Quinta-feira, 19 de Janeiro de 2017
XICULULU . XCIV

NAS CINZAS DO TEMPO19.01.2017 - Um homem sem religião é como um peixe sem bicicleta…

Por

t´chingange.jpegT´Chingange

Hoje, o dia acordou encoberto mas, isto não impediu que eu e Ibib fossemos à praia da Kanoa - Sete Coqueiros da Pajuçara. Coloquei meu chapéu-de-sol e duas cadeiras bem no alinhamento dos postes de futvolei, bem na linha de morte das ondas da maré cheia, um risco de algas ao longo da baia, ainda o tractor andava num e noutro sentido riscando a areia fina com um ancinho. Antes de iniciar minha habitual gimnástica de talassoterapia e, porque o céu estava um pouco carregado de escuro, sentei-me a admirar o horizonte, um barco de pesca que vindo da faena fazia seu roncar arritmado do motor.

lourdes8.jpg Olho para o lado do sol nascente e vejo um rapaz moreno que espetando uma alga num pau, a levanta e, fala com ela. Falar com uma alga!? O vento trazia até mim um fala desconhecida, assim cósmica, penetrante e com estalidos de submarino como estando mergulhado em águas profundas; por vezes também estalidos de dialecto kamusekele. Assim, ele falando para aquele tufo verde de alface-do-mar e estirados fios, noto com surpresa que estas tomam uma forma de pomba. Verde na cor mas, pomba!

:::::

O moço continua falando e, num repente o pau e pomba ficam flutuando no ar enquanto ele junta as mãos como que rezando dirigindo uma prece para o céu. E o céu estava carregado de algumas nuvens de chuva tapando o Sol. Eu estava boquiaberto, estupefeito vendo isto tão fora do compreensível. Belisquei-me e a unha, feriu-me! Estava vivinho da Costa.

lourdes7.jpg Eis que num repente e do lado dos coqueiros, bem junto à barraca Kanoa, sai um grupo de 3 homens ainda jovens e duas moças bem espigadas; um dos homens era preto retinto e com os dentes alvos e grandes. Os demais eram bem branquelas. Estes cumprimentaram efusivamente o moço da pomba de algas e, reparo agora que as mesma, era agora branca e pairava no ar bem por cima deles, como se fosse um gavião ou um peneireiro das torres.

:::::

Estes quatro homens e as duas mulheres juntaram em um monte e na areia seus pertences, chinelos e xailes pareu ou capulanas, mais chapéus e, foram-se todos em magote para a água.

Usavam uma língua cármica, cósmica e gosmosa com estalidos de sonar e, ginasticando muito seus gestos; num dado momento e, logo após ter soado uma campainha irritadiça, som vindo do nada, mergulharam na água como golfinhos. E, afastaram-se para além da minha percepção. Mistério!  Escafederam-se!

lourdes1.JPG Minha pele metida agora na água estava arrepiada como pele de galinha despenada. Entre o incrédulo e assombro, observava sem nada poder fazer. Tu viste isto! Falei para Ibib já sentado a seu lado. Isto o quê? Disse ela. Esses jovens que se foram mar adentro e que deixaram esse monte de seus pertences! Dizendo isso apontei para o monte de roupa e chinelos. Falei aos soluços abreviados e no caso da pomba mas Ibib interrompe-me – mas ali não há nada!

:::::

Fiquei bem preocupado comigo mesmo! Afinal só eu estava vendo tal desassombro! Ui! Mas que raio!? Pensei estar apanhado de qualquer malazenga e disse a ela, deixa para lá…. Vou de novo até à água com os pensamentos zunindo diabruras e de costas para a areia e molhado até ao pescoço. A água estava quente, eu já quase não tinha pé e por ali fiquei mexendo-me sem os definidos movimentos habituais.

:::::

É naquele preciso momento que vejo uma onda subir anormalmente até àquele monte de roupa dos candengues estranhos e, assim como dois braços recolhe-la toda num ápice e rebocá-la para o mar. Parece que alguém a estava puxando e, por encanto tudo se tragou na água. Devo ter comido qualquer coisa alucinogénia disse de mim para comigo. Assim estava quando começou a cair uma chuva; pingos molhados grudando-se-me ao costado como se me estivesse revestindo em mel.

lourdes2.jpg Sacudi, raspei e abanei mas nada! Estava literalmente grudado com aquele unguento castanho como o mel. Não tenhas medo! Foi a voz que ouvi sussurrada bem no interior dos meus tímpanos! Vinha de uma figura jovem mas de contornos indefinidos pairando na água sem ocupar espaço nela.  Relampejando seu olho verde repetiu: -Não te aflijas!

:::::

Estás a ser alvo de um teste para sabermos se podemos contar contigo nesta transição espiritual entre o aqui e o álem! Meio acagaçado acho que falei, não tenho a certeza se abri a boca ou se, só o pensei. Mas, porquê isto tudo e, comigo? Ele aquietou-me com suas mãos que me pareceu ter uns doze dedos em cada: Lembras-te de quando foste ao Santuário de Nossa Senhora de Lourdes em França no ano de 2003?

:::::

Lembras-te que te banhaste na fonte de água por debaixo do Santuário e no mesmo lugar aonde Bernardette Soubirous verificou o milagre da gruta de Massabielle? Pois fui eu como voluntário que te lavei naquela água benta, que te purifiquei com uma esponja. Eu e tu, todo despido! Conversei contigo umas escassas palavras e já nesse então vi que virias a ser um bom espírito missionário ou voluntário como eu nesse então. Sim! É verdade que me lavaram nessas tinas, numa gruta e no mesmo sítio da aparição da Senhora àquela menina que teve essa visão! E, isso é tão verdade como dois, mais dois serem vintidois.

lourdes5.jpg Pois então, chegou a hora de seres mais um voluntário a juntar-se-nos. Mas eu nem teu nome sei, disse! Sou Gerard Mussulini e até trouxemos o Kamanga Alex Tati que veio das lagoas de Cabinda. Em verdade estive em Cabinda tal como estive em Lourdes mas daí a ser uma coisa como vocês, vai alguma distância! Enganas-te amigo! Foi quando surgiu ou desimergiu das águas o coisa preta que conheci na Lagoa do Bumelambuto bem perto da capital do enclave.

lourdes3.jpg Tudo estava a tomar um jeito nebuloso pelo que lhes disse que eu era um católico romano, mau praticante em verdade, mas assim fui baptizado e crismado; que até fiz a comunhão. Pois agora és tudo isso e mais um irmão espírita. Passas a ser nosso embaixamor em estas águas quentes do Iemanjá. O Sol, neste então abriu-se e os tufos de algas verdes que formavam a linha da maré cheia viraram pombas brancas e cinzentas; voaram como uma nuvem em direcção à lua difusa entre a luz do dia mas verdadeira. Tudo ficou por aqui… Há coisas que nem mesmo bem contadas, são tomadas a sério.

O Soba T´Chingange



PUBLICADO POR kimbolagoa às 18:17
LINK DO POST | ADICIONAR AOS FAVORITOS

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




RELOGIO
TEMPO
Weather Forecast | Weather Maps
Agosto 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
14
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


MAIS SOBRE NÓS
QUEM SOMOS
Temos um Hino, uma Bandeira, uma moeda, temos constituição, temos nobres e plebeus, um soba, um cipaio-mor, um kimbanda e um comendador. Somos uma Instituição independente. As nossas fronteiras são a Globália. Procuramos alcançar as terras do nunca um conjunto de pessoas pertencentes a um reino de fantasia procurando corrrigir realidades do mundo que os rodeia. Neste reino de Manikongo há uma torre. È nesta torre do Zombo que arquivamos os sonhos e aspirações. Neste reino todos são distintos e distinguidos. Todos dão vivas á vida como verdadeiros escuteiros pois, todos se escutam. Se N´Zambi quiser vamos viver 333 anos. O Soba T'chingange
Facebook
Kimbolagoa Lagoa

Criar seu atalho
ARQUIVOS

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

TAGS

todas as tags

LINKS
PESQUISE NESTE BLOG
 
CAIXA MUSICAL
CONTADOR
contador free
ONDE ESTÁS

Sign by Danasoft - Myspace Layouts and Signs

blogs SAPO
subscrever feeds