Sábado, 6 de Março de 2021
XICULULU . CXXXIV

FALAS VADIAS – 06.03.2021

Crónica 3124Pior mesmo é quando todo o dinheiro de promessas, nos engravidam o vazio de nossos bolsos …

Xicululu: - Olho gordo; Avareza; Cobiça

roxo92.jpg Por soba24.jpgT´Chingange – No M´Puto

Como jogo de baralho que trunfa e destrunfa, como só sendo coisa de menor importância, sinto-me Ás de Espadas amarfanhado no bolso direito das calças de pijama. Isto, num tempo normal, nem teria qualquer relevância mas, sucede que foi nesse Ás de Espadas que anotei a palavra passe do abracadabra INIMPUTABILIDADE. Sim! A palavra mágica contendo os meus muitos rascunhos e sentimentos de toda uma vida – desajuntados à balda em trechos curtíssimos.

O quê!? O senhor não me pergunte nada! Como assim! Isso, coisas assim tão de misteriosas, não se perguntam. Claro! Assim mesmo, porque quem pouco fala, fica com a sabedoria alheia sem despender nem depender dum ai ou ui. Deste feito e assim calado, posso crescer e minguar como pastilha de chwingame, chiclete de bolinha e crocante de mascar, que se mastiga no giro da memória inteira. Copiou?

ás espadas1.png Agora que a Pátria anda a ficar velha medrosa, madraça de males desgraciados e endividada por muitos vindouros anos e, até muito caloteira, dá-me vontade de gritar hó Evaristo!  Gritar de atravessado para espantar o medo medroso e, para não ficar pior que nem um “Deus me livre e guarde” como se fora uma carraça entre dois dedos e, tendo os dois, polidas unhas assassinas. Ué, poispois… Minha avó, era assim que matava piolhos nesse tempo de carraças…

Num lamber frio de que o senhor já sabe: - viver neste agora é um edecétera e tal. Afinal é isso?! Sem tirar nem pôr, é a possibilidade de capacitação que um qualquer por praticar certo acto, pode ou não cometer crime consoante o poder de sua penumbrosa acção, por ser de coturno hierárquico ou ainda porque está inserido numa certa função. Isso! Que tem em seu ADN essa tal palavra passe “password” de INIMPUTABILIDADE – (livre de culpas). Definido por lei e por via de certas peculiaridades …

roxo137.jpg  Ora, ora, filhos da truta. Não, não é isso! A bem da nação têm esse beneplácito de errar usando esse subterfugio de que aconteceu à sua revelia, porque “não o queria” e vai daí, algo mal feito, se desculpa de qualquer punição – fica isento de culpas. São ossos do ofício, sempre acabam por o dizer como desculpa de coitadinho ou coitadinha…

Essa espécie de egoísmo misturado com inimputabilidade que em Portugal dá frequentemente à costa em modo de chico-espertismo – coisas de politiquice… Então, se são incapazes de culpas, lá terão de ser incapazes de competência e serem substituídos. Não? Serão só coisas “ilícitas”, sem culpa formalizada…Ora, ora!

roxo146.jpg  Essa será uma lei oligofrénica, que afecta a capacidade intelectual de todo aquele que fica a seu mando, subordinado a… Issoisso! Prática de gente que tem deficit de inteligência também chamada de idiotice ou imbecilidade – alguém portador de bitacaias na ética, no cérebro ou seu perfume, um tal de QI. Agora, o senhor entende o porquê de eu mesmo sendo feiticeiro T´Chingange andar com essa carta Ás de Espadas no bolso? Olhe, o M´puto é pais de oito ou oitenta.

Pópilas! Antes de poder ver, já pressentia, sabe. Antes que me julguem, eu até que nem queria espiar. Será assim que a vida socorre à gente certos avisos, sabe. Olhe senhor: Os nossos governantes andam por demais enfolipados em cativações com foles mal costurados. Pior mesmo é quando todo o dinheiro de promessas nos engravidam o vazio de nossos bolso - os mesmos aonde cabem os Ás de Espadas…

Ilustrações de Assunção Roxo

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 15:13
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sexta-feira, 5 de Março de 2021
MOAMBA . XLVIII

Andar nas NUVENS – (28.02.2021)05.03.2021Crónica 3123 - Coisas de mito, do PROMETHEUS - O MUNDO ESTÁ MUITO CHEIO DE PROMESSAS...

Por

arau44.jpgsoba0.jpeg T'Chingange - no AL Gharb do M'Puto

De acordo com o imaginário popular, “anda nas nuvens” quem devaneia, sonha com o impossível ou se permite embalar no auge de uma experiência feliz. Está sob “céu de” (sem nuvens) quem vive momentos sem dificuldades, em que tudo dá INCERTO... As duas coisas fazem parte da vida, assim como em nosso dia a dia; ora desejamos o sol ora queremos as nuvens. Cedo pela manhã, minha primeira providência ao acordar é abrir a janela do quarto, deixando entrar o ambiente iluminado.

prometeu0.png À tarde, pelo menos no inverno, quero que as nuvens estejam fora do céu, amenizando o frio com calor produzido pelo sol, na açoteia de minha cubata. Nuvens são objecto de inspiração para artistas e fotógrafos mas, quero mesmo é tomar quentura de vitamina D. Sem nuvens, não há neve, relâmpago nem arco-íris. Em verdade, as nuvens realçam a beleza do pôr-do-sol ficando presentes nas mais belas paisagens mas, de inverno, trazem fortes tempestades de chuva molhada, pegajosa e, até por vezes, colhemos graves prejuízos com infiltrações ou inundações. As nuvens são muito importantes para o equilíbrio da vida no planeta, sendo responsáveis pelo ciclo da água e pelo clima; portanto, fundamentais na meteorologia mas, o que quero agora é Sol, muito sol para dismilinguir o tal de gelatinoso COVID – SARS e derivados da Bretanha, do Amazonas ou África do Sul.

propolis5.jpg Há textos Bíblicos nos quais a glória divina aparece velada por uma nuvem, em benefício do povo. Uma lembrança apropriada de que às vezes somos impedidos por “nuvens” de ser aquecidos e iluminados pelo Sol da existência. Essa realidade é comum em um mundo “imperfeito”. Essas “nuvens” parecem esconder de nós o semblante de Deus, porém, Ele está lá, assim como o sol continua brilhando atrás das nuvens naturais. Atrás das nuvens, o Senhor trabalha em prol da gente mas ...

prometeu1.jpg Por mais longo que seja o tempo com SOL, numa inesperada peregrinação, haverá sempre um oásis para o qual seremos guiados sob uma tal nuvem de presença divina mas, "há sempre um mas" - Neste empecilho espacial lá terei de intermediar um tal de Prometheus (antevisão), da mitologia grega, que interfira como o mito diz ter sido - um defensor da humanidade, conhecido por sua astuta inteligência, responsável por roubar o fogo (SOL) de Héstia para o dar aos mortais. Isso! A NÓS... E, como diz o mito, que nos liberte também deste empestamento, que fique ele amarrado a essa tal rocha pela eternidade MAS e, de novo se submeta ao risco e à punição de Zeus - que como ÉPICO, deixe a águia comer seu fígado que se REGENERA no dia seguinte. Tudo assim para nossa salvação...

prometeu4.jpg Estes antigos companheiros gregos, tinham cada ladainha que até ficámos desmilinguidos em nossa sabedoria. O mito foi abordado por diversas fontes antigas (entre elas dois dos principais autores gregos, Hesíodo e Ésquilo, nas quais PROMETHEUS é creditado (ou culpado) - por ter desempenhado um papel crucial na história da humanidade. Pois então, que o faça de novo e nos salve com esse poder etimológico... Óh PROMETHEUS! Ou agora ou nunca... Acode à OMS (Organização Mundial da Saúde) e, ao nosso governo Xuxalista do M'Puto para ficares mais eterno entre nós...

No final do século 21 centrado na tripulação da nave espacial Prometheus, seguem um mapa estelar escrito entre os remanescentes de várias culturas antigas da Terra, em busca das origens da humanidade e chega a um mundo distante e a uma civilização avançada, mas a tripulação descobre uma ameaça que pode causar a extinção da raça humana…

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 17:03
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 4 de Março de 2021
MOAMBA . XLVII

PERICLITÂNCIAS DO DIA-A-DIA – 04.03.2021

Crónica 3122No chirilimlim governamental  

Por 

roxo91.jpgsoba24.jpg T'Chingange – No Algarve do M´Puto

Encostado ao frio, calorifico a tostar-me as matubas, orelhas enfiadas num carapuço cheio de ácaros que borrifam caspa nas sobrancelhas brancas e pretas, escuto o orvalho feito chuva miudinha pela janela virada ao sul, que jorra até mim uma luz mirrada de sol dissipando, o ar entre o miósporo, o loureiro do alemão da alemanha e a buganvília que sode desordenada pela alta parede amarela do carcamano.

Este familiar dum tal barão também veio do sul de Angola por via da guerra do tundamunjila; um bóher descendente desse herói barão vermelho, um tal aviador destemido da segunda guerra mundial chamado de Manfred Von Richthofen que tinha seu avião cheio de riscas – cada risco correspondia a um avião abatido. Quando candengue da Luua, lembro ler as odisseias desta figura com seu lenço vermelho a ondular fora do pescoço e saindo até, da carlinga dum teco-teco de duas asas…

dia206.jpg E, enquanto é dia e de janela aberta, aqui no Barlavento, vejo o gato branco grande, tisnado de sujo e gordo que em cima do muro, se aproxima cauteloso até ao granulado de carne e peixe com restos de comida que ali é posta, na fronteira entre o que é meu e dele, o carcamano da Chibia; dissimulado entre o verde do loendro e o muro branco, surge o bicho feito pai, leopardo sem pintas. E, para alimentar uma ninhada de gatos emigrantes nascidos à-toa entre os cocorotes amontoados na empena da encosta tardoz do alemão, dispus-me a comprar no Auxan pacotes de comida, pois então- um de carne, outro de peixe!

Esta ninhada de gatos, dois pardos e dois brancos, vigiados de perto pela mãe farrusca de parda, vão aparecendo quando calha. A noite chega com inúmeros relatos de televisão mostrando seringas de agulhas quilométricas a espetar carnes – a tal de vacina que preenche o espaço de notícias semeadas de poeiras pandémicas com os grilos do chirilimlim governamental que se enfolipam nas regras já muito dobradas em plissado… Cumcamano…

edu43.jpg Mais à noite chegam os debates de comenteiros mostrando as crinas e até rabos sacudidos com vários barulhos de boa goela dando-me vontade de rosnar. Assim, encostando o frio com a mão bem junto aos teodósios esfrego as frinchas abelhudas de frio com as pontas dos dedos gélidos práquecer … Chega a hora de ligar o ar quente do condicionado, regular para os vintiquatro graus e esperar que normalize o espaço grande da sala cheia de trecos, bem nos vinte graus Celcius; os outros quatro graus escapam-se pelas fissuras porosas, sei lá - desacontecem.  

Mesmo sem querer espiar, lá vejo os garganeiros esgadanhando-se ou bajulando suas traições com beijos felizes e, assim, fazendo-me representar em meus olhos, revejo o tempo em que tudo o era; antes de poder ver assim, já pressentia! Tudo vai ficar na mesma. Lá vem o Fulano que parecia ser homem de tão justa regra e, de tão possivelmente o parecer, não poupa ninguém na aprazível e escorregadia omissão…

dia35.jpg Esperto que ele, Suaexcelência (tudojunto), chegue no quanto baste, sem se separar da saudade da direita; sem sobejo de esfoço, fala sem mudança afiançando sua fé de promessa, mas escapando-se entra nos entretantos canhotos… Não me dá tranquilidade, juro por sangue de Cristo porque também sou cristão, o quanto baste e, para além do mais, já sou suficiente graúdo e manteúdo – quersedizer, crescido emancipado e à espera de ser vacinado. 

Isto é como o jogo do baralho “a pátria não pode nada com a velhice” como do gato e do rato. Sei que estou dizendo algo deveras dificultoso e muito entrançado na doença do toque. Ninguém me pergunte nada – coisas destas não se perguntam bem porque, quando tudo está muito mal, só pode melhorar. Pois! De costas guardadas, o poder de minhas rezas vão-me rendendo aos poucos feito favas contadas entre o madrugar e o anoitecer.

DIA199.jpg Gato, mesmo tisnado ou queimado de água fria tem medo. Estou farto de ser mandado daqui para ali como se fosse uma criança de colo perdido do pai e da mãe. Pópilas! Quem é pobre pouco se apega a este continuo ver anoitecer sem amanhecer ou no vice-versa, chato de andar ao trambolhões, contando o sombrio das coisas. É e não é, num xissa, que enfim lá teremos de continuar comento pão com chouriço. Assim mesmo, o espaço é tão clausurado que assim pode acontecer, no sussurro da meia-noite, pode perfeitamente às nove horas, vir o diabo lamber o prato do gato…

O Soba T´Chingange

 



PUBLICADO POR kimbolagoa às 19:58
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2021
XICULULU . CXXXIII

FALAS VADIAS E ATRAVESSADAS 25.02.2021

Crónica 3119Minha vizinha anda com medo de viver; ela não está nas listas VIP…

Xicululu: - Olho gordo; Avareza

Por 

araujo158.jpg  T´Chingange – No M´Puto

silas3.jpg Na mitologia Grega era de mau sinal olhar para trás mas, em realidade nunca ninguém mediu o tempo de duração desse mito. Assim, com incompleta confiança embrulhada em metades medrosas, pergunto: O que está a acontecer com toda uma multidão que feito país, protesta calada em casa!?

Sabe-se que há problemas que surgem com as tosses cheias de pulmões nas palavras mas, afinal que está a acontecer? É a pergunta de qual, quando e como, vai ser o rendimento mínimo a atribuir para um cidadão continuar vivo! Pópilas! Lá teremos de sufocar ou sufragar as regras e os mitos sem obedecer aos muitos minutos andando às voltas pelo quintal olhando as nuvens, negras cheias de água num chove, não chove.

way4.jpg A mulher de Ló sabia que não deveria olhar para trás para poupar a própria vida (Gn 19:17), mas mesmo assim olhou! Ver assim os ramos do loureiro árvore, tombar a indicar de onde vem o vento e, se vem triste, húmido, feliz ou de jacto. As noites mal dormidas a ampliarem coisas e loisas que passam em nossa cabeça e, porque na generalidade dos sentimentos o medo não tem um interruptor para os ligar e, desligar.

Se estás mal da bexiga, irás ficar mal dos sentimentos; em verdade quem tem cu tem medo; isto também se aplica ao baço, ao fígado, outros sistemas do esqueleto e, vai por aí… É que numa malazenga destas, só se consegue saber tudo dela quando a mesma acabar.

xiricuata4.jpg  Assim, andando em círculos, passando pela décima vez pelo canteiro das hortenses, lá pela décima terceira, paro e pergunto; pergunto, não! Afirmo-lhe: Este Mundo está perdido, noé? A fazer perguntas sem respostas com a natureza tão honrosa, tal e tanta que nem eu que sou feiticeiro, tenho ânimo de mentir, nem de me caber calado.

Mas, sei o que é importante, viver em estado de emergência é marcar consulta por computador, esperar a hora certa ou renovar a receita por meios digitais. Minha vizinha Augusta, recentemente disse que anda com medo de viver. Num enfim mas também, o que é que vale, o que é que não vale? Como assim! Estou falando demais.

xinguila4.jpg No que é que a velhice faz. Juro! Estou querendo ser cincerro… mas hoje, ou até hoje, representando os meus olhos, acho até que tenho de aprender a estar alegre e triste em simultâneo rindo das próprias folhudas pestanas muito parecidas com as de Cunhal. Assim fixamente, digo a mim: Em cada dia, de cada hora, a gente aprende uma nova qualidade de medo.

Com mais de oitenta anos, minha vizinha Augusta, deveria estar na área VIP. Bem! Poderia fazer como a conhecida Ana Gomes do PS do M´puto que fez candonga comprando, nem se sabe como, uma vacina à Conxinhina. O medo é que guarda a vida noé? Não é bem assim o tal ditado; o medo é que guarda a vinha. É mesmo um escambau - (…mandam eles é o escambau, aqui mando eu…).

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 15:17
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2021
KANIMAMBO . LXXII
TEMPOS COM FRINCHAS - 22.02.2021
- Deixar para amanhã o que pode ser feito hoje é um traço comum da natureza humana...
Crónica 3118 - “Hoje” - É a VIDA com fé.. COM OU SEM VACINAS. O HOJE, NÃO VIRA AMANHÃ... No tempo, o TEMPO, pode fazer a diferença...
Por 

t´chingange2.jpg T'Chingange -No M´Puto

Em tempos, um turista visitou o campo da batalha de Waterloo, com um velho guia. Chegando ao local do centro da batalha, o guia indicou o muro que protegera a velha guarda de Napoleão, o fosso onde se esconderam os mosqueteiros de Wellington e o poço em que foram lançados os corpos mortos. 

  Perguntando ao guia de que direção haviam vindo as tropas em socorro dos aliados, o guia apontou para uma estrada no cimo de uma colina distante e exclamou: Foi dali que ele surgiu, às QUATRO horas da tarde! Voltando-se para a colina oposta, afirmou: E, foi ali que Jerónimo, o artilheiro, devia ter plantado seus grandes canhões, às TRÊS E MEIA . Então, maldizendo o artilheiro Jerônimo, murmurou: “Tarde demais, tarde demais, e perdida estava a França.”

  Esse foi o descaminho em que se perderam a fama, as fortunas e a vida ao longo de todos os séculos; por meia hora... “Tarde demais, tarde demais.” Deixar para amanhã o que pode ser feito hoje é um traço comum da natureza humana. Nos domínios espirituais, isso pode ser fatal - tudo pode mudar em um segundo...

Uma senhora que por muitos anos não estivera na igreja ouviu um sermão evangelíco, e o Espírito impressionou seu coração. Imediatamente reconheceu seus pecados, que eram muitos, e se prostrou para orar. Uma senhora crente, a seu lado, orou com ela e a encaminhou ao Salvador. Ela aceitou o sacrifício de Jesus e foi para casa convertida.
  À saída, ela disse à sua amiga cristã: “QUEM ME DERA TER UMA BÍBLIA !” A senhora, que era enfermeira, deu um exemplar a ela, no qual havia escrito Lseu nome da enfermeira.
No dia seguinte, quando atendia os doentes no hospital, alguém a informou de que na véspera houvera um caso grave: uma senhora tinha sido atropelada por um camião e morrido. E, o curioso, disse a informante, É QUE ELA TINHA UMA BÍBLIA COM SEU NOME.
  Ela disse qualquer coisa antes de morrer? perguntou a enfermeira. “SIM ”, foi a resposta. Ela disse "GRAÇAS A DEUS PORQUE ISSO NÃO ACONTECEU ONTEM !" Em resumo: somos uma ilusão; em um segundo somos e em um OUTRO segundo, deixamos de o ser - É a VIDA com fé.. COM OU SEM VACINAS. O HOJE, NÃO VIRA AMANHÃ... No tempo, o TEMPO, pode fazer a diferença...
O Soba T'Chingange


PUBLICADO POR kimbolagoa às 19:55
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sexta-feira, 19 de Fevereiro de 2021
N´GUZU . XXXVII

CONHECER O BRASIL – LUNDU - Era uma dança de escravos “angolanos crioulos”, muito indecente na qual se faziam mil espécies de movimento com o corpo. Corria o ano de 1878  …19.02.2021 .....  N´Guzu é força (Kimbundo) – Crónica 3117

lundu05.jpgPor: T´Chingange – No Algarve do M´Puto

Lundu, era a dança mais difundida do século XIX no Brasil. Levada pelos escravos da Matamba de N´Gola e África Central, era cantado e dançado na forma original de umbigadas, movimento de ancas acompanhado por batuque em que os corpos se encostavam num movimento a que mais tarde, século XX, se veio a chamar de massemba; Nos domingos de folga, os escravos, nos recantos rurais e nas praças públicas das cidades, divertiam-se num remexo das partes inferiores do corpo ao jeito a que recentemente se deu o nome de corrumba…

As gentes da Metrópole, M´Puto, descreviam esta manifestação como de cavalhadas, dança afandangada onde se lhe reconhecia traços portugueses e até espanhóis com o estalar de dedos como se castanholas o fossem, acompanhando os violões e bombos de batuque. Os folcloristas de então tinham o dilema ao definir o enlace de misturas de chulas ou fados, acompanhados de requebros com alguns indícios ibéricos em roda e, desgarradas graciosas com palmas ritmadas no acompanhamento…  

lundu1.jpg Os mestiços ou libres pobres alforriados saracoteavam passos ondulados e engraçados marcados ao ritmo de palmas, até apitos e assobios a acompanhar cavaquinhos, flautas, violas, urucungos na forma moderna de berimbau e até marimbas improvisadas na forma tradicional de áfrica feitas de cabaça. Qualquer coisa que soasse, caixa, caixinha, pau oco ou casca de fruta seca como a vagem seca da acácia rubra…  

O lundu terá chegado aos salões aristocráticos da europa lá pela segunda metade do século XIX, por via da atracção dos finórios, calcinhas dançarinas que queriam fazer estilo de banga entre seus pares urbanos, atritos a excentricidades. Estes, quando tocados e dançados em salões chiques, teatros, circos ou casas de diversão ou alterne, meninas morenas do quebra ou racha, eram acompanhadas ao piano, um género de modinhas humorísticas.

lundu2.jpg Os compositores ávidos de variação diferenciada compunham assim música de teatro numa mistura de modas eruditas para atrair público mais refinado. Os salões mais requintados faziam questão de mobilizar serenatas, canções sentimentais com contrabaixo e até violinos. Temos assim a presença de difícil delimitação nos estilos com batuque, as chulas, as chibas (é sinónimo de samba no Norte e de Cateretê no Sul, reunindo damas e cavalheiros para dançar e cantar), fados, modinhas de novela com queixumes e choros com diferentes segmentos sociais. Chiba ou xiva que “é uma dança de roça, ao ar livre”, com violão, viola de arame, pratos, pandeiros e cavaquinho.

Os músicos negros barbeiros, anunciavam pela cidade de S. Paulo as festas religiosas, públicas, eventos com circos populares e artistas de rua. Para além destas festividades juntavam-se em locais próprios do teatro, os intelectuais misturados com boémios exprimindo-se com variantes de valsas e um tal de batuque rasgado. Estas trocas culturais eram intensas inviabilizando a circunscrição de um grupo étnico, ou social especifico em alguns destes estilos.

lundu06.jpg Pelo dito fica clara esta afirmação moderna do espectáculo maior no que é, e se sofisticou no carnaval actual, como o maior espectáculo do mundo. Gente observadora podia naquele então fins do século XIX, descrever lavadeiras negras e escravos cantando e farfalhando-se com polcas e barbeiros afandangados e dobrados em requebrados de quadrilhas, batuques em barracas, terreiros de cortiços e diversão em ajuntamentos públicos.

lunu0.jpgNa última década do século XIX surge então um novo género influência de todos os outros, esse tal de maxixe com choros de flauta, misturando violão, flauta e cavaquinho nos teatros de revista. A capital do Império S. Paulo, seguia assim as tradições de música lundu com batuque apesar de muito condenada pelos moralistas, defensores de uma civilização europeia. Tudo muito distinto desses candomblés e forrós de negros, mestiços e mazombos saídos duma fusão de raças, costume e superstições de três continentes mas, mantendo seu cunho de matriz africana de N´Gola e outras negruras.

Bibliografia: - Brasil Imperial

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 21:29
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 18 de Fevereiro de 2021
MISSOSSO . XXXIX

DO TITANIC AO NIASSA

Crónica 3116 - Kifufutila - Quarta-feira de Cinzas, 17.02.2021

- O poder da oração é importante! Kifufutila é farinha de mandioca grada, com açúcar...

Por   tonito15.jpgT'Chingange. No AL-Gharb do M'Puto

 titanic.jpgNo dia 10 de abril de 1912, ainda eu nem era projecto de vida, o famoso navio TITANIC partiu da Inglaterra para Nova Iorque. Era sua primeira viagem, e ninguém imaginava que também seria a última. Os técnicos estavam enfeitiçados de auspiciosos poderes e, as gentes assombradas com tanto avanço tecnológico, quase adorando o mostrengo bonito...

Em 14 de abril, às 23h40, o navio chocou-se contra um bloco de gelo, um iceberg desgarrado da grande calote gelada do Polo. Abriu-se um enorme buraco em seu casco, e a embarcação começou a afundar lentamente. De repente, desapareceu nas águas frias.

titanic2.jpgMais de 1.500 pessoas morreram naquela noite; pude ver no filme as aflições, um ai-jesus de quem nos acode. Posso imaginar o cagaço meu, caso lá estivesse e, do quanto seria difícil ter os zingarelhos todos cientes e bem definidos nos estralhos dum cérebro em aflição aflitiva... Às vezes os sonhos andam por perto...

O coronel Archibald Gracie era um dos passageiros. Sua esposa o aguardava a milhares de quilómetros do local do acidente. Porém, naquela noite, ela não conseguia dormir. Uma estranha sensação pairava no ar. Por isso, resolveu orar, mal sabendo que seu esposo lutava entre a vida e a morte nas águas do Atlântico Norte.

modas4.jpg Finalmente, a senhora Gracie sentiu paz. Mais tarde, ela disse: “Foi como se os braços de Deus me envolvessem. Voltei para a cama e dormi.” Naqueles momentos, quando o coronel pensou que ia morrer e, sem forças, já estava desistindo de lutar, quando um barco salva-vidas apareceu, como se viesse do nada.

Em desespero, ele agarrou-se ao barco e sentiu braços fortes a puxarem-no para dentro. Deus responde às orações de sua esposa. Feliz é a família cujos membros oram uns pelos outros. A oração intercessória é bíblica. Quando fui para a guerra do Massabi e Miconge do Maiombe de Cabinda, minha mãe Arminda Topeta, colou uma lengalenga responso dirigida à Nossa Senhora do Parto e, os mistérios, foram acontecendo. Eu, lá na Luua, desconhecia!

ISI0.jpg Em verdade, tenho andado um pouco esquivo a isto mas, desde que ressuscitei na Curva da Morte em Kaluquembe, na Guerra do Tundamunjila de Angola, por via de uma armadilha montada em meu Renault "major", fiquei enkafifado nestes mistérios misteriosos.

Refugiando-me no porão do NIASSA... Posso agora ver o galo pintado no capot do carro que ficou em cinza de churrasco mas eu, só pude ver mais tarde essas cinzas. Até o macaco se fundiu em nada! Isto, foi visto já com a clavícula atada ao peito e, ao jeito do Dr. Roy Parson e filho David, da Missão do Bongo no Kipeio, Longonjo, do Huambo...

Os anjos e arcanjos perseguem minhas alvíssaras e, a miúde, belisco-me, para confirmar que dói; ando por isso e, desde então assim a modos de acreditar em milagres e, desta feita acho que acreditar na fé é coisa supranumerário que nos  transcende...

REPU6.jpg  Paulo, o apóstolo, acreditava na oração. Ellen White também acreditava no poder da intercessão. Ela nos incentivou a orar mais ao escrever: “Não apreciamos como devemos o poder e a eficácia da oração. A oração e a fé farão o que nenhum poder da Terra conseguirá realizar!” (A Ciência do Bom Viver, p. 509).

Mesmo os ateus, agnósticos, semterra e, semnada mais derivados, quando se sentem à rasca dizem: "Valha-me Deus". Por vezes são ouvidos mas, por vezes a sorte passa ao lado, porque decerto as minudescências esdrúxulas do seu cerebelo entopem-lhe a visão estereoscópica. Assim sua dimensão 3D fica disforme porque as fotos não emparelham na perfeição...

Pelo sim pelo não ando calculando minha visão ortogonal para que as t'xipalas não saiam muito distorcidas, meto um calço de cortiça nos óculos de tartaruga, bifocais, adstringentes e antinuvem para ver as fosforescências colaterais. Um espectáculo, como diz meu amigo SP do Cafumfo de cima...

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 08:10
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Terça-feira, 16 de Fevereiro de 2021
XICULULU . CXXXII

VÍRUS COVID19-SARS16.01.2021

Crónica 3115 - NA DESCOBERTA FUI ATÉ WIKIPÉDIA...

Xicululu: - Olho gordo; Havareza

Por soba15.jpgT´Chingange - No Al Gharb do M´puto

ET2.jpg Pude ler que já estamos a viver no FUTURO. Que este VÍRUS MUTANTE, pode ser ALIANIGENA, um mecanismo preliminar de nosso salto genético espacial. Partir a gente feitos pedras parideiras exige especial atenção para descortinar os pensamentos de querer fazer rebelião como algo inerente às "torpes" eficácias cientificas e também duma covarde gravidade vinda de GOVERNANTES - gente igual a nós.  Não podemos condescender com aqueles que bestializam a cultura e o conhecimento, elevando-a de parvidades nem consentir com tolices ou pecados, por assim andarmos cativados numa burlesca depravação e também enfrascados numas quantas hipóteses de vontade libertadora...

step6.jpg Li que, somos um projecto de bioengenharia e, que tudo começou algures há 75 mil anos atrás, muito antes de Cristo surgir e, muito antes de quando saímos das algas como micróbios alienígenas. Deve pois, ter sido a cauda de um cometa ou meteorito a espargir pelo globo Terra estes organismos gelatinosos, unicelulares como TARGIGRADAS, viajantes espalhando-os no globo Terra, aleatoriamente. Afinal, os peritos da OMS que foram a "WUHAN" recentemente - Janeiro de 2021, vieram cheios de NADA...

haida art.jpg São 800 milhões de vírus vindos do espaço a cair na Terra que nos alteram ou corrigem moléculas que eventualmente provocaram a morte de 20 milhões de pessoas aquando da gripe de 1930 - espanhola"; ninguém certificou ainda os vírus do ÉBOLA, da doença das VACAS LOUCAS, PESTE NEGRA e até à doença das GALINHAS a que chamam de SARS. A PANSPERMIA sideral talvez explique isto que nos trás ASSUSTADOS mas, em verdade somos hospedeiros de ADN's em mutação virótica que resulta da nossa história evolutiva - que sempre daí resultou.

NA PESQUISA WIKIPÉDIA...    PANSPERMIA explica a hipótese de que a vida existe em todo o Universo, distribuída por meteoros, asteróides e PLANETOIDES. Ela propõe que seres vivos que podem sobreviver aos efeitos do espaço, ao estilo dos EXTREMÓFILOS ou TARDÍGRADOS, ficam presos nos escombros que são ejectados ao espaço ou por colisões entre pequenos corpos do sistema estelar e planetas que abriguem vida, ou mesmo por catástrofes maiores de natureza similar. Os TARDÍGRADOS ou similares viajariam dormentes nos destroços por um longo período de tempo antes desses colidirem aleatoriamente com outros planetas ou misturarem-se com discos protoplanetários de outros sistemas estelares. A hipótese da PANSPERMIA cósmica é uma das hipóteses acerca de como surgiram as primeiras formas de vida no planeta Terra. Essa ideia surgiu pela primeira vez no século V a.C., na Grécia, remontando a autoridade a Anaxágoras, e foi colocada novamente em evidência no século XIX por Hermann von Helmholtz, no ano de 1879.

kimbo4.jpg A hipótese baseia-se na ideia de que a vida foi trazida à Terra do espaço em meteoritos que abrigavam formas de vida PRIMÁRIAS. Cientificamente, já foi encontrada matéria de natureza orgânica em METEOROIDES e METEORITOS; e de que há organismos microscópicos conhecidos suficientemente resistentes para, em hipótese, suportar uma viagem espacial até a Terra, mesmo considerado que as condições que esses teriam de enfrentar sejam as mais extremas já cogitadas. O DESCRÉDITO da teoria da PANSPERMIA atrela-se sobretudo ao facto dessa hipótese simplesmente transferir para lugares remotos do universo a questão sobre a abiogénese química da vida; ao passo que, factualmente verificável, tem-se ciência de que a vida desenvolveu-se e prosperou, até o momento, apenas na Terra.

fig3.jpg Embora a existência de vida extraterrestre possa cientificamente ser cogitada, creditar de antemão a origem da vida a fenómenos que ocorreram fora do sistema solar transcende a realidade factual actual. Os resultados científicos até hoje alcançados transferem à Terra os mecanismos responsáveis pela origem e evolução da vida conforme definida e conhecida... A hipótese científica aceita actualmente atrelar-se à abiogénese química terrestre da vida; essa suportada em limite cronológico anterior pelas experiências de OPARIN e HALDANE e teorias derivadas, como a teoria do mundo do ARN, e em limite cronológica- mente posterior - "convergência da árvore da vida a um ponto e pela teoria da evolução biológica como um todo", onde a realidade factual actual.

Nota: T: De T'Chingange; W: de Wikipédia

Do Soba em Algarve do M'Puto

 



PUBLICADO POR kimbolagoa às 20:20
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 14 de Fevereiro de 2021
MALAMBAS . CCLIV

MOMENTOS CRITICOS - Boligrafando estórias na cor de “vamos que vamos, com urtigas”

Crónica 3114 - Nos intervalos da vida, durmo! 14.02.2021

MALAMBA: É a palavra.

Porsoba0.jpeg T´Chingange – No Al-Garb do M´Puto

urtiga3.jpg Dos guarda-chuvas da vida ocorrem saudades do passado com noites interrompidas a miúdo, gotejando a cada duas horas pedacinhos de máquina envelhecida. Os sonhos variados oscilam entre os pesadelos para os socorrer de alertas com posturas oleadas em velhos esqueletos, pois! Limpei o quintal sombrio do lado tardoz, uma parte muito cheia de urtigas; aproveitei assim tanta fartura a pensar fazer daqui uma sopa e um esparregado pelo que busquei na internet a forma de faze isto. Dito e feito mas, com luvas.

E, como tinha já três pequenos sargos a descongelar, achei que este pitéu ainda desconhecido seria uma boa ideia. Acrescento que neste sector posterior, a sombra é muita pois que o meu vizinho alemão Fritz Von Richthofen plantou árvores gigantes pelo que sua casa também tapa o sol do lado sul e, de uma forma mais drástica quando este vai baixo durante o inverno. Por verificação notei que só se dá ali batata-doce de verão e urtigas de inverno devido à grande humidade.

urtigas2.JPG Condicionado ao muro e alçados crescidos do meu lado Sul, vejo-me assim na contingência de aproveitar tanto as urtigas viçosas e a rama de batata-doce para fazer cozinhados, pois! Ter um jardim é a possibilidade de enfiar as luvas na terra para atenuar a prisão caseira por cautelosa do confinamento, revirar uns quantos caracóis e espezinhar lesmas para deleite das gralhas e charnecos que depois as vêm comer.

Charnecos que pululam aos pares grinfando e gralhas em bandos que grasnam entre o loureiro do carcamano Fritz e a manjedoura bem por debaixo da minha anoneira. Foi aí que situei uma gamela aonde coloco comida granulada para gatos. Bem ao lado tem um bebedouro e, assim sucede que gatos avulsos e alheios se habituaram a comer de borla por conta do meu erário. Um destes dias os passarocos de tanto comer granulado de gato, irão miar…Um espectáculo!

urtiga4.jpg Para além da bexiga nada mais me dói; hão-de vir dias melhores, creio! Apanhar a vacina lá para o mês de Julho na melhor das hipóteses e, depois, marcar passagem para o outro lado do Atlântico, visitar o Caminho de Moisés a norte de Maceió, percorrer a marginal Norte até poisar em Porto de Galinhas depois de admirar o mar esmeralda de Maragogi e, ou o azul das enseadas mais profundas. Por ali ficarei matando saudades, comendo sarapatel e caldinho de feijão com iguarias de cirí.

A maior ansiedade vem da necessidade de mudar de roupa sempre que se sai para ir fazer compra ou fazer outra qualquer tarefa, resvalar de lado na amizades oscilando um longínquo olá, originando afectos curtos em distanciamento na forma de baralhar um incerto futuro. Minha mulher retoma ao croché, faz bordados e tricotei-a o futuro; nos intervalos admira da janela o gato branco e o malhado, maldizendo o gatão branco que vem de mansinho roubar a comida gourmet na forma de espinhas  e molhos escalfados nas misturas de sobras.

urtigas1.JPG Começo a ler e, passada umas páginas já me esqueci do que ficou para trás, as coisas descontinuam, volto de novo relendo o debruço de vazios, podendo assim aferir a alma que se obtém do corpo. E, agora vamos ao trabalho das urtigas: Como planta urticante teremos de usar luvas para evitar o efeito urticante de suas folhas. Ela tem propriedades medicinais para além de ser comestível e, até de alto valor nutricional e culinário; a humilde urtiga está aí à nossa disposição, gratuita, neste ano em que a muita chuva permitiu o seu desenvolvimento pleno em belos exemplares que só esperam que os colhamos e os transformemos em iguaria, noé!

Ingredientes: Folhas de urtiga; Azeite; Alho; Farinha (maizena, ou fubá); Sal e pimenta; Vinagre ou sumo de limão. Preparação: Apesar de muitas técnicas retiram-se as plantas com folhas mais desenvolvidas e finas, de preferência antes de terem as inflorescências formadas. A única parte que se aproveita da urtiga, para fins culinários, é a folha, já que os caules são fibrosos; a primeira operação após a colheita será portanto separar as folhas dos caules, o que deverá fazer ainda com luvas. Lavam-se as folhas e escaldam-se de forma repentina em água a ferver temperada com sal.

urtiga5.jpg Esta operação provoca uma diminuição surpreendente e instantânea de volume (pelo que a colheita deverá ser grande), ficando as folhas escaldadas e escorridas e, inofensivas param a pele, podendo a partir de agora ser manuseadas e ingeridas sem qualquer problema. Esta primeira fervura rápida, dito “branqueamento”, remove também um travo a “chão” podendo usar-se para recheios, em sopas (como se de nabiças se tratasse) ou em esparregado que, é a forma em que a urtiga revela todas as suas potencialidades gastronómicas.

Depois de bem escorridas as folhas, corte-as fino, deixe escorrer mais um pouco e leve-as ao lume em azeite com alhos picados. Envolva bem, deixe cozinhar por um ou dois minutos e ligue então com uma colherinha de uma farinha ou fécula. Tempere com sal e pimenta e acabe com um golpe de vinagre ou sumo de limão. O esparregado tem um aspecto fantástico, semelhante ao esparregado de nabiças, o meu preferido. Bom! Comi e até que gostei…

O Soba T´Chingange    



PUBLICADO POR kimbolagoa às 22:20
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

FRATERNIDADES . CXXXI

NAS FRINCHAS DO TEMPO - 14.02.2021

Crónica 3113 - Serviço voluntário - um DOM necessário nos dias que escorrem...

Por 

 soba001.jpgT'Chingange - No Al Gharb do M´Puto

lobo1.jpg Felizmente, estamos hoje e por via da COVID vendo gente trajando vestes brancas e, como médicos, enfermeiros ou auxiliares aí estão salvando ou tentando salvar um semelhante. Vemos isto desde o romper da alvorada até de novo, nos deitamos... O voluntariado valoriza o currículo de qualquer pessoa. Normalmente as empresas apreciam essa característica, pois evidência responsabilidade, iniciativa, disciplina e trabalho em equipa. O país agradece...

Em geral, quem é voluntário é dedicado e, se não vive em busca de aplauso ou tem outra coisa em mente como servir-se disso para obter benefício, será sempre louvável. Alguns nasceram com o dom de servir. Acordam todas as manhãs esperando a oportunidade de ajudar alguém. Essas pessoas não precisam de chantagem emocional ou pressão para fazer o que é necessário. Bem-haja!

luis44.jpg O envolvimento é natural. Em sua maioria, os voluntários são amorosos, colaboradores, prestativos e gentis. Por norma é a força da Igreja que está no voluntariado e, isso é bom. Tendo Jesus como modelo, trabalham com dedicação, prontas para arregaçar as mangas e servir em seu nome. Mas, até pode ser por Buda, por Alá ou o que lhe aprouver...

Mesmo que não seja algo natural para você, quero desafiá-lo hoje a fazer algo por alguém. Você tem dons e habilidades - use-os em favor das pessoas que estão à sua volta. Existe muita coisa a ser feita, e seus talentos, podem certamente ser bem úteis.

jatiu3.jpg Peça a si mesmo para abrir seus olhos e, ver as necessidades dos outros. Sempre é tempo de fazer um novo começo. Não espere ser nomeado para servir; o espírito de serviço quer-se voluntário. Aliste-se nesse exército, tornando o mundo um lugar melhor para se viver. Ajude pessoas a serem até capazes de sonhar. Ensine alguém a sorrir ou fazer palavras descruzadas e até fazer notar as diferenças numa foto...

Feliz semana!

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 19:10
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 8 de Fevereiro de 2021
XICULULU . CXXXI
O DESERTOA , a IMPUTABILIDADE  e a COVID
Crónica 3112 - Domingo 07.02.2021
Por soba24.jpgT´Chingange, no Barlavento algarvio do M´Puto

nauk2.jpg Não sei se você já esteve num deserto. Eu estive e não desgostei mas, ia rodeado de mordomias, água fresca da caixa térmica, coca-cola, cervejas, frutas e sorvete feito gelado ou baleizão como sempre chamei quando ainda estava na Luua de Angola. Mas, diga-se que é um lugar solitário, árido, amedrontador até, se não tiver as condições de como sobreviver. Areia por toda parte, sol inclemente, calor sufocante, paisagem desolada; o deserto é terra de abandono e morte. É preciso ter espírito de beduíno, couro de lagarto ou “tanque” de camelo para sobreviver na imensidão do nada, sem oásis e sem água.

nauk3.jpg Por défice de humidade, perdendo mais água do que recebe, os desertos ocupam um terço (33%) da superfície da Terra; genéricamente, os desertos não têm vegetação suficiente para sustentar nossa vida. Os Coisans, Bosquimanos, são o único povo que conseguem ter algum modo de vida no Calahári, lugar aonde também andei, calcorreando... Em geral, são lugares desabitados. A própria palavra deserto, originada do latim desertum (“lugar abandonado”), foi utilizada durante muito tempo para descrever uma área despovoada. Mais recentemente, o termo ganhou a conotação de aridez.

nauk7.jpg Em nossa vida, muitas vezes enfrentamos o deserto, longe da família ou parco de outros recursos que nos trazem comodidade. Fora do espaço familiar e adentrado num proceder desconhecido, sente-se inconformado, abandonado, descartado, CONFINADO. Mas, o deserto pode ser a espera por um emprego, o estar fechado em casa, a espera de um resultado de um exame médico, a conta bancária no vermelho ou a rotina vazia esperando a VACINA ANTI-COVID. Uma depressão paralisante, um PESADELO como quem está num deserto em abandono. Desertos existenciais são diversificados e preparados para testar todos os tipos de pessoas sem ter em conta a posição social, sua cor ou credo com algumas excepções. E, é no DESERTO, que você percebe seus limites, desconfia de sua integridade, apercebe-se de sua fragilidade, reconhece seus fracassos e enfrenta a tentação de furar a sorte.

nauk13.jpg Que até luta com Deus, desafiando o diabo e, descobre uma força que não conhecia: -retirar a hipótese de vida a um outro desviando o quinhão de vida de outro ALGUÉM. Neste estado catafórico, perde até as ilusões de ser purificado na vaidade ou destreza saindo-se com uma nova visão da vida, furtando-a ao próximo... Afinal qual é o seu DESERTO ? Você também acha que o deserto é apenas uma boa paisagem para criar um oásis!? Ou acha que é o lugar para descobrir que você é menor do que pensava e que Deus, é maior do que você imagina. Que afinal a tal de IMPUTABILIDADE é falival,  porque só é uma lei feita à medida para uns que se julgam ser!? Não se esqueça destas debilidades...

O Soba T'Chingange


PUBLICADO POR kimbolagoa às 13:15
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 6 de Fevereiro de 2021
KANIMAMBO . LXXI

REGRAS DE VIDA – O TESTEMUNHO da CONSCIÊNCIA - 05.02.2021

Crónica 3111Kanimambo é obrigado em dialecto Changana de Moçambique

Por soba24.jpg   T'Chingange  No Barlavento do Al-Garbe do M'Puto

 dia123.jpgComo é!? Como foi? Hoje mesmo, não estou para ter confiança nenhuma em ninguém – Eu explico: Assim, sem mais de pensamento, sem até ter substância narrável, ouço o que não quero ouvir, leio o que nem quero ler e num cala a boca, desconcentro-me em trapalhadas governamentais. Amiudadamente encontro gente que diz confiar na própria consciência. Quase sempre, quem diz isso, nem mesmo sabe o que é isso de consciência. Ela, a consciência, é um impulso interno que nos dá a percepção do que está acontecendo à nossa volta.

arau44.jpg Com tão grossa PANDEMIA o todo confunde o tudo e, sem querer ferir susceptibilidades, mantenho minha fraca esperança sem conformes, nem outro nenhum decente fingimento. Com tanta sirene de ambulâncias, meus beiços, desconfio que já nem sei se dão para os fazer assobiar... Deveria mostrar que as exigências da Lei estão gravadas em meu consentimento - deveria! Mas, também aqui a consciência me barafunda os pensamentos e, ora os defendo, ora os acuso. Afinal, a consciência que é a nossa base de dados interna, baralha-me na tomada de decisões... Em Outubro do ano findo telefonei vezes sem conta para o Registo Civil por via de renovar meu passaporte. Levou quase quatro meses para ir ao aprazado agendamento e levou mais um mês para me entregarem o dito cujo.

dia69.jpg Marquei passagem, anulei, adiei e, mala feita, não senhor! Voos cancelados. Os espaços de tempos ficaram calados num fica assim-assim, como jogo de baralho. Nisto e aquilo, a questão é, o quê- quiékie!? Qual é mesmo, a fonte que está alimentando nossa consciência? Coisa nebulosa. A consciência testemunha nossas acções e as expõe, avaliando-as com base em seus critérios éticos, noé!? O que faz uma testemunha? Ela conta o que viu e ouviu. A consciência ora acusa, ora defende. Ela nos acusa quando fazemos algo errado. Pois sendo assim, estou todo eu no gerúndio dessa palavra: “testemunhando” com a língua agarrada aos dentes, rilhando...

DIA 157.jpg Nossa consciência não é infalível. Ela pode estar errada; pode também endurecer. Ah hó xíí, poispois... Quem assim procede fica sábio no gerúndio, com a intenção de mostrar que ela está activa o tempo todo - desconfiando... Para cada indivíduo, a função da consciência depende, em certo grau, de sua experiência, maturidade e, principalmente, da quantidade de verdade que está guardada em sua mente. Portanto, nosso maior desafio é fornecer à nossa mente informações verdadeiras nas quais ela se possa basear. É aqui que nossa regra de fé entra em prática para definir CONFUSÃO. Sem ela, a FÉ como um suplantado padrão, a consciência pode se perder nos descaminhos deste mundo. Pelo sim, pelo não, passei a andar com um ÁS DE PAUS no bolso direito. Falei!

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 13:17
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 4 de Fevereiro de 2021
MOKANDA . CCLIV
A RACIONALIZAÇÃO DO MEDO - 04.03.3021

"ELES" atiram primeiro a AGULHA da decisão e só depois traçam os círculos da racionalização.

Crónica 3110 - Tenham cuidado para não fazerem o mesma que ELES...

Por    T'Chingange - No Algarve do M'Puto...

   Qual é seu objectivo na vida? Você tem decerto um alvo bem definido; aliás, todos temos: - VIVER! Li certa vez que um homem, ao entrar pela primeira vez numa aldeia, viu uma porção de alvos com uma flecha no centro de cada um deles. Ele deduziu que deveria haver um bom atirador nessa aldeia e pediu informações a seu respeito. Disseram-lhe que aquilo fora efetuado por um TOLO. Ao encontrar o responsável por aquela proeza, o visitante o cumprimentou: – Você deve ser um bom atirador.

  Como consegue acertar sempre bem no centro do alvo? – Oh, isso é fácil, replicou o TOLO. Atiro a flecha primeiro e, só depois traço os círculos! Foi neste TOLO que pensei assim que tive conhecimento de que gente com algum poder institucional, exacerbou sua astúcia furando a prioridade na VACINA PFIZER...

Pois então! Não é assim que muitos procedem na vida? Que fazem primeiro o que bem entendem e, traçam depois círculos de racionalização em suas acções pondo-as ao jeito; convencendo-se de que acertaram no alvo fazendo-nos de gente dismilinguida (tola..)

  A racionalização neste item, é um membro dissidente de uma sociedade respeitável. É bom ser-se racional, mas é perigoso racionalizar desta forma tão torpe e por demais, quando se toma alguém por responsável. Furar regras de ética não o é de bom senso - Nem um pouco...

Racional significa: “Que faz uso da razão; que raciocina; que se concebe pela razão; conforme a razão; aquilo que é de razão.” Por sua vez, racionalizar também quer dizer “inventar explicações ou desculpas" superficialmente racionais ou plausíveis para certos actos, crenças, desejos, etc.

As justificativas insatisfatórias que apresentamos para se ser melhores cidadãos constituem em grande parte uma racionalização. Razões são uma coisa; desculpas são outra bem diferente. Tive um exemplo aqui bem perto de mim na pessoa de Presidente de um Município de nome Isilda... que titubeou minha moleirinha...

  Um bom exemplo serão as respostas dos dez milhões de convidados do M'Puto, que como parábola, também não querem morrer antes da hora. Agora, idealizar tentativas para ocultar a triste realidade em que todos estamos metidos boas ou falsas desculpas, não são as melhores razões para escapar à ordem! Tentativas para ocultar a triste realidade é crime... Ou não o será!?

À semelhança do homem TOLO desta estória - narrativa, ELES atiram primeiro a AGULHA da decisão e traçam então os círculos da VERDADE. Tenhamos cuidado para não fazermos a mesma coisa noé!? Esse Senhor da tal Task Force "Francisco Ramos" também tem o dever de não parecer ser tolo...   :::::    PS... Este senhor do Task Force, de ontem para hoje, já se demitiu deste cargo. Falta demitir-se da Cruz Vermelha! Entretanto espera-se a decisão da Presidente do Município de Portimão que tudo indica vai passar na FARSA . Engana-me que eu gosto...

O Soba T'Chingange


PUBLICADO POR kimbolagoa às 16:18
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Terça-feira, 2 de Fevereiro de 2021
MALAMBAS . CCLIII















A importância da PALAVRA CERTA - Segredo das três palavras - Lá tive de ler os PROVÉRBIOS para quase virar SANTO - 02.01.2021

Crónica 3109 - Malamba é a palavra...

Por    T'Chingange - No Algarve do M´Puto

 

::::: Muitos acontecimentos que nos foram ou nos estão AFECTOS em vida fracassaram por causa de agressões verbais com palavras precipitadas. Amigos íntimos, já foram separados por causa de palavras inoportunas.

De facto, uma verdade incomoda para todos nós é a de que, muitas vezes, sabemos exactamente o que precisa ser dito em diversas situações, mas não dedicamos tempo suficiente para pensar na maneira como as coisas devem ser ditas.

::::: De acordo com um dito popular, há três coisas que são irrecuperáveis: a FLECHA atirada, a OPORTUNIDADE perdida e a PALAVRA falada. O filósofo e matemático francês Blaise Pascal, afirmava que “a maior parte dos problemas do ser humano é decorrente da incapacidade que ele tem de ficar calado”. Eusinho, tenho este problema!

Nos dias que correm até fico transtornado só de pensar ser acutilante na palavra e, contra gente que nos governa, sabendo de antemão que eles não fazem o melhor. Mas, eu faria melhor? Pergunto-me. E, os dias repetem-se vendo e ouvindo coisas desastrosas da PANDEMIA.

::::: Supostamente apresentamos a nossa verdade; porém, muitas vezes, desprovida do óleo do bom senso. Alguns de nós, dizem o que julgam ou precisa ser dito ou feito, com tanta altivez ou prosápia que os ouvintes ou leitores, nem ligam à mensagem (pensam ser por despeito...).

Sabe-se que, durante a infância, muitos de nós, desenvolvemos uma personalidade por vezes complexada e recalcada ao ser estigmatizada com termos pejorativos. Cada qual terá a sua própria estória - é só uma suposição!

::::: Não haveria tantas reputações destruídas se a palavra maledicente não fosse dita. Há tanta gente que poderia ser curada de suas feridas emocionais e espirituais se tivesse encontrado alguém que lhe dissesse a palavra certa! Então, quanto a política, vou ali e já venho - falo por mim!

Sendo assim, lá terei de referir o livro de Provérbios. tão repleto de conselhos a respeito da palavra oportuna: “A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira” - “A morte e a vida, estão no poder da língua”. Enfim, hoje, final de Janeiro, a caneta veio para este outro lado do azimute... Hoje certamente, encontraremos em nós estas particularidades...

O Soba T'Chingange
























 










PUBLICADO POR kimbolagoa às 18:22
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 1 de Fevereiro de 2021
N`GUZU . XXXVI





CINZAS NO TEMPO - Andamos com o credo na boca, motivo de causas alheias e à revelia da nossa vontade30.01.2021

N´Guzu é força (Kimbundo) Crónica 3108

Por    T´Chingange – No Algarve do M´Puto

Ache ou não ache, tenho de aprender a estar alegre e triste em simultâneo, justamente porque num deveras dum ai, num calhas dum entretanto dum agora, se vê que o nosso viver não é assim tão certinho. Orabolas! Mesmomesmo sendo promessa de só assim se poder vislumbrar cantarolando o verbo sarar! Há dias para tudo…

    E, hoje que é o dia do croissant, gostaria de ensanduichar numa prensa essa tal doença com pestanas feitas flores que se apegam, cruzam e recruzam voando átoa. Que avermelhando-se em forma de picos pegajosos, ziguezagueiam nossa quietude sordidamente. Que sem avisar, pode chegar desatravessado de rumo e caridade.

Sendo cristianizado, pode assim mesmo vislumbrar-se a cura sem formalizar um responso feito promessa no tempo e nas voltas dum rosário feito terço com cinco partes de dez avé-marias, antes dos sinos tocarem naquele repique de arrepiar.

  Fazendo da gente um numero como se fora um algoritmo do álem que numa hora, cada qual, num deve de ver e ser – um judas de cada vez, porque o grosso do resto maior, só mesmo com Deus… Pois! Num lamber frio de que o senhor já sabe – viver, é um etcétera, ponto final. Afinal qual é o caminho certo da gente? Foi assim mesmo que perguntei ao Nosso Senhor.

Nem para a frente, nem para trás, foi o que ouvi dum auxiliar acólito, sacristão, coroinha de gasosa sem vulto nem bata ou paramentos, só feito assombração como santo gordo invisível, flutuando, muxoxando na orelha direito - repetir o já ouvido; nem para a frente nem para trás, só para cima!

 Assim mesmo - Pópilas! Disse-me: De agora em diante vou só ser Ah-Oh-Ah; Cumcamano! Cada hora, cada dia, a gente aprende uma qualidade nova de medo. Numa calma pior que sisudez das escuras, engulo cuspo revendo quenturas nas ideias; revendo muito por cima de minhas capacidades: Viver assim, bolas, é um descuido prosseguido.

  Falando assim de atravessado senti que o melhor mesmo, é nem pensar em sentir ficar pior da sorte, assim que nem pulga entre dois dedos. A coisa está das caraças; a gente vive no repetido, no repetido e escorregável, com um minuto empurrando outro, caté que me perguntei: - Pensar na vida. Penso?

E, não dá para entender se o penso é verdadeiro, se falso. Que vida esta de mais ou menos, esponjosa. Bom! Tudo corre e chega tão ligeiro e, o tempo aquietando-se de vagareza; Bom! Sózinhozinho, não estou. Para concluir, revejo-me assim: As pessoas, não nascem para sempre…

O Soba T´Chingange







PUBLICADO POR kimbolagoa às 14:27
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sexta-feira, 29 de Janeiro de 2021
FRATERNIDADES . CXXX





Por mais longo que seja o tempo de INCERTEZAS, haverá sempre um oásis para o qual seremos encaminhados sob a nuvem...

Cronica 3107 - Não virá mal ao mundo pensar assim... 29.01.2021

Por  T'Chingange - no Algarve do M'Puto -----------------------------------------------------------------------------------Será mesmo assim o que se diz: Atrás das nuvens, o Senhor trabalha em nosso benefício. É que, de acordo com o imaginário popular, “anda nas nuvens” quem devaneia, sonha com o impossível ou se permite embalar no auge de uma experiência feliz.

Pelo meio da manhã, céu escuro de encoberto, minha primeira providência é abrir a janela do quarto, mais da sala, deixando o ambiente mais iluminado. Saudar o loureiro àrvore do alemão, com um Guten Morgen À tarde, nos dias de sol, solto a franga e ali fico esparramado na açoteia vendo as lonjuras e a Serra de Monchique por um canudo.

  Hoje está tudo tapado, sem nuvens, só cacimbo cerrado que nem dá para ver o mar, Lagos e Portimão. Os apitos dos barcos ouvem-se roucos. Com esta confinacâo seria bom termos Sol para espairecer nosso mofo acumulado um pouco por todo o corpo e, até nos labirínticos pensamentos do cerebelo mas, manda quem pode! ...

Nuvens são objeto de inspiração para artistas, fotógrafos e gente que poetiza. Gostamos de admirar seus diversos formatos, sua brancura e seu deslocamento no espaço mas hoje dia 29, malé, não há sonhos de kukia nem vistas de assombracões. Só mesmo humidade que penetram nos fundilho do tornozelo como se o foramos presos e, da paciência, também...

  Eu sei! Sem nuvens, não há neve, relâmpagos nem arco-íris. Elas realçam a beleza do pôr do sol e estão presentes nas mais belas paisagens. Apesar disso, quando trazem fortes tempestades, uns colhem graves prejuízos, outros armazenam água para o restantes dias do ano... NATUREZA é isto mesmo.

As nuvens são muito importantes para o equilíbrio da vida no planeta, sendo responsáveis pelo ciclo da água e pelo clima; portanto, fundamentais na meteorologia. Há muitas referências bíblicas às nuvens mas, não vou por aí senão ainda chovem santinhos no meu quintal...

  Mas, lá terei de relembrar que Deus acompanhou Moisés na descida do morro feito nuvem negra quando promulgou o Decálogo, garantindo assim estar a seu lado nessa tal de "nuvem escura”. Embora eusinho, tivesse visto no filme dos 10 mandamentos serem labaredas de fogo a cortar rocha.

Há outros textos nos quais a glória divina aparece velada por uma nuvem, em benefício do povo pecador. Essa é uma lembrança apropriada de que às vezes somos impedidos por “nuvens” de ser aquecidos e iluminados pelo Sol da existência. Será que esta realidade é comum em um mundo imperfeito? Essas “nuvens” parecem esconder de nós o Senhor que se diz sempre trabalhar em nosso benefício.... As amendoeiras florescem - aleluia...

O Soba T'Chingange







PUBLICADO POR kimbolagoa às 18:39
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 28 de Janeiro de 2021
KALUNGA . XVI





MOKANDAS XINGUILADAS

A DOENÇA DA DEMOCRACIA E A PANDEMIA 25.01.2021

Crónica 3106 - Xinguilar: Palavra angolana que significa entrar em transe em um ritual espiritual, geralmente ligado aos cultos nativos dos ancestrais e Nkisi/Mukisi.

Por     T´Chingange – Desde o Barlavento Algarvio do M´Puto

O busílis da “doença da democracia” está em esta aumentar a desigualdade sem impedir o crescimento do endividamento que sobe à semelhança da pandemia e, que em flecha sobe para o espaço - na vertical. Agora que estamos em uma crescendo medonho de infectados com o vírus, com tudo encerrado e hospitais saturados, como iremos sair então deste beco apertado de sanidade.

Sem empresas laborando, não haverá trabalho e, sem estas, não haverá Estado nem empresários. Aquele de “Por favor ajudem-nos todos” que ecoou por aqui e ali, foi o grito da Ministra da Saúde de nome Temido, que veio tirar da letargia o próprio Governo que teimava e teima em conciliar o inconciliável medo, como se todos eles, no poder, tenham frieiras de tolher decisões. Parece não haver os suficientes recursos nem técnicos suficientes no momento; infelizmente parece ser um facto!

  Um dia tinha de acontecer isto por via das restrições ao Curso de Medicina e, por via das altas notas exigidas pelas Universidades mais os condicionamentos exigidos pela Ordem dos Médicos. Também pela forma como os Enfermeiros foram tratados, vendo-se na contingência de abandonar o país para sobreviver em essas outras paragens. Verifica-se assim a democracia andar doente na honorabilidade da prática, por falta de ética ou por uso incorrecto das leis. E, seja o P.M. Costa, seja o P.R. Marcelo, cometem deslizes – eles não são bruxos…

  É fácil acertar no totoloto à segunda-feira mas, era de prever que isto em um dado instante não daria certo. Falharam! Falhamos! Mas, sempre há tempo para se morrer! Sempre é tempo para se fazer outro início! Não sei se por egoísmo ou se por outras quaisquer periclitãncias, hoje os SNS – Serviço Nacional de Saúde, está a sofrer na pele algumas daquelas posturas egoístas que as classes quase sempre teimam em preservar a contento lixando-se nos demais. Eles, os governantes que idealizam, que mandam e desmandam fazem com que andemos tiritando medos pelas pontas das unhas, dos pés e das mãos…Também e, de momento, as ajudas nas chegadas de vacinas parecem estar a passo de caracol.

 E, sendo assustador, somos levados a fazer a pergunta: Porque se demorou tanto a reagir? Pude ler no Expresso pela caneta de seu Director que António Costa como gestor deste País se esqueceu de que a prioridade dum condutor de um barco é diversificada. Induzindo isto em metáfora, sempre será mais fácil apreender a cena duma outra forma: A preocupação fundamental dum PM ou PR, não é a de se chegar ao destino mantendo-se ao leme como timoneiros ou de garantir o bom estado do barco. Não! As suas obrigações principais, serão garantir a segurança de todos os passageiros, nem que para isso tenha de se parar a embarcação num bom porto.

Nesta guerra pandémica será mais fácil uma afronta ou ataque directo às hipóteses segundo a opinião dos cientistas, de epidemiologistas e analistas sem dúvidas grosseiras, ao invés de daí, se retirarem benefícios políticos. Sempre aquela mancha ideológica de que os políticos enfermam e, que naturalmente nos confundem. Com os holofotes mal direccionados misturam ou deturpam nossas preocupações. Como diz a sombra esquerda de Saramago, o tempo não é uma corda que se possa medir nó a nó como faziam nossos antigos marinheiros para definir baixios.

  O tempo, é uma superfície oblíqua e ondulante, dependente dos actos ou feitos. Uns fazem, outros dizem fazer, outros, é só de faz-de-conta, fingindo que sabem mais do que Zaratustra ou Nostradamus. O sol, o ar, a água, e a terra, têm de ser considerados permanentemente parte de nós. O corpo é em verdade o pára-choques das emoções tendo entre outros males o medo, como um veneno mortal. Vivemos momentos de medo, de imposições e uma baralhada de posturas com cães à trela, e assim mais assado, fique ali e… Tudo fica por aqui, na incerteza…

Não nos cairá bem, fazer olhinhos de complacência a um qualquer inqualificado político, magarefe que ao invés de nos servirem, se servem! Não é para isso que nós os elegemos! Com muitas lacunas e tanta precaridade dá para se aprender que o caminho da convergência, da união, sempre tão esbugalhado, caminhará para um beco se não derem rumo certo ao barco. E, num sempre já agora, o que é que não funciona bem? O povo ajuizará por finalmente: sempre na expectativa de que a prescrição corre mais rápido que a decisão…

O Soba T´Chingange







PUBLICADO POR kimbolagoa às 20:08
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 24 de Janeiro de 2021
MUXOXO . LXIII






-Existe por aí uma filosofia não declarada de que “O MUNDO É DOS ESPERTOS ” - 23.01.2021

-Sem PROCURADOR VERÍDICO, eles, os governantes do M´PUTO, terão vantagens em tudo e, à revelia ... Crónica 3105

Por T'ChingangeNo Sotavento do Algarve – M´Puto

:::::1

Não furtem. Não mintam. Não se enganem uns aos outros. É o que está escrito no Levítico 19:11 da BÍBLIA, mas, na filosofia APÓCRIFA governamental do país M'PUTO, a estória anda a parecer ser declaradamente de que “O MUNDO É DOS ESPERTOS” – Quersedizer: -DELES...

É a frase que se sugere passar aos outros, a NÓS, enquanto ELES vão colocando as pedras basilares na JUSTIÇA, na BANCA, nas INSTITUIÇÕES e edecéteras que no futuro controlarão ao seu jeito jeitoso, as verbas, o CUMBU da tal de BAZOOCA!

:::::2

OLHO VIVO - Isto tudo indica vir a ser, para trás, para a frente e para os lados, um grande negócio da NOMENCLATURA. PÓPILAS! Em nosso país, as leis são mentirosas pra caramba, o tempo todo. A inverdade engravida a desonestidade DELES que segundo os PROCEDIMENTOS, está no ADN de mais que muitos pois que todos se acobertam...

Em geral, quem consegue levar alguma vantagem sente-se o máximo; lamentável noé! A Costa o que é de Costa e, a César o é NOSSO... A oposição anda adormecida, quase moribunda, o Presidente a tudo diz ÁMEN e, o “jeitinho” bem ao modo brasileiro torna-se num expediente criativo no meio do MEDO...

:::::3

Para forjar regras, flexibilizando ou quebrando normas que deveriam aplicar-se a todos, ELES justificam o inexplicável. Essa coisa negativa, geralmente coloca as relações pessoais acima do dever. Cá para mim que sou "UM ZÉ NINGUÉM " acho que tudo o vai ser muito prejudicial a todos NÓS!

Não adianta tentar colocar uma pedra em cima do pecado. Ele, o PECADO, está aí colado ao medo e à safadeza encoberta pelo COVID. Bem! Se o que os move é tirar proveito das situações e das pessoas – NÓS, isso não passará despercebido pelo SÁBIO meu Tio, Nosso Senhor que é o MWATA DA NATUREZA...

TAMBULA CONTA, esse tal de "LEVÍTICO", pode surgir envolto num cacimbo a reescrever esse capítulo que tem 58 mandamentos. Isso! Para nos fazer enxergar o pecado sujo, profano e imundo... Os velhos padrões terão de voltar porque, é no ser-se honesto sem picardia ou avareza, que você será de o ser - bem-sucedido.

Feliz Fim-de-semana...

O Soba T'Chingange








PUBLICADO POR kimbolagoa às 15:47
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 23 de Janeiro de 2021
MUXOXO . LXII





MUXOXO . LXII - Crónica 3104

- Vuzumunando a vida nos meus kitukus -(30.11.2020) - 23.01.2021

N´gana N´Zambi - Senhor, Deus; Kitukus - mistérios :::Nos mistérios das palavras, estas picam em mim, uma grande gastura…

Por:         ,,, T´chingange na Mulola do Barlavento Algarvio - M´Puto

...Na guerra ultramarina são apontadas cerca de 10 700 vítimas mortais, a maior parte em Angola, Guiné-Bissau e Moçambique ... Os Militares portugueses que combateram os Movimentos de Libertação em 3 frentes na guerra que durou 13 anos, tiveram menos mortes do que a PANDEMIA COVID em cerca de 11 meses

Pode ler-se: As mortes provocadas pela Covid-19 deverão, até ao final do mês de Janeiro de 2021, serão em número superior às vítimas mortais da Guerra do Ultramar.

  ... Abri uma nova página no Facebook com o nome de Profeta Moisés e, como surpresa imediata, um dos muitos pedidos de amizade vinha de Nosso Senhor. Intrigado fiquei uns dias retendo o pedido enquanto ia recebendo muitas outras, gente nitidamente ligada às coisas litúrgicas, eruditos até às pontas dos cabelos. Gente de muita religiosidade; uns abraçados a santos, outros acendendo velas botando fumo pró céu, outros ainda mostrando o Espírito Santo na forma de pomba e, outros jogando búzios no terreiro como se sempre o fosse de Quarta Feira de Cinzas.

 ... Assim, assentando nos contrafeitos dos factos com dúvidas na forma de gráfico, ora para cima, ora para baixo, fiquei espantado quase no estupefeito quando surge um novo evento: Era Nosso Senhor, adicionando-me como amigo! Belisquei-me para ter a certeza que ainda estava pela terra e fiquei extremamente cauteloso sem saber ao certo o que dizer! A vida da gente tem coisas!

... Lembrei-me em seguida que tinha mencionado dias antes, algo de que Jesus cansado das trapaceirices humanas quis ir para o pé dele, seu Pai, aos 33 anos. Um contador de estórias faz o tempo passar entre os pingos da chuva ajudando a preencher os buracos do ócio fazendo assim gaifonas com as palavras e, recriando um outro jeito de levar a vida, para aliviar as tensões que a sociedade nos impõe… Só falo isto porque minha família é toda ela santa e santificada mas, isto sempre me sufragou entre os desprevenidos.

 ... Não! Não há boas farsas! Vejamos: Conforme Deus mandou, Moisés lançou sua vara ao chão e ela se transformou em uma cobra, então o Faraó chamou seus feiticeiros, que fizeram o mesmo, porém, a cobra de Moisés engoliu as cobras dos feiticeiros de Faraó – gostei da cena, bem feito! Só que isto, não convenceu o Faraó, que por não acreditar em Moisés, mandou aumentar o castigo sobre o povo de Israel. Resumindo: o Faraó perdeu em toda a linha com umas quantas pragas.

... Sei porque li no livro sagrado de que o encontro de Moisés com Deus foi real e em 3D e, não um encontro indirecto, casual ou virtual mas, neste mundo conturbado de agora, tenho receio que não seja este, o mesmo Deus venerado por bilhões, muitos mais do que os utilizadores do Facebook…

 O Soba T´Chingange







PUBLICADO POR kimbolagoa às 14:01
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 18 de Janeiro de 2021
CAZUMBI . LXVI
Crónica 3102
Nos tempos bíblicos, a lepra era a “MAIS TEMIDA” das ENFERMIDADES – (16.01.2021- Kizomba) – 18-02.2021
-Só JESUS a curava! Ele, que eu saiba, não era nenhum bruxo nem médico especialista ou KIMBANDA!...
Por: T´Chingange
 

T'Chingange - No Algjarve do
:::::1
A LEPRA “profundamente arraigada e mortal, era considerada símbolo do pecado”... Tudo o que o leproso tocava era considerado impuro - acreditava-se que até sua respiração era contaminada. Era e é muito pior que a COVID que hoje nos atormenta... Certa vez, quando Jesus estava ensinando no lago, um LEPROSO, observava de longe. Ao ver que o coxo, o cego e o paralítico eram curados, sua fé foi fortalecida em seu coração. Esquecendo-se de todas as restrições, o leproso aproximou-se; seu corpo estava em terrível decomposição...
Um leproso, nesse então, era banido da sociedade, da família e dos amigos; sua presença era considerada como contaminadora. Se alguém se aproximasse dele, exigia-se que o doente gritasse: “Imundo! Imundo!”. Conto isto porque li e, porque sei quando kandengue crescido, saber dos kitucus milagrosos que o médico Albert Schweitzer praticou em Lambarére no Gabão...
:::::2
Até á poucos anos a lepra era chamada de “doença anestésica”. Em sua fase inicial não existe nenhum sofrimento, tornando-se na mais mortal de todas as doenças. Gradativamente ela, consome o corpo da pessoa. Os cabelos e as unhas caem de podres. As juntas dos dedos reduzem-se e, em geral desaparecem. Todo o corpo é atingido.
Naquele então, o tal supra leproso, ao abrir caminho por entre a multidão e, até chegar junto ao Senhor, as pessoas recuaram cheias de terror (hoje um espirro faz quase o mesmo efeito...). Estamos a vivenciar muita semelhança e, por isso, convém recordar o quanto andamos esquecidos ou adormecidos...
:::::3
Lançando-se aos pés de Jesus, o leproso exclama: “Senhor, se quiserdes, podes purificar-me.” Jesus coloca a mão sobre ele e diz: “Quero sim - fica limpo!”. Imediatamente a carne do leproso adquire vigor, os nervos se tornam sensíveis de novo e, os músculos se fortalecem.
“A aspereza e escamosidade características da pele atingida por lepra desapareceram, sendo substituídas por um tom suave, como o da pele de uma criança saudável” (Ellen G. White, assim o descreve no Desejado de Todas as Nações, pag.201)...
::::::4
Mas, naquele tempo, dizia-se que o pecado era semelhante à lepra - Isaías o afirmava: Quando “Toda cabeça está doente, e todo o coração, enfermo não há nele coisa sã, senão feridas”,... Karamba, vistas as coisas deste modo, terei de pensar que afinal fui mesmo feito de barro e também uso chinelo de pé...
Se olharmos apenas para nós, poderemos até perder o brilho sem levar uma mensagem preciosa em vasos de barro, assim mesmo e sem adornos. Isto é para impedir que alguém pense que o incomparável poder de meu tio, Nosso Senhor, fora de brincadeiras, nos pertence, mesmo que não o queiramos ou nos chamemos de Canhoto... Isso - Cruzes Canhoto...
:::5
Cristãos, são pessoas comuns que fazem coisas extraordinárias quando se lembram, se é que lembram, ser gente com aspecto de humanos e tendo sua graça como se o fossem, simples vasos de barro, depositários dum poder que tudo indica, ser divino com falhas, com fraquezas e, até intrigas... Para o mundo expectante pode parecer algo totalmente enfadonho, mas aos olhos da Natureza, será belo, noé?! Sendo assim, direi também ao meu Tio Nosso Senhor: Toma este vaso de barro que sou eu e, usa-o como te aprouver… Vou fazer mais o quê!?
O Soba T'Chingange
 

 

 
 
 
 
 


PUBLICADO POR kimbolagoa às 18:27
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 14 de Janeiro de 2021
MUJIMBO. CXIX






O SOL morre sem sepultura e, todos os dias isto se repete…

Portanto, vou pôr o burro às costas e o arado a comer - 14.01.2021

Crónica 3101

Por

T'Chingange – No Algarve do M´Puto

:::::1

Ser dono definitivo de mim, é o que eu quero, na sequência de sempre o querer, mas por vezes muito amiudadas, estremecem dentro de mim, por se repetirem alvoroços nos meus arrabaldes e, como se quase o fossem, intimações! Acalmando meu fôlego de branco mazombo pálido ou até avermelhado, engrosso meu próprio nojo na vontade de pensar de mim uma decisão… E, quase sempre não sou nada nem alguém…

:::::2

Abro as quatro janelas de minha cubata para arejar, os quartos, a sala, o meu espaço de escritório e o meu espaço de lambiscar securas, lugar do café com leite para calar as tremuras que sobem dos tornozelos até aos zingarelhos a dar forças superiores e fazer funcionar os neurónios sem despairecer o cerebelo…

:::::3

Surripiando miúdas palavras legitimo-me nos silêncios picados das mutucas porque de tão fechado na minha sina, no meu mukifo, não haverá um sim no meu possível definitivo futuro mesmo que, adivinhado numa lei-fofa (off) simplificada. Não fora eu aposentado e estaria aflito nesta regra com prescrição de princípio e, cláusula de simplificar ou minimizar a resiliência de forma macia, almofadada ou elástica na tufada gravidade… O que tem de ser, será!

:::::4

Bolas!? Eu que nem sou homem de noitadas, vejo-me na contingência de purgar a paciência sem alcançar dois dias a fazer um tik tok personalizado; a não ser só, mascarar-me feito Zorro, sair à rua sem ter de assaltar que nem assim e, só; ter de viver enfileirado numa perigosa missanga. Permanecer assim duvidando de onde e aonde se apanha o tal tik do tok feito mutuca, sem nem ter o tamanho dum pernilongo - Filho do capeta gelatinoso, melga lambido de cuspo.

:::::5

Bom! Depois e, já na minha açoteia, estendo-me na cadeira de kota T´Ching, chamuscando-me ao sol da kúkia, literalmente a chupar a tal de vitamina D. Sem nuvens e, até que tirite de frio, ali fico até o desaparecer do Sol, lá para os lados do barlavento - feito brisa. Ficar assim repassado num creio que nada creio, num teste que me solta a venta, merdas e coisas sem loisas. Não fora meu entender, se por azia reumática, ou se por andar pingando medo feito água quente.

:::::6

Neste processo de desmudar os costumes, uns ficarão mais iguais e outros, logicamente, mais desiguais a indicar a todos que afinal ainda não fomos terminados… Ué, viver nste agora, torna-se mesmo muito perigoso. É aquela velha estória que aqui explicito: -Era um era e, não era; andava lavrando com dois carrapatos! Veio-lhe a notícia que o pai era morto e a mãe por nascer. Pôs o burro às cotas e o arado a comer… Hem! Hem! Hem… O que mais penso e testo em explicar: Todo o Mundo, é louco - o quanto baste…

O Soba T´Chingange








PUBLICADO POR kimbolagoa às 22:37
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quarta-feira, 13 de Janeiro de 2021
MUJIMBO. CXVIII






A Palavra do dia é MEDO – (11.01.2021) -13.01.2021

Crónica 3100

Por: T'Chingange

  De acordo com o dicionário, um dos significados de medo é o de sentimento de inquietação com a ideia de um perigo real ou aparente. Estando eu na guerra, algures nos anos de 1967 e 1968 em Cabinda, por via de uma emboscada na Curva da Morte da Serra de Massabi, senti esse tal de medo, suava de frio em um calor tórrido. Foi uma emboscada na qual houve duas mortes, um cabo e um furriel. O Rodrigues que nunca saía porque seu lugar de vago-mestre estava ocupado por um segundo sargento do quadro e, logo nesse dia, escolheu ir fazer o reabastecimento ao Belize, sede do Batalhão - morreu.

:::::

Mas, por que carga de azar Rodrigues, sobrinho do Cardeal de Lisboa e, com o mesmo nome, foi querer passear a ver o verde do Maiombe para espairecer a vida entre o verde escandaloso desta grande mata. Ele que nunca saía do quartel do Miconge - Posto Administrativo de Tando Zinze... NÃO! Não era o seu dia de vida... Um tiro varreu-o prá morte... E, eu pergunto a quem nunca pegou num fúsil ou canhângulo: Já se sentiu, ou sente medo de algo? Uma coisa muito importante que nunca nos devemos esquecer, é de que quem nos fez e, quem fez o Mundo com tudo o que nele há, foi meu tio Nosso Senhor a quem chamam de Deus. Mas, pelo facto de ser seu sobrinho não me livrarei de ter o meu fim tal como o teve o Furriel RODRIGUES sobrinho do Cardeal...

  Bom! Não temas, porque sou teu primo e, não te assombres, porque eu só sou teu familiar. Posso até fortalecer teu carisma, ajudar-te ou, e até sustentar-te com a minha justiça mas, teu destino só será teu, inserido na justiça da natureza. Natureza aonde tudo que nasce, um dia, falece... Recordar aqui no meio desta morbidez, que o termo de serem “felizes” é uma tradução inadequada da palavra (malambas) oriunda do grego - makarios. Essa expressão é traduzida em português de várias maneiras, incluindo “bem-aventurados” (ARA, ARC, NVI) para além do “felizes” (NTLH, BV). 

:::::

De vez em quando, ouço pessoas, adultas anunciarem seu desligamento das redes sociais a fim de o serem, "mais felizes". Algumas descobriram que o tempo gasto na internet roubou delas porção ainda mais preciosa, que deviam empregar em comunhão com a Natureza, pois então... A maturidade sedo ou tarde, chega! Actividades mais frutíferas para si mesmas, para os semelhantes e para a eternidade, não se cumpre por omissão. Um deixa para lá porque Roma e Pavia não se fez num dia... Andamos a emancipar-nos agora neste inicio de 2021.  Não se diz vulgarmente: Ele ou ela já é maior e emancipado! Pois agora irá ser vacinado... Fica completo o circulo, noé!...

   Existe a ideia de que crentes em Jesus devem ser felizes, pois são cidadãos do reino de Deus, o Nosso Senhor, meu tio. Pois vos direi que o meu outro tio, que já faleceu (faleceram ambos...) tinha a alcunha de Cristo! Sentirmo-nos tristes ou felizes é um estado subjectivo. Isto é, felicidade é como nos sentimos, noé! A vida dum cristão não pode ser fundamentada em algo subjectivo. Enquanto existe a consciência de que posso ser feliz por causa dessa paz de coração, a bem-aventurança é mais do que felicidade.

Amanhã, é outro dia!

O Soba T'Chingange












 

















 







 





PUBLICADO POR kimbolagoa às 18:46
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 7 de Janeiro de 2021
MOKANDA DO SOBA . CLIX

MEUS KITUCUS (mistérios) … O FUTURO é uma batata com dois fios nela espetados dando musica através de auriculares espetados nas orelhas via FM ou 5G…  

Não sei se voltarei a passear nas ruas da Luua (Luanda)... Crónica 3098 – 07.01.2021

Por

soba0.jpeg T´Chingange - (Ot´chingandji) - No Sul do M´Puto – Barlavento algarvio

luanda6.jpg Não sei se voltarei a passar nas ruas da Luua que me viram crescer porque, também minha passada irá entristecer na recordação, do que foi e já não o é e, porque também nenhuma segurança terei sobre tudo e sobre coisa nenhuma que preside aos tempos de agora  que por dá cá aquela palha, se ateia a mente queimando os fusíveis do curral e dos coiros. Lembrar o tempo em que presumivelmente - o fui, feliz, desleixando-me na compreensão das muitas infelicidades alheias.

Embarquei para o M´Puto sem o querer, pela inquieta, medonha ou desolada guerra do tundamunjila. A terra do futuro ficou adiadamente tardia na vontade, nos feitos e trejeitos, adaptando-me aos frios, sarando a ferida interior com pústulas feitas vulcões, comendo uma sandes na “Tendinha” de Lisboa do Rossio, um panado ou posta de bacalhau e um penalti (um copo de vinho tinto) enquanto me inteirava de notícias chegadas da Luua e de Angola em geral…

maianga0.jpg A terra do futuro ficou adiada sarando-me nas crostas de novas feridas por via duma guerra demasiado esticada; o futuro já não mais seria ali. Ele, o futuro foi ficando encrustado nessas cascas de ferida, cicatrizes, um misto de bactérias e ou vírus permutando-se nos entrelaçados de infecções encrespadas em mutações e acordos ora capitalistas, ora comunistas com senda de regras cada vez mais internacionalistas e tratados imcompridos...

Neste discorrer eu, ia virando caruncho de farinha atrofiado nas evidências e, sem direito a suspiro. Aquele pedaço de tempo exigia um modo de sobrevivência numa sociedade de um salve-se quem puder e, usando uma indigência com coisas esdrúxulas. Nessas vindas da ponte aérea “LuuaLix” todos os dias iam chegando refugiados envoltos em um enorme vazio! Com isto fomos todos obrigados a ganhar consciência sábia de entender o VAZIO da verdade – o VAZIO das pessoas!

luua16.jpg Passando por Lisboa até Istambul e no lugar aonde Judas perdeu as botas, soprava (ainda sopra) um vento descuidado a indicar-nos que a tal “idade do ouro com segurança” e qualidade de vida tinha desfalecido. A Haga Sophia da antiga Constantinopla também se tornaria numa vulgar mesquita com emparedados mosaicos bizantinos a dar-nos conta que o Mundo era um sítio em permanente convulsão.

E, lá, aonde até o rosto esguio, macilento de Nosso Senhor fora tapado pelo barro com cal originando o cafelo denunciador de que ali, aonde oravam a Cristo o Messias, era agora aonde se curvavam a Alá… E, de um dia para o outro, nosso futuro, viajando-se de um para outo continente, de uma e outra cidade, tudo fica trancado, trancafiado, parado paradinho, de mãos lavadas e até os pés varridos de poeiras alheias, de um quarto em quarto de horas para eliminar uma praga invisível.   

luanda1.jpg Assim, limpo e escovado, experimento comprimidos roscofes saídos de latas de formicidas, coisas arsénicas e creolinas numa empreitada de me manter imune e, o maldito do bicho ruim não me reconhecer na exactidão. Consoante a pessoa se ri, a gente (nós) se acha de voltar aos passados escolhendo as peripécias avaliáveis porque, viver assim entalado entre um era num era, viver, fica um descuido prosseguido. Pelo sim pelo não, também tenho umas bolachas amarelas de quinino para entorpecer as abelhudices, rejuvenescendo em mim este malvado “tempo de ir e vamos”…

acácia rubra3.jpeg Hoje em dia, já nem me queixo do passado com missangas da Luua porque o futuro vive repetindo o repetido e assim escorregadio sem conseguir tirar sombra dos buracos não há margem para remorder remorsos. Assim entrançado com espinhos e restolho, todo o dia de pijama, relembro o tal velho coronel, senhor também fardado com um pijama às riscas, sentado num sofá de orelhas, pele de boi já muito encardida, esfolada, olhando para o infinito, babando-se pelo canto esquerdo descaído, todo enfolipado lá na Luua, Rua Vintoito de Maio da Maianga…

O velho oficial estrelado, insensível ao cérebro abanado por uma trombose, com a lentidão das coisas graves e titubeadas com muxoxos, parece que fala – Hum, pois, não sabe; a kalashnikov, os turras, a febre do poder… E, na febre da maresia, eram bolas de trapos, meias surripiadas do pai a cheirar a sulfato de peúga! Mas, o que é que tem a ver o cú com as calças? Estão a ver o filme? É isso mesmo: Ache que não ache, toda a saudade é uma espécie de velhice…

Nota: Publicada em KIZOMBA do FB em 04.01.2021

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 14:26
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 3 de Janeiro de 2021
MOAMBA . XLVI

Periclitãncias do dia-a-dia01.01.2021

Crónica 3097 - NOSSAS VIDAS - NOSSAS PEDRAS - NOSSA ATITUDE

Por

soba24.jpgT'Chingange – No Algarve do M´Puto

araujo27.jpg Não existe "pedra" em nosso caminho que não possa ser aproveitada para nosso próprio uso em crescimento. Muita sabedoria, luz e prudência, é necessária ter para saber o que fazer com cada pedra que se encontre, tornando-as alicerces de nossas vidas. Assim, teremos o distraído que nela tropeça; o bruto que a usará como arma; o empreendedor que a irá usar para construção. O camponês, que dela pode fazer um assento. Miguel Ângelo, fez dela uma escultura, entre muitas. David, com ela matou o gigante Golias. Observe-se que a diferença não está na pedra mas, na ATITUDE das pessoas perante as inerentes coisas!

ara10.jpg Terminamos o ano de 2020 sem saber ao certo o que fazer com cada pedra para o novo ano de 2021 e os que se lhe seguem mas, teremos de fazer delas, as pedras, alavancas para novos desafios e oportunidades que, decerto sempre surgirão... Assim, que venha 2021 - com vacina, saúde, persistência e resiliência. Às vezes pagamos caro pela tentativa de resolver situações complicadas agindo sob o calor das emoções negativas. Então, o que devemos fazer quando nos resta utilizar todos os recursos disponíveis!? Existem circunstâncias diante das quais tudo o que temos a fazer é esperar porque “na quietude e na confiança estará nosso vigor”. Será assim tão simples!?

arauo76.jpg Tenho uma sobrinha com dois filhos; ela e um dos filhos estão com COVID. Um deles deu negativo. Solicitou apoio porque está só e, para além do teste nada mais foi feito... O Governo e Instituições apregoam aos sete ventos via TV, que estão dando apoio a toda a gente mas, nem uma brigada por ali passou para recolher o lixo dos 3 confinados em um modesto apartamento na cidade de PORTIMÃO. Um dos filhos, o que tem covid, teve de sair à rua para acondicionar o lixo no contentor! (um risco para a sociedade mas, que fazer!?). O Tal de SOS - 24 não apareceu após várias tentativas desde a participação no dia 24 de Dezembro.

arau44.jpg Eu próprio, com 76 anos, levei viveres e comida para os auxiliar; Um cunhado dela nas proximidades e, vivendo no mesmo Concelho também ali se tem deslocado a levar-lhes comida. Podem calcular como será o estado de uma família assim, sem terem a devida atenção, nem da Autarquia nem tão pouco dos Serviços Sociais! Nada lhes restará, senão a expectativa do passar do tempo, tossindo, com dores de cabeça, dores do corpo esperando um milagroso livramento com paracetamol ou benuron; sem um apoio de quem de direito. Minha incredulidade leva-me a desacreditar nos apoios de que tanto apregoam...

Araujo116.jpg A não ser que o seja só para refugiados e as minorias, de que tanto falam... Sem querer visualizar o pior, chamo por esta via as autoridades de PORTIMÃO à razão para que daqui, não resultem lamentos fingidos ou hipócritas... Perante isto - A incredulidade cria ou supervaloriza as dificuldades, impedindo-nos de ver essa tão apregoada fé das autoridades. Não tivéssemos nós essa fé a elevar-nos a alma acima das dificuldades e, assim; assim nos teremos de colocar mais perto de Deus para nos habilitar a permanecer destemidos, firmes e serenos, esperando!... Mas, é natural que o medo se imponha a nós sem permitir que ele se assuma no controle!?

:::::

Moamba: pode ser prato típico em Angola ou negócio de candonga, coisa mal engendrada -  no Brasil.

Ilustrações de Costa Araujo

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 18:44
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Terça-feira, 29 de Dezembro de 2020
MOAMBA . XLV

Cónica 3096 - PARA ALÉM DAS APARÊNCIAS - 29.12.2020

NINGUÉM É SANTO - A VAIDADE é uma luz externa que imprime brilhos fantasiosos, atractivos e bonitos; mas não passa disso...

Por

soba24.jpg T'Chingange - no M'Puto (Algarve)

bra3.jpg Alguns de nossos líderes, tal como outros espalhados pelo Globo chamado de Mundo, buscam impressionar-nos pelas aparências e pelo autoritarismo; recursos vulgarizados por eles e afins da nomenclatura do poder. Para além do mero barulho que fazem, ficam muito semelhantes ao de uma lata vazia repetindo estridências vaidosas. Daí, recordar a propósito, o termo “vaidade” que tem origem nas palavras latinas vanitas - vanitatis. E, isto significa vacuidade, vazio - tal como um Big Brother que tudo indica, distrai muita gente…

FK10.jpg Como espuma de sabão, quando circula pelo ar, mostra-se preciosa, a luz externa que imprime brilhos fantasiosos, atractivos e bonitos; mas dentro, nada tem. Entre a dissimulada aparência de piedade e a escancarada vaidade ostentada, nada mais resta para além de sua própria complacência... Isso! Que satisfaz a vontade de alguém com intuito de se sentir elevado... Uma contramão ao genuíno modo de ser-se humilde na suficiente ética contida em um sensato coração.

Mu Ukulu32.jpg No início de nossa era DC, dizia-se: Guardai-vos dos jornalistas (escribas e politicos), que gostam de andar com "paramentos subservientes" ao poder, enaltecendo seus adjectivos nas saudações das praças, nos banquetes e casas de pasto... E, daqueles que usam as primeiras filas, cadeiras nos congressos, nas circunstâncias de lhes trazer mais-valias, devorando casos como quem devora as casas das viúvas, vasculhando cantos mofados para justificar mostrar aquela vaidade que traduz votos e, ou audiência benévola escondida do fundamental.

Mu Ukulu37.jpg Entre a dissimulada aparência de piedade e a escancarada vaidade de nossos líderes, dá para notar a ostentação sem aquele contraponto de brilho de autenticidade. Num ávido desejo de conquistar a simpatia do povo e mantê-lo submisso às suas ambições... Seu balão de sabão… Balão que em um instante, faz "PLAF", arrebenta, desaparece. Converte-se no que era: "NADA. Promovendo gente que deseja ocupar os primeiros lugares em eventos honoríficos. Que querem receber saudações para além dos sonoros títulos de "ministro”, “secretário”, “comendador” e até de "presidente"...

garrafão tuga.jpg Contudo, tão enganoso é o coração, que precisamos atentar para os reais motivos de nossos actos, de modo que não escorram por entre os dedos motivações secretas, impróprias, que tentamos esconder. Vem aí tempos ruins! "Utopia é muito bonita, nos contos de fadas e no imaginário”. Na ilusão do "homem bom" e na "santificação dos heróis"... Recordo que quando o gado começa a ser dizimado por lobos e leões e, ninguém tenta ensinar as ovelhas a correrem mais rápido fico encafifado. Bem! Depois, criam cães tão fortes e tão violentos quanto os predadores e os usam para os combater… Na vida real, é assim que o mundo funciona. E, a menos que nos perdoem a dívida estamos lixados; DÍ-VIDA...

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 16:05
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 24 de Dezembro de 2020
A CHUVA E O BOM TEMPO . CXVIII

“CONSOLADOR” EM GREGO, DIZ-SE PARAKLĒTOS ... 24.12.2020

- Cronica 3094 - Controlando minha missão de aguentar a austeridade, disponho-me a gozar mais um dia de sol no M´Puto, nesta beirada sul dum país que já foi metrópole dum Império.

Por

soba24.jpgT'Chingange - no Algarve do M'Puto...

capta0.jpg Nesta quadra natalícia do ano de 2020, aproveito falar um pouco do entrelaçado de malambas (palavras) já faladas entre nós a fim de arrumar os eventos vindouros para que se compreenda o desfecho de nossa estória; nosso futuro mussendo (estória longa). A palavra aqui traduzida como “Consolador” vem do termo grego Paraklētos, relacionando-se ao verbo PARAKALEŌ e, cujo significado é “chamado para estar ao lado de alguém”. Em latim, a palavra correspondente é ADVOCATUS (advogado) - Tudo a condizer...

DIA73.jpg E, na qualidade de Primeiro Ministro do M´Puto, António Costa deu as alvíssaras de Bom Natal ao lado do Presidente Marcelo como se fosse um ET, talqualmente como um Espírito Santo, PARACLÊTUS, vindo duma galáxia distante numa nave "COVID" ... Veio que nem um pirilampo como suposto defensor, conselheiro, consolador, intercessor e mediador das manigâncias em tamanho natural e, metido numa caixa de TV delgada de fina... Que nem um Flash Gordon feito astronauta aterrissa no Palácio de Belém como se estivera no planeta Mongo e, de onde um déspota vírus, ataca a Terra por puro tédio. Com a ajuda de alienígenas, Flash e seus pares, lutam para salvar seu país atacanhado no planeta Terra…

ET2.jpg Assim como numa das passagens do Evangelho de João em que Jesus fez referência ao Espírito Santo, este “Consolador” Primeiro-ministro, parece surgir como o “Espírito da Verdade”. Embora haja textos bíblicos referentes ao Espírito como agente divino de transformação, a ideia de “Consolador” neste evento de diplomacia, trâmites da cortesia portuguesa, nos remete a outros aspectos da função de ADVOCATUS em nosso suposto favor ou desfavor, na vertente de político...

Mesmo com sua ausência física, nós não estaremos entregues à própria sorte porque nos momentos mais difíceis de nossa experiência covidesca sempre surgirá o Marcelo feito Cristo, o homem estrela STAR, Senhor-mor das t´xipalas “selfie”. E, assim o PM-PARACLETO sofredor com seus discípulos se disporá a desafios incontáveis com o beneplácito dele - o Presidente. Isso! Também este, uma entidade, agente de PARACLETO, que veio como como se fora JESUS super STAR.

luua27.jpg Se a consciência me acusar, eles, os dois PARACLETOS, terão de me convencer de algum pecado, para assim me guiar rumo à confissão, arrependimento e, ou perdão! Cá para mim, com estes, estaremos feitos ao bife...

Tenham um Bom Natal!

Publicado em KIZOMBA (Versão I) do FB a 23.12.2020

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 15:32
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 19 de Dezembro de 2020
MALAMBAS . CCLII

FALAS NATALÍCIAS - 19.12.2020

Crónica 3093 - LENDA OU NÃO, TUDO SE TERÁ PASSADO NUMA CERTA FORMA, NOÉ!?

Por

t´chingange2.jpg T'Chingange - No Algarve do M'Puto

pal1.jpg De acordo com uma "lenda", quando Jesus ascendeu ao Céu, alguns anjos se mostraram curiosos para saber algo mais a respeito da experiência Dele na Terra e, foram interrogá-Lo a respeito. Podemos até imaginar como sendo um conjunto de jornalistas dos dias de hoje e, no M'Puto desde a Rádio Katekero, ao sempre presente Correio da Manhã, entre outros - enfim, um batalhão de gente licenciada e cusca para eventualmente nos elucidar ao seu jeito jeitoso…

E, as perguntas começam: “O Senhor fundou um grande movimento? Quantos seguidores deixaram?” A isto, Jesus teria respondido: “Geralmente Eu atraía grandes multidões, mas deixei apenas 11 discípulos, alguns poucos amigos e, outros dedicados seguidores.” E, na ordem conferencista vêm as periclitãncias dos jornalistas feitos anjos: “Bem”! Muxoxos de interrogações na sala, “sendo tão poucos, certamente devem ter sido seres humanos excepcionais, com excelente carácter, pessoas influentes e competentes em suas comunidades e também de sucesso profissional!? ”

dom5.jpg Caso fosse hoje e, aqui no cantinho, fim da Ibéria os “anjornalistas”, interrogá-lo-iam acerca de algo que faz bulir nossos neurónios como a SAÚDE, o SEF e a morte dum cidadão, da TAP e seu/nosso afunilamento, as virtudes de se ter um presidente popular e vedeta vulgarizado no selfie, com ou sem vassoura a faze de pau e, a economia com muitos outros edecéteras; algo de que em um momento todos falam com palpites e palpitações...

A resposta de Jesus teria sido: “Realmente, eram fora do comum; alguns pescadores, um colector de impostos, pessoas simples.” Os anjos repórteres radialistas e anjos da TV continuaram: “Nesse caso, formavam um grupo extremamente leal e confiável”!?. Sempre perguntas de sacar astúcias... Jesus fala: “Eles tinham uma vontade imensa de ser leais, mas, no momento mais crítico, um deles Me traiu, outro Me negou, e quase todos os outros fugiram.” Na sala apinhada um Óhóóóó gigante no alarido. Alguém levantou as mãos e disse: - Deixai ouvir!...

demo1.jpg Dum sindicalista “anjornalista”, representando os fazedores de cruzes e pregos artesanais saiu a pergunta: “E o Senhor ainda espera que esse grupo continue Seu trabalho? Tem algum plano alternativo?”. Jesus teria respondido: “Não, não tenho plano alternativo. Esse é o grupo com que posso contar.” À parte da "lenda", o facto é o de que os discípulos aos quais o Mestre incumbiu a tarefa de pregar o evangelho e estabelecer Sua Igreja, à semelhança dum "partido" hodierno, eram repletos de limitações. Não tinham bancos centrais nem rede de frio, ministérios da consciência, Serviços Sociais, nem verbas governamentais ou Procuradores duma réspublica acomodados no poder...

Só que não foram limitados na esperança de que Ele cumpriria a promessa de enviar o "Espírito Santo" que os capacitaria com poderes para engrandecer e testemunhar. Esperaram conforme a ordem, “unânimes em oração”, em profundas e sentidas confissões, conscientes de sua incapacidade, até que, num dia especial de Pentecostes, foram cheios dum Espírito... (Nesta estória, o Salgado, um tal dos DDT – Donos Disto Tudo, ainda não existia mas, iria aparecer sim!)

araujo117.jpg O livro de Actas que no antigamente eram Atos está cheio de factos reveladores da ousadia com que pregavam, do poder com que realizavam milagres e da pureza de vida que os caracterizava (naquele tempo zero...). Somente no poder do Espírito e n Pentecostes, foram capazes de cumprir seu papel missionário, apesar da oposição (direita e esquerda – tudojunto…). Para alguns, nem a vida era tão preciosa que não pudesse ser deposta no altar do sacrifício como povo feito cordeiro, borrego ou carneiro. A transformação foi radical. A Igreja, digo partido, débil se tornou invencível segundo as actas da Assembleia.

araujo2.jpg Em conclusão: No início dos tempos, Jesus com aquele grupo, iniciou o trabalho de fazer uma nova Época. Com o grupo do qual fazemos parte ou descendemos, Ele planeja concluí-lo. Não há plano B. A promessa contínua a mesma: “receberão poder”- Quem! Os Socialistas, pois quem!? A busca desse poder é uma experiência diária. Podemos sim, sentir isto – Porque o Espírito Santo não será derramado sobre papéis, cofres, computadores, câmaras, edifícios, mas sobre pessoas como nós – Você e eu…

ESTÁ na cara!

Nota: Crónica já publicada em KIZOMBA do FB a 17.12.2020

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 15:38
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 14 de Dezembro de 2020
A CHUVA E O BOM TEMPO . CXVII

FUI Á RUA DIREITA NESTE DOMINGO – PARECE UM HOLOCAUSTO

Crónica 3092 - Janelas para A VIDA13.12.2020

Por

soba24.jpgT'Chingange - No Barlavento Algarvio do M'Puto

cozinha1.jpg Confinado na minha casa, ouvindo as ondas batendo na rocha da falésia quando o mar fica bravio, telefonei para o take away a Cozinha a encomendar um frango assado com jindungo e outro sem jindungo. A moça que me atendeu, de sotaque brasileiro, riu da forma como falei e daí, ter-lhe dado o meu nome para registar no livro. Sucede que por via da pandemia, vão fechar às três da tarde e a minha encomenda que era para as sete da tarde terá de ser embalada de forma diferente.

Disse à moça que me atendeu que era o T´Chingange de Maceió e ela riu. Fala da rua Direita! Pois! Não é a casa do senhor Álvaro que cacareja? Óh, agora, riu ainda mais pois que seu patrão de nome Álvaro Faustino, em realidade ri duma forma especial ao jeito de guinchos solavancados. Uma forma de rir única e espacial. Assim foi! Antes das três horas da tarde, lá fui até Portimão, para lá do outro lado do rio Arade e, lá chegado, tudo estava embalado; era só pagar.

poluição.jpg Este senhor Álvaro estabeleceu-se há mais de quarenta anos em Portimão a assar churrasco bem à maneira de Angola e, sempre que lá vou sou contemplado com uma simpatia única tal como seu riso que enlaça qualquer tipo de empatia. Ele chegou com uma mão atrás e outra a fazer pala para adstringir o brilho do vinticinco, entalaram-no em um hotel da região assim como tantos outros e, logologo começou a fazer contas à vida. Não era gente de coçar preguiça e aconteceu montar seu ximbeco assando frangos com piripiri à maneira dos trópicos.

Meu nome da lista teve de ficar o “senhor das sete” porque a moça de Minas Gerais não soube escrever tão difícil feitiçaria de T´Chingange. Sucede que como cliente especial tive de dar meu nome do M´Puto e número de telefone, tudo em uma senha azul, numerada para ficar habilitado a um faisão feito capota a distinguir o Natal de 2020. Não sei bem o que seja mas deve ser qualquer coisa assim; a menos que seja uma trotinete automática.

pombinho2.jpgP - Regressando a casa do outro lado do rio Arade, pude ver lá no alto dos candeeiros eléctricos das rotundas e chaminés de extintas fábricas de enlatar sardinhas, atuns e cavalas, as cegonhas agraciando-nos de forma permanente com sua beleza. Com a chegada dos expatriados, refugiados, desalojados e retornados das ex-colónias, estas, parece terem feito um pacto de por aqui permanecer a fim de alegrar nossas vistas, nossas vidas também entre mistérios feitos kitukos de colono, xi-coronho, chicoronho, caluandas e outros até, vindos de Xi-Língwine ou antigo Maputo do Oceano Índico.

Um homem sem a liberdade de ser e agir, por mais que conheça ou possua, não é nada. O amigo Álvaro deu-se conta disto como milhares de outos pensando no mesmo jeito e, meteu mãos à obra. O destino da humanidade repousa irremediavelmente e, cada vez mais que nunca, sobre as forças morais de ser-se homem. Se se quiser uma vida livre e feliz, forçosamente haverá necessidade de se restringir ao essencial e renunciar a muitas tentações; daqui dizer-se estar sempre limitado ao tempo que surge, às manigâncias dos governos e gente que comanda os sem-eira-nem-beira…  

pombinho12.jpgP - Hoje o destino da humanidade repousa sobre os valores morais que consegue suscitar em si mesma. Todos, ou quase, percebemos que o livre jogo das forças económicas, o esforço desordenado e sem freios dos indivíduos para dominar e adquirir a qualquer custo, nos conduzirão mais e de forma automática a uma solução insuportável deste problema: tanto roubo, tanta hipocrisia e corruptela - Vou dizer mais o quê?

pombinho14.jpgP - Hoje mesmo, vou-me ensinando a ser gente tomando aqui e acolá, por onde calha, o saber dos mais sábios para ficar esperto. Nem sempre homem, nem sempre jovem, já mais velho, nos intervalos, aprendo a aprender a ser grande como o Álvaro das capotas vindo de Porto Alexandre. Esmiúço os tempos para saber a verdadeira razão dos paradoxos e dos fúteis caprichos de poder. Sim! Tal como estando num mato de capim tombado pelo vento tiro aqui e ali umas fotos sem pau de selfie, surfando a vida… Quase a chegar a casa, dei-me conta do holocausto Covide 19. As ruas, desertas! Um ou outro ciclista colorido a dizer adeus, talvez por necessidade, assim, tal como o fiz acenando às gaivotas e cegonhas…

Ilustrações: P - Pombinho

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 12:55
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 12 de Dezembro de 2020
MALAMBAS . CCLI
A PALAVRA É UMA ALEGRIA SEM LIMITES.
Palra a pega e o papagaio; os ternos pombos arrulham! Zurra o burro e geme a rola inocentinha...
Crónica 3091 - A galinha cacareja e come térmitas! As térmitas roem como o salalé…12.12.2020
Por

soba24.jpg T'Chingange - No M'Puto

roxo95.jpg AR - Recebidas as tuas palavras, logo as comi; elas, as malambas, tuas palavras, são a alegria para meu coração. Devemos ter em mente, que a beleza e a força da Palavra não estão apenas nas profecias, nas doutrinas, ensinamentos éticos ou mandamentos...

Elas são o electrocardiograma de nossa vida, valores, aventuras heróicas, cânticos, poesia e tudo o mais o que contém. Ao invés disto, o vírus expõe fragilidades e amplifica injustiças; por via disso até já ouvi panelas a falarem nas janelas e, isto não é ficção. Por vezes as urgências das raivas necessitam de dizer alguma coisa mesmo que o seja batendo panelas chilenas, brasileiras ou até do Ruanda-Urundi. Um dia lá no mato vi-me a falar com um imbondeiro, disse a ele quanto o admirava e, ele retribui-me com múcuas que me curam a glicémia!

IMBONDEIRO1.jpg Posso garantir a vocês que escrever esta meditação feita malamba foi uma experiência excepcionalmente rica! Redescobri o prazer de estar em contato com a Natureza e, chegada a noite fui para a cama levando-a na mente. Estava bem à beira do rio Okavango (Cubango)

Não importava quantas vezes eu acordasse durante a noite, ela a malamba, continuava no mesmo lugar. Já manhã, levantava-me com a sensação de que apenas havia fechado os olhos e continuado meditando na Palavra...

embo0.jpg Se você que me lê, imaginar que isso representava cansaço, garanto-lhe o contrário, só que, obviamente, não tenho poder para criar um “Ministério da Felicidade” mas, só assim, já é uma grande bênção. Que maravilha é a Palavra! Não vou meter Deus na matéria porque creio ser inerente ou evidente mas, o que vi e, com quem estive, foi tão só o imbondeiro...

Lembro-me de em certa ocasião, depois e durante a manhã, ter a ideia de aproveitar o pequeno espaço antes do almoço, para olhar os sentimentos enovelados vendo na TV a pilhas o noticiário, as makas e coisas truculentas do dia a dia. Estava na Ovambolândia…

papoila0.jpgAR - A diferença de sentimentos foi gritante. Pareceu-me ter estado voando anteriormente sobre nuvens e, em seguida, aterrizado num lixão feito terra, globo ou o que quer que o seja... Mas, em verdade, qualquer pessoa que se expressa, corre perigos vários.

Pensei: “Por que tantas vezes trocamos o tempo que deveríamos ocupar desfrutando plenamente o tesouro da Palavra, por coisas inúteis?” Não tarda, começarão a deturpar a malamba como se desintegrassem um átomo e virá a desacreditação, o distorcer delas, as palavras, tornando-nos suspeitos de algo…

imburana vermelha.jpg Por isso, a malamba feita palavra, é tão bem-vinda como o alimento é para qualquer faminto. E, assim, falando com o imbondeiro, alegremente, pude entender suas mãos feitas ramos secos, elevadas ao céu a implorar o remédio que me iria tratar - a múcua.

Embora tudo isto seja importante, a Natureza sempre será a personagem central e, que testificam os kitukos, mistérios do nosso imaginário no sentido de sempre renovar a alegria do coração, nossa máquina... Aiué!
Ilustrações de  AR - Assunção Roxo
O Soba T'Chingange


PUBLICADO POR kimbolagoa às 16:55
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quarta-feira, 9 de Dezembro de 2020
MISSOSSO . XXXVIII

Crónica 3090 - TENHAM RESPEITO COM OS KOTAS

Do meu kamba Keller Austriaco... 09.12.2020

Por

soba24.jpg T'Chingange - No M'Puto

araujo181.jpg Não seja difícil com os idosos, eles passaram a vida inteira aprendendo a habilidade de resolver as adversidades da vida. Começo assim, pela moral da história... "Uma senhora entregou seu cartão bancário ao balcão do banco e disse: — Por favor, quero levantar 50,00 €". O caixa disse à senhora : -"Para levantamentos inferiores a 100,00 €, por favor, use a caixa multibanco”...

Ora esta! A senhora queria saber do porquê...

O empregado do banco devolveu-lhe o cartão bancário dizendo: —"Essas são as regras! Por favor, saia, se não houver mais nada a tratar... Há uma fila de clientes atrás de si".

araujo165.jpg A senhora ficou em silêncio por alguns segundos, devolveu o cartão ao caixa e disse: - "Por favor, me ajude a retirar todo o dinheiro que eu tenho na minha conta". O caixa ficou surpreso, quando verificou o saldo da conta. O empregado acenou com a cabeça, inclinou-se e respeitosamente disse à senhora: - "A senhora tem 1.300.000,00 €uros em sua conta, mas o banco não dispõe de tanto dinheiro no momento. A senhora, pode marcar uma hora para amanhã?” Então, ela  perguntou:  Quanto posso retirar agora? O caixa disse a ela que podia levantar qualquer quantia  até ao montante de 5.000,00 €uros.

-"Bem! Por favor, faça um levantamento de 3.000,00 em notas de 50,00 €, agora". 0 caixa gentilmente entregou os 3.000,00 € em notas de 50,00, de forma amigável e com um sorriso amarelo claro!

A senhora guardou 50,00 € em sua bolsa e pediu ao caixa para depositar os restantes 2.950,00 €uros, de volta, em sua conta.

araujo6.jpg A moral deste missosso é: - "Seja compreensível com os idosos; porque eles passaram a vida inteira aprendendo a habilidade de resolver as adversidades da vida."

Ilustrações de Costa Aaújo

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 18:53
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 7 de Dezembro de 2020
MISSOSSO . XXXVII

Crónica 3089 - VEM AÍ UMA BAZUKA - “Vivendo e aprendendo"… 07.12.2020

FUI BOM NISTO NO TEMPO DA GUERRA DO TUNDAMUNJILA... Bazuca "bazooka", é uma arma de tiro em curva, tal como o morteiro. É o nome popularizado para o "lança-foguetes" uma arma portátil antitanque em forma de tubo. Bom! Esta outra Europeia, é uma outra bazuca: que lança kumbú…

Por

t´chingange2.jpgT'Chingange - No M'Puto

bazuca3.jpg Lembre-se dos dias da sua juventude e, antes que venham os dias difíceis e, se aproximem os anos em que você dirá: “Não tenho satisfação neles.” Tudo uma questão de tempo. Os homens quase não se interessam por esse assunto do tempo. As mulheres chegam a mudar a data se tiverem que falar nele, no tempo, nas rugas. As crianças estão longe de se preocupar com ele, o tempo. Os jovens quase nunca se preocupam com esse assunto.

Os mais idosos são os que geralmente falam sobre isso, mas quase sempre para se queixar. No geral, o jovem pensa que é eterno. Mas a verdade é que todos caminham para um fim. Logo chegarão os dias das longas orações, das noites mal dormidas, da voz e das mãos trémulas, dos joelhos fracos e cansados.

bazuca1.jpg Logo chegará o tempo da velhice. Ela vem para todos com ou sem bazuka! Bazuca é um tubo de metal com uma pilha; quando neste tubo se coloca uma granada e se liga os fios à tal pilha, ela dispara como se isto fosse o detonador e sai para fazer estragos algures.

Nos meus tempos de guerrilheiro, voluntário para a guerra da Guiné, destruí um casebre com uma bazucacada. Eram treinos intensivos a fim de estar pronto à guerra de tiro vivo e real mas, acabei por não ir porque os planos mudaram, nunca soube do porquê!

bitcoin4.jpg Aqui no M'Puto fiquei a saber que há outro tipo de bazuka, um tubo que deita dinheiro por via das carências e, para acudir à debilidade económica dos vários países que compõem a Europa. Países que ficaram de "tanga" pela paralisação do trabalho tal como o M'Puto e por via do Covid19

Há um ano atrás, não acreditaria se me contassem o que estamos hoje a viver! Diria ser uma ficção grosseira e, afinal, estamos nela sem nunca sermos mobilizados para tal, ao invés daquela guerra de Tundamunjila em várias frentes do império do M'Puto, Luso.

bazuca4.jpg A Bíblia ensina que somos inquilinos temporários neste planeta mas, ninguém dá bola para isso e, num repentemente a brevidade da vida torna-se um dos conceitos mais importantes. O sábio fala da velhice fazendo poesia. Num repente falam dum "kituko" um tal de milagre ou mistério feito arma de guerra com notas de esperança e, com nome de bazuca... E, ninguém ou muito poucos falam no texto bíblico descrito em Eclesiastes. Esse texto é considerado na Bíblia, como o Estatuto do Idoso. Ele começa com um recado para os jovens: “Lembre-se do seu Criador nos dias da sua juventude”.

dia122.jpg É interessante que temos cursos para quase tudo na vida: para noivos, pais, liderança, etc. No entanto, não se ouve falar ainda de um curso que nos ensine a envelhecer. No entanto, as sementes que plantamos no decorrer da vida indicarão o fruto que colheremos ao final...

Conta-se que, quando Luís de Camões, o maior poeta português, estava morrendo, alguém quis cumprir um costume romano de acender velas aos moribundos e, na falta de castiçal, puseram na mão do poeta um punhado de areia colocando ali a vela acesa. Diante do facto, Camões teria dito: “Morrendo e aprendendo". Isto da bazuca talvez seja somente um supositório... Verdade ou lenda, pouco importa. Foi daí que nasceu a frase: “Vivendo e aprendendo".

FELIZ SEMANA – FELIZ DEZEMBRO…

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 19:48
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sexta-feira, 4 de Dezembro de 2020
XICULULU . CXXIX

NOVOS AMIGOS - Ando encafifado com uma máquina de fazer “alegria” chamada de Ximbica*

Crónica 3088 – 04.12.2020

Por

soba0.jpegT´Chingange - No M´Puto

relogio sem.jpg “Tudo é tudo, nada é nada”; “quatro ou quatro e meio, não chega a cinco” tal como o vinticinco de Abril não foi como o vinticinco de Novembro do M´Puto. É difícil haver consenso do que fazemos individualmente tal como o é para um Estado ser decente. Se não houver transparência, a corrupção superará as normas de bom entendimento e neste mistério de encobrir o nevoeiro com cacimbo, os socialistas têm-se revelado muito bons na matéria.

ximbica.jpg Mas, se a politica nos separa, não se fala mais nisso, melhor será passarmos ao futebol do Benfica ou falamos de Madre Tereza de Calcutá porque entre piadas e amuos sempre iremos revigorar os percursos no sentido ou ao contrário dos ponteiros do relógio. Pois assim terá que o ser porque é impossível dar uma definição da alma, pois que esta, não é uma entidade concreta mas, abstracta.

ximbica01.jpg Não é matéria, é energia - mas também não é energia física. É energia divina, um pedacinho de um qualquer deus dentro de nós. Sufragando os doces reis e rainhas dum ano que quase finda, próximo das passas dum ano novo que chega, é sempre emocionante ler as mokandas de amigos mesmo que tenham nomes estranhos como Lusakidilu e, de falas genuínas, kamba duma Luua com um Rio Seco a que eu chamo de “mulola” porque só ali passa água quando chove!

Dum Rio que só o é na lembrança antiga que se quer sem fungos nem cacos velhos ou águas saponáceas a fazer desenhos entre as mais escuras, saídas dos tubos ladrões. Posso acrescentar que o último protótipo dessa máquina é parecido com uma foice a sobrepor uma catana! No fundo vermelho e roda dentada, pode ler-se a marca dela: Ximbica…

araujo119.jpg E ximbicar é assim: - Tu pegas no bordão, atiras canoa na água, entras e encostas a ponta do pau no fundo do mar kalunga, fazes força e, a canoa anda. Depois continua - Ah! Quersedizer, tu remas - Ué! Remas!? Essa palavra ainda não sei? Não me disseste dela! Eu, ximbico a canoa. T´aprendeste, munanga?

Aprendi, sim, ando ximbicando pela vida muito no lentamente, trabalhando músculos desconhecidos, que não fazem parte da anatomia, Eu e Lusakidilu ficamos amigos, trocando bordões por novas palavras. O mar, gentil, a calunga, pôs jeito no nosso ximbicar; aprendi, sim, ando ximbicando pela vida disse-me ele na última mokanda via Facebook. Um amigo tem sempre missangas para enviar, assim o queira, por apitos ou estalidos ou mesmo muxoxos com ou sem cacimbo ou trovoada de chuva grossa! A tal máquina…

Notas: Ximbica*: Rema; Luua: Luanda; M´Puto: Portugal; Kamba: Amigo; Kalunga, mar e seus mistérios ou kitucus…

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 16:55
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 23 de Novembro de 2020
MALAMBAS . CCXLIX

MALAMBA É A PALAVRA...

Crónica 3085 - Apaziguando rijezas adversas - 23.11.2020

Por

soba24.jpg T'Chingange – No M´Puto

araujo 42.jpg De acordo com um dito popular, há três coisas que são irrecuperáveis: a flecha atirada, a oportunidade perdida e a palavra falada. Pascal, filósofo e matemático francês, afirmava que “a maior parte dos problemas do ser humano é decorrente da incapacidade que tem de ficar calado"...

E, como cada qual tem no corpo um pecado de qualquer crime por pagar, de facto, uma verdade incómoda para todos nós é de que, muitas vezes, sabemos exactamente o que precisa ser dito em diversas situações, mas não dedicamos tempo suficiente para pensar na maneira acertada em como as coisas devem ser ditas, noé!?

Quando se trata de controvérsias, ou quando há necessidade de falar contra algum erro, sabemos o que deve ser dito, mas falhamos por vezes na forma como o dizemos... E, por isso, apresentamos o que nos parecerá plausível; porém, a palavra muitas vezes, sai desprovida, sem intenção ou sem o esforço de uma conversinha adulta na suficiência...

pombinho3.jpg Dizemos o que precisa ser dito, mas com aquela ponta de arrogância que causa agressão verbal nas malambas precipitadas ou até avermelhando os olhos por só se falar pedacinhos de palavras constipadas de angústia.

Muitas relações fracassam por via de agressões verbais ou palavras precipitadas. Sabe-se que, durante a infância, algumas, muitas pessoas desenvolveram uma personalidade complexada ao ser estigmatizada com termos pejorativos.

Quantos amigos já foram separados por causa de palavras inoportunas. Conflitos teriam sido pacificados, caso fossem usadas palavras brandas por uma das partes. Transgressores poderiam ter sido recuperados, caso a verdade lhes tivesse sido dita com palavras menos graves...

o vazio.JPG Não haveria tantas reputações destruídas e caracteres manchados se a palavra maledicente não fosse dita. Há tanta gente que poderia ser curada de suas feridas emocionais e espirituais se tivesse encontrado alguém que lhe dissesse a palavra sem abelhudice!

“A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira” foi o que li e até retive que “A morte e a vida estão no poder da língua” - reli algures... Na ânsia de sempre arrumar alguma coisa, solicito-me mnemónicas próprias de antigos responsos: Por São Brás! Por São Jesus, passo aqui sem levar a cruz! Com mil outros assuntos vagos e sem interesse, entre muita tolice, tenho em mãos uma fútil preocupação espantando a visão de ver bolos-reis deitados ao lixo, tendo tanta gente passando fome!

araujo179.jpg Amanhã! Amanhã! Calculo eu, saberei tudo; nada de desanimar! Sem saber porquê reconheço-me muito mais depois das resistências postas ao meu futuro; mas que futuro? Qual a medida verdadeira do meu apreço às notícias que correm, das intrigas internas e externas, das guerras sem apreço e sem medida, tolas quanto baste  a somar aos muitos sacrifícios com desmandos…

Feliz semana...

Nota: Esta Crónica sai também publicada em Facebook na página Kizomba... 

:::

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 19:15
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 16 de Novembro de 2020
MALAMBAS . CCXLVIII

 

NAS FRINCHAS DO M´PUPO 16.11.2020

Crónica 3083 - Apaziguando rijezas adversas, perfilando anjos com a singularidade do mundo

Por

soba24.jpg T´Chingangeno M´Puto

araujo18.jpg Manter a alegria acima de um certo limite, hoje, é quase crime porque dentro de quadrados ou círculos até a criança de forma precoce aprendem a geometria do mundo da peste. Teremos até de esquecer o natal que se aproxima, mantendo no topo o lema: “O corajoso escolhe o caminho certo”.

Euclides que foi o pai da geometria, um centro de excelência em cultura e conhecimento de sua época, convidado pessoalmente pelo próprio Ptolomeu I no largo período de A.C. hoje ficaria exuberante pelo uso de suas figuras como medida profiláctica. Ter coragem é prescindir da bússola porque o sentido de orientação virou e, caso tenhas pela frente um cruzamento, será bom rezar três pais-nossos e duas avé-marias porque os problemas podem surgir.

araujo19.jpg E, para completar nossa coragem, vem a OMS – Organização Mundial de Saúde, dizer que os humanos podem ter de conviver com a Covid-19 para sempre, tal como já se vive com o AIV e outras malazengas. Isto passa-se connosco afastando mesas e cadeiras para o meio da rua e, fazendo dos escritórios dormitórios.

E, é triste! A máquina da alegria abaixo de certa quantidade pára! Mas, basta dois dedos em funcionamento tenso para e num solavanco respiratório, colocar a liberdade no tremor do outro. Teremos forçosamente de modificar nosso caracter de existência para aprender esta permanente transitoriedade.

araujo12.jpg Por vezes as coisas mudam e, os vistos de trânsito caducam, quersedizer invalidam-se. Agora lá terei de esperar mais de três meses para revalidar meu passaporte; depois atestar que nas 72 horas antes, o bicho que ninguém vê, não pegou! Estamos forçosamente ligados por breves períodos na sucessão de objectivos que se suplantam. Coisas vindas do nada, viram para tudo.

Com um apagão brusco na possibilidade de movimento, subitamente o tudo, expira! O repleto ar cheio de informação, torna-se demasiado chato, teimoso. Demasiado concreto. Não obstante a curva não achata. De novo e com agrado, relembro aquela senhora a percorrer a praia de ponta a ponta de marcha-à-ré - andando para tráz para rejuvenescer-se, pode!?

araujo90.jpg As informações são variadas mas, sem brutalidade na delicadeza vão afirmando que o ar existente entre nós dois, seres humanos e, esse vazio de festa para manter cada qual, festivalando no seu círculo, no seu quadrado. A alegria fica assim verticalmente desenhada no vazio que permite abrir os braços na prumada do céu.

Só de pensar que o rádio 226 colado na minha mochila pode ficar activamente maldoso por 1600 anos, já me dá um certo alívio. O futuro desabriu depois de umas semanas trancado. Num qualquer destes dias viro pirilampo. Com tantos avanços tecnológicos, melhor seria que nos dessem um comprimido de seis meses de sonolência, enfiarem-nos num tubo de hibernação e despertar na hora certa de desembarque no lugar aprazado…

Ilustrações de Costa Araujo

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 17:20
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 14 de Novembro de 2020
MISSOSSO XXXVI

MEDITAÇÃO DO T'CHING

Crónica 3082Kiçondeando o OLHAR DA FÉ - 13.11.2020

Por 

soba24.jpg T'Chingange -  no M'Puto

sacag9.jpg O que não fazem os seres vivos, mesmos os irracionais, pela própria sobrevivência? Com o passar do tempo, cabras que habitam áreas desérticas de Marrocos tiveram que aprender a subir em grupos na árvore de argan, em busca do fruto para sua alimentação. Na Itália, cabras selvagens foram vistas tentando subir 50 metros de um paredão em busca de alimento. Como seres humanos, também não nos renderemos à possibilidade de morte. Enquanto houver hipótese de viver, não a descartaremos!

picasso3.jpg Kissondeando* sobre muitas picadas percorridas, revejo-me nas vivências porque não o sou, só ossos dispersos. Pensando em kimbundo da Luua recordo falas da terra que afinal não era minha; repeti assim: “ki tuexile tu ngó ifuba iatujunkura” - ainda não somos só ossos dispersos, “ifuba yetu iokune kala jimbuta” - Nossos ossos serão semeados como sementes…

Em 2003, Fernando Ivan Ostrowski tinha 18 anos e estudava na Rússia. Em certa madrugada de Novembro, ele foi acordado pelo som da sirene e, pelos gritos que anunciavam um incêndio no residencial da universidade aonde morava.

deserto1.jpeg Foi o último a acordar, mas, com muita serenidade e acalmando os demais, ele não hesitou em pular do quinto andar. Tendo a queda amortecida pela neve, mesmo assim sofreu alguns ferimentos. Com essa atitude, escapou da morte, que ceifou 36 estudantes nessa ocasião...

E, foi em um barco prestes a ser tragado pela tempestade que John Newton se libertou da vida imoral em que havia mergulhado. Na ocasião, clamou por socorro e foi ouvido. A força da fé tem milagres inexplicáveis; decerto, cada um de nós tem passagens desconcertantes em sua vida...

Mas, a incerteza faz parte de nossa natureza! "Senhor, se és Tu, manda-me ir ter Contigo, por sobre as águas!” Era este o clamor de Pedro, o pescador, discípulo de primeira linha de Jesus, o Nazareno.

intifada0.jpg Assim está escrito na Bíblia e, não se tratava de um teste! Ao convite de Jesus, Pedro começou a andar como em terra firme, até que o erro de desviar o olhar para a força do vento por pouco não o destruía. Eu, que já tive muitos kixibus, entendo que as dificuldades de meus, nossos ancestrais também kubasularam lumbus mal explicados e, conhecendo bem a ciência dos calundus, espantaram  maus olhados desses defuntos espíritos da Yanda.

Sem o olhar de fé, morreremos afogados no mar do medo e da dúvida. Claro que ao longo dos anos, as falas e os desafios mudaram; uma grande parte de nós não quer seguir estas parábolas e, todos se julgando sábios ou descrentes, atiram por terra ensinamentos úteis...

dia32.jpg Podemos assim rever isto para e, como aquele ditado popular que diz: "querendo, os homens movem montanhas". É certo que Pedro, o pescador, corria o risco de naufrágio no caminho proposto mas, ao convite de Jesus, começou a andar como em terra firme...

Repito: Sem o olhar da fé posto em nossa vida, morreremos afogados, não na água mas num mar do medo; medo da dúvida, medo de tudo... Creia ou não num qualquer Deus em que acredite, faça a sua parte e, não ponha em dúvida que o que tiver que acontecer vai acontecer... Mas e, sobretudo, não coloque outros em risco... Senão o bicho pega!

Glossário

Kiçondeando: andar como a formiga quiçonde; kixibus:- cacimbos, estação fria; kubasular:- passar bassula, dar a volta por cima; lumbu:- descendente por parte do pai; kalundu / kilundu: cerimónia de chamar os espíritos ao culto; Yanda: lugar especial, região pambun´jíla   

O Soba T'Chingange

 



PUBLICADO POR kimbolagoa às 19:16
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 12 de Novembro de 2020
A CHUVA E O BOM TEMPO . CXVI

MEDITAÇÃO DO T'CHING - Janelas para a VIDA

Crónica 3080 - EVITE DISCURSOS TOLOS - 11.11.2020

Por

soba24.jpg T'Chingange - no Barlavento Algarvio do M'Puto

abraço0.jpg Gosto da versão hodierna feita verso: “É mais difícil ganhar de novo a amizade de um amigo ofendido do que conquistar uma fortaleza; as discussões estragam as amizades.” E, é a conversar que as pessoas se desentendem!

A vida pode ser fácil. Nós, seres humanos, é que a complicamos. Se você fizer um levantamento e análise das últimas 30 discussões que teve no trabalho, em casa, na escola, na rua, no twiter ou Facebook, verá que a maioria poderia ter sido evitada.

CUCO1.jpg O conselho  é: não discuta por motivos banais, não perca amizades valiosas por dizer palavras agressivas num momento de ira. Controle sua mente, seu coração e sua boca e você será assim mais feliz. Você pode destruir a amizade de toda uma vida num instante. Recuperá-la será difícil. Tenho perdido gente aproximada porque tem outro conceito no estar e, como não posso mentir-me, afronto o desaire e, por vezes remeto-me ao silêncio...

O livro de Provérbios é uma espécie de código moral de conduta mas, em verdade eles, quase sempre são ambíguos, dão para justificar uma coisa e o inverso disso ou fora do contexto. Por vezes até, ajustando-se numa qualquer metáfora ou impregada de sofismo...

missosso2.jpeg Fora do contexto, poderia ser visto desse modo. Se analisar na perspectiva do todo, Provérbios são apenas a descrição da maneira como se conduzem as pessoas sábias. Já ouvi música com dois fios espetados numa batata porque virou transístor...

Os princípios de vida apresentados por um tal de Salomão não eram para serem vividos na base da obrigação. Nada na Bíblia é obrigatório mas, tenho amigos que instigam medo, dizendo que iremos para o inferno se assim e mais assado, como  se já lá tivessem estado... O modo sábio de viver que os Provérbios apresentam é o resultado natural de algo que acontece dentro de você. Quando reconhece as suas limitações de criatura e vai em atitude humilde com o desejo de aprender, você ganha.

lagar5.jpg Você é livre mas, tem responsabilidades. A escolha é sua - ser verdadeiro e prudente no que fala sem radicalizar. Faça de hoje um dia de decisões sábias e acções produtivas. Cuide de sua mente, de seu coração e cuide também de suas palavras.

Valorize as amizades, não as desperdice por causa de discussões tolas. Se por algum motivo você se sentir derrotado, levante a cabeça e, use seus argumentos usando o contraditório. Só é realmente derrotado quem pára de lutar. Ah, e não se esqueça: “O irmão ofendido resiste mais que uma fortaleza; suas contendas são ferrolhos de um castelo.”

O Soba T'Chingange

 



PUBLICADO POR kimbolagoa às 13:21
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 7 de Novembro de 2020
A CHUVA E O BOM TEMPO . CXIV

MEDITAÇÃO DE T'CHING

Cronica 3077 - Nós e, o deserto... 06.11.2020

Por

soba24.jpg T'Chingange, no Algarve do M'Puto

step6.jpg É na escola do deserto que aprendemos as mais profundas lições de vida. Já tive oportunidade de atravessar o Calahári e senti a profundidade dessa vastidão; senti um milagre acontecer quando o carro que conduzia foi deslocado não sei como para o lado certo, evitando um acidente de morte e, éramos cinco - a família mais um...

A palavra hebraica para deserto é midbar e tem a mesma raiz da palavra dabar, que é “falar”. Isso é muito interessante, porque o deserto é um lugar em que a Natureza fala... Não vem mal ao mundo, dizer que a Natureza é Deus...

nauk01.jpg Revendo o tempo antigo, Moisés sabia bem do que estava falando, porque passou muito tempo no deserto. Não sei explicar direito mas, meditando nas distâncias sem vivalma, um qualquer de nós se sentirá confuso feito um pequeno grão de areia, um nada na imensidão, uma ilusão...

Você já deve ter escutado falar que a vida de Moisés foi dividida em dois períodos de 40 anos. Ele passou 40 anos aprendendo com os homens no Egipto: 40 "desaprendendo" no deserto e aprendendo com a Natureza; 40 conduzindo um povo difícil e obstinado pelo deserto. Portanto, ele passou 80 anos no deserto. Eu, pouco mais que 8 X 8 dias...

nauk9.jpgO Eterno nos leva ao deserto para nos humilhar, nos provar e nos dar entendimento tal como a Moisés que sabia bem do que estava falando... No deserto, o silêncio é tão profundo que somos capazes de ouvir a própria respiração. Ali, a Natureza consegue cativar nossa atenção para as coisas mais simples. Lá você aprende a calar-se e, ficar a sós esperando para ouvir o que ela lhe quer dizer.

Eu, ia a uns 180 kms em contramão, estrada de areia com terra quase feita pó e, naquela recta a perder de vista surge outro carro. Terra solta de difícil manobra de direcção e, inexplicavelmente sou levado para a esquerda, lugar certo na condução. Não sei como - aconteceu!

nauk3.jpg Agora, tantos anos passados, relembro o deserto como sendo o lugar da acção de Deus na vida de Seus filhos; assim leio e, assim recordo! Para Moisés, o propósito é nos deixar humildes. Algumas vezes, a Natureza tem que passar a rasteira em uma pessoa a fim de que ela seja capaz de olhar para cima.

0 destino põe-nos no deserto para nos refinar e não para nos destruir. Será este o Deus a que chamo de Natureza? No deserto, Moisés teve que aprender que não era ninguém. E, a partir daí também eu, senti isso mesmo. No Egipto , Moisés  achava que era alguém importante, respeitado, admirado.

nauk2.jpg Ele passava, e todos se inclinavam diante dele. Ovelhas não fazem isso; diz-se até que elas são animais pouco inteligentes. No deserto, ele teve que aprender a viver com pouco. Suas roupas luxuosas que usava nas cidades não combinavam com a simplicidade de seu novo trabalho de pastorear.

Se você está passando hoje por um deserto, provavelmente também pensarará “Não aguento mais isso!” - Entretanto, será bom não perder de vista a principal lição do deserto:  *0 destino põe-nos no deserto para nos refinar e não para nos destruir*

charula.jpgFoto: Angola - Revista 'NOTÍCIA', n. º 381, de 25 de Março de 1967 (A morte de João Charrula de Azevedo)

Nota: O título destas crónicas começaram faz muito tempo pela mão de Charulla de Azevedo na revista Notícia da Luua – a Luanda doutros velhos tempos,  Mu Ukulu esquecido no tempo... 

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 12:40
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 2 de Novembro de 2020
A CHUVA E O BOM TEMPO . CXIII

MEDITAÇÃO DE T'CHING

Cronica 3075 - PARA ALÉM DAS APARÊNCIAS - 31.10.2020

Por

soba002.jpg T´ChingangeNo Algarve dp  M´Puto

cinzas4.jpg Hó gente -  guardai-vos dos que gostam de andar com vestes escapulárias nos lugares de banquetes e, devorando a palavra para justificar seus princípios. Isso! Da malamba (palavra) de dissimulada aparência de piedade sem lógica plausível. Daqueles que para seu "ego" buscam impressionar pessoas pelas aparências. Falácias políticas - de quem tem o poder ou, de outros com recursos a o poder ter.

Pois! Também das pessoas que nada têm com que chamar a atenção, para além do mero barulho que fazem, semelhante ao de uma lata vazia que só raspam sons, que fazem barulho...

helder12.jpg Sons que rolam na contramão da vontade daqueles que, supostamente, apenas ensejam conquistarem a simpatia do povo. Povo que só quer ficar submisso às suas tradições.

É aqui que nos deparamos com a "vaidade" - vaidade ostentada até por líderes religiosos contraponto o brilho da autenticidade do escrito: “Aprendam de Mim, porque sou manso e humilde de coração”...

A propósito, o termo “vaidade” tem origem nas palavras latinas vanitas, vanitatis, significando vacuidade, vazio. “Como espuma de sabão” que, “quando circula pelo ar, se mostra preciosa'.

duardo0.jpg Vaidade - a luz externa que imprime brilhos fantasiosos, atractivos e bonitos mas que dentro, nada contém. Em um instante, “plaf”, rebenta, desaparece. Converte-se no que sempre foi: - “nada”.

E, há infelizmente, muita gente assim. Gente que ocupa os primeiros lugares em eventos honoríficos; gente condecorada, que recebem saudações como se o fossem: ilustres. Não! Não sigam aqueles que adoptam esses comportamentos...

dia63.jpg Tão enganoso é o coração, que precisamos atentar para os reais motivos de nossos actos, de modo que não escorram por entre os dedos motivações secretas, impróprias, que normalmente, até tentamos esconder...

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 12:13
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 1 de Novembro de 2020
A CHUVA E O BOM TEMPO . CXII

A VIDA É UM DESAFIO - Força M'PUTO!

MEDITAÇÃO DO T'CHING... Crónica 3074 - 29.10.2020

Por

soba002.jpg T´Chingange – No Sotavento Algarvio – M´Puto

mamoeiro.jpg Hoje há desafios a enfrentar; sempre os houve e haverá como o foram em idos tempos na travessia do Jordão, nas muralhas de Jericó, na instabilidade do próprio povo com os inimigos ao seu redor. Nas muitas pestes, negras ou brancas entre e fora de muros para conter ímpetos...

Por isso, era preciso ter coragem, confiança e fé tal como nos dias que correm. Os recursos serão outros mas, as angústias serão inexoravelmente muito parecidas. Os holocaustos sucedem por causas nem sempre decifráveis. A natureza confirma-nos sua superioridade...

mandrak5.jpg A Fonte da virtude, estará bem ao teu lado como esteve com Josué e os peregrinos há muitos anos atrás no seu percurso rumo a uma pátria. Além das provas comuns do dia-a-dia, há os desafios para se viver a vida, num mundo no qual parecemos por vezes, transitar na contramão.

Nós também precisamos de coragem, pois em nossa peregrinação rumo ao Futuro, há obstáculos incontáveis, conhecidos e desconhecidos. Ao estabelecermos objectivos elevados ou sermos chamados a desempenhar uma grande tarefa, precisamos estar dispostos a pagar o preço. Isso requer coragem!

malangatana2.jpg Sempre haverá situações, ou mesmo pessoas e governos que tentarão fazer-nos fugir ao dever porque tal coisa, tal procedimento, não nos parece justo! Permanecer firmes no posto e cumprir nosso dever até o fim é uma atitude que também exige coragem.

A alegria das conquistas e a paz da consciência da missão estão reservadas somente aos corajosos. Precisamos dela para contrapor com o “assim diz o Senhor Ministro” ou "assim fala o Presidente", na onda de descaso aos princípios que cada qual ache.

ÁFRICA1.jpg A "Natureza" é nossa fonte de coragem, afinal, a coragem que não resulta da certeza da presença dum qualquer Deus em que se acredite. No fundo sempre apelamos a Ele mas, o Ele estar connosco não passa de atrevimento e presunção! Pode esvai-se como o ar de uma bexiga tocada com um alfinete. M'Puto, aiué, diria minha empregada Mary, natural de Kampala...

Se pararmos para considerar nossas limitações diante dos adversários e obstáculos grandes ou minúsculos, certamente entraremos em desvantagem na luta. Nós só temos de fazer a nossa parte - ter o medo necessário, que se torna um aliado nesta dependência que por vezes, muitas vezes, nos leva a buscar a ajuda do meu tio, "O Nosso Senhor" - FORÇA!

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 11:48
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quarta-feira, 28 de Outubro de 2020
KALUNGA . XIII

MOKANDAS XINGUILADAS NO TEMPO - OS “NOSSOS” CÃES SELVAGENS…  

Crónica 3073 - Moçâmedes / Baía dos Tigres /Angola – 28.10.2020

- Xinguilar: Palavra angolana que significa entrar em transe em um ritual espiritual…

soba k.jpg As escolhas do Kimbo

Por:

tigres5  - Joáo sá Pinto.jpgJoão Sá Pinto

swakop6.jpg A primeira vez que ouvi falar na Baía dos Tigres, foi no início de 1960, em Benguela, quando ofereceram ao meu avô, um cachorro, que diziam ser da raça “Cão da Baía dos Tigres”. Veio numa caixa de madeira do leite “Nido”, trazido por um amigo do meu avô e que teria estado a trabalhar, como caldeireiro, nas pescarias da Baía dos Tigres e de Porto Alexandre. Contou-nos alguns factos sobre a Baía dos Tigres e esta raça de cachorros desconhecida para nós.

Algumas dessas coisas contadas, eram certamente exageradas, mas a convicção que na altura narrou os factos pareciam-me bem reais; dizia ele que: “estes cães vivem em matilhas, lutam com leões e hienas, pescam e bebem água do mar (*)”. Ao cachorro pusemos-lhe o nome de Leão, nunca lutou com os leões ou hienas e nem sequer foi à pesca. De uma bola peluda, resultou num belo animal de cor negra e de grande porte. Foi muito fiel aos donos, mas agressivo para com os estranhos, viveu mais de uma década, sempre num recinto fechado e só ao anoitecer era solto no quintal.

tigre01.jpg Fiquei com muita curiosidade em saber mais sobre estes animais, sobre os quais não se sabe bem a origem. Uma das teorias aponta para que uma embarcação de holandeses, vindo do extremo oriente, ali naufragou e os animais trazidos a bordo, incluindo cães de uma raça com características especiais, ali foram deixados ao abandono, evoluindo ao longo dos anos até a raça actual.

Uma outra ocorrência no início dos anos 1900 na cidade de Moçâmedes, quando de um grande surto de raiva, fez com que governador da cidade mandasse capturar todos os cães sem dono e deportá-los para a Baía dos Tigres, onde foram abandonados e que ao longo dos anos também poderiam ter-se adaptado às condições ali existentes. São apenas algumas das teorias sobre a origem desses animais por aquelas terras. Cerca de 1962 a baía, por erosão do seu istmo, separou-se do continente angolano, passando-se a chamar-se Ilha dos Tigres, a maior ilha angolana, facto que acentuou mais o isolamento dos animais que ali viviam.

tigre4.jpg Nunca estive na Baía dos Tigres, mas muitos anos depois de terem oferecido um cachorro de raça “Baia dos Tigres” ao meu avô e no cumprimento do meu serviço militar obrigatório, houve uma situação em que viria a recordar a Baía dos Tigres e também dos seus cães. Cumpri o meu serviço militar como oficial de engenharia militar na Direcção da Arma de Engenharia, ocupando o cargo de chefe de redacção do seu jornal informativo.

tigres6.jpg Tive como uma das tarefas atribuídas, escrever a história das companhias de engenharia destacadas nas guerras do ultramar. Tive acesso e li centenas de relatórios de comandantes dessas companhias, que actuaram na Guiné, Angola e Moçambique. Num dos relatórios de um desses comandantes, mencionava o facto de lhe terem atribuído a função de visitar vários pontos isolados de Angola, entre os quais a Baía dos Tigres. Como comentário final desse relatório, destaco a frase: “Estranha terra, esta, a Baía dos Tigres, onde os cães pescam e bebem água do mar (**), onde existe um hospital, uma escola e uma igreja, mas nem o hospital tem médico, nem a escola tem professor e nem a igreja tem padre”.

João Sá Pinto

tigres3.jpg ADENDAS

Adenda (*) - Teresa Sá: Numa explicação mais detalhada acrescento o seguinte: de menor densidade, as gotículas de água doce ou seja, o orvalho da noite (o nosso cacimbo) depositadas em noites sem vento na crista das ondas, permaneciam por algum tempo sem se misturar com a água do mar. Era assim, logo pela manhã, bem cedo que os cães se jogavam ao mar para matarem a sede. Eram um relógio da natureza bem intrincado! Acredito que, em noites de vento esse orvalho não se depositasse e, eles quebrassem esse ritual lambendo as pedras roliças impregnadas desse cacimbo. É realmente muito interessante e estimulante pensar-se em tudo isto.

CAUNI 2.jpg Adenda (**) - Nos anos 50, o veterinário Dr. Abel Pratas, após a escolha e captura de vários exemplares selvagens, obteve o apuramento e a estabilização de uma nova raça de cães que, mantendo a designação "Baía-dos-Tigres", foi registada oficialmente. Julgo que a raça já não existe por vários motivos, entre eles a descolonização. É possível que os cães dos Bóhers fossem da raça "Leão da Rodésia" (Ridgeback). Ver no Google em "Cães da raça Baía dos Tigres", na página "Gente do meu Tempo (Baú de Recordações) ". O texto é longo mas interessante.

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 17:19
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Março 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


MAIS SOBRE NÓS
QUEM SOMOS
Temos um Hino, uma Bandeira, uma moeda, temos constituição, temos nobres e plebeus, um soba, um cipaio-mor, um kimbanda e um comendador. Somos uma Instituição independente. As nossas fronteiras são a Globália. Procuramos alcançar as terras do nunca um conjunto de pessoas pertencentes a um reino de fantasia procurando corrrigir realidades do mundo que os rodeia. Neste reino de Manikongo há uma torre. È nesta torre do Zombo que arquivamos os sonhos e aspirações. Neste reino todos são distintos e distinguidos. Todos dão vivas á vida como verdadeiros escuteiros pois, todos se escutam. Se N´Zambi quiser vamos viver 333 anos. O Soba T'chingange
Facebook
Kimbolagoa Lagoa

Criar seu atalho
ARQUIVOS

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

TAGS

todas as tags

LINKS
PESQUISE NESTE BLOG
 
blogs SAPO
subscrever feeds
Em destaque no SAPO Blogs
pub