Segunda-feira, 12 de Agosto de 2019
PARACUCA . XXX

MULOLAS DO TEMPO - Fábrica de Letras do Kimbo com histórias da vida.

" D. Sebastião, esperado num dia de nevoeiro"  algures numa mulola...

- Mulola é um leito que só é rio quando chove (África Ultramarina) … Paracuca é um doce feito de ginguba e açúcar, rijo como o torrão de alicante, só que não fica branco …

Por

soba15.jpg T´Chingange - No M´Puto

araujo200.jpg Recentemente, visitei em Cuba do Alentejo a Quinta da Esperança e, em visita guiada por uma muito gentil menina, foi-nos explicando desde o pátio térreo junto ao aqueduto das águas aos quartos superiores da quinta-museu tudo o que de mais importante haveria a mostrar e a explicar. Dos muitos brasões que vi nos vários azulejos em fundo azul e baixos-relevos feitos em mármore e cantaria diversificada pude ver já na parte final um brasão com uma medalha por debaixo do mesmo, um prémio por ser aquela quinta a maior produtora de trigo.

cuba12.jpgAquela medalha foi obtida pelo Conde Cavaleiro, co-proprietário da quinta, pertença de um antigo Morgado, já no tempo do António Salazar. Mas, há uma outra por sobre a coroa muito comum nos brasões e heráldicas daquele tempo: -Um braço alado segurando uma espada partida. Muitas vezes erramos, simplesmente por não acalentarmos o silêncio do bom censo não discernindo sobre a qual espírito pertencemos; Desta feita não achei nada lógica a explicação por ser muito desadequada mas, mantive-me calado para não ferir honrarias e posturas prazenteiras; já lá iremos!

Falando do que vi e que calei, por vezes enchemos-nos de cantos piedosos com fervor religioso omitindo-nos das cenas de extermínio na ânsia de sermos poupados á cólera, das visões fanáticas muito cheias de sofismadas verdades, razões de fé descabidas de sustentada razão, fanáticas até. Não podia ali explicitar minhas dúvidas para não criar a falsa ilusão de que eu, era o tal perito porque decerto ficaria ali exposto como um vaidoso de prosápia. Irão calmamente entender à primeira o que me apraz dizer.

cubo7.jpg  Em idos tempos medievais as cruzadas furando o cerco a Jerusalém mataram setenta mil muçulmanos, ditos infiéis. Com a cruz alongada em forma de espada sangraram vidas arrebatando órgãos vitais que mumificados decoravam altares com a cruz de Jesus Cristo ali ao lado. Isto é tão plausível como a sopa de tengarrinhas que comi na seia com os Maconginos do Lubango, eu o Senhor dos anéis do Reino de Manikongo (gaba-te cesto…) gritando o Ginga Malaia…

Esta Quinta da Esperança situa-se em Cuba, Distrito de Beja do M´Puto. É uma casa senhorial datada do final do Século XVI (meados de entre 1555 e 1595; quase tão velha quanto a Sé de Braga). Toda a área em seu redor foi transformada com o tempo em um dos maiores campos de cultivo de trigo de Portugal. A partir de 1750 foi criando o Morgado da Esperança. Após vários casamentos com outras famílias oriundas de outros pontos do globo, como os Holandeses Braamcamp, e com a agregação dos apelidos Lobo, Gama, Fragoso, Cordovil, entre outros, é dado ao Sr. José Maria de Barahona Fragoso Cordovil da Gama Lobo, (primogénito do Capitão-Mor de Cuba, Francisco Cordovil de Barahona Fragoso da Gama Lobo de Brito), o título de 1º Conde da Esperança, criado por decreto de 22 de Setembro de 1878 do Rei D. Luís I de Portugal.

Não sei se é lenda mas logo na feitura desta quinta, em nome da Santíssima Trindade, D. Sebastião cheio de fervor religioso e militar, um pouco por todo o Portugal, incentivou os jovens a irem com ele à luta; através desta cruzada, dilatariam a fé e o império mais além das fronteiras da cristandade. E, foi no Alentejo que conseguiu reunir uma grande parte da força militar constituída por 17.000 homens, dos quais 5.000 eram mercenários estrangeiros. De Beringel, D. Sebastião levou toda a sua juventude, ficando ali, só os velhos.

beringel1.jpg  Revivendo as glórias do passado, a armada de D. Sebastião, partiu de Lisboa a 25 de Junho de 1578, fez escala em Cádis, aportou em Tânger, seguindo depois para Arzila e Alcácer-Quibir. A vida na quinta teve sua labuta mas, entretanto num hino à liberdade vislumbrei que a vida não faz sentido sem se ter um espaço próprio, de mente liberta; foi ali em Alcácer Quibir que toda aquela gente, nata de nobres e da arraia-miúda do Alentejo foi destroçada perante um exército de 60.000 muçulmanos. A Beringel, regressou um braço conservado em sal, um claro aviso para não mais ali voltarem. Entenderão agora do porquê ficar taciturno ao ver aquele braço alado segurando uma espada quebrada.

Na linha tortuosa das ruas, casas com barras azuis a limitar em branco as portas, os indícios moçárabes perfilam sombras dos telhados lusos. No turbilhão da história com foices, defini os limites da ordem de Santiago com os cristãos fustigando mouros com suas espadas em forma de cruz. E, foi em Alcácer Quibir que se deu início ao reverso da história e, já lá vão 440 anos; Aqui, tal como em Beringel, por volta do meio-dia, os perfumes do campo de funcho, poejo e espargo silvestre, adensam seus cheiros a recordar tais nobres tropelias… (nem falo das foices abrilistas para não ferir meus compadres…)

roxo135.jpg Naquela Quinta a vida seguiu seu curso! Creio que por falta de gente tiveram de laborar com escravos e será essa razão porque tanta gente tem a alcunha ou nome de Carapinha. Na quinta inicia-se assim um condado de cinco gerações de Condes e Viscondes, existente até os dias de hoje. Por ser o imóvel uma habitação da nobreza, teve o privilégio de hospedar três elementos da família real: a Rainha D. Maria II, o Rei D. Pedro V ( O tal primo do Maximiliano, Imperador do México…) e o Rei D. Luís, aquando das suas deslocações à cidade de Beja.

sebastião1.jpg Adquirida em 2015 por uma brasileira, naturalizada portuguesa, a casa actualmente encontra-se aberta ao público. Baseados em fotos, documentos e testemunhos, requalificam-na agora para que fique com a imagem que teriam na sua época áurea, no final do século XIX. São dezenas de painéis de azulejos, pintura mural a fresco, uma capela interna com talha Joanina e pinturas a óleo, uma nora funcional para tirar água do subsolo, método herdado dos árabes, aquedutos, entre outras curiosidades históricas. Um local que vale a pena visitar de forma a sentir o que era uma casa senhorial no Baixo Alentejo em meados de 1900. Disse o que queria dizer: Aquele braço alado é referente às mortes daqueles muitos mancebos – não encontrei outra explicação.

Ilustrações de Costa Araujo Araujo e Assunção Roxo 

ADENDAS

julio2.jpg- Do Professor Julio César Ferrolho:

Era costume os eis combaterem diretamente na batalha com uma tática defensiva claro. Nesta batalhe de Alcácer-Quibir combateram e morreram três reis como descrevo abaixo. É conhecido que 500 navios embarcaram as tropas do rei Sebastião em Lisboa. Fala-se sem certezas em 15.000 a 23.000 combatentes do lado português, o que daria uma média de cerca de 40 combatentes em cada navio, mais cavalos e materiais de guerra e equipamentos o que é razoável. Fala.se em 10.000 só cavaleiros do lado dos mouros não se informando quantos eram os combatentes a pé Mas deveriam ser outros tantos pelo menos, Forças em número equilibrado. Mas os portugueses chegaram ao local da batalha depauperados com fome e esgotados. Os mouros esperaram-nos em local que escolheram, logo grande vantagem à partida. Após 4 horas de combate a sorte de quem tinha vencido não estava declarada, Foi o desnorte e a falta de comunicação que levou os corpos do exército português a debandar desordenadamente com a completa derrota dos exércitos de D.Sebastião e do rei Abu Abdallah Mohammed II Saadi que lhe pedira apoio. Diz-se que, no conjunto dos três exércitos houve cerca de 9.000 mortos e 16.000 prisioneiros, nos quais se incluem grande parte da nobreza portuguesa. Talvez 100 sobreviventes tenham escapado, com custo, do local da batalha. Mulei Mohammed, aliado dos portugueses, tentou fugir ao massacre em que a batalha se convertera mas morreu afogado ao atravessar o rio Mocazim. O Sultão Abdal Malique (Mulei Moluco) que comandava as tropas dos mouros também morreu durante a batalha, mas de causas naturais, uma vez que o esforço da batalha foi demais para o seu estado, debilitado por um envenenamento que tinha sofrido uns meses antes. D. Sebastião, por sua vez, desapareceu liderando uma carga de cavalaria contra o inimigo, e seu corpo jamais foi encontrado...

- Em um esquema da disposição das forças do rei Sebastião na batalha aparecido numa publicação, é curioso verificar que havia uma secção de religiosos e outras pessoas que "não pelejavam". 

O Soba T´Chingange em terras do M´Puto



PUBLICADO POR kimbolagoa às 05:43
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

RELOGIO
TEMPO
Weather Forecast | Weather Maps
Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
14
15
16

17
19
20
21
23

24
25
26
27
28
29
30


MAIS SOBRE NÓS
QUEM SOMOS
Temos um Hino, uma Bandeira, uma moeda, temos constituição, temos nobres e plebeus, um soba, um cipaio-mor, um kimbanda e um comendador. Somos uma Instituição independente. As nossas fronteiras são a Globália. Procuramos alcançar as terras do nunca um conjunto de pessoas pertencentes a um reino de fantasia procurando corrrigir realidades do mundo que os rodeia. Neste reino de Manikongo há uma torre. È nesta torre do Zombo que arquivamos os sonhos e aspirações. Neste reino todos são distintos e distinguidos. Todos dão vivas á vida como verdadeiros escuteiros pois, todos se escutam. Se N´Zambi quiser vamos viver 333 anos. O Soba T'chingange
Facebook
Kimbolagoa Lagoa

Criar seu atalho
ARQUIVOS

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

TAGS

todas as tags

LINKS
PESQUISE NESTE BLOG
 
CAIXA MUSICAL
CONTADOR
contador free
ONDE ESTÁS

Sign by Danasoft - Myspace Layouts and Signs

blogs SAPO
subscrever feeds