Segunda-feira, 15 de Abril de 2019
MOAMBA . XXV

Dizem que já estamos no século XXI... 15.04.2019
”Esta gente foi a gente com quem me fiz gente. Hoje, não há gente… é tudo transgénico . "Quando os meninos me pediam "papel macio pró cu e roupa boa prá gente"…
TEXTO DE UMA PROFESSORA DE NOME LOURDES DOS ANJOS ... 

Moamba é cozido de galinha feito com azeite dendem 

kimbo 0.jpg As escolhas do Soba . No Nordeste do Brasil
Aqui se transcreve um texto que me fez lembrar o tempo... Curiosamente, em Rio de Moinhos, muito próximo de Rio Mau... perto do Porto... Um dos textos que mais me custou a escrever e por isso tem mais lágrimas do que palavras. Estávamos ainda no século XX, no longínquo ano de 1968, quando a vida me deu oportunidade de cumprir um dos meus sonhos: ser professora. Dei comigo numa escola masculina, ali muito pertinho do rio Douro, na primeira freguesia de Penafiel, no lugar de Rio Mau.

 lourdes dos anjos1.jpgEra tão longe, da minha rua do Bonfim, não podia vir para casa no final do dia, não tinha a minha gente, e eu era uma menina da cidade com algum mimo, muitas rosas na alma, e tinha apenas 18 anos. Nada me fazia pensar que tanta esperança e tanta alegria me trariam tanta vida e tantas lágrimas. Os meninos afinal eram homens com calos nas mãos, pés descalços e um pedaço de broa no bolso das calças remendadas. 
:::::
As meninas eram mulheres de tranças feitas ao domingo de manhã antes da missa, de saias de cotim, braços cansados de dar colo aos irmãos mais novos, e de rodilha na cabeça para aguentar o peso dos alguidares de roupa para lavar no rio ou dos molhos de erva para alimentar o gado.

araujo103.jpg As mães eram mulheres sobretudo boas parideiras, gente que trabalhava de sol a sol e esperava a sorte de alguém levar uma das suas cachopas para a cidade, “servir” para casa de gente de posses. Seria menos uma malga de caldo para encher e uns tostões que chegavam pelo correio, no final de cada mês. Os homens eram mineiros no Pejão, traziam horas de sono por cumprir, serviam-se da mulher pela madrugada, mesmo que fosse no aido das vacas enquanto os filhos dormiam (quatro em cada enxerga).
:::::
Cultivavam as leiras que tinham ao redor da casa, ou perto do rio e nos dias de invernia, entre um jogo de sueca e duas malgas de vinho que na venda fiavam até receberem a féria, conseguiam dar ao seu dia mais que as 24 horas que realmente ele tinha. Filhos, eram coisas de mães e quando corriam pró torto era o cinto das calças do pai que “inducava” … e a mãe também “provava da isca” para não dizer amém com eles…

arau162.jpg E os filhos faziam-se gente. E era uma festa quando começavam a ler as letras gordas dum velho pedaço de jornal pendurado no prego da cagadeira da casa…o menino já lia.. ai que ele é tão fino… se deus quiser, vai ser um homem e ter uma profissão! Ai como a escola e a professora eram coisas tão importantes! A escola que ia até aos mais remotos lugares, ao encontro das crianças que afinal até nem tinham nascido crianças…eram apenas mais braços para trabalhar, mais futuro para os pais em fim de vida, mais gente para desbravar os socalcos do Douro, mais vozes para cantar em tempo de colheitas.
::::
E os meninos ensinaram-me a ser gente, a lutar por eles, a amanhar a lampreia, a grelhar o sável nas pedras do rio aquecidas pelas brasas, a rir de pequenas coisas, a sonhar com um país diferente, a saber que ler e escrever e pensar no é coisa para ricos mas para todos, para todos. E por lá vivi e cresci durante três anos e por lá fiz amigos e por lá semeei algumas flores que trazia na alma inquieta de jovem que julgava conseguir fazer um mundo menos desigual.

araujo1.jpg E foi o padre António Augusto Vasconcelos, de Rio Mau, Sebolido, Penafiel, que me foi casar ao mosteiro de Leça do Balio no ano de 1971 e aí me entregou um envelope com mil oitocentos e três escudos (o meu ordenado mensal) como prenda de casamento conseguida entre todos os meus alunos mais as colegas da escola mais as senhoras da Casa do
Outeiro. E foi na igreja de Sebolido que batizou o meu filho, no dia 1 de janeiro de 1973.
:::::
E é deste povo que tenho saudades. O povo que lutou sem armas, que voou sem asas, que escreveu páginas de Portugal sem saber as letras do seu próprio nome. Hoje, o povo navega na internet, sabe a marca e os preços dos carros topo de gama, sabe os nomes de quem nos saqueia a vida e suga o sangue, mas é neles que vai votando enquanto continua á espera de um milagre de Fátima, duns trocos que os velhos guardaram, do dia das eleições para ir passear e comer fora, de saber se o jogador de futebol se zangou com a gaja que tinha comprado com os seus milhões, e é claro de ver um filmezito escaldante para aquecer a sua relação que estava há tempos no congelador.

arau163.jpg  Seus génios, os pequenos / grandes ditadores que até são seus filhinhos gente que vende aulas aqui, ali e acolá, os papás são todos doutores da mula russa e sabem todas as técnicas de educação mas deseducam os seus génios, os pequenos /grandes ditadores que até são seus filhinhos e o país tornou-se um fabuloso manicómio onde os finórios são felizes e os burros comem palha e esperam pelo dia do abate.
:::::
Sabem que mais?! Ainda vejo as letras enormes escritas no quadro preto da escola masculina, ao final da tarde de sábado, por moços de doze e treze anos com estes dois pedidos que me faziam: “Professora vá devagar que a estrada é ruim, e não se esqueça de trazer na segunda-feira, papel macio pró cu e roupa boa dos seus sobrinhos prá gente”. Esta gente foi a gente com quem me fiz gente.

araujo191.jpg Hoje, não há gente… é tudo transgénico. O povo adormeceu à sombra do muro da eira que construiu mas os senhores do mundo, estão acordadinhos e atentos, escarrapachados nos seus solários “badalhocamente” ricos e extraordinariamente felizes porque inventaram máquinas e reinventaram novos escravos.Dizem que já estamos no século XXI...”
Ilustrações de Costa Araujo Araujo
Li com prazer : O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 00:45
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 30 de Março de 2019
BOOKTIQUE DO LIVRO . XX

- O PADRE CÍCERO que eu conheci - Olimpica editora de Juazeiro - Amália Xavier de Oliveira - 29.03.2019 
Por

soba15.jpg T´Chingange - No Nordeste brasileiro 
::::: Livros em cima do criado mudo (mesa da cabeceira) 
1 - A minha Empregada - Editorial Estampa de - Maggie Gee 
2 - O ano em que Zumbi tomou o Rio - Quetzal - José E. Agualusa 
3 - O Último Ano em Luanda - ASA - Tiago Rebelo 
4 - BURLA EM ANGOLA – Burla em Portugal - Guerra e Paz – Susana Ferrador 
5 - História da riqueza de brasil – Estação Brasil – Jorge Caldeira 
6 - GLOBALIZAÇÃO de Joseph E. Stiglitz 
7 – VIDAS SECAS – Graciliano Ramos 8 - A viagem do Elefante – José Saramago – Da Caminho 
9 - O Livro dos Guerrilheiros de José Luandino vieira - Da Caminho 
10 -O CORTIÇO - Romance de Aluísio de Azevedo – IBEP – S. Paulo, Brasil. 
11 - O Romance “A Pedra do Reino” – José Olympio editores …Ariano Suassuma criar loja virtual.
12 - O PADRE CÍCERO que eu conheci - Olimpica editora de Juazeiro - Amália Xavier de Oliveira.

 booktique17.jpg::::::195

Juazeiro do Norte - Terra do Padre Cícero - "Uns doze graus abaixo da Linha Equinocial, aqui onde se encontra a Terra do Nordeste metida no Mar, mas entrando-se umas cinquenta léguas para o Sertão dos Cariris Velhos da Paraíba do Norte, num planalto pedregoso e espinhento onde passeiam Bodes, Jumentos e Gaviões sem outro roteiro que os serrotes de pedra cobertos de coroas-de-frade, mandacarus e babaçus. 
:::::196
- A bênção seu padre?! - Deus a abençoe,"Sia Aninha", como vai passando dos seus achaques? - Não vou muito bem não; Seu Padre não me ensina um remédio?...ensina a todo o mundo, mas a mim não ensina e eu tenho muito desgosto disto; queixava-se a pobre velha olhando vagamente, pois era cega, para o lado de onde partira a voz do sacerdote. O padre, sorrindo baixinho e olhando-lhe os olhos sem luz, disse, em tom de gracejo: " É Sia Aninha - santo da casa não obra milagres, mas, mesmo assim, vou ensinar-lhe um remédio.

pombinho3.jpg:::::197 - Pintura de Manuel Pombinho
Um diálogo assim servindo de prologo é um niquinho da descrição em notas que expressam a verdadeira história de Juazeiro no longínquo ano de 1910, ano em que se implantou a Republica em Portugal... Ano em que o Algarve passou a ser integralmente português. Mas, aceitando a opinião do escritor cearense João Brígido ficamos a saber que o Cariri foi principiado a povoar por aventureiros baianos chegados até ali através do Rio São Francisco, lá pelos anos de 1660 a 1662
:::::198
Mais tarde o Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves teve apenas dois reis, Dona Maria I e Dom João VI (que, antes da sua mãe, a Rainha Dona Maria I morrer, já governava como Príncipe-Regente). A capital do reino era a cidade do Rio de Janeiro, à época chamada apenas de Corte. A soberania de Sua Majestade Fidelíssima era exercida sob todas as colónias do Ultramar Português.

pombinho14.jpg :::::198 - Pintura de Manuel Pombinho
Narra o escritor Brígido que um negro escravo da "Casa da Torre" uma fazenda às margens do São Francisco fora raptada pelos índios Cariris; este que soube ganhar afeição dos selvagens adquiriu sobre estes uma notável ascendência pelos hábitos contraídos em suas relações com os brancos pelo que, no conhecimento perfeito de certas artes, levou estes ao caminho das terras boas da montanhas do Cariri. 
:::::199
Este invasores eram nem mais nem menos que os descendentes do Caramuru, o português que escapou de um naufrágio de uma nau francesa; livrou-se de ser devorado por captar nos índios a admiração com assombro pelo uso de seu fusil, bacamarte com que matou em voo, um peru do mato com estrondo deles desconhecido.

quipá0.jpg :::::200
E foram os descendentes do Brigadeiro Leandro Bezerra Monteiro que fizeram assento da sua ancestralidade: serem descendentes da linha directa de Caramuu, Diogo Alvares Correia que casou com uma das filha do Cacique Cariri, chamada Catarina Paraguassu. Assim se destacam o casal João Bezerra Monteiro E Caetana Romão Romeira Rodrigues de Sá, ambos naturais de Pernambuco.
:::::201
Foi este casal, os primeiros donos do Engenho Moquém, situado nas vizinhanças do Crato, cidade póxima a Juazeiro. Fixaram ali residência na Fazenda Zorés, no Município de Icó. Eles, eram a décima descendência do Diogo Alvares Correia natural de Viana do Castelo.

roxo109.jpg :::::202
O Reino do Brasil desmembrou-se com a independência do Brasil, a 7 de Setembro de 1822, proclamada pelo filho do Rei Dom João VI, D. Pedro de Alcântara de Bragança (futuro imperador D. Pedro I do Brasil e Rei D. Pedro IV de Portugal), que, antes da independência, era o herdeiro do trono como Príncipe Real do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves. 

cicero1.jpg :::::203
O Reino do Brasil, independente em 1822 e, por conseguinte, desmembrado do império ultramarino português, torna-se Império do Brasil em 12 de Outubro de 1822, com a coroação do Imperador D. Pedro I, confirmado em 25 de Março de 1824, com a outorga da Constituição brasileira de 1824. Assim, pouco a pouco lá chegaremos à vida do Padre Cícero, muitos anos depois do tal Caramuru e seus descendentes...
O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 11:51
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sexta-feira, 8 de Março de 2019
MALAMBAS . CCXV
TEMPO DE CINZAS – MALAMBA é a palavra – 07.03.2019
Marcelo do M´Puto ganhou a alcunha de Tio Celito na primeira vez em que esteve na Luua, na tomada de posse de João Lourenço, em 2017. Regressa agora para consolidar a reputação e a normalização luso-angolana. Tomara que seja…

soba15.jpg T´Chingange – No Nordeste do Brasil

Foi a 15 de Janeiro do ano de 2007 que eu e minha sobeta consorte, passamos a noite na Residencial Camões, bem perto da praça com o mesmo nome da cidade de Lisboa e, mesmo em frente da Embaixada do Brasil aonde iríamos obter o visto de residência permanente. Ficamos na Rua do Poço, um lugar em que os criados escravos e as escravas negras, do fim do século XIX levavam em baldes a merda e o mijo de seus nobres senhores moradores neste Bairro Alto de Lisboa, para um tal poço.

poço1.jpg Mas, esta rua é muito antiga! Antes disto e exactamente a 13 de Novembro de 1515 – século XVI, ou seja trezentos e muitos anos antes desta minha dormida em Lisboa, pode ler-se em arquivos da Torre do Tombo em uma carta regia de D. Manuel I escrita em Almeirim e dirigida à cidade de Lisboa, sobre a necessidade de se construir um poço para depositar os corpos dos escravos mortos. Salientava que haveria que se evitar a todo o custo os tão habituais surtos epidérmicos.

:::::
As barricas de penicadas do século XIX, eram despejadas neste poço ou directamente no Rio Tejo. No ar daquele então, havia um constante cheiro nauseabundo de merda e coisas putrefactas. O panorama era todo muito igual em Paris, em Londres, Madrid ou Roma. Esta é uma das razões porque os franceses têm dos melhores perfumes do Mundo. As pessoas não tinham o hábito de se lavar com frequência.

poço2.jpg Basta recordar a Catedral de Santiago de Compostela aonde desde a idade média se juntavam peregrinos idos de toda a Europa. O Bota-fumeiro gigante balouçando no átrio principal-altar da Catedral, era nem mais nem menos para fazer desaparecer o cheiro nauseabundo que acompanhava os viajantes. Hoje, não podem imaginar o fedor que soprava por entre aqueles antigos prédios das muitas cidades, do estrume acumulado nas travessas, becos com matilhas de cães mordiscando restos como se abutres fossem; também das centenas de carroças despejando toneladas de excrementos que por ali iam sendo pasto de milhares de moscas com milhões de bactérias.

:::::
D. João VI fugiu para o Brasil com sua corte levando consigo muitos inúteis nobres que viviam à sombra da linhagem. As moscas através do tempo mudaram bastante, mas há outro tipo de bosta nos dia de hoje, a dos comportamentos, da falta ou descuido dos políticos de alto coturno - o de não se manter o desejado nível de seriedade ou aprumo no trato entre nações que deveriam fluir tranquilidade. Terei de mencionar a falta de decoro nas relações diplomáticas fazendo de casos menores como o da JAMAICA uma empolgante notícia e, aonde ambos os países, Angola e Portugal terão de se sair envergonhados.

modas0.jpg Um pela descabida prepotência e o outro pela falta de decoro subestimando-se de forma pouco enaltecedora. O Portugal de hoje com um governo tripartido e descrente e a Angola actual do MPLA, desrespeitadora de princípios básicos de solidariedade. Se não houver comportamento de estadistas, se prevalecer a bajulação encardida de hipocrisia o quanto baste, quebrando algum do nosso orgulho, sempre subsistirá raspas de azedume. Nas bocas do povo surgem comparações com países de quarto mundo – é a JAMAICA mas poderia perfeitamente ser o Haiti… Angola e Portugal, no correr do tempo e consonante a evolução e relacionamentos em princípios sociais, não podem alinhar nesta diapasão de acasos destemperados.

:::::
Pode concluir-se que a ignorância de muitos, apazigua os espíritos duns quantos que se submetem, que se subestimam, que quase se poem de joelhos a pedir desculpas – desculpas indevidas! Haja paciência! Esta é outra merda - uma empobrecida quietude, morna quanto baste para aquietar expectativas de mudança. Triste realidade de submissão com fantasmas fabricados num passado: Angola – Portugal… quanta desilusão!

saramargo03.jpg Diz a carta de D. Manuel I, que os escravos eram mal sepultados e, muitos seriam mesmo lançados (...)"na lixeira que está junto da “Cruz da Pedra” a Santa Catarina (actual Rua Marechal Saldanha) que está no Caminho que vai da porta de Santa Catarina para Santos, ou para a praia onde ficavam à mercê da voracidade dos cães.

:::::
Para evitar as deletérias consequências de tantos cadáveres não sepultados, achava o Rei, "que o melhor remédio será fazer-se um poço, o mais fundo que pudesse ser, no lugar que fosse mais conveniente, no qual se lançassem os ditos escravos" e para ajudar a decomposição dos corpos, dizia ainda que se deitasse " alguma quantidade de cal virgem" de quando em quando.

poço6.jpg Tal medida seria cumprida pela Câmara que o teria mandado fazer no referido caminho para “Santos”, descendo a actual Calçada do Combro conhecido por "Horta Navia" (nome de uma divindade indígena após a ocupação Romana). A actual localização perdeu-se, mas a aproximação geográfica do antigo Largo do Poço Novo (actual Largo Dr. António de Sousa de Macedo) ao fundo da Calçada do Combro, nome que já nos aparece na segunda metade de “quinhentos”.

poço5.jpg Com as novas posturas do século XXI, ficamos na expectativa de não existir entre países irmãos, a tristes relações de estado originando um sintoma da maior frustração, para quem dali saiu com um tão grande sentimento de injustiça pela descolorida descolonização. Neste enredo carnavalesco de relações internacionais não podem agora à semelhança da idade média cagar-se no orgulho parecendo ser a dado momento a merda dum cenário, um enredo nada agradável a reviver para reforçar nosso desenraizamento ou um simples alheamento.

O Soba T´Chingange


PUBLICADO POR kimbolagoa às 01:08
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 13 de Setembro de 2018
MOKANDA DO SOBA . CXLV

ANGOLA DA LUUA XLV - TEMPOS PARA ESQUECER – 13.09.2018

Na ausência de estadistas, houve demasiados traidores…

Por

soba0.jpeg T´ChingangeEm Johannesburg

Já estamos longe daquele tempo, meses de Julho e Agosto de 1975; meses de polvorosa nas movimentações político-militares do M´Puto - a Metrópole. Com dados aleatórios no tempo aqui se descrevem situações que agora nem interessa saber se foram antes ou depois. Aconteceram! Em Portugal, partidos à direita do PS encaravam o futuro com alguma apreensão; naqueles dias chegava a vez dos social-democratas assistirem aos boicotes aos seus comícios - PPD.

:::::

De tão inchado de espantos, desenho-me entre antigos esboços, revendo-me nos desenhos das sombras, sendo eu próprio um grafites escanchado em cima dum touro que, visto de lado parece ser uma palanca. Os oficias do M´Puto preparavam uma estratégia para conter a alma danada da reacção. Não queriam condenar os golpes e contra-golpes a uns mero folhetim, decidindo criar uma comissão destinada a coordenar uma resposta operacional a eventuais tentativas de ataques.

star10.jpg Não será portanto, caso de estranhar de muitos de nós andarem agora, já passados 43 anos, assim como o camaleão, com um olho aqui e outro lá mais adiante, com a metade do raciocínio num sítio e a outra metade no ciberespaço. Pois assim tem de ser! Reinava na nação uma incessante excitação. Dia sim, dia não, estava para rebentar um golpe militar… Bem! Nós em Angola já estávamos nela; a metralha estava na ordem da manhã, da tarde e da noite. Era o tempo da conspiração e do mujimbo, estar-se sempre à espera de onde vem ou virá a próxima trama secreta.

:::::

Por lá, na metrópole dizia-se ser cada vez mais difícil perceber até que ponto é que tudo aquilo, em Angola não era apenas uma diversão; os três movimentos de libertação estavam em guerra aberta. A pouco mais de um ano depois da Revolução abrilista, a balança de pagamentos sucumbe. A fuga de capitais para o estrangeiro torna-se uma realidade. "A falta de confiança leva as pessoas a levantarem os seus depósitos para manterem o dinheiro em casa, ou a transferi-lo para a CGD", diz Silva Lopes, Governador de então no Banco de Portugal.

guerra22.jpg É ratificada pelo CR a criação do Directório para “assegurar a autoridade do poder”; Oficiais e praças do Regimento de Comandos da Amadora insubordinam-se contra o seu Comandante Major Jaime Neves e prendem o 2º Comandante Major Lobato Faria, entre outros militares e elegem como comandante interino o major Miquelina Simões. Entretanto, intensifica-se a ponte aérea que a partir de Angola e de outros territórios africanos e durante vários meses, vai fazer afluir a Portugal centenas de milhares de refugiados rotulados como retornados …

retornar3.jpgOs jornalistas estrangeiros, espantados, levantam questões pois que estava já em curso um movimento geral de ocupações em terras do Alentejo; existia um grupo de pessoas que, apesar das circunstâncias adversas, continuava a trabalhar para que Portugal voltasse à normalidade. Pouco a pouco iam saindo do seu silêncio.

:::::

O Governador do Banco de Portugal, Jacinto Nunes, comunica a entrada para o Banco de Portugal do ex-ministro dos Assuntos Sociais Mário Murteira, para ocupar o lugar de vice-governador. "A minha função no BP era conceber um mecanismo de acompanhamento dos comportamentos dos grandes grupos económicos", conta mais tarde Mário Murteira. A sua nomeação é logo encarada como o reforço das posições comunistas na estrutura do poder.

retornar6.jpg Os ministros decidem intervir no complexo agrícola de herdades, Donas Marias e Cavacedos em Moura com mais de 1350 hectares. Com que argumento? Subaproveitamento das terras, deficiente alimentação do gado, despedimento sem justa causa, não pagamento de salários e, mais importante, mau relacionamento do patrão com os empregados. Com fúteis caprichos de poder, esmiúço os tempos para saber a verdadeira razão dos paradoxos futuros. Agora, embora as circunstâncias medrosas, não permitem que abra uma nova frente de guerra, elas continuam mesmo sem haver razões independentistas…

:::::

Que importância terá, saber-se agora se a mulher de Lot, em Sodoma, ao olhar para trás se transformou em sal-gema ou sal marinho ou, até saber se a embriaguez de Noé, foi de vinho branco ou de vinho tinto se naquele agora, as brigadas da FAPLA (Forças armada do MPLA) e da força cubana estavam totalmente livres para enfrentar as tropas Sul-africanas e da UNITA que se aproximavam pelo lado Sul de Luanda. Não se sabe ao certo o porquê desta manobra e a sua falta de coordenação; as traições dos “nossos militares” por afinidade ao MPLA dentro das forças armadas, eram mais que muitas!

valentina2.jpg Houve decerto uma chamada de última hora para tudo contrariar naquela que foi uma “Não Batalha de Kifangondo”. Pressões do petróleo por parte dos americanos? Há quem pense ter sido uma manobra de diversão a Norte de Luanda para encobrir a real intenção de ocupar a capital pelo Sul mas isto, não é totalmente velverossímil. A “Bagunça de Angola” que mais tarde apelidei de “Tundamunjila” – Thundá mu n´jilla – era não mais do que as manobras de meter medo ao medo para vincar o fito principal: vai prá tua terra, branco T´Chindere, seguido de “kwata-kwata” ou agarra, agarra.

:::::

Alguém mandou calar os canhões de longo alcance Sul-Africanos, retirar as culatras e abandonar a batalha! Tal como se passou, ainda não é entendível pelos militares dados a comentar isto e é perfeitamente credível que à ultima hora, os americanos tenham dito NÃO!  Há coisas que nunca se saberão por inteiro mas o certo é, que ter os gringos como amigos é algo de muito perigoso! Um grave risco, mesmo! ...

guerra7.jpg E, vêm os porquês!? Porquê CLPA em Angola, sempre esteve em conflito e contrariando o Alto-Comissário Silva Cardoso? Porquê o MFA deu apoio logístico aos soviéticos, deu armas, favoreceu o MPLA articulando e facilitando os cubanos, com intervenção de Otelo Saraiva de Carvalho e, sempre em apoio ao MPLA? O que levou ao CR – Conselho da Revolução e o presidente rolha Costa Gomes permitir o desembarque na costa angolana, o material bélico para o MPLA? Porque tardou a evacuação dos cidadãos civis “angolanos e portugueses” da guerra?

 (Continua…)

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 19:04
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 27 de Agosto de 2018
MOKANDA DO SOBA . CXLIV

ANGOLA DA LUUA XLIV - TEMPOS PARA ESQUECER27.08.2018

“A guerra, que matou e estropiou tantos, alimentou um punhado de pessoas, que se tornaram insultuosamente ricas e prepotentes” – Nós e os mwangolés…

Por

soba 01.jpgT´Chingange - No M´Puto

Estávamos em fins de Julho do ano de mil novecentos e setenta e cinco. Costa Gomes - o Presidente Rolha da República do M´Puto (Portugal), nunca se comprometeu quanto ao concordar com Otelo Saraiva de Carvalho no envio de e, em força (uma intensidade Salazarenta) dos expedicionários cubanos para Angola. Garcia Marques do Alto Comando Caribenho refere isto mais tarde. A estória dum novo país a chamar-se de Angola, vai sendo desvendada aos poucos como coisa envergonhada e muito cheia de traições, tractos falaciosos e sucessivas enganações aos chamados colonos.

mdp01.jpg Agustin Quintana da 10ª Direcção e mais cinco oficiais cubanos chefiados por Argwelles, fazendo escala em Lisboa, chegavam a Luanda a 3 de Agosto de 1975. Estando já em Luanda com a família como desalojado e inscrito no Quadro Geral de Adidos, foi mais ou menos nesta proximidade de datas que me inscrevi na 13ª viajem da ponte “LuuaLix” por meio de uma Guia de Marcha a fim de embarcar para Lisboa. Nesta altura, ainda tinha esperanças fortes de voltar à Luua quando tudo ali acalmasse mas, ao invés disto fui cadastrado e crismado como Retornado assim que desci do avião no Aeroporto da portela em Lisboa. De branco de segunda fui promovido a Retornado. Haja Deus!

:::::

Dizia eu que estava em Luanda como deslocado de guerra e colocado no Palácio do Governo como Adido auxiliando como “destacado” nas tarefas de “repatriação” de cidadãos perseguidos pelos Movimentos ditos de Libertação com a principal envolvência do MPLA muito carregado de ódio e, que fomentado ou não, provocava escaramuças em todo o território, com maior incidência na capital - Luanda. Os desalojamentos em áreas suburbanas da Luua eram em catadupa incidindo sobre comerciantes fubeiros, taxistas, administrativos e genericamente todo aquele que tinham a tez de pela mais clara – brancos! Gente condenada a serem tratados como “OS TINHAS”, um palavreado que nem o gerúndio da língua pátria comportava …

melo3.jpg Como “destacado” no palácio da Cidade Alta e com um Cartão de Identidade assinado por Leonel Cardoso, tinha permissão de me deslocar após o recolher obrigatório. Meu normal itinerário hera feito entra a Rua José Maria Antunes junto ao Rio Seco da Maianga com o número 22 e o Palácio do Governo com um Alto-Comissário a gerir a “Bagunça de Angola” que mais tarde apelidei de “Tundamunjila” – Thundá mun n´jila – vai prá tua terra, branco T´Chindere, seguido de “kwata-kwata” ou agarra, agarra que é branco.

:::::

Minha tarefa era essa, a de telefonar para o endereço certo a avisar que tal Fulano tinha embarque marcado na PONTE LUUALIX para tal dia e a tal hora; para que se preparasse e de modo próprio ou através de transporte fornecido pelo Alto-Comissário. Era uma viagem sem volta, só ida mesmo! Tudo era apontado para que a logística de meios proporcionassem sua saída. Eram normalmente Administradores de Concelho, Directores de serviços estatais, Chefes de posto Administrativo, jornalistas e ou individualidades refugiadas em pensões, hotéis, suas próprias casas ou em casa de familiares e amigos. Tudo gente hostilizada pelos Movimentos, assim fosse o MPLA, a UNITA ou a FNLA.  

demo1.jpg Havia outros cidadãos perseguidos e, por razões diversas. A bagunça instalada mais fazia lembrar uma escaramuça de formigas “kissonde” que anarquicamente e aleatoriamente procediam de forma desconexa; sem regras de protecção ou outras a adivinhar com agentes da PIDE misturados com os membros traidores da FUA (um pseudo movimento branco), colaboradores da Defesa Civil, Guardas de Fronteira e Reservas Estatais, Polícias brancos ou Fiscais de Caça. Os ódios raspavam um rancor desmedido e sem controlo.

:::::

Costa Gomes aceitou a demissão de Silva Cardoso nomeando interinamente Alto-Comissário Ferreira de Macedo, o homem que Rosa Coutinho e a CCPA queriam para este cargo. Este General e mais outro chamado de Carlos Fabião e um outro major de nome Canto e Castro iriam a Luanda estudar a situação. Nesta altura, as notícias eram desconexas e o tempo comia as palavras de ordem ventilando-as em desordens. Ninguém entendia o que se passava e quando sabia já aquilo que parecia ser tinha alterado para coisa-outra. Não havia como gerir este estado de coisas pois o descomando era verificado naquele agora.

spi3.jpg Esta barafunda mais parecia ser propositada para confundir o medo que crescia em todos e, a cada dia, a cada hora, a cada minuto! Coisa diabólica difícil de se conceber. O maior herói de Angola e para a visão do MPLA deverá ser este traidor à pátria Lusa do M´Puto. A história de Portugal, para ser justa, terá de dar o título de traidor-maior a este Almirante Vermelho. Foi ele o feitor principal da página mais negra na história de Portugal, coisa nunca vista e com sequente lavagem em purificação pelos seus apaniguados do m´Puto.

:::::

Uma cambada da pior espécie que ainda hoje a quarenta e três anos de distância mantêm estatutos de gente VIP. E, não surge ninguém de peso a clarificar esta história de merda – de tugi, como se diz em kimbundo da Luua. Mais tarde veio a saber-se que assim era! Rosa Coutinho era o cérebro diabólico que tudo urdia, tudo subvertia para vingar sua tenaz heroicidade invertida em traidor de primeiríssima filiação, ele traía seus colegas de armas, seus patrícios para favorecer o Movimento MPLA.

CHAIMITE1.jpg Havia que atemorizar os brancos a fim de fazê-los fugir para aonde quer que fosse; o problema era de que não havia uma voz de comando fiável! Os governantes ali postos - em Angola, Generais de Aviário e gentes do PREC afecta ao PCP português, tinham em mente fazer sair os brancos de Angola. Costa Gomes deu plenos poderes a Rosa Coutinho que junto com Carlos Fabião e o major Canto e Castro para ir a Luanda estudar a situação.

:::::

Preparavam tudo para que a intervenção do exército expedicionário de Cuba não tivesse qualquer impedimento com a sub-reptícia desculpa e com o sufismo necessário para parecer o que não era para assim ser, porque o factor de tudo se fazer à “revelia do estado” era só uma coisa para tapear, enganar os inocentes opositores – nós, os indesejáveis colonos! Evidentemente!  

retornar9.jpg No dia 28 de Julho de 1975 a FNLA e o MPLA aceitaram a saída dos deslocados desde que a evacuação fosse feita exclusivamente pelo Exército Português. Os primeiros a partir foram os cerca de duzentos militares da UNITA, funcionários do chamado Governo de Transição e familiares dos mesmos. No dia 31 de Julho havia uma coluna de 300 viaturas com cerca de meio milhar de refugiados em Nova Lisboa (actual Huambo).

rev2.jpg Aqui não havia água ao domicílio e os cinco médicos temiam um surto de peste na cidade, devido aos inúmeros corpos mortos espalhados um pouco por todo o lado. O material e armamento do ELNA (exército da FNLA) decorrentes das rendições de Malange, seriam entregues pelas NT (Nossas Tropas) ao MPLA. A cidade de Malange foi abandonada por toda a população branca e preta que morava no asfalto. A 7 de Agosto de 1975, as mais de duzentas viaturas fizeram seu regresso a Luanda com todo o pessoal do Batalhão das NF ( Nossas Forças)…

(Continua…)

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 17:22
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Terça-feira, 17 de Julho de 2018
A CHUVA E O BOM TEMPO . XC

FRINCHAS DA VIDA17.07.2018

- Angústias de modernidade… Na teoria do NADISMO…

Por

soba0.jpeg T´Chingange  – Na Quinta das Telheiras de Vila Real de Trás os Montes

Controlando minha missão de aguentar a austeridade disponho-me a gozar mais um dia de sol nesta beirada de piscina a ver lá longe os moinhos de vento no topo da serra e, as encostas de vinhedos que descem para o rio Douro, pinhais, urzes e medronheiros com pássaros a chilrear vida e, andorinhas vindas do Sul, das Áfricas que já foram parte dum Império, de meio mundo, das índias e Brasis, da Etiópia e dum mais além do Algarve sem falar na Tapurbana, lugar aonde não fui e, que nem sei bem aonde fica.

vacas voadoras.jpg Uma vez que estou aqui apetece-me falar da Nação que está cada vez mais na mesma mas, com os desejos dos governantes em movimento pelo que posso ler na imprensa. Olhando-se entre eles e também para o ar, apreciam suas proezas de geringonça que em verdade é o que se chama, um governo minoritário dum PS - Partido Socialista. Isso! Um PS que diz caminhar na convergência possível. Sim! Eles olham para a vaca voadora com o beneplácito do Presidente do M´puto que muito presente e beijoqueiro, a todos agrada.

:::::

A todos vai dizendo que as coisas estão a ser apuradas e nós até podemos sentir o esturro de tanto apuro, tão sedentos que estamos de cheirar as verdades que o tempo fazem azedar. Isto encaixa perfeitamente na teoria do NADISMO que ando a laborar no meu cerebelo, meu templo sarapintado de velhice de tanta topetude.

vaca0.jpg Assunção Cristas vem-nos dizer que o estado da Nação é uma treta, aldrabice! Efectivamente nota-se que o milagre não tem as estrelinhas fosforescentes que normalmente deslumbram o consciente do cidadão. O estado de graça é jogado na sobrevivência e, dá para ver a degradação que vai por aí nos Serviços Públicos, na saúde, e de tanto emprego precário a fingir que quase estamos no pleno emprego; assim-assim, uma uva mijona de verão…

:::::

Agora vêm descontar nas portagens; tomara! Desde o Algarve até aqui - Vila Real de Trás-os-Montes, mais ou menos uns quase 700 quilómetros paguei de tarifa-um, mais de trinta euros. Em Espanha andei em autovias iguais, muito mais do que o dobro sem pagar NADA. É este o Portugal práfrente que se diz termos. Mostram as sondagens que a grande maioria olha para o ar, assobia para o lado numa perspectiva de milagre em forma de VACA VOADORA. Dá para ver que este país está muito cheio de FANÁTICOS! Hó Cristo vem cá abaixo ver isto!

vazio1.JPG O PC – Partido Comunista, reclama em grandes pósteres que a Saúde anda doente, que é um direito e não um negócio; exige que esta tenha muitos mais profissionais. Ora eles que pertencem ao governo, vêm com esta demagogia brincar com a nossa inteligência como se o não fosse, do governo - uma UTOPIA! Até me atrevo a perguntar:- Quanto custa um daqueles pósteres colocados em todos os cruzamentos da estrada dos INDIOS chamada de EN125? A rua mais comprida e comprimida de toda a Europa – agora melhorada com milhares de pinos, um à vez e de cada vez …

:::::

Sem pudor O PC- Partido Comunista, anda a mijar nas patas da VACA VODORA como se não fossem parte dela, da milagrosa! Exigem assim mais e mais despesa Pública gritando contra o montante da dívida como se uma coisa não decorresse da outra. Como são bons a instrumentalizar quem neles acredita, sempre vêm cortejar as gentes como se todos fossemos seus militantes! Hó gente madura, ide bugiar para a Mongólia de Cima.

vaca1.jpg Não demorará a colocarem pósteres gigante na RUA DOS ÍNDIOS a pedir ao Governo (a eles…) o cancelamento da dívida Pública à Europa, sem explicar como viveríamos depois. O Costa deve com isto, estar a aprender que a tal solução milagrosa era e é, apenas PROVISÓRIA. Lá terá de fazer olhinhos bonitos ao Rio do PSD - Partido Social Democrata, que já deu provas evidentes de ajudar a compor as suas caixinhas de surpresas e ambição. Como detesto estes políticos que para alcançar o poder até vendem a alma ao diabo! Serão todos ateus ou agnósticos? Fico-me só no PRÓGNOSTICO que, nem é carne nem peixe – é NADA!

:::::

Dá para afirmar que a demagogia é uma coisa muito perigosa porque é uma forma de mentir, que a seu tempo alguém destapará da testa, o testo do caldeirão da sua própria memória; a não ser assim, lá terei de chamar de ignorância raiando a falta de pudor ou do nem querer saber nada disso. O Senhor Presidente Marcelo de quem muito prezo, vai ter de ser mais cauteloso e, não fazer olhinhos de carneiro mal morto às falhas do seu amigo da onça chamado de Costa que por um acaso é o nosso Primeiro-Ministro.

marcelo1.png Não lhe cairá bem, fazer olhinhos de complacência a um qualquer inqualificado politico magarefe que ao invés de nos servirem, se servem! Não foi para isso que nós os elegemos para o poleiro! Com muitas lacunas e tanta precaridade dá para se aprender que o caminho da convergência sempre tão esbugalhado, caminha para um beco. E, num sempre já agora, o que é que não funciona bem na justiça? Pois é Senhora VanDunem! Os arguidos andam a ser culpados na praça pública das redes sociais porque a demora é tal ou tanta que o povo ajuíza o finalmente; isto, sempre na espectativa de que a prescrição corre mais rápido que a decisão.

mess5.jpg Está mal! Estamos cansados de referirem este ou aqueles megaprocesso, de tanta demora, tanta revienga da justiça que no crucifixam, ao invés do presunto, presumível implicado. Neste presumível há a tendência para a culpa morrer solteiríssima da silva, dando azo ao enriquecimento ilícito, ao faz-de-conta com investigadores a se atafulharem nas mentiras, que tanto, mas tanto investigam gastando nosso dinheirinho para NADA! Andam nitidamente a surripiar-nos. Assim não brinco!

O Soba T´Chingange (O Soba é que sabe…)



PUBLICADO POR kimbolagoa às 11:47
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 12 de Julho de 2018
MALAMBAS CCVIII

MOKANDA DE UM PORTUGAL

(M´PUTO) PRECÁRIO   – 12.07.2018

Por

soba15.jpgT´ChingangeNa Quinta das Telheiras de Vila Real, acima do Douro e, muito perto da Galafura.

Assim, partindo de um para outro e, mais outro e outro lugar, sem me encontrar, procuro-me na linha dum destino tardio. Nada a fazer! Criei a teoria do esquecimento, burilei-me nela e voei entre nuvens turbinadas de sucção, compulsão e impulsão, vida dum qualquer outro cidadão que calado, engole compromissos alheios. No calor do tempo queimando cansaços, decepções e até solidões, criei projectos de engano esperando um amanhã que nunca se abeirou sorridente numa perfeita totalidade. Há sempre uma qualquer coisa a emperrar.

4 DE JUNHO.jpg  E, assim vivendo todos os dias com uma sensação de injustiça perante a precaridade e a falta de perspectivas no campo laboral, prevejo a continuação da falta de uma vida condigna em Portugal, para a maioria dos cidadãos. Para quem investiu na formação a fim de se fazerem parte qualificada de um país, pais e filhos, ano após ano, sentem-se desolados ou no mínimo frustrados por seu resultado nessa qualificação ser permanentemente sofrível; uma carta fora do baralho.

:::::

Chegar a meio do mês e já não ter o suficiente dinheiro para mais do que pagar a renda de casa e a alimentação, é uma dor de cabeça para muito mais que muitos, avós, pais e filhos. Os filhos têm de contar com o apoio dos pais para poderem minimamente acudir às necessidades do dia-a-dia; mas, há pais e pais e, outros há que nem para eles sobra algo das penúrias. A uns e outros prevalece o receio de não se saber ir ter o suficiente dinheiro para se acudirem levando alguns muitos a ficarem no acaso ou ocaso da vida, ao Deus dará.

boia2.jpggoucha1.jpg Quando se vive com um salário abaixo do paupérrimo, não resta alternativa senão estabelecer alternativas, reduzir os gastos na alimentação, no calçado e no vestir mas, há despesa contratualizadas que não se compadecem com as falhas tais como, a renda de casa, água, luz e electricidade ou telefone que não podem de todo ser diminuídas ou eliminadas. Ela, a precaridade, está definitivamente instalada; há muita pobreza encoberta por aqui e ali, um pouco por todo o Portugal.

:::::

Há arquitectos a quem é oferecido seiscentos euros para trabalhar sem direito a subsídio de alimentação enquanto se paga aos serventes mais do que isto. É o pais do biscate, do desenrasca com ganchos e garranchos. Se é para isto que formatamos a vida, pergunta-se: - Então para quê estudar!?  As notícias enchem-nos os ouvidos com mentiras, os governantes tentam passar a imagem de que tudo vai bem, de vento-em-popa com o crescimento económico e muito bláblá mas, a realidade é outra bem diferente.

tukya13.jpg A realidade é a de que oitenta por cento das ofertas de trabalho para licenciados, numa vista rápida pelos jornais nacionais e entre Janeiro e Junho de 2018, oferecem menos de novecentos euros brutos por mês. E, vem o ex-presidente Aníbal Cavaco dizer-nos que os portugueses necessitam de fazer filhos ao invés de se fazerem mais estradas ou pavilhões desportivos. Para terem de viver isto, senhor Ex?  Quando dois em cada três dos trabalhadores com idades entre os 25 e 35 anos ganham menos de 900 euros mensais.

:::::

Mais de metade dos trabalhadores por conta de outrem e, na ordem dos 60%, vivem com um vencimento inferior a 850 euros. Os políticos enchem a boca zunindo-nos aos ouvidos com perspectivas optimizadas, enganando-nos num penoso descaramento.  Duvido que em Lisboa, ganhando menos de 1500 euros por mês, possa um casal com um filho, ter um satisfatório “padrão de vida” no entanto, sabemos haver uns quantos apresentadores de televisão a ganharem entre os vinte mil e os sessenta mil euros.

presid1.jpg Aquele numero máximo referido, daria para pagar a mais sessenta trabalhadores qualificados, tomando em conta os vencimentos de agora! Uma descarada afronta ao nosso entendimento. Quase me atrevo a pedir fazermos um bloqueio a esses canais que se atrevem a machucar nossas sensibilidades. Nem na Gaucharia aonde fazem curtumes, aonde tratam peles de animais, há tanto despifarro de dinheiro. Uma afronta à nossa precariedade mostrada em devaneios e futilidades da merda.

:::::

Uns com tanto e tantos com tão pouco! Não me venham cantar ao ouvido coisas que não observo! Sinto até vergonha de ligar a televisão e, ver assim desperdícios em futilidades pagas pelas autarquias e pelo estado. Esfolam-nos com taxas, pagamentos por conta e tarifas para dar cobertura à cultura de mau-gosto, coisas bem desnecessárias em nosso dia a dia. Não nos podemos mentir todo o tempo.

eça5.jpg Não nos ofendam mais referindo a cada minuto os milhões que este ou aquele Jogador de futebol incluindo o Ronaldo vão ganhar só para chutar uma bola. Gosto de futebol mas arranha-me o consciente falar em números de escândalo; falar de milhões a quem esgadanha tostões. Pra passar o tempo, como umas bolinhas de suspiros, sonhos de abobora arrumando missangas de vida nas malas extravagantes do meu comboio fumaça, vapor de sonhos que apita, que rasga meridianos, trópicos e equador. Não no iludam com paneleirices – falei!

Ilustrações de Costa Araújo Araújo

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 10:17
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 21 de Maio de 2018
CAZUMBI . XLIV

MIAI – CORURIPE DO BRASIL - COMO SINTO O MUNDO - VIII21.05.2018

Brasil – o dia da mudança…

Por

soba15.jpgT´Chingange . No Nordeste Brasileiro

Assisti aos debates televisivos do STF – Supremo Tribunal Federal, Rede Globo nos dois dias que antecederam a prisão de Lula e, de assombro em assombro fui ficando translucido com a flexibilidade da justiça brasileira, sua peculiaridade de protelar “o facto” rebuscando inexistentes frinchas da lei. Foi quase horrível para não dizer repugnante testemunhar o vigor retórico de ministros ditos conceituados, tais como Gilmar Mendes, Marco Aurélio, Toffoli, e Lewandowski, alegando defender os pobres.

:::::

Votando favoravelmente nos corruptos bilionários, já de si, defendidos em demasiado nos seus interesses por dispendiosos advogados; no abono a Lula, claro! Um dia marcado pela mudança através dos votos de Carmem Lúcia, a presidente do STF e Rosa Weber, duas mulheres que marcaram a diferença em defesa da Constituição Brasileira. Um cinco a quatro pela legalidade.

lampi2.jpg Eu estava em pulgas! A eloquência demagógica e populista daqueles quatro ministros estava a ser escutada na certa, pela nata prisional dos maiores mafiosos; arrepiado dos artelhos ao cocuruto do cerebelo, via o quanto isto não seria um abre-te-sésamo para criminosos de alto e baixo gabarito.  

:::::

Mas, foi com agrado de susto que tudo alterou com o voto da Ministra Presidente Lúcia. O resultado de cinco contra quatro na não execução do tal de Habeas Corpus; de todo o modo, transparece a triste ideia de um país aonde a lei anda manca. Não consegui arregimentar em mim a suficiente alegria para comemorar com a devida efusão, fechando assim o círculo de impunidade, descaso e bagunça.

lampião7.jpg Sérgio Moro, só demorou vinte minutos para lavrar o mandato de pisão ao ex-presidente Lula; sem algema, sem confronto, e esperando até às 17 horas de Sexta-feira, em um dia seis de Abril. Não foi assim mas, por fim os kazukuteiros da lei, lá acordaram que seria só após a missa em homenagem à sua esposa, de Lula, lá pelas dez horas de domingo.

:::::

E, assim foi, bem do outro lado da sede dos Metalúrgicos de São Bernardo dos Campos em São Paulo. O dia da mudança surgiu por fim! As hostes do PT - Partido do Trabalhador em momento algum baixaram os braços em defesa do seu mártir argumentando ser claramente por acção distorcida duma Constituição estrupada! Foi um filme ruim de assistir; o cangaço no seu mais elevado expoente quase vencia. Viva Lampião! Só sou eu a dizê-lo, aqui no meu mukifo que ninguém me ouve…

dracma5.jpg Visto de longe, este espectáculo dá para ficar preocupado com o manuseamento da lei. Triste sina a minha de cruzar o mar entre Brasil, Portugal, Angola e África do Sul assistindo a esta falta de credibilidade incestuosa de quem faz a lei. Cambada de gente que estuda para nos escravizar!

:::::

Fiquei ciente de que o aviso do General Villas Boas, Comandante em Chefe das Forças Militarizadas na tarde do dia quatro de Abril de 2018, era no sentido de que se tudo descambasse o exército entraria em cena para repor em seu lugar as instituições. Gostaria que o nosso chefe das Forças Armadas e Presidente Marcelo Rebelo de Sousa tomasse esta postura. Angola é para esquecer por enquanto! ….  Ainda bem que por cá, foi como foi! Assim deste jeito débil! Mas que a coisa esteve preta, lá isso esteve!

Nota: Crónica escrita em Miai a 07.04.2018

(Continua…)

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 20:23
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Terça-feira, 15 de Maio de 2018
KALUNGA V

MOKANDAS XINGUILADAS

- A DOENÇA DA DEMOCRACIA E A ECONOMIA DA CORRUPÇÃO – 15.05.2018

- Xinguilar: Palavra angolana que significa entrar em transe em um ritual espiritual, geralmente ligado aos cultos nativos dos ancestrais e Nkisi/Mukisi. 

Por

soba15.jpg T´Chingange – Desde o Nordeste brasileiro

O combate à corrupção deve ser feito em prol da justiça social, da dignidade dum povo e seu desenvolvimento humano e económico. É o avesso da vingança porque o Estado ao sangrar uma empresa até à morte devido a procedimentos judiciais e da incapaz indeminização, causam inevitavelmente muitos danos. Em vários países com este cancro social mas especialmente em Portugal, a acção repressiva, nosso modo de combate à corrupção, não actua sobre as causas.

:::::

Ou as leis existentes são inadequadas ou faltam leis que racionalizem com moralidade as inevitáveis pressões que a sociedade civil (nós) exerce de forma organizada ou nem tanto sobre os governos, governantes e demais agentes públicos. A corrupção resume a profunda indisciplina jurídica das relações entre Estados ou entre estes e as empresas.

temer4.jpg Veja-se como exemplo as operações judiciárias de Lava-Jato no Brasil e da Fizz em Portugal. Das pressões que o M´Puto sofreu no caso de Manuel Vicente por parte do Presidente JL de Angola, entre várias figuras de destaque que mereciam ser chamados de figurões dum Mundo Cão. Pressões que levaram à deturpação nas atitudes dos nossos directos dignatários, digo eu!

:::::

Não há trabalho sem empresas, não há empresas sem Estado e, não haverá Estado sem trabalho e sem empresários. É uma afronta ou ataque a um outro Estado que por via diplomática nos dá ideia de um grosseiro descuido que em benefício de uns poucos salafrários, prejudicar-se empresas, gente em geral, arriscando fortemente a economia global e respectivas instituições.

dracma6.jpg O lado mais fraco lá terá de ceder, mesmo correndo o risco da aparente ou real deterioração. Assim, com um estado tomado pela corrupção, o Executivo administrará os serviços dos corruptores, o Legislativo vende leis e o Judiciário sentenças! Daqui depreender-se facilmente que a corrupção rouba a energia vital dos trabalhadores, que flui para o Estado através dos impostos que cimentam o seu bem-estar social.

:::::

A concorrência da corrupção entra as empresas torna entre estas, a mais corrupta em líder do mercado deteriorando serviços e produtos. Assim, como é possível depurar as empresas sem as destruir? Elas dão emprego, gerem renda, garantem o consumo.

:::::

É deste modo imprescindível repensar a forma de como combater a corrupção para que os efeitos adversos colaterais, não o sejam mais danosos que o crime que se pretende liminar. Não é fácil, não!

vaca0.jpg Combater a corrupção é como lutar contra um câncer. É forçoso matar o cancro sem matar o paciente, com a dificuldade extraordinária de que ambos, o câncer e o paciente habitam o mesmo corpo – O paciente necessita livrar-se do mal mas não vive sem seu corpo.

:::::

E, o câncer quanto mais se espalha, mais difícil se torna extinguir as células doentes separando-as das sadias. Pagar gorjeta, propina ou gasosa para ganhar uma licitação é ilícito, construir pontes, barragens, hospitais e escolas, em si, não o é! A economia de corrupção floresce num ambiente de crescimento económico e de normalidade política.

bolor1.jpg E, o problema está na deturpação da política com os principais três poderes, do funcionamento dos mercados e, não com sua instabilidade. O busílis da “doença da democracia” está em esta aumentar a desigualdade sem impedir o crescimento do endividamento. Uns ficam com a carne e muitos só com os ossos! A democracia anda doente na honorabilidade; na prática, falta a ética e o uso correcto das leis justas. Marcelo R. de Sousa, Presidente que estimo, por favor, fique atento!...

O Soba T´Chingange  



PUBLICADO POR kimbolagoa às 15:21
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sexta-feira, 27 de Abril de 2018
MUXIMA . LXX

UMA ANTIGA MUKANDA

Ando desmilinguido nas falas – 27.04.2018

Por

soba0.jpeg T´Chingange - No Nordeste brasileiro

Subjugado à nobreza do acaso processei um mar de sensações, novas amizades. Adão, lá no paraíso, comeu a maçã da árvore da tentação; Eva deu-lhe a maçã, o fruto proibido do jardim celestial e, desse pecado original, ficou-lhe um caroço no pescoço que o distingue da mulher na sua anatómica forma. Até hoje ninguém sabe ao certo se era branco ou preto. A Eva sai maltratada coitada! Dizem que foi o assédio de Adão que transtornou o Mundo…

:::::

Os conceitos do mundo actual, valores, crenças e as histórias da avozinha, não são mais as mesmas; o ontem fica cada vez mais distante e, o que então era proibido, hoje já o não é mais. Agora temos o FB - É a evolução! Hoje mesmo, bem cedo, disse que a partir de agora não sou mais branco! Branco é a cal do muro da frente! Andam com coisas e leis enviesadas de que chamar preto é ofensivo. Ai é!? E, branco não?

himba1.jpeg Inventaram que o preto agora e, para não ofender vai ser de Afrobrasileiro, Afroportuguês, Afrocantonês; tudo por causa do preconceito. Pois então quero que se refiram a mim e meus filhos como aqueles afrobrancos! Não somos nenhum monte de cal! Quero os meus direitos, talqualmente! Andam para aí a inventar coisas de negatividade porque negro é um monte de carvão e edecéteras muito estapafúrdios. Que nas escolas vão ficar reservados xis lugares para afros e, porque, coisa e tal… Será melhor então no mínimo chamarem-me de euroafricano.

:::::

Sem amigos, é um céu sem andorinhas. Estes governantes andam a chamar nomes ao Adão! Mas, vamos ao que interessa; convosco, exploro os recantos da amizade para fazer da vida um espectáculo. Querendo extrair alegria das pequenas coisas da vida, recusei várias armadilhas duma efémera fama. Fugindo sempre dessa escravidão, mantive a auto estima elevada recusando ser um modelo doentio de snobe imagem dum reflexo petulante.

colo1.jpg Em criança sofria pela timidez exacerbada que tinha; levou muitos anos a sair dessa claustrofobia dizendo a mim mesmo que o pior inimigo que tinha, era eu próprio! Deveria gerir os meus pensamentos de forma a não ter medos mas, nada disso acontecia até conhecer as agruras de se ser emigrante. Falando portunhol e coisas caricatas como gestos os dias correram. Podem imaginar-me fazendo caretas com a língua de fora a espetar dois dedos como cornichos e dizer muuhmuuuhm para pedir um bife de vaca lá nos esteites (EUA).

:::::::

No decorrer dos anos, fui dominando a timidez, rindo dos meus anseios e outros absurdos obstáculos, aprendendo sempre coisas novas com uma curiosidade libertadora. O saber não ocupa lugar e, adquirindo isso, soltava a depressiva visão de mim próprio encorajando-me: Tu não és besta! Isto muitas vezes repetido foi ficando verdadeiro…

mutopa2.jpg Que ninguém tenha a veleidade de pensar que pode controlar o ciclo da vida, e muito menos sair vencedor das batalhas que com ela temos desde que somos trazidos ao mundo. Podemos sim, ganhar algumas delas, mas a guerra final, essa sempre a perdemos na hora em que nos finalizamos! Aprendi isto com Canhoto, um tipo a viver no Algarve assim a dar pró anarquista e ateu até ás raízes mais profundas da sua coexistência.

paiva5.jpg Lutar sempre contra qualquer medo, contrariando-o, adquiri tranquilidade no meu registo de memória e emoções. Convosco tenho compartilhado o passado que não se desvia do meu caminho, os sonhos e metas duma simples vida. Rejeito a teoria do esquecimento! Aliás já nem acredito em teorias! Uns querem que seja santo, outros que me faça escritor e outros ainda andam a tapear-me com palavras do um de maio… Encarquilhado num feitiço louco, aproprio-me do vento num qualquer arraial para viver a Kizomba! Estamosjunto!

O Soba T´chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 10:52
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 16 de Abril de 2018
CAZUMBI . XXXVIII

MIAI –BRASIL - COMO SINTO O MUNDO - II  - 12.04.2018

Por

soba15.jpg T´Chingange

araujo82.jpg Cego é aquele que não quer ver, vendo! Não posso ver um Deus a compensar e, ou castigar o objecto da sua criação deste modo, e em função do que tentam dizer-me, cada qual do seu jeito. Não sou tão religioso tão ao de leve ou profundamente pela triagem que faço da Natureza.

:::::

E, mesmo que tenha uma extraordinária intuição, ao interiorizar o mistério da eternidade da vida, mesmo que este esforço de compressão fique desproporcionado, vejo ser uma maior razão de se manifestar em e, na vida.  Também na minha! Somente seres humanos excepcionais suscitam ideias generosas e acções elevadas; assim por muito que me tentem dissuadir, não poderei fazer ideia de um ser que sobreviva à morte do corpo.  

araujo65.jpg Acredito no Messias, sim! Mas, há sempre um mas, entre nós gente do Mundo aonde o dinheiro polui e degrada tudo sem piedade a pessoa humana. E, imaginando que se um individuo fosse abandonado desde seu nascimento, seria inevitavelmente um animal em seu corpo e em seus reflexos. Posso também tal como Einstein concebê-lo, mas não posso imaginá-lo.

:::::

As instituições democráticas e politico-parlamentares, privadas dos fundamentos de valor, ficam progressivamente decadentes se o povo, e os grupos sociais, não acudirem ao chamado no respeito à pessoa e ao censo social. Não! Não podemos agonizar ou morrer de forma inglória sem reclamar justiça!

costa araujo 3.jpeg O Povo, o Homem, o Cidadão, não podem permitir que os seus maus, ladrões, estupradores, assassinos, sindicalistas interesseiros e corruptos entre outros, realizem suas desprezíveis intenções. Estou farto de pagar luz desproporcionada, taxas e multas a eito para alimentar uma máquina sorvedora de nosso trabalho. Estou farto de ver extorquirem do nosso rendimento, nosso bem-estar, mais de 40 por cento para tapar buracos de má gestão…

costa araujo4.jpeg Nossa época, não pode ser lembrada no futuro por historiadores que diagnosticarão nosso progresso de uma forma dolorosa nas variáveis doenças sociais. Devemos sim, reclamar quando o Estado exigir de todos nós actos injustos, que a nossa consciência rejeite. Isto é válido para todos os povos conhecidos por PALOPS com Portugal e Brasil na linha da frente…

Ilustrações aleatórias de Costa Araujo

O Soba T´Chingange, desde o Nordeste brasileiro



PUBLICADO POR kimbolagoa às 16:20
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 15 de Abril de 2018
CAZUMBI . XXXVII

MIAI –BRASL : COMO SINTO O MUNDO - I  -12.04.2018

Por

soba15.jpg T´Chingange - No Nordeste brasileiro

Relembrando o livro de “Como vejo o Mundo” da autoria de Albert Einstein também me revejo nos limites da minha existência sem ignorar o pressentimento de que estou nesta terra convicto de que, como eu, haverá milhões de seres! Recordando uma máxima de Schopenhawer, também direi que o homem pode, é certo, fazer o que quer, mas não pode querer o que quer.

:::::

Hoje diante do espectáculo d impunidades, a justiça deixa-me apreensivo, taciturno e mal-humorado. No tempo aprende-se a tolerar muito daquilo que nos faz sofrer melhorando por aí meu sentimento de responsabilidade. Pois é… A humanidade cada vez mais se apaixona por devaneios irrisórios, futilidades sem ideal entretenimentos absurdos com indevida apropriação de glória, de luxo, riqueza ou até desvio em sua condição natural de vida.

ROXO164.jpg Integro-me sob protesto e muita dificuldade aos desmandos governamentais, na falta de ética e justiça justa. Também meu coração diante de tantas anomalias, experimento um quase descomprometimento com a sociedade por via deste, laços de estranheza; coisas que se agravam a contragosto com o distanciamento da idade.

:::::

Por vias travessas e atravessadas, não me sinto ligado ao Estado, ao “orgulho gay”, nem tampouco à pátria; coisas que se me apegaram á lucidez sem resguardar fronteiras, embora convicto que não é este o perfeito ideal. Serei assim cidadão do Mundo! Sei o quanto necessito de comunicar em harmonia com outras gentes e, mesmo havendo uma ou outra clareira de desilusão sei o que não sou: “comunista”. Quem não gostar, passe de lado…

ROXO163.jpg Perco deste jeito minha inocência ou ingenuidade, formulando-me em novas opiniões, minha dependência. E, porque testei o homem e a sociedade, nem sempre firmo uma opinião ou um julgamento fazendo disto um hábito inconsistente. E, tudo, porque as massas, o grande público, as gentes do bairro, do prédio, cidade ou país, continuam arrastados por uma dança de insalubre imbecilidade ou embrutecimento.

Roxo155.jpg Um Big Brother – meu irmão! Se alguém não pode ou não quer experimentar esta sensação, não pode mais experimentar o espanto ou surpresa. Ou eu brinco com o acaso ou será ele a brincar comigo…

Ilustrações: Pintura digitar de Assunção Roxo

(Continua…)

O Soba T´Chingange    



PUBLICADO POR kimbolagoa às 15:11
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quarta-feira, 4 de Abril de 2018
PARACUCA . XXV

MULOLAS DO TEMPO – 04.04.2018 - Um dia atípico

BRASIL - Justiça que tarda é justiça que falha… Cá para mim a presunção de inocência mais os embargos dos embargos de declaração vão terminar em prescrição…

Paracuca: É uma bolacha dura, torrada com açúcar e jinguba…Uns querem dar disto a Lula, outros também querem mas, envenenada…

Por

soba15.jpg T´Chingange - No Nordeste brasileiro

A alegria de contemplar e de compreender é a linguagem a que a natureza me excita, na preocupação pela dignidade com saúde o quanto baste e com o suficiente dinheiro para poder comprar as alfaces ou o paio defumado sada dum pata-negra. Feliz de quem atravessa a vida prestativa sem o medo estranho à agressividade e ao ressentimento.

:::::

Preocupado pela saúde moral, se não fossemos constrangidos a viver no meio de homens intolerantes, mesquinhos, violentos ou ladrões, seria o primeiro a sujeitar-me a um nacionalismo ferrenho ou a uma democracia no rigor da palavra.

apocri4.jpg Ao invés de todas as ambições a maioria dos imbecis permanecem invencíveis e satisfeitos em qualquer circunstância bajulando ídolos de barro. Sua suave e apática indiferença provoca-me numa tirania que só se dissipa por sua distracção ou inconsequência; nem sei nem quero saber - Dirão! E, depois vêm queixar-se de mansinho com um - se eu fizesse assim!? Ou se fizesse assado! Tarde piaste…

:::::

Para se ser membro irrepreensível de uma comunidade de carneiros é preciso antes de tudo, também ser carneiro. O esforço para criar uma comunidade neste meio, sem a qual não podemos viver nem morrer neste mundo hostil de forma íntegra, torna-se quase impossível. Para seres favorável a alguém, tens de descartar outro alguém…

arau4.jpg Poucos serão capazes de dar claramente uma opinião diferente porque sempre terá esse preceito de desagradar alguém! Ainda ontem falei em conceitos com e sem pré, adicionando os termos ainda não usados de pretoconceitos e brancoconceitos! Um é contra os brancos e o outro é contra os negros; coisas desaglutinadas.

:::::

A coexistência pacífica dos homens baseia-se em primeiro lugar na confiança mutua e, só depois sobre instituições como a justiça ou a política. O perigo maior está em cada uma destas instituições porque, o que move ambos, é o INTERSSE! Porca vida – real destino…

an1.jpeg Hoje e, aqui no Brasil, a presunção de inocência vai ao último julgamento em trânsito de julgado na espectativa de surgir um embargo de declaração. São coisas de jurisprudência, assunto do qual pouco pesco mas, dá para entender que Inácio Lula da Silva saltitando de nenúfar em nenúfar vai ser salvo pela prescrição.

:::::

Uma grande confusão ao mais alto nível da justiça, põe de cócoras o Supremo Tribunal Federal aonde também os INTERESSES se enrolam enfatizados na hipocrisia – a lei mais forte da justiça. Isso! Hipocrisia… Embargos de declaração- Mas que é isto! Está na cara que tudo vão fazer para protelar.

justiça5.jpg Mas, afinal querem um país de bandidos, de estupradores, assassinos e burlões com pacto oligárquico dos governantes! Não será isto um incentivo ao crime! É aqui que entra a tal paracuca - Justiça que tarda é justiça que falha! Bem que o povo se interroga e, com razão: Mas, quando é que “rico” vai para a prisão? Repito o que disse ontem: - Nem o pai morre nem a gente almoça…ADEUS!   

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 22:02
LINK DO POST | COMENTAR | VER COMENTÁRIOS (1) | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Terça-feira, 3 de Abril de 2018
MOAMBA . XIX

NAS FRINCHAS DO TEMPO . 03.04.2018

O INTERESSE manobra tudo e todos. Cada um de nós foi o que foi por uma coisa tão pequena, que sem se lembra do primeiro choro… Alô Brasil! Alô Angola! Alô Portugal...

Moamba: É um prato típico de Angola preparado com galinha e dendém mas pode ser também negócio ilícito com venda de contrabando (Brasil)

Por

soba15.jpg T´ChingangeNo Nordeste brasileiro

Porque estabelecemos em nossas vidas viver com leis, também nestas se estabeleceu que há algumas que se sobrepõem a outras. As leis têm por isso hierarquias; umas suplantam outras e, cada qual tem a sua interpretação para se fazer valer. No meio destes dizeres existem também de permeio as crenças, as lembranças, a saudade e o amor debatendo-se entre, contra ou a favor das luzes da razão.

:::::

Assim, estas leis juntas e misturadas com arbitrariedades, surge o INTERESSE como uma força tenaz. Digladiando-se em palavras surgem recursos, acórdãos, previdências cautelares, Habeas Corpus com uma constante busca - numa primeira instância, segunda e outras ainda por saber. E, mesmo depois de se esgotarem as posturas, as leis os decretos, recorre-se a liminares, instâncias de sofisma federal …

pal01.jpg O sofisma alega o adiantado da hora, o compromisso inadiável e muitos edecéteras para se decidir por uma liminar ministerial e temporal; Decerto que já se deram conta de que estou a falar do Brasil embora o panorama dentro dos PALOPS, (Povos de Língua Oficial Portuguesa) tenham a mesma problemática; métodos de protelar e, ou uma reflexão, alegando motivos ponderosos nunca antes pensados ou usados.

:::::

O INTERESSE que é tenaz jamais cede à evidência e, que se irrita quando o raciocínio se lhe opõe. A dado momento surge um tal de sigilo impondo silêncio, a bem da Nação. Com tantas medidas dilatórias, tanto recurso e tretas impensáveis, embargos, escutas, delações e edecéteras, é caso para se dizer: nem o pai morre nem a gente almoça!

pal3.jpg A justiça é tão lenta, mas tão lenta, que até a prescrição, uma coisa inaudita do tempo mata o próprio tempo. O INTERESSE é a lei mais forte dum sistema, a lei que mais luz tem; o INTERESSE é a lei que feita jogo, abre os olhos aos cegos ou cega os pensadores, legisladores eruditos, juízes ou ministros da Lei.

:::::

A sociedade de hoje pelas interpretações do INTERESSE, conseguem assassinar quem ainda não morreu ou salvar gente defuntada. As sociedades de hoje perante tanto descredito pelas aptidões nobres, começam a sentir o vazio da justiça. Sim! Também a justiça começa a sentir o vazio em que as leis e as crenças ao se tornarem vulgares segundo o INTERESSE moldável delas, levam a alma de cada qual a não descortinar nela, a razão das coisas.

justiça1.jpg A razão de ser, a Justiça dos tribunais, seu elo maior, ser das mais cabíveis ou credíveis das instituições. Afinal as doutrinas também mudam segundo os INTERESSES de alguns. Surgem manobras de diversão, novos dados a confundir a teia, novos recursos com um regresso à estaca zero.

:::::

Infelizmente, até a caridade, a fraternidade, e o amor ao próximo se estão submetendo aos INTERESSES de seitas politicas e, ou religiosas. Seitas que trocam anátemas que se arrojam, umas sobre as outras.

DIA41.jpg Sim! Todos os homens são irmãos mas, há sempre uns mais irmãos do que outros. Concluo que tal como em Angola, em Portugal ou aqui no Brasil a justiça é tão lenta, tão lenta que me leva a repetir: -Nem o pai morre, nem a gente almoça! Que me leva a perder as estribeiras e dizer asneira grossa: -Nem fodem, nem saem de cima! Hó gente!

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 14:09
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 2 de Abril de 2018
MOKANDA DO BRASIL . VIII

ANDO ENKAFIFADO - 02.04.2018

Que é isso do politicamente correcto? - “A palavra não foi feita para enfeitar, brilhar como ouro falso; a palavra (malamba) foi feita para se dizer”.

Por

soba15.jpg T´Chingange – No Nordeste brasileiro

Estou cansado do culto às coisas de preconceito. Toda a gente fala do mesmo, correndo o risco de entornar a verdade da palavra - Isso! De inverter as cores e marginalizar os brancos em detrimento dos negros; marginalizar os homens por não serem homossexuais, dizer à boca cheia de ter um “orgulho gay”; marginalizar uma boa esposa e mãe de família chamando de Madame a uma dona de bordel. De atribuírem cotas nas universidades em reserva de lugares para negros (um claro incentivo ao racismo), índios ou ainda anoréxicas donzelas.

gay1.jpg Falarem isso alegando ser em defesa das minorias! Meus amigos, devagar que tenho pressa! Recordo-me de no acampamento aonde dormi com meu pai, de ter ouvido hienas a chorar e urros distantes de leões; relembro os bidons ao redor do acampamento contendo tochas de fogo pela noite para afugentar as feras em um lugar conhecido por Lucala e no distante ano de 1954; uma terra que deixou de ser nossa por pretonceito - Não é erro ortográfico não! É uma nova palavra de origem manwgolé…

:::::

Nisto de recordações acabo por chegar ao conceito de se escrever “por linhas tortas” e é aqui que largo o preconceito, para recordar alguém de nomeada e, que mudou minha forma de estar. É ele Graciliano Ramos! “A palavra não foi feita para enfeitar, brilhar como ouro falso; a palavra (malamba) foi feita para se dizer”. Assim diz Graciliano no ano de 1962, para comparar seu ofício de escrever com o acto de lavar roupa pelas lavadeiras do rio. Entretanto estavam passados oito anos, depois daquela minha dança com leões em Lucala de N´Gola.

gay2.jpg E pelo dizer de Graciliano, um escrito deve ser lido e relido, ensaboado, esfregado, batido no lajedo, no burgau, como uma peça de roupa suja; depois, pô-lo a corar nas ervas, nas bissapas ou penedias, após enxaguar. Ler seus escritos é como revisitar um laboratório e obter capacidade literária independentemente dum qualquer estilo.

:::::

Ele tinha o condão de elaborar um trabalho colocando no papel tudo aquilo que conseguia observar na pessoa, num animal, em uma cidade e sua sociedade, muito cheia de nuances. Foi um pouco a partir dele que trabalhei a curiosidade, descrevendo assuntos demasiado banais. E, fiquei também ciente de que o que toca a imortalidade é a obra e não o ser humano.

gracilano1.jpg Pode-se escrever direito com caneta torta, tal como fazer coisas desalinhavadas sem usar agulha e linha. Graciliano Ramos possuía uma loja de tecidos com o nome de Sincera na Cidade de Palmeira dos Índios; Sem o querer acabou por ficar prefeito (presidente) desse Município. Isto para acrescentar que ficaram conhecidos seus relatórios ou actas pela transcrição de forma muito pessoal.

:::::

Suas cartas, reparos e pergaminhos diziam assim a dada altura: “Por infelicidade virei prefeito no interior de Alagoas e escrevi uns relatórios que me desagradaram sobremaneira. Veja o senhor como coisa aparentemente inofensiva inutilizou um cidadão”. Foi deste jeito que enviou uma carta a um seu amigo argentino de nome Raul Navarro.

lampião8.jpg Com sua caneta transformava um banal relatório ou carta burocrática em uma verdadeira peça literária. E, já que isto é mencionado, quero também avivar relatos de seu exercício passados ao papel no ano de 1930; ainda eu, o T´Chingange, nem era um projecto de vida pois que minha singularidade surgiu no ano de 1945 e na convulsão dos sons de obuses da primeira guerra mundial.

:::::

E, ele escreveria: “(…) convenho que o dinheiro do povo poderia ser mais útil se estivesse nas mãos, ou nos bolsos, de outro menos incompetente do que eu. Em todo o caso, transformando-o em pedra, cal, cimento etc., sempre procedi melhor que se o distribuísse com meus parentes, que bem necessitam, coitados”…

gracilano2.jpg Vejam aqui tal ironia em seus procedimentos de honestidade, a comparar com os governantes que hoje proliferam avulso, santinho e gasosa no Brasil e em todas as partes chamadas de PALOPS… (Entenda-se Portugal, Angola e Guiné-Bissau). Homens políticos como estes, extinguiram-se!…

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 20:58
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 22 de Março de 2018
MOAMBA . XVIII

PENSAMENTOS ESPECULATIVOS - 22.03.2018

Bingo! O mundo está diferente - bem-vindo a uma nova era…

Por

soba0.jpegT´Chingange - No Nordeste brasileiro

Fazendo minha talassoterapia nas águas mornas da Pajuçara em Maceió do Brasil, fui pensando nas muitas coisas que se encavalitam em mim de forma desordenada. Maceió em língua Tupi-Guarani quer dizer lodo, terreno de sedimentos que na forma de lama também se chama de massapé. Em verdade, há milhares de anos este lugar era composto de manguezais, terrenos de aluvião situados entre o mar e a Serra do Mar.

:::::

Seus limites do lado do mar terminam em recifes de corais que se estendem ao longo da costa; é aqui que as ondas se esbatem formando uma lagoa de águas rasas com piscinas naturais e de pouca ondulação. É o sítio ideal para enterrado até o pescoço fazer deambulações enquanto me movo, pedalo ou dou pontapés na água.

menino2.jpg Em compreensão meus pensamento e por agora, fluíram para uma situação de maleável condição e convicção passada no rio Tejo do M´Puto com o actual Presidente da Republica Dr. Marcelo Rebelo de Sousa. Eu explico! Em sua campanha para se tornar presidente do Município de Lisboa, este lançou-se ao rio e, com os focos da imprensa em cima, tentou passar a mensagem de que o rio estava despoluído.

:::::

Ele nadou, fez gaifonas de foca, de marinheiro nadador e sorriu para as câmaras com seu olhar de xicululu. Talvez fosse um acto de fé ao dizer ao povo que aquela era uma água com condições para nela molharmos o toutiço, o esqueleto e a moleirinha mas em verdade poucos o seguiram.

roxo116.jpg Talvez fosse um acto de fé ao dizer ao povo estarem aquelas águas em boas condições de nelas nos banharmos. Provavelmente fez uma pesquisa  a inteirar-se dos lodos enteroparasitas ou talvez tendo areias Monazíticas; estou a especular, mas provavelmente encontraria a presença de fungos e bactérias que proliferam por conta de lixo, sujeira em geral deixada nas margens ou descargas de químicos de fábricas “fiáveis” a montante.

:::::

Pelos vistos, poucos ou nenhuns foram ali molhar seu toutiço, sua moleirinha por inteiro, porque o seguro morreu de velho. Sem esta fé, a convicção do valor pelo seu conhecimento não existiria assim tão coerente e tão indestrutível. Marcelo não ganhou a Câmara de Lisboa e sua fé enveredou para comentador de televisão tornando-se um homem de ciência em face das periclitãncias dos outros, dos fracassos alheios.

araujo90.jpg Ele testava a verdade através de suas próprias experiências, leis do pensamento pretendendo mostrar sua verdade; a fé em que acreditava! O tempo de antena tinha inicia mostrando-o a tirar seu relógio “Rolex” com pulseira niquelada, colocando-o na sua frontalidade. Perseguia o tempo desta forma singela entregando sua energia inteira a experiências objectivas encarando-se numa função social de sábio, pois então!

:::::

Como Professor Universitário Marcelo credenciava seu individualismo na dose suficiente para inspirar confiança ao interlocutor invisível, seu povo! Granjeou simpatia graças ao pensamento lógico, coerente e construtivo e, foi assim que o povo o escolheu como máximo representante da Nação. Eu aqui pedalando numa água distante do Tejo, pergunto-me de qual a meta que deveríamos escolher para nossos esforços na verdade da fé? Uma fé nossa!

rolex0.jpg Creio que o poder politica baseado ou criado sobre estas bases pertencem a ínfimas minorias que governam a vontade, e completamente, uma multidão anónima cada vez mais privada de qualquer reacção. Copiaram? Em realidade o Professor Marcelo, alcançou a ciência concreta em que, o nosso cotidiano, jamais seria mantida viva se este homem de ciência não tivesse aparecido.

:::::

Mas, toda a fé tem sempre um mas, tenho uma grande dúvida ou até, nem entendo do porquê Marcelo R. de Sousa nunca reconheceu valor a quem tirou o país da forca: Passos Coelho! Não entendo esta omissão de alguém que reduziu o índice de endividamento de 13 para 3 por cento! Do homem que mesmo assim, ganhou as eleições.

GALO0.jpg Em um qualquer momento o seu relógio “Rolex” parou! Sua frontalidade ficou molemente a naufragar nas águas translucidas do Tejo. Há coisas em política que não são para entender - Surgem ou demasiado Salgadas ou demasiado insonsas. A não ser que me expliquem tim-tim por tim-tim estes fenómenos de fé cientifica do pensamento.

:::::

As leis da natureza são as mesmas em todos os tempos e em todos os países; as leis humanas mudam segundo os lugares, os tempos o progresso da inteligência. Faz-me falto um “Rolex” assim!

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 14:59
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 18 de Março de 2018
A CHUVA E O BOM TEMPO . LXXIX

NAS FRINCHAS DO TEMPO – 18.03.2018

- Nem sempre é necessária a culpa para se ficar culpado….  Ela, não era negra, não era pobre, não era feminista, não era militante de partidos políticos e, não frequentava os círculos LGBT; Também não era do MST...

Por

soba15.jpg T´Chingange . No Nordeste Brasileiro

- O Pastor Cláudio Duarte falou e disse: -“Gisele Palhares Gouveia, 34 anos, cuja profissão era salvar vidas actuando como médica foi assassinada na Linha Vermelha (RJ) com dois tiros na cabeça após uma tentativa frustrada de assalto. Gisele, embora mulher, não era negra, não era pobre, não era feminista, não era militante de partidos políticos, não frequentava os círculos LGBT, não era do MST, CUT ou PSOL, não estava dentro dos programas de assistência e cotas do governo.

:::::2

Enfim, não preenchia os requisitos necessários para uma mobilização nacional, tampouco que merecesse a menor atenção dos Direitos Humanos. Ela, como eu e você, não era ninguém!” – Fim de citação - Obs: Este texto é referente ao facto ocorrido em 2016, o que não muda a realidade na actualidade de seu conteúdo. O texto coloca em contraste o que foi propalado nos últimos dias pela morte de Marielle Franco, uma deputada da prefeitura de Rio de Janeiro e activista em defesa dos negros e das minorias sociais.

ardinas branos.jpeg A humanidade perfeita não existe! Assisto hoje a guerras dispersas pelo Mundo e, é a televisão que nos mostra isto a todo o instante. Nem sempre a clareza surge como se pretende parecer e assim surge turva e sub-reptícia matando nossos neurónios activos. A suspeita é lançada como forma de configurar a desconfiança de quem e de onde vem o mal ou a culpa; mas nem tudo o que parece, o é…

:::::  

Interrogo-me no porquê dos acontecimentos sucederem duma certa forma; uma arma AK-47 que custa 60.000 reais é usada por marginais nas favelas do Rio ou de São Paulo. O preço desta arma corresponde ao de um bom carro na cotação social brasileira; mas então como é que esta coisa proibida pode ser transportada de forma legal até chegar à favela, se de carro, de avião, de barco, chegar a um lugar que nem porto tem.

brasil2.jpg Como é que as AK-47 e todas as outras armas chegam ali sem serem detectadas numa alfândega de fronteira, pelas polícias de todo o território sejam elas municipais, estaduais ou federais. Alguém a troco de fazer vista grossa, recebendo propina, facilita esta mercadoria até chegar ao destino. Tem forçosamente de haver uma cadeia de mando que vive deste falacioso comportamento!

:::::

Devem ser muitos a querer ganhar e de forma rápida, subir nos escalões sociais sem que para isso preparem o seu lado bom ou honesto, fingindo que o são! Ensinaram-me que os homens de boa vontade devem tentar em seu meio e, tornar a vida humanamente viável considerando ser esta sagrada porque representa o supremo valor a que se ligam todos os demais. 

demo1.jpg Os meios de comunicação sempre dizem ou recomendam o princípio do respeito à vida mas, os exemplos são falsificados!  Aqui, em Portugal, em Angola ou na Cochinchina. A fineza e a graça morrem numa bala perdida, em outros nem tanto porque ela lhes entra na carne, mata e lhes leva o espirito para um além dconhecido. Há uma cadeia de mando! Tem de haver! Se querem manter o espirito, terão de se preocupar com o corpo que é seu involucro… Certo!

:::::

As gerações anteriores a nós, talvez tenham julgado que os progressos intelectuais e sociais apenas representariam uma vida mais fácil e mais bela nos dias de hoje mas, as provocações deste tempo, mostram haver uma ilusão cheia de más consequências. É uma bala perdida dum marginal do Rio ou um veneno sofisticado a lembrar os velhos tempos da guerra fria entre o leste e o oeste. Lembram-se? Recentemente mataram por envenenamento um ex-espião em Londres; os britânicos, porque não tiveram uma explicação, expulsaram mais de vinte diplomatas Russos. Estava na cara! A evidência era só deles. Os Russos sabem matar assim!

Gisele0.jpg De lá da Rússia, retaliaram do mesmo jeito. Assim, Russos e Ingleses perigam as nossas vidas; o filme está a decorrer! Ela, a vida sempre vai estar suspensa por uma bala que entra na frincha errada ou como um veneno de mamba negra e, mais uns pozinhos do cumcamano! O perigo está em cada um de nós; Sem fazer nada, todos esperam que se aja em seu favor. Isto não é comigo! Dirão, diremos… Todos dirão!

adiafa1.jpeg A coexistência pacífica dos homens baseia-se em primeiro lugar na confiança mútua e, só depois nas instituições tais como os tribunais, a justiça, a polícia, a força tarefa ou de bairro assim seja estatal, governamental ou federal. A Ordem e o Progresso escritos na bandeira são para todos; não é a Ordem  para os cidadãos e o Progresso só para os governantes.  Ao Mundo, faltam estadistas!…

O Soba T´Chingange  



PUBLICADO POR kimbolagoa às 18:22
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quarta-feira, 14 de Março de 2018
A CHUVA E O BOM TEMPO . LXXVIII

NAS FRINCHAS DO TEMPO – 14.03.2018

- Nem sempre é necessária a culpa para se ficar culpado…. O mal fermenta-se na psicose gerada pela instabilidade provocada por políticos; os mesmos que escolhemos

Por

soba0.jpeg T´Chingange . No Nordeste Brasileiro

Os sintomas do mal, revelam ao mundo e em especial ao M´Puto e Brasil aonde passo grande parte de meu tempo, características inquietantes pela instabilidade politica e instabilidade laboral com o flagelo do desemprego prolongado. O mal fermenta-se na psicose gerada pela instabilidade apontada adicionada a outros males como a precaridade quase instituída; isto para não entrar no capítulo da educação, formação, investigação, assistência na doença e lóbis incestuosos nas várias frentes da governação.

:::::

Avós, pais e filhos têm de se organizar nestes inteiros condicionamentos de vida. Ninguém está certo da vitória no que concerne à nossa liberdade em nossa existência. Estamos sempre pendentes das medidas dos poderosos que por nossa mão (entenda-se o povo), alcançaram o poder; refiro-me aos políticos. No final, a culpa não é de ninguém, morre sempre solteira…

portug1.jpg Não poderemos libertar-nos dos sintomas conhecidos e de outros por conhecer, se não atacarmos a moléstia pela raiz sabendo que mesmo estas continuam a crescer de uma forma imprevisível! Nem sempre os diagnósticos estabelecidos pelos especialistas dão a necessária confiança à convicção de que um homem independente é honesto.

:::::

O clã familiar, cada vez mais tem de se organizar como e, para harmonizar sua existência humana tendo de partilhar sua reforma com um filho, com um neto ou mesmo a um mais próximo a fim de se superar as sucessivas crises. E uma crise não é singularmente diferente das precedentes porque dependem de circunstâncias novas. Isso! Condicionadas pelo fulgurante progresso da corrupção, da cunha e, aonde o homem, mulher, a família se vê neste tipo de economia dita liberal.

lul2.jpg A lei da gasosa, sim! Obrigado/a no retirar migalhas ao salário sem sempre conseguir garantir as vitais necessidades. Dos ganhos, sessenta por cento, vão direitinhos para pagar a máquina estatal que subsidia partidos, fundações, observatórios e tantos outros afins de e a bem da nação… Balelas! Uma guerra de impostos taxas e sobretaxas; incestuosas atribuições…

:::::

O desemprego aumenta e a confiança no patronato diminui; diminui a confiança nos bancos, da participação pública nestes e depois… depois os bancos irão ser obrigados a sessar seus pagamentos, a diminuir os juros. E, dirão porque o público retira os depósitos, a economia fica bloqueada e edecéteras de engenharia financeira complicadíssimos de entender…

PUXASACO.jpg Eles, os bancos convencionam-se em garantir seus fundos de prevenção dando-nos 0,01 por cento nos depósitos ao ano, cobrando-se de todas as tarefas inimagináveis. O que não nos dão, vai direitinho para o seu fundo de garantia, para pagar a trafulhices de venderem peidos de velha como se fossem ovos-moles de Aveiro.

quem3.png As crises dão dinheiro a alguém! Algum país, algum grupo ou contas de paraísos fiscais ficarão a abarrotar! E, os outros a chiar. As crises são preparadas de tempos a tempos para nos esfriarem os bolsos. Os donos do Mundo, os donos disto tudo, sempre estarão amparados pelos políticos eleitos e vice-versa. A inteligência é a capacidade de nos adaptarmos a tudo isto aceitando o roubo, a taxa, o imposto e alcavalas como coisa clara e instituída.

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 17:47
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 10 de Março de 2018
CAZUMBI . XXXVI

CINZAS NO TEMPO10.03.2018

- Andamos com o credo na boca, motivo de causas alheias … A ponte 25 de Abril do M´Puto que antes era de Salazar, tem as cordas ruidas, os parafusos estão a desandar e os rebites a chiar…

Cazumbi é feitiço ou mau-olhado em Kimbundu

Por

soba0.jpegT´Chingange

Revisitando Murphy, recolhi de seus escritos que as coisas têm tendência para correr mal sem a possibilidade de reverter o acontecido. Podemos por observação dizer que uma chávena em cima da mesa e no passado está num estado de “ordem” e, a chávena estilhaçada no chão com água derramada, o contrário disso, “a desordem”.

:::::

O motivo definido em tempo que leva entre a chávena inteira e a destruída acontece por um acaso, uma falha, uma coincidência, um erro ou uma má sorte como coisa vista normal.

salazar 1.jpg Sabendo que uma partícula ocupa um ponto no espaço, em cada instante, pode esta estória ser representada por várias linhas entrelaçadas no espaço-tempo e, que a todo o momento e expandindo-se formarão outras linhas deixando de ser aquela “corda”.

:::::

Mas também pode acontecer como sucede no universo cósmico, estas linhas formarem outras cordas que tendem a fechar-se formando um túnel! O túnel da minhoca (universal)! Pois ao momento da desordem a partir da ordem chamarmos “a seta do tempo” - qualquer coisa que distingue o passado do futuro, passando pelo “agora” ou o “presente” que nunca espera o antes.

salazar4.jpg O sentido de que o tempo passa, é psicológico, porque nos lembramos do passado mas, não do futuro! É aqui que a porca torce o rabo! Não querendo entregar meu coração à tristeza nem o deixar vadiar nas fatalidades de Murphy, vim beber e divertir-me com gente amiga; iluminado por Deus, pois claro! Pois que pelo que se diz, Ele ilumina as frinchas de todas as portas, todos os zingarelhos e até geringonças…

:::::

Assim e debaixo dum sol ardente, um abafado calor de crispar sobrancelhas em escondidos pensamentos, cabe a mim transformar as coisas poucas em adultas tornando as fábulas em lendas, coisas que só os pastores no púlpito, podem fazer e criar, mesmo que estando confundidos entre as ovelhas.

salazar2.jpg Cá para mim o Salazar, tem culpas sim! Não devia ter feito a ponte porque era previsto poder cair e, caiu sim! Numa só noite levantaram outra com o nome de 25 de Abril. A seta do tempo do Murphy não esqueceu o antes… Nem ferreiras do Amaral. Se o que pagamos de portagem não é para pagar a manutenção  do monstro, então para onde vai oa nossa maçaroca?...

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 15:24
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017
MOKANDA DO SOBA . CXXXIV

TEMPO COM FRINCHAS - 18.12.2017 - Em terras de M´Puto . IV

“Os donos disto tudo - DDT” - “ Não há confiança ilimitada em amigos. Há a amizade”; coisas escritas no berbicacho traseiro do meu chapéu…

Por

soba0.jpeg T´Chingange

Estávamos em Abril de 2016 e recebendo propostas para a venda do Novo Banco mas, o que se recebia eram somente manifestações de intenção que alem de oferecerem valores demasiado baixos exigiam determinadas condições com garantias do Estado para cobertura de riscos futuros e outros edecéteras de provocar urticária ao enquadramento politico entre a presidência e o governo.

mocanda12.jpg Com as barbas a arder, o governo e presidência queriam desfazer-se do Novo Banco muito rapidamente, custasse o que custasse pois que o prazo de venda do Novo Banco pelas regras da União Bancária terminaria em Agosto de 2017. Corria-se o risco do aparecimento de um novo movimento de lesados do herdeiro do BES e, mais perigoso ainda, o sacrifício dos depositantes com depósitos acima dos cem mil euros. Isto já corria de boca em boca e todos se andavam encolhendo e, até retirando o dinheiro para o colocar debaixo do colchão.

:::::

No último dia de Março de 2017, o Governo anuncia a venda do Novo Banco ao fundo norte-americano Lone Star mas, não foi uma qualquer venda não! O contrato de compra e venda futura do capital do Novo Banco era rubricado no monto de zero euros. Zero euros!? Sim! Mário Centeno constrangido, espicaçado pelo seu primeiro-ministro teve de dizer isto de forma acabrunhada, forçado ao poder político para por outras palavra nos dizer que sim! Aquele negócio foi mesmo tudo, menos uma venda!

:::::

Como diz Gomes Ferreira em seu livro já aqui mencionado várias vezes, “A Vénia de Portugal ao Regime dos Banqueiros” realmente, só há uma área da vida pública que consegue ultrapassar o inimaginável em política: o inimaginável no sector financeiro!

mess5.jpg O mesmo Estado que já tinha emprestado 3.900 (três mil e novecentos) milhões de euros ao Fundo de Resolução em Agosto de 2014 e que nunca recebeu um cêntimo de volta. Mas, há sempre um mas apaziguador, os outros bancos do sistema financeiro nacional, não teriam de contribuir imediatamente com esse dinheiro e, caso fosse necessário.

:::::

Apenas teriam de o começar a pagar muito mais tarde, por várias décadas e em suaves prestações. Entendo agora o porquê do um escasso pecúlio estar a render 0,001 (por cento, claro!), monto este que nem dá para mandar cantar um cego porque este, decerto já terá morrido. Agora, todos teremos de pagar ao banco para nos guardar a gita, o cacau, o kumbú, aquilo com que se compra os melões!

:::::

Pelo dito, confirma-se a atitude de proactividade e de voluntarismo do governo de Costa e Centeno na resolução de problemas, à custa do contribuinte, subsidiando instituições de solidariedade com fundos da Misericórdia e, jogos de fortuna na ajuda a banqueiros imprudentes. Este voluntariosamente governamental da geringonça, sempre irá referir que tudo isto foi herdado do governo de Passos Coelho, uma mentira demasiado mentirosa!

ara3.jpg Sim! Sim! Tudo se resolverá à nossa custa, à custa dos nossos filhos e netos que sempre irão trabalhar por conta destas resoluções, por muitos e longos anos passando uma esponja sobre o passado recente de promiscuidade e compadrio metendo Montepios, Caixa Geral de Depósitos, Banif e, sempre encobrindo-se os responsáveis pela tragédia e, saber-se afinal quem em realidade saiu beneficiado.

:::::

Em tudo o aqui dito ao longo de quatro crónicas e tendo como suporte o livro “A Vénia”, ficaram bem claras as atitudes de dissimulação, de esconder, de contornar, de minimizar os problemas dos bancos que, com o Governo Socialista apoiado no parlamento pelo Bloco de Esquerda e Comunistas do PCP e, também o apoio de Marcelo De Sousa.

geri0.png Só ficaremos a ter a certeza de que no meio de todas estas simulações, a dúvida perdurará entre influências e modos aonde a culpa não terá culpados! E, deixo aqui um grande agradecimento a José Gomes Ferreira por tanto esclarecimento neste período tão conturbado em que as pessoas que se dizem decentes, se inibem de falar no que sentem.

(Fim…)

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 14:32
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017
MOKANDA DO SOBA . CXXXIII

TEMPO COM FRINCHAS - 15.12.2017 - Em terras de M´Puto . III

“Os donos disto tudo - DDT” - “ Não há confiança ilimitada em amigos. Há amizade”; no berbicacho traseiro de falso couro do meu chapéu do panamá e, com as mesmas dimensões da testeira estão fixas duas estrelas já secas, cortadas da carambola com a inscrição dum indefinido ”AMOR”…

Por

soba0.jpeg T´Chingange

Aquela primeira frase supra, entre aspas, foram ditas pelo Presidente Marcelo do M´Puto ao referir-se a Ricardo Salgado, o chefe da máfia dos Bancos DDT. Apetece-me por vezes ser um Lampião cangaceiro e falar só mais uma vez das periclitãncias que a crise trouxe a todos nós aqui no M´Puto, juntando àquela frase a outra, a segunda, também entre aspas…

143.jpg Seria preferível passar de lado tudo isto, ficando longas horas e, lá longe, nas terras de Vera Cruz, jiboiando numa rede oscilante da Pajuçara, sebenta de uso e abuso, curtindo uma preguiça que nem o chega a ser, porque nem sempre a ocupação é suficiente e, a frescura da maresia tem forçosamente de ser apreciada.

:::::

Fazendo ostentação do meu chapéu de couro ornamentado de vaidades escondidas e forrado com pele colorida de alpaca do Peru, vestindo uma catrefada de roupa pelo frio, botas de inverno com suplementares palmilhas de pele de ovelha pura, solto longas falas de neurónios folgados, alentejanados. A entreajuda e a forma característica no vestir fazem de mim, um deixa para lá - o desmiolado, o T´Chingange que nem sabe o que diz.

:::::

Assim neste estado de cacofónica tensão, desfriso na lista de imparidades as nove maiores devedoras às instituições que nos puseram de tanga, geradas na gestão de Armando das Varas e Carlos Santos Ferrugem como: Artlant - La Seda; Efacec; Vale dos Lobos; Auto-estrada do Douro Litoral; O Grupo E. Santo; o Grupo Lena; o António Mosquito; a Royal Urbis e a Fimpro SCR e Banif …

caixa3.jpg Claro que e, em verdade, as instituições do regime político-partidário em que vivemos em Portugal (M´Puto), simplesmente não quiseram fazer o trabalho de investigação de quem concedeu esses créditos e, sem a devida precaução de riscos. É a mesma estória de que cornos que dão de comer deixá-los crescer! Estão a ver este filme de putarias!? Uma comparação a que os políticos de todas as bandas viram, mas fingiram que não, assobiando pró lado.

:::::

Pelo mau uso e abuso do nosso dinheiro na banca, todos mas e, principalmente os gestores da CGD, deveriam ser responsabilizados. O dinheiro dos contribuintes foi abusivamente desbaratado! Isto levou-me a desprezar todos os políticos, embora haja gente boa entre eles…

O próprio Ministério Publico suspeita que terá havido tratamento de favor de alguns devedores em que, os gestores que concederam os créditos, poderiam ter recebido comissões por baixo da mesa, por não exigirem garantias e, esconder falhas de pagamentos ao longo do tempo. E, tudo fica assim mesmo! Talvez esperando prescrição! A culpa morre solteiríssima da silva…

caixa0.png E, foram só 2,5 mil milhões de euros. O regime político-partidário não deixou que a CPI – Comissão Parlamentar de Inquéritos chegasse a bom termo, recusando-lhe documentos factuais; ninguém quis colaborar com a verdade. Os deputados de todas as bandas colaboraram e ajudaram à festa, fazendo tudo para boicotar os trabalhos da CPI. E, queixam-se eles dos submarinos!? Como se não tivessem em sua malga peixes voadores! Nada ficou provado, reactivamente a suspeitos quanto a favorecimentos, nem de influências politica sobre os gestores. Nós, cidadãos somos todos burros! Assim nos fizeram ser.

:::::

Aquela CPI – Comissão Parlamentar de inquérito, constituída para apurar o que se passou na CGD desde o ano 2000, paga pelos contribuintes portugueses, terminou sem conclusões. Sim! É por estes exemplos que o Povo Português despreza os políticos e, desrespeita as instituições. Qual justiça, qual quê!?

caixa01.jpg Desta actual geringonça salvam-se, valha-nos isso, o Senhor Presidente Marcelo que segura as pontas com muita habilidade e, que torna o M´Puto quase num regime presidencialista mais o Ministro das Finanças Mário Centeno, o tal de patinho feio que agora prepara a fuga para outros mares… Estamos quilhados! Melhor, sem quilha!… Se, não me prenderem irei continuar a repetir no meu jeito, o já dito por José Gomes Ferreira em seu livro de coragem “ A Vénia de Portugal ao Regime dos Banqueiros”

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 14:02
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 25 de Maio de 2017
MOKANDA DO SOBA . CXXIV

AS PROFISSÕES VÃO ACABAR! - REVEJA SEU FUTURO - Hoje deveremos educar e formar jovens e pessoas não para exercer uma profissão, mas sim para as dotar de um mapa de competências laterais e transversais.

Por

t´chingange 0.jpgT´Chingange

Em janeiro de 2012, o The Wall Street Journal informava que a Kodak estaria a preparar-se para iniciar o seu processo de falência, algo que ficou confirmado a 19 de janeiro de 2012, quando a mesma empresa solicitou um pedido de concordata para restruturar os seus negócios num tribunal em Nova Iorque. Em 1998 a Kodak tinha 170.000 colaboradores e era líder mundial na venda de papel fotográfico com uma quota de mercado de 85%.

ara3.jpg Ainda nesta década tínhamos em Portugal o Banco Espírito Santo que chegou a ser o maior grupo financeiro privado português e líder na satisfação do cliente. O mesmo BES obteve vários galardões internacionais tais como no âmbito da iniciativa "World's Best Banks" em que foi considerado o melhor banco português pela revista económica norte-americana Global Finance. A mesma opinião tinha a revista The Banker que considerava o BES como o melhor banco em Portugal.

:::::

Em 2007, a então famosa marca finlandesa de telemóveis Nokia liderava o fabrico mundial de telemóveis, detinha uma quota de mercado nas telecomunicações de aproximadamente 40%. Quando surgiram os rumores dos primeiros smartphones, os responsáveis da marca finlandesa consideraram que estes seriam telemóveis de nicho e não telemóveis de venda massificada. Este erro de avaliação saiu bem caro à Nokia que acabou por cair no desaparecimento do panorama mundial de telemóveis… O que podemos concluir destes três exemplos é que na actualidade não existem sectores imunes à turbulência económica e que o facto de termos sucesso empresarial numa determinada época não garante em nada um futuro próspero…

:::::

Agora gostava de transportar esta realidade para as profissões do futuro… Se há quatro ou cinco anos perguntássemos aos taxistas qual o impacto da tecnologia na profissão deles, quase posso adivinhar que muitos refeririam que o impacto seria diminuto e talvez alguns mencionassem que as tecnologias os iriam ajudar, a título de exemplo o GPS. O que sabemos hoje é que temos uma indústria de softwares que lentamente está a destronar os taxistas através de aplicações inteligentes…

araujo6.jpg Por sua vez o desafio é tão grande que nos próximos anos os condutores que estão ao serviço destas marcas de aplicações poderão ser destronados pelos veículos autónomos que estão próximos de ser uma realidade. O mesmo se passaria se perguntarmos aos advogados portugueses, qual o impacto da tecnologia na sua profissão? Alguns responderão certamente que o avanço tecnológico será um bom complemento, no entanto, negarão que poderá pôr em causa a sua profissão.

:::::

No entanto, não acredito que seja assim nos próximos anos… Actualmente a IBM desenvolveu o ROSS, que é o primeiro advogado de inteligência artificial do mundo. Este novo sistema cognitivo de inteligência artificial consegue emanar um parecer em apenas segundos, analisando a legislação, jurisprudência e ainda fontes secundárias. O ROSS obtém uma exactidão nos seus pareceressuperiores aos humanos. Enquanto o ser humano obtém 70% de exactidão o sistema de inteligência artificial obtém um eficácia de 90%.

:::::

O que se está a passar na advocacia está a acontecer na medicina. Hoje temos sistemas de inteligência artificial muito mais eficazes e fiáveis no diagnóstico de doenças do que médicos qualificados para o efeito. Um destes dias levei a minha mulher ao hospital do Alvor (Algarve); ia com uma tensão arterial muito fora do normal sendo a alta de 22. O médico veio de lá de dentro ensonado e receitou Paracetamol! Como é? Um espanto e, assim ficamos sem denunciar esta anomalia. Não morreu porque não calhou!

araujo1.jpg Um computador não iria dar um placebo destes para quem está tão aflito! Fiquei bem preocupado com o nosso futuro, nossa saúde ficando na mão de gente incompetente ou desclassificada, mesmo que sendo formada na melhor universidade do mundo! O homem ficou demasiado vulnerável às vicissitudes do desleixo e por vezes, muitas vezes está uma vida em jogo. Muito provavelmente este médico foi um bom aluno, teve médias altas em seu curriculum mas neste dia falhou! Muito provavelmente um outro medico com menos notas no seu curriculum, teria mais aptidão e vocação do que este rustico e desleixado doutor !

:::::

Conforme o que explanei, não existem sectores nem profissões imutáveis; neste sentido hoje deveremos educar e formar jovens e pessoas não para exercer uma profissão, mas sim para as dotar de um mapa de competências transversais que as ajudem a desenvolver durante a sua vida não um, mas sim vários cargos. 

:::::

Meu filho que é duplamente licenciado no campo das artes anda todo entusiasmado com sua horta, sem emprego dedica-se com amor às suas alfaces, tomates, repolhos e até poejos que fazem uma bela açorda! Dá-lhe mais vantagens do que aceitar um trabalho remunerado com menos do que o vencimento mínimo! Que país é este? Infelizmente vamos ter de repetir isto e, cada vez mais.

araujo86.jpg Algumas destas competências transversais são: criatividade; flexibilidade; comunicação; gestão de prioridades; resolução de problemas complexos; pensamento crítico; inteligência emocional; negociação; o estado deveria investir em haver mais fonte de trabalho mas, um governo vem, outro vai e a bosta continua cheirando mal! É forçoso termos bons gestores no governo ao invés de gente que se cursa nos gangues com nome de partidos e, que só nos trazem infelicidades. Gerir um país como a Dona Arminda minha mãe Topeta nem é necessário andar na escola; ela era pouco mais que analfabeta e fazia contas mais rápido do que eu com calculadora… Surripiar-nos no nosso património, nos nossos ganhos, é a coisa mais fácil! Basta escrever um decreto e já está! Assim não brinco!

Ilustrações de Costa Araújo Araújo

Do Soba T´Chingange - com a ajuda dum Gestor e Professor Universitário…

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



PUBLICADO POR kimbolagoa às 05:49
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 22 de Maio de 2017
MUJIMBO . CXV

ANGOLA . NAS CICATRIZES DO TEMPOVALEU A PENA ?! - Já nem interessa chorar sobre o molhado! A justiça do ressarcir nunca se irá verificar mas podemos e devemos relembrar tudo o que se passou…

kimbo 0.jpg As  escolhas do Kimbo

Por

canhot1.jpgAntónio José Canhoto

Segundo dizia Fernando Pessoa no seu poema “O Mar Português” “Tudo vale a pena se a pena se a alma não é pequena. Quem quer passar além do Bojador, tem que passar além da dor. Deus ao mar o perigo e o abismo deram. Mas nele é que espelhou o céu”. Agora a minha versão do mesmo poema. “Angola Portuguesa”- “Valeu a pena ter descoberto Angola. Obviamente que sim, para quem não tem uma alma pequena ou uma memória curta. Quem como nós passou pelo processo da descolonização Angolano, que nos fez ver dolorosamente a bandeira portuguesa espezinhada e enxovalhada por uma mão cheia de traidores, foi como voltar a passar pelo Bojador”.

demo1.jpg Os valentes e arrojados descobridores portugueses ultrapassaram todos os perigos e abismo dos oceanos desconhecidos de forma valorosa e destemida. E, foram neles que espelhamos os tempos mais gloriosos da nação Portuguesa. Valeu a pena desde Diogo Cão até ao Marechal Costa Gomes, ter nascido em Angola ou para lá ter emigrado como colono livremente ou como militar obrigatoriamente?

::::

E, ao fim de uma vida perder todo o seu património conseguido pelo do suor do seu trabalho; é algo que cada um tem que responder de acordo com a sua consciência se valeu a pena. Por todas as páginas do Facebook dedicadas a Angola, vê-se facilmente que não é pelo saudosismo político colonialista imposto pela monarquia e posteriormente na república por Salazar ou Caetano que existe uma atracção magnética de todos aqueles que beberam a água do rio bengo.

:::::

E, ficaram irremediavelmente de forma misteriosa presos ou enguiçados pelos cheiros e gentes daquela terra. Todo aquele que lá nasceu ou viveu, não guarda qualquer tipo de rancor aos angolanos pelos trágicos e longos meses que precederam o 11 de Novembro de 1975 pois entendemos como o chamado “Poder Popular” foi manipulado, para servir os interesses dos lacaios liderados por Agostinho Neto.

desenr1.jpg Alguns portugueses tiveram a coragem de nunca lá saíram, outros tiveram a ousadia de para lá regressarem, mas a grande maioria com a guerra civil que começou de imediato e se prolongou assolando o país por mais de 20 anos jamais voltou. Os retornados que ficaram em Portugal já eram demasiado idosos para contemplar a ideia de voltar passado esse tempo, além de que já tinham aqui reconstruído as suas vidas, outros emigraram para o Brasil pela familiaridade linguística, e uma minoria optaram por países que não os condicionavam pelo idioma ou qualificações académicas.

:::::

Se Angola tem tido em 1975 um homem da estatura e calibre de um Nelson Mandela ainda hoje todos lá estaríamos pois comparativamente com o inferno Sul-africano em que os negros viviam, Angola era um paraíso pela não existência de um sistema degradante e segregacionista chamado “apartheid”.

:::::

Infelizmente na sua generalidade, Angola não está melhor hoje do em 1975, se é que não estará bem pior para a grande maioria dos quase 20 milhões de angolanos. Obviamente que ter diamantes plantados em terra ou rios e petróleo no mar de entre muitas outras riquezas minerais fez de Angola um dos países mais ricos do Continente Africano.

monteiro1.jpg Mas ao mesmo tempo que a riqueza angolana nasceu, também proliferou igualmente uma elite de novos-ricos todos eles conectados com o MPLA que governa o país há 42 anos consecutivamente. Quem nasceu ou viveu por longos anos em Angola passou por grandes dificuldades de adaptação onde posteriormente se tivesse radicado, tendo sido mais sentida por aqueles que regressaram a Portugal.

:::::

Os que regressaram ao M´Puto, por cá ficaram - Tiveram grade dificuldade de integração ou adaptação á mentalidade vivencial Portuguesa da época. Todos os que nascemos em Angola ou Moçambique possivelmente passamos pelo mesmo privilégio de ter uma juventude e liberdade vivencial inigualável a qual nada tinha a ver com aquela que era vivida em Portugal.

:::::

Termino este texto reiterando uma vez mais que apesar da minha já provecta idade continuo a reafirmar que ter passado cerca de metade da minha vida em Angola e tendo de lá saído indigente aos 33 anos, não a trocaria por nada feste mundo.

Canhoto aos 28-2-2017

roxo138.jpg TESTEMUNHO 1: - Claudino Rosa Soares - Fez este ano quarenta e dois anos que me vi obrigado a deixar Angola. Infelizmente, isso me trouxe após vinte e três anos de permanência, todo o tipo de incompreensões. O paradoxo de comportamentos do povo Tuga, impõe-se em oposição com a recepção dada agora aos novos refugiados vindos de outras paragens, com outras culturas e outro ADN. O como foi prestada aos trabalhadores da mesma Diáspora (de Angola), os retornados estigmatizados.

roxo135.jpg E, que até hoje nunca foram reabilitados, nem ressarcidos. Falando por mim: porque me fizeste isto meu Portugal? Nos primeiros tempos durante o PREC foi a animosidade dos concidadãos, em simultâneo a boicotagem da entrada nos empregos de quem vinha chegando! Dois me surripiaram no ramo cervejeiro. Quando cheguei diz-me a funcionária que me recenseou? -O senhor já escolheu Hotel? Hotel!?

:::::

Tenho dois filhos pequeninos e a senhora fala-me em Hotel … está a gozar com a minha cara ou quê. Paguem-me um bilhete para sair daqui. E pagaram mesmo! Mas a partir daqui fiquei só, enfrentando a vida tenazmente e, na clandestinidade. E passaram quarenta anos! Vivo desde esse tempo num misto de liberdade e escravidão.

REPU2.jpg Conheci todos os governos de Portugal pós Democracia e por incrível que pareça nenhum tentou sequer resolver problema de tal magnitude! Mas aqui: refiro-me evidentemente aos trabalhadores da Diáspora do Império, já que os funcionários públicos já cá chegavam com o papel da reforma! O mesmo país; situações idênticas! Soluções diferentes! Eu cheguei com dois filhos de tenra idade, fui de imediato jogado para o esgoto da História!

::::

As TVs os Jornais deslumbrados com a sua democracia mergulharam-nos num silencio tenebroso! O que quero é justiça! Aquilo que até os seres inferiores procuram… É por isto que hei-de reivindicar sempre esse bem que deixei num dos bairros pobres de Luanda. E se Deus existe, Portugal bem precisa da ajuda para repor e discernir a legalidade que lhes foi surripiada…

araujo63.jpg TESTEMUNHO 2: - António Monteiro - Já nem interessa chorar sobre o molhado! A justiça do ressarcir nunca se irá verificar mas, podemos e devemos relembrar tudo o que se passou, a grande traição! Esta manobra que resultou num governo ilegítimo, vai ter fim e Angola vai reviver e reconhecer nossos filhos como gente de N´Gola porque o são de direito! Angola com leis absurdas que não reconhece quem de lá saiu. Tudo tem de mudar sim! Uma cambada que ainda anda entre nós, corruptos e bajuladores; abutres do mundo mwangolés e tugas ladrões...

Escrito de José canhoto com dois testemunhos adicionais como adenda…

T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 09:26
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 15 de Abril de 2017
FRATERNIDADES . CXIII

CAFÉ DE PÁSCOA - Quem é capaz de definir a AMIZADE? São os conflitos e contradições que nos tornam seres humanos….

Por

t´chingange 0.jpg T´Chingange (Otchingandji)

páscoa3.jpgEm nossas vidas, na linha do tempo visível, teremos sempre de criar um ou dois planos alternativos em nossas atitudes para não esbarrar com ideias intransponíveis, quebrar outras que não são assim tão edificantes, ou porque adoptamos durante um espaço de espaço não revidar o mal praticado por um outro. Pois é bom de, quando em vez, reactivar o plano B ou plano C.

:::::

A nossa tendência é quase sempre rever os ressentimentos, as coisas menos boas e, nem sempre recorremos à capacidade que temos de gerir tudo com mais optimismo! Em um qualquer estado meteorológico do tempo real ou nosso estado cacofónico, o melhor a fazer é sair de casa, sair do mukifo ou do cortiço, quer chova ou faça sol, espairecendo nos ares, esquinas ou florestas. Decerto, encontrará na natureza sempre um motivo um pormenor diferente para suprir a compreensão dum pequeno desaire, assim como uma virgula e pontuação fora do lugar.

araujo Páscoa.jpg Um caçador tinha um cão e a mãe do caçador era também o pai do cão. Tudo corrigido, irá surgir uma outra ideia ou interpretação pelo que, dizer-se vulgarmente que as coisas nem sempre são como parecem ser. Surge assim “Um caçador tinha um cão e a mãe. Do caçador, era também o pai do cão!” Uma forma de fala que tem de ser lida pelo menos três vezes para se apreender o sentido correcto … (Assunção Roxo)

:::::

Para meu sossego tenho até um plano D com vírgulas e pontos de exclamação ou interrogação suplentes mas, sem saída, este D torna-se desistência; normalmente quando falha o plano A, recorro ao B e ainda o C mas, em verdade há coisas de que não podemos ser donos. Seremos sempre dependentes dum espaço que a seu tempo nos come o corpo, o cérebro e a sabedoria.  

roxo79.jpg Invariavelmente recorre-se ao modelo cultural que nos foi legado pelo tempo num valha-me Deus mesmo que se esteja sentado num sábado de páscoa e numa concha de convicções com a mente bulindo num futuro desconhecido ou num passado que um dia vem e outro se vai na ilusão que somos e, que sempre seremos. Ninguém é dono de seu destino mas, pode sempre que se queira, fazer um novo começo!

:::::

Podemos sim desenvolver nosso altruísmo, desenvolver nossas mentes apetrechando-nos de modos de vírgulas e outras pontuações, algumas até desconhecidas porque um dia seremos “nada”. Flutuaremos por aí no universo como que percorrendo uma fita como a de nióbios que não tem fim. Hoje Sábado de Páscoa, rasgo meus pergaminhos de falas apócrifas para manter no topo meu plano A e, desejando aos meus amigos bons augúrios também num plano A sem recorrer a uma saída para um espaço ainda mal conhecido, lá numa galáxia de permanente azul celeste.  

chicor4.jpg Assim aos Amarelos aos Roxos, aos que formam meu Arco-Íris digo para se manterem unidos numa base de sustentabilidade possível e porque, são os conflitos e contradições que nos tornam seres humanos. Mas pergunta-se: É lícito pagarmos um tributo? Pois então, a César o que e de César! Hipócritas há muitos e, não nos podemos vender por trinta dinheiros e ficar saboreando um pedaço de pão molhado.

O Soba T´Chingange

 



PUBLICADO POR kimbolagoa às 15:24
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quarta-feira, 12 de Abril de 2017
MOKANDA DO SOBA . CXXI

TEMPOS PARA ESQUECER - 12.04.2017 - ANGOLA DA LUUA XXX. NA GUERRA DO TUNDAMUNJILA. “Vai para a tua terra, branco” era o que mais se ouvia na Luua de 74/75… Alguém disse e eu terei de concordar - “tropa de cáca”.

Por     

t´chingange 0.jpgT´Chingange - (Otchingandji)

(…) O Batalhão do Luso, o de “pé descalço ou em cuecas” deixou armas, rádios, munições e até material cripto. O comandante deste batalhão disse ter preferido ser enxovalhado do que pôr em risco a vida d 800 civis, deslocados com mulheres e crianças.  Uns dias depois a UNITA apresentou oficialmente desculpas a Ferreira de Macedo, o interino Alto-comissário. Este procedimento foi uma nodoa negra que se justifica talvez porque só tinham 3 meses de comissão; deduz-se que os instrutores seriam esses tais do PREC do CR que foi mandada para uma Angola desconhecida.

:::::

Alguns, vim a saber que eram estudantes e que por este facto, ao regressarem tiveram passagens administrativas nos cursos que acabaram por concluir. Muitos destes passaram a gerir serviços técnicos nos organismos camarários e outros oficiais, sem estarem minimamente preparados. Saíram arquitectos quando nem desenhadores se poderiam considerar e, por aí! Outros técnicos de aviário fizeram e fazem carreira sem terem a correcta aptidão para além de serem uns abnegados militantes da esquerda, da onda do Ché Guevara (…) - gente preparada átoa, com devaneios por ideologias e, sem apego ao brio e ética.

koisan5.jpg Aquele despontar sem preparo de oficiais de aviário espetando os peitos abrilescos, heróis de cinco minutos, o suficiente para a fotografia fizeram a merda que fizeram. O baixar de guarda desta feita foi demasiado humilhante para um exército que se preze! Dá para entender todas estas ocorrências entre Agosto e o 11 de Novembro com escandalosa ajuda ao MPLA. Alguém disse e eu terei de concordar - “tropa de cáca”. Nunca chegue a saber se o Furriel indignado que deu uma chapada a um soldado das FALA foi ou não fuzilado como já li em qualquer parte!

:::::

As fontes só dizem que foi levado para ser fuzilado ao qual o comandante afirmou: Fiquem com tudo, mas não façam mal a ninguém! Só quem lá esteve, poderá confirmar e acrescentar se sim, ou se não; se o Furriel foi mesmo fuzilado! As confrontações em Sá da Bandeira tiveram início no dia 21 pelos militares das FAPLA do MPLA acantonando as FALA e ELNA no quartel português; no dia 22 de Agosto, Costa Gomes pediu formalmente o auxílio dos EUA.

:::::

Precisava de ajuda para evacuar os restantes 330.000 refugiados que queriam sair de Angola. Carlucci reiterou as instruções chegadas a ele desde Washington para não negociar com o Governo de Vasco Gonçalves. Isto só seria possível com a remodelação do governo com a saída de Vasco Gonçalves “o doidinho da esquerda” e, também as FAP não darem apoio ao MPLA. Nós “retornados ou refugiados!” fomos a moeda de troca para virar Portugal para a direita pró USA! Fomos manipulados por nossos supostos irmãos do M´Puto.

guerra11.jpg Fomos uns milhares de carneirinhos despojados de tudo; do direito à cidadania, do direito aos seus haveres, do direito à dignidade. Isto, nunca irei deixar de dizer, nem que me matem como e sob protesto disse o defunto. Fomos veículos de chantagem e tornados coisa pouca nas cabeças dos militares revolucionários do C.R. A 23 de Agosto o Diário de Luanda, noticiava a tragédia marítima ao longo da Costa dos Esqueletos na Namíbia. Várias traineiras saídas do Lobito, Benguela e Moçâmedes com centenas de refugiados desapareceram quando demandavam o porto de Walvis Bay.

:::::

De uma flotilha com mais de vinte embarcações, três ainda não haviam chegado.  No dia 30 de Agosto, dois draga minas da Marinha Sul-africana realizavam buscas na Costa dos Esqueletos. Nessa semana tinham desaparecido quatro pequenos barcos de pesca com sessenta refugiados a bordo.  No deserto namibiano eram resgatadas 201 mulheres e crianças duma coluna automóvel que andava perdida e já, quase sem combustível e viveres.

:::::

A carta de Costa Gomes no pedido formal aos EUA chegava às mãos de Gerard Ford a 27 de Agosto. Dois dias depois o Governo de Vasco Gonçalves caía dando lugar a Pinheiro de Azevedo. A partir daqui a ponte de LuuaLix foi reforçada com a ajuda dos primos britânicos e dos franceses. Entretanto em Luanda o MPLA instigava os estivadores do Porto de Luanda à greve, para deste modo dificultarem o carregamento de bens Portugueses que estavam a ser espoliados do que lhes pertencia.

guerri4.jpg Visto à distância e com mais de quarenta anos, os brancos deveriam ter feito política de terra queimada! Custa-me muito dizer isto mas, guerra é guerra! Tamanha injustiça merecia bem esta revolta, esta forma de indignação. Pois então fazer arder tudo o que em vida lhe dava vida! Nada disto sucedeu não obstante se receber dos mwangolés desdém com prepotência e desaforos muito ruis para serem curtidos. Era em verdade o que mereciam! Estou-me nas tintas para quem pensar de outra forma. Eles não foram merecedores de nossa benevolência!

:::::

Numa directiva não declarada oficialmente, Henrique Santo (Onambwa) os operários recusaram-se a trabalhar com forças militares portuguesas dentro do Porto de Luanda! Traidores, muitas vezes! Pandilha de gente que tomou as rédeas do mando… Estes exigiam serem substituídos pelas FAPLA, um claro truque para não serem tomados como coniventes com o MPLA. Uma falácia para dar cobertura ao recente criado sindicato, gente do mesmo gabarito. Isto foi claro!

guerra5.jpg Os civis portugueses não aceitaram esta postura tendo daí sido atribuídas tarefas à Policia Portuária com a segurança do cais e da Armada. No carregamento de caixas, caixotes e haveres havia um mal-estar entre os Adidos e desalojados que cada vez mais dificuldades viam no correr do tempo. A pretensão do MPLA era controlar o porto e as saídas de bagagens. Muitos destes fiscais do MPLA eram mazombos como eu, brancos, mestiços e até alguns negros que vendo seu rabo a arder de medo, uma forma de falar, também embarcavam para o M´Puto!

kilo3.jpg Nada de mal disto! Havia muitos funcionários que pela lei dos Adidos teriam seu lugar garantido na metrópole; Mas em verdade, tudo isto era demasiado confuso. Ninguém tinha a certeza de nada! De manhã havia uma dica e à tarde, várias outras. Alguns destes até aí eram também fiscais aduaneiros por parte do MPLA, retirando ouros e coisas valiosas aos agora fujões.  A partir de certa altura eram os proprietários dos haveres que faziam a estiva de suas coisas, seus haveres, carro e outros…

niassa10.jpg Uma ilusão

 As minhas, não chegaram a passar para além do crivo de balas que impedia sua chegada ao porto do Lobito, ou Moçâmedes! Adeus fotos, adeus relíquias, adeus pertences e madeixas de cabelos dos filhos, recordações de uma vida! Terei de dizer isto muitas vezes para que alguém com tino refaça a verdade e nos peça desculpas, Portugal e Angola, claro! Evidentemente que vou esperar sentado; não vejo um qualquer governante ter essa nobre postura! Ainda tive alguma esperança quando Marcelo chegou ao poleiro mas, desencantei-me. Eles lá no topo, só serão estadistas quando nos pedirem desculpas… até ver, os ávidos ao poder, os ambiciosos, sobressaem na maioria…

 (Continua…)

O Soba T´Chingange - (Otchingandji)



PUBLICADO POR kimbolagoa às 18:19
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Terça-feira, 28 de Fevereiro de 2017
PÉROLAS. II
 

“O PALAVRÓRIO DA FUNÇÃO ERUDITA” - Parte II

O homem herdou o mundo; a sua glória não consiste em suportar ou desprezar esse mundo…

soba k.jpgAs escolhas de T´Chingange

Por

julio1.jpg JÚLIO FERROLHO…. Professor Aposentado mas pouco (!) - Agricultor nos intervalos da chuva, pastor, professor ainda e sempre!!! – Foi presidente do ISCAL - Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa - Aposentação e reforma após 49 anos de luta diária pela vida dia a dia, sem desistências nem interrupções…

"Coninuo a "estudar"

A ciência é exata? Há ciências exatas?

(AVISO: Este texto pode conter palavreado estranho e aparentemente incoerente. As pessoas mais sensíveis a este fenómeno devem abster-se de o ler).

:::::

O MOTE: Agradeço os seguintes comentários que a nossa querida amiga Maria João Sacagami fez à PARTE I desta série de escritos: “…Só que aí um bando de gente mais curiosa, determinada a provar que a ciência é exacta” e mais …“a certeza científica inexiste. Porque a matéria, ou informação de frequência vibracional que parece ser uma definição mais exacta, acabou se mostrando dependente da atenção e emoção do observador, em seu comportamento”. E também ainda: “…até mesmo com base na observação, a ciência passou a ter outros critérios ao se descobrir que o cientista, Háka observador, influi no resultado da coisa observada a partir das próprias emoções e/ou comportamento deste. Portanto continuamos falando de ciência. A mecânica e a quântica”.

alhambra3.jpg :::1 (…) Afirmei na parte I desta série de escritos, publicada em 15-02-2017, que: “a ciência é caracterizada como o conhecimento racional, sistemático, exacto, verificável e, contudo, falível. Através da investigação científica, o homem vai atingindo uma reconstrução conceitual dinâmica do mundo que é cada vez mais ampla, profunda e exacta”. Receio que houve quem entendesse que eu quis dizer que a ciência é exacta ou algumas ciências são exactas, hoje, no 17.º ano do séc. XXI. O erro é meu porque terei expressado uma ideia não muito clara e desejo corrigi-lo aqui e agora.

:::2

Naquelas minhas frases que acima cito, no entanto, eu escrevi que “o homem vai atingindo uma reconstrução conceitual dinâmica do mundo que é cada vez mais ampla, profunda e exacta” e também escrevi “o conhecimento racional, sistemático, exacto, verificável e, contudo, falível”. Ora o que está em “reconstrução” é porque não está em situação de estabilidade funcional e que se admite que possa vir a ser reconstruído de novo, no futuro; portanto não é um estado acabado do conhecimento, a exactidão é dinâmica. Por outro lado, afirmo que “o conhecimento é falível e, portanto, pode ser substituído por outro.

:::3

Ainda hoje há quem pense que as ciências exactas são as ciências que têm a Matemática, a Química e a Física como peças fundamentais dos estudos científicos. Além das três áreas básicas e todas as suas subdivisões, tais como a Física Quântica e a Físico-Química, entre as ciências que também são consideradas exactas, aparecem a Astronomia, a Estatística, a Ciência da Computação e a Arquitectura. Pensa-se assim porque a principal característica de actuação dos cientistas e dos profissionais destas áreas é o raciocínio lógico. Eu não defendo esta posição.

007.png:::4 - Cabe aqui introduzir o conceito de PARADIGMA e a sua concomitante situação de eventual mudança. Etimologicamente este termo tem origem no grego “paradeigma” que significa modelo ou padrão, correspondendo a algo que vai servir de modelo ou exemplo a ser seguido numa situação concreta. São as normas orientadoras de um grupo de interessados que estabelecem os limites e as orientações que determinam como um indivíduo desse grupo deve desenvolver o seu pensamento em termos científicos. O termo surgiu inicialmente em Linguística. Na filosofia, um paradigma está relacionado com a epistemologia (conceito abordado na PARTE I), sendo que, para Platão, um paradigma remete para um modelo relacionado com o mundo exemplar das ideias, do qual faz parte o mundo das sensações, das constatações.

:::5

O norte-americano Thomas Kuhn (1922-1996), físico e filósofo da ciência, no seu livro “The Structure of Scientific Revolutions” (4.ª edição 2012) designou como paradigma as “realizações científicas que geram modelos que, por um período mais ou menos longo e de modo mais ou menos explícito, orientam o desenvolvimento posterior das pesquisas exclusivamente na busca da solução para os problemas por elas suscitados.” Assim o paradigma é um princípio, teoria ou conhecimento originado da pesquisa num determinado campo científico. Uma referência inicial que servirá de modelo para novas pesquisas.

:::6

Distingamos paradigma de hermenêutica, que são conceitos diferentes mas que aparecem por vezes misturados. Esta também é uma palavra com origem grega e significa a arte ou técnica de interpretar e explicar um texto ou discurso. O seu sentido original estava relacionado com a Bíblia, sendo que neste caso consistia na compreensão das Escrituras, para compreender o sentido das palavras de Deus. A hermenêutica também está presente na filosofia e no campo jurídico, em cada um com seu significado. Segundo a filosofia, a hermenêutica aborda duas vertentes: a epistemológica, com a interpretação de textos e é aqui que se poderá confundir com paradigma, e a ontológica, que remete para a interpretação de uma realidade. Etimologicamente, a palavra está relacionada com o deus grego Hermes, que era, entre outras representações, um dos deuses da oratória. (Ver nota 1 de fim de página)

haida art.jpg :::7 - As mudanças de paradigma em cada ciência exigirão que as leis científicas sejam alteradas, melhoradas e até revogadas e substituídas por outras que os novos paradigmas propuserem.

:::8

As ciências ditas exactas estão entre as mais antigas que surgiram e se desenvolveram. Desde a antiguidade, o homem utilizou a Matemática e a Física para resolver muitos dos seus problemas e moldar da melhor forma a natureza e a sociedade. Foram as designadas ciências exactas que proporcionaram que os antigos egípcios construíssem as pirâmides, que os gregos erguessem as suas acrópoles e os seus monumentos que chegaram até nós e também que o homem realizasse a viagem espacial à lua no século XX.

:::9

Mas serão mesmo estas “ciências exactas”? De acordo com o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, "exacto" significa "que não contém erro", "que tem grande rigor ou precisão", "perfeito", "irretocável". E é um costume dominante referir-se a matemática como uma ciência exacta. Esta designação, "ciência exacta", frequentemente tem levado pessoas - entre leigos e até profissionais - a crerem que a matemática e as outras ditas ciências exactas, são ciências livres de erros, com grande rigor e precisão, perfeitas e irretocáveis (que não precisam de reconstrução).

:::10

Uma coisa é a impressão que a designação "ciência exacta" pode fazer, do ponto de vista meramente intuitivo. Outra é o que a prática matemática mostra no cotidiano de experientes cientistas e investigadores. Antes de mais nada, é preciso lembrar que matemática é uma actividade intelectual desenvolvida por seres humanos. E seres humanos, como toda a gente sabe, menos os lunáticos ou os desprovidos de senso, e mostra a prática, são criaturas falíveis.

chicor4.jpg:::11 - Aquele (ou aquela) que se condena a uma visão absolutamente clara de mundo, prática, inquestionável, inexorável, exacta, perde o contacto com o que há de mais fundamental em cada um de nós: somos todos seres humanos. A Matemática, a Química e a Física não são actividades extraterrestres, desumanas, mecânicas, previsíveis, inquestionáveis. Bem pelo contrário, são afectadas também por sensações, emoções, alegrias e tristezas.

:::12

É sobretudo por esta razão que concluo que não se pode afirmar que elas sejam ciências exactas. Diz muito bem a Maria João Sacagami que “até mesmo com base na observação, a ciência passou a ter outros critérios” (novos paradigmas, acrescento eu) “ao se descobrir que o cientista, observador, influi no resultado da coisa observada a partir das próprias emoções e/ou comportamentos”

:::Notas

(1) Hermes era o deus mensageiro, dos pesos e medidas, dos pastores, dos oradores, dos poetas, do atletismo, do comércio, das estradas e viagens e das invenções. Era considerado, na Grécia Antiga, o patrono dos diplomatas, dos comerciantes, da ginástica e dos astrónomos. Após a Grécia ser conquistada pelo Império Romano, a figura e o mito de Hermes sofreu um sincretismo com o deus romano Mercúrio (deus do lucro, do comércio e também o mensageiro dos deuses). Este é um dos meus favoritos, pois está representado no emblema da escola de toda a minha vida como estudante, como professor e como dirigente de um instituto público, o ICL /ISCAL

25-02-2017

JCF

(Continua)

ferrolho1.jpg::: T.1 (T - De T´Chinhgange) - PEROLAS II – Foi publicada no Facebook na página Kizomba e, entre vários comentários António Monteiro referiu: - Professor Júlio Ferrolho, os alunos estão chegando! Nós, alunos, vamos ser bem comportados e falar de coisas tão transcendentes que terão necessidade de explicações adicionais! Isto só será possível se não nos sublimarmos!... (Não somos feitos de água!?)... Mas mesmo assim, talvez possamos virar rubis ou diamantes! Quem sabe! E, dito isto foi ver o entrudo…

:::::T.2

Assunção Roxo em uma sua opinião faz menção de que António Monteiro, o T´Chingange da kizomba, iria “reformatar” o tema em tratamento diferenciado! Não! Não se trata de reformatar (quem sou eu para tais desígnios?) o que quer que seja mas sim adendar outras perspectivas e também dar uma visão mais clara do que é um Paradigma em nossa sociedade. O assunto é longo mas vale a pena escalpelizá-lo como sugerem Luís de Magalhães e Edgar Neves com a chancela de “leitura obrigatória”.  

:::::T.3

O essencial da mensagem em Pérolas I e II ultrapassam o âmbito das ciências exactas e naturais como é dito pelo professor Júlio Ferrolho pois que as questões em volta das mudanças de paradigma interessam a historiadores, filósofos, sociólogos e teólogos.  A arte de comunicar ciência tem perspectivas tão interessantes que sendo eu um pé-de-chinelo curioso, só me debruçarei sobre esta hodierna revolução.

:::::T.4

As teorias que não colidam com outros paradigmas teóricos têm grande probabilidade de aceitação. As Teorias Novas que colidam com paradigmas teóricos têm grande probabilidade de sofrerem rejeição devido aos conflitos de ideias e seus mecanismos nos conceitos velhos e novos, competindo para o mesmo fim; estes poderão dominar muitos outros factores culturais sociais e psicológicos.

tonito3.jpg:::::T.5 - Talvez tenha de reflectir sobre o já dito por Maria João Sacagami para interpretar os fenómenos de rejeição que descrevem condicionantes ao sociocultural determinados porque, para estes, não há leis Universais. Fenómenos são fenómenos!

:::::T.6

O Mundo é complicado e a mente humana não o pode compreender completamente. Sendo assim, o conhecer, significa dividir e classificar para depois se determinar relações sistemáticas entre o que se separou. Se Galileu é um grave exemplo de pecado dos homens e da hierarquia da Igreja, entre outros; será exemplo de um obscurantismo grave por parte dos homens de ciência.

pedras 002.jpg:::::T.7 - A história das políticas sociais revela-nos que a estrutura das ciências, afinal, não é, por vezes, tão “lógica” como se julgava. Em jeito de epílogo, talvez eu tenha razão e tales alguém mais não a tenha; mas também é bem possível que nenhum de nós a tenha! Foi Karl Potter quem assim falou.

:::::T.8

Vou agora descrever o que é na prática corrente o tal de paradigma.

A palavra “teoria” provem do grego “ver” e, quer seja uma teoria ou um modelo teórico serão imagens do mundo material, inventadas para o tornar compreensível. Surgem deste modo as teorias ou convicções cujos espíritos nem sempre credibilizam o testemunho dos olhos. Os caminhos que a leis da física nos proporcionam por via da natureza, até ao limite do cosmos e do microfísico, revelam-nos filosofias diferentes das que o Mundo do quotidiano permitem estabelecer.

:::::T.9

A separação entre o homem e o Mundo perde-se nos limites da microfísica com a relação de incerteza de Heisemberg e a visão probabilística da mecânica e matemática quântica. É o espaço-tempo que se esbate no limite das altas velocidades com anos-luz que volatilizam o imediato nas teorias de relatividade.

:::::T.10

A abstracção da lógica matemática, forma superior do conhecimento científico, parece não poder ser formalizada totalmente nos recursos do intelecto humano pois a mente, tem sempre a possibilidade de inventar meios de demonstração que os ultrapassam. Em busca da verdade, rebusquei em tempos, conhecimento em Coimbra; não na cátedra mas, na vivência entre amigos e, entendi melhor o que é um Paradigma em nossas vidas.

roxo27.jpg :::::T.11 - «Mostrar, apresentar, confrontar» - é um conceito das ciências, teoria do conhecimento que define um exemplo típico ou modelo de algo. É a representação de um padrão a ser seguido ou um pressuposto filosófico como matriz… uma referência inicial como base de modelo para estudos e pesquisas. Para entender melhor este conceito terei de explicar o que ali vivifiquei:

:::::T12

- Um grupo de cientistas colocou cinco macacos numa jaula, em cujo centro puseram uma escada e, sobre ela, um cacho de bananas. Quando um macaco subia a escada para apanhar as bananas, os cientistas lançavam um jacto de água fria nos que estavam no chão. Isto repetiu-se e sem interrupção. Depois de algum tempo, de cada vez que um macaco tentava subir a escada, os outros quatro agrediam-no.

:::::T.13

Passado mais algum tempo, nenhum macaco subia mais a escada, apesar da tentação provocada pelas bananas. Então, os cientistas substituíram um dos cinco macacos. A primeira coisa que este fez foi subir a escada, sendo rapidamente retirado dela e, à força pelos outros. Depois de algumas surras, o novo integrante do grupo não mais subia a escada.

roxo118.jpg :::::T.14 - Um segundo foi substituído, e o mesmo ocorreu, tendo o primeiro substituto participado, com entusiasmo, no massacre do novato. Um terceiro foi trocado, e repetiu-se a história. Mais um quarto e, finalmente, o último dos veteranos, foram igualmente substituídos, e de igual modo se desenrolou a mesmíssima situação.

:::::T.15

Os cientistas ficaram então, com um grupo de cinco macacos que, mesmo nunca tendo tomado um banho frio, continuavam a agredir aquele que tentasse chegar às bananas. Se fosse possível perguntar a algum deles porque batiam em quem tentasse subir a escada, com certeza a resposta seria: - Não sei, por aqui as coisas sempre foram assim!...

:::::T.16

Moral da história: “É MAIS FÁCIL DESINTEGRAR UM ÁTOMO DO QUE UM PRECONCEITO”, (Albert Einstein)

Colaboração do Soba T´Chingange

 

 

 



PUBLICADO POR kimbolagoa às 12:54
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 23 de Fevereiro de 2017
PÉROLAS. I

“O PALAVRÓRIO DA FUNÇÃO ERUDITA” - Parte I

O homem herdou o mundo; a sua glória não consiste em suportar ou desprezar esse mundo…

soba k.jpgAs escolhas de T´Chingange

Por

julio1.jpg JÚLIO FERROLHO…. Professor Aposentado mas pouco (!) - Agricultor nos intervalos da chuva, pastor, professor ainda e sempre!!! – Foi presidente do ISCAL - Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa - Aposentação e reforma após 49 anos de luta diária pela vida dia a dia, sem desistências nem interrupções…

:::::

Prof. Júlio Ferrolho é daqueles que nunca esquecemos determinadas aulas, conversas e ensinamentos! Um exemplo de como deveria ser o nosso ensino! Parabéns pelo exemplo que nos deu! – É este, um comentário que extraí de sua página e que aqui reproduzo sem prévia autorização. Tentei, tentei, mas deveria estar cuidando de seus perdigueiros…

julio3.jpgFigueira da Fóz

Sinto que nunca deixei de ser estudante! - AVISO: Este texto pode conter palavreado estranho e aparentemente incoerente. As pessoas mais sensíveis a este fenómeno devem abster-se de o ler. (COMO NÃO SOU ESPECIALISTA DEIXAREI PARA OUTRO MOMENTO ainda muitas QUESTÕES e sobretudo as SAGRADAS relacionadas COM O TEMA)…

:::

A ciência é caracterizada como o conhecimento racional, sistemático, exacto, verificável e, contudo, falível. Através da investigação científica, o homem vai atingindo uma reconstrução conceitual dinâmica do mundo que é cada vez mais ampla, profunda e exacta.

roxomania2.jpgO homem herdou o mundo; a sua glória não consiste em suportar ou desprezar esse mundo, mas enriquecê-lo para construir outros universos. Manipula e remodela a natureza submetendo-a às suas necessidades materiais e espirituais, bem como aos seus sonhos. Criou assim o mundo dos sonhos, das quimeras, dos artefactos e o mundo da cultura.

:::

A actividade da Ciência - como a investigação - pertence à vida social na medida em que é aplicada para melhorar o nosso meio, tanto natural como artificial, para inventar e construir ou fabricar bens materiais e produzir bens culturais ou imateriais. Deste modo a ciência transformou-se em tecnologia e arte.

:::

Por outro prisma, a ciência surge aos nossos olhos como a mais deslumbrante e assombrosa das estrelas quando a consideramos como um bem em si, isto é como uma produtora de nova actividade de ideias (investigação científica e o seu resultado, a inovação).

socie1.jpgA epistemologia encerra, em termos sintéticos, a teoria do conhecimento. Mas podemos considerá-la como o estudo crítico dos princípios, hipóteses, e resultados das diferentes ciências, procurando determinar-lhes a origem, a lógica, o valor e o alcance objectivo.

:::

Nem toda a pesquisa científica visa obter um conhecimento objectivo. A lógica e a matemática - ou seja, os vários sistemas de lógica formal - e os diferentes capítulos da matemática pura são racionais, sistemáticos e verificáveis, mas não são objectivos; não nos dão informações sobre a realidade porque não estão simplesmente preocupadas com os factos.

:::

A lógica e a matemática tentam construir entidades ideais; estas só existem na mente humana. Elas não recebem objectos de estudo: constroem os seus próprios objectos. É verdade que muitas vezes fazem-no por abstracção dos objectos reais (naturais e sociais). Além disso, o trabalho lógico ou matemático muitas vezes atende às necessidades do naturalista, do sociólogo ou do tecnólogo e é por esta razão que a sociedade tolera estas actividades e até parece estimulá-las. A física, a química, a fisiologia, a psicologia, a economia e outras ciências usam a matemática como uma ferramenta para fazer a reconstrução mais precisa das relações complexas que ocorrem entre os factos que estudam e interpretam e os vários aspectos destes.

roxo107.jpg Um dos aspectos fulcrais da ciência é a questão do MÉTODO CIENTÍFICO que deve ser seguido para chegar a conclusões científicas. A metodologia científica tem a sua origem no pensamento do filósofo francês Descartes, que foi posteriormente desenvolvida empiricamente pelo físico inglês Isaac Newton.

:::

René Descartes propôs chegar à verdade através da dúvida sistemática e da decomposição de qualquer problema nas suas pequenas partes constituintes, características que definiriam a base da investigação científica. Escreveu um livro famoso “Discurso do Método" onde afirma:

:::

''E como a multiplicidade das leis serve frequentemente para escusar os vícios, de sorte que um estado é muito melhor governado quando, possuindo poucas, elas são aí rigorosamente aplicadas, assim, em lugar de um grande número de preceitos dos quais a lógica é composta, acrediteis que já me seriam bastante quatro, contanto que tomasse a firme e constante resolução de não deixar uma vez só de observá-las.

:::

A PRIMEIRA consistiria em nunca aceitar, por verdadeira, coisa nenhuma que não conhecesse como evidente; isto é, devia evitar cuidadosamente a precipitação e a prevenção; e nada incluir em meus juízos que não se apresentasse tão claramente e tão distintamente ao meu espírito que não tivesse nenhuma ocasião de o pôr em dúvida.

tonito3.jpg A SEGUNDA – dividir cada uma das dificuldades que examinasse em tantas parcelas quantas pudessem ser e fossem exigidas para melhor compreendê-las. A TERCEIRA – conduzir por ordem os meus pensamentos, começando pelos objectos mais simples e fáceis de serem conhecidos, para subir, pouco a pouco, como por degraus, até o conhecimento dos mais compostos, e supondo mesmo certa ordem entre os que não se precedem naturalmente uns aos outros. E por último – fazer sempre enumerações tão completas e revisões tão gerais, que ficasse certo de nada omitir''.

:::

Correntemente estas regras são: 1) da evidência; 2) da divisão ou análise; 3) da ordem ou dedução; e, 4) da enumeração (contar, especificar, e classificar).

(…CONTINUA).

JCF, 14-02-2017

rosa1.jpgNOTA: O tema PÉROLAS surgiu de uma daquelas conversas no FB ventilando algo assim: O que interessa fazer vale a pena fazer bem feito! Vi logo que aqui havia um rigor de cátedra e fui ficando de lado ouvindo como é recomendável e, quando se tem como interlocutor um Professor sapiente. Assunção Roxo também costurou umas ideias lindas bordeadas com suas pinturas holográficas. Foi o nosso Portal! Fiquei matutando na bruma, cores psicadélicas e, assim embebido na sabedoria com arte resolvi fazer uma surpresa com o tema PÉROLAS. Assim ao jeito de prefácio corro as cortinas para futuras pérolas enfeitadas com os roxos coloridos dos arco-íris de Assunção Roxo. Perdoem esta libertina ideia do soba fantasma ´T´Chingange, um despropósito de figura mas, na forma original das superstições de áfrica- N´Gola

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 09:38
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sexta-feira, 30 de Dezembro de 2016
MUXIMA . LXVI

MULOLAS DO TEMPO - 30.12.2006 - Os benefícios do CLORETO DE MAGNÁSIO…

 - Se observar um homem com asas, pode ter a certeza de que não se trata de um anjo; É a fé que os sustenta no ar…

Por

soba15.jpgT´Chingange - Nasceu em águas internacionais num vapor chamado Niassa. É cidadão do mundo, Angolano na diáspora - Mazombo por condição. Sente-se e respira Angolano, tem cédula de Brasileiro, B. Identidade do M´Puto.

O cloreto de magnésio ajuda-nos a combater a depressão, os enjoos e a fadiga. No caso de tomar antibióticos, saiba que eles podem diminuir o efeito de alguns remédios. O cloreto de magnésio funciona como um suplemento alimentar cheio de benefícios para a saúde, que nos ajuda a manter o corpo jovem e vigorante; para além de colaborar no combate e prevenção de muitas infecções, é realmente útil e benéfico para todas as idades, ainda que como princípio activo também apresente algumas contra-indicações importantes que devem ser consideradas.

magne1.jpg O cloreto de magnésio está composto por cloro e magnésio, que oferecem muitos benefícios para a saúde e para a beleza. Na verdade, este composto tem sido utilizado com fins industriais, além de também ser muito utilizado com fins medicinais. Quer conhecer os benefícios do cloreto de magnésio?

:::::

O cloreto de magnésio funciona como um excelente purificador do sangue, ajudando a equilibrar o PH. Graças a este benefício, o cloreto de magnésio ajuda-nos a prevenir muitas doenças. Ajuda a eliminar o ácido que se acumula nos rins, promovendo o funcionamento e a saúde renal. Estimula as funções cerebrais e a transmissão de impulsos nervosos, contribuindo, desta forma, a manter um equilíbrio mental.

CAUNI 5.jpg É ideal para os desportistas ou pessoas com alto rendimento físico, já que ajuda a prevenir e combater as lesões musculares, cãibras, fadiga e/ou cansaço muscular. Estimula o bom funcionamento do sistema cardiovascular, prevenindo as doenças do coração. Ajuda a diminuir os níveis do colesterol ruim, estimulando a boa circulação do sangue e prevenindo doenças. É um poderoso remédio anti-stress, que também ajuda a combater a depressão, os enjoos e a fadiga. É muito importante na regulação da temperatura do corpo.

:::::

Previne problemas como as hemorróidas, melhora a saúde intestinal e ajuda em casos como a colite, prisão de ventre, entre outros. Previne os problemas da próstata e ajuda a combatê-los. As pesquisas alertaram que pode ajudar a prevenir e a combater tumores cancerígenos. Fortalece o sistema imunológico, ajudando a prevenir e a combater os resfriados, mucosidades e infecções.

magne1.jpg Previne o envelhecimento precoce, já que oferece vitalidade ao corpo e promove a regeneração celular. É um elemento chave na prevenção da osteoporose, pois actua como um fixador de cálcio nos ossos. O cloreto de magnésio previne a formação de cálculos renais, impedindo que o oxalato de cálcio se acumule neles. Promove a saúde da mulher, já que diminui os sintomas da TPM e estimula a regulação hormonal.

:::::

Combate os radicais livres, evitando a formação de tumores e verrugas. Promove a limpeza das artérias, prevenindo ao mesmo tempo a arteriosclerose. Ainda que se conheça seus benefícios para saúde, não deve ser usado por longo tempo para as pessoas que sofrem de diarreia, pois este tem um efeito laxante. Deve ser evitado em pessoas com doenças renais, especialmente as que sofrem de insuficiência deste tipo. Não deve ser consumido quando se sofre de colite ulcerosa, pois pode aguçar as diarreias.

clore4.jpg Ao tomar antibióticos, o cloreto de magnésio pode diminuir a eficiência de alguns deles e, é por isso que se recomenda tomá-lo 3 ou 4 horas antes de consumir um antibiótico. Como preparar o cloreto de magnésio? O cloreto de magnésio pode ser encontrado já preparado e em tabletes, também há uma fórmula para fazê-lo em casa. Se assim for, vai precisar de: 1 litro de água, 30 gramas de cloreto de magnésio cristalizado; 1 colher de madeira.

:::::

O que deve ser feito? Ponha para ferver um litro de água e depois deixe esfriar. Em seguida, coloque em uma vasilha de vidro e dissolva 30 gramas de cloreto de magnésio cristalizado. Misture com a colher de madeira, tampe bem e aguarde. Qual dose a tomar? A dose vai depender do problema a ser tratado ou a idade.

magne3.jpg Tendo dúvidas consulte previamente um médico para saber a dose exacta de acordo com a vossa necessidade. No entanto, o nível geral recomendado é uma dose de uma a duas colheres de cloreto de magnésio por dia, depois dos 35 anos, antes desta idade recomenda-se só meia colher. Tome um copinho pequeno daqueles que se usam para tomar café, uma ou duas vezes por dia, não mais.

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 21:47
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 22 de Dezembro de 2016
MALAMBAS . CLVII

CINZAS DO TEMPO – DORES DE FOME - 22.12.2016

– Na natureza dos dias de hoje, não é o mais inteligente que vence na vida, mas sim aquele que melhor se adapta a ela… Só ontem é que soube o que era o apestato…

MALAMBA: É a palavra.

Por

t´chingange 0.jpg T´Chingange

Um estomago vazio tem ondas de contracção e, a entrada de alimentos faz parar as contracções; são estas que dão um sinal ao apestato. E, afinal que órgão é este? Pois é o centro do cérebro que controla o apetite! Deveria ser assim mas, parece não o ser porque a remoção do estomago por cirurgia nunca interferiu com o controlo do apetite; o certo é de que todos nós nascemos com um apestato a quem os fisiologistas dizem ser como um termóstato que regula uma fornalha, ou o apetite da mesma.

:::::

E, se o apestato de uma pessoa estiver regulado para muito alto, essa pessoa estará continuamente a tomar mais calorias do que as que consome. Só se se tiver um autocontrolo e auto-estima elevado é que não se desgastará com as chamadas dores de fome.

poção 01.jpg Na opinião do fisiologista Jean Mayer da universidade de Harvard o apestato responde ao nível de glucose no sangue; depois da digestão do alimento, o nível de glucose do sangue baixa lentamente. Quando se encontra abaixo de um certo nível, o apestato é ligado. Se, se der resposta aos consequentes pedidos urgentes do apetite e se, se for comer, o nível de glucose do sangue sobe momentaneamente e, o apostato é desligado.

:::::

Em um período da minha vida tive de lidar com um grupo de ciclistas que pertenciam ao clube de qual eu era presidente e também praticante dessa modalidade e, sempre sucedia ver um entre nós que nos almoços tinha um comportamento sôfrego no seu jeito de comer; tinha sempre de ser o primeiro e comia de um tal jeito desenfreado que perturbava o meu pensar. Até reclamava perante os demais que esse era um comportamento bem egoísta.

poção1.jpg Aquela ansiedade inquietava-me até ao dia que alguém disse que ele era diabético; foi quando, em verdade me inteirei desta particularidade. Até há uma geração atrás não havia nenhum tipo de tratamento eficaz para esta maleita. De facto o doente diabético apesar do aumento do apetite pode rapidamente perder peso à medida que a doença avança! Infelizmente nós, não conhecemos na perfeição o nosso corpo.

:::::

Sabemos que a urina dos diabéticos têm a particularidade de atrair as moscas por via de ser doce mas, foi só em 1916 que o médico escocês Albert Schafer descobriu que havia uns ilhéus de largerhams que produziam hormonas antibióticas. A essa hormona chamou insulina derivada do grupo e que significa “ilha” em Grego; antes pensava-se ser o pâncreas que produzia esta insulina mas, dali só saía o suco pancreático.

poção2.jpg Então, ficou a saber-se ser a insulina das ilhas uma proteína e que as enzimas do pâncreas quebravam as proteínas destruindo-a. Conseguiram em anos de experiências e por meio de laqueamento do pâncreas retirar a hormona intacta a partir dos ilhéus. Isto a que se chamou de insulina salvou nesse então 30 milhões de diabéticos.

:::::

O efeito da insulina no corpo está nitidamente em íntima relação com o nível de concentração de glucose no sangue. Em geral, o nosso organismo armazena grande parte da glucose no fígado sob a forma de uma espécie de amido chamado glicogénio deixando apenas uma pequena quantidade de glucose na corrente sanguínea para suprir as necessidades energéticas imediatas das células.

poção3.jpg Com algum empenho fiquei a saber um pouco mais do que sabia ontem. Sabemos tanta coisa diversificada e, nem sempre nos preocupamos com nossos mais importantes íntimos pertences; o próprio património que carregamos. Quando pensamos que já sabemos tudo, descobrimos que afinal, temos muito mais para saber. Temos de saber o mínimo indispensável de o porquê de termos dois olhos e não um só! Porquê transpiramos? Do porquê nos inquietamos?

:::::

Nós que só somos uma ilusão, a coisa mais completa, só duramos um certo tempo; O que Deus-Natureza determina! E depois, nem sabemos ao certo para onde iremos… Fala o livro dos livros que Profeta Eliseu subiu aos céus ainda vivo e, que foi para junto do Pai, lugar aonde ele queria estar mas, não voltou nem mandou mokanda…

poção4.jpg O Profeta Eliseu foi o sucessor de Elias no Reino do Norte de Israel. Vivia em Abel-Meolá, no Vale do Jordão; tinha uma abastada família e era dono de 12 juntas de bois. Serviu a Elias durante algum tempo e, antes de ter ascendido em direcção aos céus por um redemoinho, depois de serem separados por uma carruagem de fogo, Eliseu pediu-lhe "porção (poção) dobrada do espírito de Elias" e, foi-se! Que poção era esta?

Bibliografia: O corpo humano de Isaac Asimov  

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 07:43
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Domingo, 18 de Dezembro de 2016
MUXIMA . LXVI

MULOLAS DO TEMPO O tempo suficiente para chegar a ser idoso … Mulola só é rio quando chove a montante…

Por

t´chingange 0.jpgT´Chingange

Os avanços feitos pela medicina moderna na batalha contra as infecções, contra o cancro, contra as doenças nutricionais, têm aumentado a probabilidade de qualquer individuo viver o tempo suficiente para chegar a ser idoso. Metade das pessoas nascidas nesta geração podem ter a esperança de ir para além dos setenta anos se entretanto não houver acontecimento circunstancial alheio a si próprio, como uma guerra nuclear ou uma qualquer indistinta catástrofe.

:::::

Sempre existiram pessoas que podem comer livremente e que o fazem ingerindo de tudo em quantidades maiores do que as necessárias; nosso corpo armazena o excesso sob a forma de gordura, um armazém de calorias que dará para sustentar a pessoa durante um período em que a comida disponível é pouca, caso contrário a pessoa excede o peso recomendável ficando atreito a doenças degenerativas ou metabólicas como os diabetes e a aterosclerose entre outras.

leão0.jpg O único modo racional de o evitar é diminuir a ingestão de alimentos ou aumentar a actividade física; as pessoas que se recusam a fazer qualquer destes dois cuidados, estão condenados a continuar com excesso de peso ainda que se possa experimentar truques. Por mim, ando entre hora e meia a duas horas e faço alguns abdominais para reduzir a curva inestética da obesidade.

:::::

Ao longo da maior parte da história da humanidade os alimentos das pessoas consistiam naquilo que se podia produzir localmente e, mesmo assim geralmente não existia a fartura que há hoje. Dependiam de factores externos como as pragas, falta de chuva ou excessivo calor. Antes destes tempos modernos a fome era invariavelmente um fenómeno local; não havia mobilidade e as famílias resignavam-se aos desígnios da natureza.

leão01.jpg As províncias vizinhas de uma dada região podiam até ter comida acumulada mas, não podia ser transportada para a área afectada pela fome; Sabemos que nos dias de hoje morre muita gente em África e Ásia por má distribuição de riqueza ou pela seca mas esses povos são invariavelmente geridos por déspotas, ditadores que se governam, que comem bem e só deitam os ossos aos seus cachorros.

:::::

É confrangedor o que se pode ler, ver e ouvir todos os dias por esses países geridos por crápulas incompetentes que só olham o seu umbigo e seus eleitos pares como Roberto Mugabe do Zimbabwé ou Eduardo dos Santos de Angola. Quantos povos ricos de água, de minerais e até de infraestruturas que lhe foram legadas pela descolonização e, se encontram agora em total abandono.

bruno27.jpg Poucos são os países africanos que se podem considerar isentos na forma de gestão de seu território; até os mais desenvolvidos como a África do Sul que enferma de graves problemas tribais, que dificulta também a vida a técnicos que lhe fazem falta só porque se é branco. Quando assim procedem, estão nitidamente a causar embaraços ao desenvolvimento de seus países, de seu povo.

leão3.jpg Os homens da antiguidade aprenderam a conservar os alimentos secando-os, salgando-os aumentando o seu teor em açúcar e fermentando-os. Hodiernamente foram desenvolvidos métodos de armazenagem sob vácuo e tornou-se assim desse modo ser possível conservar quase tudo em um estado próximo do original. A preparação mata os microrganismos evitando a reprodução e sequente crescimento de outros.

:::::

O vácuo tornou-se praticável por um cozinheiro francês de nome François Appert, que desenvolveu essa técnica por via de um prémio atribuído por Napoleão I, a quem descobrisse um método de conservar os alimentos por longo tempo e, para uso de seus exércitos. Nesse então foram utilizados frascos de vidro mas, actualmente usam-se caixas de aço revestidas a estanho (latas). Mais recentemente usa-se o plástico.

:::::

A partir da segunda guerra mundial os alimentos congelados tornaram-se cada vez mais populares surgindo um número crescente de geleiras domésticas aumentando ainda mais a disponibilidade e variedade dos alimentos frescos nos lares. Todos os países têm agora redes de frio com veículos apetrechados a fim de manterem o fluxo certo de géneros, frutas, legumes, peixe e carne nos mercados regionais. Verifica-se deste modo ter aumentado a praticabilidade das modernas manias alimentares, um negócio em expansão.

leão2.jpg É assim possível comer-se hoje uma larga variedade de alimentos essenciais à maquinaria química do corpo. Quem seguir uma dieta normal e variada comendo de tudo um pouco ficará na esmagadora maioria livre das chamadas doenças de avitaminose. Foi necessário esperar pelo último quarto do século XX para que a dita dietética descobrisse as quantidades e substâncias nos alimentos de forma a ter-se uma alimentação saudável.

:::::

Já la vai o tempo em que o escorbuto matava gente por desconhecimento; os capilares tornavam-se cada vez mais frágeis, as gengivas sangravam os dentes soltavam-se. Os portugueses sentiram este estado de coisas em suas navegações ao redor do mundo. Vasco da Gama e Fernão de Magalhães tinham de levar alimentos que não se estragassem como o biscoito e carne de porco, salgada. E afinal, bastava terem limões, laranjas ou caruma de pinheiro para eliminarem esse mal. Resta-nos agora uma luz para exterminarmos o câncer! Estará a cura na raiz da planta “dente de Leão”? Tomara!

leão1.jpg A planta chamada de dente-de-leão (taraxacum officinale) é considerada daninha por muitos, tamanha é a facilidade com que se dissemina, inclusive através de brincadeiras de crianças, que sopram suas sementes ao vento, espalhando-as e ajudando a planta a germinar. No nordeste do Brasil é conhecida como “esperança” mas também tem outros nomes tais como: taráxaco, alface-de-cão, amargosa, amor-de-homem, etc.

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 07:21
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 17 de Dezembro de 2016
MUXIMA . LXV

MULOLAS DO TEMPO -17.12.2006 - O ESQUECIMENTO EXISTE EM NÓS PARA QUE NOS SEJA POSSIVEL SUPORTAR AS MINUDÊNCIAS DA VIDA…

Por

soba 01.jpg T´CHINGANGE - Nasceu em águas internacionais num vapor chamado Niassa. É cidadão do mundo, Angolano na diáspora - Mazombo por condição; anda pelo Mundo à procura de si mesmo! Sente-se e respira Angolano, tem cédula de Brasileiro, B. Identidade do M´Puto. Anda por África às arrecuas para fugir à regra, um paradigma novo, só seu.

São seis horas da manhã e está um vento frio e mar encrespado; as ondas de maré-alta lambem-me os pés. Ontem a NASA tinha dito que não haveria sol intenso em virtude de haver uma explosão solar e que por via das poeiras a Terra iria ficar de um nublado carregado mas o que verifico são haver nuvens como em qualquer outro dia. Tomando o iodo com a vitamina D, eu e Ibib tentamos pendurar os dias respirando a natureza entre as seis e as nove horas da manhã porque depois desta hora o sol queima demais. Na orla e caminhando pelo calçadão ginasticam-se donzelas perfumadas aos magotes.

nauk6.jpg Velhos e novos bronzeando também seus suspiros de Deus apreciam enquanto caminham os enfeites natalícios que mostram árvores, botas, trenós, os Reis Magos Melchior, Baltasar e Gaspar e luzes trepadoras que se estendem coqueiros acima. Aqui e junto à quadra em areia de futbolei vão armando as redes. Não demorará nada a iniciarem seu jogo, dois de cada lado usando o tronco a cabeça e os pés. Eu fico vendo-os deliciado com sua capacidade física.

:::::

Ontem, aconteceu que um homem de meia-idade encarquilhado de corpo e creio que da cabeça com cabelos empestados de sujeira de esterco, homem morador de rua que fica aonde o deixam ao relento, por debaixo de uma amendoeira ou coqueiro, fez suas necessidades bem perto de nós. Assim, destapando o fiofó para o infinito do mar, meio curvo lançou suas quezílias no verde-mar, pluf-pluf.

:::::

Fiquei surpreso mas ele na maior, despreocupado do mundo, de rabo alçado ao céu de Nosso Senhor foi limpando suas intimidades meio tapadas por um calção que em tempos foi verde e, muitos atilhos empeçados nos trastes, seus pecúlios de riqueza.

araujo30.jpg Isto acontecer em uma praia nobre, brada aos céus mas nós já em horas de regresso zarpamos dali depois de comprar dois cocos frios para amornar ruindades do pensamento. Do meu lado esquerdo posso admirar ao longo da língua da areia branca da Pajuçara as velas triangulares das jangadas quietas que levam mais tarde  os turistas até o largo, mar rasteiro, maré-baixa, água límpida bordeada com rochas, recifes e corais com peixes de cores variadas.

:::::

Estou em Maceió do Brasil revendo pensamentos, cortando pedaços de polpa de cocos, distribuído pelos muitos pombos que deambulam em meu redor. São estes os limpadores naturais desta praia; em outros lados são os urubus. Ibib aqui a meu lado lê em voz alta um livro que fala de encarnações de vidas.  E fico preso à narração: Uma neta que teve um bom relacionamento com a avó em vida mas, esta morreu tinha ela desaseis anos.

araujo19.jpgA moça ficou muito zangada, sentiu-se abandonada, começou a ter sonhos perturbadores em que a avó estava sempre partindo deixando-a só. Os anos passaram, sua vida foi aplacada mas, esses sonhos reapareceram quando ficou gravida. No sétimo mês de gestação começou a sentir pela casa o cheiro do perfume que a avó Oscélia usava.

:::::

A neta Cese, quando viu a filha recém-nascida, sentiu-se com a sensação de ter tido com ela uma antiga familiaridade. Pouco antes da menina Dee completar dois anos começou a dizer e a fazer coisas que a deixavam bem pensativa.  Quando a criança tinha cerca de um ano e oito meses, no supermercado, Dee deu seu gritinho de prazer dizendo: Olha mamãe, olha a minha amiga Berguer aqui! A senhora Berguer? Isso mesmo… sou eu! Disse a própria olhando a pequena, sem contudo a reconhecer.

:::::

A senhora Berguer e a avó Oscélia tinham sido vizinhas durante 35 anos. Tempos mais tarde a mãe Cese resolveu levar a filha Dee a um salão de chá ande era costume ir com sua avó. Aqui a Dee falou com alegria: “eu gosto deste lugar!”. Quando se aproximou a empregada, garçonete, uma senhora já de certa idade, Dee exclamou: Lá vem a Elen! Quando esta se aproximou pode ler seu nome no crachá “Elen”; esta ficou pouco à vontade porque, nunca tinha visto aquela menina.

roxo92.jpg Saindo de um outro sítio e em outro momento tendo Dee dois anos, em um cruzamento da cidade e sem motivo nenhum, ela começou a chorar dizendo para a mãe: Mamãe, você aqui tem de ter muito cuidado, visse; aqui é muito perigoso, a gente se machuca! Chegada a Casa Cese falou com sua mãe que lhe confirmou ter tido a avó Oscélia um atropelamento em esse mesmo cruzamento; tinha nesse então nove anos, disse a mãe.

:::::

Foram estes pequenos actos de leitura que me levaram a pensar seriamente sobre a reencarnação, coisa que a Igreja católica nunca aceitou! Neste pequeno evento de vida posso recordar coisas que nem sempre podem ser faladas. Ainda teremos de aprender a conviver com as coisas de agora e que estarão por vir. Os espíritos embora escolham voltar, quase todos encaram com relutância a vida que se aproxima.

roxo90.jpg Vêm-na mais como um dever algo desagradável que têm que fazer para alcançar o desenvolvimento espiritual. Não é difícil imaginar a relutância do espírito em deixar um lugar de amor incondicional para retornar a um mundo imperfeito e aonde há luta dor; no desejo de iluminação o anseio por unir-se a Deus é mais forte do que qualquer sofrimento na Terra.

Ilustraçõs de Assunçao Roxo e Costa Araujo

 

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 17:02
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sexta-feira, 16 de Dezembro de 2016
MUJIMBO . CIV

MOKANDA DO BRASIL

Mujimbo é boato, um diz que diz…

Por

t´chingange 0.jpg T´Chingange

temer4.jpgA convulsão política no Brasil continua provocando batalhas políticas que colocam em causa todos os lugares da hierarquia institucional brasileira incluindo mesmo o Senado que se tem mostrado senão titubeante, tendencioso, segundo a visão de independentes. Não tem havido soluções pacificadoras para a política brasileira. Seus comportamentos só poderão culminar em que “a única coisa sabida é a de que isto vai acabar mal, qualquer que seja o resultado”.

:::

A lama suja todos; a política brasileira vive dias de brasa. "As assembleias vistas pelo povo pela TV são até um bocado caricatas”. Dizem e desdizem-se porque eles sabem bem o que são e, porque não há políticos brasileiros dissociados ao escândalo da Operação “Lava Jato”.

temer1.jpg A dificuldade é saber se uma qualquer lista tem ou virá a ter alguma credibilidade. Porque a partir de certa altura, vão todos os nomes para a fogueira. Os justos e os pecadores são tratados da mesma maneira. Do ponto de vista da estabilidade do regime, isso torna muito problemático o que se está a passar neste momento do Brasil.

:::::

E Temer, sendo o segundo na linha de sucessão de Dilma teve uma conduta critica e dúbia porque no derrube de Dilma afirmou: “Se a Presidente sobreviver, eu também não saio do lugar”. Ou seja, ele tenta derrubá-la, mas se por acaso falhar ele não sai do lugar dele. Isto revela um grau zero da vergonha e do pudor em política. O que indicia um problema mais grave, para além das personagens em concreto. O sistema é profundamente disfuncional, manifestamente em desequilíbrio politica. O Brasil precisava de tudo neste momento menos de uma crise institucional mas parece não haver como retroceder.

temer2.jpg Há aqui, nitidamente, uma vertigem autofágica do sistema político brasileiro. E os protagonistas ainda não perceberam que estão todos a atirar também nos próprios pés. Podemos comparar este esquema de “Lavajato” com a operação Mãos limpas de Itália: - (Mãos Limpas) em Itália, nos anos 90. Em Itália havia um sistema de loteamento na distribuição das luvas nos concursos públicos, em função da representatividade de cada um dos partidos a nível nacional e regional.

:::::

Foi isso que esteve na base da grande operação que começou na Procuradoria de Milão, que destruiu depois o Partido Democrata Cristão Italiano, o Partido Socialista Italiano e o próprio Partido Comunista que não saiu incólume destas suspeitas! Estamos a viver exactamente uma situação desse género. O escândalo Petrobrás é um escândalo de loteamento de luvas em que todos os partidos estavam associados à quota.

temer3.jpg É difícil encontrar um político que não tenha culpas no “cartório” argumenta-se com razão! E a seguir a Temer quem virá, num período que se prevê ser breve? Se não correr muito mal há-de emergir alguém em democracia. A profecia do Carlinhos adivinhador diz que será um tal de Álvaro Dias, um ainda ilustre desconhecido nestas correrias ao pódio da nação. Tanto quanto sei, é um Senador como tantos outros. Irá ser assim, Progresso para estes e  Ordem para o Povo, tal como diz a bandeira das muitas estrelas… 

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 20:31
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Terça-feira, 6 de Dezembro de 2016
MOKANDA DO SOBA . CXVII

TEMPOS PARA ESQUECER06.12.2016 - ANGOLA DA LUUA XXVI. NA GUERRA DO TUNDAMUNJILA.

Nesta lengalenga de lembrarmos coisas mortas, cada homem é um mundo… “retornado” era um disfarce de uma palavra … palavra envergonhada.

Por     

soba15.jpg T´Chingange - (Otchingandji)

Em fins de Julho de 1975 era urgente que Lisboa enviasse seis chaimites devido à escalada de violência. Silva Cardoso tinha feito esse pedido mas, estou em crer que isto não se chegou a concretizar. Era uma exigência, sobretudo pela violência desencadeada pelos “soldados” do MPLA, drogados incontroláveis que hostilizavam permanentemente as tropas portuguesas, que aqueles, ainda consideravam como “o inimigo”; isto depois de tudo! Depois de tanta ajuda! Por aqui se podia induzir o calibre moral de tal movimento.

:::::

Agostinho Neto tinha trabalhado para que isto assim fosse! Ainda neste ambiente de tensão da Vila Alice a 27 de Julho, as NT (tropas do M´Puto) apresaram a barcaça “5 de Fevereiro” (que antes era das NF) com cerca de 300 toneladas de armamento, munições e outro material de guerra dirigido ao MPLA. Isto foi um entre centenas de casos que se dissolveram a propósito entre a ajuda descarada dos nossos ilustres dirigentes do CR ao MPLA de Neto. Aqui, tudo continuou na mesma. O propósito era mandar os brancos embora; uma descarada tundamunjila”.

valentina3.jpg Lúcio Lara e Agostinho Neto, a 28 de Julho no funeral das vítimas da Vila Alice acusaram as FAP (Forças Armadas Portuguesas) de terem traído o MPLA afirmando que estes, já não estavam a fazer nada em Angola. Para Agostinho Neto, a presença das FAP em Angola era, “senão necessária, prescindível!”. Depois de tantos favorecimentos por parte das FAP, ainda os estariam a transformar em bodes expiatórios; nunca um lobo procederia assim.

:::::

Agostinho Neto era mesmo um crápula, um cínico da pior espécie. Para Silva Cardoso, deveria alertar-se as instâncias internacionais dando prioridade à evacuação de centenas de milhares de portugueses cuja vontade era abandonar o território: isto já o era irreversível! Afirmou. O acordo de Alvor estava totalmente comprometido e, deveria ser denunciado por Portugal. Com esta atitude, o MPLA arrepiou caminho mudando de atitude; não lhe seria favorável a entrada da ONU nem da OUA.

valentina5.jpg O directório do MPLA teria de se sujeitar e conter suas gentes do poder popular! Depois de Nakuru e das batalhas de Luanda, a margem de manobra de Portugal ficou substancialmente reduzida. Em Kampala a missão portuguesa teria de deixar Angola à sua sorte manobrando os actos até o 11 de Novembro, o dia agendado para a entrega, sem se saber a quem; aos lobos! Tudo isto corria na feição exacta dos mandatários do CR e seu timoneiro Rosa Coutinho, o Almirante Vermelho, o maior pirata à face da terra hodierna.

:::::

O ataque da Vila Alice ao MPLA foi das poucas atitudes tomadas, dignas de enaltecer o brio tão ofuscado dos militares Lusos. As NF foram na generalidade duma tão perversa actuação que o melhor seria originarem um hiato na história militar. Com a saída de Silva Cardoso, o Almirante Vermelho entra de novo em acção deslocando-se a Luanda.

valodia.jpg Rosa Coutinho dando novas directivas às FAP reforça suas instruções antigas para que a todo o custo defendessem Luanda da investida da FNLA, mesmo que para tal significasse para o mundo ficar abertamente ao lado do MPLA; obviamente fazia-se naquele momento o trabalho do MPLA.

:::::

Recorde-se que isto sucede depois do encontro em Lisboa entre o 1º Ministro Vasco Gonçalves, Rosa Coutinho, Otelo Saraiva de Carvalho e Henrique Santos (Onambwa) que resultou na destituição do General Silva Cardoso com passagem à reserva militar. Mais uma vez Agostinho Neto levava a sua melhor; retirar o General Silva Cardoso que não dizia “ámen” a tudo o que este queria.

soares2.jpg Entretanto o afastamento do General foi contestado pela FNLA e UNITA referindo ambos os partidos terem estas atitudes aspectos obscuros e, queixando-se de não terem sido consultados para o efeito. Esta reclamação já pouco contou para o efeito. Estes desacordos já pouco peso tinham na conduta dos acontecimentos.

:::::

Entretanto, na Metrópole-M ´Puto, o IV Governo Provisório chefiado por Vasco Gonçalves, cuja tomada de posse se deu a 26 de Março de 1975, cai a 8 de Agosto de 1975, altura do Verão quente dando lugar a ele mesmo com o V Governo Provisório de Portugal, cuja tomada de posse se deu a 8 de Agosto de 1975, que viria a cair a 19 de Setembro de 1975 por pressão americana.

CABINDA3.jpg Se algo Portugal deve aos chamados retornados é a viragem na saída governamental da esquerda, desmanchando o bando que tomou Portugal de assalto com rosas nos fuzis. Foi uma exigência dos Estados Unidos, auxiliar o M´Puto em troca da saída do agitado comunista Vasco Gonçalves que só estava a fazer leis pouco aceitáveis e já desacreditadas em outros países da orbita Russa.

:::::

Alguém que fugiu para o Brasil descrevia o panorama da seguinte forma: “O que considero ser a pior ferida nacional … foi a chegada de todos os que vinham das “ex-colónias”. Eles foram aqueles que acreditaram, lutaram por uma vida melhor para os seus … construíram e deram muito da alma portuguesa em África. Agora voltavam, muitos deles sem sequer conhecerem ou terem alguns elos com Portugal para refazer as suas vidas …

luis12.jpg Já a palavra “retornados” era um disfarce de uma palavra … palavra envergonhada, escondida sob uma capa de regresso que era totalmente falsa, pois muitos dos que voltavam eram netos de quem partira daqui há longos anos, não conheciam e mal amavam Portugal, tinham uma alma africana, uma alma mais livre, mais quente e muito mais longínqua.”

(Continua…)

O Soba T´Chingange (Otchingandji)



PUBLICADO POR kimbolagoa às 14:02
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quarta-feira, 23 de Novembro de 2016
MUXOXO . XLI

TEMPO COM CINSAS - MACEIÓ - 23.11.2016  

Das razões para entender o que é um PARADIGMA … 2ª de 2 partes

t´chingange 0.jpgT´Chingange

O triunfo de uma nova teoria ocorrerá por um processo de conflito com o anterior paradigma, numa selecção por conflito e eliminação do erro, por via da sobrevivência do mais apto. Creio que grosseiramente se pode comparar a função de um enólogo na preparação de seus vinhos com combinações de castas. Com o tempo ele vai eliminando este e aquele tipo de uva melhorando a combinação.

paradi4.jpg Entre risos e entretantos com pimenta e queijo de coalho recompõe-se a altivez com um tinto do Chile substituindo o tintol de Pegões ou Reguengos do M´Puto contendo também na promoção aquela literatura morangueira de lengalenga nas escolhas das encostas de Vinãs-del-Mar, Vale del Maipo, e Colchagua em substituição das margens do rio Sado.

:::::

Que tal e coisa, nas plantações com uvas frutadas e aveludadas mais edecéteras entre as tintas Cabernet Sauvignon, Merlot, Camenère e Syrah, e as brancas Sauvignon Blanc e Chardonnay. Enfim, teorias que muito bebidas passam a dar a volta ao miolo mesmo sem se querer.

paradi5.jpg Reconhece-se que novos paradigmas podem aparecer de uma forma embrionária antes que surja uma nova crise científica. E, que levem a baixar drasticamente o valor alcoolémico e, por forma a não mais podermos beber do mesmo néctar que Cristo bebeu em sua última seia substituindo-o por água aindaiá, do gerês  ou outras águas que dizem ser santas e que tudo curam.

:::::

É neste sentimento de frustração de que algo não está a funcionar bem com um paradigma que se instala a crise e aguça os espíritos para o nascimento de um paradigma novo. Advém dai que destroem uma estrutura económica, um ganha pão de muita gente para se convencionar que teremos de beber só água da fonte com a adição de umas gotículas de limão para eliminar bactérias nefastas e, até o escorbuto, imagine-se!

paradi3.jpg E, como há palavras canibais que comem outras, teremos de nos sujeitar tal como o macaco a quem retiraram a banana no tal paradigma da escada e da água fria que os cientistas usaram para alterar a sua forma de bem-estar. Pois, convêm dizer aqui que a incerteza espacial, é o infinito sem bordos! Que o mundo material deforma-se nos seus limites impregnando-o de metafísica, segundo o que recolhi da sabedoria do Professor Catedrático Sebastião Formosinho.

:::::

Diz este Professor que por uma analogia estranha, encontraremos menos determinação e maior liberdade no homem e no electrão do que no Sol e na Terra porque a visão que a teoria quântica nos dá hoje, é assim a de deus-que-joga-aos-dados. Na ordem do Universo, as leis são verdadeiras até que se prove o contrário.

paradi2.jpg A ciência explica supostamente conferindo sentido ao mundo mas, também parece que tem os seus limites que lentamente destrói o seu próprio mito. Será!? É que em ciência há estradas largas, bem asfaltadas, que só depois de serem percorridas se verifica não terem saída. Já Einstein afirmava que o mistério eterno do mundo é a sua compreensibilidade.

:::::

As dádivas da Natureza, mostram que o progresso na compreensão do Universo, está profundamente condicionado pela existência de um sistema simples num dado domínio. Não obstante, Thomas Kuhn, reconhece que novos paradigmas podem aparecer de uma outra forma, que se aceitam como correctos só porque todos assim o fazem sem saber ao certo quais as justificações.

paradi1.jpg As teorias científicas estão sujeitas às questões e debates do meio social, dos interesses e das comunidades que as formulam. Hoje mesmo fiquei indignado ao saber que em Portugal vão reactivar as taxas de rampas de acesso a estradas nacionais; que quem quiser fazer uma reabilitação tem de pagar 500 euros para informar o processo, 200 para a emissão de parecer, 250 para uma vistoria extraordinária e 300 para revalidação ou autorização. Tudo uma excrescência de quem tem o poder.

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 12:20
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 24 de Outubro de 2016
MOKANDA DO SOBA . CXIV

TEMPOS PARA ESQUECER 24.10.2016 - ANGOLA DA LUUA XXIII . NA GUERRA DO TUNDAMUNJILA.Nesta lengalenga de lembrarmos coisas mortas, cada homem é um mundo… Ainda vão ter de me oferecer um passaporte diplomático…

Por     

soba16.jpg T´Chingange - (Otchingandji)

suku0.jpgA 13 de Julho de 1975 a situação em Luanda era extremamente grave. Ocorriam confrontos no bairro Prenda, Cuca, Petrangol e, parte da delegação da FNLA já tinham abandonado suas destruídas sedes. Neste dia Silva Cardoso pediu a Lisboa reforços com uma Companhia de Pára-quedista, uma de Comandos e um destacamento de Fuzileiros mais Forças Especiais no mais rápido possível. No dia 15 as acções de fogo atingiram o ponto crítico repetindo-se cenas de saque por parte de civis marginais, nalguns casos acompanhados por elementos do MPLA.

:::::

Havia apropriação abusiva de veículos e instalações pertencentes ao Estado; já havia dificuldade em distinguir se aquele organismo antes estatal o era efectivamente, ou não.  Em Malange quase toda a população civil se refugiara no quartel das NF e, em N´Dalatando verificou-se o total abandono de todas as lojas e residências que foram alvo de pilhagem pela população africana apoiada por elementos das FAPLA, forças armadas do MPLA.

ÁFRICA11.jpg Hoje muita gente desentendida a propósito, pergunta a este e aquele porque saíram de Angola porque sempre nos identificamos com aquela terra que nos viu crescer. Se a amavam porque fugiram? Do porquê de abandonarem a terra que tanto dizíamos querer? E, talvez com a leitura deste cone de lembranças do passado possam reflectir das impossibilidades de ali permanecer, sem assistência médica nos cuidados mais elementares, sem mercados de géneros, sem escolas e um estado permanente de guerra sem frentes definidas.

:::::

Era o processo de Rosa Coutinho a funcionar em pleno; provocar o abandono dos brancos, mestiços e negros com algum controlo administrativo na sociedade. As forças solicitadas pelo Alto-Comissário Silva Cardoso, estou em crer que não foram enviadas. Em Junho e antes do ataque à FNLA em Luanda, o General Fabião, Rosa Coutinho e o Coronel Varela Gomes reuniram-se em Havana com Júlio Casa Cerqueño, chefe da logística Cubana.

antu2.jpg Daqui e, logo a seguir, embarcaram para Angola um General de logística, o Comandante Cadelo e o chefe da marinha Emídio Baias para com Neto concertarem as operações que se viriam a segui; tudo leva a crer, ter tudo sido feito à revelia de Silva Cardoso. Aliás, este era um personagem a contornar com manobras falaciosas pelos militares, seu camaradas frentistas do Vinticinco e o directório do sempre enaltecido MPLA.

:::::

Em relação à “Batalha de Luanda” e a partir de 13 de Julho de 1975, Melo Antunes refere ter-se encontrado com Neto em seu Comité Central apercebendo-se que o MPLA, era já naquele momento um exército - ficou até chocado com a arrogância com que foi tratado, concluindo que Neto já não precisava de ser afável com ele e, o que estavam a fazer, era uma aplicação de um metódico plano para a tomada de Luanda.

chai0.jpg Depreende-se no correr do tempo precedente que havia oficiais portugueses que estavam por dentro dos eventos em curso e outros que eram pedras fora do baralho! Os Generais de aviário trocavam as voltas aos demais companheiros. As manobras de diversão ficaram visíveis mais tarde! O vinticinco e a liberdade do povo da metrópole era trampolim para outras atitudes; era a descolonização que mais lhes interessava e do seu jeito, não de outra qualquer forma.

:::::

No M´Puto e no dia 19 de Julho, às primeiras horas do dia, forças do COPCON substituem os civis nas barricadas efectuadas para controlo do acesso a Lisboa de manifestantes conotados com o PS que projectariam uma “marcha sobre Lisboa”. A 20 de Julho apesar das opiniões contrárias de alguns oficiais do COPCON, Otelo Saraiva de Carvalho parte para Cuba, durante a qual admite poder vir a aceitar o cargo de vice-primeiro ministro; são nacionalizadas as principais empresas de pesca.

diogo6.jpg Dá-se o início a uma onda de assaltos a sedes do PCP, MDP e partidos e organizações da esquerda revolucionária. Essas acções foram reivindicadas por um autodenominado “Movimento Maria da Fonte” que actuava no norte do país e era apoiado por certos sectores da Igreja Católica e por grupos anticomunistas. Dão-se manifestações anticomunistas em Viseu no seguimento de oito tentativas ao assalto a sedes do PCP. O M´Puto estava a acordar! É destruída a sede do MDP e a sala da Câmara em Matosinhos tendo-se registado 14 feridos. (JCS).

:::::

Angola estava para lá entregue a si própria, aos bichos, às hienas, aos brancos exploradores, à pandilha que se mostrava na televisão, que se ouvia nas cantigas de intervenção, coisas de peixe podre, fuba podre e tudo coisa ruim com mais porrada se refilares. Cantigas do Rui e outros que tais a falarem meias mentiras, descuidando as verdades. Era um pântano de palavras comendo palavrinhas dando voltas ao miolo batucado. A percussão dos tambores encobria os desesperos de milhares das chamadas Províncias Ultramarinas.

ÁFRICA18.jpg Agostinho Neto, escudado pelo apoio militar de Brejnev, do marechal Tito e de Fidel de castro, já não necessitava de ser afável com grande parte dos miliares portugueses; alguns, poucos deram-se conta mas, já era tarde para fazer marcha-à-ré. O MPLA iria liquidar os outros dois Movimentos fazendo tábua rasa da presença portuguesa e dos acordos que tinha estabelecido com todos.  

:::::

Neto era um salafrário e já era demasiado tarde para recuar o processo. Os métodos foram variados ou bem diversificados! Inventaram que a FNLA tinha arrancado órgãos humanos; que os “fenelas” eram canibais, antropófagos, diziam! Eram corações em frascos e outros órgãos em clorofórmio roubados no “Museu Anatómico”. A médica assistente do Laboratório da Faculdade de Medicina que desmentiu o propalado em cartazes pelo MPLA; por esta denúncia, esta médica foi raptada da Maternidade de Luanda. Só foi solta em 1 de Agosto e, por pressão por greve de Médicos e Enfermeiros.  

apocri3.jpg E, tem muita gente por aí que sabe o quanto é verdade estas macabras manobras! Muitas há que por tanto esforço em esquecer aqueles dias medonhos, dizem não se lembrar! Nem sei se acreditarei! Deveriam testemunhar aqui para que os novos saibam que não foi fácil nossas desventuras! Sofreram os que ficaram e sofreram os que saíram.  Tem por aí muita gente altruísta que vai em cantigas de trololó a desmentir o que aqui se diz sobre esse monstro que foi, é e continuará a ser o MPLA, os que agora mandam ao seu belo prazer, que fazem sofrer o povo.  Ainda vão ter de me oferecer um passaporte diplomático ou dar-me um prémio camões; mas, vai sendo tarde para se regenerarem.

(Continua…)

O Soba T´Chingange (Otchingandji)



PUBLICADO POR kimbolagoa às 13:08
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Segunda-feira, 17 de Outubro de 2016
MUJIMBO . CIII

DO M´PUTO - DO LIVRO PROIBIDO . V

kimbo 0.jpg As escolhas de Kimbolagoa

DE

saraiva1.jpg JOSÉ ANTÓNIO SARAIVA - O que não pude (ou não quis) escrever até hoje. «O melhor do jornalismo é aquilo que não se pode escrever».

socras2.jpg (…) Sobre Sócrates No fim desse almoço em S. Bento, e em jeito de conclusão, digo a Sócrates que, como princípio, defendo a estabilidade do Governo e  que o Sol não será um jornal bota-abaixista. Ora, à saída, Sócrates perguntará discretamente ao Mário Ramires, do qual é amigo: «O que o Saraiva disse é mesmo o que ele pensa?» Ramires confirma: «Ele sempre afirmou isso.» Tentativa para fechar o Sol.

:::::

Mas o Sol seria o primeiro jornal a dar um tiro no socratismo, ao publicar em Janeiro de 2009 as primeiras notícias sobre o caso Freeport. O país ficou em polvorosa. Nunca mais voltei a falar com Sócrates. Mas ele tentou fechar o Sol através de Armando Vara, quando este era administrador do BCP.

socras3.jpg Vale a pena contar esta história, porque constitui uma página negra da liberdade de imprensa em Portugal. O BCP - Banco Comercial Português foi accionista fundador do Sol, por opção inicial de Paulo Teixeira Pinto, seu presidente, depois assumida por todo o Conselho de Administração. Ora, quando no BCP estalou a guerra entre Teixeira Pinto e o ex-presidente Jardim Gonçalves, ambos procuraram arregimentar apoios.

:::::

Teixeira Pinto pediu a João Rendeiro, líder do BPP - Banco Privado Português, que era accionista do BCP, apoio na luta contra o «adversário», solicitando-lhe ainda que desse uma palavra a Balsemão. Porquê Balsemão? Porque era amigo de Rendeiro e accionista do BPP. Ora Balsemão, convidado a apoiar Teixeira Pinto, aceitou a incumbência desde que o BCP saísse de accionista do Sol. E Teixeira Pinto cedeu, dando ordem de venda das acções do Sol que o banco detinha.

socras4.png Esta informação foi -nos fornecida por Paulo Azevedo, administrador do BCP no Sol (não confundir com o filho de Belmiro de Azevedo), o homem a quem Teixeira Pinto deu ordem para vender as acções do nosso jornal, num telefonema que apanhou Azevedo em viagem na China...

:::::

Foi triste ver Balsemão, um defensor da liberdade de imprensa com quem sempre tive impecáveis relações de trabalho, envolvido numa tentativa de condicionar um jornal (ou mesmo fechá-lo) por razões mesquinhas. A verdade é que Balsemão nunca aceitou que as pessoas o «abandonassem».

socras5.jpg Ao sair do Expresso eu fiquei na sua «lista negra». E ele fez tudo para aniquilar o Sol. Quanto a Paulo Teixeira Pinto, também foi triste vê-lo entregar-nos às feras (no fundo, atraiçoar-nos), cedendo a essas pressões. Mas a história não acaba aqui. Um ano depois daquele episódio, o BCP - já administrado por Carlos Santos Ferreira e Armando Vara, e sem Paulo Teixeira Pinto - tentou recuperar o controlo do Sol. E isso só não aconteceu porque se intrometeram accionistas angolanos.

:::::

Conto esta história noutro local. Mas qual era objectivo do BCP ao tentar isso? Que sentido tinha querer voltar a dominar o Sol depois de ter decidido deixá-lo? O objectivo era simples: fechar o jornal, porque Sócrates o via já como um inimigo a abater. E Carlos Santos Ferreira e sobretudo Vara eram, neste caso, simples factótuns de Sócrates. Mais tarde, o próprio Presidente da República, Cavaco Silva, disse -me em Belém que também era esta a informação de que dispunha.

bruno13.jpg Acrescente-se que, pelo meio, tinha havido outro episódio rocambolesco: uma oferta de compra da maioria das acções do Sol por parte do Grupo Lena, impondo como condição que a direcção do jornal (composta por mim, José António Lima, Mário Ramires e Vítor Rainho) saísse. Esta proposta foi veiculada por Afonso Camões, jornalista muito próximo de José Sócrates. E antes disto, em pleno caso Freeport, um emissário de Sócrates (Luís Bernardo) contactara Mário Ramires para lhe dizer que os problemas financeiros que tínhamos seriam resolvidos se nós não publicássemos mais notícias sobre o tema.

:::::

Fizemos uma reunião de emergência e não cedemos. Antes ainda de José Sócrates deixar o poder, quando se tornou patente o número de negócios duvidosos em que estava envolvido, chamei-lhe «o Vale e Azevedo da política». E vaticinei que, tal como o ex-presidente do Benfica, ele seria preso depois de deixar o cargo - Acertei em cheio!

Fim da Novela Sócrates

As Opções de T´Chingange – (Ochingandji)



PUBLICADO POR kimbolagoa às 14:26
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quinta-feira, 13 de Outubro de 2016
MUJIMBO . CII

DO M´PUTO - DO LIVRO PROIBIDO. IV

kimbo 0.jpgAs escolhas do Kimbolagoa

DE

saraiva1.jpgJOSÉ ANTÓNIO SARAIVA - O que não pude (ou não quis) escrever até hoje. «O melhor do jornalismo é aquilo que não se pode escrever»

Sobre Sócrates

saraiva0.jpg Sócrates mostrouse muito naïf quando disse que num mestrado que fez (ou está a fazer) lhe explicaram como se cultivam relações - (…) Numa perspectiva exclusivamente interesseira e instrumental, claro. Mas, à parte eu fiquei com a ideia de que é um homem ainda imaturo, pareceume uma pessoa serena, cautelosa, não ansiosa - o que é importantíssimo num país que parece histérico e onde a tendência para a instabilidade é enorme.

:::::

Mas Margarida Marante faz uma revelação: que tem um orientador espiritual, um padre do Opus Dei, que tem sido fundamental para a sua pacificação de espírito e para «deitar cá para fora o ódio». Mas anda a tentar equilibrarse depois dos solavancos (enormes) provocados pelo fim da relação com Rangel - na qual tinha apostado tudo e pela qual tinha posto tudo em causa: a família, o bemestar, a tranquilidade.

::::

Essa discussão acalorada sobre a Justiça entre Sócrates e Marante foi para mim inesperada, e já parecia vir de trás. Nem percebi bem o que discutiam. Parece que Sócrates já adivinhava que iria ver -se a contas com a Justiça, pois enervou -se sem razão aparente e começou a levantar a voz - tendo eu de lhe chamar a atenção pois já estava toda a sala a olhar para nós.

matias12.jpg A situação era ainda mais acabrunhante dado o facto de Marante e Sócrates serem pessoas muito conhecidas. É no entanto curiosa essa observação que faço sobre Sócrates no Diário, dizendo ser «um homem sereno e não ansioso». Porquê? Quando abandonávamos o restaurante, um aparelho de TV colocado perto da saída transmitia um telejornal onde se dava uma notícia pouco simpática para o então primeiro-ministro Santana Lopes.

:::::

 

E Sócrates comentou: «Espero que o Sampaio tenha a lucidez e o bom senso suficientes para não ceder aos apelos para demitir o Governo e convocar eleições antecipadas.» E parecia sincero. Só que, um mês depois, no início de 2005, Sampaio demitirá mesmo Santana Lopes. E Sócrates, comentando publicamente o facto, afirmará que o Presidente da República não tinha outra alternativa senão demiti-lo. É assim a política... Diz -se o que convém no momento. No que se refere a Sócrates, esta afirmação não poderia ser mais verdadeira.

:::::

Almoço com o Sol em S. Bento - Quando fundámos o Sol, em 2006, José Sócrates convidou toda a direcção para almoçar em S. Bento, na residência oficial do primeiro-ministro. Fui eu, o José António Lima, o Mário Ramires e o Vítor Rainho. A refeição teve lugar na sala grande do rés-do-chão, à direita da entrada, que antes era sala de espera (e depois voltará a ser).

matias9.jpg Sócrates chega acompanhado por vários colaboradores, entre os quais Luís Patrão e Luís Bernardo, um assessor de imprensa tido como maquiavélico. Sentam-se de um lado da mesa - e nós sentamo-nos do outro. Como sucede naqueles encontros entre delegações partidárias em que as partes se sentam frente a frente. A conversa assumirá contornos surrealistas.

:::::

Há discordância de opiniões e os ânimos exaltam-se. Depois, Sócrates começa a desenvolver uma teoria sobre o condicionamento político dos meios de comunicação social. Diz que é estúpido os políticos quererem comprar ou influenciar os jornalistas ou os directores de jornais, pois é muito mais eficaz - além de ser muito mais fácil – condicionar os patrões dos grupos de média.

:::::

Curiosamente, será esta a teoria que Sócrates aplicará no caso Face Oculta, tentando condicionar os grupos de média através dos accionistas. É caso para dizer: com a verdade me enganas... Nestas conversas (ou discussões) em privado, assim como nos almoços a sós, Sócrates era - como ficou dito - muito pouco brilhante a argumentar.

lagar2.jpg Parecia uma pessoa banal, com uma conversa banal. Ora, nas intervenções televisivas, era acutilante e eficaz, às vezes quase brilhante, mesmo quando não tinha a razão do seu lado. Perante as câmaras de televisão ou o público, Sócrates superava-se. Ou então, como alguém disse, tinha uma capacidade de memorização invulgar e preparava previamente essas intervenções, limitando-se no momento a debitar o discurso que tinha preparado. Não sei qual será a verdade.

(Continua…)

As opções de T´Chingange (Otchingandji)



PUBLICADO POR kimbolagoa às 10:04
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sexta-feira, 7 de Outubro de 2016
MUJIMBO . CI

DO M´PUTO - DO LIVRO PROIBIDO . III

kimbo 0.jpgAs escolhas de Kimbolagoa

DE

saraiva1.jpg JOSÉ ANTÓNIO SARAIVA - O que não pude (ou não quis) escrever até hoje. «O melhor do jornalismo é aquilo que não se pode escrever»

Sobre Sócrates - Mais um episódio esquisito

soba k.jpg (…) Nas vésperas de Sócrates assumir a liderança do PS, em Setembro de 2004, Margarida Marante liga-me a dizer que ele acha que há da parte do Expresso (e de mim próprio) alguma animosidade em relação à sua pessoa e sugere um almoço entre nós. Porquê este contacto de Margarida Marante? Porque, quando fora directora da Elle, M. M. trabalhara com a jornalista Fernanda Câncio, tornando -se sua amiga. Entretanto, Marante casara com Emídio Rangel e Câncio começara a namorar com Sócrates.

:::::

Os dois casais passaram então a encontrar -se com alguma frequência. M. M. e Rangel tinham alugado uma vivenda na Biscaia, para os lados do Guincho, e Sócrates e Câncio eram visitas lá de casa. A vivenda tinha uma localização esplêndida perto do mar e fora alugada à ex-actriz Manuela Marle, que lhe dera o nome de Casa Boulangerie. A decoração fora encomendada por Marante a Graça Viterbo. Ora, dado encontrarem -se frequentemente, Marante passou a funcionar - julgo que por amizade - um pouco como «assessora de comunicação» de José Sócrates.

socie3.jpg Faço um parêntesis para falar de Fernanda Câncio. Conheci-a no Expresso, onde começou a trabalhar como estagiária antes de se mudar para a Elle. Nessa altura, namorava com Abílio Leitão, que também trabalhava no Expresso como copy desk e vivia em casa de um colega, onde Fernanda Câncio ficava também muitas vezes a dormir.

:::::

Sucede que Abílio tinha um fetiche pela fotografia (aliás, viria a ser fotógrafo free-lancer) e dedicava -se a tirar fotografias das relações com a namorada. E não tinha o cuidado de esconder as fotos, deixando -as a revelar em cima dos móveis. Um dia, a empregada que ia fazer a limpeza foi entregar ao dono da casa um maço de fotografias que tinha apanhado e que considerava impróprio estar espalhadas pelo quarto. Devo esclarecer que nunca vi essas fotos, mas o episódio que acabo de relatar é autêntico, dada a fonte que mo confidenciou.

Avillez2.jpg Voltando ao almoço com José Sócrates e Margarida Marante, este realizou-se no Vela Latina, em Belém, na segunda-feira seguinte (25 de Setembro de 2004) ao fim-de semana em que Sócrates foi eleito líder do PS. Era, pois, o seu primeiro dia na liderança do partido. Estranhei a sua disponibilidade, pois o primeiro dia de um líder é normalmente muito atarefado.

:::::

Ele e M. M. entraram juntos no restaurante, eu já lá estava, instalámo-nos à mesa, ela levantou-se de seguida para ir ao WC e Sócrates, aproveitando estar sozinho comigo, diz-me o seguinte: «A Margarida Marante insistiu neste almoço, mas eu devo dizerlhe que não tenho qualquer problema com o Expresso, antes pelo contrário. Sempre me senti bem tratado...» Fico estupefacto!

avillez00.jpg Então a Margarida tinha inventado tudo? Não era possível. Até porque - como resulta do que foi dito - ela sabia muito bem nessa época o que Sócrates pensava. E, sendo uma mulher perspicaz, com muita experiência na área da política, não se equivocaria com facilidade. Não era plausível que tivesse interpretado mal os seus sentimentos. Concluí, pois, que Sócrates estava mais uma vez a representar uma farsa.

:::::

Não havendo necessidade de esclarecer nada, o almoço decorreu de forma cordial. A dada altura, porém, Sócrates sugeriu que jantássemos brevemente, pois ao jantar havia mais tempo e mais disponibilidade para conversar com tranquilidade, sem a pressão do tempo.

carn1.jpg Esse jantar teve lugar poucas semanas depois na Bica do Sapato, restaurante da moda na zona oriental de Lisboa, para os lados de Santa Apolónia, junto à discoteca Lux. Os comensais foram os mesmos: eu, Sócrates e Margarida Marante. Colocaram -nos numa mesa muito exposta, mesmo no meio da sala. Descrevi assim esse encontro no meu Diário: 9 de Novembro de 2004, Jantar com José Sócrates na Bica do Sapato, por «intermediação» de Margarida Marante. Foi uma refeição algo desconcertante.

:::::

Começou com um happening: quando estávamos a falar sobre o Diário de Notícias e os episódios relacionados com a demissão da direcção e a nomeação de uma nova (eu elogiava o novo director), surge no restaurante essa nova direcção do DN: Miguel Coutinho, Raul Vaz e Pedro Rolo Duarte. No jantar, Sócrates e Marante «pegaramse», numa discussão sobre a Justiça. E Sócrates mostrouse muito naïf quando disse que num mestrado que fez (ou está a fazer) lhe explicaram como se cultivam relações.

(Continua…)

As opções do Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 12:56
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Quarta-feira, 5 de Outubro de 2016
CAFUFUTILA . CXVIII

NAS FRINCHA DO TEMPOKIANDA COM ONGWEVA - 13ª com várias partes…

ANDANÇAS COM KIANDASEm Córdova com Zachaf Pigafetta Roxo, kianda tetravó de Roxo e Oxor, seu mano Pieter e, um tal de Conde de Sant German.

Ongweva é saudade   

Por

t´chingange 0.jpg T´Chingange (Ochingandji)

zé peixe 1.jpg Este mussendo teve início no lugar de Guaxuma com a Kianda sereia Roxo; depois sua irmã vista ao espelho Oxor e Zé Peixe o marinheiro prático que levava grandes barcos desde alto mar até Aracaju de Sergipe. Depois evoluiu diluindo-se nas brumas do tempo com gente holográfica, muito antiga, conhecida de outras andanças como o Januário Pieter que nasceu em 1712, tendo agora seus 304 anos. Em Granada tendo Alhambra por perto, houve um encontro muito ansiado em "El Pátio Riconcillo" com a tetravó da Sereia Assunção Roxo.

:::::

Ela, a tetravó de Roxo chamava-se Zachaf Pigafetta e era visível só para mim e Januário Pieter. Foi de alguma cautela que falamos de coisas muito antigas do lago Niassa que antes era conhecido por seu primeiro nome de Zachaf; daquelas águas misteriosas tinham saído enredos que me prometeram contar de forma sucinta pois que haveria que descrever com mais pormenor suas vidas nas águas do Kwanza, estórias de Massangano com Tugas e Mafulos. A surpresa das surpresas deu-se num repentemente, quando Januário disse: Eu e Zachaf Pigafetta somos irmãos!

roxo66.jpg Podem imaginar a minha admiração quando ouvi isto. Andei tanto tempo subindo e descendo calçadas empinadas de Toledo, esperando que o concílio das Kiandas no palácio de Alcázer acabasse, eu ali com seu mano Pieter que nada me disse. Estes mistérios de kianda nunca irei entender por completo e, foi necessário ir a Granada para retirar um pouco mais destas kalungas. Não esquecer que o mestre pintor Costa Araújo na sua ancestral passagem por ali, foi testemunha destas falas. Eu explico: Este mestre pintor em uma geração ida e lá paratrás foi ajudante de El Greco.

:::::                                                 

Tenho de rever estes episódios para não me mentir. Foram dias de maravilha, mas só em Granada e, tempos depois, é que Pieter me apresentou à irmã Zachaf. Falámos entre várias coisas das suas itinerâncias a partir de Cabo Ledo e Massangano, sua segunda terra, ficando no ar promessas de novas e velhas notícias. Sendo estes, uma junção de espíritos na forma de água, divindades abstractas tudo lhes é possível. Em pensamento navego com eles de vez em quando mas não me é permitido decidir quando e aonde.

kianda2.jpg Minha mana tem outras estórias que decerto te encantarão, disse naquele então o irmão de Zachaf Pigafetta. Estamos aqui para isso; mungweno! Foi assim que nos despedimos. Passou algum tempo! Recentemente, visitei de novo Toledo com passagem por Córdova. Fiquei por aqui, Córdova, dois dias no Hotel Boston, um lugar bem aprazível e, aproveitei ver a toalha de água do rio Guadalquivir logo depois da cascata; via dali a ponte romana, Alcázar, a Mesquita com Catedral e o bonito Arco do Triunfo. 

:::::

E, foi quando remexia as quinambas, pés descalços nas águas meio turvas do rio, que senti um ligeiro sopro na orelha direita. Vindo do espaço, seu duilo feito céu, com todos os seus anéis relampejantes, ali estava meu conselheiro das profundas angústias. Vinha carregado de magnetismo, feitiços de contraluz cintilando um desassossegado arco-íris. E, foi quando reparei um pouco mais atrás sua mana Zachaf acenando sua mão muito pintada com caracteres meus desconhecidos como se tivesse vindo de Marrocos. Naquele sopro inicial deu-me um arrepio de furto; não fosse uma cigana romena vendendo flores com seu umbigado capianguista de mão ligeira.

kianda05.jpg Um turista tem de andar sempre meio desconfiado porque as mochilas atraem mãos estranhas. Não era o caso mas, vi acontecer! Levantei-me saltitante entre pedrinhas afiadas e dei um grande abraço a ambos. Também andavam fazendo turismo e sabiam lá do seu jeito que eu, estaria por ali. Calcei-me e fomos direitinhos a uma esplanada aonde nos sentamos em El Campo de Los Martires. Conversamos coisas fúteis tendo-me perguntado por o ajudante de El Greco, Costa Araújo de Toledo, um ancestral antecessor.

:::::

Nunca mais voltei a ver o antigo Araújo mas o novo cidadão, o herdeiro dos pinceis daquele mais velho estava em Brácara Augusta. Nem foi necessário explicar aonde era esta Brácara; estava sabedor que ficava numa terra escandalosamente verde do Minho! Este meu “Guru”, já me tratava como se fosse da família, um cipaio do seu arimo (lavra, horta, n´nhaca). A Kianda Zachaf que até ali se tinha mantido calada queria saber novas de sua descendente Assunção Roxo. - Anda numa boa, curtindo a vida com suas psicadélicas pinturas, coisas de cores vistosas muito belas, virtuais ou digitais, disse eu. Vi nela os olhos arregalados de contentamento.

MIRAN3.jpg - Quando estiveres com ela, dá-lhe um efusivo abraço, pode ser mesmo esse teu XXL, que desde já fica perfumado por mim, disse em conclusão. Na dúvida e tratando-a por vosmecê perguntei do porquê não ser ela a falar-lhe, uma vez que viaja no espaço-tempo com um simples estalar de dedos. – Ela, eu sei, anda a preparar-se com suas aventuras de roxomania mas, ainda não está na fase de termos um informal encontro! Creio ter-se referido ao estágio emocional e espiritual de Roxo.

:::::

Sei que ela, vai e vem para as terras de N´Gola, recomendo-lhe cuidado na terra dos kuzucutas kaluandas -eles andam um pouco carecidos de gasosa e quando não lhe dão, roubam, diz-lhe que ande com pouco cumbú; eu irei preservá-la mas, nem sempre controlo as tentações dos malvados, sabes! Disse ela em tom de remate! Andam por ali muitos simbis maldosos com espírito ancestral de origem Kikongo, do Zaire, antigos revolucionários que morreram sem o querer; guerrilheiros na diáspora.

zé peixe9.jpg E, havia muito para falar mas isto de se ser turista, tem coisas! Não é que surge um tipo com trancinhas, moreno, quase preto, falando francês e uma outra língua estranha. Apresenta-se: diz ser o Sant German dessa forma também gelatinoso e invisível para as outras gentes. Papagueou assim num tu-cá-tu-lá familiar; pelos vistos, até se conheciam! Mas eu fiquei quase a zeros! Que vinha de Moçambique; era um matumbola mutalo; um mestre da grande fraternidade branca, responsável do sétimo selo, com chama violeta! Era demasiado para mim - um quase preto a falar na grande fraternidade branca. Ui! Ai-iú-é …

:::::

Mas, o curioso é que eles conheciam-se! Dualidades que não percebia por completo. Diz ele virando-se para Pieter: - Por recomendação dum kamba muxiluanda, fui num vaivém minkisi vip ao Xipamanine (mercado de Moçambique), lavei-me na água de cu-lavado de defunto albino preto e cambuta, com a benzedura no N´zambi N´kulukulu, dos miamas de Xi-Lunguine. Estás a ver Meu !?  O resultado é isto! Referia-se ao seu actual aspecto nada condizente com um Conde branco N´si. Perante a minha surpresa ambos manos tetravós, fizeram questão de me explicar mas, eu tinha um compromisso. Desculpem-me, tenho de ir, há gente à minha espera; temos de seguir para Madrid.

paraiso1.jpg Vai! Disseram os três quase como se estivessem em sintonia! – Está certo, tenho muito a falar com vocês mas agora, olhei o relógio e abanei o dedo em repetição para o meu Guru. O tempo para nós não conta, disseram em conjunto (fiquei intrigado por falarem quase a uma só voz) ; ver-nos-emos em Madrid! Lá falaremos de N´Gola disse Zachaf. E, dos seres encarnados hoje no Planeta Terra a uma Nova Era, de Paz, Harmonia e União disse o coisa estranha de Sam German. Esta nova figura “Conde de San German”, veio complicar minha cabeça já de si azucrinada. Pareceu-me ser um fumador de pura liamba. Seria? Meio zonzo, dirigi-me ao Hotel situado em La Plaza tendilha, ali bem perto da Fénix… Como as coisas assim do nada, se complicam!?

nassau3.jpg GLOSSÁRIO

Minkisi: - Agente de ligação entre seres humanos e o físico, elementos de fogo, água, ar e terra; N´si: - Terra, o feiticeiro pintado com farinha vermelha (maiaca kianguim) que guarda os pórticos e permanece até o toque do medo, adrenalina, guardador de caminhos com saber do ontem, do hoje e do amanhã; Kianda: - Fantasma, assombração das águas das lagoas, rios e mares ou Kalungas; Kalunga: Junção de espíritos na forma de água, simplesmente água ou mar, espírito forte no reino dos mortos, divindade abstracta podendo ter a forma humana. Globália. - O Mundo; Simbis: - Espírito ancestral de origem do Kikongo e Zaire; Fénix: o pássaro que depois de queimado sai vivo das cinzas, renasce; Miamas: branco (Moçambique); Xi-Lunguine: Maputo, Ex Lourenço Marques; Kamba: amigo; Matumbola: um morto-vivo, tipo de assombração. Kazucuta: Trambiqueiro, aldrabão, que vive de expedientes; Muxiloanda: O mesmo que kaluanda, natural de Luanda (Luua); Cipaio: Autoridade local, trabalhador da Administração que mantem a ordem no kimbo ou tribo, fiscal; Mafulo: nome dado aos Holandeses (Brasil); Mussendo: Um conto ou longa estória, biblioteca oral, conto dos mais-velhos ou kotas.     

(Continua…)

O Soba T´Chingange (Otchingandji)     

 



PUBLICADO POR kimbolagoa às 15:40
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Sábado, 1 de Outubro de 2016
MOKANDA DO SOBA . CXII

TEMPOS PARA ESQUECER01.10.2016 - ANGOLA DA LUUA XXI. NA GUERRA DO TUNDAMUNJILA. … Nesta lengalenga de lembrarmos coisas mortas, cada homem é um mundo. Spínola o herói do monóculo e pingalim, escapa-se de helicóptero para Talavera de La Reina, em Espanha…

Por

soba0.jpegT´Chingange - (Otchingandji)

ango0.jpg  (…) Holdem Roberto a partir do Zaire, nada fazia mudar e, só se fazia notar por sua falta de bravura. Era um acomodado na mão dos americanos. A posição da FNLA tornou-se difícil de manter em Luanda. O MPLA, conjuntamente com as N.F. (Forças portuguesas) iniciaram uma perseguição tenaz nas Avenidas D. João II, à entrada da Rua Coronel Artur de Paiva. “Chaimites da tropa portuguesa” disparavam sobre soldados da FNLA que fugiam desarmados; enquanto corriam despiam a farda para mostrarem estar indefesos. Eles, simplesmente queriam salvar-se!

:::

Iriam buscar socorro no Bairro do Saneamento da Cidade Alta aonde viviam os ministros da FNLA sob protecção de forças especiais portuguesas e conjuntas de guarda ao Palácio que lhe ficava ao lado.  Em frente da Rádio Eclésia – Emissora Católica, a tropa portuguesa em apoio ao MPLA provocaram um espectáculo bem macabro: Abriam fogo contra todos na Calçada de Santo António; isto era feito debaixo de risos e desaforos como se coelhos fossem, e vão dois e, mais outro!

chai0.jpg Ainda haverá militares vivos que possam confirmar isto se entretanto a consciência já não lhes tirou o tino. Os mortos por ali ficaram estirados no passeio e rua tendo sido mais tarde retirados por militares da UNITA. Neto radicalizava-se no “esquerdismo”; jogava com todos os trunfos no populismo com os inerentes reflexos do processo revolucionário em curso português; Havia gente do PREC do M´Puto a instruir os dirigentes no como fazer e fazer querer!

:::::

As FMM ao invés de apagar o fogo como o deveria ser, ateavam ainda mais os incêndios. Lopo do Nascimento mentia com todos os dentes dando força ao tal exército popular do seu MPLA – “victória ou morte”. A 8 de Junho voltaram a ocorrer rebentamentos nos Bairros Cazenga, Lixeira, Sarmento Rodrigues e Cassequel. O MPLA fazia isto com elevado volume de fogo; havia munições à farta. Os militares dos movimentos FNLA e UNITA, refugiavam-se nos quarteis à guarda das N.F. agora mais comedidas no seu ímpeto esquerdista por pressão e vigilância do Alto-comissário Silva Cardoso.

chai1.jpg As FAPLA, atacaram e destruíram com blindados o quartel da FNLA em Kifangondo. Ninguém se insurgiu neste uso de blindados! Deveriam ser apreendidos pelas N.F. mas, ou as ordens se perderam no caminho ou lhes faltou coragem para actuar. Podemos acreditar em tudo porque nada foi feito! Era mais fácil desconhecer tal gravidade. Lobito, Benguela e Sá da bandeira eram agora as cidades refugia dos deslocados de guerra.

:::::

A etnia branca já não acreditava nos nacionalistas; desesperavam por não ver a situação normalizar. Não dava para esperar! As escolas começaram a não funcionar, os dispensários médicos iam ficando sem gente capacitada, as instituições iam ficando desertas de gente com poder de decidir. O “lar do Namibe” uma cooperativa de construção comunicou-me que já tinha direito à tal casa mas, esta carta por ali ficou em cima duma estante a desaguardar.

chai2.jpg O Tenente-Coronel Gonçalves Ribeiro insistia desde Junho de 1975 à Comissão de Descolonização na necessidade de se ultimarem transportes para os brancos e demais desalojados que quisessem abandonar Angola. Agora, os Delegado dos Movimentos que estavam no vasto território, ocasionavam abusos de autoridade, extorsões, detenções, agressões desmedidas e até mortes de forma gratuita.

:::::

A 9 de Março de 1975, no M´Puto, Spínola foi informado por oficiais amigos da operação matança da páscoa, um plano do Partido Comunista Português e os militares mais radicais do COPCON e da 5ª Divisão, apoiados pela União Soviética, para realizar uma campanha de assassinatos políticos, onde Spínola e seus apoiantes constavam como alvos, como parte de um golpe de estado para tomar o país.  

spi3.jpg  No dia 11 de Março de 1975 deu-se o golpe. Pelas 9h, a força que iria desencadear o golpe estava pronta na pista de Tancos. Pelas11h45, dois aviões T6 e quatro helicópteros oriundos ao comando de Spínola sobrevoaram e atacaram com rajadas de metralhadora o quartel do RAL1, perto do aeroporto de Lisboa. Pelas 14h00 o golpe é dado como perdido. Coisa pouca!

:::::

Pelas 17h, Spínola o herói do monóculo e pingalim escapa-se de helicóptero para Talavera de La Reina, em Espanha. O falhanço do golpe deixa o caminho aberto à ala radical do Movimento das Forças Armadas, tanto militar como político. A festança do PREC continua com a maioria silenciosa de viola no saco.

chai4.jpg Em Portugal Continental, Miguel Judas diria que Spínola por inépcia militar e psicológica perderia essa tal de “Maioria Silenciosa”. Que ninguém lhe tinha pregado rasteira; que não levaram a melhor porque tinham um General fraco como estratega. E acrescenta: "Também houve tropas que estavam para sair e não saíram do quartel”. Também Manuel Alfredo de Mello consideraria que no 11 de Março "foi estendida uma casca de banana ao Spínola e os seus apaniguados caíram, deixando a retaguarda de um lado da resistência ao PCP desmantelada".

::::

Para Alfredo de Mello o PCP "tentou a sua sorte para poder desempenhar um papel determinante na evolução do país. "A verdade é que a descolonização de Angola estava à porta. " E, uma facção dos comunistas, pressionados pela URSS, queria controlar o processo".

chai3.jpg Em Angola, as N.T. já nem saíam dos quarteis! Tinham sim um enorme desejo de serem rendidos e regressar à Metrópole do M´Puto. Nem pareceria ser relevante acudir a casos graves em defesa de gente Lusa. As teses do PCP vingavam em Portugal e Angola. Estes do PCP mudariam funcionários, quadros e militantes com acções reais no terreno. Preparava-se mais uma cimeira no Quénia mas ninguém acreditava nisto; Nem os próprios intervenientes!

(Continua…)

O Soba T´Chingange (Otchingandji)



PUBLICADO POR kimbolagoa às 14:50
LINK DO POST | COMENTAR | ADICIONAR AOS FAVORITOS

RELOGIO
TEMPO
Weather Forecast | Weather Maps
Maio 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

12
14
15
18

20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


MAIS SOBRE NÓS
QUEM SOMOS
Temos um Hino, uma Bandeira, uma moeda, temos constituição, temos nobres e plebeus, um soba, um cipaio-mor, um kimbanda e um comendador. Somos uma Instituição independente. As nossas fronteiras são a Globália. Procuramos alcançar as terras do nunca um conjunto de pessoas pertencentes a um reino de fantasia procurando corrrigir realidades do mundo que os rodeia. Neste reino de Manikongo há uma torre. È nesta torre do Zombo que arquivamos os sonhos e aspirações. Neste reino todos são distintos e distinguidos. Todos dão vivas á vida como verdadeiros escuteiros pois, todos se escutam. Se N´Zambi quiser vamos viver 333 anos. O Soba T'chingange
Facebook
Kimbolagoa Lagoa

Criar seu atalho
ARQUIVOS

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

TAGS

todas as tags

LINKS
PESQUISE NESTE BLOG
 
CAIXA MUSICAL
CONTADOR
contador free
ONDE ESTÁS

Sign by Danasoft - Myspace Layouts and Signs

blogs SAPO
subscrever feeds