Quinta-feira, 4 de Março de 2021
MOAMBA . XLVII

PERICLITÂNCIAS DO DIA-A-DIA – 04.03.2021

Crónica 3122No chirilimlim governamental  

Por 

roxo91.jpgsoba24.jpg T'Chingange – No Algarve do M´Puto

Encostado ao frio, calorifico a tostar-me as matubas, orelhas enfiadas num carapuço cheio de ácaros que borrifam caspa nas sobrancelhas brancas e pretas, escuto o orvalho feito chuva miudinha pela janela virada ao sul, que jorra até mim uma luz mirrada de sol dissipando, o ar entre o miósporo, o loureiro do alemão da alemanha e a buganvília que sode desordenada pela alta parede amarela do carcamano.

Este familiar dum tal barão também veio do sul de Angola por via da guerra do tundamunjila; um bóher descendente desse herói barão vermelho, um tal aviador destemido da segunda guerra mundial chamado de Manfred Von Richthofen que tinha seu avião cheio de riscas – cada risco correspondia a um avião abatido. Quando candengue da Luua, lembro ler as odisseias desta figura com seu lenço vermelho a ondular fora do pescoço e saindo até, da carlinga dum teco-teco de duas asas…

dia206.jpg E, enquanto é dia e de janela aberta, aqui no Barlavento, vejo o gato branco grande, tisnado de sujo e gordo que em cima do muro, se aproxima cauteloso até ao granulado de carne e peixe com restos de comida que ali é posta, na fronteira entre o que é meu e dele, o carcamano da Chibia; dissimulado entre o verde do loendro e o muro branco, surge o bicho feito pai, leopardo sem pintas. E, para alimentar uma ninhada de gatos emigrantes nascidos à-toa entre os cocorotes amontoados na empena da encosta tardoz do alemão, dispus-me a comprar no Auxan pacotes de comida, pois então- um de carne, outro de peixe!

Esta ninhada de gatos, dois pardos e dois brancos, vigiados de perto pela mãe farrusca de parda, vão aparecendo quando calha. A noite chega com inúmeros relatos de televisão mostrando seringas de agulhas quilométricas a espetar carnes – a tal de vacina que preenche o espaço de notícias semeadas de poeiras pandémicas com os grilos do chirilimlim governamental que se enfolipam nas regras já muito dobradas em plissado… Cumcamano…

edu43.jpg Mais à noite chegam os debates de comenteiros mostrando as crinas e até rabos sacudidos com vários barulhos de boa goela dando-me vontade de rosnar. Assim, encostando o frio com a mão bem junto aos teodósios esfrego as frinchas abelhudas de frio com as pontas dos dedos gélidos práquecer … Chega a hora de ligar o ar quente do condicionado, regular para os vintiquatro graus e esperar que normalize o espaço grande da sala cheia de trecos, bem nos vinte graus Celcius; os outros quatro graus escapam-se pelas fissuras porosas, sei lá - desacontecem.  

Mesmo sem querer espiar, lá vejo os garganeiros esgadanhando-se ou bajulando suas traições com beijos felizes e, assim, fazendo-me representar em meus olhos, revejo o tempo em que tudo o era; antes de poder ver assim, já pressentia! Tudo vai ficar na mesma. Lá vem o Fulano que parecia ser homem de tão justa regra e, de tão possivelmente o parecer, não poupa ninguém na aprazível e escorregadia omissão…

dia35.jpg Esperto que ele, Suaexcelência (tudojunto), chegue no quanto baste, sem se separar da saudade da direita; sem sobejo de esfoço, fala sem mudança afiançando sua fé de promessa, mas escapando-se entra nos entretantos canhotos… Não me dá tranquilidade, juro por sangue de Cristo porque também sou cristão, o quanto baste e, para além do mais, já sou suficiente graúdo e manteúdo – quersedizer, crescido emancipado e à espera de ser vacinado. 

Isto é como o jogo do baralho “a pátria não pode nada com a velhice” como do gato e do rato. Sei que estou dizendo algo deveras dificultoso e muito entrançado na doença do toque. Ninguém me pergunte nada – coisas destas não se perguntam bem porque, quando tudo está muito mal, só pode melhorar. Pois! De costas guardadas, o poder de minhas rezas vão-me rendendo aos poucos feito favas contadas entre o madrugar e o anoitecer.

DIA199.jpg Gato, mesmo tisnado ou queimado de água fria tem medo. Estou farto de ser mandado daqui para ali como se fosse uma criança de colo perdido do pai e da mãe. Pópilas! Quem é pobre pouco se apega a este continuo ver anoitecer sem amanhecer ou no vice-versa, chato de andar ao trambolhões, contando o sombrio das coisas. É e não é, num xissa, que enfim lá teremos de continuar comento pão com chouriço. Assim mesmo, o espaço é tão clausurado que assim pode acontecer, no sussurro da meia-noite, pode perfeitamente às nove horas, vir o diabo lamber o prato do gato…

O Soba T´Chingange

 



PUBLICADO POR kimbolagoa às 19:58
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2021
KANIMAMBO . LXXII
TEMPOS COM FRINCHAS - 22.02.2021
- Deixar para amanhã o que pode ser feito hoje é um traço comum da natureza humana...
Crónica 3118 - “Hoje” - É a VIDA com fé.. COM OU SEM VACINAS. O HOJE, NÃO VIRA AMANHÃ... No tempo, o TEMPO, pode fazer a diferença...
Por 

t´chingange2.jpg T'Chingange -No M´Puto

Em tempos, um turista visitou o campo da batalha de Waterloo, com um velho guia. Chegando ao local do centro da batalha, o guia indicou o muro que protegera a velha guarda de Napoleão, o fosso onde se esconderam os mosqueteiros de Wellington e o poço em que foram lançados os corpos mortos. 

  Perguntando ao guia de que direção haviam vindo as tropas em socorro dos aliados, o guia apontou para uma estrada no cimo de uma colina distante e exclamou: Foi dali que ele surgiu, às QUATRO horas da tarde! Voltando-se para a colina oposta, afirmou: E, foi ali que Jerónimo, o artilheiro, devia ter plantado seus grandes canhões, às TRÊS E MEIA . Então, maldizendo o artilheiro Jerônimo, murmurou: “Tarde demais, tarde demais, e perdida estava a França.”

  Esse foi o descaminho em que se perderam a fama, as fortunas e a vida ao longo de todos os séculos; por meia hora... “Tarde demais, tarde demais.” Deixar para amanhã o que pode ser feito hoje é um traço comum da natureza humana. Nos domínios espirituais, isso pode ser fatal - tudo pode mudar em um segundo...

Uma senhora que por muitos anos não estivera na igreja ouviu um sermão evangelíco, e o Espírito impressionou seu coração. Imediatamente reconheceu seus pecados, que eram muitos, e se prostrou para orar. Uma senhora crente, a seu lado, orou com ela e a encaminhou ao Salvador. Ela aceitou o sacrifício de Jesus e foi para casa convertida.
  À saída, ela disse à sua amiga cristã: “QUEM ME DERA TER UMA BÍBLIA !” A senhora, que era enfermeira, deu um exemplar a ela, no qual havia escrito Lseu nome da enfermeira.
No dia seguinte, quando atendia os doentes no hospital, alguém a informou de que na véspera houvera um caso grave: uma senhora tinha sido atropelada por um camião e morrido. E, o curioso, disse a informante, É QUE ELA TINHA UMA BÍBLIA COM SEU NOME.
  Ela disse qualquer coisa antes de morrer? perguntou a enfermeira. “SIM ”, foi a resposta. Ela disse "GRAÇAS A DEUS PORQUE ISSO NÃO ACONTECEU ONTEM !" Em resumo: somos uma ilusão; em um segundo somos e em um OUTRO segundo, deixamos de o ser - É a VIDA com fé.. COM OU SEM VACINAS. O HOJE, NÃO VIRA AMANHÃ... No tempo, o TEMPO, pode fazer a diferença...
O Soba T'Chingange


PUBLICADO POR kimbolagoa às 19:55
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 18 de Fevereiro de 2021
MISSOSSO . XXXIX

DO TITANIC AO NIASSA

Crónica 3116 - Kifufutila - Quarta-feira de Cinzas, 17.02.2021

- O poder da oração é importante! Kifufutila é farinha de mandioca grada, com açúcar...

Por   tonito15.jpgT'Chingange. No AL-Gharb do M'Puto

 titanic.jpgNo dia 10 de abril de 1912, ainda eu nem era projecto de vida, o famoso navio TITANIC partiu da Inglaterra para Nova Iorque. Era sua primeira viagem, e ninguém imaginava que também seria a última. Os técnicos estavam enfeitiçados de auspiciosos poderes e, as gentes assombradas com tanto avanço tecnológico, quase adorando o mostrengo bonito...

Em 14 de abril, às 23h40, o navio chocou-se contra um bloco de gelo, um iceberg desgarrado da grande calote gelada do Polo. Abriu-se um enorme buraco em seu casco, e a embarcação começou a afundar lentamente. De repente, desapareceu nas águas frias.

titanic2.jpgMais de 1.500 pessoas morreram naquela noite; pude ver no filme as aflições, um ai-jesus de quem nos acode. Posso imaginar o cagaço meu, caso lá estivesse e, do quanto seria difícil ter os zingarelhos todos cientes e bem definidos nos estralhos dum cérebro em aflição aflitiva... Às vezes os sonhos andam por perto...

O coronel Archibald Gracie era um dos passageiros. Sua esposa o aguardava a milhares de quilómetros do local do acidente. Porém, naquela noite, ela não conseguia dormir. Uma estranha sensação pairava no ar. Por isso, resolveu orar, mal sabendo que seu esposo lutava entre a vida e a morte nas águas do Atlântico Norte.

modas4.jpg Finalmente, a senhora Gracie sentiu paz. Mais tarde, ela disse: “Foi como se os braços de Deus me envolvessem. Voltei para a cama e dormi.” Naqueles momentos, quando o coronel pensou que ia morrer e, sem forças, já estava desistindo de lutar, quando um barco salva-vidas apareceu, como se viesse do nada.

Em desespero, ele agarrou-se ao barco e sentiu braços fortes a puxarem-no para dentro. Deus responde às orações de sua esposa. Feliz é a família cujos membros oram uns pelos outros. A oração intercessória é bíblica. Quando fui para a guerra do Massabi e Miconge do Maiombe de Cabinda, minha mãe Arminda Topeta, colou uma lengalenga responso dirigida à Nossa Senhora do Parto e, os mistérios, foram acontecendo. Eu, lá na Luua, desconhecia!

ISI0.jpg Em verdade, tenho andado um pouco esquivo a isto mas, desde que ressuscitei na Curva da Morte em Kaluquembe, na Guerra do Tundamunjila de Angola, por via de uma armadilha montada em meu Renault "major", fiquei enkafifado nestes mistérios misteriosos.

Refugiando-me no porão do NIASSA... Posso agora ver o galo pintado no capot do carro que ficou em cinza de churrasco mas eu, só pude ver mais tarde essas cinzas. Até o macaco se fundiu em nada! Isto, foi visto já com a clavícula atada ao peito e, ao jeito do Dr. Roy Parson e filho David, da Missão do Bongo no Kipeio, Longonjo, do Huambo...

Os anjos e arcanjos perseguem minhas alvíssaras e, a miúde, belisco-me, para confirmar que dói; ando por isso e, desde então assim a modos de acreditar em milagres e, desta feita acho que acreditar na fé é coisa supranumerário que nos  transcende...

REPU6.jpg  Paulo, o apóstolo, acreditava na oração. Ellen White também acreditava no poder da intercessão. Ela nos incentivou a orar mais ao escrever: “Não apreciamos como devemos o poder e a eficácia da oração. A oração e a fé farão o que nenhum poder da Terra conseguirá realizar!” (A Ciência do Bom Viver, p. 509).

Mesmo os ateus, agnósticos, semterra e, semnada mais derivados, quando se sentem à rasca dizem: "Valha-me Deus". Por vezes são ouvidos mas, por vezes a sorte passa ao lado, porque decerto as minudescências esdrúxulas do seu cerebelo entopem-lhe a visão estereoscópica. Assim sua dimensão 3D fica disforme porque as fotos não emparelham na perfeição...

Pelo sim pelo não ando calculando minha visão ortogonal para que as t'xipalas não saiam muito distorcidas, meto um calço de cortiça nos óculos de tartaruga, bifocais, adstringentes e antinuvem para ver as fosforescências colaterais. Um espectáculo, como diz meu amigo SP do Cafumfo de cima...

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 08:10
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Terça-feira, 16 de Fevereiro de 2021
XICULULU . CXXXII

VÍRUS COVID19-SARS16.01.2021

Crónica 3115 - NA DESCOBERTA FUI ATÉ WIKIPÉDIA...

Xicululu: - Olho gordo; Havareza

Por soba15.jpgT´Chingange - No Al Gharb do M´puto

ET2.jpg Pude ler que já estamos a viver no FUTURO. Que este VÍRUS MUTANTE, pode ser ALIANIGENA, um mecanismo preliminar de nosso salto genético espacial. Partir a gente feitos pedras parideiras exige especial atenção para descortinar os pensamentos de querer fazer rebelião como algo inerente às "torpes" eficácias cientificas e também duma covarde gravidade vinda de GOVERNANTES - gente igual a nós.  Não podemos condescender com aqueles que bestializam a cultura e o conhecimento, elevando-a de parvidades nem consentir com tolices ou pecados, por assim andarmos cativados numa burlesca depravação e também enfrascados numas quantas hipóteses de vontade libertadora...

step6.jpg Li que, somos um projecto de bioengenharia e, que tudo começou algures há 75 mil anos atrás, muito antes de Cristo surgir e, muito antes de quando saímos das algas como micróbios alienígenas. Deve pois, ter sido a cauda de um cometa ou meteorito a espargir pelo globo Terra estes organismos gelatinosos, unicelulares como TARGIGRADAS, viajantes espalhando-os no globo Terra, aleatoriamente. Afinal, os peritos da OMS que foram a "WUHAN" recentemente - Janeiro de 2021, vieram cheios de NADA...

haida art.jpg São 800 milhões de vírus vindos do espaço a cair na Terra que nos alteram ou corrigem moléculas que eventualmente provocaram a morte de 20 milhões de pessoas aquando da gripe de 1930 - espanhola"; ninguém certificou ainda os vírus do ÉBOLA, da doença das VACAS LOUCAS, PESTE NEGRA e até à doença das GALINHAS a que chamam de SARS. A PANSPERMIA sideral talvez explique isto que nos trás ASSUSTADOS mas, em verdade somos hospedeiros de ADN's em mutação virótica que resulta da nossa história evolutiva - que sempre daí resultou.

NA PESQUISA WIKIPÉDIA...    PANSPERMIA explica a hipótese de que a vida existe em todo o Universo, distribuída por meteoros, asteróides e PLANETOIDES. Ela propõe que seres vivos que podem sobreviver aos efeitos do espaço, ao estilo dos EXTREMÓFILOS ou TARDÍGRADOS, ficam presos nos escombros que são ejectados ao espaço ou por colisões entre pequenos corpos do sistema estelar e planetas que abriguem vida, ou mesmo por catástrofes maiores de natureza similar. Os TARDÍGRADOS ou similares viajariam dormentes nos destroços por um longo período de tempo antes desses colidirem aleatoriamente com outros planetas ou misturarem-se com discos protoplanetários de outros sistemas estelares. A hipótese da PANSPERMIA cósmica é uma das hipóteses acerca de como surgiram as primeiras formas de vida no planeta Terra. Essa ideia surgiu pela primeira vez no século V a.C., na Grécia, remontando a autoridade a Anaxágoras, e foi colocada novamente em evidência no século XIX por Hermann von Helmholtz, no ano de 1879.

kimbo4.jpg A hipótese baseia-se na ideia de que a vida foi trazida à Terra do espaço em meteoritos que abrigavam formas de vida PRIMÁRIAS. Cientificamente, já foi encontrada matéria de natureza orgânica em METEOROIDES e METEORITOS; e de que há organismos microscópicos conhecidos suficientemente resistentes para, em hipótese, suportar uma viagem espacial até a Terra, mesmo considerado que as condições que esses teriam de enfrentar sejam as mais extremas já cogitadas. O DESCRÉDITO da teoria da PANSPERMIA atrela-se sobretudo ao facto dessa hipótese simplesmente transferir para lugares remotos do universo a questão sobre a abiogénese química da vida; ao passo que, factualmente verificável, tem-se ciência de que a vida desenvolveu-se e prosperou, até o momento, apenas na Terra.

fig3.jpg Embora a existência de vida extraterrestre possa cientificamente ser cogitada, creditar de antemão a origem da vida a fenómenos que ocorreram fora do sistema solar transcende a realidade factual actual. Os resultados científicos até hoje alcançados transferem à Terra os mecanismos responsáveis pela origem e evolução da vida conforme definida e conhecida... A hipótese científica aceita actualmente atrelar-se à abiogénese química terrestre da vida; essa suportada em limite cronológico anterior pelas experiências de OPARIN e HALDANE e teorias derivadas, como a teoria do mundo do ARN, e em limite cronológica- mente posterior - "convergência da árvore da vida a um ponto e pela teoria da evolução biológica como um todo", onde a realidade factual actual.

Nota: T: De T'Chingange; W: de Wikipédia

Do Soba em Algarve do M'Puto

 



PUBLICADO POR kimbolagoa às 20:20
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 14 de Fevereiro de 2021
MALAMBAS . CCLIV

MOMENTOS CRITICOS - Boligrafando estórias na cor de “vamos que vamos, com urtigas”

Crónica 3114 - Nos intervalos da vida, durmo! 14.02.2021

MALAMBA: É a palavra.

Porsoba0.jpeg T´Chingange – No Al-Garb do M´Puto

urtiga3.jpg Dos guarda-chuvas da vida ocorrem saudades do passado com noites interrompidas a miúdo, gotejando a cada duas horas pedacinhos de máquina envelhecida. Os sonhos variados oscilam entre os pesadelos para os socorrer de alertas com posturas oleadas em velhos esqueletos, pois! Limpei o quintal sombrio do lado tardoz, uma parte muito cheia de urtigas; aproveitei assim tanta fartura a pensar fazer daqui uma sopa e um esparregado pelo que busquei na internet a forma de faze isto. Dito e feito mas, com luvas.

E, como tinha já três pequenos sargos a descongelar, achei que este pitéu ainda desconhecido seria uma boa ideia. Acrescento que neste sector posterior, a sombra é muita pois que o meu vizinho alemão Fritz Von Richthofen plantou árvores gigantes pelo que sua casa também tapa o sol do lado sul e, de uma forma mais drástica quando este vai baixo durante o inverno. Por verificação notei que só se dá ali batata-doce de verão e urtigas de inverno devido à grande humidade.

urtigas2.JPG Condicionado ao muro e alçados crescidos do meu lado Sul, vejo-me assim na contingência de aproveitar tanto as urtigas viçosas e a rama de batata-doce para fazer cozinhados, pois! Ter um jardim é a possibilidade de enfiar as luvas na terra para atenuar a prisão caseira por cautelosa do confinamento, revirar uns quantos caracóis e espezinhar lesmas para deleite das gralhas e charnecos que depois as vêm comer.

Charnecos que pululam aos pares grinfando e gralhas em bandos que grasnam entre o loureiro do carcamano Fritz e a manjedoura bem por debaixo da minha anoneira. Foi aí que situei uma gamela aonde coloco comida granulada para gatos. Bem ao lado tem um bebedouro e, assim sucede que gatos avulsos e alheios se habituaram a comer de borla por conta do meu erário. Um destes dias os passarocos de tanto comer granulado de gato, irão miar…Um espectáculo!

urtiga4.jpg Para além da bexiga nada mais me dói; hão-de vir dias melhores, creio! Apanhar a vacina lá para o mês de Julho na melhor das hipóteses e, depois, marcar passagem para o outro lado do Atlântico, visitar o Caminho de Moisés a norte de Maceió, percorrer a marginal Norte até poisar em Porto de Galinhas depois de admirar o mar esmeralda de Maragogi e, ou o azul das enseadas mais profundas. Por ali ficarei matando saudades, comendo sarapatel e caldinho de feijão com iguarias de cirí.

A maior ansiedade vem da necessidade de mudar de roupa sempre que se sai para ir fazer compra ou fazer outra qualquer tarefa, resvalar de lado na amizades oscilando um longínquo olá, originando afectos curtos em distanciamento na forma de baralhar um incerto futuro. Minha mulher retoma ao croché, faz bordados e tricotei-a o futuro; nos intervalos admira da janela o gato branco e o malhado, maldizendo o gatão branco que vem de mansinho roubar a comida gourmet na forma de espinhas  e molhos escalfados nas misturas de sobras.

urtigas1.JPG Começo a ler e, passada umas páginas já me esqueci do que ficou para trás, as coisas descontinuam, volto de novo relendo o debruço de vazios, podendo assim aferir a alma que se obtém do corpo. E, agora vamos ao trabalho das urtigas: Como planta urticante teremos de usar luvas para evitar o efeito urticante de suas folhas. Ela tem propriedades medicinais para além de ser comestível e, até de alto valor nutricional e culinário; a humilde urtiga está aí à nossa disposição, gratuita, neste ano em que a muita chuva permitiu o seu desenvolvimento pleno em belos exemplares que só esperam que os colhamos e os transformemos em iguaria, noé!

Ingredientes: Folhas de urtiga; Azeite; Alho; Farinha (maizena, ou fubá); Sal e pimenta; Vinagre ou sumo de limão. Preparação: Apesar de muitas técnicas retiram-se as plantas com folhas mais desenvolvidas e finas, de preferência antes de terem as inflorescências formadas. A única parte que se aproveita da urtiga, para fins culinários, é a folha, já que os caules são fibrosos; a primeira operação após a colheita será portanto separar as folhas dos caules, o que deverá fazer ainda com luvas. Lavam-se as folhas e escaldam-se de forma repentina em água a ferver temperada com sal.

urtiga5.jpg Esta operação provoca uma diminuição surpreendente e instantânea de volume (pelo que a colheita deverá ser grande), ficando as folhas escaldadas e escorridas e, inofensivas param a pele, podendo a partir de agora ser manuseadas e ingeridas sem qualquer problema. Esta primeira fervura rápida, dito “branqueamento”, remove também um travo a “chão” podendo usar-se para recheios, em sopas (como se de nabiças se tratasse) ou em esparregado que, é a forma em que a urtiga revela todas as suas potencialidades gastronómicas.

Depois de bem escorridas as folhas, corte-as fino, deixe escorrer mais um pouco e leve-as ao lume em azeite com alhos picados. Envolva bem, deixe cozinhar por um ou dois minutos e ligue então com uma colherinha de uma farinha ou fécula. Tempere com sal e pimenta e acabe com um golpe de vinagre ou sumo de limão. O esparregado tem um aspecto fantástico, semelhante ao esparregado de nabiças, o meu preferido. Bom! Comi e até que gostei…

O Soba T´Chingange    



PUBLICADO POR kimbolagoa às 22:20
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

FRATERNIDADES . CXXXI

NAS FRINCHAS DO TEMPO - 14.02.2021

Crónica 3113 - Serviço voluntário - um DOM necessário nos dias que escorrem...

Por 

 soba001.jpgT'Chingange - No Al Gharb do M´Puto

lobo1.jpg Felizmente, estamos hoje e por via da COVID vendo gente trajando vestes brancas e, como médicos, enfermeiros ou auxiliares aí estão salvando ou tentando salvar um semelhante. Vemos isto desde o romper da alvorada até de novo, nos deitamos... O voluntariado valoriza o currículo de qualquer pessoa. Normalmente as empresas apreciam essa característica, pois evidência responsabilidade, iniciativa, disciplina e trabalho em equipa. O país agradece...

Em geral, quem é voluntário é dedicado e, se não vive em busca de aplauso ou tem outra coisa em mente como servir-se disso para obter benefício, será sempre louvável. Alguns nasceram com o dom de servir. Acordam todas as manhãs esperando a oportunidade de ajudar alguém. Essas pessoas não precisam de chantagem emocional ou pressão para fazer o que é necessário. Bem-haja!

luis44.jpg O envolvimento é natural. Em sua maioria, os voluntários são amorosos, colaboradores, prestativos e gentis. Por norma é a força da Igreja que está no voluntariado e, isso é bom. Tendo Jesus como modelo, trabalham com dedicação, prontas para arregaçar as mangas e servir em seu nome. Mas, até pode ser por Buda, por Alá ou o que lhe aprouver...

Mesmo que não seja algo natural para você, quero desafiá-lo hoje a fazer algo por alguém. Você tem dons e habilidades - use-os em favor das pessoas que estão à sua volta. Existe muita coisa a ser feita, e seus talentos, podem certamente ser bem úteis.

jatiu3.jpg Peça a si mesmo para abrir seus olhos e, ver as necessidades dos outros. Sempre é tempo de fazer um novo começo. Não espere ser nomeado para servir; o espírito de serviço quer-se voluntário. Aliste-se nesse exército, tornando o mundo um lugar melhor para se viver. Ajude pessoas a serem até capazes de sonhar. Ensine alguém a sorrir ou fazer palavras descruzadas e até fazer notar as diferenças numa foto...

Feliz semana!

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 19:10
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 8 de Fevereiro de 2021
XICULULU . CXXXI
O DESERTOA , a IMPUTABILIDADE  e a COVID
Crónica 3112 - Domingo 07.02.2021
Por soba24.jpgT´Chingange, no Barlavento algarvio do M´Puto

nauk2.jpg Não sei se você já esteve num deserto. Eu estive e não desgostei mas, ia rodeado de mordomias, água fresca da caixa térmica, coca-cola, cervejas, frutas e sorvete feito gelado ou baleizão como sempre chamei quando ainda estava na Luua de Angola. Mas, diga-se que é um lugar solitário, árido, amedrontador até, se não tiver as condições de como sobreviver. Areia por toda parte, sol inclemente, calor sufocante, paisagem desolada; o deserto é terra de abandono e morte. É preciso ter espírito de beduíno, couro de lagarto ou “tanque” de camelo para sobreviver na imensidão do nada, sem oásis e sem água.

nauk3.jpg Por défice de humidade, perdendo mais água do que recebe, os desertos ocupam um terço (33%) da superfície da Terra; genéricamente, os desertos não têm vegetação suficiente para sustentar nossa vida. Os Coisans, Bosquimanos, são o único povo que conseguem ter algum modo de vida no Calahári, lugar aonde também andei, calcorreando... Em geral, são lugares desabitados. A própria palavra deserto, originada do latim desertum (“lugar abandonado”), foi utilizada durante muito tempo para descrever uma área despovoada. Mais recentemente, o termo ganhou a conotação de aridez.

nauk7.jpg Em nossa vida, muitas vezes enfrentamos o deserto, longe da família ou parco de outros recursos que nos trazem comodidade. Fora do espaço familiar e adentrado num proceder desconhecido, sente-se inconformado, abandonado, descartado, CONFINADO. Mas, o deserto pode ser a espera por um emprego, o estar fechado em casa, a espera de um resultado de um exame médico, a conta bancária no vermelho ou a rotina vazia esperando a VACINA ANTI-COVID. Uma depressão paralisante, um PESADELO como quem está num deserto em abandono. Desertos existenciais são diversificados e preparados para testar todos os tipos de pessoas sem ter em conta a posição social, sua cor ou credo com algumas excepções. E, é no DESERTO, que você percebe seus limites, desconfia de sua integridade, apercebe-se de sua fragilidade, reconhece seus fracassos e enfrenta a tentação de furar a sorte.

nauk13.jpg Que até luta com Deus, desafiando o diabo e, descobre uma força que não conhecia: -retirar a hipótese de vida a um outro desviando o quinhão de vida de outro ALGUÉM. Neste estado catafórico, perde até as ilusões de ser purificado na vaidade ou destreza saindo-se com uma nova visão da vida, furtando-a ao próximo... Afinal qual é o seu DESERTO ? Você também acha que o deserto é apenas uma boa paisagem para criar um oásis!? Ou acha que é o lugar para descobrir que você é menor do que pensava e que Deus, é maior do que você imagina. Que afinal a tal de IMPUTABILIDADE é falival,  porque só é uma lei feita à medida para uns que se julgam ser!? Não se esqueça destas debilidades...

O Soba T'Chingange


PUBLICADO POR kimbolagoa às 13:15
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 6 de Fevereiro de 2021
KANIMAMBO . LXXI

REGRAS DE VIDA – O TESTEMUNHO da CONSCIÊNCIA - 05.02.2021

Crónica 3111Kanimambo é obrigado em dialecto Changana de Moçambique

Por soba24.jpg   T'Chingange  No Barlavento do Al-Garbe do M'Puto

 dia123.jpgComo é!? Como foi? Hoje mesmo, não estou para ter confiança nenhuma em ninguém – Eu explico: Assim, sem mais de pensamento, sem até ter substância narrável, ouço o que não quero ouvir, leio o que nem quero ler e num cala a boca, desconcentro-me em trapalhadas governamentais. Amiudadamente encontro gente que diz confiar na própria consciência. Quase sempre, quem diz isso, nem mesmo sabe o que é isso de consciência. Ela, a consciência, é um impulso interno que nos dá a percepção do que está acontecendo à nossa volta.

arau44.jpg Com tão grossa PANDEMIA o todo confunde o tudo e, sem querer ferir susceptibilidades, mantenho minha fraca esperança sem conformes, nem outro nenhum decente fingimento. Com tanta sirene de ambulâncias, meus beiços, desconfio que já nem sei se dão para os fazer assobiar... Deveria mostrar que as exigências da Lei estão gravadas em meu consentimento - deveria! Mas, também aqui a consciência me barafunda os pensamentos e, ora os defendo, ora os acuso. Afinal, a consciência que é a nossa base de dados interna, baralha-me na tomada de decisões... Em Outubro do ano findo telefonei vezes sem conta para o Registo Civil por via de renovar meu passaporte. Levou quase quatro meses para ir ao aprazado agendamento e levou mais um mês para me entregarem o dito cujo.

dia69.jpg Marquei passagem, anulei, adiei e, mala feita, não senhor! Voos cancelados. Os espaços de tempos ficaram calados num fica assim-assim, como jogo de baralho. Nisto e aquilo, a questão é, o quê- quiékie!? Qual é mesmo, a fonte que está alimentando nossa consciência? Coisa nebulosa. A consciência testemunha nossas acções e as expõe, avaliando-as com base em seus critérios éticos, noé!? O que faz uma testemunha? Ela conta o que viu e ouviu. A consciência ora acusa, ora defende. Ela nos acusa quando fazemos algo errado. Pois sendo assim, estou todo eu no gerúndio dessa palavra: “testemunhando” com a língua agarrada aos dentes, rilhando...

DIA 157.jpg Nossa consciência não é infalível. Ela pode estar errada; pode também endurecer. Ah hó xíí, poispois... Quem assim procede fica sábio no gerúndio, com a intenção de mostrar que ela está activa o tempo todo - desconfiando... Para cada indivíduo, a função da consciência depende, em certo grau, de sua experiência, maturidade e, principalmente, da quantidade de verdade que está guardada em sua mente. Portanto, nosso maior desafio é fornecer à nossa mente informações verdadeiras nas quais ela se possa basear. É aqui que nossa regra de fé entra em prática para definir CONFUSÃO. Sem ela, a FÉ como um suplantado padrão, a consciência pode se perder nos descaminhos deste mundo. Pelo sim, pelo não, passei a andar com um ÁS DE PAUS no bolso direito. Falei!

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 13:17
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sexta-feira, 29 de Janeiro de 2021
FRATERNIDADES . CXXX





Por mais longo que seja o tempo de INCERTEZAS, haverá sempre um oásis para o qual seremos encaminhados sob a nuvem...

Cronica 3107 - Não virá mal ao mundo pensar assim... 29.01.2021

Por  T'Chingange - no Algarve do M'Puto -----------------------------------------------------------------------------------Será mesmo assim o que se diz: Atrás das nuvens, o Senhor trabalha em nosso benefício. É que, de acordo com o imaginário popular, “anda nas nuvens” quem devaneia, sonha com o impossível ou se permite embalar no auge de uma experiência feliz.

Pelo meio da manhã, céu escuro de encoberto, minha primeira providência é abrir a janela do quarto, mais da sala, deixando o ambiente mais iluminado. Saudar o loureiro àrvore do alemão, com um Guten Morgen À tarde, nos dias de sol, solto a franga e ali fico esparramado na açoteia vendo as lonjuras e a Serra de Monchique por um canudo.

  Hoje está tudo tapado, sem nuvens, só cacimbo cerrado que nem dá para ver o mar, Lagos e Portimão. Os apitos dos barcos ouvem-se roucos. Com esta confinacâo seria bom termos Sol para espairecer nosso mofo acumulado um pouco por todo o corpo e, até nos labirínticos pensamentos do cerebelo mas, manda quem pode! ...

Nuvens são objeto de inspiração para artistas, fotógrafos e gente que poetiza. Gostamos de admirar seus diversos formatos, sua brancura e seu deslocamento no espaço mas hoje dia 29, malé, não há sonhos de kukia nem vistas de assombracões. Só mesmo humidade que penetram nos fundilho do tornozelo como se o foramos presos e, da paciência, também...

  Eu sei! Sem nuvens, não há neve, relâmpagos nem arco-íris. Elas realçam a beleza do pôr do sol e estão presentes nas mais belas paisagens. Apesar disso, quando trazem fortes tempestades, uns colhem graves prejuízos, outros armazenam água para o restantes dias do ano... NATUREZA é isto mesmo.

As nuvens são muito importantes para o equilíbrio da vida no planeta, sendo responsáveis pelo ciclo da água e pelo clima; portanto, fundamentais na meteorologia. Há muitas referências bíblicas às nuvens mas, não vou por aí senão ainda chovem santinhos no meu quintal...

  Mas, lá terei de relembrar que Deus acompanhou Moisés na descida do morro feito nuvem negra quando promulgou o Decálogo, garantindo assim estar a seu lado nessa tal de "nuvem escura”. Embora eusinho, tivesse visto no filme dos 10 mandamentos serem labaredas de fogo a cortar rocha.

Há outros textos nos quais a glória divina aparece velada por uma nuvem, em benefício do povo pecador. Essa é uma lembrança apropriada de que às vezes somos impedidos por “nuvens” de ser aquecidos e iluminados pelo Sol da existência. Será que esta realidade é comum em um mundo imperfeito? Essas “nuvens” parecem esconder de nós o Senhor que se diz sempre trabalhar em nosso benefício.... As amendoeiras florescem - aleluia...

O Soba T'Chingange







PUBLICADO POR kimbolagoa às 18:39
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quarta-feira, 13 de Janeiro de 2021
MUJIMBO. CXVIII






A Palavra do dia é MEDO – (11.01.2021) -13.01.2021

Crónica 3100

Por: T'Chingange

  De acordo com o dicionário, um dos significados de medo é o de sentimento de inquietação com a ideia de um perigo real ou aparente. Estando eu na guerra, algures nos anos de 1967 e 1968 em Cabinda, por via de uma emboscada na Curva da Morte da Serra de Massabi, senti esse tal de medo, suava de frio em um calor tórrido. Foi uma emboscada na qual houve duas mortes, um cabo e um furriel. O Rodrigues que nunca saía porque seu lugar de vago-mestre estava ocupado por um segundo sargento do quadro e, logo nesse dia, escolheu ir fazer o reabastecimento ao Belize, sede do Batalhão - morreu.

:::::

Mas, por que carga de azar Rodrigues, sobrinho do Cardeal de Lisboa e, com o mesmo nome, foi querer passear a ver o verde do Maiombe para espairecer a vida entre o verde escandaloso desta grande mata. Ele que nunca saía do quartel do Miconge - Posto Administrativo de Tando Zinze... NÃO! Não era o seu dia de vida... Um tiro varreu-o prá morte... E, eu pergunto a quem nunca pegou num fúsil ou canhângulo: Já se sentiu, ou sente medo de algo? Uma coisa muito importante que nunca nos devemos esquecer, é de que quem nos fez e, quem fez o Mundo com tudo o que nele há, foi meu tio Nosso Senhor a quem chamam de Deus. Mas, pelo facto de ser seu sobrinho não me livrarei de ter o meu fim tal como o teve o Furriel RODRIGUES sobrinho do Cardeal...

  Bom! Não temas, porque sou teu primo e, não te assombres, porque eu só sou teu familiar. Posso até fortalecer teu carisma, ajudar-te ou, e até sustentar-te com a minha justiça mas, teu destino só será teu, inserido na justiça da natureza. Natureza aonde tudo que nasce, um dia, falece... Recordar aqui no meio desta morbidez, que o termo de serem “felizes” é uma tradução inadequada da palavra (malambas) oriunda do grego - makarios. Essa expressão é traduzida em português de várias maneiras, incluindo “bem-aventurados” (ARA, ARC, NVI) para além do “felizes” (NTLH, BV). 

:::::

De vez em quando, ouço pessoas, adultas anunciarem seu desligamento das redes sociais a fim de o serem, "mais felizes". Algumas descobriram que o tempo gasto na internet roubou delas porção ainda mais preciosa, que deviam empregar em comunhão com a Natureza, pois então... A maturidade sedo ou tarde, chega! Actividades mais frutíferas para si mesmas, para os semelhantes e para a eternidade, não se cumpre por omissão. Um deixa para lá porque Roma e Pavia não se fez num dia... Andamos a emancipar-nos agora neste inicio de 2021.  Não se diz vulgarmente: Ele ou ela já é maior e emancipado! Pois agora irá ser vacinado... Fica completo o circulo, noé!...

   Existe a ideia de que crentes em Jesus devem ser felizes, pois são cidadãos do reino de Deus, o Nosso Senhor, meu tio. Pois vos direi que o meu outro tio, que já faleceu (faleceram ambos...) tinha a alcunha de Cristo! Sentirmo-nos tristes ou felizes é um estado subjectivo. Isto é, felicidade é como nos sentimos, noé! A vida dum cristão não pode ser fundamentada em algo subjectivo. Enquanto existe a consciência de que posso ser feliz por causa dessa paz de coração, a bem-aventurança é mais do que felicidade.

Amanhã, é outro dia!

O Soba T'Chingange












 

















 







 





PUBLICADO POR kimbolagoa às 18:46
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Terça-feira, 12 de Janeiro de 2021
MUJIMBO . CXVII

ANDAR EM VÃO SEM PULAR - Crónico nº 3099

- Se o teu pé te faz tropeçar, corta-o... Um exagero feito forma de falar... Lá para Junho de 2021 seremos todos vacinados - 12.01.2021

Por: T'Chingange – No M´Puto do Al-Garbe

:::::1

A vida humana é frágil como uma flor. Hoje é, amanhã não o é mais. Como um capim murcha como qualquer erva do campo; desaparece como uma nuvem que o vento leva; tem frio com um vento polar e calor num anticiclone. Somos o que somos... Ainda hoje tive de meter um dedo de cada mão, o indicador da esquerda é o médio da direita em água bem quente, suportando os graus elevados porque surgiu uma dor de frieira entre a unha e a carne.

:::::2

Poderia ter ido ao quintal sombrio recolher umas urtigas, macerá-las e, usar seu líquido para passar este desagradável efeito de inexplicável dor mas, desta vez usei o plano B pois tenho-me dado bem em infecções superficiais. O homem do campo ara a terra e planta a semente mas, se não fizer sol e cair chuva, de que servirá todo esse trabalho? A natureza é a verdadeira sentinela que faz acontecer e desacontecer. “Sou o rei do mundo, sou o maior”, gritava o jovem boxeador no dia 25 de Fevereiro de 1964;diante das câmaras de TV no quadrilátero do Miami Beach Convention Hall, congratulava-se

:::::3

Mohamed Ali acabava de se tornar campeão dos pesos pesados com apenas 22 anos. “O mundo inteiro está a meus pés, escrevam isso”, disse ele aos jornalistas. E era verdade! Naquele ano, o mundo inteiro estava a seus pés. Mas, em 1996, o mundo inteiro viu o mesmo Mohamed Ali, por ocasião das Olimpíadas de Atlanta, enfraquecido; mal conseguiu acender a tocha olímpica. Evidentemente, não o era mais "o rei do mundo” nem o “melhor”. Estava envelhecido e deteriorado pelo mal de Parkinson.

:::::4

Pense grande; olhe longe; trabalhe, mas pergunte-se: Quem está no centro dos meus planos? Isso é vital para recordar-se que só é um capim, uma ilusão e, enquanto o é... Outro dia, um milionário excêntrico, reuniu seus amigos para passar o fim de ano em seu iate de 10 milhões de dólares tendo gasto a bagatela de um milhão de dólares na festa. Naquela noite, os fogos-de-artifício iluminaram a escuridão no mar do Caribe. Todos levantaram as taças de champanhe, desejando “saúde, dinheiro e amor” tal como o foi recentemente no Funchal da Madeira de Ronaldo.

:::::5

Foi ou é o trivial em nossos dias tal acontecido e, enquanto gozamos este estar olhando, cheirando, mexendo deveremos estar felizes sem contestar por falta de ninharias porque decerto uma multidão ao nosso redor, não terá isso! Aquele tal milionário do iate de 10 milhões, o Dezembro do ano seguinte, não chegou para ele. Um enfarte fulminante ceifou sua vida a meio do ano. Poderia ainda andar por aqui mas, desaconteceu!

:::::6

Ao nascermos, não tínhamos ideia dos erros e acertos, desafios e conquistas que experimentaríamos nesta vida. Ainda nem eramos gente, note-se! Contudo, ao trilharmos o caminho da maturidade, eles, os erros, apareceram... E, foram muitos! Num dia chove, noutro haverá frio e num outro sol... Provavelmente, pessoas, não discursarão em nosso funeral, um qualquer, pois que é perigoso; porém o mais eloquente discurso será feito por nós mesmos, paradoxalmente, no silêncio de nosso sono... Lá para Junho de 2021, no melhor dos cenários seremos vacinados à covid. Talvez - Um dia de cada vez...

Crónica publicada em KIZOMBA do FB  em 10.01.2021

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 18:52
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 3 de Janeiro de 2021
MOAMBA . XLVI

Periclitãncias do dia-a-dia01.01.2021

Crónica 3097 - NOSSAS VIDAS - NOSSAS PEDRAS - NOSSA ATITUDE

Por

soba24.jpgT'Chingange – No Algarve do M´Puto

araujo27.jpg Não existe "pedra" em nosso caminho que não possa ser aproveitada para nosso próprio uso em crescimento. Muita sabedoria, luz e prudência, é necessária ter para saber o que fazer com cada pedra que se encontre, tornando-as alicerces de nossas vidas. Assim, teremos o distraído que nela tropeça; o bruto que a usará como arma; o empreendedor que a irá usar para construção. O camponês, que dela pode fazer um assento. Miguel Ângelo, fez dela uma escultura, entre muitas. David, com ela matou o gigante Golias. Observe-se que a diferença não está na pedra mas, na ATITUDE das pessoas perante as inerentes coisas!

ara10.jpg Terminamos o ano de 2020 sem saber ao certo o que fazer com cada pedra para o novo ano de 2021 e os que se lhe seguem mas, teremos de fazer delas, as pedras, alavancas para novos desafios e oportunidades que, decerto sempre surgirão... Assim, que venha 2021 - com vacina, saúde, persistência e resiliência. Às vezes pagamos caro pela tentativa de resolver situações complicadas agindo sob o calor das emoções negativas. Então, o que devemos fazer quando nos resta utilizar todos os recursos disponíveis!? Existem circunstâncias diante das quais tudo o que temos a fazer é esperar porque “na quietude e na confiança estará nosso vigor”. Será assim tão simples!?

arauo76.jpg Tenho uma sobrinha com dois filhos; ela e um dos filhos estão com COVID. Um deles deu negativo. Solicitou apoio porque está só e, para além do teste nada mais foi feito... O Governo e Instituições apregoam aos sete ventos via TV, que estão dando apoio a toda a gente mas, nem uma brigada por ali passou para recolher o lixo dos 3 confinados em um modesto apartamento na cidade de PORTIMÃO. Um dos filhos, o que tem covid, teve de sair à rua para acondicionar o lixo no contentor! (um risco para a sociedade mas, que fazer!?). O Tal de SOS - 24 não apareceu após várias tentativas desde a participação no dia 24 de Dezembro.

arau44.jpg Eu próprio, com 76 anos, levei viveres e comida para os auxiliar; Um cunhado dela nas proximidades e, vivendo no mesmo Concelho também ali se tem deslocado a levar-lhes comida. Podem calcular como será o estado de uma família assim, sem terem a devida atenção, nem da Autarquia nem tão pouco dos Serviços Sociais! Nada lhes restará, senão a expectativa do passar do tempo, tossindo, com dores de cabeça, dores do corpo esperando um milagroso livramento com paracetamol ou benuron; sem um apoio de quem de direito. Minha incredulidade leva-me a desacreditar nos apoios de que tanto apregoam...

Araujo116.jpg A não ser que o seja só para refugiados e as minorias, de que tanto falam... Sem querer visualizar o pior, chamo por esta via as autoridades de PORTIMÃO à razão para que daqui, não resultem lamentos fingidos ou hipócritas... Perante isto - A incredulidade cria ou supervaloriza as dificuldades, impedindo-nos de ver essa tão apregoada fé das autoridades. Não tivéssemos nós essa fé a elevar-nos a alma acima das dificuldades e, assim; assim nos teremos de colocar mais perto de Deus para nos habilitar a permanecer destemidos, firmes e serenos, esperando!... Mas, é natural que o medo se imponha a nós sem permitir que ele se assuma no controle!?

:::::

Moamba: pode ser prato típico em Angola ou negócio de candonga, coisa mal engendrada -  no Brasil.

Ilustrações de Costa Araujo

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 18:44
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Terça-feira, 29 de Dezembro de 2020
MOAMBA . XLV

Cónica 3096 - PARA ALÉM DAS APARÊNCIAS - 29.12.2020

NINGUÉM É SANTO - A VAIDADE é uma luz externa que imprime brilhos fantasiosos, atractivos e bonitos; mas não passa disso...

Por

soba24.jpg T'Chingange - no M'Puto (Algarve)

bra3.jpg Alguns de nossos líderes, tal como outros espalhados pelo Globo chamado de Mundo, buscam impressionar-nos pelas aparências e pelo autoritarismo; recursos vulgarizados por eles e afins da nomenclatura do poder. Para além do mero barulho que fazem, ficam muito semelhantes ao de uma lata vazia repetindo estridências vaidosas. Daí, recordar a propósito, o termo “vaidade” que tem origem nas palavras latinas vanitas - vanitatis. E, isto significa vacuidade, vazio - tal como um Big Brother que tudo indica, distrai muita gente…

FK10.jpg Como espuma de sabão, quando circula pelo ar, mostra-se preciosa, a luz externa que imprime brilhos fantasiosos, atractivos e bonitos; mas dentro, nada tem. Entre a dissimulada aparência de piedade e a escancarada vaidade ostentada, nada mais resta para além de sua própria complacência... Isso! Que satisfaz a vontade de alguém com intuito de se sentir elevado... Uma contramão ao genuíno modo de ser-se humilde na suficiente ética contida em um sensato coração.

Mu Ukulu32.jpg No início de nossa era DC, dizia-se: Guardai-vos dos jornalistas (escribas e politicos), que gostam de andar com "paramentos subservientes" ao poder, enaltecendo seus adjectivos nas saudações das praças, nos banquetes e casas de pasto... E, daqueles que usam as primeiras filas, cadeiras nos congressos, nas circunstâncias de lhes trazer mais-valias, devorando casos como quem devora as casas das viúvas, vasculhando cantos mofados para justificar mostrar aquela vaidade que traduz votos e, ou audiência benévola escondida do fundamental.

Mu Ukulu37.jpg Entre a dissimulada aparência de piedade e a escancarada vaidade de nossos líderes, dá para notar a ostentação sem aquele contraponto de brilho de autenticidade. Num ávido desejo de conquistar a simpatia do povo e mantê-lo submisso às suas ambições... Seu balão de sabão… Balão que em um instante, faz "PLAF", arrebenta, desaparece. Converte-se no que era: "NADA. Promovendo gente que deseja ocupar os primeiros lugares em eventos honoríficos. Que querem receber saudações para além dos sonoros títulos de "ministro”, “secretário”, “comendador” e até de "presidente"...

garrafão tuga.jpg Contudo, tão enganoso é o coração, que precisamos atentar para os reais motivos de nossos actos, de modo que não escorram por entre os dedos motivações secretas, impróprias, que tentamos esconder. Vem aí tempos ruins! "Utopia é muito bonita, nos contos de fadas e no imaginário”. Na ilusão do "homem bom" e na "santificação dos heróis"... Recordo que quando o gado começa a ser dizimado por lobos e leões e, ninguém tenta ensinar as ovelhas a correrem mais rápido fico encafifado. Bem! Depois, criam cães tão fortes e tão violentos quanto os predadores e os usam para os combater… Na vida real, é assim que o mundo funciona. E, a menos que nos perdoem a dívida estamos lixados; DÍ-VIDA...

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 16:05
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 24 de Dezembro de 2020
A CHUVA E O BOM TEMPO . CXVIII

“CONSOLADOR” EM GREGO, DIZ-SE PARAKLĒTOS ... 24.12.2020

- Cronica 3094 - Controlando minha missão de aguentar a austeridade, disponho-me a gozar mais um dia de sol no M´Puto, nesta beirada sul dum país que já foi metrópole dum Império.

Por

soba24.jpgT'Chingange - no Algarve do M'Puto...

capta0.jpg Nesta quadra natalícia do ano de 2020, aproveito falar um pouco do entrelaçado de malambas (palavras) já faladas entre nós a fim de arrumar os eventos vindouros para que se compreenda o desfecho de nossa estória; nosso futuro mussendo (estória longa). A palavra aqui traduzida como “Consolador” vem do termo grego Paraklētos, relacionando-se ao verbo PARAKALEŌ e, cujo significado é “chamado para estar ao lado de alguém”. Em latim, a palavra correspondente é ADVOCATUS (advogado) - Tudo a condizer...

DIA73.jpg E, na qualidade de Primeiro Ministro do M´Puto, António Costa deu as alvíssaras de Bom Natal ao lado do Presidente Marcelo como se fosse um ET, talqualmente como um Espírito Santo, PARACLÊTUS, vindo duma galáxia distante numa nave "COVID" ... Veio que nem um pirilampo como suposto defensor, conselheiro, consolador, intercessor e mediador das manigâncias em tamanho natural e, metido numa caixa de TV delgada de fina... Que nem um Flash Gordon feito astronauta aterrissa no Palácio de Belém como se estivera no planeta Mongo e, de onde um déspota vírus, ataca a Terra por puro tédio. Com a ajuda de alienígenas, Flash e seus pares, lutam para salvar seu país atacanhado no planeta Terra…

ET2.jpg Assim como numa das passagens do Evangelho de João em que Jesus fez referência ao Espírito Santo, este “Consolador” Primeiro-ministro, parece surgir como o “Espírito da Verdade”. Embora haja textos bíblicos referentes ao Espírito como agente divino de transformação, a ideia de “Consolador” neste evento de diplomacia, trâmites da cortesia portuguesa, nos remete a outros aspectos da função de ADVOCATUS em nosso suposto favor ou desfavor, na vertente de político...

Mesmo com sua ausência física, nós não estaremos entregues à própria sorte porque nos momentos mais difíceis de nossa experiência covidesca sempre surgirá o Marcelo feito Cristo, o homem estrela STAR, Senhor-mor das t´xipalas “selfie”. E, assim o PM-PARACLETO sofredor com seus discípulos se disporá a desafios incontáveis com o beneplácito dele - o Presidente. Isso! Também este, uma entidade, agente de PARACLETO, que veio como como se fora JESUS super STAR.

luua27.jpg Se a consciência me acusar, eles, os dois PARACLETOS, terão de me convencer de algum pecado, para assim me guiar rumo à confissão, arrependimento e, ou perdão! Cá para mim, com estes, estaremos feitos ao bife...

Tenham um Bom Natal!

Publicado em KIZOMBA (Versão I) do FB a 23.12.2020

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 15:32
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 14 de Dezembro de 2020
A CHUVA E O BOM TEMPO . CXVII

FUI Á RUA DIREITA NESTE DOMINGO – PARECE UM HOLOCAUSTO

Crónica 3092 - Janelas para A VIDA13.12.2020

Por

soba24.jpgT'Chingange - No Barlavento Algarvio do M'Puto

cozinha1.jpg Confinado na minha casa, ouvindo as ondas batendo na rocha da falésia quando o mar fica bravio, telefonei para o take away a Cozinha a encomendar um frango assado com jindungo e outro sem jindungo. A moça que me atendeu, de sotaque brasileiro, riu da forma como falei e daí, ter-lhe dado o meu nome para registar no livro. Sucede que por via da pandemia, vão fechar às três da tarde e a minha encomenda que era para as sete da tarde terá de ser embalada de forma diferente.

Disse à moça que me atendeu que era o T´Chingange de Maceió e ela riu. Fala da rua Direita! Pois! Não é a casa do senhor Álvaro que cacareja? Óh, agora, riu ainda mais pois que seu patrão de nome Álvaro Faustino, em realidade ri duma forma especial ao jeito de guinchos solavancados. Uma forma de rir única e espacial. Assim foi! Antes das três horas da tarde, lá fui até Portimão, para lá do outro lado do rio Arade e, lá chegado, tudo estava embalado; era só pagar.

poluição.jpg Este senhor Álvaro estabeleceu-se há mais de quarenta anos em Portimão a assar churrasco bem à maneira de Angola e, sempre que lá vou sou contemplado com uma simpatia única tal como seu riso que enlaça qualquer tipo de empatia. Ele chegou com uma mão atrás e outra a fazer pala para adstringir o brilho do vinticinco, entalaram-no em um hotel da região assim como tantos outros e, logologo começou a fazer contas à vida. Não era gente de coçar preguiça e aconteceu montar seu ximbeco assando frangos com piripiri à maneira dos trópicos.

Meu nome da lista teve de ficar o “senhor das sete” porque a moça de Minas Gerais não soube escrever tão difícil feitiçaria de T´Chingange. Sucede que como cliente especial tive de dar meu nome do M´Puto e número de telefone, tudo em uma senha azul, numerada para ficar habilitado a um faisão feito capota a distinguir o Natal de 2020. Não sei bem o que seja mas deve ser qualquer coisa assim; a menos que seja uma trotinete automática.

pombinho2.jpgP - Regressando a casa do outro lado do rio Arade, pude ver lá no alto dos candeeiros eléctricos das rotundas e chaminés de extintas fábricas de enlatar sardinhas, atuns e cavalas, as cegonhas agraciando-nos de forma permanente com sua beleza. Com a chegada dos expatriados, refugiados, desalojados e retornados das ex-colónias, estas, parece terem feito um pacto de por aqui permanecer a fim de alegrar nossas vistas, nossas vidas também entre mistérios feitos kitukos de colono, xi-coronho, chicoronho, caluandas e outros até, vindos de Xi-Língwine ou antigo Maputo do Oceano Índico.

Um homem sem a liberdade de ser e agir, por mais que conheça ou possua, não é nada. O amigo Álvaro deu-se conta disto como milhares de outos pensando no mesmo jeito e, meteu mãos à obra. O destino da humanidade repousa irremediavelmente e, cada vez mais que nunca, sobre as forças morais de ser-se homem. Se se quiser uma vida livre e feliz, forçosamente haverá necessidade de se restringir ao essencial e renunciar a muitas tentações; daqui dizer-se estar sempre limitado ao tempo que surge, às manigâncias dos governos e gente que comanda os sem-eira-nem-beira…  

pombinho12.jpgP - Hoje o destino da humanidade repousa sobre os valores morais que consegue suscitar em si mesma. Todos, ou quase, percebemos que o livre jogo das forças económicas, o esforço desordenado e sem freios dos indivíduos para dominar e adquirir a qualquer custo, nos conduzirão mais e de forma automática a uma solução insuportável deste problema: tanto roubo, tanta hipocrisia e corruptela - Vou dizer mais o quê?

pombinho14.jpgP - Hoje mesmo, vou-me ensinando a ser gente tomando aqui e acolá, por onde calha, o saber dos mais sábios para ficar esperto. Nem sempre homem, nem sempre jovem, já mais velho, nos intervalos, aprendo a aprender a ser grande como o Álvaro das capotas vindo de Porto Alexandre. Esmiúço os tempos para saber a verdadeira razão dos paradoxos e dos fúteis caprichos de poder. Sim! Tal como estando num mato de capim tombado pelo vento tiro aqui e ali umas fotos sem pau de selfie, surfando a vida… Quase a chegar a casa, dei-me conta do holocausto Covide 19. As ruas, desertas! Um ou outro ciclista colorido a dizer adeus, talvez por necessidade, assim, tal como o fiz acenando às gaivotas e cegonhas…

Ilustrações: P - Pombinho

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 12:55
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 12 de Dezembro de 2020
MALAMBAS . CCLI
A PALAVRA É UMA ALEGRIA SEM LIMITES.
Palra a pega e o papagaio; os ternos pombos arrulham! Zurra o burro e geme a rola inocentinha...
Crónica 3091 - A galinha cacareja e come térmitas! As térmitas roem como o salalé…12.12.2020
Por

soba24.jpg T'Chingange - No M'Puto

roxo95.jpg AR - Recebidas as tuas palavras, logo as comi; elas, as malambas, tuas palavras, são a alegria para meu coração. Devemos ter em mente, que a beleza e a força da Palavra não estão apenas nas profecias, nas doutrinas, ensinamentos éticos ou mandamentos...

Elas são o electrocardiograma de nossa vida, valores, aventuras heróicas, cânticos, poesia e tudo o mais o que contém. Ao invés disto, o vírus expõe fragilidades e amplifica injustiças; por via disso até já ouvi panelas a falarem nas janelas e, isto não é ficção. Por vezes as urgências das raivas necessitam de dizer alguma coisa mesmo que o seja batendo panelas chilenas, brasileiras ou até do Ruanda-Urundi. Um dia lá no mato vi-me a falar com um imbondeiro, disse a ele quanto o admirava e, ele retribui-me com múcuas que me curam a glicémia!

IMBONDEIRO1.jpg Posso garantir a vocês que escrever esta meditação feita malamba foi uma experiência excepcionalmente rica! Redescobri o prazer de estar em contato com a Natureza e, chegada a noite fui para a cama levando-a na mente. Estava bem à beira do rio Okavango (Cubango)

Não importava quantas vezes eu acordasse durante a noite, ela a malamba, continuava no mesmo lugar. Já manhã, levantava-me com a sensação de que apenas havia fechado os olhos e continuado meditando na Palavra...

embo0.jpg Se você que me lê, imaginar que isso representava cansaço, garanto-lhe o contrário, só que, obviamente, não tenho poder para criar um “Ministério da Felicidade” mas, só assim, já é uma grande bênção. Que maravilha é a Palavra! Não vou meter Deus na matéria porque creio ser inerente ou evidente mas, o que vi e, com quem estive, foi tão só o imbondeiro...

Lembro-me de em certa ocasião, depois e durante a manhã, ter a ideia de aproveitar o pequeno espaço antes do almoço, para olhar os sentimentos enovelados vendo na TV a pilhas o noticiário, as makas e coisas truculentas do dia a dia. Estava na Ovambolândia…

papoila0.jpgAR - A diferença de sentimentos foi gritante. Pareceu-me ter estado voando anteriormente sobre nuvens e, em seguida, aterrizado num lixão feito terra, globo ou o que quer que o seja... Mas, em verdade, qualquer pessoa que se expressa, corre perigos vários.

Pensei: “Por que tantas vezes trocamos o tempo que deveríamos ocupar desfrutando plenamente o tesouro da Palavra, por coisas inúteis?” Não tarda, começarão a deturpar a malamba como se desintegrassem um átomo e virá a desacreditação, o distorcer delas, as palavras, tornando-nos suspeitos de algo…

imburana vermelha.jpg Por isso, a malamba feita palavra, é tão bem-vinda como o alimento é para qualquer faminto. E, assim, falando com o imbondeiro, alegremente, pude entender suas mãos feitas ramos secos, elevadas ao céu a implorar o remédio que me iria tratar - a múcua.

Embora tudo isto seja importante, a Natureza sempre será a personagem central e, que testificam os kitukos, mistérios do nosso imaginário no sentido de sempre renovar a alegria do coração, nossa máquina... Aiué!
Ilustrações de  AR - Assunção Roxo
O Soba T'Chingange


PUBLICADO POR kimbolagoa às 16:55
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quarta-feira, 9 de Dezembro de 2020
MISSOSSO . XXXVIII

Crónica 3090 - TENHAM RESPEITO COM OS KOTAS

Do meu kamba Keller Austriaco... 09.12.2020

Por

soba24.jpg T'Chingange - No M'Puto

araujo181.jpg Não seja difícil com os idosos, eles passaram a vida inteira aprendendo a habilidade de resolver as adversidades da vida. Começo assim, pela moral da história... "Uma senhora entregou seu cartão bancário ao balcão do banco e disse: — Por favor, quero levantar 50,00 €". O caixa disse à senhora : -"Para levantamentos inferiores a 100,00 €, por favor, use a caixa multibanco”...

Ora esta! A senhora queria saber do porquê...

O empregado do banco devolveu-lhe o cartão bancário dizendo: —"Essas são as regras! Por favor, saia, se não houver mais nada a tratar... Há uma fila de clientes atrás de si".

araujo165.jpg A senhora ficou em silêncio por alguns segundos, devolveu o cartão ao caixa e disse: - "Por favor, me ajude a retirar todo o dinheiro que eu tenho na minha conta". O caixa ficou surpreso, quando verificou o saldo da conta. O empregado acenou com a cabeça, inclinou-se e respeitosamente disse à senhora: - "A senhora tem 1.300.000,00 €uros em sua conta, mas o banco não dispõe de tanto dinheiro no momento. A senhora, pode marcar uma hora para amanhã?” Então, ela  perguntou:  Quanto posso retirar agora? O caixa disse a ela que podia levantar qualquer quantia  até ao montante de 5.000,00 €uros.

-"Bem! Por favor, faça um levantamento de 3.000,00 em notas de 50,00 €, agora". 0 caixa gentilmente entregou os 3.000,00 € em notas de 50,00, de forma amigável e com um sorriso amarelo claro!

A senhora guardou 50,00 € em sua bolsa e pediu ao caixa para depositar os restantes 2.950,00 €uros, de volta, em sua conta.

araujo6.jpg A moral deste missosso é: - "Seja compreensível com os idosos; porque eles passaram a vida inteira aprendendo a habilidade de resolver as adversidades da vida."

Ilustrações de Costa Aaújo

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 18:53
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 7 de Dezembro de 2020
MISSOSSO . XXXVII

Crónica 3089 - VEM AÍ UMA BAZUKA - “Vivendo e aprendendo"… 07.12.2020

FUI BOM NISTO NO TEMPO DA GUERRA DO TUNDAMUNJILA... Bazuca "bazooka", é uma arma de tiro em curva, tal como o morteiro. É o nome popularizado para o "lança-foguetes" uma arma portátil antitanque em forma de tubo. Bom! Esta outra Europeia, é uma outra bazuca: que lança kumbú…

Por

t´chingange2.jpgT'Chingange - No M'Puto

bazuca3.jpg Lembre-se dos dias da sua juventude e, antes que venham os dias difíceis e, se aproximem os anos em que você dirá: “Não tenho satisfação neles.” Tudo uma questão de tempo. Os homens quase não se interessam por esse assunto do tempo. As mulheres chegam a mudar a data se tiverem que falar nele, no tempo, nas rugas. As crianças estão longe de se preocupar com ele, o tempo. Os jovens quase nunca se preocupam com esse assunto.

Os mais idosos são os que geralmente falam sobre isso, mas quase sempre para se queixar. No geral, o jovem pensa que é eterno. Mas a verdade é que todos caminham para um fim. Logo chegarão os dias das longas orações, das noites mal dormidas, da voz e das mãos trémulas, dos joelhos fracos e cansados.

bazuca1.jpg Logo chegará o tempo da velhice. Ela vem para todos com ou sem bazuka! Bazuca é um tubo de metal com uma pilha; quando neste tubo se coloca uma granada e se liga os fios à tal pilha, ela dispara como se isto fosse o detonador e sai para fazer estragos algures.

Nos meus tempos de guerrilheiro, voluntário para a guerra da Guiné, destruí um casebre com uma bazucacada. Eram treinos intensivos a fim de estar pronto à guerra de tiro vivo e real mas, acabei por não ir porque os planos mudaram, nunca soube do porquê!

bitcoin4.jpg Aqui no M'Puto fiquei a saber que há outro tipo de bazuka, um tubo que deita dinheiro por via das carências e, para acudir à debilidade económica dos vários países que compõem a Europa. Países que ficaram de "tanga" pela paralisação do trabalho tal como o M'Puto e por via do Covid19

Há um ano atrás, não acreditaria se me contassem o que estamos hoje a viver! Diria ser uma ficção grosseira e, afinal, estamos nela sem nunca sermos mobilizados para tal, ao invés daquela guerra de Tundamunjila em várias frentes do império do M'Puto, Luso.

bazuca4.jpg A Bíblia ensina que somos inquilinos temporários neste planeta mas, ninguém dá bola para isso e, num repentemente a brevidade da vida torna-se um dos conceitos mais importantes. O sábio fala da velhice fazendo poesia. Num repente falam dum "kituko" um tal de milagre ou mistério feito arma de guerra com notas de esperança e, com nome de bazuca... E, ninguém ou muito poucos falam no texto bíblico descrito em Eclesiastes. Esse texto é considerado na Bíblia, como o Estatuto do Idoso. Ele começa com um recado para os jovens: “Lembre-se do seu Criador nos dias da sua juventude”.

dia122.jpg É interessante que temos cursos para quase tudo na vida: para noivos, pais, liderança, etc. No entanto, não se ouve falar ainda de um curso que nos ensine a envelhecer. No entanto, as sementes que plantamos no decorrer da vida indicarão o fruto que colheremos ao final...

Conta-se que, quando Luís de Camões, o maior poeta português, estava morrendo, alguém quis cumprir um costume romano de acender velas aos moribundos e, na falta de castiçal, puseram na mão do poeta um punhado de areia colocando ali a vela acesa. Diante do facto, Camões teria dito: “Morrendo e aprendendo". Isto da bazuca talvez seja somente um supositório... Verdade ou lenda, pouco importa. Foi daí que nasceu a frase: “Vivendo e aprendendo".

FELIZ SEMANA – FELIZ DEZEMBRO…

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 19:48
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sexta-feira, 4 de Dezembro de 2020
XICULULU . CXXIX

NOVOS AMIGOS - Ando encafifado com uma máquina de fazer “alegria” chamada de Ximbica*

Crónica 3088 – 04.12.2020

Por

soba0.jpegT´Chingange - No M´Puto

relogio sem.jpg “Tudo é tudo, nada é nada”; “quatro ou quatro e meio, não chega a cinco” tal como o vinticinco de Abril não foi como o vinticinco de Novembro do M´Puto. É difícil haver consenso do que fazemos individualmente tal como o é para um Estado ser decente. Se não houver transparência, a corrupção superará as normas de bom entendimento e neste mistério de encobrir o nevoeiro com cacimbo, os socialistas têm-se revelado muito bons na matéria.

ximbica.jpg Mas, se a politica nos separa, não se fala mais nisso, melhor será passarmos ao futebol do Benfica ou falamos de Madre Tereza de Calcutá porque entre piadas e amuos sempre iremos revigorar os percursos no sentido ou ao contrário dos ponteiros do relógio. Pois assim terá que o ser porque é impossível dar uma definição da alma, pois que esta, não é uma entidade concreta mas, abstracta.

ximbica01.jpg Não é matéria, é energia - mas também não é energia física. É energia divina, um pedacinho de um qualquer deus dentro de nós. Sufragando os doces reis e rainhas dum ano que quase finda, próximo das passas dum ano novo que chega, é sempre emocionante ler as mokandas de amigos mesmo que tenham nomes estranhos como Lusakidilu e, de falas genuínas, kamba duma Luua com um Rio Seco a que eu chamo de “mulola” porque só ali passa água quando chove!

Dum Rio que só o é na lembrança antiga que se quer sem fungos nem cacos velhos ou águas saponáceas a fazer desenhos entre as mais escuras, saídas dos tubos ladrões. Posso acrescentar que o último protótipo dessa máquina é parecido com uma foice a sobrepor uma catana! No fundo vermelho e roda dentada, pode ler-se a marca dela: Ximbica…

araujo119.jpg E ximbicar é assim: - Tu pegas no bordão, atiras canoa na água, entras e encostas a ponta do pau no fundo do mar kalunga, fazes força e, a canoa anda. Depois continua - Ah! Quersedizer, tu remas - Ué! Remas!? Essa palavra ainda não sei? Não me disseste dela! Eu, ximbico a canoa. T´aprendeste, munanga?

Aprendi, sim, ando ximbicando pela vida muito no lentamente, trabalhando músculos desconhecidos, que não fazem parte da anatomia, Eu e Lusakidilu ficamos amigos, trocando bordões por novas palavras. O mar, gentil, a calunga, pôs jeito no nosso ximbicar; aprendi, sim, ando ximbicando pela vida disse-me ele na última mokanda via Facebook. Um amigo tem sempre missangas para enviar, assim o queira, por apitos ou estalidos ou mesmo muxoxos com ou sem cacimbo ou trovoada de chuva grossa! A tal máquina…

Notas: Ximbica*: Rema; Luua: Luanda; M´Puto: Portugal; Kamba: Amigo; Kalunga, mar e seus mistérios ou kitucus…

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 16:55
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 30 de Novembro de 2020
MALAMBAS . CCL

FALANDO COM UM CHARNECO

Crónica 3087 - Charneco é um pássaro - 30.11.2020

Por

soba0.jpeg T´Chingange - no M'Puto

charneco1.jpg Taciturnado no meu ovo feito casa, sentei-me bem a modos de ver esse pássaro de nome charneco para lá da janela. Assim sentado, podia vê-lo chiscando na terra humedecida, vacilando-me entre estar num sítio ou num estado de sítio.

Na veracidade dum estado perturbadamente vergonhoso, sinto que vivemos em um estranho tempo de vitimização sem aquele espaço próprio de também me poder chiscar, tal como este pássaro da família dos corvídeos.

koisan6.jpg Assim, estando como que entalado entre a ideologia e o manto da ciência, vejo-me enroscado nos zingarelhos covardes da melancolia ciscando no chiscar do charneco egoísta. Todos nos encontramos mergulhados na banalidade quotidiana dos gestos e das frases repetindo aquelas ansiosas falas de todos os tempos e, de todos os lugares. O Mundo está uma ervilha! E falam, falam pelos cotovelos. Assentes numa mesa quadrada todos explicam assuntos bicudos, periclitantemente covidesco…

Às vezes pagamos caro pela tentativa de resolver situações complicadas agindo sob o calor das emoções, especialmente negativas. Mas, neste estado catatónico deveremos utilizar todos os recursos disponíveis na solução de problemas, com a perspectiva de êxito.

caiena5.jpg Mas, existem circunstâncias diante das quais tudo o que temos a fazer é esperar. Convém lembrarmo-nos de que, é “na quietude e na confiança que está nosso vigor". Sempre que nos deparamos com grandes desafios ameaçadores, é natural que o medo se imponha a nós.

Entretanto, não devemos permitir que ele assuma o controlo. O medo enerva-nos, deixa-nos ansiosos, mas deve ser vencido com fervente e confiante oração. Quem sabe se movidos no medo, assim sairemos do mundo zumbi...

kota0.jpg Os negócios da economia estão sendo sacrificados num altar do suposto, aqui no M'Puto e, em muitos lados. No evidente estabelecimento de regras, assim é. Leis canibalizadoras de prosperidade causadas talvez pelo abuso de poder.

A situação é dificultada pelo cerco do mando e a ideologia mantendo a nomenclatura no controlo e, considerando os demais como um exército inimigo. Nada nos resta, senão a expectativa de destruição ou a operação de um milagre, supostamente.

charneco2.jpgEstamos perdendo o nosso capital, nossa prosperidade por via de decretos arbitrários que a seu tempo nos escravizarão ao subsídio.

Aqui e, no resto do Mundo, o abandono de milhões de empresas e sequente desemprego, são uma realidade. A ética do medo desune-nos sem uma verdadeira certeza de assim ser, pelo melhor! Resta - me falar com o charneco...

O Soba. T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 13:29
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 23 de Novembro de 2020
MALAMBAS . CCXLIX

MALAMBA É A PALAVRA...

Crónica 3085 - Apaziguando rijezas adversas - 23.11.2020

Por

soba24.jpg T'Chingange – No M´Puto

araujo 42.jpg De acordo com um dito popular, há três coisas que são irrecuperáveis: a flecha atirada, a oportunidade perdida e a palavra falada. Pascal, filósofo e matemático francês, afirmava que “a maior parte dos problemas do ser humano é decorrente da incapacidade que tem de ficar calado"...

E, como cada qual tem no corpo um pecado de qualquer crime por pagar, de facto, uma verdade incómoda para todos nós é de que, muitas vezes, sabemos exactamente o que precisa ser dito em diversas situações, mas não dedicamos tempo suficiente para pensar na maneira acertada em como as coisas devem ser ditas, noé!?

Quando se trata de controvérsias, ou quando há necessidade de falar contra algum erro, sabemos o que deve ser dito, mas falhamos por vezes na forma como o dizemos... E, por isso, apresentamos o que nos parecerá plausível; porém, a palavra muitas vezes, sai desprovida, sem intenção ou sem o esforço de uma conversinha adulta na suficiência...

pombinho3.jpg Dizemos o que precisa ser dito, mas com aquela ponta de arrogância que causa agressão verbal nas malambas precipitadas ou até avermelhando os olhos por só se falar pedacinhos de palavras constipadas de angústia.

Muitas relações fracassam por via de agressões verbais ou palavras precipitadas. Sabe-se que, durante a infância, algumas, muitas pessoas desenvolveram uma personalidade complexada ao ser estigmatizada com termos pejorativos.

Quantos amigos já foram separados por causa de palavras inoportunas. Conflitos teriam sido pacificados, caso fossem usadas palavras brandas por uma das partes. Transgressores poderiam ter sido recuperados, caso a verdade lhes tivesse sido dita com palavras menos graves...

o vazio.JPG Não haveria tantas reputações destruídas e caracteres manchados se a palavra maledicente não fosse dita. Há tanta gente que poderia ser curada de suas feridas emocionais e espirituais se tivesse encontrado alguém que lhe dissesse a palavra sem abelhudice!

“A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira” foi o que li e até retive que “A morte e a vida estão no poder da língua” - reli algures... Na ânsia de sempre arrumar alguma coisa, solicito-me mnemónicas próprias de antigos responsos: Por São Brás! Por São Jesus, passo aqui sem levar a cruz! Com mil outros assuntos vagos e sem interesse, entre muita tolice, tenho em mãos uma fútil preocupação espantando a visão de ver bolos-reis deitados ao lixo, tendo tanta gente passando fome!

araujo179.jpg Amanhã! Amanhã! Calculo eu, saberei tudo; nada de desanimar! Sem saber porquê reconheço-me muito mais depois das resistências postas ao meu futuro; mas que futuro? Qual a medida verdadeira do meu apreço às notícias que correm, das intrigas internas e externas, das guerras sem apreço e sem medida, tolas quanto baste  a somar aos muitos sacrifícios com desmandos…

Feliz semana...

Nota: Esta Crónica sai também publicada em Facebook na página Kizomba... 

:::

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 19:15
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 21 de Novembro de 2020
MUXOXO . LX

NUM TEMPO COM CINSAS - AZUCRINADOS - Portugal e os bafos dos desabafos… Crónica 3084

Meu futuro é amanhã! Ontem, foi meu prefácio… Termos de acreditar que algum visitante do futuro nos traga toneladas de esperança para se acabar com a crise… 21-11.2020

Por

soba24.jpg T´Chingange – no Algarve do M´Puto

eça2.JPG Despairecendo meu espírito, olhei-o escondido com medo do fogo e do capeta feito diabo que sai por toda a parte lambendo os beiços. Com modos sortidos, nas entrelinhas, esbarra em lugares de kotas mais velhos e, assim átoa feito peste, quebra a renitência da idade. E, porque não posso tomar medidas energéticas providenciais, requebro-me nas charadas alcoviteiras para enfeitar penicheiras provocatórias, estendendo a crítica a vulgares patifarias de caixeiros feitos doutores e, até políticos…

Engomando, cozinhando, ou limpando-nos o pó como se fôramos trastes dum estado só deles, precisamos de algo a que nos apegarmos para que a fé não vacile para além do suficiente. Na vontade de fugir espantado, remoçado, muito inchado de iguarias macabras, algumas idiotas, meus espíritos passeiam-se-me no cérebro às apalpadelas azucrinando-me.

eliseu0.png Sem a preocupação gramatical, com o sujeito cutucando o verbo mais o predicado…, sem a métrica do fado, uma emergência confusa deste tempo, sem uma rima versejada por poeta que se preze, esganiço-me a fazer conversa sem sobejar esforços de conversinhas, na fé da promessa e até, sem a vergonha de estar esmolando metáforas antiquíssimas. Ninguém ainda sabe, só umas raríssimas pessoas de olhos rasgados…

Jogando búzios na zuela do feitiço, com algum esforço intelectual, remexo panelas de caldeirada muito me convencendo da inutilidade das bagatelas que nos preenchem o dia, refugiando-me atrás do balcão de minha modesta venda de vaidades. Metendo num pão que vai ao forno os trocadilhos e chouriço e enquanto espero, vejo os estudos feitos pela OMS que apontam uma estatística mundial como havendo 300 milhões de pessoas, de todas as idades, com depressão, considerando ser este o mal do século…

etosha2.jpg Algum tempo atrás, desconhecia que podíamos fechar o tempo dentro de casa, atazanado comecei a beber dez gotas de cannabis para truncar as vicissitudes misturando o gosto estranho com kefir, um pouco de café pilão e um pouco de mel. E assim, meto também num pão tipo croissant os trocadilhos com chouriço, por vezes morcela, no fim de sentir algum prazer de viver…

Escrevo isto olhando para a árvore gigante que meu vizinho alemão da Alemanha construiu no seu quintal, a mesma que me tira o sol de inverno porque baixou demasiado no varão, agora ensombrado; lá estão as duas máscaras que foram lavadas com sabão macaco mas, ainda não sei quanto tempo o capeta pode ficar naquela superfície de pano.

enxada quioco1.jpegMenos mal que o meu outro vizinho que veio de França e, que tudo indica ser evangélico está com o Espirito Santo. Deste modo lá serei abrangido nessa coisa do wifi… O tal padrão Wi-Fi que opera em faixas de frequências que não necessitam de licença para instalação. Acho que também serei apanhado no leque de ondas embora o tipo, tenha subido o muro até aos limites da minha altura  só para não ver sua filhinha vinda das arábias a fumar por aqueles esquisitos cântaros  com uns tubos de fazer borbulhar  o Alibabá...

Ainda que eu falasse a linguagem dos santos, para além de me ser exigida a fé suficiente, teria de me posicionar diante da minha intuição; os meus olhos teriam de me fitar, de me desafiar a enrolar silêncios nas pretensões, sem me sentir temeroso e, quanto a isto, enfeito-me de liberdade com a suficiente e possível humanidade sabendo de antemão que viver, mesmo, é um descuido prosseguido…

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 14:27
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 16 de Novembro de 2020
MALAMBAS . CCXLVIII

 

NAS FRINCHAS DO M´PUPO 16.11.2020

Crónica 3083 - Apaziguando rijezas adversas, perfilando anjos com a singularidade do mundo

Por

soba24.jpg T´Chingangeno M´Puto

araujo18.jpg Manter a alegria acima de um certo limite, hoje, é quase crime porque dentro de quadrados ou círculos até a criança de forma precoce aprendem a geometria do mundo da peste. Teremos até de esquecer o natal que se aproxima, mantendo no topo o lema: “O corajoso escolhe o caminho certo”.

Euclides que foi o pai da geometria, um centro de excelência em cultura e conhecimento de sua época, convidado pessoalmente pelo próprio Ptolomeu I no largo período de A.C. hoje ficaria exuberante pelo uso de suas figuras como medida profiláctica. Ter coragem é prescindir da bússola porque o sentido de orientação virou e, caso tenhas pela frente um cruzamento, será bom rezar três pais-nossos e duas avé-marias porque os problemas podem surgir.

araujo19.jpg E, para completar nossa coragem, vem a OMS – Organização Mundial de Saúde, dizer que os humanos podem ter de conviver com a Covid-19 para sempre, tal como já se vive com o AIV e outras malazengas. Isto passa-se connosco afastando mesas e cadeiras para o meio da rua e, fazendo dos escritórios dormitórios.

E, é triste! A máquina da alegria abaixo de certa quantidade pára! Mas, basta dois dedos em funcionamento tenso para e num solavanco respiratório, colocar a liberdade no tremor do outro. Teremos forçosamente de modificar nosso caracter de existência para aprender esta permanente transitoriedade.

araujo12.jpg Por vezes as coisas mudam e, os vistos de trânsito caducam, quersedizer invalidam-se. Agora lá terei de esperar mais de três meses para revalidar meu passaporte; depois atestar que nas 72 horas antes, o bicho que ninguém vê, não pegou! Estamos forçosamente ligados por breves períodos na sucessão de objectivos que se suplantam. Coisas vindas do nada, viram para tudo.

Com um apagão brusco na possibilidade de movimento, subitamente o tudo, expira! O repleto ar cheio de informação, torna-se demasiado chato, teimoso. Demasiado concreto. Não obstante a curva não achata. De novo e com agrado, relembro aquela senhora a percorrer a praia de ponta a ponta de marcha-à-ré - andando para tráz para rejuvenescer-se, pode!?

araujo90.jpg As informações são variadas mas, sem brutalidade na delicadeza vão afirmando que o ar existente entre nós dois, seres humanos e, esse vazio de festa para manter cada qual, festivalando no seu círculo, no seu quadrado. A alegria fica assim verticalmente desenhada no vazio que permite abrir os braços na prumada do céu.

Só de pensar que o rádio 226 colado na minha mochila pode ficar activamente maldoso por 1600 anos, já me dá um certo alívio. O futuro desabriu depois de umas semanas trancado. Num qualquer destes dias viro pirilampo. Com tantos avanços tecnológicos, melhor seria que nos dessem um comprimido de seis meses de sonolência, enfiarem-nos num tubo de hibernação e despertar na hora certa de desembarque no lugar aprazado…

Ilustrações de Costa Araujo

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 17:20
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 14 de Novembro de 2020
MISSOSSO XXXVI

MEDITAÇÃO DO T'CHING

Crónica 3082Kiçondeando o OLHAR DA FÉ - 13.11.2020

Por 

soba24.jpg T'Chingange -  no M'Puto

sacag9.jpg O que não fazem os seres vivos, mesmos os irracionais, pela própria sobrevivência? Com o passar do tempo, cabras que habitam áreas desérticas de Marrocos tiveram que aprender a subir em grupos na árvore de argan, em busca do fruto para sua alimentação. Na Itália, cabras selvagens foram vistas tentando subir 50 metros de um paredão em busca de alimento. Como seres humanos, também não nos renderemos à possibilidade de morte. Enquanto houver hipótese de viver, não a descartaremos!

picasso3.jpg Kissondeando* sobre muitas picadas percorridas, revejo-me nas vivências porque não o sou, só ossos dispersos. Pensando em kimbundo da Luua recordo falas da terra que afinal não era minha; repeti assim: “ki tuexile tu ngó ifuba iatujunkura” - ainda não somos só ossos dispersos, “ifuba yetu iokune kala jimbuta” - Nossos ossos serão semeados como sementes…

Em 2003, Fernando Ivan Ostrowski tinha 18 anos e estudava na Rússia. Em certa madrugada de Novembro, ele foi acordado pelo som da sirene e, pelos gritos que anunciavam um incêndio no residencial da universidade aonde morava.

deserto1.jpeg Foi o último a acordar, mas, com muita serenidade e acalmando os demais, ele não hesitou em pular do quinto andar. Tendo a queda amortecida pela neve, mesmo assim sofreu alguns ferimentos. Com essa atitude, escapou da morte, que ceifou 36 estudantes nessa ocasião...

E, foi em um barco prestes a ser tragado pela tempestade que John Newton se libertou da vida imoral em que havia mergulhado. Na ocasião, clamou por socorro e foi ouvido. A força da fé tem milagres inexplicáveis; decerto, cada um de nós tem passagens desconcertantes em sua vida...

Mas, a incerteza faz parte de nossa natureza! "Senhor, se és Tu, manda-me ir ter Contigo, por sobre as águas!” Era este o clamor de Pedro, o pescador, discípulo de primeira linha de Jesus, o Nazareno.

intifada0.jpg Assim está escrito na Bíblia e, não se tratava de um teste! Ao convite de Jesus, Pedro começou a andar como em terra firme, até que o erro de desviar o olhar para a força do vento por pouco não o destruía. Eu, que já tive muitos kixibus, entendo que as dificuldades de meus, nossos ancestrais também kubasularam lumbus mal explicados e, conhecendo bem a ciência dos calundus, espantaram  maus olhados desses defuntos espíritos da Yanda.

Sem o olhar de fé, morreremos afogados no mar do medo e da dúvida. Claro que ao longo dos anos, as falas e os desafios mudaram; uma grande parte de nós não quer seguir estas parábolas e, todos se julgando sábios ou descrentes, atiram por terra ensinamentos úteis...

dia32.jpg Podemos assim rever isto para e, como aquele ditado popular que diz: "querendo, os homens movem montanhas". É certo que Pedro, o pescador, corria o risco de naufrágio no caminho proposto mas, ao convite de Jesus, começou a andar como em terra firme...

Repito: Sem o olhar da fé posto em nossa vida, morreremos afogados, não na água mas num mar do medo; medo da dúvida, medo de tudo... Creia ou não num qualquer Deus em que acredite, faça a sua parte e, não ponha em dúvida que o que tiver que acontecer vai acontecer... Mas e, sobretudo, não coloque outros em risco... Senão o bicho pega!

Glossário

Kiçondeando: andar como a formiga quiçonde; kixibus:- cacimbos, estação fria; kubasular:- passar bassula, dar a volta por cima; lumbu:- descendente por parte do pai; kalundu / kilundu: cerimónia de chamar os espíritos ao culto; Yanda: lugar especial, região pambun´jíla   

O Soba T'Chingange

 



PUBLICADO POR kimbolagoa às 19:16
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Terça-feira, 3 de Novembro de 2020
FRATERNIDADES . CXXIX

ANDO ENKAFIFADO – OPÇÕES DE VIDA

Crónica 3076VIVÊNCIAS DE CANHOTO 03.11.2020

kimbo 0.jpgAs escolhas do Kimbo

Por: António José Canhoto

mulata1.jpg Uma traça invisível corrói a minha mente fazendo-me perguntas às quais não sei responder porque para as respostas às verdades com as quais sou questionado não as tenho, e as poucas que conheço são relativas. O paraíso celestial não existe é uma ilusão, e quando alguém o atinge é sempre na terra e por breves momentos, e não depois de morto. O eterno, é tudo aquilo que dura uma fracção de segundo, mas que nos violenta com tal intensidade que se petrifica, e nenhuma força jamais resgata esse eterno da nossa mente ou coração que pode ser conseguido a solo ou partilhado. Se eu pudesse ter aprisionado em cativeiro os momentos mágicos e inesquecíveis que vivi para os reviver seria pura magia. Morrer é comoventemente difícil, mas a ideia de ter de morrer sem ter vivido deve ser insuportável.

Há alturas em que não me importo que me roubem o mundo desde que me deixem saborear e viver o momento. Atingi um estatuto na minha vida que já não me preocupam os grandes atractivos e sedutores corpos, mas sim as grandes mentes. Como a palavra é muda para quem não quer ouvir, não perco o meu tempo a dialogar com quem pensa já tudo saber. Muitos me criticam por ser diferente, mas eu gozo com isso por estes serem todos iguais. Loucos como eu vivem pouco mas vivem intensamente como não houvesse amanhã, pois eu apenas herdei a vida e não a eternidade.

balba1.jpg De repente tudo na vida vai ficando simples quando atingimos um determinado estágio mental. A gente vai perdendo grande parte das nossas qualidades e necessidades e ter apenas saúde, paz de espírito, independência e liberdade já me deixa feliz e contente. Reduzimos a bagagem, as opiniões dos outros tornam-se irrelevantes. Vamos abrindo a mão de certas certezas, pois já não temos a certeza de nada, bem como de certas verdades que depois de uma vida constatamos serem mentiras. Paramos de julgar, pois já não existe certo e errado, cada um escolhe o seu caminho desde que o percorra sorrindo e feliz. Por fim acabamos por concluir que o mais importante na vida é, vivê-la sem medos em independência física e mental fazendo apenas aquilo que nos dá gozo e prazer.

O sistema educacional religioso e académico foi inventado por esta sociedade medievalista e apodrecida para servir os seus próprios propósitos de cumplicidade entre ambos. O sistema perpetua-se não para nos ajudar, e esclarecer, mas sim, para nos manter na servitude humana. Sejam quais forem a origem dos mitos e lendas cujas raízes remontem á antiguidade, ou ao aparecimento de humanos programados com fins obscuros, manipulativos e com dons oratórios de persuasão e o poder populista de influenciar os nossos sentimentos, emoções, pensamentos e actos, explorando as nossas fraquezas é assustador.

ximbica2.jpg A linguagem política e religiosa destina-se a fazer com que a mentira soe como verdade e os crimes e assassinatos cometidos se tornem respeitáveis. Aconteceu com o catolicismo na época da inquisição e acontece hoje com os radicais Islâmicos. Aceitar opiniões e teorias sem evidências é o mesmo que entrar num táxi conduzido por um cego e dizer-lhe que o destino é a verdade. Todos nós nascemos, puros, livres e imaculados, aquilo que nos deixa nódoas para a vida inteira são as escolhas que terceiros fizeram sem a nossa permissão e nos manchou o cadastro.

A impermeabilidade da estupidez humana e da ignorância que com ela viaja atrelada, leva-nos a pensar que estes deficientes mentais, sofrem de uma patologia de não conseguirem viver com a realidade, enquanto que, a ilusão se agiganta dentro das suas mentes levando-os a conceberem realizar actos inconsequentes morrendo com eles como mártires. Só podemos prometer acções, mas não sentimentos pois estes são involuntários. Quem faz promessas de amar, odiar ou ser fiel para a vida inteira mente descaradamente pois promete algo que não está no seu poder controlar. Nunca brinque, hostilize ou ignore o tempo; com ele nós amadurecemos mas também apodrecemos bem depressa e quando caímos da árvore tornamo-nos em lixo descartável. Na solidão só existe um risco: é nos apaixonar por ela e tornarmo-nos celibatários ou misantropos. A grande maioria das pessoas tem um preço para se vender por notoriedade, amor, carinho, respeito, sucesso ou dinheiro, olhe para si e veja qual o seu preço de mercado se é que pensa ter algum que interesse a terceiros.

dia95.jpg Há uns anos que fugi refugiando-me na solidão, pois comecei a sentir-me uma ilha por estar rodeado de tantos idiotas e estúpidos que me cercavam por todo o lado picando-me com as ferroadas da sua ignorância e dependências mentais que os escravizavam a mitos demasiado pequenos e anões para o meu gosto. Seres superiores exigem muito de si, enquanto seres medíocres exigem muito dos outros. Pessoalmente não gostaria de me sentar numa sala e ver o filme de tudo o que fiz ao longo da minha vida, muito possivelmente vomitaria ou sairia a meio do filme nauseado, especialmente durante o período dos 25 até aos 50 anos. Sempre desvalorizei as críticas ou argumentos sobre determinados temas especialmente os religiosos que desqualificam as pessoas por não terem um conhecimento profundo sobre o assunto em debate.

Invariavelmente a grande maioria das pessoas formam as suas crenças não baseadas em evidências mas sim como resultado da sua doutrinação. Daí todas elas não passarem de marionetes puxados pelos cordelinhos da religião, ideologia política ou fanatismo clubista. Pense que na vida quem não é verbo, não tem sujeito, passando a ser objecto do verbo alheio. Em crianças engolimos de uma vez inteira a mentira religiosa disfarçada de verdade que nos acompanha até ao caixão, enquanto durante a vida as gotas da verdade se tornam amargas e difíceis de engolir. E para terminar o texto de hoje aqui vos deixo para meditação o seguinte: Nós todos somos luz e escuridão em maior ou menor escala, e quem não compreender esta dualidade, desconhece-se a si mesmo.

António José Canhoto. - 20-8-2020

 



PUBLICADO POR kimbolagoa às 18:29
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 2 de Novembro de 2020
A CHUVA E O BOM TEMPO . CXIII

MEDITAÇÃO DE T'CHING

Cronica 3075 - PARA ALÉM DAS APARÊNCIAS - 31.10.2020

Por

soba002.jpg T´ChingangeNo Algarve dp  M´Puto

cinzas4.jpg Hó gente -  guardai-vos dos que gostam de andar com vestes escapulárias nos lugares de banquetes e, devorando a palavra para justificar seus princípios. Isso! Da malamba (palavra) de dissimulada aparência de piedade sem lógica plausível. Daqueles que para seu "ego" buscam impressionar pessoas pelas aparências. Falácias políticas - de quem tem o poder ou, de outros com recursos a o poder ter.

Pois! Também das pessoas que nada têm com que chamar a atenção, para além do mero barulho que fazem, semelhante ao de uma lata vazia que só raspam sons, que fazem barulho...

helder12.jpg Sons que rolam na contramão da vontade daqueles que, supostamente, apenas ensejam conquistarem a simpatia do povo. Povo que só quer ficar submisso às suas tradições.

É aqui que nos deparamos com a "vaidade" - vaidade ostentada até por líderes religiosos contraponto o brilho da autenticidade do escrito: “Aprendam de Mim, porque sou manso e humilde de coração”...

A propósito, o termo “vaidade” tem origem nas palavras latinas vanitas, vanitatis, significando vacuidade, vazio. “Como espuma de sabão” que, “quando circula pelo ar, se mostra preciosa'.

duardo0.jpg Vaidade - a luz externa que imprime brilhos fantasiosos, atractivos e bonitos mas que dentro, nada contém. Em um instante, “plaf”, rebenta, desaparece. Converte-se no que sempre foi: - “nada”.

E, há infelizmente, muita gente assim. Gente que ocupa os primeiros lugares em eventos honoríficos; gente condecorada, que recebem saudações como se o fossem: ilustres. Não! Não sigam aqueles que adoptam esses comportamentos...

dia63.jpg Tão enganoso é o coração, que precisamos atentar para os reais motivos de nossos actos, de modo que não escorram por entre os dedos motivações secretas, impróprias, que normalmente, até tentamos esconder...

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 12:13
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 1 de Novembro de 2020
A CHUVA E O BOM TEMPO . CXII

A VIDA É UM DESAFIO - Força M'PUTO!

MEDITAÇÃO DO T'CHING... Crónica 3074 - 29.10.2020

Por

soba002.jpg T´Chingange – No Sotavento Algarvio – M´Puto

mamoeiro.jpg Hoje há desafios a enfrentar; sempre os houve e haverá como o foram em idos tempos na travessia do Jordão, nas muralhas de Jericó, na instabilidade do próprio povo com os inimigos ao seu redor. Nas muitas pestes, negras ou brancas entre e fora de muros para conter ímpetos...

Por isso, era preciso ter coragem, confiança e fé tal como nos dias que correm. Os recursos serão outros mas, as angústias serão inexoravelmente muito parecidas. Os holocaustos sucedem por causas nem sempre decifráveis. A natureza confirma-nos sua superioridade...

mandrak5.jpg A Fonte da virtude, estará bem ao teu lado como esteve com Josué e os peregrinos há muitos anos atrás no seu percurso rumo a uma pátria. Além das provas comuns do dia-a-dia, há os desafios para se viver a vida, num mundo no qual parecemos por vezes, transitar na contramão.

Nós também precisamos de coragem, pois em nossa peregrinação rumo ao Futuro, há obstáculos incontáveis, conhecidos e desconhecidos. Ao estabelecermos objectivos elevados ou sermos chamados a desempenhar uma grande tarefa, precisamos estar dispostos a pagar o preço. Isso requer coragem!

malangatana2.jpg Sempre haverá situações, ou mesmo pessoas e governos que tentarão fazer-nos fugir ao dever porque tal coisa, tal procedimento, não nos parece justo! Permanecer firmes no posto e cumprir nosso dever até o fim é uma atitude que também exige coragem.

A alegria das conquistas e a paz da consciência da missão estão reservadas somente aos corajosos. Precisamos dela para contrapor com o “assim diz o Senhor Ministro” ou "assim fala o Presidente", na onda de descaso aos princípios que cada qual ache.

ÁFRICA1.jpg A "Natureza" é nossa fonte de coragem, afinal, a coragem que não resulta da certeza da presença dum qualquer Deus em que se acredite. No fundo sempre apelamos a Ele mas, o Ele estar connosco não passa de atrevimento e presunção! Pode esvai-se como o ar de uma bexiga tocada com um alfinete. M'Puto, aiué, diria minha empregada Mary, natural de Kampala...

Se pararmos para considerar nossas limitações diante dos adversários e obstáculos grandes ou minúsculos, certamente entraremos em desvantagem na luta. Nós só temos de fazer a nossa parte - ter o medo necessário, que se torna um aliado nesta dependência que por vezes, muitas vezes, nos leva a buscar a ajuda do meu tio, "O Nosso Senhor" - FORÇA!

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 11:48
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quarta-feira, 28 de Outubro de 2020
KALUNGA . XIII

MOKANDAS XINGUILADAS NO TEMPO - OS “NOSSOS” CÃES SELVAGENS…  

Crónica 3073 - Moçâmedes / Baía dos Tigres /Angola – 28.10.2020

- Xinguilar: Palavra angolana que significa entrar em transe em um ritual espiritual…

soba k.jpg As escolhas do Kimbo

Por:

tigres5  - Joáo sá Pinto.jpgJoão Sá Pinto

swakop6.jpg A primeira vez que ouvi falar na Baía dos Tigres, foi no início de 1960, em Benguela, quando ofereceram ao meu avô, um cachorro, que diziam ser da raça “Cão da Baía dos Tigres”. Veio numa caixa de madeira do leite “Nido”, trazido por um amigo do meu avô e que teria estado a trabalhar, como caldeireiro, nas pescarias da Baía dos Tigres e de Porto Alexandre. Contou-nos alguns factos sobre a Baía dos Tigres e esta raça de cachorros desconhecida para nós.

Algumas dessas coisas contadas, eram certamente exageradas, mas a convicção que na altura narrou os factos pareciam-me bem reais; dizia ele que: “estes cães vivem em matilhas, lutam com leões e hienas, pescam e bebem água do mar (*)”. Ao cachorro pusemos-lhe o nome de Leão, nunca lutou com os leões ou hienas e nem sequer foi à pesca. De uma bola peluda, resultou num belo animal de cor negra e de grande porte. Foi muito fiel aos donos, mas agressivo para com os estranhos, viveu mais de uma década, sempre num recinto fechado e só ao anoitecer era solto no quintal.

tigre01.jpg Fiquei com muita curiosidade em saber mais sobre estes animais, sobre os quais não se sabe bem a origem. Uma das teorias aponta para que uma embarcação de holandeses, vindo do extremo oriente, ali naufragou e os animais trazidos a bordo, incluindo cães de uma raça com características especiais, ali foram deixados ao abandono, evoluindo ao longo dos anos até a raça actual.

Uma outra ocorrência no início dos anos 1900 na cidade de Moçâmedes, quando de um grande surto de raiva, fez com que governador da cidade mandasse capturar todos os cães sem dono e deportá-los para a Baía dos Tigres, onde foram abandonados e que ao longo dos anos também poderiam ter-se adaptado às condições ali existentes. São apenas algumas das teorias sobre a origem desses animais por aquelas terras. Cerca de 1962 a baía, por erosão do seu istmo, separou-se do continente angolano, passando-se a chamar-se Ilha dos Tigres, a maior ilha angolana, facto que acentuou mais o isolamento dos animais que ali viviam.

tigre4.jpg Nunca estive na Baía dos Tigres, mas muitos anos depois de terem oferecido um cachorro de raça “Baia dos Tigres” ao meu avô e no cumprimento do meu serviço militar obrigatório, houve uma situação em que viria a recordar a Baía dos Tigres e também dos seus cães. Cumpri o meu serviço militar como oficial de engenharia militar na Direcção da Arma de Engenharia, ocupando o cargo de chefe de redacção do seu jornal informativo.

tigres6.jpg Tive como uma das tarefas atribuídas, escrever a história das companhias de engenharia destacadas nas guerras do ultramar. Tive acesso e li centenas de relatórios de comandantes dessas companhias, que actuaram na Guiné, Angola e Moçambique. Num dos relatórios de um desses comandantes, mencionava o facto de lhe terem atribuído a função de visitar vários pontos isolados de Angola, entre os quais a Baía dos Tigres. Como comentário final desse relatório, destaco a frase: “Estranha terra, esta, a Baía dos Tigres, onde os cães pescam e bebem água do mar (**), onde existe um hospital, uma escola e uma igreja, mas nem o hospital tem médico, nem a escola tem professor e nem a igreja tem padre”.

João Sá Pinto

tigres3.jpg ADENDAS

Adenda (*) - Teresa Sá: Numa explicação mais detalhada acrescento o seguinte: de menor densidade, as gotículas de água doce ou seja, o orvalho da noite (o nosso cacimbo) depositadas em noites sem vento na crista das ondas, permaneciam por algum tempo sem se misturar com a água do mar. Era assim, logo pela manhã, bem cedo que os cães se jogavam ao mar para matarem a sede. Eram um relógio da natureza bem intrincado! Acredito que, em noites de vento esse orvalho não se depositasse e, eles quebrassem esse ritual lambendo as pedras roliças impregnadas desse cacimbo. É realmente muito interessante e estimulante pensar-se em tudo isto.

CAUNI 2.jpg Adenda (**) - Nos anos 50, o veterinário Dr. Abel Pratas, após a escolha e captura de vários exemplares selvagens, obteve o apuramento e a estabilização de uma nova raça de cães que, mantendo a designação "Baía-dos-Tigres", foi registada oficialmente. Julgo que a raça já não existe por vários motivos, entre eles a descolonização. É possível que os cães dos Bóhers fossem da raça "Leão da Rodésia" (Ridgeback). Ver no Google em "Cães da raça Baía dos Tigres", na página "Gente do meu Tempo (Baú de Recordações) ". O texto é longo mas interessante.

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 17:19
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 24 de Outubro de 2020
KWANGIADES . XXXIV

COQUEIROS DA LUUADe quando a Malta do Macoco, lutava contra o inimigo comum, a Malta do Cú Tapado  -  20.10.2020

NO MEU ANTIGAMENTE NA VIDA - Crónica 3072 (do Kimbo)

kimbo 0.jpgAs escolhas do Kimbo

Por: Carlos Pinho(*)  (Folha 8)

coqueiros3.jpg Naquele tempo, lá na primeira metade da década de 1960, na cidade de São Paulo de Assunção de Luanda, sim já naquele tempo, Luanda se escrevia com “u”, pois que no atrás do tempo em que Loanda se escrevia com “o” ainda era mais lá no antigamente na vida e eu ainda não tinha existência. Pois nesse meu antigamente, em que era monandengue, ia lutar de espadachim lá nas Barrocas dos Coqueiros, eu e os meus kambas colegas de bairro, todos nós candengues, nós, a Malta do Macoco, lutávamos contra o inimigo comum, a Malta do Cu Tapado.

O termo Cu Tapado não tem nada de ofensivo, era um pequeno bairro adjacente ao Bairro dos Coqueiros, lá numa rua que era e é um beco sem saída, ou dito numa língua mais fina, um “cul-de-sac”. E nessa luta a ressuscitação era imediata e os inimigos, eram no final, irmãos. Pois naquele tempo, nós eramos heróis espadachins, não havia nem brancos nem negros nem mestiços, mas apenas nós e eles, os da Malta do Macoco e os da Malta do Cu Tapado. Havia apenas a irmandade dos espadachins, carrinhos e trotinetas de rolamentos, que competiam rua abaixo antes, da polícia nos dar uma berrida.

coqueiros 1.jpg E, eu tinha ainda a minha “chica”, calão luandense (caluanda) para bicicleta. Uma BSA comprada na Casa Americana, edifício que é hoje uma universidade privada que certamente nunca dará aos seus alunos as alegrias que me deu a minha “chica”. Eu trocava passeios na minha “chica” por corridas de trotinete ou de carros de rolamentos. Eramos putos da rua numa irmandade feliz e multirracial. Naquele tempo eu aprendi a nadar lá na praia da Corimba que fica lá para os lados da Samba. Praia com pé até dizer chega, onde só perneta se afogava.

Ah! Naquele tempo! Criança não tem maldade, só sonhos pueris. Colocávamos calção de banho quando chovia e sentávamos no meio da enxurrada barrenta que vinha lá das Barrocas dos Coqueiros. Aí a polícia não nos dava berrida, os chuis fugiam da chuva. Mas a vida prega-nos partidas, cerca de dez anos depois, numa tarde de um domingo, julgo que dia 20 de Outubro de 1974, já nos meus 20 anos, passeio a pé ao longo da Praia da Corimba, lá para os lados na Samba, com a morte na alma. Fazia mentalmente o meu adeus à minha querida Angola, pois já adivinhava que esta iria passar por meio século de guerras, ódios, maldições, danações…

baú3.jpg Pessoa amiga me avisou, vai-te daqui ou acabas em vala comum. E foi verdade! Grande parte da minha geração acabou em valas comuns por mor do 27 de Maio de 1977 e do grande timoneiro do MPLA. O tal genocida que é uma referência para uns tristes mentecaptos. Foi aí, nessa tarde de domingo de 20 de Outubro de 1974 que aprendi, na minha alma, lá dentro dela mesmo, mesmo, mesmo, o verdadeiro significado do ditado quimbundo, “dor de desgosto é pior que dor de facada”.

Hoje, olho para trás e lembro-me recorrentemente da música do Duo Ouro Negro, “Amanhã” e então de mansinho choro baixinho só para mim:

“Amanhã,

Peço ao meu lema que faça com que eu volte

A morar na terra amada que me viu nascer

Quero chegar de madrugada

Para ver o sol raiar

Quero chegar de madrugada….. hoo

Para ninguém ver, se eu chorar”

baleozão00.jpg No próximo dia 26 de Outubro de 2020, faz 46 anos que vim viver para Portugal. Nem eu sem bem porquê, mas contínuo à espera de Angola. Angola que se dizia ser uma promessa de futuro, mas que é unicamente uma certeza de um passado infinitamente sofrido. Quanto a futuro nem sonhá-lo, quanto mais vê-lo, mesmo que fosse ao longe. Mesmo que fosse de bem longe! Aqueles, a quem foi entregue o destino do país, que se consideravam uma referência porque, segundo eles, na mata tinham lutado por algo melhor, foi-se a ver, não passaram (e não passam) de um bando de malfeitores, que lutadores dos maquis, nada tinham (e nada têm). Com efeito, os verdadeiros lutadores caíram no esquecimento e alguns dos mais significativos foram inclusivamente varridos na paranóia pós 27 de Maio de 1977.

baleozão7.jpg Acho que há por lá uns ex-combatentes que vão recebendo uns tractorzitos. Quem tomou o poder em Angola foram aqueles que em tempo de luta já se passeavam por Brazzaville e Kinshasa e capitais europeias, curtindo o dinheiro que devia ser para a luta no terreno. Só que arranjaram um terreno mais bem simpático só para eles. Certamente que não pertenceram nem à Malta do Macoco nem à Malta de Cu Tapado, nem a qualquer das outras “Maltas” que, naquele tempo, pululavam por Luanda. Ou se porventura tivessem pertencido, degeneraram em patifes e carniceiros. Soubéssemos nós então, e as espadeiradas teriam sido mais fortes.

(*) Professor da FEUP – Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto

Escolha do Soba T´Chingange  Niassalês da mulola do Rio Seco… Kamba kiami ami! Mungweno… E. afinal, o que está ruim, pode mesmo, piorar...



PUBLICADO POR kimbolagoa às 11:42
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 15 de Outubro de 2020
KALUNGA . XII

MOKANDA DO EDU

HISTÓRIAS DE VIDA – Politicas e não só…15.10.2020

- Crónica nº 3069

Por                                                

Torres0.jpg Eduardo Torres

kimbo 0.jpgAs escolhas do KIMBO

ara3.jpg Eu não sou nem nunca fui muito interessado em política, porque de um modo generalizado, não acredito nos políticos. Aceito que como classe, seja um mal necessário para a governação de um país, mas como tudo na vida, por vezes, por necessidade de escolha, tem que se utilizar os meios ao nosso alcance, mesmo que eles não sejam do nosso inteiro agrado. Isto sucede com todos os povos; pode-se questionar o sistema político, as liberdades ou condicionalismos, mas a razão de uns, não implica a falta de verdade dos outros.

Vem isto a propósito do povo alemão. Os alemães viram-se envolvidos em duas grandes guerras. Na primeira, em l914, tentaram dominar a Europa, e perderam a guerra. O Sudoeste Africano passou a ser um protectorado inglês, sob a administração da União Sul-Africana, na altura, uma colónia inglesa.

araujo100.jpgAlguns anos volvidos, salvo erro, em l939, tinha eu seis anos de idade, iniciaram a segunda grande guerra, acabando por perdê-la, tal como a primeira, com o Hitler a personalizar a ambição de criar uma nação de um povo puro, ariano, que haveria com a vitória final, de controlar a Europa e parte influente do mundo. Começou a perder a guerra, com a invasão da Rússia, depois de estes serem obrigados a abandonar tudo, num recuo estratégico, queimando o que fosse alimentação.

arau44.jpg Mas, em Estalinegrado, numa série de combates, de Setembro de l942 a Fevereiro de l943, o sexto exército alemão sob as ordens de Von Paulus cercados pelas tropas soviéticas comandadas por Rokossovsky e por Yeremenko, acabou por capitular; aí, começou a grande derrota alemã em mais uma guerra que deixou a Nação destruída e, que se reconstruiu graças ao Plano Marshall, plano de cooperação económica dos Estados Unidos para a reconstrução da Europa (l948).

A Alemanha ressurgiu das cinzas, voltou e continuou a ser um dos países mais influentes na Europa, quiçá do mundo, e basta ver hoje a sua forte posição na União Europeia, para entender que sua força económica, ainda dita leis. Com o problema da saída do Reino Unido da União Europeia, suponho que profundas alterações irão surgir; isso, a acontecer, que surja numa realidade diferente para uma aproximação de facto de todos os países que a integram. É necessário um justo equilíbrio que venha a permitir aos países de economia mais vulnerável ganharem capacidade de produtividade e concorrência.

araujo 29.jpg Sendo assim, que o seja numa competição leal obedecendo aos principios para que foi criada a União, com 27 países. Felizmente, já se pôde verificar um entendimento entre os países de economia mais forte e os de países com economia mais fraca. Quanto ao seu funcionamento, a ajuda, para o ser possível frente às diversas vicissitudes no aspecto económico, sempre estarão pendentes do actual coronavírus e, de modo a que todos os países fiquem em igualdade de circunstâncias. É desejável que a Europa esteja o suficientemente forte para enfrentar esta nova e diferente postura da humanidade.

Ilustrações de Costa Araújo 

ECT



PUBLICADO POR kimbolagoa às 14:28
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quarta-feira, 14 de Outubro de 2020
KALUNGA . XI

 

MOKANDA DO EDU

A HISTÓRIA DA VIDA - Apalpando as medidas recordadas – 14.10.2020

- Crónica 3068

Por

torres23.jpgEduardo Torres

kimbo 0.jpgAs escolhas do KIMBO.

lub2.jpg Sete anos depois. Sete anos se passaram em que eu e as minhas duas filhas viajámos até África, com destino à Namíbia aproveitando para nos deslocarmos Angola. Tivemos assim a oportunidade de voltar ao Lubango, Benguela, Lobito e Moçâmedes. Claro que encontrei diferenças, volvidos tantos anos passados, desde aquele domingo de Agosto de 1975 em que deixei definitivamente a minha terra.

Deixei desgostosamente a minha terra para garantir segurança e sustentabilidade económica à família; foi uma aventura que felizmente teve um desfecho optimizado e, até ultrapassando as minhas próprias expectativas. Encontrei diferenças suficientes para já não me identificar com aquela cidade que sempre amara e continuo a amar.

lub1.jpg Ao deixá-la, também o meu nome ligado a inúmeras moradias nos vários bairros, prédios e, essencialmente na colaboração de obras municipais, ficaria solto ao vento do tempo e das politicas de governação. Entre outras aponto o edifício do Pavilhão de Exposições, a esplanada capela à entrada da feira, Pavilhão da Tundavala, tudo projectos do arquitecto Ludovice, como urbanizações dos bairros de Sto. António, Benfica, da Serra, e outras espalhadas pela cidade fruto de sua expansão.

Sá da Bandeira, a actual Lubango, era uma cidade ordenada e limpa, porque obedecia a normas urbanísticas e de projecção de expansão futura; o que encontrei nesse então foi uma cidade desmesuradamente grande e suja, com um crescimento atabalhoado e sem disciplina. Compreende-se, devido ao acolhimento de quem fugira a uma guerra incontrolada, como incontrolada era a construção de casotas feitas a qualquer preço, em qualquer espaço vago e sem regras urbanísticas.

lub6.jpg Uma cidade que deixei com cerca de 100.000 habitantes, e que fui encontrar, segundo informação, com quase um milhão. Uma cidade envolvida por uma outra envolvente que se formara em seu redor, tornando-a grande. Manifestamente muito pouco ou nada já tinha a ver com a outra que deixara às pressas. Hoje não sei como funciona, mas penso que uma integração harmoniosa o quanto baste, não será fácil de conseguir.

Sei agora, pelos documentos fotográficos que tenho recebido, estar com um aspecto diferente para melhor do quando a visitei à sete anos (2013), Noto estar a ser recuperada, crescendo de forma mais ordenada com bairros novos bem integrados e, que o governador tem feito um trabalho merecedor da minha gratidão.

lub8.jpg E, porque no meu corpo continua a correr o sangue da terceira geração da descendência da primeira colónia madeirense, relembro o suor com dor, lágrimas e amor com que se abriu os caboucos que delinearam a cidade que viria a ser o Lubango, cidade aonde nasci. Aos velhos será cruel deixá-los privados de respostas e será de bom senso até, não se lhes fazer perguntas de passados não amistosos porque dos muitos dias, das muitas noites, das muitas injustiças pode sem se o querer, saírem à luz do tempo a mostrar às gigantescas presenças de gente que foi ferida.

lub7.jpg E, daí abrirem-se gavetas com choros, ou mesmo gavetões, com ossários feitos pó. Que importância terá, saber-se agora se a mulher de Lot, em Sodoma, ao olhar para trás se transformou em sal-gema ou sal marinho ou, até saber se a embriaguez de Noé, foi de vinho branco ou de vinho tinto se neste agora, sabemos nada poder mudar. Agora temos alternativas e até podemos ajudar sem rancor, os vindouros sem nunca esquecer os obreiros que tudo começaram a partir de singelos barracões cobertos a colmo…

ECT



PUBLICADO POR kimbolagoa às 22:42
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 12 de Outubro de 2020
MALAMBAS . CCXLVII

NAS FRINCHAS DA VIDA – (06.07.2017) – 10.10.2020

Crónica 3066 - Malamba, é a palavra

- Somos divididos socialmente, não somente pela cor, ou forma de vestir mas, e também, pelas nossas posições no tempo… 

Por

soba25.jpg T´Chingange  - no Al Garbe do M´Puto 

calçadão do rio de janeiro.jpg Neste nosso curso de enfrentar os conhecimentos, todos os dias serão uma prova à adaptabilidade humana das várias instituições que nos governam. Teremos forçosamente de modificar nosso caracter de existência para aprender esta permanente transitoriedade. Uns dias atrás um amigo meu fez reparo àquilo que eu disse, de que nós sempre seremos o fruto da mudança afirmando que com ou sem essa tua (minha) teoria de transitoriedade nós seremos sempre os mesmos. 

Esse meu amigo mora em uma ilha grande e tem um cão chamado de aspirinas. Em verdade a palavra aspirina surgiu oficialmente pela indústria alemã Bayer a 10 de Outubro de 1897. Se imaginarmos que meu amigo nasceu lá por volta de 1840, seu cão nesse então teria outro qualquer nome assim como Sócrates, o filósofo ateniense do período clássico da Grécia que morreu 3 anos antes de Cristo.

rapa1.jpg Daqui se reproduz uma situação que deriva desta mesma palavra, “situ” do latim que quer dizer sítio e “acção” que quer dizer acto ou execução. Pode por analogia deduzir-se a partir disto que as linhas de delimitação entre o Sócrates e o “aspirinas” cachorro, são a duração do espaço de tempo durante o qual a situação acontece! Meu amigo ilhéu de nome Freitas, hoje talvez chamasse ao seu apirina “Samsung”, um nome bem mais recente e de acordo com seu hodierno viver, numa lógica evolutiva transitoriedade.

Em verdade o primeiro telemóvel do Fernando da Ilha era um quase pesado tijolo e hoje e um fino Smartphone que cabe num pequeno bolso das cuecas. A este número crescente de situações às quais não se aplica esta nova, traz-nos implicações psicológicas tornando um simples facto em situação explosiva. Para se sobreviver, o indivíduo tem de se tornar infinitamente mais adaptável e hábil do que nunca.

kimberly2.jpg Eu e, este meu migo Freitas da lha e todos os demais, teremos de procurar maneiras de fixação, totalmente novas e sempre transitórias pois que nossas antigas raízes tal como a religião, a pátria, família, nossas vivência de um bairro da Luua, nossa comunidade ou profissão, estão a ser abaladas. Abaladas pela força ciclópica do impulso acelerativo; e daqui, só seremos premiados se nosso comportamento modificar nosso carácter de existência.

Daqui, termos de compreender a transitoriedade! O computador apareceu lá pelo ano de 1950 quando eu já comia côdeas com leite retirado da cabrinha; sua característica de função, quantidade e velocidade, transformou-se em uma grande aceleração de conhecimentos, e isto, é poder! É mudança! O computador, é quer se queira ou não, o artefacto que elevou a humanidade a uma exponencial de espantosa novidade.

dia95.jpgA aceleração do conhecimento é uma das mais importantes e talvez a menos compreendida de todas as formas sociais e, que naturalmente abala as nossas instituições. Claro que o ritmo crescente de mudança perturba o nosso equilíbrio interior e, até modifica a própria maneira de como experimentar a vida acelerando a integridade. Esta aceleração de mudança, complica e muito a estrutura de nossas vidas, diversificando-nos nas formas que temos de representar e o número de papeis com uma inerente opção de obrigatoriedade.

GOLF1.jpg Obrigatoriedade de assim fazer, explicada a asfixiante sensação de complexidade da vida contemporânea. Não será exagero, dizer-se que a realidade hodierna origina mal-entendidos entre pais e filhos, entre homens e mulheres, americanos e europeus, cristãos ou muçulmanos, gente do Leste ou do Oeste. Somos assim divididos não somente pela cor, ou pela posição social ou económica mas, e também, pelas nossas posições no tempo. 

O Soba T´Chingange

 



PUBLICADO POR kimbolagoa às 17:54
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 17 de Setembro de 2020
KALUNGA . IX

MOKANDAS XINGUILADAS NO TEMPO. Crónica 3060

Moçâmedes / Baía dos Tigres /Angola - OS “NOSSOS” CÃES SELVAGENS – 14.09.2020

- Xinguilar: Palavra angolana que significa entrar em transe em um ritual espiritual… 

Por:

tigres1 Teresa Sá Carneiro.jpg Teresa Sá Carneiro

kimbo 0.jpg As escolhas do Kimbo

tigre01.jpg Tive uma infância feliz e muitos cães à minha volta como não poderia deixar de ser. Desde muito pequenos, eu e meus irmãos, vivemos entre eles. O nosso 1º, o querido Lumumba, um “vira-latas” rafeiro, amoroso que chegou a nossa casa no colo do meu pai (lembro como se fosse hoje) foi o nosso companheiro fiel até à adolescência. Acredito ter sido algum presente de um cliente pobre pois, era assim que meu pai, advogado, recebia o pagamento por trabalhos que fazia. Davam-lhe presentes lindos, sem qualquer sombra de dúvida. Ao chegar a casa e ao pousá-lo no chão da varanda, imediatamente, o Lumumba escondeu-se atrás de um vaso de flores. Tenho esta imagem gravada na memória tal como a do último dia que o vimos com vida, também em nossa casa, muitos anos depois. Algum tempo depois tivemos o Bobi, lindo, grande, de pelo grosso cor castanho-caramelo, que chegou a nossa casa acompanhando um amigo nosso de infância e, nunca mais quis ir embora.

tigres2.jpg Dócil e igualmente amoroso, ao contrário do que se dizia sobre o temperamento da sua raça, ele era um cão da Baía dos Tigres, região de cães selvagens. Por este motivo questionava-se se seria uma raça boa para conviver com crianças pequenas mas, a verdade é que ele foi o nosso fiel companheiro, e tal como o Lumumba, o grande amigo daqueles tempos de infância. A Baía dos Tigres era uma península isolada no Distrito de Moçâmedes, que depois se transformou em ilha nos idos anos de 1940, sem nada produzir nem plantar nas suas areias secas. Não havia água em nenhum lugar. Uma história ligava estes cães de raça " Cão Tigre" à minha cidade de Moçâmedes, outrora um dos maiores centros de pesca de Angola e, depois abandonada - vila fantasma. A pequena vila foi fundada por pescadores do Algarve, por volta de 1860, mas séculos antes já tinha entrado nos mapas de portugueses e ingleses pela invulgar quantidade e qualidade de peixe, que lhe valeu a alcunha de "Great Fish Bay".

tigre5.jpg Conta-se que no inicio do século XX teria acontecido um surto de raiva em Moçâmedes, e que o governador da época teria dado ordem para se executar todos os cães da cidade. Muitos donos rebelaram-se contra aquela situação e não querendo perder seus animais de estimação, resolveram metê-los num navio na calada da noite e levá-los para um local longínquo onde não pudessem ser encontrados. Assim, rumaram até à Baía dos Tigres que consideraram ser o melhor lugar para deixá-los. Ali já existia uma raça selvagem de cães deixados pelos Holandeses, os Bóhers, quando da ocupação da África do Sul e com a chegada dos cães da minha cidade resultou no cruzamento que levou à raça “Tigres”. Imperava a lei da selva onde só os mais fortes sobreviveriam; tornaram-se uma raça diferente. Eram ferozes, naturalmente selvagens. Adaptaram-se ao meio e, sobreviviam.

tigre02.jpg Pelo hábito de nadar para encontrar alimento, tornaram-se excelentes nadadores. Eles bebiam água do cacimbo enquanto as gotículas não se misturavam com a água salgada. Era na crista das ondas do mar que encontravam essas gotículas adocicadas para matarem sua sede. E, assim esta raça, sobreviveu adaptando-se às condições agrestes daquele deserto, um canto das terras do fim do mundo. Viviam em matilhas, completamente isolados, alimentando-se de peixes e focas que vinham na Corrente Fria de Benguela desde a Costa dos Esqueletos - Cape Cross, aparentemente sem precisar de água para viver - ouvia meu pai dizer isso desde muito pequena, sobre aqueles cães.

tigre9.jpg Mas tudo não passava de uma cisma, acreditava eu! Viviam em nossas casas como qualquer outra raça, e não eram poucos, pela cidade. Realmente cães grandes (impunham um certo respeito) mas,  os domesticado, não faziam mal a ninguém.  Devo ao Bobi uma aventura da minha pré-adolescência; a minha guarda até altas horas de uma noite após ter chegado a casa depois de uma festa de aniversário de uma amiga. Meus pais tinham saído, meus irmãos já dormiam, e uma familiar que estava em casa com responsabilidade de me abrir a porta adormeceu; claro que fiquei do lado de fora. Sentei-me no chão da varanda sem saber o que fazer e já quase dormitando em cima da pedra, sinto o Bobi puxar-me pela roupa e, lá fui eu com ele. Levou-me até ao outro carro do meu pai que estava no fundo do quintal guardado na garagem da casa. Entrei, tonta de sono, deitei-me no banco de trás; ele sentou-se do lado de fora, de plantão. Sei que a porta do carro estava fechada mas não me lembro de ter sido eu a fazê-lo. Foi assim que meus pais me encontraram, já alta madrugada, mas só após terem ido àquela hora até casa da minha amiga aniversariante para saberem onde eu estava. Foi uma noite tensa! Este foi o Bobi o “feroz” cão Tigre que nos acompanhou por tantos, e tão felizes anos da nossas vidas.

tigre0.jpg Adenda 1 - Teresa Sá: Numa explicação mais detalhada acrescento o seguinte: de menor densidade, as gotículas de água doce ou seja, o orvalho da noite (o nosso cacimbo) depositadas em noites sem vento na crista das ondas, permaneciam por algum tempo sem se misturar com a água do mar. Era assim, logo pela manhã, bem cedo que os cães se jogavam ao mar para matarem a sede. Eram um relógio da natureza bem intrincado! Acredito que, em noites de vento esse orvalho não se depositasse e, eles quebrassem esse ritual lambendo as pedras roliças impregnadas desse cacimbo. É realmente muito interessante e estimulante pensar-se em tudo isto.

luderitz14.jpgAdenda 2 - José Augusto D. Ferreira: Conhecia a história dos cães "Baía-dos-Tigres". Eram, remotamente, descendentes dos "Cães d`Água" algarvios, levados de Portugal pelos pescadores que os utilizavam como auxiliares na pesca. À mistura com cães domésticos ou de estimação, foram levados clandestinamente para a Baía dos Tigres com a intenção de os resgatar mais tarde, por fazerem falta no trabalho. Pelo isolamento, cruzamentos sucessivos, e auto-selecção pela lei do mais forte, adquiriram características uniformizadas. Nos anos 50, o veterinário Dr. Abel Pratas, após a escolha e captura de vários exemplares selvagens, obteve o apuramento e a estabilização de uma nova raça de cães que, mantendo a designação "Baía-dos-Tigres", foi registada oficialmente. Tive a oportunidade de ver alguns deles em Luanda, numa das exposições realizadas para a divulgação da raça. Castanhos ou negros, pela pelagem e morfologia faziam lembrar os "Cães-de-Água", mas eram maiores. Julgo que a raça já não existe por vários motivos, entre eles a descolonização. É possível que os cães dos Bóers fossem da raça "Leão da Rodésia" (Ridgeback). Ver no Google em "Cães da raça Baía dos Tigres", na página "Gente do meu Tempo (Baú de Recordações)". O texto é longo mas interessante.

luandino2.jpg Adenda 3 - Anónimo: O nome de baía dos tigres deve-se ao facto de, por efeito dos ventos formarem-se nas dunas junto à praia listas a toda a altura das mesmas c/ alto e baixo-relevo, umas com a cor castanha da areia outras mais escuras, o que visto do mar lembrava a pele de um tigre.

A baía dos tigres tinha nos anos 60, administração e junta de freguesia, posto da guarda-fiscal, correios, hospital, delegação marítima escola primária, igreja de S. Martinho dos Tigres, um clube desportivo e recreativo, uma carreira aérea bissemanal. Inicialmente a vila era abastecida de água por navios da companhia portuguesa "Sociedade Geral" posteriormente com a conclusão das obras de captação na foz do rio Cunene, acabou o racionamento da água.

Foi uma festa a sua inauguração. Inúmeros habitantes dedicaram-se logo ao cultivo de pequenas hortas, plantio de árvores casuarinas. Tudo morreu, tudo foi abandonado com todas as incertezas antes e pós independência do país.

Foi pena pois muita gente, ainda hoje tem saudades daquela terra inóspita, difícil, que foi habitada por homens e mulheres, Madeirenses de coragem que ali investiram toda uma vida de trabalho e onde ficaram sepultados os seus antepassados.

Teresa Sá Carneiro - 14-9-2020



PUBLICADO POR kimbolagoa às 11:21
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quarta-feira, 16 de Setembro de 2020
KANIMAMBO . LXX

REGRAS DE VIDA - A liberdade de sermos saudáveis ou morrer por coisas impensáveis

-  Crónica 3059

Kanimambo é obrigado em dialecto Changana de Moçambique …

Por

soba02.jpgT´Chingange – No M´Puto … Al Garbes

4 DE JUNHO.jpg Na nossa língua Lusa que advém do latim, da junção dos termos CUM e TEMPLUS, originou a palavra “contemplação”, um espaço aberto que nos leva a interpretar os sinais do futuro e, aonde cabe ver-se o infinito dilatado de nossa existência. Assim, numa necessidade de aprender a arte de viver com conteúdo substancial, vivenciaremos o ganho de consciência de que estamos dentro do tempo.

Fazendo ou produzindo, aprendemos necessariamente a arte de viver com a capacidade de aferir a cada momento o direito de se ser. E afinal, o que nos permite relançar a vida, serão coisas, muitas e pequenas, que necessitamos reaprender com as variações em sua maior parte, alheias a nós – obrigações.

deserto1.jpeg Temos, quando temos e, quem tem, uma casa com varanda mais um terraço com vistas para o jardim e também o alcance a um lugar que visitamos, um recanto para passear e ler uma revista, um livro ao fim do dia, dar um passeio à montanha a ver o pôr-do-sol vendo lá à distância a praia com o sol a reluzir reflexos na água que nos cegam; a neblina que desce ao cair do lusco-fusco.

Paraíso de estampa estival luzindo nossa cabeça, tracejando nossos caprichos – um dia de cada vez sem um fito utilitário de se chegar a algum lado. Há dias e dias! Há dias de um irritado pessimismo e outros de tão naturalmente optimistas que como um carneiro, jogamos orgulhos contra obstáculos de repetidas coisas.

tanzânia II 058.jpg Eternas repetições de males antigos, males de imaginações insatisfeitas, amargas desilusões sem fermento na tristeza. Sem vontade de tormentos, certo! … O certo é de que quanto mais se sabe mais se sofre. Há fastio de inteligência! Há tédio! Há vontade de mandar tudo fora e partir vidraças, emudecer brilhos, despedaçar bocejos.

Mas, desde quando um carneiro tem orgulho? Tão abarrotado de civilização, espreito os meses farejando raças sob o abrigo de suas telhas vãs no calor da lareira, panela atestada de couves tronchas, frigideiras com unto branco de porco, uns chouriços de pendão.

carvão4.jpg Em verdade a idade de ouro, da prata deu lugar ao nióbio e colton, minerais e novas ligas a desfasar panelas tisnadas, trempes de ferro sempre aquecidas entre troncos de oliveira e borralho esparramado. Tudo mudou desde Nova Yorque a Istambul ou de Luanda a Dar-es-Salam e, sopra um vento que machuca com exilio nosso interior intelectual, emparedando nossos mosaicos bizantinos e, até amaciando com cal o rosto de Cristo.

Nos fios de gastas crenças, tão corcovado, tão gasto, enrodilhado em suas macias filosofias de mineiro de volfrâmio, recordo meu pai Manel, embebido, travado e suspirando baixinho, revendo sua miúda indecisão de viver, vendendo volfrâmio a Hitler para sobreviver. Um dia de repente, com um trejeito de esforço, meu pai, endireitou-se emperrado e cresceu! E, falou: - Amanhã vou à Companhia Colonial de Navegação inscrever-me - Vou para Angola! E, foi…

mouzinho1.jpg E, eis que um amigo virtual das redes sociais insistiu comigo para ouvir a “conversa com Deus tida por Spinoza”, alguém que nem sei quem é. Como um hermeneuta ouvi e até anotei dizeres tentando interpretar o sentido das palavras, ajustá-las ao conhecimento e leis universais mas, desconsegui.

Porquê!? Porque considerando os códices e textos sagrados ou até a arte da imaginação, anoto aqui e agora o pensar que me fez correr a pena. Nesta literatura de aspecto volátil, coisas desprendidas, teremos de conceber haver situações que ainda estão em construção nas equações de nossas vidas como por exemplo o espaço-tempo que é quadrimensional, união de pontos chamados eventos. Chegado aqui, meu substrato pifou; vou ali e já venho…

Nota: Publicado em KIZOMBA  do FB a 13 de Setembro de 2020

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 10:39
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 13 de Setembro de 2020
CAFUFUTILA . CXXX

TEMPOS DE 100KIBOM. O Pão, a vida e NOÉ ... Divagações do T'Ching – Crónica 3058

– PARALÉM DA JUSTIÇA... Dois pesos e duas medidas

Por

soba002.jpg T´Chingange No M´Puto, Al Garbes

Cafufutila / kifufutila: Farinha de bombô com açúcar; Kibom é um sorvete do Nordeste brasileiro…

roxo3.jpgÀ expressão “dois pesos e duas medidas”, frequentemente mencionada no contexto dos negócios e relacionamentos do dia-a-dia, atesta que as pessoas em geral estão muito distantes desses nobres princípios... “Usem balanças de pesos honestos, tanto para cereais quanto para líquidos, foi dito no capítulo de leis do livro dos livros, que visavam proteger os direitos dos pobres, trabalhadores, surdos, cegos e estrangeiros lá no antigo mundo com Moisés anunciando ordem ao povo...

roxo10.jpg2 Assim como nesse tempo, também hoje nenhum privilégio concedido à nação justificará o tratamento discriminatório de qualquer cidadão – A distância mínima de dois metros serve para não se lançar kifufutila nos olhos, boca, nariz e orelhas dos outros. Assim o deveria ser mas, na prática, a verdade fica debilitada logologo na acção da justiça hodierna... A missão de justeza naqueles idos tempos, incluía a todos. Pessoas de qualquer origem deveriam ser amadas e acolhidas pelos donos do mando a fim de que fossem atraídas ao verdadeiro exemplo. Eram valores a respeitar...

ROXO18.jpg 3 Havia uma razão pela qual os israelitas e outros senhores, governadores e imperadores, deveriam ser honestos no trato com o semelhante: Isso era tudo para um povo que desejava fazer diferença e honrar seu nome em libertado. Não podemos hoje esquecer-nos desse princípio de valores. Se entre nós não pudermos encontrar justiça e integridade, onde e aonde poderemos considerar haver condições no mundo global em que, não desprezem esses valores? Sim! Aonde…

ara3.jpg4 Afinal, quando é que iremos ter "uma boa medida, calçada, sacudida e transbordante? Isso! Quando é que que esses “Paraísos Fiscais” serão alento para perpetuarmos a raça humana e, não somente, alguns. Usando esse antigo linguajar, qual a medida a usar para todos nós, que somos tantos, muito mais que muitos!? Como nos vamos medir... Alguns acreditam que a medida original do pé inglês era a do rei Henrique I da Inglaterra, que tinha um pé de 30,48 cm. Pois então, teremos em dois metros, 78,777 polegadas ou 2,18 jardas. Mas, será pelos pés, pelas mãos, pelo pensamento pelas acções? Não! Talvez pelo dinheiro, que tudo tende a comprar...

arau162.jpg5 A expressão comum no comércio oriental, “medida calçada, sacudida e transbordante” indicando que aquilo que fosse pesado ou medido deveria ser prensado, sacudido e, de modo que transbordasse do recipiente para benefício de quem receberia... Esses antigos tinham sua forma de pensar com retorno garantido: “A medida que usarem também será usada para medir vocês.” Pois! Eu, em tempos calçava a medida de sapato 73 mas, minguando, já só calço o 72 e, de unhas cortadas...

araujo102.jpg6 Normalmente, associamos estes princípios às questões materiais mas nesta fotografia falada teremos de não esquecer que para além de negociar, trocar, comprar e vender coisas, há virtudes e valores espirituais e fraternos a compartilhar de justiça e generosidade... Coisas dadas ao abandono! No choque do presente, um mundo imperfeito, também muito redondo nos silêncios, acho melhor nem referir o nome do patrão, do chefe ou do presidente. Eles são políticos e comem na mesma gamela… As circunstâncias medrosas não permitem que abra uma frente de guerrilha sem haver razões independentistas.

Ilustrações de: Assunção Roxo -1.2.3 e Mano Corvo Costa Araújo - 4.5.6

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 10:16
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sexta-feira, 21 de Agosto de 2020
FRATERNIDADES . CXXVI

ANDO ENKAFIFADO – OPÇÕES DE VIDA

- O tempo não passa pela amargura mas, a amargura passa pelo tempo… 21.08.2020

- Os humanos de hoje são bem piores que seus antepassados. Põem os filhos nas creches, os pais nos asilos e vão passear os cães para os porem a cagar e mijar nas ruas…

 t´chingange 0.jpgAs escolhas de T´Chingange

Porcanhot3.jpg António José Canhoto (Diniz Costa) a 20-08-2020

arau44.jpg (C.A.)OPÇÕES DE VIDA - O ter-se liberdade já é um direito à desigualdade, pois a pior desigualdade e fazer duas coisas diferentes iguais. Em princípio a igualdade repugna o homem, pois o maior empenho de cada um é distinguir-se e notabilizar-se para se desigualar. A igualdade pode ser um direito democrático e constitucional, mas não existe poder algum sobre a terra capaz de a tornar numa realidade. Em teoria podemos concordar que todos somos iguais, contudo na prática, só alguém insano pode pensar ser possível aplicar essa igualdade.

Deixe de pensar como o escritor Alexandre Dumas no seu livro os 3 Mosqueteiros os quais tinha a máxima: “Um por todos e todos por um”. Nesta nossa vida e mundo de antropofagia cada um tem de ser por si próprio num salve-se quem poder, numa selva em que os mais fracos são “comidos” e escravizados pelos mais fortes economicamente. Ninguém virá ajudar a levantar aqueles que tropeçam e caem ou salvar, se estiverem a afogar-se. Saia da sua torre de marfim pela porta ou pule pela janela, mate o dragão que o atormenta, acorde sem um beijo ou um abraço, faça-se refém de si mesmo e arreganhe os dentes, vá bem armado para a luta e mostre ao mundo quem é o lobo mau, mate a avozinha e faça amor com a netinha.

Avillez2.jpg - As nossas existências resumem-se a um período que se prolonga entre a nascença e a morte, ou dito de outra maneira, é um lapso de tempo que acontece entre duas eternidades de escuridão. A primeira acontece desde a data da inseminação dentro do útero das nossas mães, e a outra quando fisicamente deixamos de existir e de novo partimos para a eterna escuridão. Aprenda a fazer falta e a sentir-se desejado. Nunca lute por espaços na vida de ninguém e muito menos se diminua para lá caber.

O maior medo da humanidade é abrir a cortina do conhecimento e descobrir que tudo o que acreditava nunca existiu. Tudo o que ouvimos são opiniões e não factos comprovados. Tudo o que vimos são perspectivas, não são verdades ou realidades. Não perfilho da filosofia niilista como resposta adequada para a vida quando a mesma foi celebrizado pelo filósofo Friedrich Heinrich Jacobi. Contudo o seu conceito da negação de qualquer crença religiosa, social ou política agrada-me quando a sua finalidade se destina a obter um estado de consciencialização pessoal maior, mais adulto e evoluído.

roxo91.jpg(A.R.)Pessoas certas e perfeitas não existem. Todos nascemos mais ou menos errados e imperfeitos, mas só os conscientes e racionais procuram ao longo dos tempos ter consciência dos seus aspectos negativos e aperfeiçoá-los. Todos somos os lapidadores do nosso próprio diamante em bruto tal como nascemos. Há uns milhares de anos atrás, éramos apenas humanos ou em evolução para a obra de arte que hoje somos.

 A partir do momento que evoluímos e permitimos que a raça nos tenha desligado, a religião separado, a politica dividido e o dinheiro classificado, passámos a ser mais imperfeitos devido aos preconceitos que adquirimos do que à inocência que nos caracterizava há milhares de anos atrás. Os humanos de hoje são bem piores, põem os filhos nas creches, os pais nos asilos e vão passear os cães para os porem a cagar e mijar nas ruas e muitos dos energúmenos dos seus donos nem os dejectos apanham. Um amigo meu dizia com alguma propriedade, a vida é um cu, e cada um tem o seu.

araujo172.jpg (C.A.)Uns sujos outros limpos. Mas nenhum é perfeito pois todos fazem merda mais tarde ou mais cedo. Se alguém matar para roubar um automóvel é errado. Mas se alguém matar o ladrão para o recuperar já é legítimo. O direito de matar para recuperar a nossa propriedade torna-se mais valioso do que a sagrada vida do ladrão. Ando a pensar em comprar uma bicicleta mas pensando bem, isso será um desastre para a economia do meu país. Evita que eu compre carro, faça financiamento ao banco e pague juros, não compre gasolina que o governo taxa de forma injusta e insana, não precise de alimentar mecânicos pagando-lhes 50 euros por hora de mão-de-obra.

Não preciso de seguro nem de pagar estacionamento. Não fico obeso devido ao exercício físico, antes pelo contrário, fico saudável, não pago a médicos privados nem às farmácias, medicamentos que não preciso. Faça a experiência de tentar mergulhar dentro de si mesmo e veja se morre afogado em conhecimento ou de sede pela ignorância e consoante o seu diagnóstico reabilite-se fazendo os ajustamentos necessários. Deve ser tremendamente triste e sentindo dó de nós próprios quando se nasce, vive e morre com a sensação de nunca termos existido, porque quando olhamos para trás ao rasto que deixamos na nossa passagem pela vida apenas encontramos vazios e espaços brancos e, longos demais porque nunca foram vividos. 

roxo90.jpg (A.R.) - A vida não condiciona nem coloca barreiras a ninguém; é como um mundo sem fronteiras, e os únicos limites que você pode encontrar são os pensamentos limitativos dentro da sua mente os quais se podem tornar nos seus piores inimigos. Evite as pessoas que para lhes explicar algo precisa de desenhar, mas mesmo assim ainda necessita de explicar o desenho e finalmente para que a compreensão seja feita ainda terá de desenhar a explicação. Existem duas coisas importantes na nossa vida que moram dentro de nós: O motivo e o momento. Teremos várias vezes o mesmo motivo, mas nunca o mesmo momento, pois estes são irrepetíveis quer seja para nos deixarem recordações inesquecíveis ou por serem tão negativas que sentimos a necessidade de as obliterar da nossa mente de imediato.

arau1.jpg (C.A.) -E para terminar este meu texto aqui vos deixo uma história que me foi contada há muitos anos mas que jamais a esqueci. “Dizem que antes de um rio entrar no mar, ele treme de medo. Olha para trás, para toda a jornada que percorreu, para os cumes, montanhas, planícies e vales sinuosas que trilhou através de países, cidades e vilas e vê á sua frente um oceano vasto e profundo onde vai desaguar e desaparecer para sempre. Não há maneira de o rio poder retornar para a nascente, assim como ninguém pode atravessar a água do mesmo rio duas vezes duas vezes. Voltar atrás é impossível na existência de um rio ou pessoa. O rio precisa de aceitar a sua natureza e entrar no oceano. Somente ao fazê-lo o seu medo se irá diluir, porque apenas nessa altura o rio saberá que não se trata de desaparecer, mas sim, em ele se tornar em oceano também.

Ilustrações de: Assunção Roxo (A.R.) e Mano Costa Araujo (C.A.)

António José Canhoto… 20-8-2020

 



PUBLICADO POR kimbolagoa às 08:36
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 20 de Agosto de 2020
KAPIKUA . XXX

SERÁ QUE VOCÊ SABE O QUE FAZ?

MEDITAÇÕES DO T'CHING - 20.08.2020

O risco da vida que, por coisa pouca muda nossas vidas… Crónica 3053

Por

t´chingange2.jpg T'Chingange - No M´Puto

relog1.jpg Há um provérbio que diz que a sabedoria do prudente é entender o seu próprio caminho, mas a estultícia dos insensatos é enganadora. Um amigo envengelico de militância, manda-me coisas prudentes e, vai daí aguça-me o engenho da faladura. Uma pessoa prudente é sábia pois, sabe o que faz! A vida não é para ela apenas a sucessão de acontecimentos casuais. Ela pensa, medita, avalia seu procedimento, corrige o rumo de sua vida e recua quando percebe que está errada.

O termômetro para medir a “temperatura” de suas acções é a palavra vinda de cima, diz ele sem definir a dimenção quântica do tempo; se vem do além, do passado ou do futuro singindo-se a um agora, beliscado na singularidade dum nanosegundo... Se esta é a tocha que ilumina o seu caminho, acho bem que se lhe dê valor porque, somos só uma ilusão tal como o foram D. Afonso Henriques,  o Marquês de Pombal, o D. Pedro Imperador do Brasil, de Portugal, do Algarves e terras Dalém mar...

afon0.jpg E, também do Dom  Nuno Álvaro Pereira que venceu a Batalha de Aljubarrota, o Patrono dessa Ordem de Aviz que agora é indevidamente usada para atemorizar gente disparatada dos neurónios... Gente que não sabe estar, que risca a vida dos outros com mateba do mato feito morro, pintando portarias e arcadas com sangue a fingir de raiva com ódio...

Por este motivo. os minutos que você passa a sós com Nosso Senhor,  com a Natrureza, com o Alá e, ou o Buda mais o Seilásié ou o Chico Xavier que psicografou centenas de estórias. Antes de iniciar as actividades do dia, é indispensável reflectir sobre a sobrevivência do salmão! Para quê!? Para uma vida produtiva de todos os que cacarejam....

GALO0.jpg De todos os que arrulham, palram, gemem, gritam, urram, zurram e também os que grasnam, miam e assobiam com dois dedos enfiados nas goelas. Não basta apenas saber “como” realizar bem o seu trabalho. Fazendo as coisas com eficiência, você sempre será um bom empregado, um bom patrão, um bom governante ou cozinheiro mas e, se tomar tempo para pensar por que faz o que faz; E, se pensa demais,  acabará sendo um líder, ladrão, sindicalista ou Juiz com muitas varas, mais do que as de que José necessitou para tingir o Rio Nilo... E, nós todos ficamos quilhados com novos Zésares...

“A sabedoria do prudente é entender o seu próprio caminho”, dizia Salomão, primo afastado do tal Salmâo... Assim, antes de tentar entender o caminho dos outros, entenda o seu.. Não existe fórmula mais perfeita para a eficiência...

O caminho dos tolos é diferente. Eles acham que sabem tudo e em realidade nada sabem. Apenas pensam que sabem, como eu que também tenho uns problemazitos nos carretos da engrenagem e, por isso, saio de meus muxoxos galagando impossibilidades. E, posso dizer que quando se engole desaforos, o resultado é a frustração e o desapontamento; E então, vou fazer como: - Ou mato ou morro - uma técnica de guerrilha, sábia de escapar  entre as bissapas  mesmo correndo o risco de me meter na selva do feijão maluco  ou,  cheirando formiga cadáver...

formiga cadáver1.jpg Você sabe o que faz e porque faz? Não tema aprender e, não se encolha, aconselhe-se, consulte. A receita para permanecer na ignorância sobre qualquer assunto da vida é  ficar satisfeito com suas opiniões e contente com o que sabe ou lhe dizem! A vida se encarregará de provar que você estava errado ou certo! Trabalhe o discernimento.

Faça deste dia, um dia de avaliação. Revise os seus procedimentos, analise sua trajetória e não se amofiine por não ter dito nesse então; diga agora! Nunca é tarde para começar de novo. Sempre é tempo de aprender e, surpreender...Está separando o tempo necessário para dialogar com seus filhos? Ou espera que tudo aconteça por acaso? Deixe-se de moleza e reflita nestas duvidas. Refletir é próprio de gente sábia...

dyo2.jpg Ser sábio ou insensato - Eis a questão! O tal do Além, sempre estará pronto a guiar e mostrar um caminho melhor àqueles que com humildade de coração o buscam. Não esqueça: “A sabedoria do prudente é entender o seu próprio caminho, mas a estultícia dos insensatos é enganadora”. Lembrem-se sempre do Sócrates Luso! Sim! Deste e, do outro que era Grego... Grego da Grécia!

Uma feliz Quinta, Sexta e Outras feiras

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 07:52
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 17 de Agosto de 2020
XICULULU . CXXVII

FRINCHS DO TEMPO - Janelas para a vida – 17.08.2020

Xicululu - Olho gordoCrónica nº 3050

Por

soba002.jpg T'Chingange - No Sul do M'Puto

fifa3.jpg Na hora certa, só tu existes para decidires como fazer teu caminho. A tua atitude diante das dificuldades da vida dependem da dimensão de tua fé e preparação espiritual para venceres. Se tens um Deus fabricado, qualquer problema será uma barreira na tua visão.

O ser humano é contraditório; gosta de pequenos deuses, afeições apenas para acalmar a consciência como “chaveiros”, “amuletos, “figas”, “estrelas” entre outros. Por repetição faz isso de forma automática e por isso  acaba acreditando em sua intuição.

javali1.jpg Limita-se a acompanhar sua crença confiante mas, haverá um certo dia que a tragédia pode chegar de forma inesperada e é diante das circunstâncias difíceis da vida, que se  descobre que todos esses pequenos conceitos intuitivos caem por terra como meros paliativos.

Paliativos que nada fazem mudar; que nada resolvem porque num repente dependes de factores adversos e, te sententiás nesse então nada na pequenez de tua ilusão caindo em desânimo... Sem aparente recurso!

gel2.jpg É essa realidade que levará um de cada nós a súplicar autoconfiança perante um Santo Graal bem na cave duma ligação secreta com acesso directo ao cofre. Cofre contendo os montantes dos lay-off e, todos os rendimentos mínimos para um qualquer cidadão continuar vivo.

Assim, viver um momento terrível confrontando-se com o delirio: - “Estou aflito e necessitado.” Da perspectiva humana, parece não haver solução - como ter forças sem delirios nem lágrimas para lavar o coração da angústia que o sufoca...

lampi2.jpg E assim, como pode uma multidão protestar em casa com a morte dum cidadão negro lá nas américas? O Deus dele não estava acima de qualquer outro deus qualquer e, mesmo suplicando não foi ouvido pelo Deus e puliça brancos...

Sendo evidente que quem respira está a resistir, confronta-se com uma ilegalidade, um quase crime, porque em verdade, uma pedra aceita a imobilidade de forma pacata.

pedras00.jpg Qual é o drama que você vive neste momento? Qual é a tragédia que parece destruir a vida de alguém que pede para respirar! Sentir-se indefeso, incapaz de fazer algo para se  ajudar, limitando-se a morrer.

Antes de iniciar a caminhada destes dias, separe uns minutos para meditar na grande estranheza da sua própria história não coincidir com aquele a quem Deus o não livrou por usar uma nota de vinte dólares falsificada! Eu, que ando com duas notas sujas mas, verdadeiras, trazidas da Tanzânia, que servem de talismã, dava-lhas de boa vontade - para o ver continuar vivo!

O Soba T'Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 20:14
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

MOKANDA DO BRASIL . XIV

ANDO ENKAFIFADO NAS MALAMBAS

Existem algumas diferenças entre o contentamento e a alegria porque “a palavra não foi feita para enfeitar, brilhar como ouro falso; a palavra foi feita para se dizer” – Afinal Deus é branco e deveria ser Zebra para não  ser***: - racista, Noé!?

Malambas, são as palavras - Crónica 3049 17.08.2020

soba25.jpgAs escolhas de T´Chingange – No M´Puto do Al-Garbe

Via: - Maria João Sacagami ... Por: Burro Ramos

chicor4.jpg A máscara para mim é um instrumento de medo, de amordaçamento, de controlo, de subserviência. Um sujeito usando máscara pra mim, é o símbolo crónico e cabal do subjugo do ser humano que se sujeita aos mais impossíveis estratagemas para se manter vivo. A máscara para mim, é a prova mais viva de que o homem morre de medo da morte, portanto, indicia não ter compreendido, não conhece o caminho espiritual da vida.

Até um dia destes, recentemente, qualquer um que aparecesse na rua com uma máscara seria reprovado pois que máscara é ferramenta de bandido, de assaltante. Hoje, não usar máscara é coisa, indício de genocida. Entender assim, como a mente humana combina essas informações virando a chave da lógica e, de repente, indícios de uma doença, é um mistério...a não ser que... forças ocultas tenham um profundo interesse em testar um modelo de controlo psicossocial global…

cov3.jpg Toda a vez que vejo ou ouço "todo mundo usando máscara" impossível que minha mente não rebusque os estudos escatológicos da marca da besta que para mim é a mesma coisa. Mesmo modus-operandi. E falo isto agora, porque ainda me é permitido, porque eventualmente,  em um futuro próximo já não me permitam mais dizer o que penso...

A piedade “high tech” moderna, agora vem revestida de sua nova embalagem: O politicamente correto! Se por ventura, escorrega na narrativa, se destoa no canto uníssono do coral das muitas vozes da correcção liberal, você é demonizado, é bloqueado ou desterrado para o canto do silêncio. Sucede no Facebook, nas fiscalidades dum qualquer governo ou até pela máquina robot que faz triagem das noticias e fotos.

Têm que concordar! Tipo assim, se você usa máscara, você ama vidas; se você não usa a coisa, você é um monstro que não respeita vidas. Nas metáforas do evangelho nunca foi isso dito; pelo menos no evangelho que aprendi na vida desde minha infância. Dá para sentir que o evangelho sempre foi subversão, sempre foi o contrário do que a regra diz, sempre foi a renúncia, o ser perseguido, o ser odiado, o ser impetuoso.

DIA76.jpg Agora, qualquer borrabotas feito prefeito ou presidente de uma autarquia, manda ordens para se cumprir, senão vai para o xilindró!…Dizer como Jesus e João diziam "arrependei-vos" nos dias de hoje é crime, é infame, é preconceito, é injúria, até quase desvirtuado na mente, que vira racista porque Deus não é preto e afinal como ficamos! Segundo os ditames actuais, todos tem que viver da maneira como lhe convém sem ser perturbado. Será!?

E nesta toada, se você deixa de seguir o padrão, no uso da máscara, lá está você digno condenado de linchamento social. Bom! Como sou um ser que vive sob o contracto social de Thommas Hobbes* Essa noção de contracto traz implícito que as pessoas abrem mão de certos direitos para um governo ou outra autoridade a fim de obter as vantagens da ordem social, pra não escandalizar o próximo.

HOOBS1.jpg Sempre que sou obrigado e, invariavelmente condicionado a usar essa porcaria de máscara, uso! Mas sempre sob protesto e explicações sobre o que penso disto. De mais, jamais, jamais, jamais, colocarei esse troço na cara por obediência civil ou por medo de morrer de gripe… Se fizerem a chamada da lista dos escravos do sistema, meu nome não estava lá**…

Nota* : -Entenda-se: indica uma classe de teorias que tentam explicar os caminhos que levam as pessoas a formarem Estados e/ou manterem a ordem social….) 

Nota **: - O mais provável é encontra-lo no necrotério…

Nota***: - Essa noção de contrato de Thommas Hobbes traz implícito que as pessoas abrem mão de certos direitos para um governo ou outra autoridade a fim de obter as vantagens da ordem social. Nesse prisma, o contrato social seria um acordo entre os membros da sociedade, pelo qual reconhecem a autoridade, igualmente sobre todos, de um conjunto de regras, de um regime político ou de um governante. O ponto inicial da maior parte dessas teorias é o exame da condição humana na ausência de qualquer ordem social estruturada, normalmente chamada de "estado de natureza". Nesse estado, as acções dos indivíduos estariam limitadas apenas por seu poder e sua consciência. Desse ponto em comum, os proponentes das teorias do contrato social tentam explicar, cada um a seu modo, como foi do interesse racional do indivíduo abdicar da liberdade que possuiria no estado de natureza para obter os benefícios da ordem política.

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 19:15
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 16 de Agosto de 2020
MOKANDA DO BRASIL . XIII

ANDO ENKAFIFADO NAS MALAMBAS 16.08.2020

“A palavra não foi feita para enfeitar, brilhar como ouro falso; a palavra (malamba) foi feita para se dizer”… Crónica 3048

SOBA SCL 2020.jpg As escolhas de T´ChingangeNo M´Puto do Al-Garbe

Por: Jorge Serrão – No Brasil – (s) e Carlos Maurício Mantiqueira – No Brasil – (m)

brasil1.jpg As narrativas mentirosas (perdão pela redundância) continuam dominando o noticiário político de maneira vergonhosa. Os anjinhos da extrema midia de canhota se superaram. A versão fantasiosa de golpe militar do Bolsonaro é totalmente patética. Parece o conto de enviar o cabo e o soldado ao Supremo.

Só alguém muito sem noção vai embarcar na ideia de que o chefe do Executivo pensou em enviar militares para destituir os 11 membros do STF, substituindo-os por militares, para restabelecer a autoridade do presidente, que, em sua visão, vinha sendo vilipendiada pela Suprema Corte.

Pura narrativa que não merece crédito. Quem quer dar golpe não fala para o coleguinha general que vai dar golpe. Simplesmente dá o golpe e comunica depois. Como nada aconteceu, é mais uma lenda da esplanada para tentar pintar o Bozo como "fascista". Para com isso... Mais fácil acreditar na frase de efeito proclamada pela empregada da lavandaria do Palácio da Alvorada - e que não sabemos por que os oráculos da revista Piauí não pescaram no ar: - Tanque no STF? Só se for para lavar as togas sujas!

brasil2.jpg Não podemos aceitar o Brasil da Corrupção, do Crime, da impunidade e da “Ditatoga” (entenda-se por Ditadura…). É necessário um choque de honestidade, transparência e correcção na condução da coisa pública. Vamos começar a virada a partir da eleição municipal de 15 de Novembro. Que Deus Supremo, aquele real acima de Todos, permita que STF não imponha o tratamento via “Ozônio Retal “ contra o “Kung Flu”.

Os brasileiros já cansaram de tomar no covid... Proteja-nos, Presidente!

Enquanto isso, deve ter “tucanalha” apertadinho, talvez preferindo aderir ao tratamento alternativo contra Covid, com ozônio pela via anal, depois que a Operação Lava Jato mandou prender suspeitos de envolvimento em altíssima corrupção no Estado de São Paulo. Vade retro, Lava Jato!

bra1.jpg Um amigo extremamente optimista sempre diz: “Nasci nu; estou vestido. Lucro líquido!” Esta pandemia não foi uma crise comum, daquelas que já estamos acostumados. Nossos hábitos, estilos de vida e aspirações foram mudados para sempre. Esses lindos versos abaixo, de autor desconhecido por mim, definem bem o momento actual: "Um copo d'água, um pedaço de pão e nem sombra de leve mágoa tocará seu coração.”

Tantos os valores de uso das coisas como seu valor de estima, foram e estão sendo redimensionados. Hoje vivemos e temos nossas paixões, nossos ódios, nossas angústias e nossas esperanças. No futuro seremos apenas uma fotografia desbotada num porta-retratos empoeirado em cima de um móvel qualquer. Depois, nem isso. O Brasil seguirá como impávido colosso por ser obra Divina.

araujo169.jpg Nem todos os demónios de agora e do passado conseguirão impedi-lo de alcançar o seu brilhante destino. Terra que acolheu de braços abertos gentes de todos os rincões do mundo, de todos os credos, de todas as vitórias e derrotas, teve o dom de amalgamar esses bichos tão pequenos, sob a protecção da Cruz e sob a égide do Amor. O Amor pelo Brasil nos irmana a todos.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador - Suja a Jato

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 10:37
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Março 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


MAIS SOBRE NÓS
QUEM SOMOS
Temos um Hino, uma Bandeira, uma moeda, temos constituição, temos nobres e plebeus, um soba, um cipaio-mor, um kimbanda e um comendador. Somos uma Instituição independente. As nossas fronteiras são a Globália. Procuramos alcançar as terras do nunca um conjunto de pessoas pertencentes a um reino de fantasia procurando corrrigir realidades do mundo que os rodeia. Neste reino de Manikongo há uma torre. È nesta torre do Zombo que arquivamos os sonhos e aspirações. Neste reino todos são distintos e distinguidos. Todos dão vivas á vida como verdadeiros escuteiros pois, todos se escutam. Se N´Zambi quiser vamos viver 333 anos. O Soba T'chingange
Facebook
Kimbolagoa Lagoa

Criar seu atalho
ARQUIVOS

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

TAGS

todas as tags

LINKS
PESQUISE NESTE BLOG
 
blogs SAPO
subscrever feeds
Em destaque no SAPO Blogs
pub