis a sete metros de altura o que me leva a supor pela sua bacia, provocar uma reserva de 15.000 metros cúbicos de água potável.

LAPA4.jpeg Porque a costa era frequentemente fustigada por ataques de mouros, leoneses e portugueses da Lusitânia; como um primeiro aviso às invasões por mar havia as vigias, “as torres de vigia”  que se alinhavam ao longo da costa em toda a bacia Sul do Mediterrâneo e costas da Ibéria. Em caso de ataques vindos do mar eram atiçadas fogueiras de aviso aos militares olheiros e à população. Com estes avisos os populares refugiavam-se em castelos ou lugares de resguardo; Esta costa era em tempos muito dada a ataques de corsários com intuito de roubar depósitos de frutos secos e vasos dessa tal conserva chamada de GARUM mas, e também para fazer escravos e abastecerem-se de cereais       

(Continua…)

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 19:15
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 6 de Março de 2021
XICULULU . CXXXIV

FALAS VADIAS – 06.03.2021

Crónica 3124Pior mesmo é quando todo o dinheiro de promessas, nos engravidam o vazio de nossos bolsos …

Xicululu: - Olho gordo; Avareza; Cobiça

roxo92.jpg Por soba24.jpgT´Chingange – No M´Puto

Como jogo de baralho que trunfa e destrunfa, como só sendo coisa de menor importância, sinto-me Ás de Espadas amarfanhado no bolso direito das calças de pijama. Isto, num tempo normal, nem teria qualquer relevância mas, sucede que foi nesse Ás de Espadas que anotei a palavra passe do abracadabra INIMPUTABILIDADE. Sim! A palavra mágica contendo os meus muitos rascunhos e sentimentos de toda uma vida – desajuntados à balda em trechos curtíssimos.

O quê!? O senhor não me pergunte nada! Como assim! Isso, coisas assim tão de misteriosas, não se perguntam. Claro! Assim mesmo, porque quem pouco fala, fica com a sabedoria alheia sem despender nem depender dum ai ou ui. Deste feito e assim calado, posso crescer e minguar como pastilha de chwingame, chiclete de bolinha e crocante de mascar, que se mastiga no giro da memória inteira. Copiou?

ás espadas1.png Agora que a Pátria anda a ficar velha medrosa, madraça de males desgraciados e endividada por muitos vindouros anos e, até muito caloteira, dá-me vontade de gritar hó Evaristo!  Gritar de atravessado para espantar o medo medroso e, para não ficar pior que nem um “Deus me livre e guarde” como se fora uma carraça entre dois dedos e, tendo os dois, polidas unhas assassinas. Ué, poispois… Minha avó, era assim que matava piolhos nesse tempo de carraças…

Num lamber frio de que o senhor já sabe: - viver neste agora é um edecétera e tal. Afinal é isso?! Sem tirar nem pôr, é a possibilidade de capacitação que um qualquer por praticar certo acto, pode ou não cometer crime consoante o poder de sua penumbrosa acção, por ser de coturno hierárquico ou ainda porque está inserido numa certa função. Isso! Que tem em seu ADN essa tal palavra passe “password” de INIMPUTABILIDADE – (livre de culpas). Definido por lei e por via de certas peculiaridades …

roxo137.jpg  Ora, ora, filhos da truta. Não, não é isso! A bem da nação têm esse beneplácito de errar usando esse subterfugio de que aconteceu à sua revelia, porque “não o queria” e vai daí, algo mal feito, se desculpa de qualquer punição – fica isento de culpas. São ossos do ofício, sempre acabam por o dizer como desculpa de coitadinho ou coitadinha…

Essa espécie de egoísmo misturado com inimputabilidade que em Portugal dá frequentemente à costa em modo de chico-espertismo – coisas de politiquice… Então, se são incapazes de culpas, lá terão de ser incapazes de competência e serem substituídos. Não? Serão só coisas “ilícitas”, sem culpa formalizada…Ora, ora!

roxo146.jpg  Essa será uma lei oligofrénica, que afecta a capacidade intelectual de todo aquele que fica a seu mando, subordinado a… Issoisso! Prática de gente que tem deficit de inteligência também chamada de idiotice ou imbecilidade – alguém portador de bitacaias na ética, no cérebro ou seu perfume, um tal de QI. Agora, o senhor entende o porquê de eu mesmo sendo feiticeiro T´Chingange andar com essa carta Ás de Espadas no bolso? Olhe, o M´puto é pais de oito ou oitenta.

Pópilas! Antes de poder ver, já pressentia, sabe. Antes que me julguem, eu até que nem queria espiar. Será assim que a vida socorre à gente certos avisos, sabe. Olhe senhor: Os nossos governantes andam por demais enfolipados em cativações com foles mal costurados. Pior mesmo é quando todo o dinheiro de promessas nos engravidam o vazio de nossos bolso - os mesmos aonde cabem os Ás de Espadas…

Ilustrações de Assunção Roxo

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 15:13
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sexta-feira, 5 de Março de 2021
MOAMBA . XLVIII

Andar nas NUVENS – (28.02.2021)05.03.2021Crónica 3123 - Coisas de mito, do PROMETHEUS - O MUNDO ESTÁ MUITO CHEIO DE PROMESSAS...

Por

arau44.jpgsoba0.jpeg T'Chingange - no AL Gharb do M'Puto

De acordo com o imaginário popular, “anda nas nuvens” quem devaneia, sonha com o impossível ou se permite embalar no auge de uma experiência feliz. Está sob “céu de” (sem nuvens) quem vive momentos sem dificuldades, em que tudo dá INCERTO... As duas coisas fazem parte da vida, assim como em nosso dia a dia; ora desejamos o sol ora queremos as nuvens. Cedo pela manhã, minha primeira providência ao acordar é abrir a janela do quarto, deixando entrar o ambiente iluminado.

prometeu0.png À tarde, pelo menos no inverno, quero que as nuvens estejam fora do céu, amenizando o frio com calor produzido pelo sol, na açoteia de minha cubata. Nuvens são objecto de inspiração para artistas e fotógrafos mas, quero mesmo é tomar quentura de vitamina D. Sem nuvens, não há neve, relâmpago nem arco-íris. Em verdade, as nuvens realçam a beleza do pôr-do-sol ficando presentes nas mais belas paisagens mas, de inverno, trazem fortes tempestades de chuva molhada, pegajosa e, até por vezes, colhemos graves prejuízos com infiltrações ou inundações. As nuvens são muito importantes para o equilíbrio da vida no planeta, sendo responsáveis pelo ciclo da água e pelo clima; portanto, fundamentais na meteorologia mas, o que quero agora é Sol, muito sol para dismilinguir o tal de gelatinoso COVID – SARS e derivados da Bretanha, do Amazonas ou África do Sul.

propolis5.jpg Há textos Bíblicos nos quais a glória divina aparece velada por uma nuvem, em benefício do povo. Uma lembrança apropriada de que às vezes somos impedidos por “nuvens” de ser aquecidos e iluminados pelo Sol da existência. Essa realidade é comum em um mundo “imperfeito”. Essas “nuvens” parecem esconder de nós o semblante de Deus, porém, Ele está lá, assim como o sol continua brilhando atrás das nuvens naturais. Atrás das nuvens, o Senhor trabalha em prol da gente mas ...

prometeu1.jpg Por mais longo que seja o tempo com SOL, numa inesperada peregrinação, haverá sempre um oásis para o qual seremos guiados sob uma tal nuvem de presença divina mas, "há sempre um mas" - Neste empecilho espacial lá terei de intermediar um tal de Prometheus (antevisão), da mitologia grega, que interfira como o mito diz ter sido - um defensor da humanidade, conhecido por sua astuta inteligência, responsável por roubar o fogo (SOL) de Héstia para o dar aos mortais. Isso! A NÓS... E, como diz o mito, que nos liberte também deste empestamento, que fique ele amarrado a essa tal rocha pela eternidade MAS e, de novo se submeta ao risco e à punição de Zeus - que como ÉPICO, deixe a águia comer seu fígado que se REGENERA no dia seguinte. Tudo assim para nossa salvação...

prometeu4.jpg Estes antigos companheiros gregos, tinham cada ladainha que até ficámos desmilinguidos em nossa sabedoria. O mito foi abordado por diversas fontes antigas (entre elas dois dos principais autores gregos, Hesíodo e Ésquilo, nas quais PROMETHEUS é creditado (ou culpado) - por ter desempenhado um papel crucial na história da humanidade. Pois então, que o faça de novo e nos salve com esse poder etimológico... Óh PROMETHEUS! Ou agora ou nunca... Acode à OMS (Organização Mundial da Saúde) e, ao nosso governo Xuxalista do M'Puto para ficares mais eterno entre nós...

No final do século 21 centrado na tripulação da nave espacial Prometheus, seguem um mapa estelar escrito entre os remanescentes de várias culturas antigas da Terra, em busca das origens da humanidade e chega a um mundo distante e a uma civilização avançada, mas a tripulação descobre uma ameaça que pode causar a extinção da raça humana…

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 17:03
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 4 de Março de 2021
MOAMBA . XLVII

PERICLITÂNCIAS DO DIA-A-DIA – 04.03.2021

Crónica 3122No chirilimlim governamental  

Por 

roxo91.jpgsoba24.jpg T'Chingange – No Algarve do M´Puto

Encostado ao frio, calorifico a tostar-me as matubas, orelhas enfiadas num carapuço cheio de ácaros que borrifam caspa nas sobrancelhas brancas e pretas, escuto o orvalho feito chuva miudinha pela janela virada ao sul, que jorra até mim uma luz mirrada de sol dissipando, o ar entre o miósporo, o loureiro do alemão da alemanha e a buganvília que sode desordenada pela alta parede amarela do carcamano.

Este familiar dum tal barão também veio do sul de Angola por via da guerra do tundamunjila; um bóher descendente desse herói barão vermelho, um tal aviador destemido da segunda guerra mundial chamado de Manfred Von Richthofen que tinha seu avião cheio de riscas – cada risco correspondia a um avião abatido. Quando candengue da Luua, lembro ler as odisseias desta figura com seu lenço vermelho a ondular fora do pescoço e saindo até, da carlinga dum teco-teco de duas asas…

dia206.jpg E, enquanto é dia e de janela aberta, aqui no Barlavento, vejo o gato branco grande, tisnado de sujo e gordo que em cima do muro, se aproxima cauteloso até ao granulado de carne e peixe com restos de comida que ali é posta, na fronteira entre o que é meu e dele, o carcamano da Chibia; dissimulado entre o verde do loendro e o muro branco, surge o bicho feito pai, leopardo sem pintas. E, para alimentar uma ninhada de gatos emigrantes nascidos à-toa entre os cocorotes amontoados na empena da encosta tardoz do alemão, dispus-me a comprar no Auxan pacotes de comida, pois então- um de carne, outro de peixe!

Esta ninhada de gatos, dois pardos e dois brancos, vigiados de perto pela mãe farrusca de parda, vão aparecendo quando calha. A noite chega com inúmeros relatos de televisão mostrando seringas de agulhas quilométricas a espetar carnes – a tal de vacina que preenche o espaço de notícias semeadas de poeiras pandémicas com os grilos do chirilimlim governamental que se enfolipam nas regras já muito dobradas em plissado… Cumcamano…

edu43.jpg Mais à noite chegam os debates de comenteiros mostrando as crinas e até rabos sacudidos com vários barulhos de boa goela dando-me vontade de rosnar. Assim, encostando o frio com a mão bem junto aos teodósios esfrego as frinchas abelhudas de frio com as pontas dos dedos gélidos práquecer … Chega a hora de ligar o ar quente do condicionado, regular para os vintiquatro graus e esperar que normalize o espaço grande da sala cheia de trecos, bem nos vinte graus Celcius; os outros quatro graus escapam-se pelas fissuras porosas, sei lá - desacontecem.  

Mesmo sem querer espiar, lá vejo os garganeiros esgadanhando-se ou bajulando suas traições com beijos felizes e, assim, fazendo-me representar em meus olhos, revejo o tempo em que tudo o era; antes de poder ver assim, já pressentia! Tudo vai ficar na mesma. Lá vem o Fulano que parecia ser homem de tão justa regra e, de tão possivelmente o parecer, não poupa ninguém na aprazível e escorregadia omissão…

dia35.jpg Esperto que ele, Suaexcelência (tudojunto), chegue no quanto baste, sem se separar da saudade da direita; sem sobejo de esfoço, fala sem mudança afiançando sua fé de promessa, mas escapando-se entra nos entretantos canhotos… Não me dá tranquilidade, juro por sangue de Cristo porque também sou cristão, o quanto baste e, para além do mais, já sou suficiente graúdo e manteúdo – quersedizer, crescido emancipado e à espera de ser vacinado. 

Isto é como o jogo do baralho “a pátria não pode nada com a velhice” como do gato e do rato. Sei que estou dizendo algo deveras dificultoso e muito entrançado na doença do toque. Ninguém me pergunte nada – coisas destas não se perguntam bem porque, quando tudo está muito mal, só pode melhorar. Pois! De costas guardadas, o poder de minhas rezas vão-me rendendo aos poucos feito favas contadas entre o madrugar e o anoitecer.

DIA199.jpg Gato, mesmo tisnado ou queimado de água fria tem medo. Estou farto de ser mandado daqui para ali como se fosse uma criança de colo perdido do pai e da mãe. Pópilas! Quem é pobre pouco se apega a este continuo ver anoitecer sem amanhecer ou no vice-versa, chato de andar ao trambolhões, contando o sombrio das coisas. É e não é, num xissa, que enfim lá teremos de continuar comento pão com chouriço. Assim mesmo, o espaço é tão clausurado que assim pode acontecer, no sussurro da meia-noite, pode perfeitamente às nove horas, vir o diabo lamber o prato do gato…

O Soba T´Chingange

 



PUBLICADO POR kimbolagoa às 19:58
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 1 de Março de 2021
KANIMAMBO . LXXIII

FALSAS NOTICIAS - Fake News

- O Capeta é o “pai da mentira” - 01.03.2021

Crónica 3121 - A língua mentirosa é indicada como uma das seis coisas odiosa, noé!?

Kanimambo é obrigado em dialecto Changana de Moçambique …

Por bruno27.jpgT'Chingange - no M'Puto

Fake News é o nome que se dá às notícias falsas veiculadas principalmente na internet. Com as novas tecnologias, a circulação de notícias cresceu assustadoramente. O próprio Presidente dos USA, Trump, usou e abusou desta periclitante postura mas, há muitos seguidores desta prática...

A compreensão disso é muito importante porque vivemos num tempo em que a repercussão de uma mentira pode atingir inúmeras pessoas em poucos minutos e acarretar prejuízos morais e, ou, até mesmo financeiros.

muilas1.jpg  Inegavelmente a web pode ter espaço em nossa vida, mas não deve sufocar nossa existência. Quem vive submerso nessa condição é tentado a perder os critérios da realidade. No entanto, essas informações Fake News, são muitas vezes modificadas e veiculadas na internet com o propósito de manipular pessoas e eventos. Muitas das vezes, nós próprios, involuntariamente (ou não) somos levados a "surfar" em ondas de inverdades...

Se sobram informações em nossos dias, infelizmente faltam critérios para escolher o que passar adiante nas redes sociais. A Bíblia, diz que o apóstolo Paulo apresenta dicas importantes em Filipenses 4:8. Não vem mal ao mundo recordar estes fundamentos.

muilas2.jpg  Elas, de certa forma, nos orientam em relação a compartilhar uma mensagem: “... Tudo o que for verdadeiro, o que for nobre, o que for correto, o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas! ”. O apóstolo Paulo, destaca estas seis coisas específicas:

1- A VERDADE - Manifestação ou expressão do que se pensa ou do que se sente.

2- A NOBREZA - Qualidade de nobre, de excelente, de magnânimo.

3- A CORREÇÃO - Modo impecável de procedimento.

4- A PUREZA - Transparência; limpeza ou nitidez.

5-A AMABILIDADE - Atributo de Amável.

6-A BOA FAMA - tudo em que haja algo de excelente ou digno de louvar.

muilas3.jpg Antes de compartilhar qualquer conteúdo na rede, precisamos submetê-lo aos critérios do supra dito. Além disso, é preciso saber quem é o responsável legal pelas publicações e se quem faz a publicação tem credibilidade... Mais do que isso, é necessário sair da bolha da rede social. Existe vida fora da internet. Isso não significa ficar desinformado ou desligado das pessoas. Haverá sempre outros meios... Inegavelmente a web pode ter espaço em nossa vida, mas não deve sufocar nossa existência! Quem vive submerso nessa condição é tentado a perder os critérios da realidade, noé!? Por isso, as fake news se tornaram um fenómeno tão forte em nossos dias. Fuja das difamações, mexericos e críticas negativas no mundo real e virtual. Tudo o que dissermos, ou escrevermos, deverá ser verdadeiro, nada mais que a verdade - Ponto final.

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 08:06
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2021
XICULULU . CXXXIII

FALAS VADIAS E ATRAVESSADAS 25.02.2021

Crónica 3119Minha vizinha anda com medo de viver; ela não está nas listas VIP…

Xicululu: - Olho gordo; Avareza

Por 

araujo158.jpg  T´Chingange – No M´Puto

silas3.jpg Na mitologia Grega era de mau sinal olhar para trás mas, em realidade nunca ninguém mediu o tempo de duração desse mito. Assim, com incompleta confiança embrulhada em metades medrosas, pergunto: O que está a acontecer com toda uma multidão que feito país, protesta calada em casa!?

Sabe-se que há problemas que surgem com as tosses cheias de pulmões nas palavras mas, afinal que está a acontecer? É a pergunta de qual, quando e como, vai ser o rendimento mínimo a atribuir para um cidadão continuar vivo! Pópilas! Lá teremos de sufocar ou sufragar as regras e os mitos sem obedecer aos muitos minutos andando às voltas pelo quintal olhando as nuvens, negras cheias de água num chove, não chove.

way4.jpg A mulher de Ló sabia que não deveria olhar para trás para poupar a própria vida (Gn 19:17), mas mesmo assim olhou! Ver assim os ramos do loureiro árvore, tombar a indicar de onde vem o vento e, se vem triste, húmido, feliz ou de jacto. As noites mal dormidas a ampliarem coisas e loisas que passam em nossa cabeça e, porque na generalidade dos sentimentos o medo não tem um interruptor para os ligar e, desligar.

Se estás mal da bexiga, irás ficar mal dos sentimentos; em verdade quem tem cu tem medo; isto também se aplica ao baço, ao fígado, outros sistemas do esqueleto e, vai por aí… É que numa malazenga destas, só se consegue saber tudo dela quando a mesma acabar.

xiricuata4.jpg  Assim, andando em círculos, passando pela décima vez pelo canteiro das hortenses, lá pela décima terceira, paro e pergunto; pergunto, não! Afirmo-lhe: Este Mundo está perdido, noé? A fazer perguntas sem respostas com a natureza tão honrosa, tal e tanta que nem eu que sou feiticeiro, tenho ânimo de mentir, nem de me caber calado.

Mas, sei o que é importante, viver em estado de emergência é marcar consulta por computador, esperar a hora certa ou renovar a receita por meios digitais. Minha vizinha Augusta, recentemente disse que anda com medo de viver. Num enfim mas também, o que é que vale, o que é que não vale? Como assim! Estou falando demais.

xinguila4.jpg No que é que a velhice faz. Juro! Estou querendo ser cincerro… mas hoje, ou até hoje, representando os meus olhos, acho até que tenho de aprender a estar alegre e triste em simultâneo rindo das próprias folhudas pestanas muito parecidas com as de Cunhal. Assim fixamente, digo a mim: Em cada dia, de cada hora, a gente aprende uma nova qualidade de medo.

Com mais de oitenta anos, minha vizinha Augusta, deveria estar na área VIP. Bem! Poderia fazer como a conhecida Ana Gomes do PS do M´puto que fez candonga comprando, nem se sabe como, uma vacina à Conxinhina. O medo é que guarda a vida noé? Não é bem assim o tal ditado; o medo é que guarda a vinha. É mesmo um escambau - (…mandam eles é o escambau, aqui mando eu…).

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 15:17
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2021
KANIMAMBO . LXXII
TEMPOS COM FRINCHAS - 22.02.2021
- Deixar para amanhã o que pode ser feito hoje é um traço comum da natureza humana...
Crónica 3118 - “Hoje” - É a VIDA com fé.. COM OU SEM VACINAS. O HOJE, NÃO VIRA AMANHÃ... No tempo, o TEMPO, pode fazer a diferença...
Por 

t´chingange2.jpg T'Chingange -No M´Puto

Em tempos, um turista visitou o campo da batalha de Waterloo, com um velho guia. Chegando ao local do centro da batalha, o guia indicou o muro que protegera a velha guarda de Napoleão, o fosso onde se esconderam os mosqueteiros de Wellington e o poço em que foram lançados os corpos mortos. 

  Perguntando ao guia de que direção haviam vindo as tropas em socorro dos aliados, o guia apontou para uma estrada no cimo de uma colina distante e exclamou: Foi dali que ele surgiu, às QUATRO horas da tarde! Voltando-se para a colina oposta, afirmou: E, foi ali que Jerónimo, o artilheiro, devia ter plantado seus grandes canhões, às TRÊS E MEIA . Então, maldizendo o artilheiro Jerônimo, murmurou: “Tarde demais, tarde demais, e perdida estava a França.”

  Esse foi o descaminho em que se perderam a fama, as fortunas e a vida ao longo de todos os séculos; por meia hora... “Tarde demais, tarde demais.” Deixar para amanhã o que pode ser feito hoje é um traço comum da natureza humana. Nos domínios espirituais, isso pode ser fatal - tudo pode mudar em um segundo...

Uma senhora que por muitos anos não estivera na igreja ouviu um sermão evangelíco, e o Espírito impressionou seu coração. Imediatamente reconheceu seus pecados, que eram muitos, e se prostrou para orar. Uma senhora crente, a seu lado, orou com ela e a encaminhou ao Salvador. Ela aceitou o sacrifício de Jesus e foi para casa convertida.
  À saída, ela disse à sua amiga cristã: “QUEM ME DERA TER UMA BÍBLIA !” A senhora, que era enfermeira, deu um exemplar a ela, no qual havia escrito Lseu nome da enfermeira.
No dia seguinte, quando atendia os doentes no hospital, alguém a informou de que na véspera houvera um caso grave: uma senhora tinha sido atropelada por um camião e morrido. E, o curioso, disse a informante, É QUE ELA TINHA UMA BÍBLIA COM SEU NOME.
  Ela disse qualquer coisa antes de morrer? perguntou a enfermeira. “SIM ”, foi a resposta. Ela disse "GRAÇAS A DEUS PORQUE ISSO NÃO ACONTECEU ONTEM !" Em resumo: somos uma ilusão; em um segundo somos e em um OUTRO segundo, deixamos de o ser - É a VIDA com fé.. COM OU SEM VACINAS. O HOJE, NÃO VIRA AMANHÃ... No tempo, o TEMPO, pode fazer a diferença...
O Soba T'Chingange


PUBLICADO POR kimbolagoa às 19:55
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sexta-feira, 19 de Fevereiro de 2021
N´GUZU . XXXVII

CONHECER O BRASIL – LUNDU - Era uma dança de escravos “angolanos crioulos”, muito indecente na qual se faziam mil espécies de movimento com o corpo. Corria o ano de 1878  …19.02.2021 .....  N´Guzu é força (Kimbundo) – Crónica 3117

lundu05.jpgPor: T´Chingange – No Algarve do M´Puto

Lundu, era a dança mais difundida do século XIX no Brasil. Levada pelos escravos da Matamba de N´Gola e África Central, era cantado e dançado na forma original de umbigadas, movimento de ancas acompanhado por batuque em que os corpos se encostavam num movimento a que mais tarde, século XX, se veio a chamar de massemba; Nos domingos de folga, os escravos, nos recantos rurais e nas praças públicas das cidades, divertiam-se num remexo das partes inferiores do corpo ao jeito a que recentemente se deu o nome de corrumba…

As gentes da Metrópole, M´Puto, descreviam esta manifestação como de cavalhadas, dança afandangada onde se lhe reconhecia traços portugueses e até espanhóis com o estalar de dedos como se castanholas o fossem, acompanhando os violões e bombos de batuque. Os folcloristas de então tinham o dilema ao definir o enlace de misturas de chulas ou fados, acompanhados de requebros com alguns indícios ibéricos em roda e, desgarradas graciosas com palmas ritmadas no acompanhamento…  

lundu1.jpg Os mestiços ou libres pobres alforriados saracoteavam passos ondulados e engraçados marcados ao ritmo de palmas, até apitos e assobios a acompanhar cavaquinhos, flautas, violas, urucungos na forma moderna de berimbau e até marimbas improvisadas na forma tradicional de áfrica feitas de cabaça. Qualquer coisa que soasse, caixa, caixinha, pau oco ou casca de fruta seca como a vagem seca da acácia rubra…  

O lundu terá chegado aos salões aristocráticos da europa lá pela segunda metade do século XIX, por via da atracção dos finórios, calcinhas dançarinas que queriam fazer estilo de banga entre seus pares urbanos, atritos a excentricidades. Estes, quando tocados e dançados em salões chiques, teatros, circos ou casas de diversão ou alterne, meninas morenas do quebra ou racha, eram acompanhadas ao piano, um género de modinhas humorísticas.

lundu2.jpg Os compositores ávidos de variação diferenciada compunham assim música de teatro numa mistura de modas eruditas para atrair público mais refinado. Os salões mais requintados faziam questão de mobilizar serenatas, canções sentimentais com contrabaixo e até violinos. Temos assim a presença de difícil delimitação nos estilos com batuque, as chulas, as chibas (é sinónimo de samba no Norte e de Cateretê no Sul, reunindo damas e cavalheiros para dançar e cantar), fados, modinhas de novela com queixumes e choros com diferentes segmentos sociais. Chiba ou xiva que “é uma dança de roça, ao ar livre”, com violão, viola de arame, pratos, pandeiros e cavaquinho.

Os músicos negros barbeiros, anunciavam pela cidade de S. Paulo as festas religiosas, públicas, eventos com circos populares e artistas de rua. Para além destas festividades juntavam-se em locais próprios do teatro, os intelectuais misturados com boémios exprimindo-se com variantes de valsas e um tal de batuque rasgado. Estas trocas culturais eram intensas inviabilizando a circunscrição de um grupo étnico, ou social especifico em alguns destes estilos.

lundu06.jpg Pelo dito fica clara esta afirmação moderna do espectáculo maior no que é, e se sofisticou no carnaval actual, como o maior espectáculo do mundo. Gente observadora podia naquele então fins do século XIX, descrever lavadeiras negras e escravos cantando e farfalhando-se com polcas e barbeiros afandangados e dobrados em requebrados de quadrilhas, batuques em barracas, terreiros de cortiços e diversão em ajuntamentos públicos.

lunu0.jpgNa última década do século XIX surge então um novo género influência de todos os outros, esse tal de maxixe com choros de flauta, misturando violão, flauta e cavaquinho nos teatros de revista. A capital do Império S. Paulo, seguia assim as tradições de música lundu com batuque apesar de muito condenada pelos moralistas, defensores de uma civilização europeia. Tudo muito distinto desses candomblés e forrós de negros, mestiços e mazombos saídos duma fusão de raças, costume e superstições de três continentes mas, mantendo seu cunho de matriz africana de N´Gola e outras negruras.

Bibliografia: - Brasil Imperial

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 21:29
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 14 de Fevereiro de 2021
MALAMBAS . CCLIV

MOMENTOS CRITICOS - Boligrafando estórias na cor de “vamos que vamos, com urtigas”

Crónica 3114 - Nos intervalos da vida, durmo! 14.02.2021

MALAMBA: É a palavra.

Porsoba0.jpeg T´Chingange – No Al-Garb do M´Puto

urtiga3.jpg Dos guarda-chuvas da vida ocorrem saudades do passado com noites interrompidas a miúdo, gotejando a cada duas horas pedacinhos de máquina envelhecida. Os sonhos variados oscilam entre os pesadelos para os socorrer de alertas com posturas oleadas em velhos esqueletos, pois! Limpei o quintal sombrio do lado tardoz, uma parte muito cheia de urtigas; aproveitei assim tanta fartura a pensar fazer daqui uma sopa e um esparregado pelo que busquei na internet a forma de faze isto. Dito e feito mas, com luvas.

E, como tinha já três pequenos sargos a descongelar, achei que este pitéu ainda desconhecido seria uma boa ideia. Acrescento que neste sector posterior, a sombra é muita pois que o meu vizinho alemão Fritz Von Richthofen plantou árvores gigantes pelo que sua casa também tapa o sol do lado sul e, de uma forma mais drástica quando este vai baixo durante o inverno. Por verificação notei que só se dá ali batata-doce de verão e urtigas de inverno devido à grande humidade.

urtigas2.JPG Condicionado ao muro e alçados crescidos do meu lado Sul, vejo-me assim na contingência de aproveitar tanto as urtigas viçosas e a rama de batata-doce para fazer cozinhados, pois! Ter um jardim é a possibilidade de enfiar as luvas na terra para atenuar a prisão caseira por cautelosa do confinamento, revirar uns quantos caracóis e espezinhar lesmas para deleite das gralhas e charnecos que depois as vêm comer.

Charnecos que pululam aos pares grinfando e gralhas em bandos que grasnam entre o loureiro do carcamano Fritz e a manjedoura bem por debaixo da minha anoneira. Foi aí que situei uma gamela aonde coloco comida granulada para gatos. Bem ao lado tem um bebedouro e, assim sucede que gatos avulsos e alheios se habituaram a comer de borla por conta do meu erário. Um destes dias os passarocos de tanto comer granulado de gato, irão miar…Um espectáculo!

urtiga4.jpg Para além da bexiga nada mais me dói; hão-de vir dias melhores, creio! Apanhar a vacina lá para o mês de Julho na melhor das hipóteses e, depois, marcar passagem para o outro lado do Atlântico, visitar o Caminho de Moisés a norte de Maceió, percorrer a marginal Norte até poisar em Porto de Galinhas depois de admirar o mar esmeralda de Maragogi e, ou o azul das enseadas mais profundas. Por ali ficarei matando saudades, comendo sarapatel e caldinho de feijão com iguarias de cirí.

A maior ansiedade vem da necessidade de mudar de roupa sempre que se sai para ir fazer compra ou fazer outra qualquer tarefa, resvalar de lado na amizades oscilando um longínquo olá, originando afectos curtos em distanciamento na forma de baralhar um incerto futuro. Minha mulher retoma ao croché, faz bordados e tricotei-a o futuro; nos intervalos admira da janela o gato branco e o malhado, maldizendo o gatão branco que vem de mansinho roubar a comida gourmet na forma de espinhas  e molhos escalfados nas misturas de sobras.

urtigas1.JPG Começo a ler e, passada umas páginas já me esqueci do que ficou para trás, as coisas descontinuam, volto de novo relendo o debruço de vazios, podendo assim aferir a alma que se obtém do corpo. E, agora vamos ao trabalho das urtigas: Como planta urticante teremos de usar luvas para evitar o efeito urticante de suas folhas. Ela tem propriedades medicinais para além de ser comestível e, até de alto valor nutricional e culinário; a humilde urtiga está aí à nossa disposição, gratuita, neste ano em que a muita chuva permitiu o seu desenvolvimento pleno em belos exemplares que só esperam que os colhamos e os transformemos em iguaria, noé!

Ingredientes: Folhas de urtiga; Azeite; Alho; Farinha (maizena, ou fubá); Sal e pimenta; Vinagre ou sumo de limão. Preparação: Apesar de muitas técnicas retiram-se as plantas com folhas mais desenvolvidas e finas, de preferência antes de terem as inflorescências formadas. A única parte que se aproveita da urtiga, para fins culinários, é a folha, já que os caules são fibrosos; a primeira operação após a colheita será portanto separar as folhas dos caules, o que deverá fazer ainda com luvas. Lavam-se as folhas e escaldam-se de forma repentina em água a ferver temperada com sal.

urtiga5.jpg Esta operação provoca uma diminuição surpreendente e instantânea de volume (pelo que a colheita deverá ser grande), ficando as folhas escaldadas e escorridas e, inofensivas param a pele, podendo a partir de agora ser manuseadas e ingeridas sem qualquer problema. Esta primeira fervura rápida, dito “branqueamento”, remove também um travo a “chão” podendo usar-se para recheios, em sopas (como se de nabiças se tratasse) ou em esparregado que, é a forma em que a urtiga revela todas as suas potencialidades gastronómicas.

Depois de bem escorridas as folhas, corte-as fino, deixe escorrer mais um pouco e leve-as ao lume em azeite com alhos picados. Envolva bem, deixe cozinhar por um ou dois minutos e ligue então com uma colherinha de uma farinha ou fécula. Tempere com sal e pimenta e acabe com um golpe de vinagre ou sumo de limão. O esparregado tem um aspecto fantástico, semelhante ao esparregado de nabiças, o meu preferido. Bom! Comi e até que gostei…

O Soba T´Chingange    



PUBLICADO POR kimbolagoa às 22:20
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

FRATERNIDADES . CXXXI

NAS FRINCHAS DO TEMPO - 14.02.2021

Crónica 3113 - Serviço voluntário - um DOM necessário nos dias que escorrem...

Por 

 soba001.jpgT'Chingange - No Al Gharb do M´Puto

lobo1.jpg Felizmente, estamos hoje e por via da COVID vendo gente trajando vestes brancas e, como médicos, enfermeiros ou auxiliares aí estão salvando ou tentando salvar um semelhante. Vemos isto desde o romper da alvorada até de novo, nos deitamos... O voluntariado valoriza o currículo de qualquer pessoa. Normalmente as empresas apreciam essa característica, pois evidência responsabilidade, iniciativa, disciplina e trabalho em equipa. O país agradece...

Em geral, quem é voluntário é dedicado e, se não vive em busca de aplauso ou tem outra coisa em mente como servir-se disso para obter benefício, será sempre louvável. Alguns nasceram com o dom de servir. Acordam todas as manhãs esperando a oportunidade de ajudar alguém. Essas pessoas não precisam de chantagem emocional ou pressão para fazer o que é necessário. Bem-haja!

luis44.jpg O envolvimento é natural. Em sua maioria, os voluntários são amorosos, colaboradores, prestativos e gentis. Por norma é a força da Igreja que está no voluntariado e, isso é bom. Tendo Jesus como modelo, trabalham com dedicação, prontas para arregaçar as mangas e servir em seu nome. Mas, até pode ser por Buda, por Alá ou o que lhe aprouver...

Mesmo que não seja algo natural para você, quero desafiá-lo hoje a fazer algo por alguém. Você tem dons e habilidades - use-os em favor das pessoas que estão à sua volta. Existe muita coisa a ser feita, e seus talentos, podem certamente ser bem úteis.

jatiu3.jpg Peça a si mesmo para abrir seus olhos e, ver as necessidades dos outros. Sempre é tempo de fazer um novo começo. Não espere ser nomeado para servir; o espírito de serviço quer-se voluntário. Aliste-se nesse exército, tornando o mundo um lugar melhor para se viver. Ajude pessoas a serem até capazes de sonhar. Ensine alguém a sorrir ou fazer palavras descruzadas e até fazer notar as diferenças numa foto...

Feliz semana!

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 19:10
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 8 de Fevereiro de 2021
XICULULU . CXXXI
O DESERTOA , a IMPUTABILIDADE  e a COVID
Crónica 3112 - Domingo 07.02.2021
Por soba24.jpgT´Chingange, no Barlavento algarvio do M´Puto

nauk2.jpg Não sei se você já esteve num deserto. Eu estive e não desgostei mas, ia rodeado de mordomias, água fresca da caixa térmica, coca-cola, cervejas, frutas e sorvete feito gelado ou baleizão como sempre chamei quando ainda estava na Luua de Angola. Mas, diga-se que é um lugar solitário, árido, amedrontador até, se não tiver as condições de como sobreviver. Areia por toda parte, sol inclemente, calor sufocante, paisagem desolada; o deserto é terra de abandono e morte. É preciso ter espírito de beduíno, couro de lagarto ou “tanque” de camelo para sobreviver na imensidão do nada, sem oásis e sem água.

nauk3.jpg Por défice de humidade, perdendo mais água do que recebe, os desertos ocupam um terço (33%) da superfície da Terra; genéricamente, os desertos não têm vegetação suficiente para sustentar nossa vida. Os Coisans, Bosquimanos, são o único povo que conseguem ter algum modo de vida no Calahári, lugar aonde também andei, calcorreando... Em geral, são lugares desabitados. A própria palavra deserto, originada do latim desertum (“lugar abandonado”), foi utilizada durante muito tempo para descrever uma área despovoada. Mais recentemente, o termo ganhou a conotação de aridez.

nauk7.jpg Em nossa vida, muitas vezes enfrentamos o deserto, longe da família ou parco de outros recursos que nos trazem comodidade. Fora do espaço familiar e adentrado num proceder desconhecido, sente-se inconformado, abandonado, descartado, CONFINADO. Mas, o deserto pode ser a espera por um emprego, o estar fechado em casa, a espera de um resultado de um exame médico, a conta bancária no vermelho ou a rotina vazia esperando a VACINA ANTI-COVID. Uma depressão paralisante, um PESADELO como quem está num deserto em abandono. Desertos existenciais são diversificados e preparados para testar todos os tipos de pessoas sem ter em conta a posição social, sua cor ou credo com algumas excepções. E, é no DESERTO, que você percebe seus limites, desconfia de sua integridade, apercebe-se de sua fragilidade, reconhece seus fracassos e enfrenta a tentação de furar a sorte.

nauk13.jpg Que até luta com Deus, desafiando o diabo e, descobre uma força que não conhecia: -retirar a hipótese de vida a um outro desviando o quinhão de vida de outro ALGUÉM. Neste estado catafórico, perde até as ilusões de ser purificado na vaidade ou destreza saindo-se com uma nova visão da vida, furtando-a ao próximo... Afinal qual é o seu DESERTO ? Você também acha que o deserto é apenas uma boa paisagem para criar um oásis!? Ou acha que é o lugar para descobrir que você é menor do que pensava e que Deus, é maior do que você imagina. Que afinal a tal de IMPUTABILIDADE é falival,  porque só é uma lei feita à medida para uns que se julgam ser!? Não se esqueça destas debilidades...

O Soba T'Chingange


PUBLICADO POR kimbolagoa às 13:15
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 6 de Fevereiro de 2021
KANIMAMBO . LXXI

REGRAS DE VIDA – O TESTEMUNHO da CONSCIÊNCIA - 05.02.2021

Crónica 3111Kanimambo é obrigado em dialecto Changana de Moçambique

Por soba24.jpg   T'Chingange  No Barlavento do Al-Garbe do M'Puto

 dia123.jpgComo é!? Como foi? Hoje mesmo, não estou para ter confiança nenhuma em ninguém – Eu explico: Assim, sem mais de pensamento, sem até ter substância narrável, ouço o que não quero ouvir, leio o que nem quero ler e num cala a boca, desconcentro-me em trapalhadas governamentais. Amiudadamente encontro gente que diz confiar na própria consciência. Quase sempre, quem diz isso, nem mesmo sabe o que é isso de consciência. Ela, a consciência, é um impulso interno que nos dá a percepção do que está acontecendo à nossa volta.

arau44.jpg Com tão grossa PANDEMIA o todo confunde o tudo e, sem querer ferir susceptibilidades, mantenho minha fraca esperança sem conformes, nem outro nenhum decente fingimento. Com tanta sirene de ambulâncias, meus beiços, desconfio que já nem sei se dão para os fazer assobiar... Deveria mostrar que as exigências da Lei estão gravadas em meu consentimento - deveria! Mas, também aqui a consciência me barafunda os pensamentos e, ora os defendo, ora os acuso. Afinal, a consciência que é a nossa base de dados interna, baralha-me na tomada de decisões... Em Outubro do ano findo telefonei vezes sem conta para o Registo Civil por via de renovar meu passaporte. Levou quase quatro meses para ir ao aprazado agendamento e levou mais um mês para me entregarem o dito cujo.

dia69.jpg Marquei passagem, anulei, adiei e, mala feita, não senhor! Voos cancelados. Os espaços de tempos ficaram calados num fica assim-assim, como jogo de baralho. Nisto e aquilo, a questão é, o quê- quiékie!? Qual é mesmo, a fonte que está alimentando nossa consciência? Coisa nebulosa. A consciência testemunha nossas acções e as expõe, avaliando-as com base em seus critérios éticos, noé!? O que faz uma testemunha? Ela conta o que viu e ouviu. A consciência ora acusa, ora defende. Ela nos acusa quando fazemos algo errado. Pois sendo assim, estou todo eu no gerúndio dessa palavra: “testemunhando” com a língua agarrada aos dentes, rilhando...

DIA 157.jpg Nossa consciência não é infalível. Ela pode estar errada; pode também endurecer. Ah hó xíí, poispois... Quem assim procede fica sábio no gerúndio, com a intenção de mostrar que ela está activa o tempo todo - desconfiando... Para cada indivíduo, a função da consciência depende, em certo grau, de sua experiência, maturidade e, principalmente, da quantidade de verdade que está guardada em sua mente. Portanto, nosso maior desafio é fornecer à nossa mente informações verdadeiras nas quais ela se possa basear. É aqui que nossa regra de fé entra em prática para definir CONFUSÃO. Sem ela, a FÉ como um suplantado padrão, a consciência pode se perder nos descaminhos deste mundo. Pelo sim, pelo não, passei a andar com um ÁS DE PAUS no bolso direito. Falei!

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 13:17
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 4 de Fevereiro de 2021
MOKANDA . CCLIV
A RACIONALIZAÇÃO DO MEDO - 04.03.3021
"ELES" atiram primeiro a AGULHA da decisão e só depois traçam os círculos da racionalização.
Crónica 3110 - Tenham cuidado para não fazerem o mesma que ELES...
Por    T'Chingange - No Algarve do M'Puto...
   Qual é seu objectivo na vida? Você tem decerto um alvo bem definido; aliás, todos temos: - VIVER! Li certa vez que um homem, ao entrar pela primeira vez numa aldeia, viu uma porção de alvos com uma flecha no centro de cada um deles. Ele deduziu que deveria haver um bom atirador nessa aldeia e pediu informações a seu respeito. Disseram-lhe que aquilo fora efetuado por um TOLO. Ao encontrar o responsável por aquela proeza, o visitante o cumprimentou: – Você deve ser um bom atirador.
  Como consegue acertar sempre bem no centro do alvo? – Oh, isso é fácil, replicou o TOLO. Atiro a flecha primeiro e, só depois traço os círculos! Foi neste TOLO que pensei assim que tive conhecimento de que gente com algum poder institucional, exacerbou sua astúcia furando a prioridade na VACINA PFIZER...
Pois então! Não é assim que muitos procedem na vida? Que fazem primeiro o que bem entendem e, traçam depois círculos de racionalização em suas acções pondo-as ao jeito; convencendo-se de que acertaram no alvo fazendo-nos de gente dismilinguida (tola..)
  A racionalização neste item, é um membro dissidente de uma sociedade respeitável. É bom ser-se racional, mas é perigoso racionalizar desta forma tão torpe e por demais, quando se toma alguém por responsável. Furar regras de ética não o é de bom senso - Nem um pouco...
Racional significa: “Que faz uso da razão; que raciocina; que se concebe pela razão; conforme a razão; aquilo que é de razão.” Por sua vez, racionalizar também quer dizer “inventar explicações ou desculpas" superficialmente racionais ou plausíveis para certos actos, crenças, desejos, etc.
As justificativas insatisfatórias que apresentamos para se ser melhores cidadãos constituem em grande parte uma racionalização. Razões são uma coisa; desculpas são outra bem diferente. Tive um exemplo aqui bem perto de mim na pessoa de Presidente de um Município de nome Isilda... que titubeou minha moleirinha...
  Um bom exemplo serão as respostas dos dez milhões de convidados do M'Puto, que como parábola, também não querem morrer antes da hora. Agora, idealizar tentativas para ocultar a triste realidade em que todos estamos metidos boas ou falsas desculpas, não são as melhores razões para escapar à ordem! Tentativas para ocultar a triste realidade é crime... Ou não o será!?
À semelhança do homem TOLO desta estória - narrativa, ELES atiram primeiro a AGULHA da decisão e traçam então os círculos da VERDADE. Tenhamos cuidado para não fazermos a mesma coisa noé!? Esse Senhor da tal Task Force "Francisco Ramos" também tem o dever de não parecer ser tolo...   :::::    PS... Este senhor do Task Force, de ontem para hoje, já se demitiu deste cargo. Falta demitir-se da Cruz Vermelha! Entretanto espera-se a decisão da Presidente do Município de Portimão que tudo indica vai passar na FARSA . Engana-me que eu gosto...
O Soba T'Chingange


PUBLICADO POR kimbolagoa às 16:18
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sexta-feira, 29 de Janeiro de 2021
FRATERNIDADES . CXXX
Por mais longo que seja o tempo de INCERTEZAS, haverá sempre um oásis para o qual seremos encaminhados sob a nuvem...
Cronica 3107 - Não virá mal ao mundo pensar assim... 29.01.2021
Por  T'Chingange - no Algarve do M'Puto -----------------------------------------------------------------------------------Será mesmo assim o que se diz: Atrás das nuvens, o Senhor trabalha em nosso benefício. É que, de acordo com o imaginário popular, “anda nas nuvens” quem devaneia, sonha com o impossível ou se permite embalar no auge de uma experiência feliz.
Pelo meio da manhã, céu escuro de encoberto, minha primeira providência é abrir a janela do quarto, mais da sala, deixando o ambiente mais iluminado. Saudar o loureiro àrvore do alemão, com um Guten Morgen À tarde, nos dias de sol, solto a franga e ali fico esparramado na açoteia vendo as lonjuras e a Serra de Monchique por um canudo.
  Hoje está tudo tapado, sem nuvens, só cacimbo cerrado que nem dá para ver o mar, Lagos e Portimão. Os apitos dos barcos ouvem-se roucos. Com esta confinacâo seria bom termos Sol para espairecer nosso mofo acumulado um pouco por todo o corpo e, até nos labirínticos pensamentos do cerebelo mas, manda quem pode! ...
Nuvens são objeto de inspiração para artistas, fotógrafos e gente que poetiza. Gostamos de admirar seus diversos formatos, sua brancura e seu deslocamento no espaço mas hoje dia 29, malé, não há sonhos de kukia nem vistas de assombracões. Só mesmo humidade que penetram nos fundilho do tornozelo como se o foramos presos e, da paciência, também...
  Eu sei! Sem nuvens, não há neve, relâmpagos nem arco-íris. Elas realçam a beleza do pôr do sol e estão presentes nas mais belas paisagens. Apesar disso, quando trazem fortes tempestades, uns colhem graves prejuízos, outros armazenam água para o restantes dias do ano... NATUREZA é isto mesmo.
As nuvens são muito importantes para o equilíbrio da vida no planeta, sendo responsáveis pelo ciclo da água e pelo clima; portanto, fundamentais na meteorologia. Há muitas referências bíblicas às nuvens mas, não vou por aí senão ainda chovem santinhos no meu quintal...
  Mas, lá terei de relembrar que Deus acompanhou Moisés na descida do morro feito nuvem negra quando promulgou o Decálogo, garantindo assim estar a seu lado nessa tal de "nuvem escura”. Embora eusinho, tivesse visto no filme dos 10 mandamentos serem labaredas de fogo a cortar rocha.
Há outros textos nos quais a glória divina aparece velada por uma nuvem, em benefício do povo pecador. Essa é uma lembrança apropriada de que às vezes somos impedidos por “nuvens” de ser aquecidos e iluminados pelo Sol da existência. Será que esta realidade é comum em um mundo imperfeito? Essas “nuvens” parecem esconder de nós o Senhor que se diz sempre trabalhar em nosso benefício.... As amendoeiras florescem - aleluia...
O Soba T'Chingange


PUBLICADO POR kimbolagoa às 18:39
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 28 de Janeiro de 2021
KALUNGA . XVI
MOKANDAS XINGUILADAS
A DOENÇA DA DEMOCRACIA E A PANDEMIA 25.01.2021
Crónica 3106 - Xinguilar: Palavra angolana que significa entrar em transe em um ritual espiritual, geralmente ligado aos cultos nativos dos ancestrais e Nkisi/Mukisi.
Por     T´Chingange – Desde o Barlavento Algarvio do M´Puto
O busílis da “doença da democracia” está em esta aumentar a desigualdade sem impedir o crescimento do endividamento que sobe à semelhança da pandemia e, que em flecha sobe para o espaço - na vertical. Agora que estamos em uma crescendo medonho de infectados com o vírus, com tudo encerrado e hospitais saturados, como iremos sair então deste beco apertado de sanidade.
Sem empresas laborando, não haverá trabalho e, sem estas, não haverá Estado nem empresários. Aquele de “Por favor ajudem-nos todos” que ecoou por aqui e ali, foi o grito da Ministra da Saúde de nome Temido, que veio tirar da letargia o próprio Governo que teimava e teima em conciliar o inconciliável medo, como se todos eles, no poder, tenham frieiras de tolher decisões. Parece não haver os suficientes recursos nem técnicos suficientes no momento; infelizmente parece ser um facto!
  Um dia tinha de acontecer isto por via das restrições ao Curso de Medicina e, por via das altas notas exigidas pelas Universidades mais os condicionamentos exigidos pela Ordem dos Médicos. Também pela forma como os Enfermeiros foram tratados, vendo-se na contingência de abandonar o país para sobreviver em essas outras paragens. Verifica-se assim a democracia andar doente na honorabilidade da prática, por falta de ética ou por uso incorrecto das leis. E, seja o P.M. Costa, seja o P.R. Marcelo, cometem deslizes – eles não são bruxos…
  É fácil acertar no totoloto à segunda-feira mas, era de prever que isto em um dado instante não daria certo. Falharam! Falhamos! Mas, sempre há tempo para se morrer! Sempre é tempo para se fazer outro início! Não sei se por egoísmo ou se por outras quaisquer periclitãncias, hoje os SNS – Serviço Nacional de Saúde, está a sofrer na pele algumas daquelas posturas egoístas que as classes quase sempre teimam em preservar a contento lixando-se nos demais. Eles, os governantes que idealizam, que mandam e desmandam fazem com que andemos tiritando medos pelas pontas das unhas, dos pés e das mãos…Também e, de momento, as ajudas nas chegadas de vacinas parecem estar a passo de caracol.
 E, sendo assustador, somos levados a fazer a pergunta: Porque se demorou tanto a reagir? Pude ler no Expresso pela caneta de seu Director que António Costa como gestor deste País se esqueceu de que a prioridade dum condutor de um barco é diversificada. Induzindo isto em metáfora, sempre será mais fácil apreender a cena duma outra forma: A preocupação fundamental dum PM ou PR, não é a de se chegar ao destino mantendo-se ao leme como timoneiros ou de garantir o bom estado do barco. Não! As suas obrigações principais, serão garantir a segurança de todos os passageiros, nem que para isso tenha de se parar a embarcação num bom porto.
Nesta guerra pandémica será mais fácil uma afronta ou ataque directo às hipóteses segundo a opinião dos cientistas, de epidemiologistas e analistas sem dúvidas grosseiras, ao invés de daí, se retirarem benefícios políticos. Sempre aquela mancha ideológica de que os políticos enfermam e, que naturalmente nos confundem. Com os holofotes mal direccionados misturam ou deturpam nossas preocupações. Como diz a sombra esquerda de Saramago, o tempo não é uma corda que se possa medir nó a nó como faziam nossos antigos marinheiros para definir baixios.
  O tempo, é uma superfície oblíqua e ondulante, dependente dos actos ou feitos. Uns fazem, outros dizem fazer, outros, é só de faz-de-conta, fingindo que sabem mais do que Zaratustra ou Nostradamus. O sol, o ar, a água, e a terra, têm de ser considerados permanentemente parte de nós. O corpo é em verdade o pára-choques das emoções tendo entre outros males o medo, como um veneno mortal. Vivemos momentos de medo, de imposições e uma baralhada de posturas com cães à trela, e assim mais assado, fique ali e… Tudo fica por aqui, na incerteza…
Não nos cairá bem, fazer olhinhos de complacência a um qualquer inqualificado político, magarefe que ao invés de nos servirem, se servem! Não é para isso que nós os elegemos! Com muitas lacunas e tanta precaridade dá para se aprender que o caminho da convergência, da união, sempre tão esbugalhado, caminhará para um beco se não derem rumo certo ao barco. E, num sempre já agora, o que é que não funciona bem? O povo ajuizará por finalmente: sempre na expectativa de que a prescrição corre mais rápido que a decisão…
O Soba T´Chingange


PUBLICADO POR kimbolagoa às 20:08
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 24 de Janeiro de 2021
MUXOXO . LXIII
-Existe por aí uma filosofia não declarada de que “O MUNDO É DOS ESPERTOS ” - 23.01.2021
-Sem PROCURADOR VERÍDICO, eles, os governantes do M´PUTO, terão vantagens em tudo e, à revelia ... Crónica 3105
Por T'ChingangeNo Sotavento do Algarve – M´Puto
:::::1
Não furtem. Não mintam. Não se enganem uns aos outros. É o que está escrito no Levítico 19:11 da BÍBLIA, mas, na filosofia APÓCRIFA governamental do país M'PUTO, a estória anda a parecer ser declaradamente de que “O MUNDO É DOS ESPERTOS” – Quersedizer: -DELES...
É a frase que se sugere passar aos outros, a NÓS, enquanto ELES vão colocando as pedras basilares na JUSTIÇA, na BANCA, nas INSTITUIÇÕES e edecéteras que no futuro controlarão ao seu jeito jeitoso, as verbas, o CUMBU da tal de BAZOOCA!
:::::2
OLHO VIVO - Isto tudo indica vir a ser, para trás, para a frente e para os lados, um grande negócio da NOMENCLATURA. PÓPILAS! Em nosso país, as leis são mentirosas pra caramba, o tempo todo. A inverdade engravida a desonestidade DELES que segundo os PROCEDIMENTOS, está no ADN de mais que muitos pois que todos se acobertam...
Em geral, quem consegue levar alguma vantagem sente-se o máximo; lamentável noé! A Costa o que é de Costa e, a César o é NOSSO... A oposição anda adormecida, quase moribunda, o Presidente a tudo diz ÁMEN e, o “jeitinho” bem ao modo brasileiro torna-se num expediente criativo no meio do MEDO...
:::::3
Para forjar regras, flexibilizando ou quebrando normas que deveriam aplicar-se a todos, ELES justificam o inexplicável. Essa coisa negativa, geralmente coloca as relações pessoais acima do dever. Cá para mim que sou "UM ZÉ NINGUÉM " acho que tudo o vai ser muito prejudicial a todos NÓS!
Não adianta tentar colocar uma pedra em cima do pecado. Ele, o PECADO, está aí colado ao medo e à safadeza encoberta pelo COVID. Bem! Se o que os move é tirar proveito das situações e das pessoas – NÓS, isso não passará despercebido pelo SÁBIO meu Tio, Nosso Senhor que é o MWATA DA NATUREZA...
TAMBULA CONTA, esse tal de "LEVÍTICO", pode surgir envolto num cacimbo a reescrever esse capítulo que tem 58 mandamentos. Isso! Para nos fazer enxergar o pecado sujo, profano e imundo... Os velhos padrões terão de voltar porque, é no ser-se honesto sem picardia ou avareza, que você será de o ser - bem-sucedido.
Feliz Fim-de-semana...
O Soba T'Chingange


PUBLICADO POR kimbolagoa às 15:47
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 23 de Janeiro de 2021
MUXOXO . LXII
MUXOXO . LXII - Crónica 3104
- Vuzumunando a vida nos meus kitukus -(30.11.2020) - 23.01.2021
N´gana N´Zambi - Senhor, Deus; Kitukus - mistérios :::Nos mistérios das palavras, estas picam em mim, uma grande gastura…
Por:         ,,, T´chingange na Mulola do Barlavento Algarvio - M´Puto
...Na guerra ultramarina são apontadas cerca de 10 700 vítimas mortais, a maior parte em Angola, Guiné-Bissau e Moçambique ... Os Militares portugueses que combateram os Movimentos de Libertação em 3 frentes na guerra que durou 13 anos, tiveram menos mortes do que a PANDEMIA COVID em cerca de 11 meses
Pode ler-se: As mortes provocadas pela Covid-19 deverão, até ao final do mês de Janeiro de 2021, serão em número superior às vítimas mortais da Guerra do Ultramar.
  ... Abri uma nova página no Facebook com o nome de Profeta Moisés e, como surpresa imediata, um dos muitos pedidos de amizade vinha de Nosso Senhor. Intrigado fiquei uns dias retendo o pedido enquanto ia recebendo muitas outras, gente nitidamente ligada às coisas litúrgicas, eruditos até às pontas dos cabelos. Gente de muita religiosidade; uns abraçados a santos, outros acendendo velas botando fumo pró céu, outros ainda mostrando o Espírito Santo na forma de pomba e, outros jogando búzios no terreiro como se sempre o fosse de Quarta Feira de Cinzas.
 ... Assim, assentando nos contrafeitos dos factos com dúvidas na forma de gráfico, ora para cima, ora para baixo, fiquei espantado quase no estupefeito quando surge um novo evento: Era Nosso Senhor, adicionando-me como amigo! Belisquei-me para ter a certeza que ainda estava pela terra e fiquei extremamente cauteloso sem saber ao certo o que dizer! A vida da gente tem coisas!
... Lembrei-me em seguida que tinha mencionado dias antes, algo de que Jesus cansado das trapaceirices humanas quis ir para o pé dele, seu Pai, aos 33 anos. Um contador de estórias faz o tempo passar entre os pingos da chuva ajudando a preencher os buracos do ócio fazendo assim gaifonas com as palavras e, recriando um outro jeito de levar a vida, para aliviar as tensões que a sociedade nos impõe… Só falo isto porque minha família é toda ela santa e santificada mas, isto sempre me sufragou entre os desprevenidos.
 ... Não! Não há boas farsas! Vejamos: Conforme Deus mandou, Moisés lançou sua vara ao chão e ela se transformou em uma cobra, então o Faraó chamou seus feiticeiros, que fizeram o mesmo, porém, a cobra de Moisés engoliu as cobras dos feiticeiros de Faraó – gostei da cena, bem feito! Só que isto, não convenceu o Faraó, que por não acreditar em Moisés, mandou aumentar o castigo sobre o povo de Israel. Resumindo: o Faraó perdeu em toda a linha com umas quantas pragas.
... Sei porque li no livro sagrado de que o encontro de Moisés com Deus foi real e em 3D e, não um encontro indirecto, casual ou virtual mas, neste mundo conturbado de agora, tenho receio que não seja este, o mesmo Deus venerado por bilhões, muitos mais do que os utilizadores do Facebook…
 O Soba T´Chingange


PUBLICADO POR kimbolagoa às 14:01
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 21 de Janeiro de 2021
XICULULU . CXXX
PARÁBOLA DE PORTUGAL
O PREÇO DA GRATUITIDADE - Subsidiodependência
Crónica 3103 - Para os portugueses –02.01.2021
Por: T´Chingange - No M´Puto ( A partir dum texto de M. Oliveira...)
  Continuem a ficar em casa, continuem a ver os estádios de futebol pela televisão e a não tirem selfies àtoa para não ficar na estória do PAPALAGUÌ da Polinésia… Lembrem-se: Não existe plano social grátis… Cá por mim, já como a terra há muito tempo, antes que ela me coma - Argila feita comprimidos ...
:::::
Este texto é baseado numa excelente análise de um aluno... Não existe plano social grátis. Na metade de uma aula, em uma universidade, um dos alunos, sem mais nem porquê, perguntou ao professor: - O Professor sabe como os porcos selvagens são capturados? O professor achou que era uma piada e esperava uma resposta engraçada. O jovem respondeu que não era uma brincadeira, e com seriedade começou a sua  fala feita dissertação depois de ver algures um persongem levar pela rua um marrano javali e, depois de se dizer que os cidadãos poderiam sair de casa a passear seu boby:
:::::
- Para capturar porcos selvagens, primeiro  localiza-se um lugar na floresta aonde os porcos selvagens costumam ir, e lá nesse lugar, coloca-se diáriamente um pouco de milho no chão. Assim, os porcos selvagens vêm todos os dias para comer o milho "GRÁTIS" e, quando se acostumam a vir diáriamente, você - Tu,  mais tu e aquele,  (pode ser até uma instituição ou mesmo o goveno...) vai construindo uma cerca ao redor do lugar onde os marranos se acostumaram a ir comer, um lado por vez para não espantar...
  Quando eles se acostumam a ver um lado da cerca, voltam para comer o milho, e você (ou o dono da coisa...), constrói um outro lado da cerca... Eles, os marranos, voltam a se acostumar àquilo e voltam a comer. Você vai construindo a cerca ao redor; pouco a pouco, até instalar os quatro lados do curral ao redor dos porcos. Até aqui na visão dos javalis, tudo vai numa boa! No final, instala uma porta no último lado. Os porcos que já estão habituados ao milho fácil e às cercas,  começam a vir sozinhos pela picada, carreiro, fiote ou vereda. É  neste então quando você fecha o portão capturando todo o grupo de porcos, marranos javaliz. Simples assim, passo a passo, até que no último segundo, os porcos perdem a sua liberdade ou até a vida se for o caso. Até à cachaporrada podem ser mortos noé! Estão a ver o filme...
    Eles, os marranos, começam a correr em círculos dentro da cerca, mas, lixaram-se - já estão presos. Depois, começam a comer o milho fácil e gratuito. Eles acostumam-se tanto com isso que se esquecem de como caçar por si mesmos, e por isso aceitam a escravidão - Estão a ver o filme, noé! Mesmo, mesmo, até eles se mostram gratos com os seus captores e, durante gerações vão felizes ao matadouro.... Nem desconfiam de que a mão que os alimenta é a mesma que os mata. O jovem comentou ao professor que era exactamente isso o que ele via que acontecia no seu PAÍS, na sua província, na sua cidade, com o seu povo. Bom! Isto é um faz-de-onta.  Os governos populistas, em seus projectos ditatoriais, escondidos sob o manto "Democrático",  estiveram lançando milho gratuito durante o tempo suficiente para alcançar a mansidão sistemática. 
:::::
E, assim talqualmente, cada novo "Governo Salvador" disfarça de "Programas sociais" as suas esmolas, dá dinheiro que tira do bolso do próprio trabalhador, realiza missões, planos, indulgências, leis de "protecção", subsídios para qualquer coisa, expropriações indevidas, programas de "Bem-estar social", festas, feiras ou festivais, luzes de Natal e muito, muito fogo armado, uniformes, pão e circo, transporte " Grátis " e, muitos outros edecéteras… Até com alguma condecorações pelo meio… Só nõ vê quem não quer...
  Todo esse "forrobodó" que nos oferecem tais golpistas, fantasiados de políticos, farta mão-cheia  de felicidade e, aí a desfelicidade acontece. Pois! Um povo mal acostumado, assim e tal e coisa, com as migalhas do milho fácil e "GRATUITO" feito "paracuca" (amendoim com assucar torrado...) nos ficará muito caro! Roubam-nos a capacidade de sermos críticos, pensantes e empreendedores. Em consequência: "NÃO EXISTE ALMOÇO GRÁTIS"! Pois! Cruze os braços, e coma também o milho... E, simplesmente, espere a matança...
M. Oliveira - 03.01.2020
T´Chingange - 21.01.2021


PUBLICADO POR kimbolagoa às 16:34
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 18 de Janeiro de 2021
CAZUMBI . LXVI
Crónica 3102
Nos tempos bíblicos, a lepra era a “MAIS TEMIDA” das ENFERMIDADES – (16.01.2021- Kizomba) – 18-02.2021
-Só JESUS a curava! Ele, que eu saiba, não era nenhum bruxo nem médico especialista ou KIMBANDA!...
Por: T´Chingange
 

T'Chingange - No Algjarve do
:::::1
A LEPRA “profundamente arraigada e mortal, era considerada símbolo do pecado”... Tudo o que o leproso tocava era considerado impuro - acreditava-se que até sua respiração era contaminada. Era e é muito pior que a COVID que hoje nos atormenta... Certa vez, quando Jesus estava ensinando no lago, um LEPROSO, observava de longe. Ao ver que o coxo, o cego e o paralítico eram curados, sua fé foi fortalecida em seu coração. Esquecendo-se de todas as restrições, o leproso aproximou-se; seu corpo estava em terrível decomposição...
Um leproso, nesse então, era banido da sociedade, da família e dos amigos; sua presença era considerada como contaminadora. Se alguém se aproximasse dele, exigia-se que o doente gritasse: “Imundo! Imundo!”. Conto isto porque li e, porque sei quando kandengue crescido, saber dos kitucus milagrosos que o médico Albert Schweitzer praticou em Lambarére no Gabão...
:::::2
Até á poucos anos a lepra era chamada de “doença anestésica”. Em sua fase inicial não existe nenhum sofrimento, tornando-se na mais mortal de todas as doenças. Gradativamente ela, consome o corpo da pessoa. Os cabelos e as unhas caem de podres. As juntas dos dedos reduzem-se e, em geral desaparecem. Todo o corpo é atingido.
Naquele então, o tal supra leproso, ao abrir caminho por entre a multidão e, até chegar junto ao Senhor, as pessoas recuaram cheias de terror (hoje um espirro faz quase o mesmo efeito...). Estamos a vivenciar muita semelhança e, por isso, convém recordar o quanto andamos esquecidos ou adormecidos...
:::::3
Lançando-se aos pés de Jesus, o leproso exclama: “Senhor, se quiserdes, podes purificar-me.” Jesus coloca a mão sobre ele e diz: “Quero sim - fica limpo!”. Imediatamente a carne do leproso adquire vigor, os nervos se tornam sensíveis de novo e, os músculos se fortalecem.
“A aspereza e escamosidade características da pele atingida por lepra desapareceram, sendo substituídas por um tom suave, como o da pele de uma criança saudável” (Ellen G. White, assim o descreve no Desejado de Todas as Nações, pag.201)...
::::::4
Mas, naquele tempo, dizia-se que o pecado era semelhante à lepra - Isaías o afirmava: Quando “Toda cabeça está doente, e todo o coração, enfermo não há nele coisa sã, senão feridas”,... Karamba, vistas as coisas deste modo, terei de pensar que afinal fui mesmo feito de barro e também uso chinelo de pé...
Se olharmos apenas para nós, poderemos até perder o brilho sem levar uma mensagem preciosa em vasos de barro, assim mesmo e sem adornos. Isto é para impedir que alguém pense que o incomparável poder de meu tio, Nosso Senhor, fora de brincadeiras, nos pertence, mesmo que não o queiramos ou nos chamemos de Canhoto... Isso - Cruzes Canhoto...
:::5
Cristãos, são pessoas comuns que fazem coisas extraordinárias quando se lembram, se é que lembram, ser gente com aspecto de humanos e tendo sua graça como se o fossem, simples vasos de barro, depositários dum poder que tudo indica, ser divino com falhas, com fraquezas e, até intrigas... Para o mundo expectante pode parecer algo totalmente enfadonho, mas aos olhos da Natureza, será belo, noé?! Sendo assim, direi também ao meu Tio Nosso Senhor: Toma este vaso de barro que sou eu e, usa-o como te aprouver… Vou fazer mais o quê!?
O Soba T'Chingange
 

 

 
 
 
 
 


PUBLICADO POR kimbolagoa às 18:27
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 14 de Janeiro de 2021
MUJIMBO. CXIX
O SOL morre sem sepultura e, todos os dias isto se repete…
Portanto, vou pôr o burro às costas e o arado a comer - 14.01.2021
Crónica 3101
Por
T'Chingange – No Algarve do M´Puto
:::::1
Ser dono definitivo de mim, é o que eu quero, na sequência de sempre o querer, mas por vezes muito amiudadas, estremecem dentro de mim, por se repetirem alvoroços nos meus arrabaldes e, como se quase o fossem, intimações! Acalmando meu fôlego de branco mazombo pálido ou até avermelhado, engrosso meu próprio nojo na vontade de pensar de mim uma decisão… E, quase sempre não sou nada nem alguém…
:::::2
Abro as quatro janelas de minha cubata para arejar, os quartos, a sala, o meu espaço de escritório e o meu espaço de lambiscar securas, lugar do café com leite para calar as tremuras que sobem dos tornozelos até aos zingarelhos a dar forças superiores e fazer funcionar os neurónios sem despairecer o cerebelo…
:::::3
Surripiando miúdas palavras legitimo-me nos silêncios picados das mutucas porque de tão fechado na minha sina, no meu mukifo, não haverá um sim no meu possível definitivo futuro mesmo que, adivinhado numa lei-fofa (off) simplificada. Não fora eu aposentado e estaria aflito nesta regra com prescrição de princípio e, cláusula de simplificar ou minimizar a resiliência de forma macia, almofadada ou elástica na tufada gravidade… O que tem de ser, será!
:::::4
Bolas!? Eu que nem sou homem de noitadas, vejo-me na contingência de purgar a paciência sem alcançar dois dias a fazer um tik tok personalizado; a não ser só, mascarar-me feito Zorro, sair à rua sem ter de assaltar que nem assim e, só; ter de viver enfileirado numa perigosa missanga. Permanecer assim duvidando de onde e aonde se apanha o tal tik do tok feito mutuca, sem nem ter o tamanho dum pernilongo - Filho do capeta gelatinoso, melga lambido de cuspo.
:::::5
Bom! Depois e, já na minha açoteia, estendo-me na cadeira de kota T´Ching, chamuscando-me ao sol da kúkia, literalmente a chupar a tal de vitamina D. Sem nuvens e, até que tirite de frio, ali fico até o desaparecer do Sol, lá para os lados do barlavento - feito brisa. Ficar assim repassado num creio que nada creio, num teste que me solta a venta, merdas e coisas sem loisas. Não fora meu entender, se por azia reumática, ou se por andar pingando medo feito água quente.
:::::6
Neste processo de desmudar os costumes, uns ficarão mais iguais e outros, logicamente, mais desiguais a indicar a todos que afinal ainda não fomos terminados… Ué, viver nste agora, torna-se mesmo muito perigoso. É aquela velha estória que aqui explicito: -Era um era e, não era; andava lavrando com dois carrapatos! Veio-lhe a notícia que o pai era morto e a mãe por nascer. Pôs o burro às cotas e o arado a comer… Hem! Hem! Hem… O que mais penso e testo em explicar: Todo o Mundo, é louco - o quanto baste…
O Soba T´Chingange


PUBLICADO POR kimbolagoa às 22:37
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quarta-feira, 13 de Janeiro de 2021
MUJIMBO. CXVIII
A Palavra do dia é MEDO – (11.01.2021) -13.01.2021
Crónica 3100
Por: T'Chingange
  De acordo com o dicionário, um dos significados de medo é o de sentimento de inquietação com a ideia de um perigo real ou aparente. Estando eu na guerra, algures nos anos de 1967 e 1968 em Cabinda, por via de uma emboscada na Curva da Morte da Serra de Massabi, senti esse tal de medo, suava de frio em um calor tórrido. Foi uma emboscada na qual houve duas mortes, um cabo e um furriel. O Rodrigues que nunca saía porque seu lugar de vago-mestre estava ocupado por um segundo sargento do quadro e, logo nesse dia, escolheu ir fazer o reabastecimento ao Belize, sede do Batalhão - morreu.
:::::
Mas, por que carga de azar Rodrigues, sobrinho do Cardeal de Lisboa e, com o mesmo nome, foi querer passear a ver o verde do Maiombe para espairecer a vida entre o verde escandaloso desta grande mata. Ele que nunca saía do quartel do Miconge - Posto Administrativo de Tando Zinze... NÃO! Não era o seu dia de vida... Um tiro varreu-o prá morte... E, eu pergunto a quem nunca pegou num fúsil ou canhângulo: Já se sentiu, ou sente medo de algo? Uma coisa muito importante que nunca nos devemos esquecer, é de que quem nos fez e, quem fez o Mundo com tudo o que nele há, foi meu tio Nosso Senhor a quem chamam de Deus. Mas, pelo facto de ser seu sobrinho não me livrarei de ter o meu fim tal como o teve o Furriel RODRIGUES sobrinho do Cardeal...
  Bom! Não temas, porque sou teu primo e, não te assombres, porque eu só sou teu familiar. Posso até fortalecer teu carisma, ajudar-te ou, e até sustentar-te com a minha justiça mas, teu destino só será teu, inserido na justiça da natureza. Natureza aonde tudo que nasce, um dia, falece... Recordar aqui no meio desta morbidez, que o termo de serem “felizes” é uma tradução inadequada da palavra (malambas) oriunda do grego - makarios. Essa expressão é traduzida em português de várias maneiras, incluindo “bem-aventurados” (ARA, ARC, NVI) para além do “felizes” (NTLH, BV). 
:::::
De vez em quando, ouço pessoas, adultas anunciarem seu desligamento das redes sociais a fim de o serem, "mais felizes". Algumas descobriram que o tempo gasto na internet roubou delas porção ainda mais preciosa, que deviam empregar em comunhão com a Natureza, pois então... A maturidade sedo ou tarde, chega! Actividades mais frutíferas para si mesmas, para os semelhantes e para a eternidade, não se cumpre por omissão. Um deixa para lá porque Roma e Pavia não se fez num dia... Andamos a emancipar-nos agora neste inicio de 2021.  Não se diz vulgarmente: Ele ou ela já é maior e emancipado! Pois agora irá ser vacinado... Fica completo o circulo, noé!...
   Existe a ideia de que crentes em Jesus devem ser felizes, pois são cidadãos do reino de Deus, o Nosso Senhor, meu tio. Pois vos direi que o meu outro tio, que já faleceu (faleceram ambos...) tinha a alcunha de Cristo! Sentirmo-nos tristes ou felizes é um estado subjectivo. Isto é, felicidade é como nos sentimos, noé! A vida dum cristão não pode ser fundamentada em algo subjectivo. Enquanto existe a consciência de que posso ser feliz por causa dessa paz de coração, a bem-aventurança é mais do que felicidade.
Amanhã, é outro dia!
O Soba T'Chingange
 
 
 


PUBLICADO POR kimbolagoa às 18:46
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Terça-feira, 12 de Janeiro de 2021
MUJIMBO . CXVII

ANDAR EM VÃO SEM PULAR - Crónico nº 3099

- Se o teu pé te faz tropeçar, corta-o... Um exagero feito forma de falar... Lá para Junho de 2021 seremos todos vacinados - 12.01.2021

Por: T'Chingange – No M´Puto do Al-Garbe

:::::1

A vida humana é frágil como uma flor. Hoje é, amanhã não o é mais. Como um capim murcha como qualquer erva do campo; desaparece como uma nuvem que o vento leva; tem frio com um vento polar e calor num anticiclone. Somos o que somos... Ainda hoje tive de meter um dedo de cada mão, o indicador da esquerda é o médio da direita em água bem quente, suportando os graus elevados porque surgiu uma dor de frieira entre a unha e a carne.

:::::2

Poderia ter ido ao quintal sombrio recolher umas urtigas, macerá-las e, usar seu líquido para passar este desagradável efeito de inexplicável dor mas, desta vez usei o plano B pois tenho-me dado bem em infecções superficiais. O homem do campo ara a terra e planta a semente mas, se não fizer sol e cair chuva, de que servirá todo esse trabalho? A natureza é a verdadeira sentinela que faz acontecer e desacontecer. “Sou o rei do mundo, sou o maior”, gritava o jovem boxeador no dia 25 de Fevereiro de 1964;diante das câmaras de TV no quadrilátero do Miami Beach Convention Hall, congratulava-se

:::::3

Mohamed Ali acabava de se tornar campeão dos pesos pesados com apenas 22 anos. “O mundo inteiro está a meus pés, escrevam isso”, disse ele aos jornalistas. E era verdade! Naquele ano, o mundo inteiro estava a seus pés. Mas, em 1996, o mundo inteiro viu o mesmo Mohamed Ali, por ocasião das Olimpíadas de Atlanta, enfraquecido; mal conseguiu acender a tocha olímpica. Evidentemente, não o era mais "o rei do mundo” nem o “melhor”. Estava envelhecido e deteriorado pelo mal de Parkinson.

:::::4

Pense grande; olhe longe; trabalhe, mas pergunte-se: Quem está no centro dos meus planos? Isso é vital para recordar-se que só é um capim, uma ilusão e, enquanto o é... Outro dia, um milionário excêntrico, reuniu seus amigos para passar o fim de ano em seu iate de 10 milhões de dólares tendo gasto a bagatela de um milhão de dólares na festa. Naquela noite, os fogos-de-artifício iluminaram a escuridão no mar do Caribe. Todos levantaram as taças de champanhe, desejando “saúde, dinheiro e amor” tal como o foi recentemente no Funchal da Madeira de Ronaldo.

:::::5

Foi ou é o trivial em nossos dias tal acontecido e, enquanto gozamos este estar olhando, cheirando, mexendo deveremos estar felizes sem contestar por falta de ninharias porque decerto uma multidão ao nosso redor, não terá isso! Aquele tal milionário do iate de 10 milhões, o Dezembro do ano seguinte, não chegou para ele. Um enfarte fulminante ceifou sua vida a meio do ano. Poderia ainda andar por aqui mas, desaconteceu!

:::::6

Ao nascermos, não tínhamos ideia dos erros e acertos, desafios e conquistas que experimentaríamos nesta vida. Ainda nem eramos gente, note-se! Contudo, ao trilharmos o caminho da maturidade, eles, os erros, apareceram... E, foram muitos! Num dia chove, noutro haverá frio e num outro sol... Provavelmente, pessoas, não discursarão em nosso funeral, um qualquer, pois que é perigoso; porém o mais eloquente discurso será feito por nós mesmos, paradoxalmente, no silêncio de nosso sono... Lá para Junho de 2021, no melhor dos cenários seremos vacinados à covid. Talvez - Um dia de cada vez...

Crónica publicada em KIZOMBA do FB  em 10.01.2021

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 18:52
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 3 de Janeiro de 2021
MOAMBA . XLVI

Periclitãncias do dia-a-dia01.01.2021

Crónica 3097 - NOSSAS VIDAS - NOSSAS PEDRAS - NOSSA ATITUDE

Por

soba24.jpgT'Chingange – No Algarve do M´Puto

araujo27.jpg Não existe "pedra" em nosso caminho que não possa ser aproveitada para nosso próprio uso em crescimento. Muita sabedoria, luz e prudência, é necessária ter para saber o que fazer com cada pedra que se encontre, tornando-as alicerces de nossas vidas. Assim, teremos o distraído que nela tropeça; o bruto que a usará como arma; o empreendedor que a irá usar para construção. O camponês, que dela pode fazer um assento. Miguel Ângelo, fez dela uma escultura, entre muitas. David, com ela matou o gigante Golias. Observe-se que a diferença não está na pedra mas, na ATITUDE das pessoas perante as inerentes coisas!

ara10.jpg Terminamos o ano de 2020 sem saber ao certo o que fazer com cada pedra para o novo ano de 2021 e os que se lhe seguem mas, teremos de fazer delas, as pedras, alavancas para novos desafios e oportunidades que, decerto sempre surgirão... Assim, que venha 2021 - com vacina, saúde, persistência e resiliência. Às vezes pagamos caro pela tentativa de resolver situações complicadas agindo sob o calor das emoções negativas. Então, o que devemos fazer quando nos resta utilizar todos os recursos disponíveis!? Existem circunstâncias diante das quais tudo o que temos a fazer é esperar porque “na quietude e na confiança estará nosso vigor”. Será assim tão simples!?

arauo76.jpg Tenho uma sobrinha com dois filhos; ela e um dos filhos estão com COVID. Um deles deu negativo. Solicitou apoio porque está só e, para além do teste nada mais foi feito... O Governo e Instituições apregoam aos sete ventos via TV, que estão dando apoio a toda a gente mas, nem uma brigada por ali passou para recolher o lixo dos 3 confinados em um modesto apartamento na cidade de PORTIMÃO. Um dos filhos, o que tem covid, teve de sair à rua para acondicionar o lixo no contentor! (um risco para a sociedade mas, que fazer!?). O Tal de SOS - 24 não apareceu após várias tentativas desde a participação no dia 24 de Dezembro.

arau44.jpg Eu próprio, com 76 anos, levei viveres e comida para os auxiliar; Um cunhado dela nas proximidades e, vivendo no mesmo Concelho também ali se tem deslocado a levar-lhes comida. Podem calcular como será o estado de uma família assim, sem terem a devida atenção, nem da Autarquia nem tão pouco dos Serviços Sociais! Nada lhes restará, senão a expectativa do passar do tempo, tossindo, com dores de cabeça, dores do corpo esperando um milagroso livramento com paracetamol ou benuron; sem um apoio de quem de direito. Minha incredulidade leva-me a desacreditar nos apoios de que tanto apregoam...

Araujo116.jpg A não ser que o seja só para refugiados e as minorias, de que tanto falam... Sem querer visualizar o pior, chamo por esta via as autoridades de PORTIMÃO à razão para que daqui, não resultem lamentos fingidos ou hipócritas... Perante isto - A incredulidade cria ou supervaloriza as dificuldades, impedindo-nos de ver essa tão apregoada fé das autoridades. Não tivéssemos nós essa fé a elevar-nos a alma acima das dificuldades e, assim; assim nos teremos de colocar mais perto de Deus para nos habilitar a permanecer destemidos, firmes e serenos, esperando!... Mas, é natural que o medo se imponha a nós sem permitir que ele se assuma no controle!?

:::::

Moamba: pode ser prato típico em Angola ou negócio de candonga, coisa mal engendrada -  no Brasil.

Ilustrações de Costa Araujo

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 18:44
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 8 de Novembro de 2020
KALUNGA . XIV

MOKANDA DO EDU - Nós e os bichos - Crónica nº 3078

Eles, os Leões, não sabem o que é isso de “paradigmas”

HISTÓRIAS DE VIDA - SELVA - 08.11.2020

soba k.jpg As escolhas do Kimbo

Por: Eduardo Carvalho Torres – No Barlavento Algarvio do M´Puto

Leão7.jpg Estou a pensar no ser humano, no animal selvagem e na inteligência. E do animal selvagem, vou falar do leão, o rei da selva, e da leoa, sua companheira; das semelhanças e diferenças de procedimento entre um, o animal selvagem, e o outro, o ser humano.

Este, é dotado de inteligência, pensa, cria condições de vida, vive em sociedade organizada, estabelece um padrão de vida que evolui de acordo com o avanço da tecnologia, muda sistemas, cria interesses que muitas vezes se sobrepõem à vida para determinar a morte, tão depressa é um salvador como se torna num assassino!

:

 edu43.jpgO homem tanto pode ser egoísta, como solidário, julga poder salvar o nosso planeta sendo que na maior parte dos casos está a destruí-lo. Fabrica guerras para conseguir a paz, e muitas vezes, arranja guerras porque não consegue viver em paz. E o animal selvagem? Como procede ele? Cuida do ambiente, do seu "habitat ", sabe que tem de preservar para poder sobreviver, destrói o indispensável, não polui o ambiente e procura viver de acordo com as suas conveniências.

Pratica sexo nos períodos indicados para o efeito, não é egoísta relativamente à fêmea e respeita os principios da sua própria criação. Será que ele pensa? Eu acredito que sim. O leão, mais a leoa que é verdadeiramente  a caçadora, quando estendida à sombra duns arbustos, com os olhos semicerrados, de boca entreaberta, que o calor abrasa, não estará ela a pensar porque deixou escapar a presa, no cerco prudentemente efectuado e que resulta quase sempre? Porque terá falhado então?

Leão4.jpg Será precisa uma nova estratégia? O animal que escapou, esse pensará decerto que foi um golpe de mestre, que conseguiu enganar a companheira do rei, por que foi mais esperto, usou a rapidez como o trunfo forte para combater a força e a técnica da opositora. É a lei sobrevivência. O leão, ou leoa, matam apenas para saciar a fome.

Não destroem indistintamente a vida, pelo prazer ou necessidade de destruí-la. Apenas por necessidade de comer. Respeitam as leis da selva, a leoa ensina as crias a caçar, para quando adultas, seguirem o seu caminho, defende-as enquanto sob a sua protecção; o leão cumpre uma das suas funções, procriando, num ambiente da liberdade e de respeito. E o ser humano, com a sua inteligência, a sua capacidade de criar e de inovar, quem será que vive verdadeiramente na selva?

roxo116.jpgBasta olhar em nosso redor, perceber de que é capaz o ser humano para atingir os seus objectivos, matar se para isso acontecer desimpedir o caminho que o leve a atingir determinada finalidade, e quantas vezes sem a certeza de o conseguir.

A nível individual ou colectivo pode ser solidário, criar associações humanitárias, mas pode matar, criar guerras por questões politicas ou comerciais, e destruir nações em nome de uma paz inventada. Não sei mesmo onde se situará a verdadeira selva de procedimentos.

ECT



PUBLICADO POR kimbolagoa às 18:35
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 1 de Novembro de 2020
A CHUVA E O BOM TEMPO . CXII

A VIDA É UM DESAFIO - Força M'PUTO!

MEDITAÇÃO DO T'CHING... Crónica 3074 - 29.10.2020

Por

soba002.jpg T´Chingange – No Sotavento Algarvio – M´Puto

mamoeiro.jpg Hoje há desafios a enfrentar; sempre os houve e haverá como o foram em idos tempos na travessia do Jordão, nas muralhas de Jericó, na instabilidade do próprio povo com os inimigos ao seu redor. Nas muitas pestes, negras ou brancas entre e fora de muros para conter ímpetos...

Por isso, era preciso ter coragem, confiança e fé tal como nos dias que correm. Os recursos serão outros mas, as angústias serão inexoravelmente muito parecidas. Os holocaustos sucedem por causas nem sempre decifráveis. A natureza confirma-nos sua superioridade...

mandrak5.jpg A Fonte da virtude, estará bem ao teu lado como esteve com Josué e os peregrinos há muitos anos atrás no seu percurso rumo a uma pátria. Além das provas comuns do dia-a-dia, há os desafios para se viver a vida, num mundo no qual parecemos por vezes, transitar na contramão.

Nós também precisamos de coragem, pois em nossa peregrinação rumo ao Futuro, há obstáculos incontáveis, conhecidos e desconhecidos. Ao estabelecermos objectivos elevados ou sermos chamados a desempenhar uma grande tarefa, precisamos estar dispostos a pagar o preço. Isso requer coragem!

malangatana2.jpg Sempre haverá situações, ou mesmo pessoas e governos que tentarão fazer-nos fugir ao dever porque tal coisa, tal procedimento, não nos parece justo! Permanecer firmes no posto e cumprir nosso dever até o fim é uma atitude que também exige coragem.

A alegria das conquistas e a paz da consciência da missão estão reservadas somente aos corajosos. Precisamos dela para contrapor com o “assim diz o Senhor Ministro” ou "assim fala o Presidente", na onda de descaso aos princípios que cada qual ache.

ÁFRICA1.jpg A "Natureza" é nossa fonte de coragem, afinal, a coragem que não resulta da certeza da presença dum qualquer Deus em que se acredite. No fundo sempre apelamos a Ele mas, o Ele estar connosco não passa de atrevimento e presunção! Pode esvai-se como o ar de uma bexiga tocada com um alfinete. M'Puto, aiué, diria minha empregada Mary, natural de Kampala...

Se pararmos para considerar nossas limitações diante dos adversários e obstáculos grandes ou minúsculos, certamente entraremos em desvantagem na luta. Nós só temos de fazer a nossa parte - ter o medo necessário, que se torna um aliado nesta dependência que por vezes, muitas vezes, nos leva a buscar a ajuda do meu tio, "O Nosso Senhor" - FORÇA!

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 11:48
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 11 de Outubro de 2020
CAZUMBI . LXV

"PAIXÃO DE CRISTO" - FLOR  DE MARACUJÁ

- Crónica nº 3065 - No dia de Nossa Senhora da Aparecida – Brasil11.10.2020

A "Paixão de Cristo" é de origem Tupi-Guarani e tem o nome gentílico de "murokuia”

Por

soba15.jpg T´Chingange – No Sul do M´Puto, Al Garbe

flor de maracuja1.jpg Hoje, domingo, fiquei por casa como é habitual cuidando do jardim e de mim, transpondo lantanas (cocó de galinha) de um para outro lado. Andei subtraindo anseios descompostos ao redor do alpendre olhando as flores, pensando num tal de Covid - Coronavírus que ao contrário das flores lançam feromonas de peste negra. Sucede que trouxe do Brasil uma espécie de maracujá de fruto grande no tamanho, assim como uma laranja média, de superfície lisa e amarela.

Acontece que a polinização desta flor de “Paixão de Cristo” só é feita por um zangão, besouro grande de cor preta e, com as costas rugosas ao jeito de lixa e, aonde se lhe agarra o pólen amarelo em bolas peludas bem na ponta duns estiletes e na forma de bengala saindo do centro da “Paixão”. Desconheço a existência destes besouros no M´Puto e, porque as flores se murchavam e “pecavam”, caiam sem dali sair a tal bolinha candidata a fruto, pelo que decidi ser o besouro da “Paixão”.

flor de maracuja2.jpg As flores amarelecem numa tristeza e caem de desgosto sem dar o fruto desejado, o maracujá. Cabe a mim ser o besouro. Vai daí, peguei no pincel e, de flor em flor polinizei a paixão em todas elas. É isso mesmo; o besouro que no Brasil é habitual deve ter metido férias intercontinentais pois que não apareceu. Não é de tanta surpresa assim porque, até as pessoas num repente tiveram de se recolher ao medo. Quanto ao besouro presumo que ande envolvido em exigências sindicais ao Nosso Senhor e, sem recurso aos passaportes GOLD, hoje, num fim-de-semana decerto andará por outras latitudes, ou ainda, agendando data para renovar seu passaporte daqui a uns 3 meses…

flor de maracuja3.jpg A "Paixão de Cristo" que é de origem Tupi-Guarani e tem o nome gentílico de "murokuia" porventura terá de meter uma cunha a quem de direito para ter as mesmas prerrogativas dos jogadores de futebol que saltam de um lado para outro num esforço gigante para nos alegrarem a pasmaceira corriqueira…

Uma abelha normal não tem envergadura para poder captar o pólen dos 5 estiletes amarelos em forma de chapéu oval. A flor, também faz lembrar uma daquelas condecorações que só os heróis têm o prazer de ostentar ao peito. Então, serei eu esse herói da paixão, um cazumbi de besouro; Nesse efémero feitiço, a mangonha do domingo festejou a primavera em tempo de Outono com 29 graus à sombra.

flor de maracuja4.jpg Pretendia falar da adiafa dos moirões mas ficará para mais tarde. Estamos na era do medo, na meia curva crescente da segurança divina, protector invisível da fé e, vamos ficar assim inexoravelmente, todos os dias, prisioneiros… Vendo os gráficos e comparações e esperando um tal de besouro – vacina que nos polinize. A sociedade anda a ser desconfiada; poucos acreditam numa bondade de se obter resultados sem nada se dar em troca, porque não é usual tal fenómeno. A mentira surgiu no decorrer dos tempos Antes de Cristo e Depois de Cristo; sofisticou-se nos últimos tempos e até se tornou banal tomando conta das normas de relação entre as pessoas, instituições…

adiafa1.jpeg E, até por vezes em uma necessidade de sobreviver entalada entre o certo e o preconceito. Os desvarios criativos surgem quase gratuitamente com o condão de demasiada astucia ou fantasia para fazer valer sua política, sua versão. Todos os santos dias somos bombardeados nos meios audiovisuais com inverdades seguindo uma máxima de que, o que interessa sãos os fins, usando variados métodos e princípios…

A democracia perde-se no labirinto das manipulações e interesses, não diferindo em nada das piores regras dos passados maus governos. Assim na banga de estilo, o governante XIS, baloiça seu parecer numa rede de interesses, fazendo bafunfa nas periclitãncias do pormenor; surgem excrescências sociais, um montão de actos que parecem normais ou superficiais mas, que se tonam por adivinhação em armas de desarmonia assim seja pelo medo ou por suposição e, fechamo-nos voluntariamente na nossa prisão, nossa própria casa, orgulhosamente nossa sem a necessária murukuia – Paixão de Cristo em língua Tupi-Guarani…

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 13:48
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 1 de Outubro de 2020
MOKANDA DO SOBA . CLVIII

 

MEUS KITUCUS (mistérios) … Fui ao odontologista ... Crónica 3064 – 30.09.2020

Odontologista é um “tira dentes”

Por

soba 01.jpgT´Chingange - (Ot´chingandji) - No Sul do M´Puto – Barlavento

dentista1.jpg Dia 28 deste mês de Setembro fui ao odontologista e, aconteceu que cheguei bem antes da hora, li as recomendações do tal do dito cujo COVID-19 coladas na porta e esperei na rua que me chamassem! Agora é mesmo moda esperar na rua porque o medo espreita e o surto do susto anda por perto; é só saltar o muro e estou no bivaque, acampamento permanente do mestre Lello e seus muitos cidadãos ciganos que como tal, também têm direito às desregrarias citadinas. Desta feita foi um pastor de uma organização religiosa que professa a igualdade mais fraternidade entre todos que levou o tal dito cujo de COVID-19 aos demais – soube disto porque deu na televisão – facto que alastrou até outras partes do Barlavento, lugar de onde sopra o vento.

Chegada a hora, surgiu à porta a senhora muito coberta de fardas azuis com atilhos meio soltos, com uma touca de azul mais suave, vestimentas também azuis a cobrir seus sapatos e até luvas descartáveis de cor plástica translucida, mais uma máscara de um azul claro de onde saiu a indicação de que eu e Ibib poderíamos entrar. Ibib é minha cara-metade que se chama assim porque tem sangue árabe com mescla de gente alentejana de Panoias e Messejana. E, assim entramos mascarados como mandam as regras de “bom medo em boa companhia”.

dentista2.jpg Mostramos nossos cartões de cidadania, dissemos das doenças que não tínhamos e quais os remédios que tomávamos das que tínhamos, demos os números de telemóvel, penduramos todos os nossos acessórios soltos mais zingarelhos com estralhos num cabide da parede. Assinamos um papel de dizer sim ou não a uns 15 itens, de saber se tinha estado com gente suspeita de ter o agente secreto, se tínhamos viajado, se tínhamos espirrado, se tínhamos essa coisa de rinite e mais edecéteras. Esqueci! A porta de entrada ficou trancada, não fosse o tal de vento trazer uma malvadez viscosa do outro lado do desordenado kimbo quilombola dos mamelucos do Lello, esse tal de pastor de ovelhas feitas gente…

Após termos dado aqueles ditos dados, a senhora secretária, com uma pistola de plástico, viu nossa temperatura através das orelhas, vestiu-nos as vestimentas idênticas á sua, capa sem botões frontais e atilhos no lado tardoz. Enfiamos a touca azul na cabeça, os mocassins de plástico azul claro nos sapatos e sandálias e, Ibib entrou para o consultório. Esquecia-me: snifamos as mãos logo à entrada com gel de álcool. Posto isto, entrei na sala de espera aguardando vez e, sentado, assim fiquei esperando e olhando o circundante. Bem! A sala estava meio no lusco-fusco, dois candeeiros, um em cada estremo de lâmpadas acesas…

roxo135.jpg A janela para a rua era ampla, de coluna a pórtico e as persianas estavam quase semicerradas. Resolvi carregar com o pé no interruptor apagando uma das lâmpadas; não tinha jeito haver luz directa e ficar consumindo luz incandescente – um desperdício. O outro candeeiro não obedeceu ao meu pisar e, vai daí com aqueles fios que saem no fim do extremo, colgados duma roldana, virei a persianas até ter a luz suficiente na sala. À minha frente havia uma mesa dum castanho-escuro, lisa e sem qualquer adorno ou revista. Tinha somente um controle de TV; esta, estava bem no cimo da esquina, desligada e, tendo uma luz pequena e vermelha acesa. Estive quase a pegar neste instrumento para ter imagem no ecrã mas, achei que o melhor mesmo, era não tocar em nada.

Assim, sem nada fazer, olhava em frente, porta ampla vidrada na metade da parede; na outra metade retive-me a olhar o quadro absurdo! É normal haver dentes em quadros alusivos às técnicas odontológicas bem como parafusos de perfurar mandíbulas com susto e arrepios mas, este quadro, não era nada disso. O vidro que cobria a coisa, de oitenta por oitenta centímetros, bem na meia altura da parede branca, cobria a tal tela - posso explicar: Eram rabiscos e manchas castanhas de sujeira interrompida por vassouradas meio deslavadas. Imaginei ser uma pista de gelo na montanha mas desconsegui fincar a certeza e, estou em julgar que era isto, um cartão de aparar pinturas…

roxo68.jpg Ou talvez um cartão que é borrifado de tinta e colas e que depois de colado a um outro, é descolado de supetão. Nem um macaco faria coisa tão ruim! Em verdade sempre prefiro isto a uma gengiva inchada sangrando piorreia despegada dos ossos… Foi neste então que a senhora secretária me chamou e, lá fui ordeiramente medroso. Sente-se ali, bocheche e deite fora, máscara posta em uma bandeja de metal anodizado; Então de que se queixa!? Olhando de soslaio naquela coisa de perfurar ossos, fui dizendo que independentemente de uns quantos dentes estarem moles e abanarem, minha preocupação era aquele frontal que já estava despeado da raiz e quase me tornava um rinoceronte – coisa feia doutor!

Amavelmente explicou-me o óbvio, os dentes abanavam porque a carcaça estava velha; vai dai, mete-me uma ferradura côncava cheia duma massa na mandíbula inferior e, nos intervalos da feitura do gesso ou lá o que era, fui dizendo que não queria mostrar uma gruta na minha loja; que seria feio andar com a estrutura roída e, vai dai, de novo (cala-te), e assim adentrou nova ferradura na parte superior que quase me solta o tal dente de rino-frontal. Menos mal que não descolou e, vai daí, bochecha e deita fora, coloquei minhas adjacências e tudo acabou como começou. Aguarde uma chamada nossa para voltar em breve e condicionarmos esse dente com uns reforços à sua esquelética – disse o doutor odontólogo…

roxo61.jpg Dito isto, sai defrontando-me com um senhor vestido de amarelo e com uma máscara do Futebol Clube do Porto e que já ali estava, faz tempo, esperando minha liberdade! Descrevo isto com minúcia para que saibam o quanto é difícil ser atendido por um qualquer médico e em especial este quase espeleólogo, ou paleontólogo… Esta etapa de moldes, esperou quase um mês para ser realizada; fiquei ciente de que os outros dentes terão de esperar que acabe o campeonato de futebol e apareça um outro que se siga a mim com a máscara do Sporting – campeão…

Na melhor das hipóteses dentro de uns dias terei de voltar para encaixarem o rino-dente-frontal e depois se verá! Então direi ao doutor odontólogo que encomende um novo quadro para a sua sala porque aquele trilhou-me os neurónios. Então não seria melhor colocar lá um rabisco de galináceo da Assunção Roxo! Os meus kitucus andam mesmo baralhados… Ao dar a volta e de regresso a casa deparo numa placa situada no muro de pedra solta mostrando uma imagem alusiva ao álem com um senhor de bata branca feito pastor de igreja e uns dizeres alusivos; no canto inferior direito a direcção dele mesmo, de seu email: - lello@rrobatudo.kwantopoderes.PT …

Ilustrações de: Assunção Roxo

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 18:36
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sexta-feira, 21 de Agosto de 2020
FRATERNIDADES . CXXVI

ANDO ENKAFIFADO – OPÇÕES DE VIDA

- O tempo não passa pela amargura mas, a amargura passa pelo tempo… 21.08.2020

- Os humanos de hoje são bem piores que seus antepassados. Põem os filhos nas creches, os pais nos asilos e vão passear os cães para os porem a cagar e mijar nas ruas…

 t´chingange 0.jpgAs escolhas de T´Chingange

Porcanhot3.jpg António José Canhoto (Diniz Costa) a 20-08-2020

arau44.jpg (C.A.)OPÇÕES DE VIDA - O ter-se liberdade já é um direito à desigualdade, pois a pior desigualdade e fazer duas coisas diferentes iguais. Em princípio a igualdade repugna o homem, pois o maior empenho de cada um é distinguir-se e notabilizar-se para se desigualar. A igualdade pode ser um direito democrático e constitucional, mas não existe poder algum sobre a terra capaz de a tornar numa realidade. Em teoria podemos concordar que todos somos iguais, contudo na prática, só alguém insano pode pensar ser possível aplicar essa igualdade.

Deixe de pensar como o escritor Alexandre Dumas no seu livro os 3 Mosqueteiros os quais tinha a máxima: “Um por todos e todos por um”. Nesta nossa vida e mundo de antropofagia cada um tem de ser por si próprio num salve-se quem poder, numa selva em que os mais fracos são “comidos” e escravizados pelos mais fortes economicamente. Ninguém virá ajudar a levantar aqueles que tropeçam e caem ou salvar, se estiverem a afogar-se. Saia da sua torre de marfim pela porta ou pule pela janela, mate o dragão que o atormenta, acorde sem um beijo ou um abraço, faça-se refém de si mesmo e arreganhe os dentes, vá bem armado para a luta e mostre ao mundo quem é o lobo mau, mate a avozinha e faça amor com a netinha.

Avillez2.jpg - As nossas existências resumem-se a um período que se prolonga entre a nascença e a morte, ou dito de outra maneira, é um lapso de tempo que acontece entre duas eternidades de escuridão. A primeira acontece desde a data da inseminação dentro do útero das nossas mães, e a outra quando fisicamente deixamos de existir e de novo partimos para a eterna escuridão. Aprenda a fazer falta e a sentir-se desejado. Nunca lute por espaços na vida de ninguém e muito menos se diminua para lá caber.

O maior medo da humanidade é abrir a cortina do conhecimento e descobrir que tudo o que acreditava nunca existiu. Tudo o que ouvimos são opiniões e não factos comprovados. Tudo o que vimos são perspectivas, não são verdades ou realidades. Não perfilho da filosofia niilista como resposta adequada para a vida quando a mesma foi celebrizado pelo filósofo Friedrich Heinrich Jacobi. Contudo o seu conceito da negação de qualquer crença religiosa, social ou política agrada-me quando a sua finalidade se destina a obter um estado de consciencialização pessoal maior, mais adulto e evoluído.

roxo91.jpg(A.R.)Pessoas certas e perfeitas não existem. Todos nascemos mais ou menos errados e imperfeitos, mas só os conscientes e racionais procuram ao longo dos tempos ter consciência dos seus aspectos negativos e aperfeiçoá-los. Todos somos os lapidadores do nosso próprio diamante em bruto tal como nascemos. Há uns milhares de anos atrás, éramos apenas humanos ou em evolução para a obra de arte que hoje somos.

 A partir do momento que evoluímos e permitimos que a raça nos tenha desligado, a religião separado, a politica dividido e o dinheiro classificado, passámos a ser mais imperfeitos devido aos preconceitos que adquirimos do que à inocência que nos caracterizava há milhares de anos atrás. Os humanos de hoje são bem piores, põem os filhos nas creches, os pais nos asilos e vão passear os cães para os porem a cagar e mijar nas ruas e muitos dos energúmenos dos seus donos nem os dejectos apanham. Um amigo meu dizia com alguma propriedade, a vida é um cu, e cada um tem o seu.

araujo172.jpg (C.A.)Uns sujos outros limpos. Mas nenhum é perfeito pois todos fazem merda mais tarde ou mais cedo. Se alguém matar para roubar um automóvel é errado. Mas se alguém matar o ladrão para o recuperar já é legítimo. O direito de matar para recuperar a nossa propriedade torna-se mais valioso do que a sagrada vida do ladrão. Ando a pensar em comprar uma bicicleta mas pensando bem, isso será um desastre para a economia do meu país. Evita que eu compre carro, faça financiamento ao banco e pague juros, não compre gasolina que o governo taxa de forma injusta e insana, não precise de alimentar mecânicos pagando-lhes 50 euros por hora de mão-de-obra.

Não preciso de seguro nem de pagar estacionamento. Não fico obeso devido ao exercício físico, antes pelo contrário, fico saudável, não pago a médicos privados nem às farmácias, medicamentos que não preciso. Faça a experiência de tentar mergulhar dentro de si mesmo e veja se morre afogado em conhecimento ou de sede pela ignorância e consoante o seu diagnóstico reabilite-se fazendo os ajustamentos necessários. Deve ser tremendamente triste e sentindo dó de nós próprios quando se nasce, vive e morre com a sensação de nunca termos existido, porque quando olhamos para trás ao rasto que deixamos na nossa passagem pela vida apenas encontramos vazios e espaços brancos e, longos demais porque nunca foram vividos. 

roxo90.jpg (A.R.) - A vida não condiciona nem coloca barreiras a ninguém; é como um mundo sem fronteiras, e os únicos limites que você pode encontrar são os pensamentos limitativos dentro da sua mente os quais se podem tornar nos seus piores inimigos. Evite as pessoas que para lhes explicar algo precisa de desenhar, mas mesmo assim ainda necessita de explicar o desenho e finalmente para que a compreensão seja feita ainda terá de desenhar a explicação. Existem duas coisas importantes na nossa vida que moram dentro de nós: O motivo e o momento. Teremos várias vezes o mesmo motivo, mas nunca o mesmo momento, pois estes são irrepetíveis quer seja para nos deixarem recordações inesquecíveis ou por serem tão negativas que sentimos a necessidade de as obliterar da nossa mente de imediato.

arau1.jpg (C.A.) -E para terminar este meu texto aqui vos deixo uma história que me foi contada há muitos anos mas que jamais a esqueci. “Dizem que antes de um rio entrar no mar, ele treme de medo. Olha para trás, para toda a jornada que percorreu, para os cumes, montanhas, planícies e vales sinuosas que trilhou através de países, cidades e vilas e vê á sua frente um oceano vasto e profundo onde vai desaguar e desaparecer para sempre. Não há maneira de o rio poder retornar para a nascente, assim como ninguém pode atravessar a água do mesmo rio duas vezes duas vezes. Voltar atrás é impossível na existência de um rio ou pessoa. O rio precisa de aceitar a sua natureza e entrar no oceano. Somente ao fazê-lo o seu medo se irá diluir, porque apenas nessa altura o rio saberá que não se trata de desaparecer, mas sim, em ele se tornar em oceano também.

Ilustrações de: Assunção Roxo (A.R.) e Mano Costa Araujo (C.A.)

António José Canhoto… 20-8-2020

 



PUBLICADO POR kimbolagoa às 08:36
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quarta-feira, 8 de Julho de 2020
CAZUMBI . LX

NO MEIO DA ANHARA - rodeado de mabecos com vontade de me filar o dente, AVANÇO MEU RELÓGIO NA MARCHA 3, COM UM DIA DE 72 HORASDança com mabecos!

Crónica 3037 - Kizomba:06.07.2020; Kimbo: 08.07.2020

Por

soba002.jpg T´Chingange - No Sul do M´Puto

4 DE JUNHO.jpg Só é mais uma estória, nada mais. Comi biltong de gnu, de boi ou vaca e olongo, e bebi suco de goiaba e massala de Moçambique. Percorri o meu caminho com gente chegando e partindo dizendo good morning; missangas de vida com malas e gente de galões a laurear pelo mundo; De Kimberley segui no comboio azul, sem fumaça, rasgando trópicos rumo ora ao Sul, ora ao Norte.

Com uma Mp3 colocado nas orelhas ouço o Jake Rumba e Dog Murras, rasgando também vontade de vencer mais um dia – Um dia de cada vez para não serem demasiados, dançando o Kuduro com uma pacaça …Aiué. A pacaça estava ali, raspando raiva só átoa e, eu embebido em maravilhas da kizomba enfiado nessa tal Mp3 Huawei.

soba1.jpg Eu, que em tempos, furei um embondeiro com a mente, pensei a partir daí que o cazumbi estava do meu lado – isso! Foi assim que do nada, surgiu a força de muitos urros. Os mabecos deram à sola e fiquei só, num descampado, loucamente inebriado na minha pequenez…

Esta embriaguez de fala, é só para dizer que o Soba, tem a mordacidade às vezes turva da verdade, e por isso banha-se nas águas tépidas dum lugar longínquo para espairecer. Já sem cabelo, rapo o que resta até ficar zero. Vejo-me no espelho e faço gaifonas com as rugas enquadradas num tempo de, nem sempre alegres, nem sempre tristes.  

 t´chingange 0.jpgDispo-me de calor e desabotoo meu único botão da balalaika do umbigo– sim! Minha balalaika tem só um; calço sandálias e piso os ladrilhos de esperança dum azul-turquesa na mistura de cinza-cacimbo matinal a ver as manhas tranquilas. Rego minhas hortenses e os tomateiros que não há maneira de dar tomates, nem sei porquê. Venho ao computador ocupar o tempo, ler poemas, reler baladas e muitas tretas…

Tretas de fazer caretas; também ouvir cantigas, ler desaforos, coisas choradas, lamuriadas, cânticos humedecidos, vídeos foleiros, e num repente vou à China comer grilos e gafanhotos. Hoje mesmo, vou-me ensinando a ser gente tomando aqui e acolá, por onde calha, o saber dos mais sábios para ficar esperto. Nem sempre homem, nem sempre jovem, já mais velho, nos intervalos, aprendo a aprender a ser grande.

soba001.jpg Esmiúço os tempos para saber a verdadeira razão dos paradoxos e dos fúteis caprichos de poder. Sim! Neste mato de capim tombado pelo vento tiro aqui e ali umas fotos sem pau de selfie. Tudo para dizer que ando fugindo do tal de vírus COVID fazendo anos três vezes ao ano. Somo agora setenta e cinco vezes três, que dá exactamente duzentos e vinte e cinco anos – Pode!?

Assim, prescrevendo o bicho relevo-o como o tal de mabeco. Torna-se necessário mantermo-nos atentos a novas tentativas de oferecer soluções a problemas. Problemas de cujas causas sociais viram económicas na interacção entre grupos – grupos que não podem ser reduzidos a uma questão de “competição” ou selecção biológica… Bairros de casas, barracas e anexos encavalitados, formando uma malha labiríntica apertada com muita agente.

NIASSALÂNDIA1.png Teci-me na linha dum destino só meu. Criei a teoria do esquecimento, burilei-me nela e desconsegui. Voo entre nuvens turbinadas de aspiração, compulsão e impulsão, vida de cão. Obrigado a mim, a ti e a tu também (o ti é um, o tu é um outro). Obrigado, principalmente a Ele, Nosso Senhor, meu tio que se chamava José. No calor do Sul do M´Puto, com sol de Julho, ventos rodopiando nas horas, fazendo tufos de capim como aqueles da savana, marés longas de vontades alheias e um bafo quente…

tonito18.jpg Aqui estou numa espera do John Wayne, meu companheiro do Cine Colonial da Luua, tentando a custo interpretar o Islão. Eu, nasci a 4 de Junho de 1945; O facebook inventou que o T´Chingange dos elefantes nascia a 5 de Julho, Recebi parabéns e agora, sinto-me constrangido a desmentir aqueles e estes, meus kambas – Por isso, terei de agradecer pela segunda vez meu renascimento! Pelo que disse, terei mais um outro este ano; Só posso dizer obrigado! Vou fazer mais o quê, se sou apenas um robot…  

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 11:01
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 4 de Julho de 2020
CAZUMBI . LIX

RECEITAS - Torcer enxugar e corar - Secando a palavra ao sol … 04.07.2020

Por

canhot3.jpgAntónio José Canhoto

kimbo 0.jpgAs escolhas de Kizomba

 maian4.jpgMuitos dos humanos preferem procurar nos outros o Mestre em vez de despertarem aquele que adormecido se encontra dentro de si. Não deixe nem permita que sejam os outros a carregarem a sua ignorância, porque quando o fazem exigem contrapartidas porque tudo na vida tem um preço. Há muros que só a paciência te permite derrubar, a necessidade e o engenho rios atravessar e diferenças de opinião pontes a construir. Não ande à minha frente pois não sou seu escravo nem ovelha para seguir o seguir como, meu pastor.

Não ande atrás de mim como animal a seguir o dono, ande ao meu lado como igual sem complexos de superioridade ou inferioridade. Quando começar a exigir mais de si, e, esperar pouco ou nada dos outros, evitará ter muitos aborrecimentos e desilusões. O grande azar na vida não é cruzar com um gato preto, passar por debaixo de uma escada, abrir um guarda-chuva dentro de casa, encontrar uma ferradura ou quebrar um espelho, mas sim ter de ouvir um ignorante discursar sobre algo que não sabe por diplomacia ou por dever de ser politicamente correcto.

maian8.jpgAo longo dos meus 77 anos de vida, já conclui que o que o resto do tempo que tenho para viver vai ser mais curto do que comprido. Aprendi muitas coisas e algumas delas, partilharei com quem me lê com muito gosto. E uma delas é que a vida é curta demais para viver o mesmo dia duas vezes. Aprendi que o tempo cura, que deuses não existem foram inventados, que a mágoa passa, que a decepção não mata, que não deve dar a outra face depois de ter levado uma chapada, pode perdoar mas nunca esquecer.

Retalie sempre com juros de mora, porque o dia continuará a ter 24 horas como ontem, que os amigos vão e vêm, que nada é eterno, que a maioria dos sonhos não se concretizam, que a dor fortalece, que a vida ensina mas a aprendizagem é caríssima, mas que viver é sensacional quando o fazemos com toda a intensidade possível, e ser-se feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade. Nunca se deixe manipular, persuadir ou mentalizar por ninguém, porque logo que se torne seguidor e prosélito de alguém que o inspirou, doutrinou, deixou de ser um homem livre para se tornar num obediente escravo.

maian6.jpg Eu sei onde está o tesouro da vida e do conhecimento mas para lhe dar o mapa para o encontrar terei que saber primeiro se você tem a paixão, determinação e força mental para o descobrir, desenterrar e ler as tábuas das verdades universais que se encontram dentro dessa arca. Ame na vida algo mais elevado e maior, no qual você se perderá sem se controlar, que é você mesmo e a sua capacidade de conseguir que todos os deuses pereçam dentro da sua mente, pois na vida apenas poderá contar consigo, ninguém virá em seu auxílio em momentos de crise, depressão ou dificuldade.

Quando somos diferentes do modo de pensar das maiorias passamos a ver o mundo todo cinzento pois todos pensam da mesma maneira e seguem o mesmo caminho. Isso obrigou-me a criar um mundo só meu e personalizado onde sou deus e satanás quando quero e entendo, prestando contas apenas à minha consciência. Não preciso nem de religião ou deus algum para me comportar civicamente, porque se precisasse de seguir comportamentos éticos ou mandamentos emanados por divindades deixaria de ser humano, racional e consciente e passaria a ser um animal de circo amestrado.

mandrak5.jpg Se há coisas que me enlouquecem é viajar por dentro de livrarias o tempo passa sem eu me aperceber, acho que era o local onde eu gostaria de trabalhar. Os homens nunca foram tão escravos dos seus mitos e lendas como o são hoje, porque tiveram o atrevimento e arrogância de lhe concederem o estatuto de divindades quando os criaram e inventaram na esperança que estes respondessem à sua ignorância e aplacassem os seus medos. Os meus pensamentos transcritos nos textos que produzo não têm a intenção de serem prescrições médicas para seguirem a fim de se livrarem dos males do mundo.

maqui1.jpg Do mundo que tenho vindo a identificar, mas que pelo menos se servirem para reflexão já sinto que a minha missão foi concluída com êxito. Espero que um dia quando acordar não se vá lamentar que o tempo que lhe resta para fazer as coisas de que gosta já é curto ou para desmistificar as inverdades com que o doutrinaram. Só nessa altura perceberá que só fez o que não gostava e que sempre obedeceu às vontades e verdade de terceiros. Plante as suas próprias verdades, não colha as dos outros escreva a sua própria biografia não deixe quer sejam outros a fazê-lo.

1-7-2020 - António José Canhoto - No Algarve

Crónica 3036

As opções de T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 17:09
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 7 de Maio de 2020
A CHUVA E O BOM TEMPO . CXI
Portugal e o COVID 19
Crónica 3020 – A “Ditadura das Máscaras” - 07.05.2020
Por

soba03.jpg T´Chingange – No Sotavento do Algarve em distanciamento social…

A crise gerada pelo Coronavírus em Portugal acelerou e facilitou a adopção de medidas de Engenharia Social para testar os limites do controlo estatal sobre nossas vidas. O estado de calamidade não pode dar aso a toda e qualquer medida. Curiosamente todo o mundo fica acabrunhado em dizer qualquer coisa; estarei assim tão errado? O teste é quase mundial! Vejamos. - Enquanto as máscaras em Espanha são oferecidas ao cidadão no uso de transportes públicos, aqui, em Portugal, multam em 350 Euros quem não as levar no rosto - Uma multa pandémica!
Se eu fosse Presidente, derrogaria muito rapidamente tal alarvidade por ser uma multa torpe! O que devem sim, é impedi-os de viajar em "colectivos". Em Portugal, país no qual as instituições parecem “funcionar normalmente” para impor a vontade do Estado surgem aqui e ali uns oportunistas a fazer negócio de milhões… por simples troca de favores sofismados de filantropia que no meio de tanto medo e, mais alvissares dissonantes, a rapidez e o calculado propósito que  concretiza a oportunidade.  Assistimos assim, a mais um espectáculo pitoresco exigindo rever as gravuras do Bordalo Pinheiro numa visão tão ao gaudio dos historiadores da banda desenhada, que num futuro próximo, poderão chamar a isto a “Ditadura das Máscaras”.

bordallo.jpgEm nome de uma suposta “ciência”,  gestores da causa pública e afins, driblam com apurada tecnoburocracia estatal produzindo decretos ou posturas, obrigando os cidadãos a usarem máscaras, sob a “tese” de que elas são efectivas na prevenção à contaminação pelo maldito COVID-19. Pode até estar certos mas, poupem-nos a  coisas bizarras! Uma coisa tão simples de se fazer, a causar tanto alvoroço. Concordo sim que se usem em recintos fechados, em transportes publicos, nas escolas mas, nosso "despilfarro" não pode ser lucrativo ao estado ou instituições… Um desplante, máscaras de um Euro a serem vendidas a preço d´oiro..

Sobre o assunto, a retórica usa o argumento de que “o uso da máscara” já foi incorporado socialmente, no mundo todo. Autoridades e a midia hegemónica, vendem à população a suposta teoria de que o uso obrigatório das máscaras impede o contágio da doença. Para dar força a tal narrativa, as empresas de comunicação copiam a medida extrema falando ao microfone golfadas de gargarejos até desentendíveis. É um recado psicológico ao povo - que tem de obedecer como carneirinho, em nome da “emergência em saúde pública”.

bordalo5.jpgA máquina estatal aliada às mediadas municipais com a boa vontade dos Costistas, aproveitam a pandemónica COVID para cumprir um tríplice objectivo: 1) testar medidas extremas de controlo da população com a anuência da oposição; 2) arrecadar com multas  cobradas de quem ousar desobedecer as regras de excepção; 3) promover gastos em questionáveis licitações, em regime de emergência ou calamidade, adquirindo máscaras a preços superfacturados… A picaretagem vence a honestidade aonde o medo supera a razão sem ninguém ter a certeza efectiva de como acontece a contaminação.

Os supostamente entendidos, dizem que a COVID-19 não é uma doença respiratória – e sim sistémica, com característica hematológica (afecta o sangue). O bicho acomete diferentes partes do corpo. Ataca a hemoglobina. O vírus derruba o nível de oxigénio nos glóbulos vermelhos. Quebra uma barreira e liberta o ferro que “intoxica” as células. Cientistas estão próximos de achar o anticorpo produzido pelo sistema imunológico, para produzir a vacina que neutralizará o Sars COV-2 (causador do COVID-19, o KungFlu).

bordalo0.jpg Definitivamente, isto não é uma “gripezinha”... É grave!... Nalguns países , promoveu-se um “lockdown” (a paralisação quase total das actividades produtivas).  O pior efeito colateral pós-pandemia já se manifesta aqui e outros países como o Brasil, de modo muito assustador - o surto de autoritarismo aliado à fome. A “doença”  polariza-se assim mais grave, na população subserviente, de mão estendida ao estado. Os “infectados” ora se comportam como carneirinhos, ora como cães raivosos. Neste clima de medo, são interpretadas e obedecidas as “ordens” e regras para isolamento, distanciamento, bloqueios com uso obrigatório de máscaras, “fique em casa” e por aí vai... permitindo excepções como o UM DE MAIO, essa coisa linda duma Alameda pintalgada de bandeirinhas vermelhuscas levadas de concelhos supostamente estanques à vialidade… Em nome da “ciência”  titubente e duvidosa e da “saúde pública” também  se soltam os presos.

bordalo3.jpg Creio que iremos ter esta pandemia, anos pela frente... Fabricantes e vendedores de máscaras são os únicos que lucram com ela junto com gente dada à subtracção das verbas públicas na área de saúde, revelando pelo que me é dado saber, haver descaso na testagem de casas de terceira idade. 35000, são os casos apontados de casas de repouso ilegais… Como vamos então enfrentar e sobreviver ao vírus com falta de dinheiro? Haja paciência e sangue frio como tem de ser “Na Ditadura do Consenso”. A inexperiência dos italianos deveria ser útil a toda a Europa e todos os demais países com cada qual ensaiando sua forma de mandar, mas ouve descuido...

Nota: Barlavento é de onde o vento sopra
O Soba T´Chingange


PUBLICADO POR kimbolagoa às 11:25
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sexta-feira, 28 de Fevereiro de 2020
KANIMAMBO . LXVIII

REGRAS DE VIDA – TEMPOS ANSIOSOS - Processos mentais e estruturais de tratamento da informação, no que concerne ao cérebro humano…

- Nossa singularidade - Nossos Ossos cognitivos - 28.02.2020

Por

soba15.jpg T´ChingangeNo Nordeste brasileiro

velho4.jpg Todos nós já sentimos a ruindade de medo, preocupação sobre o futuro com aumento das batidas do coração e, a ponto de e por uma qualquer causa, estar perto de morrer! Um estado físico de ansiedade cada vez mais presente em nós, nossa sociedade que desde sempre ou desde a nossa singularidade de civilização, foi condição de companhia em nossas próprias casas; fazendo tudo parte da própria condição involuntária de pecar, pecando, de viver, vivendo, de morrer, morrendo.

É nossa estrutura física e psíquica pela natureza que carece de controlar nossas emoções no ambiente que nos rodeia, precário e nem sempre com as transcendências de descobrirmos nossa própria limitação e finitude.          

Nos últimos anos, com a aceleração dos relógios biológicos, da desconexão do espaço, da demografia sustentável, da manipulação dos genes, melhoramentos das linhas de ADN, da escassez de espaço e sensatez nas teorias de eugenia, mecanizaram-se tarefas vulgares na fragmentação das comunidades numa óbvia desvalorização da vida. Assim sendo surgem decisões governamentais que estão para além de nossos quereres, nosso entendimento, simplesmente!

araujo 43.jpg Sabemos que o próprio Cristo profetizou que as nações experimentariam o pânico devido aos acontecimentos e, as pessoas apreensivas iriam fragmentar-se em seus modos de vida. Há no entanto vários tipos de ansiedade que dominam nossas mentes por efeitos existenciais, da inquietudes com alegrias e angustias que que não têm na vida um significado ou um propósito de existência posicional chamado de paradigma.

Mas, e, há em verdade mentes desassossegadas eu tentam fazer lei e, fazem-na colocando assistência num fim nunca querido levando ao extremo da unção um exagero em forma de injecção retirando um catarro que esbarra numa qualquer veia de vida com saída para a morte. Desafiando a natureza por via das exigências estapafúrdidas num mercado demagógico que tende a o ser económico e restrito aos que vivem cognitivamente sadios e sem duvidas.

Aqueles, juntam estudos sociológicos e tecnológicos à mistura com outros itens de testes e testemunhos mais itens complicados de soteriologia mesmo que nem acreditem ser isso um certo principia, uma apreensão que paralisa os que não têm a certeza da salvação.

tzé1.jpg Mais, juntam gráficos tanatológicos para espartilharem ou dissolverem o medo que aterroriza os que até já estão preparados para a morte por modo a encontrar saída em algo que Deus nem determinou – a morte por eutanásia; o final assistido sem um mas, nem contudo, porque assim terá de ser.

E, surgem as derivadas justificações na base escatológica para acalmar a tensão que domina o pensamento e os sinais alarmantes lidos num qualquer jornal despenalizando a responsabilidade num nada querer saber. Assim surgem as intermitências da morte reduzidas à religiosidade duma ansiedade rezadas sem a perfeita convicção de estar a atropelar Deus.

Prefiro acreditar em Cristo com a fé que me faz mover, substituindo o medo pelo amor, a dúvida pela confiança para minha tranquilidade de espírito. Na excitação de contar coisas e partilhar ninharias, todos disparam novas como se nos estivera, e está, na massa do sangue. É a vida! Mas digam o que disserem, não acredito nos homens, nem morto!

abobora2.jpg

Dicionário:

- Cognitivo - Referência aos processos mentais e estruturais de tratamento da informação, especialmente do cérebro humano; Soteriologia - Parte da teologia que estuda a salvação da humanidade. No cristianismo, doutrina da salvação realizada por Jesus…; Tanatologia - Campo da medicina legal voltado para o estudo da morte e dos problemas médico-legais a ela vinculados; - Escatologia - Doutrina que se dedica ao estudo das coisas que devem acontecer no final dos tempos (fim do mundo)…[Teologia] Doutrina que analisa o destino final da espécie humana e da Terra (mundo), apresenta-se, geralmente, no discurso apocalíptico ou profético; escatologia cristã.

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 22:15
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quarta-feira, 2 de Outubro de 2019
CAZUMBI . LVI

A ROLETA DA VIDA - Torcer enxugar e corar - Secando a palavra ao sol …

- …Engolir sapos vivos sem vomitar… 28.09.2019

Por

canhot3.jpg António José Canhoto - (James Spenser)  

kimbo 0.jpgAs escolhas do Kimbo

:::::1

Para todos aqueles pobres e remediados que passam toda ou parte das suas vidas a tolerar e engolir sapos vivos sem vomitar, ordens ou directrizes de terceiros sem tugir ou mugir, pois as necessidades da vida assim os obrigam e condicionam, vir a ser rico é um sonho e uma obsessão, por isso jogam semanalmente em lotarias, raspadinhas, totolotos e totobola. A sujeição permanente desses trabalhadores a ter de aceitar durante a vida jogar com quem dá as cartas marcadas ou lança os dados com pesos dentro para rolarem de forma a que o número 6 saia sempre, é uma situação de inferioridade, menoridade e submissão, é jogo que nunca ganharão. Estes, a partir do dia que aceitarem o seu primeiro emprego já estão vencidos e derrotados.

:::2

A roleta da vida dá muitas voltas e quando muitas vezes sentimos o peso do mundo que carregamos às costas, noutras mercê de circunstâncias inesperadas temos o privilégio de estarmos sentados confortavelmente no topo dele usufruindo de termos à nossa volta um batalhão de servos pagos para adivinharem e satisfazerem os nossos caprichos ou fantasias sonhadas. Anteriormente alguém ditava as regras do jogo que iríamos jogar, a partir de agora serão vocês a escolher os parceiros com quem quereis jogar divertir-se e gozar a vida, pois ganhar ou perder deixou de ser relevante.

 arau159.jpg::::3

Ser domador ou domado não são opções de vida onde a maioria das vezes não temos essa escolha, ser leão de circo treinado nunca é leão adulto e selvagem das savanas africanas, só acontece quando estes são apanhados em tenra idade; com os humanos acontece exactamente o mesmo. Estar na mó de cima ou na debaixo faz uma enorme diferença, menos para aqueles que nascem ricos e que desde o berço ditam as leis de como a roleta deve ser jogada, ou seja, quem vão ser os burros e quem se lhes vai por a carga em cima. Infelizmente a vida é mãe para uns e madrasta para outros, dependendo muito do tipo de berço onde nascemos. Se viemos ao mundo em África e mamamos directamente das tetas da cabra ou do camelo.

:::4

Mais tarde a qualidade da nossa instrução e educação depende se frequentamos escolas, universidades privadas ou públicas ou ficamos apenas pelo ensino básico. Existem hábitos diferentes entre ricos e pobres. Ricos vão a concertos de música clássica, enquanto que os pobres vão ver os artistas pimba da moda que cantam música a metro ou ao kilo. Ricos, ou brasonados falidos, têm mais de 10 longos e pomposos nomes começando por Dons enquanto que os pobres apenas se chamam Maria ou Manuel. Existe pois uma diferença mental, social, comportamental e idiossincrásica entre ricos e pobres, entre mandantes e mandados, leaders e seguidores, vencidos e vencedores.

:::5

Poderei dar exemplos de como se diferenciam os ricos dos pobres. Pobres não têm certezas, ricos são confiantes, estão focados, sabem o que querem, para onde vão e quando desejam chegar, os seus “timings” e decisões são pensados e cronometrados. Os pobres buscam desculpas; ricos procuram o sucesso. Pobres assumem, ricos têm a certeza. Pobres fogem às responsabilidades de assumirem as suas culpas, ricos aceitam os erros como lição e aprendizagem. Pobres vivem em função do dinheiro, os ricos investem no tempo para aprenderem e evoluírem.

Avillez2.jpg :::6

Pobres fazem competição, apunhalam-se pelas costas e lançam cascas de banana para os colegas de trabalho escorregarem; tudo para se sobressaírem e ficarem bem vistos aos olhos dos chefes. Os ricos juntam-se no clube de golfe para fazerem 18 buracos, beberem uma cervejas frescas, falarem das suas amantes e sobre os seus mais recentes investimentos e sucessos financeiros. Pobres são por norma, descrentes, queixam-se de tudo e de todos, da mulher, do tempo, do chefe, do governo, do ordenado, dos colegas e do carro que guiam que está sempre avariado. As culpas dos insucessos dos pobres são deles mesmo.

:::7

Os ricos por outro lado estão gratos e felizes da vida que têm e apenas se queixam do dia chuvoso que não lhes permite jogar golfe com os amigos. Pobres quando desejam montar um negócio na sua área ou bairro procuram um já existente que seja bem-sucedido para o copiarem, ou então, se têm uma ideia diferente, buscam conselhos e opiniões de colegas, amigos fazem preces e orações aos seus deuses pedindo as suas graças para que as suas vidas mudem ou os seus negócios prosperem. Enquanto isso, os ricos procuram conselhos de profissionais, fazendo aquilo que se chama um estudo de mercado.

araujo10.jpg :::8

Estudo esse baseado nas seguintes premissas: Quais as suas capacidades empreendedoras e profissionais para ser bem-sucedido. Quais as suas fraquezas em relação aos seus concorrentes. Quais as ameaças dos competidores no mesmo ramo e qual o valor acrescentado que se poderá trazer a esse mercado e, nele inserir um nicho não explorado. Quais as tendências: a curto, médio ou longo prazo, pois o que é moda hoje pode ser mono amanhã. Pobres ou remediados compram televisão grande, ricos compram livros para enriquecerem o seu conhecimento. O pensamento das pessoas muito pobres está voltado para cada dia; o das pobres para cada semana; o da classe média, para cada mês; o das pessoas ricas, para cada ano e, o dos milionários, para cada década.

:::9

Ricos falam sobre ideias, pobres sobre coisas, pessoas, vizinhos, revistas cor-de-rosa ou novelas televisivas. Ricos são inspirativos, fazem o mundo girar, pular e avançar e as coisas acontecerem. A classe media fala sobre as coisas que os ricos promoveram e observam mudos e quedos os resultados, enquanto os pobres se limitam a perguntar “O que aconteceu.” Os ricos trabalham visando o lucro, os pobres trabalham visando a obtenção de um salário. Ricos investidores assumem um risco calculado, a classe media e pobre tem medo de investir, e, mesmo que fique rico da noite para o dia a sua mentalidade não está orientada de como gerir riqueza, mas sim para gastar e satisfazer caprichos e os sonhos de quando era pobre.

arau45.jpg :::10

Ricos concentram a sua actividade para aumentar o seu património, pobres concentram-se, na expectativa de serem aumentados no seu salário. A ignorância dos pobres é aterradora e confrangedora. Basta abrir o Facebook no Feed Noticias e ver que há um elevado número de pessoas que compartilham publicamente as suas opiniões vazias e rasas ou fazem perguntas que um adulto culto e inteligente deveria saber e, caso não soubessem bastaria ir ao Google encontrar a resposta. São pessoas mentalmente preguiçosas vivem na mais profunda escuridão da ignorância, não progridem ou evoluem, pois, a sua mente está sempre engatada em marcha atrás. Os ricos usam o termo NÓS os pobres usam EU. O rico procura qualidade, o pobre procura preço, promoções, ofertas e descontos, esquecendo-se que quem compra barato compra duas vezes. Os pobres copiam e competem, os ricos criam negócios originais.

António José Canhoto - 28-9-2019

Ilustrações aleatórias de Costa Araújo – Escolhas de T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 07:14
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Julho 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
14
15
17

21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


MAIS SOBRE NÓS
QUEM SOMOS
Temos um Hino, uma Bandeira, uma moeda, temos constituição, temos nobres e plebeus, um soba, um cipaio-mor, um kimbanda e um comendador. Somos uma Instituição independente. As nossas fronteiras são a Globália. Procuramos alcançar as terras do nunca um conjunto de pessoas pertencentes a um reino de fantasia procurando corrrigir realidades do mundo que os rodeia. Neste reino de Manikongo há uma torre. È nesta torre do Zombo que arquivamos os sonhos e aspirações. Neste reino todos são distintos e distinguidos. Todos dão vivas á vida como verdadeiros escuteiros pois, todos se escutam. Se N´Zambi quiser vamos viver 333 anos. O Soba T'chingange
Facebook
Kimbolagoa Lagoa

Criar seu atalho
ARQUIVOS

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

TAGS

todas as tags

LINKS
PESQUISE NESTE BLOG
 
blogs SAPO
subscrever feeds
Em destaque no SAPO Blogs
pub